quinta-feira, 7 de outubro de 2021

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 07/10/2021

ANO B


Lc 1,26-38

Comentário do Evangelho

Maria, é a mulher que acolhe a Palavra e se deixa conduzir por ela.

O anúncio de Gabriel a Maria faz parte dos relatos denominados de evangelhos da infância. Está relacionado com a gravidez de Isabel. Isto porque os evangelhos da infância estão construídos num paralelismo constante entre João Batista e Jesus, com a finalidade de mostrar que Jesus é maior que João; que João é o precursor e Jesus, o Messias. O relato enfatiza a iniciativa absoluta de Deus na encarnação do seu Filho. A iniciativa de Deus conta com a colaboração de Maria, que, modelo do discípulo, é a mulher que acolhe a Palavra e se deixa conduzir por ela: “Eis aqui a serva do Senhor! Faça-se em mim segundo a tua palavra” (v. 38).
Carlos Alberto Contieri,sj
Oração
Senhor Jesus, que eu me deixe modelar pelo exemplo de Maria, a serva humilde que se fez capaz de assumir, com total disponibilidade, o projeto de Deus.
Fonte: Paulinas em 07/10/2013

Comentário do Evangelho

João o precursor e Jesus o Messias.

Os relatos da infância, no evangelho de Lucas, estão construídos utilizando-se do paralelismo entre João Batista e Jesus. A finalidade é mostrar que Jesus é maior que João Batista: João é o precursor, Jesus o Messias. Um dos elementos desse paralelismo, presente no texto de hoje, é a relação entre o anúncio do nascimento de Jesus com o sexto mês da gravidez de Isabel. É Deus quem toma a iniciativa na encarnação do seu Filho (v. 35). No entanto, a iniciativa de Deus conta com a adesão livre de Maria. Maria é apresentada como aquela que recebeu o favor de Deus (v. 28), isto é, aquela que foi especialmente favorecida por Deus. Em que consiste esse favor de Deus a Maria? Na sua eleição para ser, segundo a carne, a mãe do Filho unigênito de Deus. Se a idade avançada de Isabel e Zacarias e a esterilidade de Isabel foram superadas na concepção de João, a virgindade de Maria não será impedimento para a ação do Espírito Santo na concepção de Jesus. Na sua resposta ao mensageiro de Deus, Maria se apresenta como “serva do Senhor”. Nesse sentido, ele se identifica com Ana, mãe de Samuel (1Sm 1,11). É como serva que ela se submete ao desígnio salvífico de Deus.
Carlos Alberto Contieri, sj
Oração
Pai, plenifica-me com tua graça, como fizeste com Maria, de forma que eu possa ser fiel como ela ao teu desígnio de salvação para a humanidade.
Fonte: Paulinas em 07/10/2014

Vivendo a Palavra

O encanto da cena está na simplicidade. Na cidade pequena e esquecida, em casa humilde de pessoas puras, o Senhor encontra espaço para se manifestar e envia seu Mensageiro. Não seria este o apelo que deveríamos entender? Buscar as coisas simples da vida, adotar comportamento leve e alegre como norma, porque sabemos que somos filhos criados por Amor?
Fonte: Arquidiocese BH em 07/10/2013

Vivendo a Palavra

Contemplar o Rosário é seguir, na companhia de Maria, todo o Mistério da Encarnação do Filho de Deus, a Palavra Criadora que se fez homem: vida, paixão, morte, ressurreição e permanência entre nós de Jesus Cristo. Não apenas para nos encantarmos, mas para torná-la viva em nossa existência.
Fonte: Arquidiocese BH em 07/10/2014

VIVENDO A PALAVRA

Contemplar o Rosário é seguir, na companhia de Maria, todo o Mistério da Encarnação do Filho de Deus, a Palavra Criadora que se fez homem: vida, paixão, morte, ressurreição e permanência entre nós de Jesus Cristo. Não apenas para nos encantarmos, mas para torná-la viva em nossa existência.
Fonte: Arquidiocese BH em 07/10/2017

VIVENDO A PALAVRA

Contemplar o Rosário é seguir, na terna companhia de Maria, todo o Mistério da Encarnação do Filho de Deus, a Palavra Criadora que se fez Homem: vida, paixão, morte, ressurreição e permanência entre nós do Cristo Jesus até o final dos tempos. Não apenas para nos encantar, mas para tornar essa Presença bem viva em nossas relações existenciais.
Fonte: Arquidiocese BH em 07/10/2020

Reflexão

Jesus se insere na história da humanidade e, ao fazê-lo, também passa a ter uma história. Ele é verdadeiramente homem e assume em tudo a condição humana, menos o pecado Ao comemorarmos a Imaculada Conceição da Virgem Maria, estamos comemorando um fato da história do próprio Cristo, pois a Imaculada Conceição de Maria está condicionada ao nascimento de Cristo, uma vez que Deus estava preparando o ventre digno de receber seu próprio Filho. Com isso, podemos perceber a ação do Deus que é Senhor da história e que, agindo na própria história da humanidade, conta com a colaboração de todos para a realização do seu plano.
Fonte: CNBB em 07/10/2013 07/10/2014

Reflexão

Na Idade Média, o Rosário nasceu do amor dos cristãos por Maria. Os promotores dessa devoção foram os dominicanos. O Papa São Pio V, também dominicano, foi o primeiro a recomendar oficialmente a recitação do Rosário. Com o Rosário, meditamos os principais mistérios da vida de Jesus e Maria. Somos exortados pelos papas a recitar o Rosário como excelente meio de crescimento espiritual. Paulo VI nos sugere: “Por sua natureza, a recitação do Rosário requer um ritmo tranquilo e certa demora em pensar, que favoreçam, naquele que ora, a meditação dos mistérios da vida do Senhor, vistos através do coração daquela que mais de perto esteve em contato com o mesmo Senhor” (Marialis cultus, n. 47). E em outro item, “recomenda vivamente a recitação do santo Rosário em família” (n. 52).
Oração
Senhor Jesus, tua Mãe Santíssima, desde muito tempo, é invocada como Nossa Senhora do Rosário. Com isso, somos levados a contemplar os principais mistérios que envolvem tua vida, morte, ressurreição e ascensão ao céu, bem como valorizar os acontecimentos importantes da vida de tua querida mãe. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte: Paulus em 07/10/2020

Reflexão

São Paulo VI definiu o rosário como “resumo de todo o Evangelho, onde a repetição da Ave-maria em forma de ladainha torna-se louvor incessante a Cristo”. O rosário teve sua origem no século XII por iniciativa dos dominicanos. Em 1573, o papa Gregório XIII, para realçar a importância do rosário, permitiu que a ordem dominicana, as confrarias do Santo Rosário e as igrejas com um altar em honra da Virgem do Rosário celebrassem, no primeiro domingo de outubro, a festa do “Santo Rosário da Bem-aventurada Virgem Maria”. São Pio X fixou a festa para o dia 7 de outubro. O atual calendário romano manteve a data, porém retocou o título da festa para “Bem-aventurada Virgem Maria do Rosário”, abreviado na edição brasileira do Missal para “Nossa Senhora do Rosário”.
Oração
Senhor Jesus, tua Mãe Santíssima, desde muito tempo, é invocada como Nossa Senhora do Rosário. Com isso, somos levados a contemplar os principais mistérios que envolvem tua vida, morte, ressurreição e ascensão ao céu, bem como valorizar os acontecimentos importantes da vida de tua querida Mãe. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2021 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp e Pe. Nilo Luza, ssp)

Meditação

Que sentido tem o Rosário em sua vida? - Em sua comunidade reza-se o Rosário? - O Rosário se divide em quatro conjunto de mistérios: gozosos, dolorosos, gloriosos e mistérios da luz. Quais mais lhe agradam? - Conhece alguma família que reza o Rosário? - Qual foi a última vez que você teve um Rosário em mãos?
Fonte: a12 - Santuário Nacional em 07/10/2013

Recadinho

Que sentido tem o Rosário em sua vida? - Em sua comunidade reza-se o Rosário? - O Rosário se divide em quatro conjunto de mistérios: gozosos, dolorosos, gloriosos e mistérios da luz. Quais mais lhe agradam? - Conhece alguma família que reza o Rosário? - Qual foi a última vez que você teve um Rosário em mãos?
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R
Fonte: a12 - Santuário Nacional em 07/10/2014

Comentário do Evangelho

CONCEBIDA SEM PECADO

A festa da Imaculada Conceição leva-nos a pensar em Maria como a perfeita discípula que correspondeu plenamente aos anseios de Deus, movida pela graça. A fidelidade de Maria decorreu de um especial dom divino, o dom de nascer mais integrada do que nós, com mais capacidade de ser livre e de acolher a proposta divina.
O anjo Gabriel alude a este dom divino quando a saudou como “repleta de graça”. Toda envolvida pelo amor divino, Maria soube colocar-se, em total disponibilidade, nas mãos de Deus, para cumprir sua santa vontade: “Eis a serva do Senhor, faça-me em mim conforme a tua palavra”. Uma tal comunhão com Deus excluía qualquer traço de egoísmo e de pecado. Só a plenitude da graça permitiu-lhe ser totalmente despojada de si para cumprir o projeto de Deus. Daqui brota a fé de que Maria, mesmo antes de nascer, foi preservada do pecado.
A condição de agraciada por Deus não a eximiu do esforço de ser peregrina na fé, necessitada de crescer e de aprender, como acontece com todo ser humano. Sua originalidade consistiu em ter trilhado um caminho sempre positivo, sem fazer concessões às paixões desordenadas, ou ao próprio querer. A grandeza de seu testemunho de fé expressou-se na humildade com que o viveu, num contínuo esforço de discernir a vontade de Deus e em ser solícita em cumpri-la.
Oração
Pai, dá-me a graça de ser fiel a ti, como Maria, a perfeita discípula que soube discernir a tua santa vontade, e se mostrar solícita em realizá-la.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Derramai, ó Deus, a vossa graça em nossos corações, para que, conhecendo, pela mensagem do anjo, a encarnação do Cristo, vosso Filho, cheguemos, por sua paixão e cruz, à glória da ressurreição pela intercessão da virgem Maria. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Dom Total em 07/10/2014

Meditando o evangelho

SUPERANDO O PECADO ORIGINAL

A celebração da Imaculada Conceição de Maria leva-nos reconhecer a possibilidade de superar a marca do pecado, que acompanha a história da humanidade. É possível considerar isso como uma forma de reversão da história: finalmente, alguém viu-se totalmente livre da tirania do pecado.
A experiência de Maria é melhor entendida, se a confrontamos com a de Eva. A primeira mulher, criada para a plena comunhão com Deus, deixou-se envolver pela força dos  instintos, a ponto de romper com o Criador. Maria, a mãe do Redentor, mostrou-se tão radicalmente fiel a Deus, a ponto de não ser contaminada pelo pecado. Aquela foi a "mãe de todos os viventes", que contaminara, com sua infidelidade e pecado, todas as gerações humanas.
Aquela que traria em seu ventre o Salvador, ao invés, por sua fidelidade transformou-se em fonte de bênção para a humanidade que seria redimida por seu Filho. Enquanto Eva representa a humanidade que passa da graça ao pecado, Maria, pelo contrário, aponta para a humanidade que supera o pecado, e se volta totalmente para a graça de Deus.
Quando o anjo chamou Maria de "cheia de graça", estava indicando a profundidade do enraizamento da graça no coração dela. Com isto, apresentava-a como exemplo de humanidade salva por Jesus: o ser humano como saíra das mãos do Criador.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total)
Oração
Espírito de perfeita santidade, como Maria, plenifica com a graça de Deus o meu coração, de forma a não sobrar espaço para o egoísmo e o pecado.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

1. Alegra-te cheia de graça!
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

Hoje oferecemos a Maria um rosário cheio de alegria com a anunciação do Anjo; com a visita a sua prima Isabel; com o nascimento de Jesus em Belém; com a apresentação de Jesus no Templo; com o encontro de Jesus no Templo entre os doutores. Cheio de dores com a agonia de Jesus no Jardim das Oliveiras; com a flagelação; com a coroação de espinhos; com Jesus carregando a sua Cruz; com a crucificação e morte. Cheio de glória com a ressurreição de Jesus; com a ascensão ao Céu; com a vinda do Espírito Santo; com a assunção de Maria ao Céu; com a coroação de Maria no Céu. Cheio de luz com o Batismo de Jesus; com as Bodas de Caná; com o anúncio do Reino; com a transfiguração no Tabor; com a instituição da Eucaristia.
Fonte: NPD Brasil em 07/10/2017

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

1. Nossa Senhora do Rosário
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Maria estava em oração, talvez louvando e agradecendo ao Deus da Aliança pela sua bondade e misericórdia, manifestando também a sua alegria pelo noivo José, a quem já estava comprometida, e como qualquer noiva sonhadora, Maria contava os dias que faltavam para ir morar com José e fazer a Festa do casamento. Mas...intui em seu coração qual era a vontade de Deus. Quando tudo está saindo conforme os nossos planos, de vez em quando é bom, que a nossa oração seja questionadora “É esse o jeito que Deus quer? Será esta a sua Santa Vontade?”
O anjo anuncia que ela terá um Filho.... Até aqui nenhuma novidade, claro que o filho não era para agora, mas depois que ela coabitasse com seu marido José. Maria até facilitou para o anjo e envolveu José na conversa “Como isso vai acontecer se não conheço homem algum?”. Isso é, se eu ainda não convivo com meu esposo José... Talvez o anjo explicasse que era para daqui um ano mais ou menos e tudo estava certo, os Planos de Deus e os Planos de Maria...Então a conversa sai do meramente humano e prossegue á luz da Fé, própria dos que creem e confiam em Deus e seus desígnios...
“O Espírito Santo descerá sobre ti e a sombra do altíssimo te envolverá com a sua sombra.  Por isso, o Santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus...”  Agora a revelação do anjo sai do meramente humano, do natural e migra para o Divino, para a força sobrenatural do Poder Divino.
Um Devocionismo exacerbado, antes do Concílio Vaticano II, para com a Virgem Maria, nos levou a perde vista o essencial, a grandiosidade dessa Mulher, Filha, Mãe e irmã, essa mulher de uma Fé incomum que crê e confia, que traz no coração a Esperança Messiânica de todo Israelita. Maria tem os pés no chão da história, não é uma supermulher caída do céu, não tem superpoderes nem premonição, mas é fiel a Palavra de Deus e aceita abandonar seus planos e correr todo risco que a sua Fé iria lhe trazer: risco de perder para sempre o noivo, risco de não ter a compreensão dos pais, risco de ser denunciada ao sinédrio, risco de ser mal vista por todos, como uma mulher vulgar.
A Fé verdadeira que aceita o risco confiando unicamente em Deus! Aí está toda a grandiosidade de Maria Santíssima. Por isso se fez serva, anulando a sua vontade e os seus planos, preferiu correr todos esses riscos do que dizer não ao seu Deus!  Por isso ela é o protótipo da Igreja, a primeira cristã e a primeira discípula. Nossa mãe querida, mas também nossa irmã de caminhada.
“Óh Maria Concebida sem pecado original, rogai por nós que recorremos a Vós.”

2. Alegra-te, cheia de graça! O Senhor está contigo - Lc 1,26-38
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

No Rosário de Maria, medite os mistérios da nossa fé. Segunda-feira e sábado: a Anunciação, a Visitação, o Natal, a Apresentação de Jesus no Templo com os doutores. Na terça e na sexta: a agonia, a flagelação, a coroação de espinhos, carrega a cruz, a crucifixão. Na quinta: o Batismo, as bodas de Caná, o anúncio do Reino, a Transfiguração, a Santa Ceia. Quarta e domingo: a ressurreição, a ascensão, a vinda do Espírito, a assunção e a coroação de Maria no céu.
Fonte: NPD Brasil em 07/10/2020

Liturgia comentada

Virá sobre ti o Espírito Santo... (Lc 1,26-38)
Este Evangelho nos faz presentes ao momento sublime da Encarnação do Verbo de Deus. Narra o encontro do céu e da terra, o diálogo entre Deus e a Humanidade, representados pelo Arcanjo Gabriel e pela Virgem Maria. Diante da pergunta de Maria, o anjo acena com a intervenção direta do Espírito de Deus na vida dela, enquanto agente divino na Encarnação.
Transcrevo para você um trecho de meu livro “Sonetos do Agradecido” (Ed. O Lutador, BH): “Quando Maria ouve de Gabriel estas palavras, não pode deixar de evocar a nuvem do Êxodo, que cobria de luz o caminho dos hebreus e, mais tarde, encheria todo o espaço interior da Tenda de Reunião, tornando-a impenetrável. E a Virgem sabe que é chamada a resumir em sua pessoa todo Sião, e dar – em nome da assembleia das 12 tribos – um primeiro SIM, pleno e cabal, diante da Vontade de Yahweh.
Escolhida para esse momento ‘desde antes da fundação do mundo’, revestida (e in-vestida) de uma santidade ímpar, Maria é capaz dessa adesão total aos planos de Deus. Afinal, ‘os Padres da tradição oriental chama a Mãe de Deus a toda santa (Panhagia), celebram-na como ‘imune de toda mancha de pecado, como que plasmada pelo Espírito Santo, formada como nova criatura’. Pela graça de Deus, Maria permaneceu pura de todo pecado pessoal ao longo de toda a sua vida’.
O Espírito de Deus se mostra em todo o seu dinamismo em cada momento-chave da história da salvação. Muitos ícones, para representar esta ‘atividade pneumática’, traçam do alto (da nuvem) uma parábola luminosa que recai sobre a personagem agraciada, como no caso da ‘Natividade’: na sombra da gruta, o raio luminoso recai sobre a cabeça do Infante, no colo de Maria.
Assim, a revelação feita por Jesus a respeito de sua própria pessoa (cf. Lc 4,18-21, na sinagoga de Nazaré), enquanto ungida pelo Espírito Santo, diz respeito a uma realidade que remonta ao instante da Anunciação. Diante do assentimento da Virgem, ‘o Espírito Santo é enviado para santificar o seio da Virgem Maria e fecundá-la divinamente, ele que é ‘o Senhor que dá a Vida’, fazendo com que ela conceba o Filho Eterno do Pai em uma humanidade proveniente da sua’. (CIC, 485.)
Tudo porque Maria disse SIM.”
Orai sem cessar: Se enviais o vosso Espírito, renovais a face da terra!” (Sl 104, 30)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
santini@novaalianca.com.br
Fonte: NS Rainha em 07/10/2013

HOMILIA

MARIA, SERVA DO SENHOR

Antes de pronunciar essas palavras Maria se chamara «a escrava do Senhor». Esta é a definição que Maria tem de si mesmo. No mesmo evangelho chamam-na os homens de Maria, Deus a conhece com o nome de cheia de graça e, finalmente, o nome que ela escolhe para si: escrava do Senhor.
A situação constituinte da vocação é oferta por Deus, mas ao mesmo tempo tem que se transformar em escolha pessoal, íntima, refletida. Quando alguém elege a disponibilidade para o serviço do Senhor tem que saber-se escravo, isto é, entrar no grupo dos anawins do Antigo Testamento, pertencer somente ao Senhor e d’Ele receber tudo. Quem deseja colocar-se a serviço de Deus tem que deixar que Deus o experimente: prepara o teu coração para a prova, sofre as demoras de Deus (cf. Eclo 2). O escravo não tem vontade própria, não escolhe trabalho, não pode ir atrás de seus gostos. Simplesmente deixa fazer. Por isso mesmo se vê a coerência do sentido que Maria tem de sua vocação quando, ao abandonar-se em escravidão ao plano misterioso de Deus, diz «faça-se em mim segundo a tua palavra». Maria, a serva do Senhor, aceita plenamente a sua Palavra, cooperando ativamente e de modo imediato à obra de Deus que o anjo anunciava. Dá um sim livre e consciente à concepção humana do Filho de Deus e vive, desse modo, aquele abandono grandioso que a fé pede.
Nela se cumpre fisicamente a Palavra de Deus. Torna-se, de agora em diante, portadora da Boa-Nova da salvação que Deus havia escondido no seu coração e que, agora, chegada a plenitude dos tempos, revelava através da humilde serva do Senhor.
Acolher a Palavra no coração e na vida: eis a grande lição que aprendemos do chamado de Maria. Gerou durante toda a sua vida a Palavra no seu coração e, por graça e eleição divinas, tornou-se sua Mãe.
Não é essa também a nossa missão? Não nos diz Jesus que temos que tornar-nos seus parentes quando diz que mãe e irmãos seus são aqueles que fazem a vontade do Pai que está nos céus? (cf. Mc 3,34). Desse modo, todo aquele que se torna imitador de Maria, buscando em tudo a vontade de Deus, conseqüentemente possui uma proximidade muito grande de Jesus. A tal ponto isso é verdade que Jesus os identifica como parentes muito próximos: mãe e irmãos seus. Jesus se compreende como aquele que faz em tudo a vontade do Pai: esse é o seu maior desejo (cf. Hb 10,7).
Assim, aprendemos com a Virgem Maria que a realização daquele que recebeu um chamado não tem nada a ver com compensações egoístas, mas é um verdadeiro lançar-se integralmente na busca da realização do querer divino. Pode-se dizer que é um verdadeiro e próprio casamento, uma aliança para realizar a Palavra divina que é-nos enviada para que Deus, através da nossa humilde colaboração, realize o seu desejo de salvação.
Ó humilde serva do Senhor, faze com que eu encontre na disponibilidade absoluta a Deus o verdadeiro sentido da minha vida e razão única de tudo aquilo que fizer de grande ou de pequeno nesse mundo.
Padre Bantu Mendonça Katchipwi Sayla
Fonte: Liturgia da Palavra em 07/10/2014

HOMILIA DIÁRIA

O Santo Rosário é a oração dos vencedores

O Santo Rosário é a oração dos vencedores, daqueles que colocam no Senhor a sua confiança.

O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!” (Lc 1,28).

Nós, hoje, celebramos o Dia de Nossa Senhora do Rosário. É um dia muito grandioso e importante para nós. Não lembramos do “Rosário pelo Rosário”, mas é de Nossa Senhora do Rosário ou Nossa Senhora da Vitória, Nossa Senhora do Combate. Maria, Mãe de Deus que vai à nossa frente.
No século XVI, quando houve a grande batalha de Lepanto, a nossa fé católica parecia que ia sucumbir, ia ser tomada pelos inimigos da fé. Naquele contexto, os cristãos saíram às ruas com um Rosário na mão invocando a Nossa Senhora, e todos rezando o Santo Rosário. E o povo de Deus venceu aquela batalha.
O Santo Terço ou Rosário são as armas preciosas que Deus colocou em nossas mãos para vencermos as batalhas da vida. Primeiro as batalhas interiores, as batalhas da própria alma. Meditar os mistérios do Santo Rosário é meditar a nossa própria fé, é alimentar a nossa própria fé; é rever a nossa própria vida, a luz dos acontecimentos da vida de Jesus Cristo e de Sua Mãe entre nós.
Portanto, para alguns que acham que rezar o Santo Terço é apenas debulhar as bolinhas do Rosário e repetir as “Ave Marias”… Muito pelo contrário: o Santo Rosário é uma das orações meditativas, contemplativas, mais belas e poderosas que existe. O Santo Terço tem um poder de cura interior para a alma e para o coração.
Quando contemplamos os mistérios de Cristo, contemplamos e meditamos nossa própria vida. Por isso, hoje, não reze somente o Santo Terço repetindo as “Ave Marias”, mas contemple, medite, cada um dos mistérios que é rezado em cada Terço.
O Santo Rosário é a arma dos combatentes, do grande combate espiritual que batalhamos e precisamos vencer. O Santo Rosário é a oração dos vencedores, daqueles que colocam no Senhor a sua confiança, é a oração do povo simples, do povo que tem confiança no Senhor e que tem na Mãe de Deus um grande refúgio em todos os momentos.
Que Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 07/10/2013

HOMILIA DIÁRIA

A oração do rosário é cura e libertação para a nossa alma

O santo rosário é cura e libertação para a nossa alma e nos permite mergulhar em todos os principais mistérios na nossa fé cristã, pois todos nós passamos por momentos de de luz, de cruz e de expectativa da glória que nos há de ser revelada.

“O anjo entrou onde ela estava e disse: ‘Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!’”(Lucas 1, 28).

A Igreja nos dá a graça de celebrarmos hoje o dia de Nossa Senhora do Rosário ou o dia de Nossa Senhora da Vitória. Na verdade, nós sabemos que, no século XVI, houve aquele grande combate entre os cristãos e aqueles que queriam tirar a fé cristã do nosso povo. Os cristãos não tinham armas suficientes para lutar e para combater os povos inimigos, e o povo saiu às ruas com o rosário na mão. Foram aquelas coroas de rosários que o nosso povo rezou que garantiram a vitória do povo de Deus. E desde então, o Papa Clemente XI celebra este dia com uma festa litúrgica em honra a Nossa Senhora do Rosário ou de Nossa Senhora de Fátima.
O mais importante, quando rezamos o santo rosário, não são simplesmente as Ave-Marias que nós vamos repetindo – nela levamos a Palavra de Deus, e no fundo há um fundinho musical, pois a Ave-Maria é como se fosse o pano de fundo do mistério que celebramos e contemplamos. Nós dizemos com a boca aquilo que o anjo disse ao saudar Maria e ao contemplar o mistério de Deus na vida dela, [ao rezarmos o rosário] contemplamos, celebramos, meditamos e refletimos sobre o que aconteceu na vida dela e do seu Filho, Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Quando nós contemplamos os mistérios do rosário, transferimos aquilo que é a vida de Jesus e de Maria para a nossa vida. Os quatro mistérios – os gozosos, os luminosos, os dolorosos e os gloriosos – são o resumo daquilo que é a nossa própria vida. Todos nós passamos por momentos de alegria, de luz, de dores, de cruz e estamos na feliz expectativa da glória que nos há de ser revelada. O rosário nos enche de fé, de confiança, e, acima de tudo, de muita esperança!
A oração do rosário é uma oração de cura e de libertação para a nossa alma e para o nosso ser. Nós purificamos a nossa boca, os nossos pensamentos e sentimentos; nós travamos um verdadeiro combate espiritual ao nos propormos a rezar o santo rosário; os demônios fogem, correm. Porque o santo rosário pode, no início, parecer um pouco cansativo, enfadonho, mas quando o rezamos com fé, com amor, quando nos permitirmos entrar nos mistérios contemplados, entramos na essência da Palavra de Deus, entramos no miolo da transformação maravilhosa dos mistérios da vida de Cristo.
Rezemos o rosário, rezemos a Palavra de Deus! Permitamos que os mistérios do santo rosário entrem em nós e entremos nós também nos mistérios do santo rosário, assim nós transbordaremos as graças e as vitórias que o santo rosário concede a cada um de nós.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 07/10/2014

HOMILIA DIÁRIA

O rosário é a grande arma no combate espiritual

O rosário é a oração mais contemplativa e meditativa, mais cristocêntrica e bíblica que nós podemos conhecer

“O anjo entrou onde ela estava e disse: ‘Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!’” (Lucas 1,28).

Celebramos, hoje, Nossa Senhora do Rosário ou ainda Nossa Senhora da Vitória. O que isso significa para nós? Que Maria é a vitória de Deus em nossa vida, ela é a vitória do Reino de Deus num mundo onde há tantas batalhas, onde o pecado tenta inteirar, mas o Senhor é vitorioso sobre o poder do mal.
A vida de Maria, aquela que é a cheia de graça, expressa justamente isso: a graça primeira por ela recebida, a graça plena do começo ao fim de sua vida. Maria foi aquela que sempre permitiu à graça de Deus vencer, ter primazia na vida dela.
O que é a vitória de Deus em nossa vida, senão o triunfo da graça, do bem? O que é o triunfo d’Ele, em nossa vida, senão sobre a sedução do mal, do pecado e a sedução deste mundo?
Maria quer que sejamos vitoriosos, ela quer nos ajudar a combater o mal. Assim como ela venceu, ela nos quer também vitoriosos.
O rosário é a grande arma no combate espiritual, no combate contra as forças do mal. O rosário não é uma repetição de Ave-Marias, mas a oração mais contemplativa, meditativa, cristocêntrica e bíblica que nós podemos conhecer! Em Maria meditamos e refletimos todos os mistérios ou o mistério da presença de Deus no meio de nós.
Desde o anúncio do Anjo Gabriel até a coroação definitiva da Virgem Maria, passamos pelos acontecimentos principais e centrais da vida de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Rezamos 50 Ave-Marias, mas elas são como que respostas do nosso coração, da nossa boca; são como declarações de amor e convicção de um coração pelas verdades anunciadas no Reino de Deus.
Toda vez que proclamamos uma Ave-Maria, proclamamos a vitória de Deus. Se proclamarmos, todos os dias, as 50 Ave-Marias, diremos 50 vezes: “Deus é vitorioso na minha vida!”.
A Virgem Maria caminha conosco. Ela nos mantêm junto dela nesse combate, nessa batalha que travamos rumo ao Reino dos Céus.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 07/10/2017

HOMILIA DIÁRIA

O Santo Rosário é uma arma poderosa para a nossa vida

“Maria, então, disse: ‘Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!’” (Lucas 1,38).

A Igreja nos dá a graça de celebrarmos, hoje, Nossa Senhora do Rosário ou Nossa Senhora das Vitórias. Lá no século XVI, houve a grande batalha de Lepanto, e Ela foi importantíssima para a história da humanidade e da Igreja. A guerra promovida com os turcos-otomanos, nossos irmãos muçulmanos, foi decisiva para que aquele mundo, sobretudo Portugal e Espanha, não fosse dominado pelos Islâmicos, isso significaria que, hoje, muitos de nós também seríamos rendidos à cultura e à religião muçulmana.
Diante do poder bélico que o império turco tinha, os cristãos belicamente com certeza eram os mais fragilizados, a graça que os cristãos tinham era a graça da oração. Todo mundo colocou o Rosário na mão e aquela vitória da batalha de Lepanto aconteceu pelos cristãos rezando o Santo Rosário.
Quando, hoje, celebramos Nossa Senhora das Vitórias ou Nossa Senhora do Rosário, é para dizer que o Rosário é a nossa arma poderosa, e ela não consiste numa repetição de Ave-Marias apenas. Muito pelo contrário, é uma oração mística, profunda, contemplativa e meditativa; é uma vitória para a nossa própria vida.
Vivemos, hoje, derrotados pela ansiedade, pelo medo, pelas angústias, pelas tensões, preocupações e inquietações, que são verdadeiras avalanches que se jogam sobre nós.

O Santo Rosário é uma oração mística, profunda, contemplativa e meditativa; é uma vitória para a nossa própria vida

O Céu está nos dando um santo remédio: a contemplação dos mistérios da nossa fé. É essa graça que o Santo Rosário nos dá porque estamos contemplando desde o anjo que vai visitar Maria, para ali dar início a esse mistério maravilhoso da encarnação de Deus no meio de nós, até o último glorioso, que é a coroação de Maria como Rainha do Céu e da Terra.
Nós passamos, contemplamos e meditamos os mistérios essenciais da nossa fé, da nossa redenção e da nossa vida. Depois, a nossa vida é iluminada pela vida de Cristo e de Sua Mãe, a Virgem Maria, porque os mistérios do Santo Rosário são os mistérios da nossa própria vida.
As alegrias de Jesus, as dores, as luzes na vida d’Ele e a Sua glória devem refletir a nossa própria vida. E para que não nos percamos em tantas luzes opacas e obscuras da vida, é que o Santo Rosário nos ilumina quando meditamos, quando contemplamos, quando percebemos que a graça divina que nos cura é essa.
A vitória das nossas famílias, a vitória da nossa casa, a vitória da nossa vida pessoal está aí na contemplação dos mistérios da fé. É bonito o Santo Rosário porque as Ave-Marias são como panos de fundo – sabe aquela musiquinha instrumental que você coloca para meditar e está tocando ao fundo – , estamos rezando com a boca para que não nos percamos porque temos dificuldade de concentração, de nos mantermos centrados em alguma coisa, então, as Ave-Marias são como portas de Deus nos puxando, enquanto vamos contemplando os mistérios da fé. Depois, a Virgem Maria reza conosco, os anjos rezam conosco, quando contemplamos os mistérios da fé.
Não desista do Santo Terço! Reze em casa, reze com a família, reze no carro pelo menos uma vez por semana. Cada família cristã e católica deveria se reunir para rezar o Santo Terço. Digo a você: as vitórias serão inúmeras em sua casa.
Depois, individualmente, rezando no seu carro, a caminho do trabalho, ao invés de ficar ouvindo notícias de cá e para lá, músicas, sem tempo para o Santo Terço… Ele é a vitória para esses devaneios mentais, para essa inconsistência dos sentimentos e para todo esse tempo em que vivemos, onde as batalhas são muitas. Com o terço na mão, iremos sempre vencer, com a graça de Deus.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 07/10/2020

Oração Final
Pai Santo, que a contemplação da vida e da figura de Maria nos inspire a viver sóbria e modestamente. Mantém-nos sempre atentos às carências dos companheiros do caminho e prontos a partilhar com eles tudo o que somos e o que temos, pois sabemos que são apenas dons do teu Amor. Por Jesus Cristo, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 07/10/2013

Oração Final
Pai Santo, que a oração do Rosário de Maria nos ajuda a ir para as águas mais profundas dos Mistérios do Teu Reino, aumentando a nossa Fé, firmando a Esperança e estendendo nosso Amor a todos os irmãos que colocaste junto a nós na caminhada. Pelo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 07/10/2014

ORAÇÃO FINAL
Pai Santo, que a oração do Rosário de Maria nos ajude a ir para as águas mais profundas dos Mistérios do Teu Reino, aumentando a nossa Fé, firmando a Esperança e estendendo nosso Amor a todos os irmãos que colocaste junto a nós na caminhada. Pelo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 07/10/2017

ORAÇÃO FINAL
Pai – Tu és a nossa Luz! – que a oração contemplativa do Rosário de Maria nos ajude a mergulhar nas águas mais profundas dos Mistérios do teu Reino, aumentando a nossa Fé, firmando a Esperança e estendendo nosso Amor a todos os irmãos que colocaste junto a nós na caminhada. Pelo Cristo Jesus, teu Filho que se fez nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 07/10/2020

Nenhum comentário:

Postar um comentário