sexta-feira, 29 de novembro de 2013

BOM FIM DE SEMANA - VAMOS COLOCAR... NOSSA SENHORA APARECIDA NO NOSSO FINAL DE SEMANA PARA QUE ELA PASSE NA FRENTE ABRINDO CAMINHOS. AMÉM!!!

BOM DIA! - Faça do dia de hoje, um novo recomeço, deixe para ontem as coisas ruins e siga em frente, de cabeça erguida, pois sob o olhar dEle, você vencerá!

SAGRADA FAMÍLIA - JESUS, MARIA E JOSÉ NOSSA FAMÍLIA VOSSA É! - UM ÓTIMO SÁBADO PRA VOCÊ E TODA SUA FAMÍLIA.

BEM VINDO DEZEMBRO - MÊS DAS FESTAS, DE PRESENTES, DE FAMÍLIA REUNIDA, DE AMIGO SECRETO, MÊS DE REFLEXÃO, ÚLTIMO MÊS DO ANO, QUE ELE VENHA ALÉM DE TUDO ISSO REPLETO DE SAÚDE, AMOR, PAZ E BENÇÃOS QUE O SENHOR DEUS PODE NOS DAR!

GIFS NATALINAS






ADENTO... TEMPO DE ESPERA.


ADVENTO... ELE ESTÁ PRA CHEGAR...


Curso de Liturgia em Apostilas- 13ª. APOSTILA

ADVENTO

Tempo de vigilância

Pe. Marcelo Rezende Guimarães

Escreve a nossa liturgista Ione Buyst, em seu livro Preparando Advento e Natal (Paulinas, São Paulo), p. 13: “Costumamos dizer que o Ano Litúrgico começa no 1o domingo do Advento, assim como o ano civil começa em 1o de janeiro. Mas, na verdade, o Ano Litúegico não tem começo nem fim. Todo ano comemoram-se duas grandes festas: Páscoa e Natal. A Páscoa é mais importante que o Natal. É a maior festa cristã, porque celebra a ressurreição de Jesus. Ambas as festas são precedidas por um tempo de preparação”.

ADVENTO - SIGNIFICADO E ORIGEM


Todos os grandes eventos exigem uma preparação. Por isso, a Igreja instituiu, na Liturgia, um período que antecede o Natal: o Advento que, ao longo da
história da Igreja, tomou diversas formas.


Receber uma visita é uma arte que uma dona de casa exercita com freqüência. E quando o visitante é   ilustre, os preparativos são mais exigentes. Imagine o leitor que numa Missa de domingo seu pároco anunciasse a visita pastoral do bispo diocesano, acrescida de uma particularidade: um dos paroquianos seria escolhido à sorte para receber o prelado em sua casa, para almoçar, após a Missa.

Os Tempos Litúrgicos

Os tempos litúrgicos são as divisões existentes no Ano Litúrgico da Igreja Católica. Estes tempos existem em toda a Igreja Católica, apenas há algumas diferenças entre os vários ritos. Os tempos constantes abaixo são referentes ao rito romano.

Advento


O Advento (do latim Adventus: "chegada", do verbo Advenire: "chegar a") é o primeiro tempo do Ano litúrgico, o qual antecede o Natal. Para os cristãos, é um tempo de preparação e alegria, de expectativa, onde os fiéis, esperando o Nascimento de Jesus Cristo, vivem o arrependimento e promovem a fraternidade e a Paz. No calendário religioso este tempo corresponde às quatro semanas que antecedem o Natal. O tempo do Advento é para toda a Igreja, momento de forte mergulho na liturgia e na mística cristã.

Formação - O Ano Litúrgico - Mensagens em Power Point (PPS).



Formação

O Ano Litúrgico

  “O Ano Litúrgico insere-se fundamentalmente na experiência anual do tempo.
O homem percebe-se envolvido na realidade do Tempo. Ele nasce, amadurece e morre.
Distribui-se através de um ano as principais ações salvíficas ou mistérios de Cristo,
para vivê-los, imitando ou comemorando o que Cristo fez pelos homens.
  Assim, cada ano constitui uma vivência do mistério total de Cristo,
ressaltando em cada tempo ou em cada festa um aspecto do mesmo,
desde o Advento, passando pelo Natal, a Epifania, a Quaresma, a Semana Santa,
a Páscoa, Ascensão, Pentecostes, o Tempo Comum, o mistério da Igreja,
comemorado sobretudo nas festas dos Santos.” (Frei Alberto Beckhäuser, OFM)

Mensagens em Power Point (PPS).
Os slides estão disponíveis gratuitamente.
Para salvá-los clique com o botão direito do mouse e escolha a opção salvar.
Ao enviar, por favor, mantenha a formatação e o nome do autor.
Não comercialize.
Obrigada.

Tempo do Advento Natal
Tempo Comum
Tempo da Quaresma
Tempo de Páscoa
FONTE: http://www.tesouroescondido.com/Formacao.html

O Ano Litúrgico


Dom Orani João Tempesta


Estamos chegando ao final do Ano Litúrgico! Com o Domingo de Cristo Rei, no 34º domingo do Tempo Comum estaremos iniciando a última semana do calendário eclesiástico. Quanto melhor participamos da liturgia mais aprofundamos a nossa vida de fé.

No decorrer do ano, a Santa Igreja comemora em dias determinados a obra salvífica de Cristo. A cada semana, no dia chamado domingo (dia do Senhor), ela recorda a Ressurreição do Senhor, que celebra também, uma vez por ano, com a bem-aventurada paixão na solenidade máxima da Páscoa. Durante o ciclo anual desenvolve-se todo mistério de Cristo e, a partir dele, comemora-se as festas da Igreja e demais festas dos santos. Contudo, não devemos ver o ciclo anual da liturgia como um círculo onde os fatos tornam a acontecer a cada ano, se repetem continuamente, mas como uma espiral onde os fatos são únicos e irrepetíveis e que sempre e cada vez mais nos conduzem, a cada momento com mais clareza, para a compreensão do Mistério de Cristo.

O Ano Liturgico



O Ano Civil começa em 1º de Janeiro e termina em 31 de Dezembro. Já o Ano Litúrgico começa no 1º Domingo do Advento (cerca de quatro semanas antes do Natal) e termina no sábado anterior a ele. Podemos perceber, também, que o Ano Litúrgico está dividido em “Tempos Litúrgicos”, como veremos a seguir.

O que é o Ano Litúrgico?

Publicado em 25 de novembro de 2013


Podemos dizer que o chamado Ano Litúrgico é um “Calendário Religioso”, que marca os principais acontecimentos da História da Salvação. Sendo assim, o Ano Litúrgico tem início com o Primeiro Domingo do Advento e termina com o último sábado do Tempo Comum, que é na véspera do Primeiro Domingo do Advento, começa e termina quatro semanas antes do Natal, é baseado nas fases da lua, e é formado por dois grandes ciclos: O Natal e Páscoa. Ao lado do Natal e da Páscoa está um período longo, de 34 semanas, chamado Tempo Comum.

ÓTIMO FIM DE SEMANA - MUITO BRILHO, ALEGRIA E PAZ PRA VOCÊ!!


FELIZ SÁBADO! Beijos! - CONSIDERA SUA VIDA COMO...


:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:

Considera como os lírios do campo,
Como Sol, como a lua, como o vento,
A cada dia, um recomeço, uma paixão,
Uma palavra;

Considera a cada dia, renovação,
Um cheiro, um perfume, um sorriso...

Considera a cada dia, uma lição!

Considera a cada dia, tua paz,
Seu universo de emoção.

Cultiva a cada dia, o sereno recomeço,
Escrito nas estrelas, na forma de canção.

Cultiva a cada dia, a tua essência,
Imortal, brilhante e livre,
Nas pequenas palavras da razão...

Cuidados do teu reino, Inteiro,
considera sua vida nessa evolução!!!!!

PAZ E LUZ PARA TODOS VOCÊS!!!

-:¦:- E -:¦:-

Um Dia Abençoado para todos!!

:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:

Você sabia que:


O número de Cardeais voltou a aumentar até alcançar 144 no Consistório de março de 1973. Paulo VI incluiu os Patriarcas orientais.

Podcast - Ouça a história do santo do dia

Podcast

Podcast - Ouça o Evangelho do Dia

Podcast

Evangelho do dia

Lucas 21,20-28

Evangelho
Data
11/28/13
11/27/13
11/26/13

BOA NOITE!!! - QUE VOCÊ ESTEJA, HOJE E SEMPRE, DENTRO DO SAGRADO CORAÇÃO DE NOSSA MÃE SANTÍSSIMA. - A PAZ DE JESUS E O AMOR DE MARIA.


BOA NOITE!!!

QUE VOCÊ ESTEJA, HOJE E SEMPRE, DENTRO DO
 SAGRADO CORAÇÃO DE NOSSA
MÃE SANTÍSSIMA.

A PAZ DE JESUS E O AMOR DE MARIA.

TERÇOS – VÍDEOS

TERÇO DA DIVINA PROVIDÊNCIA
 

TERÇO DE CURA E LIBERTAÇÃO
 

TERÇO DA FÉ
 

TERÇO DO ESPÍRITO SANTO
 

TERÇO DA LIBERTAÇÃO CANTADO - JOÃO GREGÓRIO

TERÇO DA MISERICÓRDIA - VÍDEOS






"Quando rezarem este Terço junto aos agonizantes, Eu me colocarei entre o Pai e a alma agonizante, não como justo Juiz, mas como Salvador misericordioso".

JESUS, EU CONFIO EM VÓS!!!

Oração do Angelus - Padre Antonello - VÍDEO



LITURGIA DAS HORAS

Clique no ícone abaixo
para acesso à Hora Canônica

Mensagens diárias prá vc

Terço - Mistérios Dolorosos - Terça-feira e Sexta-Feira.


Terço do Rosário: Mistérios Dolorosos




Outros santos e beatos - 29 de Novembro


Santos Brás e Demétrio — mártires venerados em Veroli.

São Brendano (†573) — abade de Birr, amigo e conselheiro de são Columba.

São Cutberto Mayne (1544-1577) — sacerdote inglês martirizado em Launceston, canonizado em 1970 com os 40 mártires da Inglaterra.

beatos Dionísio e Redento — carmelitas martirizados em Sumatra, em 1638, beatificados em 1900.

Santo Tomas Becket - 29 de dezembro


Santo Tomas Becket, Arcebispo e Mártir

Nasceu em Londres em 1170. Era filho de um empregado oficial, e em seus primeiros anos foi educado pelos monges do convento de Merton. Aos 24 anos conseguiu um posto como ajudante do Arcebispo da Inglaterra (o de Canterbury) quem se deu conta que Tomas tinha qualidades excepcionais para o trabalho, assim que foi confiando pouco a pouco ofícios mais difíceis e importantes. Ordenou-o de diácono e o encarregou da administração dos bens do arcebispado. Enviou-o várias vezes a Roma a tratar assuntos de muita importância. Tomam como bom diplomático tinha obtido que o Papa Eugênio III se fizesse muito amigo do rei da Inglaterra, Henrique II, e este em ação de obrigado por tão grande favor, nomeou a nosso santo (quando só tinha 36 anos) como Chanceler ou Ministro das Relações Exteriores.

São Saturnino de Toulouse - 29 de Novembro

São Saturnino (de Toulouse)
Século III 
De origem grega, são Saturnino é uma das devoções mais populares na França e na Espanha. A confirmação de sua vida emergiu junto com a descoberta de importantes escritos do cristianismo produzidos entre os anos 430 e 450. Conhecidos como a "Paixão de Saturnino", trouxeram dados enriquecedores sobre a primitiva Igreja de Cristo na Gália, futura França.

São Francisco Antônio Fasani - 29 de Novembro





O santo de hoje nasceu em Lucera (Itália), a 6 de agosto de 1681, e lá morreu a 29 de novembro de 1742. Foi beatificado no dia 15 de abril de 1951 e canonizado a 13 de abril de 1986 pelo Papa João Paulo II. Fez os estudos no convento dos Frades Menores Conventuais. Sentindo o chamamento divino, ingressou no noviciado da mesma Ordem. Fez a profissão em 1696 e a 19 de setembro de 1705 recebeu a Ordenação Sacerdotal. Doutorou-se em Teologia e tornou-se exímio pregador e diretor de almas. Exerceu os cargos de Superior do convento de Lucera e de Ministro Provincial.

Sagrado Coração - Rinaldo e Samuel - VÍDEO




Sagrado Coração

Rinaldo e Samuel

Por onde eu ando sinto sua presença
Em todos os lugares está sempre perto de mim
Em minhas escolhas vens me iluminar
Como posso te deixar se mesmo quando eu erro vens me amar
E me ajudas a acertar e na tua direção caminhar
Como seria a minha vida se as tuas mãos não estivessem sobre mim
Como seriam os meus sonhos se o teu espírito não habitasse em mim
O teu amor me envolve

O teu amor me protege
És o meu porto seguro
O melhor lugar de está é o teu coração
Sagrado coração

JACULATÓRIAS AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS


JACULATÓRIAS AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

Com indulgências parciais

1. Doce Coração de meu Jesus, fazei que eu vos ame cada vez mais.

2. Doce Coração de meu Jesus, sede meus amor.

3. Coração de Jesus, abrasado de amor por nós, inflamai nosso coração de amor por vós.

4. Jesus manso e humilde de Coração, fazei o meu coração semelhante ao vosso.

5. Por toda a parte seja amado o Sagrado Coração de Jesus.

O CORAÇÃO DE JESUS BATE FORTE POR VOCÊ!!!

Dia da semana: Sexta-feira - Dedicado a: Paixão de Cristo - Sagrado Coração de Jesus

MEDITE A VIA-SACRA







Primeira Estação: Jesus é condenado à morte
Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.
Segunda Estação: Jesus levando a cruz às costas.
Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.
Terceira Estação: Jesus cai por terra
Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.
Quarta Estação: Jesus encontra Maria Santíssima
Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.
Quinta Estação: Jesus é ajudado por Cirineu
Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.
Sexta Estação: Verônica enxuga a Face de Jesus
Pai-Nosso, Ave-Maria e Gria.
Sétima Estação: Jesus cai pela segunda vez
Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.
Oitava Estação: Jesus pede que as mulheres não chorem
Pai-Nosso, Ave-Maria e Gria.
Nona Estação: Jesus cai pela terceira vez
Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.
Décima Estação: Jesus é despido de suas vestes
Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.
Décima Primeira Estação: Jesus é cravado na cruz
Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.
Décima Segunda Estação: Jesus morre na cruz
Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.
Décima Terceira Estação: Jesus é descido da cruz
Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.
Décima Quarta Estação: Jesus é sepultado
Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 29/11/2013

29 de Novembro de 2013

Ano C


Lc 21,29-33

Comentário do Evangelho

É a esperança que faz levantar a cabeça.

A parábola da figueira é a ilustração do v. 28: “Quando estas coisas começarem a acontecer, levantai-vos e erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima”. É a esperança que faz levantar a cabeça. E não nos esqueçamos: nossa condição de cristãos é viver na esperança. A esperança é a experiência de viver a vida apoiada na palavra e no destino de Jesus Cristo. A conclusão da parábola exorta à confiança no que não passa, no que dá firmeza e alimenta a esperança: “O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não passarão” (v. 33). Não importa qual seja a situação por que passamos; é preciso saber, mesmo quando não é possível experimentar, que o Senhor está próximo (cf. v. 31); e mesmo aquelas situações mais dramáticas, é preciso vivê-las com o olhar fixo no Senhor, de quem nos vem “auxílio e proteção”, e por quem nós somos salvos.
Carlos Alberto Contieri,sj
ORAÇÃO
Pai, reforça a sinceridade de minha fé nas palavras de teu Filho Jesus, pois nele o teu Reino se faz presente na nossa história, realizando, assim, tua promessa de salvação.

Vivendo a Palavra

Os recados de Deus são diferentes: Ele não usa a nossa linguagem – o que limitaria a nossa liberdade. Deus fala através da natureza, dos nossos irmãos e dos acontecimentos. É preciso que estejamos atentos aos sinais do Pai e os interpretemos como diretrizes para a trajetória rumo ao seu Reino de Amor.

Reflexão

Devemos ser capazes de reconhecer os sinais dos tempos para que possamos perceber os apelos do Reino de Deus na nossa vida, assim como sermos capazes de descobrir a presença de Jesus na história das pessoas. Somente quando somos capazes de analisar os acontecimentos a partir da ótica da fé é que somos capazes de interpretar os fatos como sendo sinal dos tempos e ação da graça divina no nosso dia a dia. Para que isso seja possível, a Palavra de Jesus deve ser o critério fundamental para a interpretação dos acontecimentos.

Recadinho


Percebo sinais do Reino de Deus no ambiente em que vivo? - Busco na Palavra de Deus força para a caminhada? - Os brotos das plantas são sinais de vida. Que sinais de vida os que me veem encontram em mim? - Minha presença é de fato alegria? - Louve a Deus pelas maravilhas que ele realiza em sua vida.
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R

REFLEXÕES DE HOJE


29 DE NOVEMBRO - SEXTA


Liturgia comentada

Minhas palavras não passarão... (Lc 21, 29-33)
São tempos de ateísmo estes tempos. Um século materialista, quando as pessoas vivem como escravos da matéria, sacrificando penosamente os dias de sua vida em troca de “coisas que passam”. Aliás, se – como afirma Jesus – “passarão o céu e a terra”, então todas as coisas são efêmeras, não duram para sempre. Aqui se revela toda a fragilidade deste mundo. Aqui a traça corrói diplomas de mérito e a ferrugem devora tesouros cumulados. Aqui as juras de amor se mostram mentirosas. Aqui as torres edificadas pela soberba humana caem por terra em alguns minutos.
Ao contrário, a mensagem de amor que Cristo traz ao mundo tem valor de eternidade. Seus princípios são eternos como o próprio Deus, sua fonte. Quando a matéria se reduzir a pó, as palavras que Jesus nos falou continuarão tão vivas quanto no momento em que foram pronunciadas.
A geração do tempo de Jesus viu o fim de um “mundo”. Quando as legiões romanas incendiaram Jerusalém, passando a população a fio de espada, teve seu fim o “mundo” do antigo Israel. Demolido o Templo, silenciados os hinos de louvor, interrompidos para sempre os sacrifícios de animais, a ruína de Jerusalém era definitiva. Hoje, na esplanada do Templo, apenas se vê o Muro das Lamentações, menos que uma sombra do antigo fausto.
A um judeu daquele tempo, era impensável que tudo acabasse desse modo. Também para nós, a civilização que perfura túneis nas cordilheiras e envia astronautas pelo espaço sideral, domina o átomo e clona os animais, pode parecer impensável que toda esta construção humana tenha um fim.
Mas há indícios que erguem um alerta para nossa civilização. As profundas alterações climáticas – em boa parte causadas pela interação do homem no ambiente – sinalizam com furacões e tsunamis, rios secos na Amazônia, buraco na camada de ozônio e degelo das calotas polares, ao lado de novas epidemias que parecem incontroláveis.
Jesus de Nazaré apela para nossa prudência. Se somos capazes de reconhecer a aproximação do verão, quando a figueira começa a soltar seus brotos, por que não perceberíamos também o momento de modificar nosso estilo de vida e buscar as coisas que não passarão?
Orai sem cessar: “Sem perder um instante,
Apressei-me em observar teus mandamentos.” (Sl 119, 69)
Texto de  Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
santini@novaalianca.com.br

Reflexão

Devemos ser capazes de reconhecer os sinais dos tempos para que possamos perceber os apelos do Reino de Deus na nossa vida, assim como sermos capazes de descobrir a presença de Jesus na história das pessoas. Somente quando somos capazes de analisar os acontecimentos a partir da ótica da fé é que somos capazes de interpretar os fatos como sendo sinal dos tempos e ação da graça divina no nosso dia a dia. Para que isso seja possível, a Palavra de Jesus deve ser o critério fundamental para a interpretação dos acontecimentos.




HOMILIA
A LIÇÃO DA FIGUEIRA Lc 21,29-33

Esta curta parábola está inserida no discurso escatológico. O escatológico-apocalíptico, que é a expectativa de um fim glorioso para Israel, tem sua origem na tradição do Dia de Javé, o dia da vingança sobre os seus inimigos e de glória e poder para o povo eleito. Os discípulos originários do judaísmo, com sua visão messiânico-escatológica ainda não compreendiam as palavras de Jesus. Jesus os adverte: Vós, do mesmo modo... ficai sabendo...É fundamental que fiquemos atentos para não sermos surpreendidos.
Os cristãos são admoestados a se manterem em contínuo estado de vigilância em relação à história, uma vez que ela está sendo fermentada pelas realidades escatológicas. Urge, pois, perceber como nela se manifestam os sinais do fim.
A mensagem de Jesus nada tem a ver com os apocalipses da época, reservados a um grupo restrito de iniciados. Jesus ensina publicamente, sem a preocupação de selecionar seus ouvintes. Embora só os discípulos o compreendam, sua doutrina deve ser anunciada a todos os povos. Basta abrir-se para ele, para entender o conteúdo de seus ensinamentos.
A tensão que se estabelece é a tensão da esperança. A esperança é o desejo ardente de realizar, hoje, a vontade de Deus. O Reino de Deus já está acontecendo. É a sedução do bem, da vida, da comunhão com Deus, da solidariedade, da fraternidade, da partilha, da alegria. E as palavras de Jesus são anunciadas como convite à participar do banquete da Vida.
A figueira e as demais árvores foram empregadas para ilustrar a parábola da escatologia. Vendo-as frutificar, é possível afirmar, sem perigo de engano, que o verão se aproxima. Igualmente, pode-se declarar que algo de novo estará acontecendo na história, quando a morte ceder lugar à vida, a escravidão abrir espaço para a liberdade, a injustiça for sobrepujada pela justiça, o ódio e a inimizade forem vencidos pelo amor e pela reconciliação.
Este germinar de esperança é um sinal evidente da presença do Filho do Homem, fazendo a escatologia acontecer. Chegará um tempo de plenitude. Este, porém, está sendo preparado pela aproximação paulatina daquilo que todos esperamos.
Postado há 27th November 2008 por Bantu Mendonça Katchipwi Sayla
Não perca a direção da eternidade
Um mau sinal é quando perdemos a direção da eternidade e falamos demais das coisas terrenas e materiais. Um sinal terrível de que estamos longe de Deus.
“O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar” (Lc 21,33). 
Amados irmãos e irmãs, em Nosso Senhor Jesus Cristo, nós continuamos meditando o sentido escatológico da fé. Jesus, hoje, nos chama à atenção para o discernimento das coisas, discernimento dos tempos e discernimento das situações que nós precisamos aprender a ter.
Sim, nós sabemos discernir, muitas vezes, que a aproximação de uma nuvem negra é sinal de que a chuva está vindo. Sabemos discernir quando o vento está se aproximando de nós, etc. A humanidade, para sobreviver e caminhar, precisa aprender a ler os sinais do tempo, das cores, do sol, da lua e de tudo o que há de direção para a vida humana. 
Da mesma forma, hoje, nós precisamos aprender a ler os sinais dos tempos, precisamos saber entender as manifestações de Deus no meio de nós; precisamos buscar a sabedoria d’Ele para saber como agir nesta ou naquela situação. Precisamos saber que, quando a tribulação é grande demais, a mão de Deus vai se manisfestar, a mão d’Ele vai tocar a realidade. 
Precisamos saber que, quando as coisas se tornam muito duras, Deus não está distante, o amor d’Ele se aproxima mais ainda para nos redimir e nos salvar. O que falta no meio de nós é justamente o discernimento. E uma vez que o discernimento de Deus vem ao nosso encontro, nós somos tomados por uma sabedoria; e esta sabedoria nos dá sobriedade, nos dá paciência, nos dá o fio da condução para não perdermos a direção da nossa vida; para caminharmos dirigidos pelo Senhor nosso Deus. 
É isso, meus irmãos, o céu e a terra passarão, mas a Palavra de Deus jamais passará! Tudo que nós vemos em nossa frente, você pode ter certeza de que um dia irá desaparecer, é tudo muito finito, limitado, tem tempo de duração, de validade. Mas a Palavra de Deus, não! Ela é eterna! É por isso que essa Palavra eterna alimenta a nossa vida e nos dá a convicção de que vamos nos apegar, nos entreter e nos ater àquilo que é eterno. 
Um mau sinal é quando perdemos a direção da eternidade, é quando falamos demais das coisas terrenas e materiais. Um sinal terrível de que estamos longe de Deus. E quando olhamos para as coisas apenas com uma visão material, humana, perdemos o sentido sobrenatural, o sentido do que é eterno, não sabemos ver, nas coisas, onde a mão de Deus pode agir e fazer acontecer. 
Nestes tempos – como já diz São Paulo – que são os últimos, que tenhamos a sabedoria e o discernimento para compreendermos onde Deus pode agir e está agindo, porque todas as coisas ocorrem para o bem daqueles que esperam n’Ele, que fazem d’Ele o seu refúgio e a sua confiança.
Que Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.Facebook Twitter
LEITURA ORANTE

Lc 21,29-33 - Tudo passa, mas não passa a Palavra!


Vejam a figueira!

Graça e Paz a todos os que se reúnem aqui, na web, em torno da Palavra.
Juntos, rezamos ou cantamos o Salmo 94:

(Se, em grupo, pode ser rezado em dois coros ou um solista e os demais repetem)
- Venham, ó nações, ao Senhor cantar (bis)
- Ao Deus do universo, venham festejar (bis)
- Seu amor por nós, firme para sempre (bis)
- Sua fidelidade dura eternamente (bis)
- Toda a terra aclame, cante ao Senhor (bis)
- Sirva com alegria, venha com fervor (bis)
- Nossas mãos orantes para o céu subindo (bis)
- Cheguem como oferenda ao som deste hino (bis)
- Glória ao Pai, ao Filho e ao Santo Espírito (bis)
- Glória à Trindade Santa, glória ao Deus bendito (bis)

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia? Leio atentamente, na Bíblia: Lc 21,29-33.
Em seguida Jesus fez esta comparação:
- Vejam o exemplo da figueira ou de qualquer outra árvore. Quando vocês vêem que as suas folhas começam a brotar, vocês já sabem que está chegando o verão. Assim também, quando virem acontecer aquelas coisas, fiquem sabendo que o Reino de Deus está para chegar. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: essas coisas vão acontecer antes de morrerem todos os que agora estão vivos. O céu e a terra desaparecerão, mas as minhas palavras ficarão para sempre.

Jesus chama a atenção para um sinal da natureza: uma figueira. Quando esta árvore começa a brotar é sinal de que o verão está chegando. E aponta para alguns sinais do Reino. Tudo pode passar, desaparecer, mas, Jesus garante que suas palavras não passarão. Ficarão para sempre.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
 
Percebo os sinais do Reino de Deus no meio em que vivo, em que estou agora? Quais são eles?
Creio na Palavra de Deus e me apoio nela?
Jesus mostrou através de sua Palavra tantos sinais do Reino!
Por exemplo: “onde dois ou três estão reunidos em meu nome, eu estou!”
Os bispos, na Conferência de Aparecida, lembraram: Louvamos ao Senhor que criou o universo como espaço para a vida e a convivência de todos seus filhos e filhas e no-los deixou como sinal de sua bondade e de sua beleza. A criação também é manifestação do amor providente de Deus; foi-nos entregue para que cuidemos dela e a transformemos em fonte de vida digna para todos. Ainda que hoje se tenha generalizado uma maior valorização da natureza, percebemos claramente de quantas maneiras o homem ameaça e inclusive destrói seu ‘habitat’. “Nossa irmã a mãe terra” é nossa casa comum e o lugar da aliança de Deus com os seres humanos e com toda a criação. Desatender as mútuas relações e o equilíbrio que o próprio Deus estabeleceu entre as realidades criadas, é uma ofensa ao Criador, um atentado contra a biodiversidade e, definitivamente, contra a vida. O discípulo missionário, a quem Deus encarregou a criação, deve contemplá-la, cuidar dela e utilizá-la, respeitando sempre a ordem dada pelo Criador.”(DAp 125).
E eu me interrogo:
Como me sinto na casa comum e lugar da aliança de Deus?
Favoreço ao equilíbrio da vida, em todos os sentidos?

3.Oração (Vida)

O que o texto me leva a dizer a Deus?
 
Rezo, espontaneamente, com salmos e concluo com as
Invocações a Jesus Mestre
Jesus Mestre, santificai minha mente e aumentai minha fé.
Jesus, Mestre
 vivo na Igreja, atraí todos à vossa escola.
Jesus Mestre, libertai-me do erro,
dos pensamentos inúteis e das trevas eternas.
Jesus Mestre,
 caminho entre o Pai e nós,
tudo vos ofereço e de vós tudo espero.
Jesus, caminho
 da santidade, tornai-me vosso fiel seguidor.
Jesus caminho, tornai-me perfeito como o Pai que está nos céus.
Jesus vida, vivei em mim, para que eu viva em vós.
Jesus vida,
 não permitais que eu me separe de vós.
Jesus Vida,
 fazei-me viver eternamente na alegria do vosso amor.
Jesus verdade,
 que eu seja luz para o mundo.
Jesus caminho, que eu seja vossa testemunha autêntica diante dos homens.
Jesus vida,
 fazei que minha presença contagie a todos
com o vosso amor e a vossa alegria.
Bem-aventurado Tiago Alberione

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Sinto-me discípulo/a de Jesus.
Meu olhar deste dia será iluminado pelos sinais do Reino.

nção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém. 
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Irmã Patrícia Silva, fsp
Oração Final
Pai Santo, mantém-nos atentos e vigilantes. Inspira-nos em nossa oração, para que ela seja verdadeiro encontro contigo; para que sintamos a tua Presença paterna bem junto a nós na caminhada que já faz parte do teu Reino de Amor. Nós te pedimos pelo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.