sexta-feira, 1 de dezembro de 2023

AO ENTRAR QUE VENHA COM DEUS... AO SAIR QUE DEUS TE ACOMPANHE…

Sorrindo pra Vida - 01/12/2023


Canal do Youtube - Canção Nova Play

Publicado em 1 de dez. de 2023

LEITURA ORANTE DO DIA 01/12/2023



LEITURA ORANTE

Lc 21,29-33 - A Palavra não passa!


Graça e Paz a todos os que se reúnem aqui,
pelas redes sociais,
em torno da Palavra.
Rezamos ou cantamos o Salmo 94:
- Venham, ó nações, ao Senhor cantar
- Ao Deus do universo, venham festejar
- Seu amor por nós, firme para sempre
- Sua fidelidade dura eternamente
- Toda a terra aclame, cante ao Senhor
- Sirva com alegria, venha com fervor
- Nossas mãos orantes para o céu subindo
- Cheguem como oferenda ao som deste hino
- Glória ao Pai, ao Filho e ao Santo Espírito
- Glória à Trindade Santa, glória ao Deus bendito

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Lemos atentamente Lc 21,29-33.
Em seguida Jesus fez esta comparação:
- Vejam o exemplo da figueira ou de qualquer outra árvore. Quando vocês veem que as suas folhas começam a brotar, vocês já sabem que está chegando o verão. Assim também, quando virem acontecer aquelas coisas, fiquem sabendo que o Reino de Deus está para chegar. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: essas coisas vão acontecer antes de morrerem todos os que agora estão vivos. O céu e a terra desaparecerão, mas as minhas palavras ficarão para sempre.
Refletindo
Jesus chama a atenção para um sinal da natureza: uma figueira. Quando esta árvore começa a brotar é sinal de que o verão está chegando. E aponta para alguns sinais do Reino. Tudo pode passar, desaparecer, mas, Jesus garante que suas palavras não passarão. Ficarão para sempre.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para nós, hoje?
Percebemos os sinais do Reino de Deus no meio em
que vivemos, em que estamos agora?
Quais são eles?
Cremos na Palavra de Deus e nos apoiamos nela?
Jesus mostrou através de sua Palavra tantos sinais do Reino! Por exemplo: “onde dois ou três estão reunidos em meu nome, eu estou!”
Meditando
Os bispos, na Conferência de Aparecida, lembraram: “Louvamos ao Senhor que criou o universo como espaço para a vida e a convivência de todos seus filhos e filhas e no-los deixou como sinal de sua bondade e de sua beleza. A criação também é manifestação do amor providente de Deus; foi-nos entregue para que cuidemos dela e a transformemos em fonte de vida digna para todos. Ainda que hoje se tenha generalizado uma maior valorização da natureza, percebemos claramente de quantas maneiras o homem ameaça e inclusive destrói seu ‘habitat’. “Nossa irmã a mãe terra” é nossa casa comum e o lugar da aliança de Deus com os seres humanos e com toda a criação. Desatender as mútuas relações e o equilíbrio que o próprio Deus estabeleceu entre as realidades criadas, é uma ofensa ao Criador, um atentado contra a biodiversidade e, definitivamente, contra a vida. O discípulo missionário, a quem Deus encarregou a criação, deve contemplá-la, cuidar dela e utilizá-la, respeitando sempre a ordem dada pelo Criador.” (DAp 125)
E eu me interrogo:
Sou agradecida/o a Deus?
Como me sinto na casa comum e lugar da aliança de Deus?
Favoreço ao equilíbrio da vida, em todos os sentidos?

3. Oração (Vida)
O que o texto nos leva a dizer a Deus?
Rezamos, espontaneamente, com salmos e concluímos com as
Invocações a Jesus Mestre
Jesus Mestre, santificai minha mente e aumentai minha fé.
Jesus, Mestre vivo na Igreja, atraí todos à vossa escola.
Jesus Mestre, libertai-me do erro,
dos pensamentos inúteis e das trevas eternas.
Jesus Mestre, caminho entre o Pai e nós,
tudo vos ofereço e de vós tudo espero.
Jesus, caminho da santidade, tornai-me vosso fiel seguidor.
Jesus caminho, tornai-me perfeito como o Pai que está nos céus.
Jesus vida, vivei em mim, para que eu viva em vós.
Jesus vida, não permitais que eu me separe de vós.
Jesus Vida, fazei-me viver eternamente na alegria do vosso amor.
Jesus verdade, que eu seja luz para o mundo.
Jesus caminho, que eu seja vossa testemunha autêntica diante dos homens.
Jesus vida, fazei que minha presença contagie a todos
com o vosso amor e a vossa alegria.
Bem-aventurado Tiago Alberione

4. Contemplação (Vida e Missão)
Qual nosso novo olhar a partir da Palavra?
Sentimo-nos discípulos/as de Jesus.
Nosso olhar deste dia será iluminado pelos sinais do Reino.
Um dia para eu agradecer a Deus por tudo: desde o fato de viver até as pequenas coisas do dia-a-dia.
Lembraremos das palavras de Jesus:
"o céu e a terra desaparecerão, mas as minhas palavras ficarão para sempre"

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Irmã Patrícia Silva, fsp

LEITURA ORANTE DO DIA 30/11/2023



LEITURA ORANTE

Mt 4,18-22 - O chamado de André


Preparamo-nos para a Leitura Orante, fazendo uma rede de comunicação
e comunhão em torno da Palavra com todas as pessoas que circulam pelas redes sociais.
Hoje, nos encontramos, onde quer que você esteja: no metrô, em casa, na rua, no ônibus, no seu carro, no seu trabalho...
Hoje, dia de Santo André Apóstolo, vamos ler o Evangelho que fala de deixar as redes para seguir Jesus e nos tornarmos “pescadores de gente”.
Vamos pensar nisto agora, rezando:
Enviai, Senhor, muitos operários
para a vossa messe
pois a messe é grande
E poucos os operários

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Lemos atentamente  Mt 4,18-22.

Jesus estava andando pela beira do lago da Galileia quando viu dois irmãos que eram pescadores: Simão, também chamado de Pedro, e André. Eles estavam no lago, pescando com redes. Jesus lhes disse:
- Venham comigo, que eu ensinarei vocês a pescar gente.
Então eles largaram logo as redes e foram com Jesus. Um pouco mais adiante Jesus viu outros dois irmãos, Tiago e João, filhos de Zebedeu. Eles estavam no barco junto com o pai, consertando as redes. Jesus chamou os dois, e, no mesmo instante, eles deixaram o pai e o barco e foram com ele.
Refletindo
Jesus chama os primeiros discípulos: Pedro e André. Depois, chama outros dois irmãos: Tiago e João. Estes deixam sua profissão de pescadores, deixam família, deixam suas seguranças e abraçam o Projeto de Jesus: o compromisso de “pescadores de gente”.
O convite de Jesus é para todos os que ouvem a sua Palavra.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para nós, hoje? 
Meditando
Os bispos, em Aparecida, reconheceram a vocação como dom de Deus: “A própria vocação, a própria liberdade e a própria originalidade são dons de Deus para a plenitude e a serviço do mundo." (DAp 111)

O Senhor se revela a nós não de forma extraordinária ou estrondosa, mas no quotidiano da nossa vida.
Foi assim para os primeiros apóstolos. Estavam pescando. Jesus passou onde estavam e lhes fez o convite.
Também para nós é assim: no nosso dia-a-dia é  que devemos encontrar o Senhor, dialogar com Ele e mudar a nossa vida. A resposta dos quatro pescadores foi imediata e sem hesitação: abandonaram as redes e seguiram Jesus.
O papa Francisco comenta: “nas margens do lago, numa terra impensável, nasceu a primeira comunidade de discípulos de Cristo. E nós cristãos, temos  hoje a alegria de proclamar e dar testemunho da nossa fé, graças àquele primeiro anúncio e àqueles homens humildes e corajosos que responderam generosamente  ao chamado de Jesus” .
A consciência deste início suscite em nós o desejo de levar a palavra, o amor, a ternura de Jesus a todos os contextos, mesmo nos mais difíceis e fechados. “Levar a palavra a todas as periferias. Todos os espaços da vida humana são terrenos onde lançar a semente do Evangelho, a fim de que dê frutos de salvação”.
E nós nos perguntamos:
Sendo eu, membro vivo da Igreja, como vivo minha vocação à plenitude a serviço do mundo?
Sou capaz de largar minhas redes, meu barco, ou seja, meus interesses, meus programas e opções para seguir Jesus que quer me falar  naquele encontro, naquela reunião da comunidade, naquele serviço de acolhimento de alguém que chega à minha casa, ao meu trabalho, do meu lado no ônibus, na recepção de um consultório...?
Pensemos como é a nossa resposta aos convites de Jesus para sermos “pescadores de gente”.

3. Oração (Vida)
O que o texto nos leva a dizer a Deus?
Rezamos, espontaneamente, com salmos e concluímos com a oração
que é uma conhecida canção:

Tu,  te abeiraste na praia
Não buscaste nem sábios, nem ricos
Somente queres que eu te siga....

Senhor, Tu me olhaste nos olhos
A sorrir, pronunciaste meu nome
Lá na praia, eu deixei o meu barco
Junto a Ti, buscarei outro mar

Tu sabes bem que em meu barco
Eu não tenho nem espadas nem ouro
Somente redes e o meu trabalho...

Tu minhas mãos solicitas
Meu cansaço, que a outros descansem
Amor que almeja seguir amando..

Junto a Ti, Senhor, buscarei outro mar

4. Contemplação (Vida e Missão)
Qual nosso novo olhar a partir da Palavra?
Nosso olhar foi  iluminado pela certeza de que Deus cuida deste mundo?
Cuida de nós, e em Jesus Cristo toda dor, todo sofrimento, toda perseguição tem um misterioso porquê?
Vivemos esta certeza?
Simão e André eram pescadores e Jesus os chamou para serem pescadores de homens. Tudo o que eles precisavam fazer era seguir Jesus.

A capacitação e o poder para transformá-los em pescadores de homens viria de Deus, não de uma faculdade ou algo assim. Não seria uma pesca com redes. As redes eles deixaram para trás. Não era para saírem aprisionando pessoas, mas libertando. Andar com Jesus faria deles iscas vivas. Eles deviam levar o sabor e a atração de Jesus por onde quer que fossem.

O pescador vai onde o peixe está, corre riscos e não faz barulho para não chamar a atenção para si. É de Jesus, perdão e salvação que o pescador de homens fala. O tema do pescador de homens é Jesus, o mais próximo que Deus chegou do ser humano. E as boas novas não é uma lista de tarefas, mas a notícia de que Jesus morreu e ressuscitou para nos salvar. E que nos ama infinitamente.
Vamos responder ao convite do Mestre?
Nosso novo olhar descortina um horizonte bem maior
de esperança e de muita Vida.

Bênção
Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Ir. Patrícia Silva, fsp

Palavra se fez carne - 1º de dezembro, 6ª feira, 34ª semana do Tempo Comum


1º de dezembro, 6ª feira, 34ª semana do Tempo Comum


- Hoje é 1º de dezembro, sexta feira da 34ª semana do Tempo Comum.

- O Senhor vem nos preparando por meio de sua Palavra para ficarmos atentos e observamos os sinais dos tempos para percebermos nele a presença do Reino de Deus. Com o nosso corre-corre e tantos afazeres, muitas vezes fica difícil observar os sinais que o Senhor nos apresenta. Como discípulos e discipulas precisamos estar sempre atentos ao que nos aponta para a proximidade do Reino de Deus, procurando discernir o sentido de cada fato e acontecimento de maneira orante e fiel. Peça ao Senhor o dom do discernimento e a capacidade de acolher as manifestações de Deus no cotidiano da vida e na sua Palavra.

- Acolha com o coração o Evangelho segundo Lucas Capitulo 21, versículos de 29 a 33

Naquele tempo, Jesus contou-lhes uma parábola: "Olhai a figueira e todas as árvores. Quando vedes que elas estão dando brotos, logo sabeis que o verão está perto. Vós também, quando virdes acontecer essas coisas, ficai sabendo que o Reino de Deus está perto. Em verdade, eu vos digo: tudo isso vai acontecer antes que passe esta geração. O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar".

– Hoje o Evangelho nos apresenta a parábola da figueira alertando para a necessidade de estarmos atentos aos acontecimentos que muitas vezes estão dentro e perto de nós e não nos damos conta. Nos alerta a não ficarmos ou vivermos alienados, e sim, atentos aos sinais dos tempos para neles dar-nos conta da presença do reino de Deus que é construído a partir de dentro de nós, no nosso dia a dia, na nossa caminhada com os irmãos e irmãs e com o Senhor, apesar de quase não o perceber. É fundamental que fiquemos atentos para não sermos surpreendidos. Peça ao Senhor a capacidade de escutar a Sua Palavra para percebermos na história e nos acontecimentos da vida a Sua presença.

- Somos convidados como discípulos e discipulas a estarmos atentos aos sinais do tempo que sinalizam para o Reino de Deus que está perto de nós. Você percebe no cotidiano da vida a presença do Reino de Deus? Quais os sinais de que o reino de Deus está perto de você?

- Muitas vezes pensamos o Reino de Deus como um lugar distante de nós e que não nos pertence, mas a Palavra hoje nos diz o Reino de Deus está perto e nos mostra que podemos encontra-lo, é o que canta Pe. Zezinho na canção - O Reino de Deus é meu, diz ele:

Jesus me deu um reino
O Reino de Deus é meu.
Das crianças é o reino dos céus
Jesus foi quem falou.
Deu a nós o seu reino de Deus
E nos abençoou.
Jesus me deu um reino
O Reino de Deus é meu.
De quem ama é o reino dos céus
Jesus foi quem falou.
Pra fazermos o reino de Deus
Jesus nos convidou.

- Termina tua oração agradecendo ao Senhor que se manifesta nos acontecimentos e na história de cada um de nós e da humanidade. Seja grato a Palavra do Senhor que nunca passa, que sempre vem a nós carregada de esperança e de sentido nos fortalecendo como cristãos e cristãs que desejam viver o Evangelho na vida.

- Gloria ao Pai, ao Filho e ao Espirito Santo. Assim como era no princípio, agora e sempre, amém.


Palavra se fez carne - 30 de novembro, 5ª feira, Festa de Santo André, Apóstolo


30 de novembro, 5ª feira, Festa de Santo André, Apóstolo


- Hoje é dia 30 de novembro, 5ª feira, Festa de Santo André, Apóstolo.

- Na festa de Santo André, apóstolo de Jesus, renovemos nossa fé no Senhor Jesus que vem ao nosso encontro e nos chama. Peça ao Senhor que te renove a Esperança e a fé.

- Escuta o Evangelho Segundo Mateus, Capítulo 4, versículos 18 a 22:

Quando Jesus andava à beira do mar da Galiléia, viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André. Estavam lançando a rede ao mar, pois eram pescadores. Jesus disse a eles: 'Segui-me, e eu farei de vós pescadores de homens.' Eles, imediatamente deixaram as redes e o seguiram. Caminhando um pouco mais, Jesus viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João. Estavam na barca com seu pai Zebedeu consertando as redes. Jesus os chamou. Eles, imediatamente deixaram a barca e o pai, e o seguiram.

- Jesus chama os primeiros discípulos: Pedro e André. Depois, chama outros dois irmãos: Tiago e João. Eles deixam suas seguranças e abraçam o Projeto de Jesus: o compromisso de serem “pescadores de gente”. Jesus também vem ao encontro de cada um de nós naqueles momentos comuns em que realizamos nossas tarefas cotidianas. Ele nos vê e nos faz o chamado ao seu seguimento. Seu olhar é um olhar que se deixa atrair, que é lançado em direção a alguém, numa escolha amorosa e cheia de gratuidade. Seguir Jesus trará novo sentido ao que somos e fazemos, seremos então “pescadores de gente”. Peça ao Senhor a graça de estar sempre atento ao seu chamado.

- Será que está atento à presença, ao olhar e à voz do Senhor, que vem ao seu encontro e te chama? Você é capaz de deixar tudo imediatamente para seguir Jesus? Ou fica apegado às suas redes vazias?

- “Eles, imediatamente deixaram as redes e o seguiram”, diz o evangelho de hojeQue Jesus possa ser a razão da nossa vida e que tenhamos coragem de ser seu pescador de gente. E que possamos dizer como diz a letra dessa música litúrgica Tu és a razão da jornada:

Um dia escutei teu chamado
Divino recado batendo no coração
Deixei deste mundo as promessas
E fui bem depressa no rumo da tua mão

Os anos passaram ligeiro
Me fiz um obreiro do reino de paz e amor
Nos mares do mundo navego
E às redes me entrego
Tornei-me teu pescador
Embora tão fraco e pequeno
Caminho sereno com a força que vem de ti
A cada momento que passa
Revivo esta graça
De ser teu sinal aqui

Tu és a razão da jornada
Tu és minha estrada, meu guia, meu fim
No grito que vem do teu povo
Te escuto de novo, chamando por mim

- Termina sua oração dizendo ao Senhor que Ele é tua estrada, teu guia, a razão da tua jornada... Peça a Ele que te ajude a sempre discernir o seu chamado, em meio aos ruídos das dores, sofrimentos e tarefas do dia-a-dia...

- Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Assim como era no princípio, agora e sempre. Amém.


Saiba discernir os sinais dos tempos | Lc 21,29-33 | Padre Adriano Zandoná (01/12/23)



Canal do Youtube - Padre Adriano Zandoná

Publicado em 30 de nov. de 2023

Evangelho (Lc 21,29-33)

Naquele tempo, Jesus contou-lhes uma parábola: “Olhai a figueira e todas as árvores. Quando vedes que elas estão dando brotos, logo sabeis que o verão está perto. Vós também, quando virdes acontecer essas coisas, ficai sabendo que o Reino de Deus está perto. Em verdade, eu vos digo: tudo isso vai acontecer antes que passe esta geração. O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Esteja pronto para agir | Mt 4,18-22 | Padre Adriano Zandoná (30/11/23)



Canal do Youtube - Padre Adriano Zandoná

Publicado em 29 de nov. de 2023

Evangelho (Mt 4,18-22)

Naquele tempo, quando Jesus andava à beira do mar da Galileia, viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André. Estavam lançando a rede ao mar, pois eram pescadores. Jesus disse a eles: “Segui-me, e eu farei de vós pescadores de homens”. Eles imediatamente deixaram as redes e o seguiram. Caminhando um pouco mais, Jesus viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João. Estavam na barca com seu pai Zebedeu, consertando as redes. Jesus os chamou. Eles imediatamente deixaram a barca e o pai, e o seguiram.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Leve a sério toda a Palavra de Deus | (Lc 21, 29) #1316 - Frei Gilson




Publicado em 1 de dez. de 2023

A fé provém da pregação | (Rm 10, 9-18) #1316 - Frei Gilson




Publicado em 30 de nov. de 2023