sexta-feira, 12 de novembro de 2021

BOM DIA! BOA TARDE! BOA NOITE! Oração da noite, Oração da manhã e Oração do entardecer - Deus te abençoe!



Oração da Noite

Boa noite Pai.
Termina o dia e a ti entrego meu cansaço.
Obrigado por tudo e… perdão!!
Obrigado pela esperança que hoje animou meus passos, pela alegria que vi no rosto das crianças;
Obrigado pelo exemplo que recebi daquele meu irmão;
Obrigado também por isso que me fez sofrer…
Obrigado porque naquele momento de desânimo lembrei que tu és meu Pai; Obrigado pela luz, pela noite, pela brisa, pela comida, pelo meu desejo de superação…
Obrigado, Pai, porque me deste uma Mãe!
Perdão, também, Senhor!
Perdão por meu rosto carrancudo; Perdão porque não me lembrei que não sou filho único, mas irmão de muitos; Perdão, Pai, pela falta de colaboração e serviço e porque não evitei aquela lágrima, aquele desgosto; Perdão por ter guardado para mim tua mensagem de amor;
Perdão por não ter sabido hoje entregar-me e dizer: “sim”, como Maria.
Perdão por aqueles que deviam pedir-te perdão e não se decidem.
Perdoa-me, Pai, e abençoa os meus propósitos para o dia de amanhã, que ao despertar, me invada novo entusiasmo; que o dia de amanhã seja um ininterrupto “sim” vivido conscientemente.
Amém!!!

Oração da manhã

Bom-dia, Senhor Deus e Pai!
A ti, a nossa gratidão pela vida que desperta, pelo calor que
cria vida, pela luz que abre nossos olhos.
Nós te agradecemos por tudo que forma nossa vida, pela terra, pela água, pelo ar, pelas pessoas. Inspira-nos com teu Espírito Santo os pensamentos que vamos alimentar,as palavras que vamos dizer, os gestos que vamos dirigir,a comunicação que vamos realizar.
Abençoa as pessoas que nós encontramos, os alimentos que vamos ingerir.
Abençoa os passos que nós dermos, o trabalho que devemos fazer.
Abençoa, Senhor, as decisões que vamos tomar, a esperança que vamos promover,a paz que vamos semear,a fé que vamos viver, o amor que vamos partilhar.
Ajuda-nos, Senhor, a não fugir diante das dificuldades, mas a abraçar amor as pequenas cruzes deste dia.
Queremos estar contigo, Senhor, no início, durante e no fim deste dia.
Amém.

Oração do entardecer

Ó Deus!
Cai à tarde, a noite se aproxima.
Há neste instante, um chamado à elevação, à paz, à reflexão.
O dia passa e carregam os meus cuidados.
Quem fez, fez.
Também a minha existência material é um dia que se passa,
uma plantação que se faz, um caminho para algo superior.
Como fizeste a manhã, à tarde e a noite, com seus encantos,
fizeste também a mim, com os meus significados, meus resultados.
Aproxima de mim, Pai, a Tua paz para que usufrua desta
hora e tome seguras decisões para amanhã.
Que se ponha o sol no horizonte, mas que nasça
em mim o sol da renovação e da paz para sempre.
Obrigado, Deus, muito obrigado!
Amém!

São Josafá Kuncewicz - 12 de novembro




João Kuncewicz nasceu em Wladimir (Ucrânia), no ano de 1580, numa família de ortodoxos cismáticos, ou seja, ligados à Igreja Bizantina e não à Igreja Romana.
Com a mudança de vida, mudou também o nome para Josafá, pois era comerciante; até que, tocado pelo Espírito do Senhor, abraçou a fé católica e entrou para a Ordem de São Basílio.
Como monge desde os 24 anos, tornou-se apóstolo da unidade e sacerdote do Senhor em 1609, quando foi ordenado. Em seguida, nomeado superior dos conventos de Briten e, logo depois, arquimandrita de Vilna.
Dotado de muitas virtudes e dons, tornou-se Arcebispo de Polotsk, sede primacial dos Rutenos, em 1617. Lutou pela formação do clero, pela catequese do povo e pela evangelização de todos.
As portas de sua casa e do seu coração estavam sempre abertas para acolher os pobres e necessitados. Josafá, além de promover com o seu testemunho a caridade para com os pobres, desgastou-se por inteiro na promoção da unidade da Igreja Bizantina com a Romana, por isso conseguiu levar muitos a viver unidos na Igreja de Cristo. Os que entravam em comunhão com a Igreja Romana, como Josafá, passaram a ser chamados de “uniatas”, ou seja, excluídos e acusados de maus patriotas e apóstolos, segundo os ortodoxos.
Dedicou-se no trabalho de unificação das Igrejas, buscando remover o cisma e reconduzir os hereges e cismáticos à união com a Cátedra de São Pedro. Seu apostolado foi coroado com êxito, pois muitos hereges voltaram ao seio da Igreja.
Seu zelo pelas causas da Igreja, resultou em muitas perseguições, calúnias e oposições por parte dos cismáticos. Aconteceu que, em 1623, numa viagem pastoral, Josafá, com 43 anos na época, foi atacado, maltratado e martirizado. Após ser assassinado, São Josafá foi preso a um cão morto e lançado num rio. Dessa forma, entrou no Céu, donde continua intercedendo pela unidade dos cristãos, tanto assim que os próprios assassinos, mais tarde, converteram-se à unidade desejada por Nosso Senhor Jesus Cristo.
Reconhecido pela Igreja por suas virtudes heroicas e, sobretudo, pela santidade de seu martírio, São Josafá foi solenemente canonizado por Pio IX em 1867.
São Josafá, rogai por nós!

Referência:
Livro ‘O Santo do dia’ – Dom Servilio Conti, I.M.C

São Josafá Kuncewicz

São Josafá Kuncewycz
Bispo e mártir (1584-1623)

São Josafá é o primeiro representante das Igrejas uniatas a ser elevado às honras dos altares da Igreja de Roma. Um santo ecumênico, venerado como apóstolo da unidade dos cristãos do Oriente.
A Rússia havia sido evangelizada por cristãos de Constantinopla em torno do século X e seguiu a Igreja oriental, aceitando ser dela dependente e, em consequência, a separação da Igreja de Roma. Em 1589, com a elevação do metropolita de Moscou à dignidade de patriarca, a Igreja russa tornou-se autônoma.
Quando a Rutênia passou do domínio russo ao polonês, os sacerdotes ortodoxos, entrando em comunhão com Roma, mantiveram os antigos ritos e as tradições da Igreja eslava, denominando-a Igreja uniata.
Neste período histórico se insere a obra pastoral de João Kuncewycz, que na profissão religiosa assumiu o nome de Josafá, o bíblico nome do vale do Cedron. Nascido em Vladimir, na Polônia, foi o primeiro noviço do primeiro mosteiro basiliano uniata de Vilna.
Ordenado sacerdote e eleito arquimandrita e coadjutor do arcebispo de Polozk, empreendeu um ativo trabalho missionário aprendido na escola dos jesuítas. Em razão da extraordinária capacidade de atrair e de converter foi chamado “raptor de almas”. Empenhou-se particularmente em reunir à Santa Sé os cristãos apartados, partindo dos grandes dons comuns deles: o batismo, a palavra escrita, a vida da graça, a fé, a caridade e uma terna devoção à Virgem.
A Igreja russa havia de fato conservado intacto o “depósito” da fé, com todos os sacramentos, a rica liturgia, a tradição apostólica e patrística, a espiritualidade monástica, o culto dos santos e em particular o da Virgem. Foi essa intensa espiritualidade o fio condutor que uniu a Igreja eslava a Roma.
Josafá sucedeu ao arcebispo de Polozk e foi barbaramente assassinado por um grupo de sectários em Vitebsk, na Bielo-Rússia, em virtude de sua benemérita atuação em favor da unidade com Roma. Foi canonizado por Pio IX em 1867, e o novo calendário litúrgico tornou obrigatória a sua comemoração.
Retirado do livro: 'Os Santos e os Beatos da Igreja do Ocidente e do Oriente', Paulinas Editora.
Fontes: Paulinas e Catolicanet em 2015

São Josafá de Lituânia, Mártir

A nação da Lituânia é agora de grande maioria católica. Mas houve um tempo nesse país que a religião era dirigida pelos cismáticos ortodoxos que não obedecem ao Sumo Pontífice. E a conversão da Lituânia ao catolicismo se deve em boa parte a São Josafá. Mas teve que derramar seu sangue, para conseguir que seu país aceitasse o catolicismo.
Em 1595 os principais chefes religiosos ortodoxos de Lituânia tinham proposto unir-se à Igreja Católica de Roma, mas os mais fanáticos ortodoxos se opuseram violentamente e produziram muita desordem pelas ruas. Agora chegava ao convento o que mais ia trabalhar e sacrificar para conseguir que sua nação fosse conduzida à Igreja Católica.
Quando seus inimigos se lançaram contra ele, atravessaram-lhe com uma lança, atiraram nele, e arrastaram seu corpo pelas ruas da cidade e o atiraram ao rio Divina. Era 12 de novembro de 1623. Meses depois os carrascos se converteram à fé católica e pediram perdão por seu terrível crime.
O Papa declarou a São Josafá, Patrono dos que trabalham pela união dos cristãos. O sangue dos mártires é semente de novos cristãos (Tertuliano).

o Josafá

NascimentoNo ano de 1580
Local nascimentoRússia
OrdemBispo e Mártir (Basiliano)
Local vidaPolptsk
EspiritualidadeDe nobre família ortodoxa católica, nascia João Kuncewycz, o futuro apóstolo da unidade dos cristãos do oriente, que veio a receber outro nome no sacerdócio. Josafá foi uma das vítimas mais conhecidas num estado de tensão permanente: os cossacos da região de Dnieper, local entre a Polônia e a Rússia, fervorosos na fé ortodoxa constituíam uma ameaça permanente à Igreja Católica. Em 1596 o Sínodo de Brest realizou a união dos rutenos (russos) com a Igreja de Roma, como um passo importante que poderia despertar a esperança da união de outras igrejas ortodoxas, inclusive da russa. Mas ainda não havia chegado essa hora. E Josafá, monge basiliano dedicou sua vida em busca dessa união. Infelizmente foi trucidado pelos inimigos do Papa, em Vitebsk, quando lá estava em visita pastoral. Em 1643 foi declarado bem-aventurado e em 1867 foi canonizado.
Local morteVitebsk ( Rússia)
Morte12 de novembro de 1623, aos 43 anos de idade
Fonte informaçãoSanto nosso de cada dia, rogai por nós
OraçãoDeus, nosso Pai, ouvindo o apelo de Jesus Cristo, São Josafá quis reconstruir a unidade da família dos filhos de Deus: Eu não te peço só por estes, mas também por aqueles que vão acreditar em mim por causa da palavra deles, para que todos sejam um, como tu, Pai, estás em mim e eu em ti. E como Jesus, São Josafá foi eliminado. E os que o mataram julgavam agradar a Deus. Ainda hoje, Senhor, o vosso nome continua sendo usado em vão. Em vosso nome santo, cometemos as maiores atrocidades. Renegamos no íntimo de nós e mediante os nossos gestos a nossa verdadeira vocação cristã, que é criar a unidade e estabelecer a união e a comunhão entre os homens. Por isso, nós vos pedimos: dai-nos a graça de permanecermos unidos e presentes no meio da sociedade, para que aqueles que virem o nosso testemunho de unidade acreditem em vós, Deus de ternura e de bondade, Deus da comunhão, Pai, Filho e Espírito Santo.
DevoçãoÀ unidade entre os cristãos do Oriente
PadroeiroDo ecumenismo
Outros Santos do diaAurélio e Púbio, Livino (bispos); Benedito, João, Mateus, Isaac e Cristiano, Paterno (márts.); Rufo, Renato, Benigno e Aniberto (bispos); Emiliano (presb); Nilo, Anastácio, Nanfásio (er).
Fonte: ASJ em 2015

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 12/11/2021

ANO B


Lc 17,26-37

Comentário do Evangelho

Buscar primeiro o Reino de Deus.

A excessiva preocupação com questões relativas à vida de cada dia e com o bem-estar pode não só nos distanciar das coisas do céu, como também fazer prescindir do próprio Deus ou até ignorar sua presença. A história do tempo de Noé e Ló serve para ilustrar esta situação e interpelar os discípulos a que mantenham a vida referida a Deus. A fé em Deus exige uma vida conforme a sua vontade. A vida de quem crê deve ser a expressão da fé que ele professa e do Deus em quem ele põe a sua esperança e confiança. O principal é buscar o Reino de Deus, que antecede todas as coisas, e por Deus o necessário é dado (ver: Lc 12,22-31).
Carlos Alberto Contieri, sj
Oração
Pai, dá-me suficiente sensatez para não buscar segurança e salvação nos bens deste mundo, pois só as encontro junto de ti, na obediência fiel à tua vontade.
Fonte: Paulinas em 15/11/2013

Vivendo a Palavra

“Eles comiam, bebiam, compravam, plantavam, construíam...” O Evangelho quer mostrar que o dia do Senhor chega, para cada um de nós, dentro da normalidade da vida. Vivamos o nosso cotidiano conscientes desta Boa Notícia: o Amor do Pai está sempre presente em nós e entre os irmãos.
Fonte: Arquidiocese BH em 15/11/2013 15/11/2019

Reflexão

Devemos estar sempre prontos para o nosso encontro com Jesus, e este encontro, na verdade, acontece todos os dias, quando ele vem até nós na pessoa dos fracos, dos pobres, dos oprimidos, dos excluídos, dos necessitados, enfim, de todos os que não são amados, são rejeitados pela sociedade e precisam de alguém que manifeste o amor que Deus tem por eles. O dia do Filho do Homem é o dia da vivência do amor, da caridade e da fraternidade para com todos. O verdadeiro cristão é aquele que faz de todos os dias da sua vida o dia do Filho do Homem.
Fonte: CNBB em 15/11/2013

Reflexão

Mediante duas comparações, Jesus convida os discípulos a estarem sempre preparados para o encontro com Deus. Quem vive ocupado apenas com seus projetos pessoais, sem se preocupar com a prática da justiça e da fraternidade, será surpreendido como os contemporâneos de Noé e de Ló. A chegada do Filho do Homem será improvisa como o relâmpago. Não haverá tempo para mudanças de última hora; quem praticou a justiça se salvará. A separação entre justos e injustos atingirá as relações mais íntimas, como a do matrimônio (cama) e do trabalho (mulheres moendo juntas). Onde será o julgamento? Onde a pessoa estiver. Cada um verá a verdade de si mesmo diante do espelho que é Jesus, porque nele se manifestou todo o projeto de Deus para a humanidade. A salvação se constrói no dia a dia.
(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)
Fonte: Paulus em 15/11/2019

Reflexão

Mediante duas comparações, Jesus convida os discípulos a estarem sempre preparados para o encontro com Deus. Quem vive ocupado apenas com seus projetos pessoais, sem se preocupar com a prática da justiça e da fraternidade, será surpreendido como os contemporâneos de Noé e de Ló. A chegada do Filho do Homem será improvisa como o relâmpago. Não haverá tempo para mudanças de última hora; quem praticou a justiça se salvará. A separação entre justos e injustos atingirá as relações mais íntimas, como a do matrimônio (cama) e do trabalho (mulheres moendo juntas). Onde será o julgamento? Onde a pessoa estiver. Cada um verá a verdade de si mesmo diante do espelho que é Jesus, porque nele se manifestou todo o projeto de Deus para a humanidade. A salvação se constrói no dia a dia.
Oração
Senhor Jesus, tuas palavras são sérias advertências que nos ajudam a refletir sobre a nossa vida. O que, de fato, é importante para nós, peregrinos neste mundo? Em que ocupamos o tempo? Qual é o nosso empenho para melhorar as relações entre as pessoas? Vem em nosso socorro, Senhor. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2021 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp e Pe. Nilo Luza, ssp)

Recadinho

Qual é a vida a que Jesus se refere e que não podemos perder? - Com qual vida eu mais me preocupo? - Jesus insiste na realidade do fim do mundo, do Reino de Deus: temos que pensar nisso, vivendo na austeridade da fé e vigilantes. Cuidado! Não empregue seu tempo somente nas coisas perecíveis! O que tenho a dizer sobre este questionamento? - As coisas de Deus estão em primeiro plano em minha vida? - Tenha em mente o que S. Gregório de Nissa escreveu-nos: “A eternidade será como um banquete!” Esta ideia nos é sugerida por Jesus, em símbolos de alegria e consolação, que vêm do Espírito.
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R
Fonte: a12 - Santuário Nacional em 15/11/2013

Meditando o evangelho

O DIA DO FILHO DO HOMEM

Muitos cristãos da comunidade primitiva, não vendo realizar-se sua esperança do fim do mundo, corriam o risco de levar uma vida acomodada e monótona, como se tivessem perdido o sentido de viver. Foi necessário chamar-lhes a atenção para o risco desta atitude inconsiderada e pessimista. O alerta visava não deixá-los esmorecer na caridade, e manter assim, viva a chama da esperança.
Os discípulos de Jesus não deveriam ser tomados de surpresa, como havia acontecido com o povo por ocasião do dilúvio. Sua vida despreocupada, centrada nos prazeres, dispensava Deus e seus apelos de conversão. Esse povo preferiu levar uma vida de impiedade, indo de pecado em pecado, como se o seu futuro já estivesse garantido.
Bem outra foi a situação do justo Noé, temente a Deus e submisso à sua vontade. Ele foi salvo por não ter se deixado corromper pelo pecado que grassava na sociedade, mantendo-se fiel a Deus e não se desviando pelo caminho do mal.
O cristão, realmente preocupado com a volta do Senhor, não se acomoda. Embora veja a fé de muita gente arrefecer, persevera na prática do amor e da misericórdia. É a forma de conservar sua vida, como Jesus recomendou.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total)
Oração
Senhor Jesus, que eu não caia num estilo de vida acomodado, esquecendo-me de que é pela prática do amor e da misericórdia, que eu me preparo para o encontro contigo.

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

1. O verdadeiro sentido do que somos e fazemos
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Como um rio, que no final do seu percurso, mergulha no infinito do mar, assim também, cada homem na caminhada de sua existência, segue para um encontro pessoal com DEUS. Muitos pensam em um terrível acerto de contas, outros já pensam que estão condenados, mas também há os que não conhecem, ou fingem não conhecer a DEUS e vivem esta vida fazendo um monte de coisas, que em si mesmas, não tem nenhum sentido.
Imaginemos alguém que trabalha por trabalhar, casou-se apenas por casar, ou então em um time de futebol, joga por jogar, tanto faz o time perder ou ganhar, não têm estímulo, entusiasmo, empenho e vibração, um homem máquina, que nada sente e nem se relaciona com os outros, esse é o tal que vive apenas por viver… Esse relativismo é muito influente nos dias de hoje, causa primeira de tantas angústias, depressões e suicídios, pois a monotonia do fazer, sem saber o porquê, e qual a razão do nosso ser, nos mata, aos pouquinhos, todo dia.
Este Evangelho, que apresenta uma linguagem apocalíptica, não quer nos aterrorizar diante de DEUS, muito ao contrário, quer nos despertar a consciência de que, sem DEUS a nossa existência será sempre vazia e sem sentido. Não há sentido no viver e muito menos no morrer, a vida é um absurdo, se não descobrirmos que o fim último de todos nós é DEUS.
Nas entrelinhas do texto, refletido, há uma mensagem belíssima: temos que estar permanentemente preparados para esse encontro com DEUS, contudo, não é um encontro, somente no pós-morte, mas em nosso dia a dia, nos encontramos com DEUS, se estivermos de coração aberto e já tivermos feito em SUA Graça, a descoberta de que é ELE a razão de ser e o sentido de tudo o que somos e fazemos.
O encontro definitivo na pós-morte, será só uma conseqüência das escolhas e decisões que tomarmos no dia a dia, onde A Fé em JESUS CRISTO deve ser sempre O Fiel da Balança da nossa vida.

2. Lembrai-vos... - Lc 17,26-37
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

Não sabemos quando o Filho do Homem virá. O desconhecimento do dia e da hora nos convida a estar preparados. Será a qualquer momento. Pode ser no dia da nossa morte, pode ser no fim do mundo, pode ser hoje ou amanhã. Nos dias de Noé, quando veio o dilúvio, todo mundo estava tranquilo e distraído. Noé se preparou e se salvou com os que entraram na arca. Os que foram deixados, pereceram levados pelas águas. Ló e sua família saíram de Sodoma e os que ficaram pereceram levados pela chuva de fogo e enxofre. Não haverá tempo de olhar para trás nem de voltar atrás. Um será deixado e outro será levado. O que foi deixado será levado pelas águas. Onde há cadáver, há abutre, isto é certo, como é certa a manifestação do Filho do Homem.
Fonte: NPD Brasil em 15/11/2019

HOMILIA

A CHEGADA DO REINO

Está preparado o banquete da Eucaristia e o banquete eterno. Seria este o título da homilia de hoje. Jesus deixou aos discípulos o sinal do pão e do vinho na última Ceia e anunciou-lhes que havia de participar com eles no banquete no reino de seu Pai. Neste texto de hoje se fala do reino, do banquete e da preparação indispensável para não ser excluído.
Em cada Eucaristia nós dizemos. «Vem, Senhor Jesus». Pedimos a sua vinda, mas não nos podemos esquecer-nos da preparação para essa chegada e perder o tempo de se preparar. Eis uma advertência de permanente atualidade hoje que as preocupações do material fazem esquecer o essencial, o espiritual a advertência do Evangelho tem permanente atualidade.
Deus nos chama a atenção. A Igreja dá-nos oportunidade e Jesus Cristo avisa-nos para não cair na tentação do desleixo. Para possuir a sabedoria e saber estar preparado. Cada Eucaristia antecipa sacramentalmente esta caminhada para a sala das núpcias. A Eucaristia é a grande preparação para o banquete do reino. S. Paulo afirma a fé na ressurreição e anima todos os crentes na certeza de que na ressurreição «Deus levará com Jesus aqueles que tiverem morrido em união com Ele».
É a vitória da vida sobre a morte, é aquilo que todo o ser humano deseja, que Paulo nos anuncia. E com toda a Igreja professamos: creio na vida do mundo que há de vir, a vida em Deus só o Espírito Santo a pode dar. Mas tudo isso só será possível se nós estivermos sempre preparado. Alias diz o ditado: O futuro só à Deus pertence. É dever de todo o homem de fé esperá-lo e prepará-lo com prudência.
O presente é o momento ideal para adquirir tudo quanto desejaríamos possuir na hora da chegada do esposo, quanto desejaríamos amanhã ter preparado e vivido. Deus é o ponto de chegada da nossa existência valorizada aqui e agora pelos nossos propósitos e ações, atitudes e comportamentos.
Quando Jesus se apresentou a pregar o Reino, anunciou que ele está próximo. Hoje a pregação de Jesus é idêntica, os destinatários são os homens do nosso tempo, sou eu é você, é cada um de nós. Meditar e viver agora o que quereríamos ter feito amanhã, eis o projeto e o programa a executar. O futuro prometido por Deus deve ser preparado por cada um dos cristãos, homens e mulheres da Igreja que escutam e meditam a palavra divina, quer individualmente, quer inseridos nas pastorais.
É fundamental que sejamos já aqui e agora homens novos, virgens prudentes, de lâmpada acesa, de modo a evitar portas fechadas no momento da entrada para o banquete. Saiba que vivemos num muito que corre sérios riscos e quedas que se repetem ao lado evolução tecnologia ou simplesmente da hiper-modernidade.
Não se esqueça que você é o agente da história hoje. Advertência que nos faz o Evangelho é o incentivo para todos, porque o Senhor é o «fim da história humana», a garantia de que ela pode ser construída de forma positiva com a sua ajuda. A presença de Cristo na história é constante, exigente e eficaz. É estímulo e motivo de esperança, única garantia da edificação do reino, do homem novo e do mundo novo.
Pai dá-me suficiente sensatez para não buscar segurança e salvação nos bens deste mundo, pois só as encontro junto de ti, na obediência fiel à tua vontade.
Padre Bantu Mendonça Katchipwi Sayla
Fonte: Liturgia da Palavra em 15/11/2013

HOMILIA DIÁRIA

Que o nosso coração esteja em Deus

Não importa o lugar, o que importa é onde está o nosso coração. Se ele está em Deus é para Ele que vamos, mas se não está é para longe d’Ele que vai nosso coração.

“Quem procura ganhar a sua vida vai perdê-la; e quem a perde vai conservá-la” (Lc 17,33).

Meus amados irmãos e irmãs em nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, no dia em que celebramos a Proclamação da República, em nossa Pátria, nós pedimos que Deus abençoe, por Seu amor e bondade, o nosso país e dirija, cada vez mais, o destino de nossa nação para que o Brasil se conserve no temor, no respeito a Sua Palavra, obedecendo Suas Leis. Feliz é a nação, cujo o Deus é o Senhor.
No Evangelho de hoje, Deus nos mostra como devemos estar atentos, vigilantes, preparados para a Sua volta, para o nosso encontro definitivo com Ele. Senão, acontecerá conosco o mesmo que aconteceu nos dias de Noé: as pessoas vivendo de forma desmedida e despreparada, comendo, bebendo, dando-se em casamento e não se importando com a vida.
Quando o dilúvio chegou, aqueles que estavam despreparados morreram nas águas. Nós podemos morrer longe do Senhor se apenas nos preocuparmos com as ocupações da vida cotidiana, se levarmos uma vida descompromissada, na qual os prazeres – comer, beber, embriagar-se – sejam as coisas mais importantes. Você sabe que comer e beber demais tiram a nossa vigilância, nos deixam, muitas vezes, dopados. Todos os nossos excessos nos mantêm embriagados na mente, tiram a nossa cabeça e o nosso coração da ocupação daquilo que é o essencial. Assim, não vigiamos nossos comportamentos, nossas palavras e atitudes; levamos uma vida descompromissada com Deus e com Sua Palavra.
Quando o Evangelho diz que duas pessoas estarão no mesmo lugar, mas uma será levada e outra será tirada, é porque a vida é assim. Você pode estar com outra pessoa, com seu marido, seus filhos, com seu irmão ou amigos dentro da igreja. Um pode estar lá rezando, com o coração em Deus, mas o outro com a cabeça longe dali, com o coração bem distante. Na mesma casa, alguém pode estar vivendo no Senhor, mas o outro pode estar totalmente distante d’Ele.
Não importa o lugar, o que importa é onde está o nosso coração. Se ele está em Deus é para Ele que vamos, mas se não está é para longe d’Ele que vai nosso coração.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 15/11/2013

HOMILIA DIÁRIA

Estejamos preparados para o encontro com o Senhor

Eles comiam, bebiam, casavam-se e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca. Então, chegou o dilúvio e fez morrer todos eles” (Lucas 17,27).

As pessoas perguntam quando Jesus virá, quando será o fim do mundo, quando, definitivamente, o Senhor estará para sempre no meio de nós. E Jesus nos dá os sinais, Ele mesmo nos alerta que, assim como nos dias de Noé em que todos viviam a sua vida sem preocupações, sem cuidarem, sem vigiar e quando entraram na barca da salvação, o dilúvio veio e levou a todos que estavam vivendo as suas tarefas e obrigações, porém, não estavam em Deus. Não importa o dia e nem a hora, não importa se vamos morrer hoje, amanhã ou daqui a cem anos. Precisamos viver hoje como se fosse o último dia da nossa vida, como se hoje fôssemos ao encontro do Senhor.
Eu sei que todos nós suplicamos demais para prolongar a nossa vida, para chegarmos a uma idade idosa e, só depois que não tiver mais jeito, então, morrermos. Não dá para esperar e dizer que vai ser assim. Seremos como as virgens imprevidentes, imprudentes que não abasteciam o óleo da lâmpada e não estavam vigilantes e nem preparadas. Aqui não é a cultura do medo da morte ou medo da tragédia, mas é para estarmos sempre preparados.
Estamos vendo crianças morrerem ainda crianças, assim também acontece com adolescentes, jovens e adultos. Nós não queremos e nem Deus quer que seja assim, mas são tantos incidentes, acidentes, tantas coisas imprevistas… São tantas situações complexas do mundo em que vivemos.
O que podemos fazer é vivermos a espiritualidade da vigilância, do cuidado, da responsabilidade com nossos atos e atitudes. Temos de ser aquela noiva que está esperando o noivo chegar e não se descuida porque ele atrasou e não chegou. Estamos sempre indo ao encontro do Senhor, porque Ele está sempre vindo ao nosso encontro.

O importante é estarmos preparados a cada dia, para que o Senhor venha ao nosso encontro em cada dia da nossa vida

Eu devo dormir a cada dia como se dormisse nos braços de Deus e acordasse na presença d’Ele. Por isso, precisamos nos vigiar a cada dia naquilo que fazemos. Não significa que vamos deixar de comer e beber, as pessoas não vão deixar de se casar; mas não podemos viver de qualquer jeito, levar a vida e dizer: “Olha, eu vou me converter lá na frente. Eu vou me arrepender desse pecado na hora da morte”. Nem sabemos quando ela chega ou quando iremos ao encontro do Senhor e quando Ele virá ao nosso. O importante é estarmos preparados a cada dia, para que o Senhor venha ao nosso encontro em cada dia da nossa vida.
Eu sei que cedemos muito à cultura do improviso, vamos improvisando e na hora damos um jeito. Assim como nos dias de Ló comiam e bebiam, mas quando menos esperaram, a tragédia veio. A mulher de Ló ainda olhou para trás, por isso, virou uma estátua de sal, porque não vai dar tempo de olhar para trás e nem correr para resolver isso e aquilo. O importante é que a nossa vida esteja resolvida, cuidada, administrada e arrumada a cada dia. Não deixe para arrumar a sua cama só quando chegar alguém para visitar a sua casa e olhar o seu quarto, deixe a sua cama arrumada todos os dias, porque toda hora Jesus está conosco, a Sua presença está na nossa vida.
Assim como devemos arrumar a nossa cama, arrumemos também o nosso coração, porque ele é o lugar da morada de Deus.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal CançãNova.
Fonte: Canção Nova em 15/11/2019

Oração Final
Pai Santo, que te ofereces a nós, mas te escondes nos dons com que nos enriqueces, dá-nos discernimento para descobrir-te e louvar-te pela vida, pela fé, pela natureza e os irmãos que colocaste ao nosso lado para a caminhada. Por Jesus Cristo, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 15/11/2013

ORAÇÃO FINAL
Pai Santo, que Te ofereces a nós, mas Te escondes nos dons com que nos enriqueces, dá-nos discernimento para descobrir-Te e louvar-Te pela Vida, pela Fé, pela Natureza e os pelos irmãos que Tu, amado Pai, colocas ao nosso lado para a caminhada. Por Jesus Cristo, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 15/11/2019

LITURGIA DIÁRIA - 12/11/2021


Tema do dia

O AMOR DO PAI ESTÁ SEMPRE PRESENTE EM NÓS E ENTRE OS IRMÃOS

O Livro da Sabedoria mostra como é insensato o homem que faz da natureza o seu Deus, não sendo capaz de, transcendendo-a, chegar ao seu Autor. Sim, porque a grandeza e a beleza das criaturas devem levar-nos a contemplar o Criador do Universo.
Fonte: Arquidiocese BH em 15/11/2019

Oração para antes de ler a Bíblia


Meu Senhor e meu Pai! Envia teu Santo Espírito para que eu compreenda e acolha tua Santa Palavra! Que eu te conheça e te faça conhecer, te ame e te faça amar, te sirva e te faça servir, te louve e te faça louvar por todas as criaturas. Fazei, ó Pai, que pela leitura da Palavra os pecadores se convertam, os justos perseverem na graça e todos consigamos a vida eterna. Amém.

6ª-feira da 32ª Semana Do Tempo Comum
S. Josafá BMt, memória
Cor: Vermelho


Primeira Leitura (Sb 13,1-9)
32ª Semana do Tempo Comum | Sexta-feira - 12/11/2021

Leitura do Livro da Sabedoria.

1São insensatos por natureza todos os homens que ignoram a Deus, os que, partindo dos bens visíveis, não foram capazes de conhecer aquele que é; nem tampouco, pela consideração das obras, chegaram a reconhecer o Artífice. 2Tomaram por deuses, por governadores do mundo, o fogo e o vento, o ar fugidio, o giro das estrelas, a água impetuosa, os luzeiros do dia. 3Se, encantados por sua beleza, tomaram estas criaturas por deuses, reconheçam quanto o seu Senhor está acima delas: pois foi o autor da beleza quem as criou. 4Se ficaram maravilhados com o seu poder e a sua atividade, concluam daí quanto mais poderoso é aquele que as formou: 5de fato, partindo da grandeza e da beleza das criaturas, pode-se chegar a ver, por analogia, aquele que as criou. 6Contudo, estes merecem menor repreensão: talvez se tenham extraviado procurando a Deus e querendo encontrá-lo. 7Com efeito, vivendo entre as obras dele, põem-se a procurá-lo, mas deixam-se seduzir pela aparência, pois é belo aquilo que se vê! 8Mesmo assim, nem a estes se pode perdoar: 9porque, se chegaram a tão vasta ciência, a ponto de investigarem o universo, como é que não encontraram mais facilmente o seu Senhor?

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Responsório (Sl 18)
32ª Semana do Tempo Comum | Sexta-feira - 12/11/2021

— Os céus proclamam a glória do Senhor!
— Os céus proclamam a glória do Senhor!

— Os céus proclamam a glória do Senhor, e o firmamento, a obra de suas mãos; o dia ao dia transmite esta mensagem, a noite à noite publica esta notícia.
— Não são discursos nem frases ou palavras, nem são vozes que possam ser ouvidas; seu som ressoa e se espalha em toda a terra, chega aos confins do universo a sua voz.

Evangelho (Lc 17,26-37)
32ª Semana do Tempo Comum | Sexta-feira - 12/11/2021


Quem procura salvar a vida, vai perdê-la

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 26“Como aconteceu nos dias de Noé, assim também acontecerá nos dias do Filho do Homem. 27Eles comiam, bebiam, casavam-se e se davam em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca. Então chegou o dilúvio e fez morrer todos eles. 28Acontecerá como nos dias de Ló: comiam e bebiam, compravam e vendiam, plantavam e construíam. 29Mas no dia em que Ló saiu de Sodoma, Deus fez chover fogo e enxofre do céu e fez morrer todos. 30O mesmo acontecerá no dia em que o Filho do Homem for revelado. 31Nesse dia, quem estiver no terraço, não desça para apanhar os bens que estão em sua casa. E quem estiver nos campos não volte para trás. 32Lembrai-vos da mulher de Ló. 33Quem procura ganhar a sua vida vai perdê-la; e quem a perde vai conservá-la. 34Eu vos digo: nesta noite, dois estarão numa cama; um será tomado e o outro será deixado. 35Duas mulheres estarão moendo juntas; uma será tomada e a outra será deixada. 36Dois homens estarão no campo; um será levado e o outro será deixado”. 37aOs discípulos perguntaram: “Senhor, onde acontecerá isso?” Jesus respondeu: “Onde estiver o cadáver, aí se reunirão os abutres”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.


Oração para depois de ler a Bíblia


Dou-Te graças, meu Deus, pelos bons propósitos, afetos e inspirações que me comunicastes nesta meditação; peço-Te ajuda para colocá-los em prática. Minha Mãe Imaculada, meu protetor São José e Anjo da minha guarda, intercedem todos por mim. Amém.