sexta-feira, 16 de maio de 2014

TERÇOS – VÍDEOS


Acesse:

1 - Terço da Divina Providência - http://youtu.be/5mzUbLl_P48

2 - Terço de Cura e Libertação - http://youtu.be/TWmZ47JoC0I

3 - Terço da FÉ - http://youtu.be/-I1tuBSDtkU

4 - Terço do Espírito Santo - http://youtu.be/BJqMkwQsOeQ

5 - Terço da Libertação Cantado - http://youtu.be/9ofE4VoEZPU

TERÇO DA MISERICÓRDIA - VÍDEOS - APRENDA A REZAR O TERÇO DA MISERICÓRDIA






"Quando rezarem este Terço junto aos agonizantes, Eu me colocarei entre o Pai e a alma agonizante, não como justo Juiz, mas como Salvador misericordioso".

JESUS, EU CONFIO EM VÓS!!!

APRENDA A REZAR O TERÇO DA MISERICÓRDIA



Para ser rezado nas contas do terço

No começo:

Pai nosso, que estais no céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.

Ave, Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco; bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.

Creio em Deus Pai, todo poderoso, criador do Céu e da Terra; e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor; que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia; subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, de onde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espirito Santo, na santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna Amém.

Nas contas de Pai Nosso, dirás as seguintes palavras usando o terço de Maria:

Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e o Sangue, a Alma e a Divindade de Vosso diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e dos do mundo inteiro.

Nas contas de Ave Maria rezarás as seguintes palavras:

Pela Sua dolorosa Paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro.

No fim, rezarás três vezes estas palavras:

Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro” 
(Diário, 476).

Oração do Angelus - Padre Antonello - VÍDEO - Como rezar o Ângelus






Como rezar o Ângelus:

1) O Anjo do Senhor anunciou a Maria
- E Ela concebeu pelo poder do Espírito Santo.
Ave Maria...

2) Eis aqui a serva do Senhor.
- Faça-se em Mim segundo a vossa palavra.
Ave Maria...

3) E o Verbo Divino se fez homem,
- e habitou entre nós.
Ave Maria...

4) Rogai por nós, Santa Mãe de Deus,
- para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Oremos: Derramai ó Deus, a Vossa graça em nossos corações, para que, conhecendo pela mensagem do anjo a encarnação do Vosso filho, cheguemos por Sua Paixão e Cruz à glória da ressurreição. Por Cristo, Senhor nosso. Amém.

Glória ao Pai... (repete-se 3 vezes)

LITURGIA DAS HORAS

Clique no ícone abaixo
para acesso à Hora Canônica

Mensagens diárias prá vc

Terço - Mistério Gozosos - Segunda-Feira e Sábado


Terço do Rosário: Mistérios Gozosos




HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 17/05/2014

17 de Maio de 2014

ANO A


Jo 14,7-14

Comentário do Evangelho

As palavras de Jesus revelam o Pai.

Nos versículos anteriores, a intervenção de Tomé permitiu a Jesus dizer que ele é o caminho pelo qual se chega à vida verdadeira, vida que é dada no seu seguimento; é Jesus quem revela a verdade de Deus, pois ele é a “imagem do Deus invisível” (Cl 1,15). Para conhecer o Pai, é preciso passar por ele, que é a “porta” de acesso ao mistério de Deus. Agora, é a vez de Filipe; seu desejo é ver o Pai (cf. v. 8). “Conhecer” para o evangelho de João é entrar em comunhão. Somente entrando em comunhão com Jesus é possível conhecer Deus, viver na intimidade de Deus. A intervenção de Filipe revela a incompreensão dos discípulos ao mesmo tempo que permite a Jesus manifestar o seu desapontamento (v. 9). Notemos que a incompreensão dos discípulos é um traço presente nos quatro evangelhos. A falta de fé (v. 10) impede de ir além das aparências. Somente a fé permite reconhecer que diante de Jesus se está diante da presença de Deus. As palavras de Jesus revelam o Pai; o que Jesus realiza, as suas obras, dão testemunho de sua comunhão com o Pai.
Carlos Alberto Contieri, sj
Oração
Pai, que eu saiba reconhecer-te na pessoa de Jesus, expressão consumada de teu amor misericordioso por todos os que desejam estar perto de ti.

Vivendo a Palavra

A fé que nos faz crer que o Pai, o Criador, vive no Filho, o Cristo encarnado em Jesus de Nazaré, é um primeiro passo que pedirá logo um segundo: dá-nos a certeza de que Pai e Filho estão em nós – como foi prometido. A Presença de Deus em nós – isto é a Graça! – é que nos permite seguir o Caminho de Jesus.

Reflexão

Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém pode chegar ao Pai sem Jesus, pois ele é verdadeiramente o único caminho que nos leva ao Pai. Ninguém pode de fato conhecer o Pai se não for através de Jesus, pois ele é a Verdade que nos revela o Pai, ele é o próprio Ícone do Pai, ele vive em perfeita comunhão com o Pai, quem conhece Jesus, conhece o Pai e quem conhece o Pai, conhece Jesus. Nós também participamos dessa comunhão na medida em que nos tornamos ícones de Cristo e, participar dessa comunhão é que nos garante a vida em plenitude, a vida eterna, que é a participação na vida divina.

Recadinho


Jesus diz que quem acreditar nele fará obras maiores que ele. Um exagero, é claro. O que de mais grandioso você faz em favor da fé? - Você sabe pedir ao Pai? - O que basicamente pede? – Tem consciência do que devemos pedir a Deus?
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R

Comentário do Evangelho

JESUS E O PAI

Não se pode de compreender a existência de Jesus, prescindindo de sua íntima comunhão com o Pai. Suas palavras e seus gestos foram sempre referidos ao Pai. A consciência de ser o Filho enviado estava sempre presente em tudo quanto fazia. E mais: tinha consciência de estar chegando a hora de voltar para junto do Pai.
Sendo assim, o Filho divino pode ser considerado como a transparência do Pai. Quem o conhece, conhece o Pai. Quem o vê, vê também o Pai. Ouvi-lo, significa ouvir o Pai. Contemplar seus milagres, corresponde a contemplar o Pai manifestando seu amor pela humanidade. É, pois, inútil pretender ter acesso a Deus, prescindindo de Jesus.
Evidentemente, o Pai não é Jesus. E Jesus não é o Pai. As palavras de Jesus não dão margem para equívocos. Seria falsa qualquer identificação, e não corresponderia ao pensamento de Jesus. A comunhão entre ambos não redunda da fusão de um no outro.
Apesar disto, Jesus não titubeou em fazer esta afirmação ousada: "Quem me vê, vê o Pai". Da contemplação da vida de Jesus, é possível chegar a compreender quais são as pautas da ação de Deus, ou seja, a maneira como ele se relaciona com os seres humanos, e o que espera deles.
Portanto, não é preciso ir longe para encontrar Deus. Jesus é o caminho pelo qual chegamos até o Pai.
Oração
Espírito de discernimento ilumina minha mente e meu coração para que eu possa reconhecer o Pai na contemplação do Filho Jesus.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Deus eterno e todo-poderoso, fazei-nos viver sempre mais o mistério pascal para que, renovados pelo santo batismo, possamos, por vossa graça, produzir muitos frutos e chegar às alegrias da vida eterna. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
http://www.domtotal.com/religiao/meu_dia_com_deus/evangelho_dia.php?data=2014-5-17

REFLEXÕES DE HOJE



DIA 17 DE MAIO – SÁBADO


HOMILIA
JESUS E O PAI Jo 14,7-14
Senhor mostra-nos o Pai, e isso nos basta! Esta foi a preocupação de Filipe no Engelho de hoje e pode ser a de muitos diante de uma situação sem solução humanamente falando. Jesus, no quarto evangelho, fala frequentemente da sua relação com o Pai, da sua união com Ele, pelo fato de ter sido enviado por Ele. Ontem como hoje, os discípulos, agora representados por Filipe, queriam algo mais: uma visão direta do Pai. E então respondendo Jesus Se lhes revela: Eu estou no Pai e o Pai está em mim! Sua essência com o Pai é a mesma. Ele é o eterno Filho de Deus. Nele, por ele e para ele, foram criadas todas as coisas.
Mas esse desejo estava em contradição com aquilo que já nos aparece no prólogo de João: A Deus jamais alguém o viu. O Filho Unigênito, que é Deus e está no seio do Pai, foi Ele quem o deu a conhecer (Jo 1, 18). Mas os discípulos não souberam reconhecer na presença visível do seu Mestre as palavras e as obras do Pai porque, para ver o Pai no Filho, é preciso acreditar na união recíproca que existe entre ambos. Só pela fé se reconhece a mútua imanência entre o Jesus e o Pai. Por isso, a única coisa que havemos de pedir é a fé, esperando com confiança esse dom. Jesus ao apelar para a fé, apóia os seus ensinamentos em duas razões: a sua autoridade pessoal, tantas vezes experimentada pelos discípulos, e o testemunho das suas obras.
A obra de Jesus, inaugurada pela sua missão de revelador, é apenas um começo. Os discípulos hão de continuar a sua missão de salvação, farão obras iguais e mesmo superiores às suas. Jesus quer mesmo dar coragem, aos seus e a todos os que hão de acreditar n´Ele, para que se tornem participantes convictos e decididos na sua própria missão.
Jesus falou muito do Pai. Filipe entusiasmou-se e pediu a Jesus que lhe mostrasse o Pai. Mas o Senhor respondeu-lhe: Quem me vê, vê o Pai. Filipe queria ver o Pai, mas não conseguiu vê-lo em Jesus. Ao contemplar o Mestre ficou pela realidade externa, não conseguindo atingir o interior, a sua realidade íntima, com o olhar penetrante da fé. O verbo «ver», para João, indica duas ordens de realidades: a do sinal visível e o da glória do Verbo.
Eu estou no Pai e o Pai está em mim. Jesus é a revelação de amor, de um amor generoso que quer espalhar-se sem limites, que não tem ciúmes: quem crê em mim também fará as obras que Eu realizo; e fará obras maiores do que estas.
Pai, que eu saiba reconhecer-te na pessoa de Jesus, expressão consumada de teu amor misericordioso por todos os que desejam estar perto de ti.
Fonte Canção Nova
http://www.liturgiadapalavra.com/
HOMILIA
Que encontremos no Evangelho de Jesus a verdadeira alegria
Que nenhum de nós perca a alegria, a intrepidez, a coragem e a ousadia de anunciar o Evangelho por causa das incompreensões e das perseguições deste mundo!
“Os discípulos, porém, ficaram cheios de alegria e do Espírito Santo” (Atos dos Apóstolos 13, 52).


Eu queria convidar você a refletir sobre a primeira leitura da Santa Missa de hoje – no livro dos Atos dos Apóstolos – na qual vamos acompanhar o caminho de Paulo e Barnabé para anunciar a Palavra de Deus, que é rejeitada por muitos e aceita por alguns. Desse modo, você  vai entender que aquilo que aconteceu com Paulo e Barnabé é também o que acontece conosco nos dias de hoje, porque, quando a cidade se reuniu para escutar a Palavra de Deus, alguns naquela multidão ficaram cheios de inveja e, com blasfêmias, se opunham a tudo que Paulo dizia. No entanto, ele e Barnabé não perdiam a coragem, não perdiam a intrepidez e anunciavam com mais sagacidade e com mais destemor a Palavra do Evangelho.
Mas, infelizmente, meus irmãos, muitos ali não aceitaram a pregação, e Paulo e Barnabé foram pregar aos pagãos e não ao povo judeu, o povo para o qual ele fora enviado, em primeiro lugar, a pregar a Palavra. De modo que os judeus daquela cidade influenciaram algumas pessoas a perseguirem os dois apóstolos [Paulo e Barnabé] e a expulsarem esses homens de Deus de sua cidade. E assim aconteceu, eles foram expulsos de lá e não puderam mais anunciar a Palavra de Deus. Desse modo, os apóstolos apenas sacudiram a poeira dos pés e foram para a próxima cidade de Icônio.
O que mais nos causa admiração é que eles não ficaram depressivos, tristes, com sentimentos de culpa, nem culparam a Deus por aquele sofrimento, por aquela tristeza, aquela tragédia. Pelo contrário, esses apóstolos eram tomados por um espírito de alegria, eles eram tomados pela intrepidez do Espírito Santo e, quanto mais perseguidos eram, tanto mais intrépidos ficavam; quanto mais perseguidos eram, mais cheios do espírito de alegria ficavam. Porque eles sabiam que sofriam e que passavam por todas aquelas coisas por causa do nome de Jesus. Sentiam uma alegria inexplicável, humanamente sem condição de se dizer como é que alguém pode ficar feliz por sofrer por causa de Jesus.
Sabem, meus irmãos, algumas pessoas talvez vão zombar de nós, vão nos achar estranhos, vão, muitas vezes, se opor à nossa vida, ao nosso modo de ser, até os de na nossa própria casa, no meio dos nossos familiares.
Os cristãos são tidos como alienados, exagerados, fora do mundo; tudo isso são rótulos e adjetivos que nos devem encher de alegria, devem nos dar a convicção de que andamos no caminho todas as vezes em que formos dignos de sofrimentos por causa do nome de Jesus! Nós participamos do mistério redentor de Sua cruz, nós damos a nossa participação na redenção da humanidade.
Que nenhum de nós perca a intrepidez, que nenhum de nós perca a coragem e a ousadia de anunciar o Evangelho por causa das incompreensões e das perseguições deste mundo. Que tudo isso seja para nós motivo para nos enchermos da santa alegria e do santo temor no Espírito de Deus!
Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Facebook Twitter
http://homilia.cancaonova.com/homilia/que-encontremos-no-evangelho-de-jesus-a-verdadeira-alegria/
LEITURA ORANTE

Jo 14,7-14 - O Pai está em mim



Preparo-me para a Leitura da Palavra, rezando com todos os internautas:
Espírito de amor,
dai-nos o dom do vosso santo temor,
que, conscientes de nossas fragilidades,
reconheçamos a força de vossa graça.
Vinde, Espírito Santo,
E dai-nos um novo coração. Amém

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia? Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Jo 14,7-14.
Agora que vocês me conhecem, conhecerão também o meu Pai. E desde agora vocês o conhecem e o têm visto. Filipe disse a Jesus:
- Senhor, mostre-nos o Pai, e assim não precisaremos de mais nada.
Jesus respondeu:
- Faz tanto tempo que estou com vocês, Filipe, e você ainda não me conhece? Quem me vê vê também o Pai. Por que é que você diz: "Mostre-nos o Pai"? Será que você não crê que eu estou no Pai e que o Pai está em mim?
Então Jesus disse aos discípulos:
- O que eu digo a vocês não digo em meu próprio nome; o Pai, que está em mim, é quem faz o seu trabalho. Creiam no que lhes digo: eu estou no Pai e o Pai está em mim. Se vocês não crêem por causa das minhas palavras, creiam pelo menos por causa das coisas que eu faço. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quem crê em mim fará as coisas que eu faço e até maiores do que estas, pois eu vou para o meu Pai. E tudo o que vocês pedirem em meu nome eu farei, a fim de que o Filho revele a natureza gloriosa do Pai. Eu farei qualquer coisa que vocês me pedirem em meu nome.

Observo como Jesus fala do Pai. Filipe queria vê-lo e Jesus lhe diz: "Quem me vê vê também o Pai".    Quantas vezes neste texto Jesus fala do Pai! Muitas.  Ele está no Pai e o Pai está nele. Ele fala em nome do Pai. O Pai é que nele realiza as obras...

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
É Deus, o Pai que age em mim?
Deixo que ele me conduza?
Os bispos, em Aparecida, disseram: "Jesus nos transmitiu as palavras de seu Pai e é o Espírito que recorda à Igreja as palavras de Cristo (cf. Jo 14,26). Desde o princípio, os discípulos haviam sido formados por Jesus no Espírito Santo (cf. At 1,2) que é, na Igreja, o Mestre interior que conduz ao conhecimento da verdade total formando discípulos e missionários. Esta é a razão pela qual os seguidores de Jesus devem se deixar guiar constantemente pelo Espírito (cf. Gl 5,25), e tornar a paixão pelo Pai e pelo Reino sua própria paixão: anunciar a Boa Nova aos pobres, curar os enfermos, consolar os tristes, libertar os cativos e anunciar a todos o ano da graça do Senhor (cf. Lc 4,18-19)."(DAp 152).

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo:
Espírito vivificador,
a ti consagro o meu coração:
aumenta em mim o amor a Jesus, Vida da minha vida.
Faze-me sentir filho amado do Pai. Amém
.

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

Meu novo olhar é de filho/a que, como dizia Alberione,  retrata na própria vida o modelo de Jesus
Mestre: "vive em Deus e comunica Deus".

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Irmã Patrícia Silva, fsp
Oração Final
Pai Santo, o teu Amor é infinitamente maior do que a nossa capacidade de compreensão. Ensina-nos, Pai amado, a acolher com gratidão e humildade a tua presença amorosa em nossa vida e a seguir o Caminho da compaixão que Jesus trilhou neste mundo. Pelo Cristo Jesus, na unidade do Espírito Santo.


LITURGIA DIÁRIA 17/05/2014


Tema do Dia

«Quem acredita em mim, fará as obras que eu faço»

Paulo e Barnabé estão em Antioquia da Pisídia. O anúncio do Cristo Ressuscitado é rejeitado pelos judeus, mas acolhido com entusiasmo pelos pagãos. Movidos pela inveja, os filhos de Israel começam a perseguir os apóstolos, que foram para Icônio.

Oração para antes de ler a Bíblia


Meu Senhor e meu Pai! Envia teu Santo Espírito para que eu compreenda
e acolha tua Santa Palavra! Que eu te conheça e te faça conhecer, te ame
e te faça amar, te sirva e te faça servir, te louve e te faça louvar por
todas as criaturas. Fazei, ó Pai, que pela leitura da Palavra os pecadores
se convertam, os justos perseverem na graça e todos consigamos
a vida eterna. Amém.

Branco. Sábado da 4ª Semana da Páscoa


Primeira Leitura (At 13,44-52)
4ª Semana da Páscoa – Sábado 17/05/2014

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

44No sábado seguinte, quase toda a cidade se reuniu para ouvir a palavra de Deus. 45Ao verem aquela multidão, os judeus ficaram cheios de inveja e, com blasfêmias, opunham-se ao que Paulo dizia.
46Então, com muita coragem, Paulo e Barnabé declararam: “Era preciso anunciar a palavra de Deus primeiro a vós. Mas, como a rejeitais e vos considerais indignos da vida eterna, sabei que nos vamos dirigir aos pagãos. 47Porque esta é a ordem que o Senhor nos deu: ‘Eu te coloquei como luz para as nações, para que leves a salvação até os confins da terra’”.
48Os pagãos ficaram muito contentes, quando ouviram isso, e glorificaram a Palavra do Senhor. Todos os que eram destinados à vida eterna, abraçaram a fé. 49Desse modo, a palavra do Senhor espalhava-se por toda a região. 50Mas os judeus instigaram as mulheres ricas e religiosas, assim como os homens influentes da cidade, provocaram uma perseguição contra Paulo e Barnabé e expulsaram-nos do seu território.
51Então os apóstolos sacudiram contra eles a poeira dos pés, e foram para a cidade de Icônio.52Os discípulos, porém, ficaram cheios de alegria e do Espírito Santo.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Responsório (Sl 97)
4ª Semana da Páscoa – Sábado 17/05/2014

— Os confins do mundo contemplaram a salvação do nosso Deus.
— Os confins do mundo contemplaram a salvação do nosso Deus.

— Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios! Sua mão e o seu braço forte e santo alcançaram-lhe a vitória.
— O Senhor fez conhecer a salvação, e às nações, sua justiça; recordou o seu amor sempre fiel pela casa de Israel.
— Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus. Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, alegrai-vos e exultai!

 

Evangelho (Jo 14,7-14)
4ª Semana da Páscoa – Sábado 17/05/2014


O que pedirdes em meu nome, eu o farei!


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 7“Se vós me conhecêsseis, conheceríeis também o meu Pai. E desde agora o conheceis e o vistes”. 8Disse Filipe: “Senhor, mostra-nos o Pai, isso nos basta!”
9Jesus respondeu: “Há tanto tempo estou convosco, e não me conheces Filipe? Quem me viu, viu o Pai. Como é que tu dizes: ‘Mostra-nos o Pai”? 10Não acreditas que eu estou no Pai e o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo, mas é o Pai que, permanecendo em mim, realiza as suas obras.
11Acreditai-me: eu estou no Pai e o Pai está em mim. Acreditai, ao menos, por causa destas mesmas obras. 12Em verdade, em verdade vos digo, quem acredita em mim fará as obras que eu faço, e fará ainda maiores do que estas. Pois eu vou para o Pai, 13e o que pedirdes em meu nome, eu o realizarei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. 14Se pedirdes algo em meu nome, eu o realizarei.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.


Oração para depois de ler a Bíblia


Dou-Te graças, meu Deus, pelos bons propósitos, afetos e inspirações queme comunicastes nesta meditação; peço-Te ajuda para colocá-los  em prática. Minha Mãe Imaculada, meuprotetor São José e Anjo da minha guarda, intercedeis todos por mim. Amém