quinta-feira, 4 de abril de 2013

Papa pede solidariedade com as vítimas das inundações na Argentina


Vaticano, 04 Abr. 13 / 03:38 pm (ACI/EWTN Noticias).- O Papa Francisco expressou sua proximidade aos afetados pelas inundações em La Plata e alguns bairros de Buenos Aires (Argentina), e pediu que as instituições civis e eclesiais prestem sua solidariedade com os afetados.
Em uma mensagem enviada ao Arcebispo de Buenos Aires, Dom Mario Poli, o Papa assinalou estar "profundamente triste com a notícia dos graves danos produzidos pelas chuvas torrenciais dos últimos dias" e "oferece votos ao Senhor pelo eterno descanso dos falecidos, ao mesmo tempo que deseja expressar sua paternal proximidade espiritual a todos os afetados e seus familiares".
O texto, assinado pelo Secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Tarcisio Bertone, expressa que "o Santo Padre alenta as instituições civis e eclesiásticas, assim como as pessoas de boa vontade, a prestar com caridade e espírito de solidariedade cristã a necessária ajuda a quantos perderam seus lares ou seus bens pessoais".
Com estes sentimentos, o Papa Francisco "concede aos afetados e às pessoas que estão ajudando no socorro a sua confortadora bênção apostólica, como sinal de proximidade ao querido povo argentino", finaliza a mensagem.
Segundo as últimas informações, como resultado das chuvas, 60 mil lares permanecem sem luz em La Prata e em alguns bairros de Buenos Aires. Do mesmo modo, há 54 mortos e 20 desaparecidos. O Governo da Cristina Fernández Kirchner decretou nesta quarta-feira três dias de luto nacional.

Também:

Vaticano »

Feira Vocacional da JMJ Rio 2013 será na Quinta da Boa Vista e traz novidades

A Quinta da Boa Vista, no bairro de São Cristóvão, lugar conhecido pela sua beleza natural será o local da Feira Vocacional da JMJ Rio 2013, afirmaram autoridades do Comitê Organizador Local do evento. O novo local também terá a vantagem de sua centralidade e acesso ao transporte público.

Mundo »

Messi e Barcelona F. C. convidam o Papa Francisco para ver uma partida no Camp Nou

Os jogadores de futebol Lionel Messi, Javier Mascherano e o presidente do FC Barcelona, Sandro Rosell, enviaram uma carta ao Papa Francisco para convidá-lo a assistir um jogo de futebol do camarote do estádio Camp Nou de Barcelona.


Vaticano »

Bento XVI agradece pelas mensagens de afeto chegadas de todo o mundo

O Bispo Emérito de Roma Bento XVI "aprecia vivamente" a grande quantidade de mensagens de afeto e proximidade de pessoas de diversas partes do mundo que HazteOir.org recolheu e entregou para ele, conforme se lê em uma carta da Secretaria de Estado assinada pelo substituto, Dom Angelo Becciu.

Novena da misericórdia - Oitavo dia


"Em cada dia da novena, conduzirás ao Meu coração um grupo diferente de almas, e as mergulharás no oceano da minha Misericórdia. Eu conduzirei todas as almas à casa do meu Pai... Por minha parte, nada negarei a nenhuma daquelas almas que tu conduzirás à fonte da minha Misericórdia. Cada dia pedirás a meu Pai, pela minha amarga Paixão, graças para essas almas."A Novena é rezada junto com o Terço da Divina misericórdia.

Oitavo dia
Hoje traze-Me as almas que se encontram na prisão do Purgatório e mergulha-as no abismo da minha Misericórdia; que as torrentes do meu Sangue refresquem o seu ardor. Todas estas almas são muito amadas por Mim, pagam as dívidas à minha Justiça. Está em teu alcance trazer-lhes alívio. Tira do tesouro da minha Igreja todas as indulgências e oferece-as por elas. Oh, se conhecesses o seu tormento, incessantemente oferecerias por elas a esmolas do espírito e pagarias as suas dívidas à minha Justiça.
Misericordiosíssimo Jesus, que dissestes que quereis misericórdia, eis que estou trazendo à mansão do vosso compassivo Coração as almas do Purgatório, almas que Vos são muito queridas e que no entanto devem dar reparação à vossa Justiça; que as torrentes de Sangue e Água que brotaram do vosso Coração apaguem as chamas do fogo do Purgatório, para que também ali seja glorificado o poder da vossa Misericórdia.
Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas que sofrem no Purgatório e que estão encerradas no Coração compassivo de Jesus. Suplico-Vos que, pela dolorosa Paixão de Jesus, vosso Filho, e por toda a amargura de que estava inundada a sua Alma santíssima, mostreis vossa Misericórdia às almas que se encontram sob o olhar da vossa Justiça; não olheis para elas de outra forma senão através das Chagas de Jesus, vosso Filho muito amado, porque nós cremos que a vossa bondade e Misericórdia são incomensuráveis. Amém.

Terço da misericórdia

Pai-Nosso...
Ave-Maria...
Creio...
Nas contas do Pai-Nosso, reza-se:
Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e Sangue, Alma e Divindade de Vosso diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e do mundo inteiro.
Nas contas das Ave-Marias, reza-se:
Pela Sua dolorosa Paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro. (10 vezes)
Ao final do terço, reza-se:
Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro.(3 vezes)

Dia da semana: Sexta-feira - Dedicado a: Paixão de Cristo - Sagrado Coração de Jesus

MEDITE A VIA-SACRA






JACULATÓRIAS AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

Com indulgências parciais


1. Doce Coração de meu Jesus, fazei que eu vos ame cada vez mais.

2. Doce Coração de meu Jesus, sede meus amor.

3. Coração de Jesus, abrasado de amor por nós, inflamai nosso coração de amor por vós.

4. Jesus manso e humilde de Coração, fazei o meu coração semelhante ao vosso.

5. Por toda a parte seja amado o Sagrado Coração de Jesus.

Terço do Espírito Santo

Terço da Fé

Terço de Cura e Libertação - VÍDEO

TERÇO DA DIVINA PROVIDÊNCIA

TERÇO DA MISERICÓRDIA - VÍDEOS






JESUS, EU CONFIO EM VÓS!!!

Oração do Angelus - Padre Antonello - VÍDEO

LITURGIA DAS HORAS

Clique no ícone abaixo
para acesso à Hora Canônica

Oração desta Hora

Terço - Mistérios Dolorosos - Terça-feira e Sexta-Feira.


Terço do Rosário: Mistérios Dolorosos


Santa Juliana de Cornillon - 05 de abril

Santa Juliana de Cornillon - Virgem



Comemoração litúrgica 05 de abril.

Também nesta dataS. Vicente Ferrer, S. Zeno e Santa Catarina Tomás

Santa Juliana nasceu no ano de  1193, numa aldeia denominada Retinne,  situada próxima à cidade de Liége, na Bélgica.   Conviveu pouco tempo com os pais, pois  ficou órfã com apenas  cinco anos de idade. Em decorrência disso,  Juliana e sua irmã Agnes, foram confiadas aos cuidados das irmãs agostinianas em Monte Cornillon, onde receberam  esmerada educação e viveram piedosamente.  Quando completou 14 anos de Idade, ingressou definitivamente na  comunidade  das irmãs agostinianas.

Bem-aventurado Mariano de La Mata Aparício - 05 de Abril

Mariano de La Mata Aparício
Bem-aventurado
1905-1983
Padre Mariano de la Mata Aparício nasceu em 31 de dezembro de de 1905 em Palência, norte da Espanha, de uma família profundamente cristã. Como seus três irmãos tinham ingressado na Ordem Agostiniana, ele também sentiu-se atraído para essa mesma vida sacerdotal.

Santa Irene - 05 de Abril

Santa Irene
+304
No século IV, época do imperador romano Diocleciano, considerado o mais sanguinário perseguidor dos cristãos, era proibido que as pessoas portassem ou guardassem escritos que pregassem o cristianismo. Todos os livros deviam ser entregues às autoridades para serem queimados. Irene, ainda jovem, junto com suas irmãs Ágape e Quilônia, pertenciam à uma família pagã da Tessalônica, Grécia, mas se converteram e possuíam vários livros da Sagrada Escritura, pois passaram a pregar o cristianismo.

Santa Maria Crescencia Hoss - 05 de Abril

Santa Maria Crescencia Hoss
1682-1744
Maria Crescencia Hoss nasceu numa família numerosa de humildes tecelões na cidade de Kaufbeuren, na Alemanha, no dia 20 de outubro de 1682. Seus pais eram católicos praticantes, mas não tinham condições de atender o desejo da filha, que era o de ingressar no mosteiro da Ordem Terceira das Franciscanas daquela cidade. Entretanto a ajuda financeira veio do prefeito protestante, sensível à vocação religiosa de Crescencia. Admitida pelas franciscanas em 1703, um ano depois recebia o hábito definitivo da Ordem Terceira.

São Vicente Ferrer - 5 de Abril




Nascido na Espanha em 1350, viveu em tempos difíceis pois, por influência política, havia um cisma na Igreja do Ocidente: por Cardeais foi declarada inválida a eleição de Urbano VI como Papa, e foi escolhido Roberto de Genebra que tomou o nome de Clemente VII. As coroas ibéricas procuraram manter-se neutras entre os dois Papas, mas o de Avinhão esforçou-se por conquistar a obediência delas e mandou como seu legado o Cardeal Pedro de Luna. Este procurou o apoio de Vicente, que lho deu em boa fé e escreveu um tratado sobre o cisma.

HOMÍLIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 05/04/2013

5 de Abril de 2013

Ano C

 

João 21,1-14

Comentário do Evangelho


É o Senhor!

O capítulo 21 é considerado uma inserção tardia. Levando-o em consideração, é a quarta aparição do Senhor ressuscitado dos mortos aos discípulos (Jo 20,11-18.19-25.26-27). Também aqui, é-nos sugerido que a presença do Ressuscitado é algo diferente de uma presença física, por isso não é evidente (cf. Vê-lo não é uma questão de enxergar bem, mas de fé. O homem de fé, o “discípulo que Jesus mais amava”, é quem poderá dizer: “É o Senhor!”

Vivendo a Palavra
Se o desânimo toma conta de nós, não desistamos. Lancemos mais uma vez a rede – agora, do outro lado e não mais confiados na nossa competência, mas na Palavra e no mandato do Senhor. E o nosso trabalho, em nome de Jesus, renderá muitos frutos para serem partilhados entre os irmãos.

Reflexão


Diante das dificuldades, muitas vezes temos a tendência de enfraquecer, de voltar à vida de antes, parece que perdemos o rumo e a motivação. Pedro e os demais discípulos desanimaram e quiseram voltar à vida de pescadores de peixes, como muitas vezes queremos voltar à vida da imaturidade na fé. Jesus realiza mais uma vez o milagre da pesca milagrosa, para que os apóstolos se recordem que não são pescadores de peixes. Assim também, ele atua em nossas vidas, para que o Mistério Pascal não seja apenas celebração, mas processo de maturação, a fim de que possamos crescer cada vez mais na fé, e um dia atingir a estatura de Cristo.

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO


1. Anunciando a Boa Nova
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Claro que a propaganda é a alma do negócio, o pessoal da área de marketing defende essa idéia de com unhas e dentes e não estão errados. Mas há também uma propaganda eficiente e que dizem ser tiro e queda, é aquela passada de boca em boca "Não comprei tal produto porque vi na TV, mas porque meu vizinho comprou e disse que é bom".

Jesus poderia fazer um grande estardalhaço em sua volta, aparecer no Palácio dos poderosos, aparecer no meio do Conselho do Sinédrio, para desafiá-los e convocar uma mega concentração em Jerusalém pára comunicar oficialmente que ele estava Vivo e que agora iria dar as cartas, humilhando os que conspiraram contra ele e tramaram sua morte. Os marqueteiros de plantão até lamentam "Ah se eu estivesse lá para preparar a volta de Jesus em grande estilo!"

Não que Jesus e seu evangelho não precisem de divulgação, precisa sim, mas o cristianismo não pode ser feito de "oba-oba". Por isso Jesus descarta sua volta em uma Glória Messiânica, como os Judeus esperavam, e prefere a comunicação boca a boca, apareceu primeiro a Maria Madalena, diz o evangelho, que já tinha experimentado á sua Força Libertadora, esta mulher vai correndo anunciar aos irmãos da comunidade, que ainda estavam guardando o luto e chorando de tristeza, marcados pela aflição, mas eles não acreditaram no anúncio e no testemunho da mulher, talvez porque não podiam admitir a idéia de que Jesus não viesse direto a eles, mas primeiro aparecesse a uma mulher era inconcebível.

Mais tarde Jesus apareceu a dois discípulos que iam para Emaús e estes foram anunciá-lo aos demais, mas quem diz que os discípulos acreditaram... Talvez estivessem excessivamente preocupados sobre que rumo iriam tomar, o que deveriam fazer, Jesus lhes havia dito apenas para propagarem o evangelho e batizar as pessoas, nada mais. Madalena e os dois discípulos, que haviam feito essa experiência estavam fazendo exatamente o que o Mestre havia mandado. Talvez estivessem fazendo alguma reunião de planejamento pastoral, as vezes fazemos uma reunião, para preparar outra reunião...

Os discípulos, tanto como os agentes pastorais de nossos tempos, queriam FAZER. Então durante uma refeição quando estavam é mesa Jesus apareceu aos onze e deu uma "dura" por não terem acreditado no anúncio e no Testemunho que haviam presenciado. E para que não houvessem mais dúvidas sobre a missão primária da Igreja, repetiu-lhes o que já lhes havia falado "Ide por todo mundo e pregai o evangelho a toda criatura".

Que a Igreja precisa ter uma organização em sua estrutura e nos trabalhos pastorais, isso não resta a menor dúvida, mas não podemos nos acomodar e deixar que tantos trabalhos e compromissos, acabem sendo mais importantes do que o anúncio e o testemunho pessoal, senão estaremos priorizando o que não é essencial, e o pior, os nossos trabalhos pastorais, tantos encontros e reuniões não passarão de um grande "oba-oba", que não terá nenhuma serventia... Muita propaganda sobre o que fazemos, quem somos na comunidade, a importância daquilo que fazemos. Quando a Jesus e seu evangelho, quando dá tempo a gente se lembra e até fala um pouco dele. "E com licença que agora tenho uma reunião importante...

2. É o Senhor!
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Carlos Alberto Contieri, sj - e disponibilizado no Portal Paulinas)
VIDE ACIMA
ORAÇÃO
Pai, que a presença do Ressuscitado reforce a comunhão com meus irmãos e minhas irmãs de fé, a fim de podermos atrair para ele muitas outras pessoas de boa vontade.

3. COMEÇAR DE NOVO
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total a cada mês).

A aparição do Ressuscitado junto ao mar de Tiberíades evoca o primeiro encontro dos discípulos com Jesus, quando foram chamados a deixar tudo para se tornarem pescadores de homens. É como se tudo começasse de novo, e fossem chamados a retomar o caminho de serviço ao Reino, abandonado após a decepção diante da morte de Jesus na cruz.

O Evangelho apresenta-nos a profissão de alguns dos discípulos do Mestre: pescadores. Depois de uma noite de trabalho infrutífero, o Senhor apareceu-lhes para mostrar-lhes como se pesca de maneira proveitosa. E esta pesca foi deveras abundante! Mas a última, naquele lago, dando início aos tempos novos.

Depois de ter ceado com o Ressuscitado, a vida dos discípulos tomaria um rumo diferente. Doravante, deveriam lançar-se à missão de enviados do Senhor, pelos caminhos do mundo. Sua condição de apóstolos estava para se concretizar.

A novidade da experiência consistia em não mais contar com a presença física do Mestre. Ele se faria presente, na condição de Ressuscitado, onde quer que estivessem os seus apóstolos, animando-os na missão.

A rede superlotada de peixes simbolizava a humanidade toda à qual eles deveriam apresentar a proposta do Reino. No mar do mundo, muitos seriam os atraídos pela mensagem de Jesus.
Oração
Espírito de renovação, faze-me, cada dia de minha vida, retomar o serviço ao Reino a que sou chamado.

A rede de Jesus não se rompe jamais


Postado por: homilia

abril 5th, 2013

Temos uma nova aparição de Jesus Ressuscitado. Desta vez, à beira do mar de Genesaré, na Galileia. Mas o evangelista chama a este local com seu nome romano: Tiberíades, talvez para indicar que a missão deve se estender a todos os povos pagãos e não somente à Galileia.
João nos apresenta o firme propósito dos discípulos em ir pescar. Na hora em que Jesus aparece, eles estavam lançando as redes. O que poderia parecer o retorno às suas atividades normais – “humanamente” falando – já que passava a impressão do fracasso do ministério do Mestre.  Mas, com a presença do “Pescador por excelência”, faz com que eles retomem a missão deixada por eles.
A narrativa é semelhante a da pesca milagrosa, no Evangelho de Lucas, quando Jesus chama os primeiros discípulos. A pesca é símbolo da missão. A presença e a palavra de Jesus são necessárias para o seu sucesso, e a comunidade missionária se une em torno da refeição eucarística partilhada com Jesus.
Um fato muito importante a se ter em conta é o da rede que não se rompeu. Ela representa a túnica de Jesus que não foi rompida (Jo 19,23-24), a rede de Jesus não se rompe. Quero lhe dizer, meu irmão, que quem vai à pesca com Jesus tem um Guia, uma rede segura que não se rompe jamais! Venha o que vier e de onde. Ela está firme para sempre.
Eu e você precisamos ser esta rede que não se divide e nem divide, mas onde todos caibam. Ele mesmo rezou por esta unidade necessária (Jo 17).
Padre Bantu Mendonça
LEITURA ORANTE

Jo 21,1-14 - Jesus está vivo!



Preparo-me para a Leitura Orante:
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Creio, Senhor Jesus, que sou parte de seu Corpo.
Trindade Santíssima
- Pai, Filho, Espírito Santo -
presente e agindo na Igreja e na profundidade do meu ser.
Eu vos adoro, amo e agradeço.


1. Leitura (Verdade)
O que a Palavra diz?
Fixo o meu olhar em Deus, através da Palavra.
Faço a leitura lenta e atenta do texto da Palavra do dia, na Bíblia: Jo 21,1-14.
Depois disso, Jesus apareceu outra vez aos seus discípulos, na beira do lago da Galileia. Foi assim que aconteceu: 

Estavam juntos Simão Pedro e Tomé, chamado "o Gêmeo"; Natanael, que era de Caná da Galiléia; os filhos de Zebedeu e mais dois discípulos. Simão Pedro disse aos outros: 
- Eu vou pescar. 
- Nós também vamos pescar com você! - disseram eles. 
Então foram todos e subiram no barco, mas naquela noite não pescaram nada. De manhã, quando começava a clarear, Jesus estava na praia. Porém eles não sabiam que era ele. Então Jesus perguntou: 
- Moços, vocês pescaram alguma coisa? 
- Nada! - responderam eles. 
- Joguem a rede do lado direito do barco, que vocês acharão peixe! - disse Jesus. 
Eles jogaram a rede e logo depois já não conseguiam puxá-la para dentro do barco, por causa da grande quantidade de peixes que havia nela. Aí o discípulo que Jesus amava disse a Pedro: 
- É o Senhor Jesus! 
Quando Simão Pedro ouviu dizer que era o Senhor, vestiu a capa, pois havia tirado a roupa, e se jogou na água. Os outros discípulos foram no barco, puxando a rede com os peixes, pois estavam somente a uns cem metros da praia. Quando saíram do barco, viram ali uma pequena fogueira, com alguns peixes em cima das brasas. E também havia pão. Então Jesus disse: 
- Tragam alguns desses peixes que vocês acabaram de pescar. 
Aí Simão Pedro subiu no barco e arrastou a rede para a terra. Ela estava cheia, com cento e cinqüenta e três peixes grandes, e mesmo assim não se rebentou. Jesus disse: 
- Venham comer! 
Nenhum deles tinha coragem de perguntar quem ele era, pois sabiam que era o Senhor. Então Jesus veio, pegou o pão e deu a eles. E fez a mesma coisa com os peixes. 
Foi esta a terceira vez que Jesus, depois de ter sido ressuscitado, apareceu aos seus discípulos.
É a terceira vez que Jesus ressuscitado aparece aos discípulos. O Mestre diz aos seis discípulos que estavam juntos, que jogassem a rede do lado direito do barco. Eles haviam passado a noite toda sem nada pescar. Eles tentaram e fizeram como Jesus lhes disse. Foi grande a quantidade de peixes que pescaram. Quem percebeu que era Jesus que lhes dera a ordem foi João: “É o Senhor!” disse ele a Pedro. Chegando à margem, os discípulos encontraram uma pequena fogueira e alguns peixes em cima da brasa. E Jesus lhes faz o convite para virem comer. Deu-lhes peixes e pão. Ele está vivo! Ele aparece na praia, entrando no quotidiano dos apóstolos: estavam trabalhando. Começava a clarear. À noite não pescaram nada. Quando Jesus chega, “começa a clarear”. Quer dizer, as coisas melhoram e melhoram muito: a pesca foi grande – 153 peixes grandes! Sem Jesus não podemos muito ou nada. Com ele, tudo! Inclusive, Jesus os convida para comer. Ele quer ser alimento, providência na vida deles.


2. Meditação (Caminho) 
O que a Palavra diz para mim
Sob a luz da verdade – Jesus está vivo! – e participa do nosso quotidiano, de nossas dificuldades e conquistas, medito a Palavra, ligando-a à minha vida. Jesus também alimenta e multiplica infinitamente o nosso nada, nossa “pescaria” às vezes sem resultados. 
E nós, como vivemos tudo isto? 
Temos fé? Percebemos logo a ação de Deus? 
Vejamos o que nos dizem os bispos, em Aparecida: “O Espírito Santo, com o qual o Pai nos presenteia, identifica-nos com Jesus-Caminho, abrindo-nos a seu mistério de salvação para que sejamos seus filhos e irmãos uns dos outros; identifica-nos com Jesus-Verdade, ensinando-nos a renunciar a nossas mentiras e ambições pessoais, e nos identifica com Jesus-Vida, permitindo-nos abraçar seu plano de amor e nos entregar para que outros “tenham vida n’Ele” (DAp 137).


3. Oração (Vida)
O que a Palavra me leva a dizer a Deus?
Meu coração já está em sintonia com o coração de Jesus.
Vivo este momento em silêncio, agradecendo a Jesus Vida que sempre me alimenta e multiplica minha “pescaria”. E rezo:
Creio, Senhor, mas aumenta a minha fé


4. Contemplação (Vida/Missão)
Vou passar o dia a olhar com mais fé cada acontecimento. Perceberei a ação de Jesus Ressuscitado em cada momento simples de meu dia.

Bênção

- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém. 
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém. 
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém. 
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Ir. Patrícia Silva, fsp
Oração Final
Pai Santo, dá-nos discernimento e coragem para viver de tal maneira que a simples presença no mundo anuncie a nossa fé em Jesus de Nazaré. Nele, humano como qualquer um de nós, Tu fizeste encarnar o teu Filho Unigênito, o Messias prometido. Pelo mesmo Cristo Jesus, que contigo reina na unidade do Espírito Santo.

LITURGIA DIÁRIA - 05/04/2013




Tema do Dia

Oitava da Páscoa: «Nós também vamos pescar.»

A suposição de que matando o Pastor o rebanho se dispersaria não se confirma. Os Apóstolos, plenos do Espírito Santo, iniciam a atividade da Igreja, dando continuidade à missão do Mestre: curar e libertar, como anúncio da chegada do Reino de Deus.

Oração para antes de ler a Bíblia


Meu Senhor e meu Pai! Envia teu Santo Espírito para que eu compreenda 

e acolha tua Santa Palavra! Que eu te conheça e te faça conhecer, te ame

 e te faça amar, te sirva e te faça servir, te louve e te faça louvar por

 todas as criaturas. Fazei, ó Pai, que pela leitura da Palavra os pecadores

se convertam, os justos perseverem na graça e todos consigamos 

a vida eterna. Amém.


Branco. 6ª-feira na Oitava da Páscoa


Primeira leitura (Atos dos Apóstolos 4,1-12)
Sexta-Feira, 5 de Abril de 2013 
Oitava da Páscoa


Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, depois que o paralítico fora curado, 1Pedro e João ainda estavam falando ao povo, quando chegaram os sacerdotes, o chefe da guarda do Templo e os saduceus.2Estavam irritados porque os apóstolos ensinavam o povo e anunciavam a ressurreição dos mortos na pessoa de Jesus.
3Eles prenderam Pedro e João e os colocaram na prisão até o dia seguinte, porque já estava anoitecendo. 4Todavia, muitos daqueles que tinham ouvido a pregação acreditaram. E o número dos homens chegou a uns cinco mil.
5No dia seguinte, reuniram-se em Jerusalém os chefes, os an­ciãos e os mestres da Lei.6Estavam presentes o sumo Sacerdote Anás, e também Caifás, João, Alexandre, e todos os que pertenciam às famílias dos sumos sacerdotes. 7Fizeram Pedro e João comparecer diante deles e os interrogavam: “Com que poder ou em nome de quem vós fizestes isso?”
8Então, Pedro, cheio do Espírito Santo, disse-lhes: “Chefes do povo e anciãos: 9hoje estamos sendo interrogados por termos feito o bem a um enfermo e pelo modo como foi curado. 10Ficai, pois, sabendo todos vós e todo o povo de Israel: é pelo nome de Jesus Cristo, de Nazaré, aquele que vós crucificastes e que Deus ressuscitou dos mortos — que este homem está curado, diante de vós. 11Jesus é a pedra, que vós, os construtores, despre­zastes, e que se tornou a pedra angular.
12Em nenhum outro há salvação, pois não existe debaixo do céu outro nome dado aos homens pelo qual possamos ser salvos”.

- Palavra do Senhor. 
- Graças a Deus.

 

Salmo (Salmos 117,1-27a)
Sexta-Feira, 5 de Abril de 2013 
Oitava da Páscoa


— A pedra que os pedreiros rejeitaram, tornou-se agora a pedra angular.
— A pedra que os pedreiros rejeitaram, tornou-se agora a pedra angular.

— Dai graças ao Senhor, porque ele é bom! “Eterna é a sua misericórdia!” A casa de Israel agora o diga: “Eterna é a sua misericórdia!” Os que temem o Senhor agora o digam: “Eterna é a sua misericórdia!”
— “A pedra que os pedreiros rejeitaram, tornou-se agora a pedra angular. Pelo Senhor é que foi feito tudo isso: Que maravilhas ele fez a nossos olhos! Este é o dia que o Senhor fez para nós, ale­gremo-nos e nele exultemos!
— Ó Senhor, dai-nos a vossa salvação, ó Senhor, dai-nos também prosperidade!” Bendito seja, em nome do Senhor, aquele que em seus átrios vai entrando! Desta casa do Senhor vos bendizemos. Que o Senhor e nosso Deus n
os ilumine!


Evangelho (João 21,1-14)
Sexta-Feira, 5 de Abril de 2013
Oitava da Páscoa


Lançai a rede...e achareis

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus apareceu de novo aos discípulos, à beira do mar de Tiberíades. A aparição foi assim: 2Estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo, Natanael de Caná da Galileia, os filhos de Zebedeu e outros discípulos de Jesus. 
3Simão Pedro disse a eles: “Eu vou pescar”. Eles disseram: “Também vamos contigo”. Saíram e entraram na barca, mas não pescaram nada naquela noite. 4Já tinha amanhecido, e Jesus estava de pé na margem. Mas os discípulos não sabiam que era Jesus. 5Então Jesus disse: “Moços, tendes alguma coisa para comer?” Responderam: “Não”. 
6Jesus disse-lhes: “Lançai a rede à direita da barca, e acha­reis”. Lançaram pois a rede e não conseguiam puxá-la para fora, por causa da quantidade de peixes. 7Então, o discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: “É o Senhor!” Simão Pedro, ouvindo dizer que era o Senhor, vestiu uma roupa, pois estava nu, e atirou-se ao mar. 
8Os outros discípulos vieram com a barca, arrastando a rede com os peixes. Na verdade, não estavam longe da terra, mas somente a cerca de cem metros. 9Logo que pisaram a terra, viram brasas acesas, com peixe em cima, e pão. 10Jesus disse-lhes: “Trazei alguns dos peixes que apanhastes”.
11Então Simão Pedro subiu ao barco e arrastou a rede para a terra. Estava cheia de cento e cinqüenta e três grandes peixes; e, apesar de tantos peixes, a rede não se rompeu.12Jesus disse-lhes: “Vinde comer”. Nenhum dos discípulos se atrevia a perguntar quem era ele, pois sabiam que era o Senhor. 
13Jesus aproximou-se, tomou o pão e distribuiu-o por eles. E fez a mesma coisa com o peixe. 14Esta foi a terceira vez que Jesus, ressuscitado dos mortos, apareceu aos discípulos. 

- Palavra da Salvação. 
- Glória a vós, Senhor.


Oração para depois de ler a Bíblia


Dou-Te graças, meu Deus, pelos bons propósitos, afetos e inspirações
que me comunicastes nesta meditação; peço-Te ajuda para colocá-los  em prática.
Minha Mãe Imaculada, meu protetor São José e Anjo da minha guarda, intercedeis todos por mim. Amém.