sábado, 4 de setembro de 2021

BOM DIA! BOA TARDE! BOA NOITE! Oração da noite, Oração da manhã e Oração do entardecer - Deus te abençoe!



Oração da Noite

Boa noite Pai.
Termina o dia e a ti entrego meu cansaço.
Obrigado por tudo e… perdão!!
Obrigado pela esperança que hoje animou meus passos, pela alegria que vi no rosto das crianças;
Obrigado pelo exemplo que recebi daquele meu irmão;
Obrigado também por isso que me fez sofrer…
Obrigado porque naquele momento de desânimo lembrei que tu és meu Pai; Obrigado pela luz, pela noite, pela brisa, pela comida, pelo meu desejo de superação…
Obrigado, Pai, porque me deste uma Mãe!
Perdão, também, Senhor!
Perdão por meu rosto carrancudo; Perdão porque não me lembrei que não sou filho único, mas irmão de muitos; Perdão, Pai, pela falta de colaboração e serviço e porque não evitei aquela lágrima, aquele desgosto; Perdão por ter guardado para mim tua mensagem de amor;
Perdão por não ter sabido hoje entregar-me e dizer: “sim”, como Maria.
Perdão por aqueles que deviam pedir-te perdão e não se decidem.
Perdoa-me, Pai, e abençoa os meus propósitos para o dia de amanhã, que ao despertar, me invada novo entusiasmo; que o dia de amanhã seja um ininterrupto “sim” vivido conscientemente.
Amém!!!

Oração da manhã

Bom-dia, Senhor Deus e Pai!
A ti, a nossa gratidão pela vida que desperta, pelo calor que
cria vida, pela luz que abre nossos olhos.
Nós te agradecemos por tudo que forma nossa vida, pela terra, pela água, pelo ar, pelas pessoas. Inspira-nos com teu Espírito Santo os pensamentos que vamos alimentar,as palavras que vamos dizer, os gestos que vamos dirigir,a comunicação que vamos realizar.
Abençoa as pessoas que nós encontramos, os alimentos que vamos ingerir.
Abençoa os passos que nós dermos, o trabalho que devemos fazer.
Abençoa, Senhor, as decisões que vamos tomar, a esperança que vamos promover,a paz que vamos semear,a fé que vamos viver, o amor que vamos partilhar.
Ajuda-nos, Senhor, a não fugir diante das dificuldades, mas a abraçar amor as pequenas cruzes deste dia.
Queremos estar contigo, Senhor, no início, durante e no fim deste dia.
Amém.

Oração do entardecer

Ó Deus!
Cai à tarde, a noite se aproxima.
Há neste instante, um chamado à elevação, à paz, à reflexão.
O dia passa e carregam os meus cuidados.
Quem fez, fez.
Também a minha existência material é um dia que se passa,
uma plantação que se faz, um caminho para algo superior.
Como fizeste a manhã, à tarde e a noite, com seus encantos,
fizeste também a mim, com os meus significados, meus resultados.
Aproxima de mim, Pai, a Tua paz para que usufrua desta
hora e tome seguras decisões para amanhã.
Que se ponha o sol no horizonte, mas que nasça
em mim o sol da renovação e da paz para sempre.
Obrigado, Deus, muito obrigado!
Amém!

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 04/09/2021

ANO B


Lc 6,1-5

Comentário do Evangelho

O poder de dar e proteger a vida.

Uma vez mais o descanso sabático está no centro da controvérsia. Os fariseus, pelos dados que o Novo Testamento nos oferece, se tornaram legalistas: trata-se, pura e simplesmente, de cumprir um a um os preceitos da Lei. É bastante provável que o sentido da Lei tenha ficado esquecido, como ficou esquecido o amor de Deus que permanece velado atrás da letra da Lei. A pergunta de alguns dentre os fariseus é esta: “Por que fazeis o que não é permitido em dia de sábado?” (v. 2).
Segundo Jesus, no dia de sábado é exigido fazer o bem e salvar a vida (vv. 8-9). Jesus responde recorrendo a um episódio de Davi (1Sm 21,1-10). O que justificou a atitude de Davi foi a fome e a necessidade de manterem a vida em boas condições (cf. Lc 6,3-4). O exemplo de Davi ilustra a argumentação de Jesus contra os fariseus e em favor dos discípulos. “O Filho do Homem é Senhor também do sábado” (v. 5), isto é, o sábado, dia de se lembrar da misericórdia de Deus, é tempo privilegiado da manifestação do seu poder, poder de dar e proteger a vida, poder de libertar da escravidão do mal.
Carlos Alberto Contieri, sj
Fonte: Paulinas em 07/09/2013

Vivendo a Palavra

É suave o jugo e leve o peso do fardo que Jesus entregava aos seus discípulos. Assim também deve ser a vida proposta pela Igreja aos seus fieis: ultrapassar a letra morta das prescrições, amando os irmãos que estão ao nosso lado e cuidando da natureza que nos foi emprestada pelo Criador e Nosso Pai.
Fonte: Arquidiocese BH em 07/09/2013

Reflexão

É muito fácil a gente ver o que as pessoas estão fazendo e, a partir da aparência dos seus atos e de princípios previamente estabelecidos, emitir os nossos juízos e opiniões. O Evangelho de hoje mostra para nós os erros que podemos incorrer com este tipo de comportamento. Podemos fazer com que Deus se torne o grande opressor da humanidade, porque é um grande ditador e está à espera para punir a todos os que lhe desobedecem e não um Pai amoroso e podemos também deixar de olhar a realidade das pessoas e as suas motivações, que podem modificar profundamente a nossa opinião a respeito delas.
Fonte: CNBB e07/09/2013

Reflexão

Os discípulos de Jesus colhem espigas e as comem. Interpretando o fato de debulhar espigas como colheita e, portanto, como violação ao repouso sabático, os fariseus recriminam a atitude dos discípulos. Apoiado em passagem da Escritura e citando o respeitado nome de Davi, Jesus enuncia um princípio decisivo: em caso de necessidade, a manutenção da vida tem precedência sobre o respeito às proibições religiosas. Sem alimentar-se não há ser humano, o qual é maior do que qualquer prescrição, pois “o sábado foi feito para o homem” (Mc 2,27). Ao dizer “o Filho do Homem é senhor do sábado”, Jesus nos ensina que as instituições, estruturas, leis e costumes devem estar a serviço do homem: podem ser abolidos e cair para segundo plano em qualquer circunstância em que uma necessidade urgente o exigir.
(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)
Fonte: Paulus em 07/09/2019

Reflexão

Os discípulos de Jesus colhem espigas e as comem. Interpretando o fato de debulhar espigas como colheita e, portanto, como violação ao repouso sabático, os fariseus recriminam a atitude dos discípulos. Apoiado em passagem da Escritura e citando o respeitado nome de Davi, Jesus enuncia um princípio decisivo: em caso de necessidade, a manutenção da vida tem precedência sobre o respeito às proibições religiosas. Sem alimentar-se não há ser humano, que é maior do que qualquer prescrição, pois “o sábado foi feito por causa do homem” (Mc 2,27). Ao dizer que “o Filho do Homem é senhor do sábado”, Jesus nos ensina que as instituições, estruturas, leis e costumes devem estar a serviço do homem: podem ser abolidos e cair para segundo plano em qualquer circunstância em que uma necessidade urgente o exigir.
Oração
Ó Jesus, Filho do Homem, os fariseus fazem tempestade num copo d’água: acusam teus discípulos como se tivessem cometido grave escândalo. Apenas debulhavam espigas para matar a fome, em dia de sábado. Citando as Escrituras, argumentas que as Leis foram criadas para favorecer a vida humana. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2021 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp e Pe. Nilo Luza, ssp)

Meditando o evangelho

AGIR COM SABEDORIA

Os fariseus estavam atentos ao comportamento dos discípulos de Jesus.
Quando notavam neles qualquer atitude que pudesse conotar desrespeito às tradições religiosas, apressavam-se em censurar-lhes. O alvo das censuras, no entanto, era Jesus.
O fato de os discípulos atravessarem um trigal, em dia de sábado, e apanharem espigas para comer parecia-lhes uma clara infração do preceito do repouso sabático. Este gesto tão simples pareceu-lhes ser contrário à tradição.
Jesus, porém, rebateu a advertência dos fariseus com dois argumentos. Em primeiro lugar, apresentou o caso de Davi, rei tido como piedoso e que não hesitou em comer os pães sagrados, num momento em que teve fome. E ninguém o condenou, embora isso não lhe fosse permitido. Em segundo lugar, Jesus era senhor também do sábado. Por conseguinte, tinha autoridade suficiente para permitir a seus discípulos fazer o que era proibido em dia de sábado. Evidentemente, o Mestre não agia assim por leviandade.
Nem tampouco com o puro intuito de chocar os "piedosos" fariseus. Jesus se diferenciava dos fariseus pelo fato, também, de se recusar a absolutizar as tradições religiosas. O respeito a essas tradições, para Jesus, só tinha sentido quando fosse para o bem das pessoas.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Senhor Jesus, livra-me do apego às práticas religiosas, até o ponto de absolutizá-las, deixando-me desumanizar por elas.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

1. O que não é permitido?
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

Os discípulos de Jesus não jejuavam e não observavam o sábado. Certamente jejuavam, mas na hora em que deviam jejuar. Quanto ao repouso sabático, eles o observavam como deve ser observado. Era um dia de sábado e eles estavam com fome. Passando por uma plantação de trigo, colheram algumas espigas, debulharam os grãos e comeram. Foram criticados por terem feito o que não era permitido em dia de sábado. No dia de sábado não é permitido dar de comer a quem tem fome? Jesus responde com o exemplo do rei Davi, que comeu os pães das oferendas do Tabernáculo. São Lucas conclui dizendo simplesmente que “o Filho do Homem é senhor até do sábado”, dando a entender que ele tinha autoridade para permitir exceções na observância do repouso sabático, ao menos para alguém que está com fome. São Mateus dirá que Jesus é maior do que o Templo e no Templo o trabalho da preparação dos sacrifícios não permitia o repouso sabático. São Marcos, por sua vez, diz que o sábado foi feito para o homem e não o homem para o sábado. Assim se conclui que qualquer ser humano está acima do sábado, porque verdadeiramente sagrado aos olhos de Deus é o ser humano, que ele criou à sua imagem e semelhança, para quem também criou o repouso sabático.
Fonte: NPD Brasil em 07/09/2019

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

1. Nada neste mundo é mais Sagrado do que o Dom da Vida
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Alimentar-se quanto se está com fome é uma das necessidades básicas e essenciais de qualquer ser humano e por isso, “passar fome” é uma expressão que nem deveria fazer parte do nosso vocabulário pois é um pecado contra a vida. A falta de alimentação traz a desnutrição e consequentemente á morte, se a pessoa não se alimentar.
Jesus era um pregador itinerante e seus discípulos o acompanhavam, ás vezes aparecia as almas generosas que lhe ofereciam um lanche ou uma refeição mais caprichada, mas naquele dia de sábado, em que o Judeu guardava o preceito sabático, não tiveram essa acolhida pois as pessoas preparavam as refeições na véspera e não podiam prever que no sábado aparecia os doze e mais o Mestre para uma refeição extra. Não se sabe de que distância vinham eles caminhando, mas o texto mostra que a “fome” bateu e a turma nem quis saber de quem era aquela roça de milho, foram apanhando as espigas, ali mesmo, debulhando-as e “mandando para dentro”, certamente Jesus também comeu algumas pois tinha fome como qualquer outro e sabia que “Saco vazio não para em pé”.
Foi quando de repente apareceram os chatos dos Fariseus para acabar com a alegria do grupo, e já vieram de dedo em riste, para fazer a acusação. E como sempre sobrou para o Mestre, a acusação de que seus discípulos não guardavam o sábado pois estavam acintosamente trabalhando (colhendo espigas de milho) pois o problema não era eles estarem se alimentando, mas sim de estarem trabalhando, o que era rigorosamente proibido em dia de sábado.
Jesus então usa de uma estratégia inteligente, Davi era um nome de peso para eles, uma pessoa de referência, fiel, zeloso das coisas do Deus da Aliança, enfim, alguém intocável. Jesus os lembra que Davi e seus companheiros tiveram fome em um combate, e ao entrarem no templo, comeram os pães da proposição (seria em nossos dias a Hóstia do Padre, que é intocável) a comparação é apenas no sentido, pois uma Hóstia não mata a fome física de ninguém. Mas no caso de Davi eram pães, e de bom tamanho, que ele comeu e deu a turma toda, nem precisando passar manteiga.
E diante da mudez dos tais Fariseus, que não sabiam o que responder, Jesus deu o golpe de misericórdia: “O Filho do Homem é Senhor também no Sábado”, ou seja, a Vida acima de qualquer norma ou lei, mesmo que seja religiosa. É bom pensarmos se em nossas comunidades, nas pastorais e movimentos, a gente muitas vezes não coloca normonas e norminhas, mil regrinhas, acima do bem e da Vida das pessoas. Qualquer Lei que não tenha no centro a defesa e a preservação da Vida, não é Cristã!

2. Por que fazeis o que não é permitido em dia de sábado? - Lc 6,1-5
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

Ouvimos a observação que acaba de ser feita a Jesus de que os discípulos de João e os dos fariseus jejuavam enquanto os discípulos de Jesus comiam e bebiam. E logo os encontramos, não só comendo, mas comendo de forma pecaminosa. Alguém pensará que cometiam o pecado da gula, comendo demais. Não, pobrezinhos. Era uma refeição muito modesta. Passando por um trigal, arrancavam espigas, debulhavam e comiam. Onde, então, está o pecado? O pecado está em que faziam isso no dia errado. Está escrito no Êxodo que “todo aquele que trabalhar no dia de sábado será punido de morte”. Era sábado. Por que faziam o que não era permitido? Jesus responde dizendo que Davi e seus companheiros comeram os pães do templo, o que não era permitido, porque estavam com fome. As leis, sejam elas quais forem, existem em favor do ser humano. E acrescentou: “O Filho do Homem é Senhor também do sábado”. O relato de Lucas é mais sintético que os de Mateus e Marcos e se restringe ao essencial. “A fome real, não apenas vontade de comer, colocou Davi e seus companheiros acima da proibição de comerem os pães da oferenda”. O Filho do Homem é o descendente de Davi. Portanto, também ele é senhor do sábado, e interpreta a Lei em favor do ser humano.

3. O SENHOR DO SÁBADO
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total).

Sendo Jesus o Filho do Homem, pleno de poderes recebidos do Pai, podia agir com liberdade diante da tradição. Pouca importância tinha para ele as distinções minuciosas e as interpretações casuístas que corriam nos ambientes farisaicos. No caso do repouso sabático, colocava-se acima dos limites sutis entre as ações proibidas e aquelas permitidas, no dia consagrado ao Senhor.
Daí sua atitude de indiferença quanto ao fato de seus discípulos, ao atravessar um trigal em dia de sábado, terem apanhado espigas e comê-las. Em que este gesto representava um desrespeito a Deus? Por que classificá-lo como pecaminoso e, por isso, proibi-lo? Jesus não via nele motivos para censurar seus discípulos, e impedi-los de praticar esta ação.
Se Davi tomou a liberdade de saciar sua fome com pães consagrados, que só aos sacerdotes era permitido comer, o Filho do Homem estava agindo muito mais corretamente com os seus discípulos! Sua superioridade em relação ao antigo rei de Israel permitia-lhe liberá-los da submissão às prescrições judaicas.
Jesus concedia, assim, aos discípulos uma liberdade desconhecida no mundo dos mestres da Lei e dos fariseus. A ação de Jesus fundava-se num dado que seus adversários desconheciam: sua condição de Filho de Deus.
Oração
Espírito que liberta, desata as amarras que mantêm o povo fanaticamente apegado a certas tradições, diante das quais o Pai permite agir com liberdade.

Liturgia comentada

Insurgiram-se contra mim... (Sl 54 [53])
Arrogantes, violentos, os inimigos da Igreja procuram a ruína do povo de Deus, da mesma forma que o Rei Saul tentava eliminar Davi, alvo de seu ódio e seu ciúme.
A introdução deste Salmo registra que o poema-oração foi composto por Davi quando se refugiara entre os zifeus (cf. 1Sm 23), os quais informaram Saul de sua presença. Trata-se de uma dessas situações em que tudo parece perdido e só nos resta a proteção divina. Assim se sentiu a Igreja de Cristo em diferentes épocas e lugares, escolhida como alvo de poderosos inimigos.
Como explicar esse ódio que escorre ao longo dos séculos, desde a pregação dos primeiros apóstolos, quando judeus e pagãos rangiam os dentes, apanhavam pedras ou arrastavam os cristãos até seus tribunais? Afinal, a pregação da Igreja não era, em síntese, o anúncio de uma Boa Notícia para todos? Ora, o anúncio é uma denúncia. A proposta do bem traz o mal ao sol. A luz combate as trevas. Quem defende a vida ofende os mercadores da morte. Daí a reação violenta contra o Evangelho de Cristo.
Exemplo desse “incômodo” causado pela evangelização verificou-se ainda no Império Romano, quando se prestava um culto de adoração ao imperador. O anúncio do Senhorio de Cristo reduzia César a um homem comum, diante de quem o cristão jamais dobraria os joelhos. Sua religião era considerada uma irreligião; sua piedade, uma impiedade.
Ao longo da história, muitos regimes autocratas tentaram impor a ferro e fogo o seu poder sobre as populações. O regime nazista de Hitler encontrou nos cristãos fiéis uma barreira para seus projetos de dominação, que incluíam a eliminação de minorias raciais, deficientes físicos e mentais, supressão da liberdade de pensamento e de expressão, entre outras manifestações de loucura.
Ora, o Evangelho revela a dignidade do homem, criado à imagem e semelhança de Deus. Esta doutrina era incompatível com os dogmas do nazismo ateu. Daí as perseguições, o fechamento das editoras e escolas católicas e o martírio de numerosos cristãos de diferentes denominações. O governo de inspiração maçônica que assolou o México nos anos 30 seguiria a mesma cartilha, assassinando centenas de padres e religiosas.
Hoje, a Igreja continua sendo o alvo daqueles que se insurgem contra sua mensagem. A Igreja defende a família, vê o matrimônio como uma aliança sagrada entre homem e mulher, defende os fetos e embriões como pessoas com direitos, recusa que o homem seja tratado como matéria-prima ou mão-de-obra escrava. Por isso mesmo, continuará perseguida...
Orai sem cessar: “Por amor de Sião, eu não me calarei!” (Is 62,1)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
santini@novaalianca.com.br
Fonte: NS Rainha em 07/09/2013

HOMILIA DIÁRIA

Oremos pelo nosso Brasil

Oremos pelo nosso Brasil, oremos pelos nossos governantes, para que o Senhor nos dê um país mais justo e solidário.

A carta de São Paulo aos Colossenses, no capítulo primeiro, versículo 23 diz: “Mas é necessário que permaneçais inabalável e firmes na fé, sem vos afastardes da esperança que vos dá o Evangelho”.
Hoje, somos convidados pela Palavra de Deus a permanecermos inabaláveis, firmes, confiantes, sem perder a esperança nem a direção. É necessário que permaneçamos no Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo que nos foi anunciado.
Nós recebemos essa Palavra como salvação para a nossa vida, como resgate para a nossa condição de pecadores e fracos que somos sem a presença de Deus.
Não podemos negar que, muitas vezes, o barco da nossa vida balança e a tentação que nós temos é de pensar que vamos naufragar. O desânimo bate à nossa porta, o cansaço vem nos visitar. Nós estamos clamando por socorro, por ajuda, estamos clamando pela misericórdia e pela assistência de Deus em nossa vida.
A Palavra de Deus é para que nós não desanimemos se, de alguma forma, o desânimo nos visitar, o cansaço bater à nossa porta e tivermos vontade de jogar tudo para cima. O Senhor, hoje, quer firmar a nossa fé, Ele quer que permaneçamos confiantes, de uma forma inabalável, n’Ele e na Sua palavra.
Que nós nos levantemos de todo o espírito de desânimo e cansaço que esteja nos atormentando; que voltemos para o Senhor a nossa confiança. Olhamos para aquele que venceu a morte, o Senhor da nossa vida.
Queria também, no dia de hoje, convidar você a orar pela nossa pátria, pelo nosso Brasil. Nós brasileiros somos, muitas vezes, tentados a desanimar diante de tantas circunstâncias e momentos difíceis pelos quais passamos como crise econômica, crise política, crise de valores… Mas não podemos desistir da nossa pátria, não podemos deixar de construí-la, ainda que nossa pátria definitiva seja o céu.
O país que nós moramos se chama “pátria amada Brasil”.
No dia da Independência, que Deus dê a soberania ao nosso país, que Ele dê liberdade àqueles que ainda não a experimentaram.
Oremos pela nossa pátria, oremos pelos nossos governantes, para que o Senhor nos dê um país mais justo e solidário.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova e07/09/2013

HOMILIA DIÁRIA

A esperança no Senhor nunca nos decepciona

“Mas é necessário que permaneçais inabaláveis e firmes na fé, sem vos afastardes da esperança que vos dá o evangelho, que ouvistes, que foi anunciado a toda criatura debaixo do céu” (Cl 1,23).

Celebrando a pátria, no dia de hoje, muitos sentimentos podem tomar conta do nosso coração, mas não podemos perder o referencial. Primeiro, a nossa pátria é o Céu, sem deixarmos de amar, de valorizar nosso amado Brasil. Nenhum de nós tem, aqui embaixo, uma cidade permanente, como nos diz a Palavra de Deus. Todos estamos aguardando aquela que está por vir, aquela na qual queremos morar.
A Palavra está dizendo que precisamos viver firmes e inabaláveis na fé, porque muitos de nós estão desanimando, perdendo a fé e esperança, porque estão colocando fé e esperança em pessoas, em situações que não são de Deus.
Nenhum homem, nem de lá nem de cá, pode assumir o lugar de Deus na nossa vida e no nosso coração. É somente em Jesus que deve estar alicerçada a nossa fé, porque é d’Ele que ouvimos o Evangelho, e é só o Evangelho que nos dá a vida, que nos dá esperança e consola o nosso coração.

Nossa esperança é sempre no Senhor, porque Ele jamais nos decepciona

Colocamos a nossa esperança em outras coisas que, em certos momentos, nos animam, entusiasmam, dão-nos um fervor por dentro, mas, depois, tudo passa e viramos um conjunto de pessoas numa situação de desanimados, frustrados como tantas realidades da vida. Por isso, olhos fixos em Jesus, não tiremos d’Ele o nosso olhar.
É óbvio que, tendo os olhos fixos em Jesus, não podemos nos tornar aquelas pessoas alienadas, porque é um perigo também. Uma pessoa alienada faz tão mal para a sociedade como uma pessoa que não tem fé. Uma pessoa sem fé é um mal, porque a fé é a base fundamental da nossa relação com Deus. Algumas pessoas têm fé, mas não têm consciência da fé e a vivem de uma forma muito alienada e cega. Não abrem os olhos para a prudência, para o discernimento, para separar o joio do trigo; vivem de ilusões, enganos, e colocam a Palavra de Deus onde ela não está, dizem algo que Jesus não disse, e simplesmente deturpam a Palavra por causa da ingenuidade do coração.
Para permanecermos firmes na fé, para não nos afastarmos da esperança do Evangelho nem sermos decepcionados, precisamos pedir que Deus nos dê uma fé madura, consciente e única n’Ele, que jamais nos decepciona.
Se vivemos decepções na fé, não foi em Deus, mas em homens, em situações. Colocamos esperança onde não devemos colocar esperança.
Nossa esperança é sempre n’Ele, porque Ele jamais nos decepciona.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

Oração Final
Pai Santo, dá à tua Igreja a sabedoria e a coragem de ir além da letra da Lei, mergulhando no seu Espírito e, assim, vivermos, já nesta terra, os sinais do Amor que um dia saborearemos em plenitude no teu Reino. Queremos seguir o Cristo Jesus, teu Filho que se fez nosso Irmão e contigo reina na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 07/09/2013

LITURGIA DIÁRIA - 04/09/2021


Tema do Dia

«O Filho do Homem é senhor do sábado.»

O Autor da Carta aos Colossenses ressalta a centralidade da fé no Cristo Jesus que, com sua morte, reconciliou todos os povos com o Senhor. E os exorta a permanecerem firmes na esperança, praticando e vivendo o Evangelho que lhes foi anunciado.
Fonte: Arquidiocese BH em 07/09/2013

Oração para antes de lea Bíblia


Meu Senhor e meu Pai! Envia teu Santo Espírito para que eu compreenda e acolha tua Santa Palavra! Que eu te conheça e te faça conhecer, te ame e te faça amar, te sirva e te faça servir, te louve e te faça louvar por todas as criaturas. Fazei, ó Pai, que pela leitura da Palavra os pecadores se convertam, os justos perseverem na graça e todos consigamos a vida eterna. Amém.

Sábado da 22ª Semana Do Tempo Comum
Cor: Verde


Primeira Leitura(Cl 1,21-23)
22ª Semana do Tempo Comum | Sábado - 04/09/2021

Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses.

Irmãos, 21e vós, que outrora éreis estrangeiros e inimigos pelas manifestas más obras, 22eis que agora Cristo vos reconciliou pela morte que sofreu no seu corpo mortal, para vos apresentar como santos, imaculados, irrepreensíveis diante de si.
23Mas é necessário que permaneçais inabaláveis e firmes na fé, sem vos afastardes da esperança que vos dá o evangelho, que ouvistes, que foi anunciado a toda criatura debaixo do céu e do qual eu, Paulo, me tornei ministro.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Responsório (Sl 53)
22ª Semana do Tempo Comum | Sábado - 04/09/2021

— Quem me protege e me ampara é meu Deus.
— Quem me protege e me ampara é meu Deus.

— Por vosso nome, salvai-me, Senhor; e dai-me a vossa justiça! Ó meu Deus, atendei minha prece e escutai as palavras que eu digo!
— Quem me protege e me ampara é meu Deus; é o Senhor quem sustenta minha vida! Quero ofertar-vos o meu sacrifício de coração e com muita alegria; quero louvar, ó Senhor, vosso nome, quero cantar vosso nome que é bom!

Evangelho (Lc 6,1-5)
22ª Semana do Tempo Comum | Sábado - 04/09/2021


Por que fazeis o que não é permitido em dia de sábado?

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

1Num sábado, Jesus estava passando através de plantações de trigo. Seus discípulos arrancavam e comiam as espigas, debulhando-as com as mãos. 2Então alguns fariseus disseram: “Por que fazeis o que não é permitido em dia de sábado?”
3Jesus respondeu-lhes: “Acaso vós não lestes o que Davi e seus companheiros fizeram, quando estavam sentindo fome? 4Davi entrou na casa de Deus, pegou dos pães oferecidos a Deus e os comeu, e ainda por cima os deu a seus companheiros. No entanto, só os sacerdotes podem comer desses pães”. 5E Jesus acrescentou: “O Filho do Homem é senhor também do sábado”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.


Oração pardepois de ler a Bíblia


Dou-Te graças, meu Deus, pelos bons propósitos, afetos e inspirações que me comunicastes nesta meditação; peço-Te ajuda para colocá-los em prática. Minha Mãe Imaculada, meu protetor São José e Anjo da minha guarda, intercedem todos por mim. Amém.