quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

TERÇOS – VÍDEOS

TERÇO DA DIVINA PROVIDÊNCIA
 

TERÇO DE CURA E LIBERTAÇÃO
 

TERÇO DA FÉ
 

TERÇO DO ESPÍRITO SANTO
 

TERÇO DA LIBERTAÇÃO CANTADO - JOÃO GREGÓRIO

LITURGIA DAS HORAS

Clique no ícone abaixo
para acesso à Hora Canônica

Mensagens diárias prá vc

Terço - Mistérios Gloriosos - Quarta-Feira e Domingo


Terço do Rosário: Mistérios Gloriosos





Nossa Senhora de Banneux - 15 de janeiro


Banneux Notre Dame é uma pequena vila belga, situada na província de Louveigné, distante cerca de vinte quilômetros a sudeste da sua capital Liège. Banneux quer dizer "banal ou comum". O nome foi usado para indicar o lugar onde os habitantes eram tão pobres que tinham permissão de usar gratuitamente a madeira do bosque, para o consumo doméstico e utilizar os prados para alimentar seus animais. Só em 1914, foi adicionado Notre Dame, ou melhor, Nossa Senhora, ao nome da vila. Isto porque se salvou da destruição durante a Primeira Guerra Mundial. Segundo os habitantes, foi graças à especial proteção recebida da Virgem Maria neste período.

São Paulo, o Ermitão - 15 de Janeiro

PAULO O ERMITÃO
Ermita, Santo
228-340

São Jerónimo escreveu em 400, um livro rico em detalhes sobre a vida de Paulo, a quem chamou de "príncipe da vida eremita". Ele a conheceu narrada pelo amigo são Atanásio, discípulo de santo António do Deserto.

São Romédio - 15 de janeiro


São Rodio
Século X
Remédio pertencia a uma rica família dos primeiros nobres do norte da Itália. Ele era o jovem senhor do castelo de Thaur, no vale do Trento. Jovem poderoso, tinha nas mãos o poder econômico e político. Era proprietário das ricas salinas daquele vale e possuía muitos homens a seu serviço. Com a morte dos pais sua fortuna aumentou, entretanto, nada o satisfazia. Foi procurar seu amigo Virgílio, bispo de Trento, que mais tarde se tornou santo, e doou tudo para a sua igreja. Alguns dias depois, voltou, com uns poucos amigos, pedindo sua benção e aprovação para uma peregrinação com destino a Roma. O grupo seguiu a pé, levando um documento do bispo para o papa, que os recebeu e abençoou.

Bem-aventurado Luis Variara - 15 de janeiro


Luis Variara
Bem-aventurado
1875-1923

Fundou a Congregação das
Filhas dos Santíssimos
Corações de Jesus e de Maria
Luis Variara nasceu em 15 de janeiro de 1875 na cidade de Variagi, na Itália. Ainda criança viu e ouviu Dom Bosco na celebração de uma missa. Mais tarde, seu pai o mandou para o Seminário de Turim, que era dirigido por aquele santo. Quatro meses depois, Dom Bosco morreria, mas esta curta convivência o marcou por toda vida.

Santo Arnaldo Janssen - 15 de janeiro


 Santo Arnaldo Janssen
1837-1909

Fundou as congregações:
Sociedade do Verbo Divino
Missionárias Servas
do Espírito Santo
e Servas do Espírito Santo
da Adoração Perpétua
Arnaldo Janssen nasceu em Goch, na Baixa Renânia, Alemanha, em 05 de novembro de 1837. Ele era o segundo filho de uma família numerosa de cristãos fervorosos de classe média e se tornou um gigante por sua obra de fundador e pela atividade fecunda do seu apostolado, junto aos pobres, migrantes, clérigos e fiéis.

São Plácido - 15 de janeiro


Santo Plácido
514-541
A vida de Plácido está ligada à do seu primo Mauro, também chamado de Amaro, por várias circunstâncias. Primeiro, porque ambos aos sete anos de idade foram entregues, pelos pais ao amigo Bento de Nórcia, celebrado pela Igreja como o "pai dos monges ocidentais", para serem oblados à Cristo. Depois, porque Amaro o salvou da morte, na infância. Nesta ocasião, Bento, teve uma visão onde Plácido se afogava dentro de um lago, por isto mandou o pequeno Amaro correr para impedir o acidente. De fato, ele o salvou prodigiosamente, andando sobre as águas e o retirando com vida. Porém, após se tornarem sacerdotes, suas vidas se separam, e de maneira distinta cada um testemunhou sua fé em Cristo. Vejamos a trajetória de Plácido.

Santo Amaro - 15 de Janeiro



Santo Amaro, exemplo de virtude

Santo Amaro foi exemplo de virtude, obediência e abertura à ação do Espírito Santo
Nasceu em Roma e entrou muito cedo para a vida religiosa. Filho espiritual e grande amigo de São Bento, tornou-se um beneditino com apenas 12 anos de idade. Realidades daquele tempo, mas que apontam para uma necessidade dos tempos atuais. Ele foi apontado, desde muito cedo, como um exemplo de silêncio e também de correspondência às exigências da vida monacal. Vida de austeridade, de ação, de oração; “ora et labora” de fato.

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 15/01/2014

15 de Janeiro de 2014

ANO A


Mc 1,29-39

Comentário do Evangelho

Toda a vida humana é lugar da atuação do Senhor

Depois da sinagoga, acompanhado das duas duplas de irmãos, Jesus vai à casa de Simão e André, a poucos metros da Sinagoga de Cafarnaum. Ali, o evangelho nos relata dois episódios: a cura da sogra de Pedro, ainda durante o descanso sabático, e o resumo da atividade de sucesso de Jesus, depois do pôr do sol, isto é, tendo passado já o sábado. Os quatro discípulos, depois os Doze, são testemunhas oculares de tudo o que Jesus fez e ensinou; testemunhas sobre as quais é construído o relato evangélico (cf. Lc 1,1-4). Essa diferença temporal, sábado e depois do sábado, juntamente com o deslocamento espacial, sinagoga e casa, mostra que o Senhor age sempre, em qualquer tempo e lugar. Sua presença muda a vida das pessoas e essa transformação é sentida, inclusive, no próprio corpo. É o Senhor da vida que, com o gesto simbólico de tomar pela mão, como quem arranca alguém do sono, metáfora da morte, faz a sogra de Pedro se levantar para servir. Não obstante a fama crescente, Jesus procura os lugares afastados para a sua oração, não se deixando vencer pela tentação do sucesso nem se deixando aprisionar por qualquer lugar ou se deixando manipular por quem quer que seja.
Carlos Alberto Contieri, sj
ORAÇÃO
Senhor Jesus, eu te procuro com sinceridade, na certeza de encontrar, em ti, palavras que façam reviver a esperança no meu coração.

Vivendo a Palavra

O Reino do Céu deve ser anunciado por discípulos que não se acomodem, não se contentem com o que já fizeram, mas estejam sempre prontos para partir – enviados em missão –, para andar por caminhos não desbravados, animados pelo ardor da fé e a certeza da esperança, próprios do Reino, onde já vivem – ainda que não em plenitude.

Reflexão

A centralidade da missão de Jesus encontra-se na revelação do Reino de Deus, de modo que para ele é mais importante a pregação do que a realização de curas e outros tipos de milagres. Os milagres estão relacionados com a revelação, pois explicitam o conteúdo principal da pregação de Jesus que é o amor que Deus tem por todos nós e o bem que ele concede a nós como manifestação desse amor. Sendo assim, o mais importante não é o milagre em si, mas a revelação que ele traz junto de si: Deus ama a todos nós com amor eterno e tudo faz pela nossa felicidade, e isso deve ser anunciado a todos os povos.

Recadinho


Deus realiza maravilhas. Será que fazemos por merecer tantos bens? - Em que consiste o nosso seguir a Cristo? - Procuramos de fato colocar tudo nas mãos de Deus? - Fazemos nossa parte? - Temos uma atividade apostólica que mais nos atraia? Que seja mais de acordo com nosso modo de ser?
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R
Comentário do Evangelho
O PODER DE CURAR
O poder taumatúrgico de Jesus chamava a atenção de todos. Por onde passava, atraía multidões de pessoas que recorriam a ele em busca de cura para suas doenças e enfermidades. E ninguém ficava sem ser atendido.
Os milagres de Jesus, entretanto, nada tinham de exibicionismo. Seu poder de curar não o transformava em milagreiro ambulante, a serviço do interesse e da curiosidade alheia. Talvez, houvesse quem se aproximasse dele com esta visão deturpada de sua ação. Mas, ele manteve até o fim sua pureza de intenção.
Os milagres de Jesus estavam em função de seu serviço ao Reino. Através deles, ficava patente que o Reino estava acontecendo em forma de recuperação da saúde e de tudo quanto mantinha cativo o ser humano. O Reino, por conseguinte, se concretizava em forma de saúde e libertação desencadeadas pela ação de Jesus.
Os benefícios do poder de Jesus chegavam a todos indistintamente. Jesus não se perguntava se a pessoa era digna ou não de ser beneficiada por ele. Importava-lhe apenas o fato de ter diante de si alguém carente de vida, em quem o Reino podia dar seus frutos. Por isso, não se recusava a acolher ninguém e fazê-lo participar da vida recebida do Pai, para ser partilhada com a humanidade.
Oração
Senhor Jesus, recupera em mim a vida e a liberdade, fazendo assim o Reino acontecer na minha existência.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Ó Deus, atendei como pai às preces do vosso povo; dai-nos a compreensão dos nossos deveres e a força de cumpri-los. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
http://www.domtotal.com/religiao/meu_dia_com_deus/evangelho_dia.php?data=2014-01-15

REFLEXÕES DE HOJE


15 de JANEIRO - QUARTA


Liturgia comentada

Saiu para um lugar solitário... (Mc 1,29-39)
Por que ele busca a solidão do deserto? Não foi um ato isolado. Era costume de Jesus (cf. Lc 22,39) recolher-se à solitude e ali, longe do burburinho da multidão, rezar ao Pai. Foi assim antes de iniciar sua vida pública. Foi assim na hora de escolher os Doze. Foi assim no momento crítico de sua agonia.
Mesmo tendo uma natureza divina, Jesus Cristo sabe que precisa da oração para resistir ao tentador, para discernir suas escolhas, para reunir forças e se entregar à morte. Tendo assumido na carne a nossa humana fragilidade, o Filho do Homem busca conforto no Pai.
Nós, talvez não... É que nós somos muito sabidos, já temos a resposta para tudo. Somos muito experientes, podemos antecipar os acontecimentos. Somos autônomos, não precisamos pedir palpites a ninguém. Em suma, nós viramos sozinhos... Claro que é ironia! Nosso comportamento chega a ser risível. Ignorando o barro de que fomos amassados, arrotamos prosopopéias e nos lançamos a empreitadas absolutamente loucas sem sequer um momento de silêncio, na presença de Deus, a invocar as luzes do Espírito Santo.
Esta insensatez inclui pais e educadores, pastores e autoridades da Igreja, que assumem projetos inspirados pela vaidade e pela ambição, pela busca de aplauso e de fama, sem antes verificarem – dentro dos limites possíveis de nossa frágil humanidade – qual é a vontade de Deus para cada situação.
Os santos não são assim. Quem lê a vida de homens e mulheres de Deus, como Dom Bosco e Madre Teresa de Calcutá, espanta-se ao descobrir suas noites de vigília, seus tempos de oração diante do Santíssimo Sacramento. Em nossos dias, o saudoso Papa João Paulo II iniciava sua jornada por quatro horas inteiras de oração na sua capela particular, às vezes prostrado no chão frio.
Seríamos nós muito orgulhosos ou pouco inteligentes? Como entender nossa atitude de apostar tudo na ação e pouco investir na oração?
Do fundo do Evangelho, ressoa a voz de Jesus: “Vigiai e orai, porque não sabeis quando será o momento!” (Mc 13,33.) “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação!” (Mt 26,41.) Ele conhece nossa fraqueza e sabe que dependemos em tudo da graça divina. Pena que ainda precise se lamentar: “Não tivestes força para vigiar uma hora comigo?!” (Mt 26,40.)
Como está a nossa vida de oração?
Orai sem cessar: “Minha alma espera pelo Senhor, mais que os vigias pela manhã.” (Sl 130 [129],6)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
santini@novaalianca.com.br

HOMILIA
JESUS CURA A SOGRA DE PEDRO Mc 1,29-39
Jesus andou por toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, anunciando a boa notícia do Reino e curando as enfermidades e as doenças graves do povo. No Evangelho de hoje vemos Jesus com a concisa precisão se dirige para uma casa. ”logo que saíram da sinagoga, foram… para a casa de Simão…”, o evangelista Marcos indica que Jesus descarta a sinagoga e afirma seu ministério no espaço da “casa”. É a casa o lugar onde se reúne a nova comunidade e que se torna o centro de irradiação da missão. Na “casa”, a mulher, libertada de sua exclusão, exerce a prática essencial das novas comunidades, que é o serviço. E é à porta da casa que se reúne a cidade inteira.
Jesus não se deixa reter por uma comunidade particular. Seu ministério missionário é dirigido amplamente a toda a Galiléia e aos territórios vizinhos. Por isso, Sua fama se espalhava por toda a região da Síria. Todo povo levava a Jesus pessoas que sofriam de várias doenças e de todos os tipos de males, isto é, epiléticos, paralíticos e pessoas dominadas por demônios; e ele curava todos. Grandes multidões o seguiam; eram gente da Galiléia, das Dez Cidades, de Jerusalém, da Judéia e das regiões que ficam no lado leste do rio Jordão.
A sogra de Simão estava com febre. Identificada à doença Jesus se aproxima dela e a cura. O que falta para que Ele cure também a sua doença? Identifique a tua doença, procure saber qual é e clame por Jesus. Se for o pecado, lembre-se de que não precisa explicação. Se você quer ser curado do pecado, ele só precisa ser reconhecido. Por favor, não jogue a culpa nos outros: Ah, eu pequei porque estava muito sozinho, porque meu marido me abandonou ou porque minha mulher me abandonou ou porque o meu pai não me compreende; eu estou nas drogas porque ninguém gosta de mim; ou eu bebo porque a sociedade é injusta; ou, sou homossexual por isso; ou eu faço isso por aquilo.
Enquanto você estiver tentando explicar, você nunca dará o primeiro passo. Se você quer ser curado, verdadeiramente curado, transformado, verdadeiramente transformado, só tem que dar um passo: dizer como o ladrão na cruz: Este não fez nada, mas nós sim, nós merecemos porque nós somos ladrões, nós fizemos mal.
Você já reconheceu qual é o seu problema? Talvez o seu problema não seja o dinheiro, não seja a saúde, nem o marido, nem a mulher, nem o filho, nem o pai. Talvez seu problema não seja o chefe, nem a inflação.
Talvez todas essas coisas sejam pretextos para esconder seu verdadeiro problema que tem raízes mais profundas. Se você tomar consciência de sua situação, se a reconhecer e a aceitar, já deu o primeiro grande passo na recuperação. Mas existe muita gente que apesar de dar este primeiro passo, sente que nada muda. Por quê?
Em algum momento temos que parar, reconhecer nossa situação e clamar pedindo ajuda. Fale aí em seu coração com Deus. Fale: Senhor, o meu problema sou eu, os meus temperamentos, o meu caráter, não têm paciência, explodo por qualquer coisa. Não tenho sabido dominar meu temperamento. Este é meu problema. Meu problema não é meu patrão, nem que os outros tenham oportunidades; meu problema é o meu temperamento. Sou impontual, desorganizado. Este é o meu problema. E eu não tenho forças para sair desta situação sozinho, preciso de Tua ajuda, Senhor.
Vejam agora a resposta de Jesus a este ladrão. Ele disse: “Em verdade, em verdade te digo. Estarás comigo no paraíso.” Repare que, o ladrão somente pede: Lembra-te de mim, nada mais. Mas Jesus lhe diz: Eu te prometo que estarás comigo no paraíso. Nunca mais estarás sozinho. Nunca mais abandonado, rejeitado, nunca mais passarás fome, nunca mais um ser querido morrerá. Você estará comigo para sempre, por toda a eternidade.
Senhor Jesus, eu te procuro com sinceridade, na certeza de encontrar, em ti, palavras que façam reviver a esperança no meu coração.
Fonte Homilia: Pade Bantu Mendonça Katchipwi Sayla
HOMÍLIA DIÁRIA
Jesus quer fazer morada no seu coração!
Jesus olha para nós e tem compaixão da nossa natureza frágil, fraca, débil e limitada!
”Jesus andava por toda a Galileia, pregando em suas sinagogas e expulsando os demônios”(Marcos 1, 39).
Nós estamos, no dia a dia, nos familiarizando à ação de Jesus no meio de nós; sobretudo ao ministério público de Jesus. Algumas atividades são muito característica do cotidiano e da vida do Senhor, como pregar, curar e expulsar os demônios. Por onde Jesus andava Ele pregava; Ele anunciava o Reino de Deus.
Quando nós pregamos o Reino de Deus, quando nós anunciamos a Palavra de Deus, muitas coisas acontecem em consequência disso. As doenças e as enfermidades são curadas pelo poder da Palavra de Deus, porque não se trata de fazer espetáculos: ”Traga as pessoas, vamos curá-las!” Não, não é isso; é uma coisa muito natural, simples, é uma coisa que não precisa ninguém levantar a voz, gritar, exclamar e fazer show. Jesus não fazia espetáculos ao anunciar a Palavra de Deus. 
Ele a anunciava na discrição que o Reino de Deus exigia; Ele tocava nas pessoas com cuidado, com carinho, com ternura; mas, ao mesmo tempo, com autoridade divina que Lhe era própria. E muitas pessoas eram curadas e libertas da ação do maligno pelo Senhor, daquilo que as levava à destruição.
Porque quando não nos enchemos de Deus, e a presença d’Ele vai “se esvaziando” em nossa vida, vamos nos enchendo de coisas que não são do Senhor, vamos nos enchendo de pensamentos e sentimentos malignos. Vamos nos enchendo do sentimento de vingança, de raiva, de rancor, de ressentimento, de mágoa e de medo.
Quando nos deixamos possuir pelos sentimentos que não são do Reino de Deus, a primeira coisa que experimentamos é a fragilidade das nossas emoções. As nossas emoções recaem e ficamos totalmente frágeis; e é óbvio que, assim, ficamos doentes com a maior facilidade! E para isso ocorrer, não precisa ser uma pessoa como costumamos dizer ”mundana”, não; isso ocorre com qualquer um de nós! Até servindo a Deus, nós, muitas vezes, nos esquecemos da autoridade d’Ele e nos deixamos dominar por sentimentos que não são d’Ele.
Jesus olha para nós e tem compaixão da nossa natureza frágil, fraca, débil e limitada! Ele se compadece de nós e cura as nossas doenças e enfermidades. O que nós precisamos deixar acontecer é que o Senhor Jesus aja em nós, em nosso coração!
Que Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.Facebook Twitter
LEITURA ORANTE

Mc 1,29-39 - Jesus cura a sogra de Pedro



Saudação
A nós, a paz de Deus, nosso Pai,
a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
no amor e na comunhão do Espírito Santo.
- Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
Preparo-me para a Leitura, rezando:
Oferecimento do dia
Adoro-vos, meu Deus, amo-vos de todo o meu coração.
Agradeço-vos porque me criastes, me fizestes cristão, me conservastes a vida e a saúde.
Ofereço-vos o meu dia: que todas as minhas ações correspondam à vossa vontade.
E que faça tudo para a vossa glória e a paz das pessoas.
Livrai-me do pecado, do perigo e de todo o mal.
Que a vossa graça, benção, luz e presença permaneçam sempre comigo
e com todos aqueles que eu amo. Amém.
(Orações da Família Paulina)

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente o texto na Bíblia: Mc 1,29-39.
Logo depois, Jesus, Simão, André, Tiago e João saíram da sinagoga e foram até a casa de Simão e de André. A sogra de Simão estava de cama, com febre. Assim que Jesus chegou, contaram a ele que ela estava doente. Ele chegou perto dela, segurou a mão dela e ajudou-a a se levantar. A febre saiu da mulher, e ela começou a cuidar deles.
À tarde, depois do pôr-do-sol, levaram até Jesus todos os doentes e as pessoas que estavam dominadas por demônios. Todo o povo da cidade se reuniu em frente da casa. Jesus curou muitas pessoas de todo tipo de doenças e expulsou muitos demônios. Ele não deixava que os demônios falassem, pois eles sabiam quem Jesus era.
De manhã bem cedo, quando ainda estava escuro, Jesus se levantou, saiu da cidade, foi para um lugar deserto e ficou ali orando. Simão e os seus companheiros procuraram Jesus por toda parte. Quando o encontraram, disseram:
- Todos estão procurando o senhor.
Jesus respondeu:
- Vamos aos povoados que ficam perto daqui, para que eu possa anunciar o evangelho ali também, pois foi para isso que eu vim.
Jesus andava por toda a Galileia, anunciando o evangelho nas sinagogas e expulsando demônios.

Bonito o encontro de Jesus com a sogra de Pedro que estava com febre alta. Observe a atitude: " Ele chegou perto dela, segurou a mão dela e ajudou-a a se levantar. A febre saiu da mulher, e ela começou a cuidar deles." Interessante. é que Jesus não fala com a sogra, mas a segura pela mão e a ajuda a se levantar. A mulher imediatamente fica curada, e tão bem, que se põe a cuidar deles. Doentes e a multidão procuravam encontrar Jesus e Ele anunciava a boa notícia do Reino por toda parte.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Qual palavra mais me toca o coração?
Diante de grandes desafios, os bispos em Aparecida, disseram: 
"Os esforços pastorais orientados para o encontro com Jesus Cristo vivo deram e continuam dando frutos"(DAp 99).
Meus esforços para viver bem, estar bem, são orientados pelo encontro com Cristo vivo?
Ou, considero-me capaz e suficiente para enfrentar os desafios, dispensando a ação de Deus na minha vida?

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo com o bem-aventurado Alberione:
Jesus Mestre,
disseste que a vida eterna consiste em conhecer a ti e ao Pai.
Derrama sobre nós, a abundância do Espírito Santo!
Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no teu seguimento,
porque és o único caminho para o Pai.

Faze-nos crescer no teu amor,
para que sejamos, como o apóstolo Paulo
testemunhas vivas do teu Evangelho.
Com Maria, Mãe Mestra e Rainha dos Apóstolos,
guardaremos tua Palavra, meditando-a no coração.
Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós.

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou eliminar do meu modo de pensar e agir aquilo que não vem de Deus, que não é conforme o Projeto de Jesus Mestre. Deixarei que o Senhor me tome pela mão como segurou a mão da sogra de Pedro.

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
-Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Ir. Patrícia Silva, fsp
Oração Final
Pai Santo, o anúncio da Boa Notícia do teu Reino de Amor requer novo ânimo, novos métodos e novas expressões – adequados ao nosso tempo. Envia-nos o teu Espírito para que a Igreja seja, no mundo, testemunha do teu Amor de Pai que também é Mãe. Nós te pedimos pelo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.

GOTAS DE MISERICÓRDIA



“Meu Coração está repleto de grande misericórdia para com as almas, e especialmente para com os pobres pecadores. Oxalá possam compreender que Eu sou para eles o melhor Pai, que por eles jorrou do Meu Coração o Sangue e a Água como de uma fonte transbordante de misericórdia. Para eles resido no Sacrário e como Rei de Misericórdia desejo conceder graças às almas (...) Oh! como é grande a indiferença das almas para com tanta bondade, para com tantas provas de amor. (...) para tudo têm tempo, apenas não têm tempo para vir buscar as Minhas graças” (Diário, 367).




TERÇO DA MISERICÓRDIA - VÍDEOS - APRENDA A REZAR O TERÇO DA MISERICÓRDIA






"Quando rezarem este Terço junto aos agonizantes, Eu me colocarei entre o Pai e a alma agonizante, não como justo Juiz, mas como Salvador misericordioso".

JESUS, EU CONFIO EM VÓS!!!

APRENDA A REZAR O TERÇO DA MISERICÓRDIA




Para ser rezado nas contas do terço

No começo:

Pai nosso, que estais no céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.

Ave, Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco; bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por n6s, pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.

Creio em Deus Pai, todo poderoso, criador do Céu e da Terra; e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor; que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia; subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, de onde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espirito Santo, na santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna Amém.

Nas contas de Pai Nosso, dirás as seguintes palavras usando o terço de Maria:

Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e o Sangue, a Alma e a Divindade de Vosso diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e dos do mundo inteiro.

Nas contas de Ave Maria rezarás as seguintes palavras:

Pela Sua dolorosa Paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro.

No fim, rezarás três vezes estas palavras:

Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro” (Diário, 476).