sábado, 10 de novembro de 2012

Você sabia que:

 A vestimenta de um celebrante na liturgia consiste em cinco prendas fundamentais. O amito (debaixo da túnica), a túnica (túnica branca), o cíngulo (cordão que se utiliza como cinto), a estola (banda através do pescoço que cai até a altura dos joelhos) e a casula.

Podcast - Ouça a história do santo do dia

Podcast

Podcast - Ouça a Homilia do Evangelho do dia

Podcast

Homilia do dia

Marcos 12, 38-44

Homilia
Data
11/11/12
11/10/12
11/09/12

Podcast - Ouça o Evangelho do Dia

Podcast

Evangelho do dia

Mk 12, 38-44

Evangelho
Data
11/11/12
11/10/12
11/09/12

LITURGIA DAS HORAS


LITURGIA DAS HORAS

Terço - Mistérios Gloriosos - Quarta-Feira e Domingo


Terço do Rosário: Mistérios Gloriosos  


São Martinho de Tours - 11 de Novembro


São Martinho de ToursHoje celebramos a memória do Bispo São Martinho, que tornou-se intercessor e modelo de apostolado para todos nós.

Nasceu em 316 na Panônia (atual Hungria), numa família pagã que da parte do pai (oficial do exército romano) fez de Martinho um militar, enquanto o Pai do Céu o estava fazendo cristão, já que começou a fazer o Catecumenato.

Certa vez quando militar, mas ainda não batizado, Martinho partiu em duas partes seu manto para dá-lo a um pobre, e assim Jesus aparece-lhe durante a noite e disse-lhe: "Martinho, principiante na fé, cobriu-me com este manto". Então este homem de Deus foi batizado e abandonou a vida militar para viver intensamente a vida religiosa e as inspirações do Espírito Santo para sua vida.

XXXII Domingo do Tempo Comum (Ano B)

obolo_da_viuva

XXXII Domingo do Tempo Comum (Ano B)

Leituras e subsídios para liturgia e homilia:
http://www.presbiteros.com.br/site/

TEXTOS BÍBLICOS PARA A SEMANA:


TEXTOS BÍBLICOS PARA A SEMANA:

2ª Vm – Tt 1,1-9; Sl 23 (24); Lc 17,1-6
3ª Vd –Tt 2,1-8.11-14; Sl 36 (37); Lc 17,7-10
4ª Vd – Tt 3,1-7; Sl 22 (23); Lc 17,11-19
5ª Vd – Fm 7-20; Sl 145 (146); Lc 17,20-25
6ª Vd – 2Jo 4-9; Sl118 (119); Lc 17,26-37
Sb Br – 3Jo 5-8; Sl 111 (112); Lc 18,1-8
33º DTC. Dn 12,1-3; Sl 15 (16),5.8.9-10.11 (R/. 1a); Hb 10,11-14.18; Mc 13,24-32 (Profecia escatológica)

11 de novembro – 32º DOMINGO COMUM - DOMINGO COM CRIANÇAS

A autêntica generosidade!


http://www.paulus.com.br/institucional/o-domingo-criancas#.UJ8u-YfJQqL

HOMÍLIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 11/11/2012

11 de Novembro de 2012 


Marcos 12,38-44

Comentário do Evangelho

A oferta dos pobres

Nos evangelhos a crítica à classe dirigente das sinagogas, do Templo e da Judeia, os escribas, os fariseus, os sacerdotes e os latifundiários, é muito contundente. Essa crítica atinge tanto a sua doutrina como a sua prática. A sua doutrina tem um sólido caráter ideológico em vista de consolidar seu prestígio e poder, religioso e político. A sua prática prioriza a acumulação de riqueza. Lucas caracteriza os fariseus como amigos do dinheiro (Lc 16,14). 
Nesta narrativa de Marcos, estando em Jerusalém e tendo expulsado os comerciantes do Templo, Jesus, ao ensinar aí, faz uma contundente advertência contra a prática dos escribas e o sistema deste Templo. Os evangelhos de Mateus (cap. 23) e Lucas (11,37-12,1) apresentam, cada um, um bloco com várias destas agressivas advertências, com vários "ais". Marcos restringe-se apenas a esta. 
Os escribas, enquanto, de maneira hipócrita, fazem questão de ostentar piedade e prestígio, devoram as casas das viúvas. Em continuidade a esta denúncia, segue a narrativa da oferta da pobre viúva. O Templo de Jerusalém, como os templos dos impérios do Oriente, tinha um anexo, o Tesouro ou Gazofilácio (do grego gazophilakion), onde eram guardadas as riquezas acumuladas, que cresciam com os depósitos das ofertas feitos através de algumas pequenas aberturas externas, os "cofres". 
Jesus, ostensivamente, senta-se diante do Tesouro e se põe a observar. A pobre viúva, como as multidões de empobrecidos que faziam sua peregrinação religiosa a Jerusalém e depositavam suas ofertas, sacrificava-se dando do necessário para viver, sendo assim explorada por aqueles que usufruíam das riquezas acumuladas no Tesouro do Templo. Esta multidão de excluídos (ochlós) lançava pequenas moedas, que somadas davam grande valor. Alguns ricos depositavam muito, o que não lhes pesava, pois eles próprios se beneficiavam do sistema do Templo. 
Jesus chama a atenção sobre a viúva pobre que deu duas moedinhas, que era tudo o que tinha para viver. Com isso Jesus denuncia o próprio sistema do Templo. Com as exigências das estritas observâncias de suas leis, de seus dízimos e ofertas, os chefes do Templo exploram os pobres. 
Na segunda leitura, a exaltação da autoimolação de Cristo, como sacerdote e vítima, é característica da controversa epístola aos Hebreus. Este enfoque, típico da doutrina sacrifical do Antigo Testamento, inspirou a espiritualidade do autossacrifício como agradável a Deus. De certo modo ela está presente no episódio da viúva de Sarepta (primeira leitura), que se sacrifica para alimentar o profeta, sendo recompensada por Deus. Tal espiritualidade, que favorece a opressão sobre o povo explorado e sofrido, não corresponde ao Deus de Jesus, Deus do amor e da libertação, que, de maneira paterna e materna, com carinho quer a vida plena de seus filhos.

José Raimundo Oliva

http://www.paulinas.org.br/diafeliz/evangelho.aspx

Vivendo a Palavra

Jesus incentiva a generosidade, o desprendimento. Não se trata de quão rico ou pobre nós sejamos, o importante é que coloquemos tudo o que somos e temos à disposição dos companheiros de jornada nesta terra cheia de encantos. E, sobretudo, agir sem ostentação, viver com humildade e discrição.
http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg05.php
COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

FAÇA UMA DOAÇÃO AO NPDBRASIL...

1. QUEM NADA TINHA, DEU TUDO
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Li umas várias vezes o evangelho desse domingo, e em pensamento queixei-me com o seu autor, o Evangelista São Marcos, pois á primeira impressão que se tem, é que Jesus estava falando de um assunto, no caso, da ostentação dos escribas, e de repente mudou, como se diz “de saco prá mala”, abordando a oferta da viúva pobre. Parece que encerrou uma conversa e iniciou outra, assim, a abordagem fica meio complicada.

Achei melhor pedir socorro á primeira leitura, que compõe a liturgia e que não está ali só de enfeite: Na casa de uma viúva pobre, o profeta Elias, primeiro pede-lhe água para beber, depois, o profeta meio folgado pediu também um pedaço de pão, o que colocou a pobre mulher em pânico, pois o restinho de farinha que possuía, só dava para fazer um pãozinho que seria a última refeição para ela e o filho.

Aqui dá para perceber algo em comum entre essas duas viúvas, as duas moedinhas de cinco centavos, e o punhadinho de farinha, que sobrou no fundo da despensa, era tudo o que as duas tinham. Como dar para alguém algo que é essencial para nós? Tirar da própria boca para sustentar o outro, não é arriscar passar fome por causa daquilo que se deu? Há uma perda material, isso é indiscutível, entretanto o Profeta garante que aquela pobre viúva não ficará desassistida, não lhe faltará aquilo que é essencial para a sobrevivência, a farinha e o óleo, até o dia em que Deus mandar a chuva, que fertilizará a terra, acabando com a miséria daquela região. O amor ágape é sempre um mistério, quanto mais se ama e se doa, mais se tem! Aqui começa a ganhar corpo uma idéia bonita, a do amor que se doa por inteiro, que não dá ao outro as migalhas, ou o que está sobrando e não vai lhe fazer falta.

O amor verdadeiro nos faz perder algo, pelo menos na lógica humana, isso é mesmo uma grande verdade, quem se dedica a um enfermo dia e noite, cuidando dele com paciência e carinho, quem se dedica aos filhos, ou ao esposo ou a esposa, com igual dedicação, Quem se dedica aos trabalhos da igreja, ou a família, se o fizer de forma autêntica, estará perdendo algo precioso: o seu tempo, por exemplo, que poderia ser melhor aproveitado, quem sabe, dedicando-se ao lazer, a algum negócio rendoso, esse tempo que foi dedicado a alguém em especial, ou á comunidade, não voltará jamais, ficou perdido. Parece que amar é perder sempre algo que nos é essencial.

Deus não nos deu o que lhe sobrava, e que não ia lhe fazer falta, mas o que tinha de mais precioso e valioso, seu amado Filho Jesus, que por sua vez, vivendo a fidelidade da missão, chegou à encruzilhada Getesâmani, “Beber o cálice de amargura, que significaria abrir mão de sua vida, pela salvação de todos, ou encontrar outra forma de amar, que não significasse uma perda total”. Afastar-se do cálice ou aceitá-lo? Sendo Deus, só podia mesmo nos amar com o amor de Deus, que olha a miséria humana com misericórdia e compaixão, e entrega a sua vida, na juventude dos 33 anos, com um amor sem limites. Aceita o sacrifício vicário, morrer em lugar de todos, para que todos pudessem se salvar. Ele não poderia morrer somente para os bons, os que fossem corresponder ao seu grande amor, ontem, hoje e no futuro, mas sua morte resgatou, e continuará a resgatar muitos ímpios.

E com a ajuda preciosa das duas primeiras leituras, agora sim, dá para entender o porquê do seu elogio aquela pobre viúva, ele não olhou para o valor que estava sendo ofertado, mas sim para a disposição interior daquela mulher que com certeza pensava “Ao meu Deus, que me deu tudo, também ofereço este pouco, que é meu tudo”. Pelo que diz o santo evangelho, os escribas gostavam de ser notados, por tudo o que faziam, impondo admiração e respeito, conquistando assim os lugares de maior importância. Aparentemente estavam se doando a Deus e aos irmãos, mas na verdade, cobravam, pela sua doação, um alto preço, o prestígio, a fama, o poder e o domínio sobre os demais. Mas havia também nas comunidades de Marcos, como há nas nossas, uma gente que se doa totalmente, e nem aparece, são discretos no servir, dão o melhor de si, talvez não exerçam um trabalho importante, mas tem no coração o carisma do amor sem medidas e sem reservas, que se doa com humildade e alegria. Uma gente que espalha alegria e o doce perfume de Cristo por onde anda.

Não nos deixemos enganar pelo falso brilho dos escribas, o poder e o brilho que ostentam, é efêmero! Busquemos no anonimato da assembléia, aqueles e aquelas que refletem no rosto o Cristo Servidor, são esses que fazem a nossa Igreja caminhar, e que a sustenta com uma oração sincera e um coração repleto de amor a Cristo e aos irmãos. ...(32º. Domingo do Tempo Comum – Mc 12, 38-44)
José da Cruz é Diácono da 

Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP


2. A oferta dos pobres
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por José Raimundo Oliva - e disponibilizado no Portal Paulinas)

VIDE ACIMA

Oração
Pai, instrui-me com tua sabedoria, para que eu saiba avaliar os gestos humanos com parâmetros divinos, e assim ser capaz de perceber o que é invisível aos nossos olhos.

3. O POUCO QUE É MUITO
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total a cada mês).

As aparências não influenciavam o juízo que Jesus fazia das pessoas, porque seu olhar penetrava no íntimo delas. Por esse motivo, não lhe era difícil perceber a motivação profunda de suas ações.

Os mestres da Lei, por exemplo, não o enganavam. Prevalecendo-se da estima que gozavam do povo, tornavam-se vaidosos e inescrupulosos. Sentiam prazer em ser reconhecidos como pessoas altamente consideradas. Sendo assim, abusavam da boa fé e da hospitalidade das pobres viúvas, passando longas horas de oração na casa delas, só para comer do bom e do melhor. Portanto, tornavam-se operadores de injustiça e dignos da mais severa condenação.

A generosidade dos ricos também não enganava Jesus. Com prazer jogavam consideráveis esmolas no tesouro do templo, para serem vistos e louvados pelos presentes. Tal esmola, porém, embora valiosa em termos monetários, não tinha valor para Deus.

Bem outra era a situação da pobre viúva que, tendo oferecido apenas algumas moedinhas, fez um gesto altamente agradável a Deus, porque marcado pela simplicidade e pela discrição. Talvez, só Jesus a tenha observado. A viúva não ofereceu do seu supérfluo. Antes, abriu mão do que lhe era necessário, para fazer um gesto agradável a Deus. Por isso, seu pouco tornou-se muito aos olhos de Jesus.

Oração
Senhor Jesus, dá-me pureza de coração, para que todas as minhas ações sejam marcadas pela sinceridade e por um amor verdadeiro ao Pai.

11.11.2012

32º Domingo do Tempo Comum — ANO B
(VERDE, GLÓRIA, CREIO – IV SEMANA DO SALTÉRIO)
__ "O que você está oferecendo a Deus? As sobras ou a vida?" __


http://www.npdbrasil.com.br/religiao/evangelho_do_dia_semana.htm#d8

11 de novembro – 32º DOMINGO COMUM

A GRATUIDADE

O que vale de verdade na vida é a simplicidade. Não são as pompas, os luxos, os eventos espetaculosos. Geralmente as pompas e circunstâncias estão carregadas de vaidades e pretensões egoístas. Elas podem até impressionar, mas são levadas pelo vento como palha seca.
A simplicidade é a beleza no seu estado mais puro, qual uma criança que aprende a juntar as primeiras palavras e pronuncia “mama”, “papa”. Por trás dessa beleza simples há uma sofisticação profunda. Para uma criança que está aprendendo a falar, o ato de juntar letras e dizer palavras exige um esforço mental sem medida. Aprender é devagar, porque o conhecimento deve ser profundo. O que é superficial dura pouco.
A criança pequena não joga palavras ao vento. Ela oferece tudo de si nas poucas palavras que sabe. Nem tem a pretensão de discursos pomposos. A inocência nunca se ostenta. Com o tempo, porém, expandimos a linguagem e criamos verdadeiro arsenal linguístico. Isso é bom! O problema é que também aprendemos a guerrear com as palavras e tendemos a complicar tudo. E mais: passamos a querer ser vistos pelo que temos, fazemos ou pelo que apenas parecemos ser.
Jesus, no evangelho de hoje (Mc 12,38-44), repudia veementemente os comportamentos fingidos. Ele contrasta a hipocrisia dos ricos poderosos com a transparência e simplicidade da viúva pobre. Os ricos fingidos ofertam altas quantias no cofre do Templo, achando que estão fazendo grandes coisas. Ocorre que o que mais desejam é serem vistos e aplaudidos. No entanto, para Jesus, o que conta é a gratuidade.
A viúva é pura gratuidade, faz a oferta de tudo que tem. Ela não dá do que sobra. Ela dá do que é seu. Não roubou de ninguém. É uma oferta generosa e gratuita, totalmente desinteressada. Não é uma oferta de troca, ela não espera retribuição. Sabe que sua esperança está em Deus, que é amor e se nos revela como amor incondicional.
A liturgia de hoje convida-nos a ser comunidade fiel ao Senhor, na fraternidade. Ao nosso Deus não interessam grandes manifestações religiosas ou ritos externos pomposos. A ele interessa atitude permanente de entrega, disponibilidade para os seus projetos, acolhimento generoso dos desafios da vida e prontidão constante para doar a vida em benefício dos irmãos e irmãs. O amor sem reserva é a religião querida por Jesus, nosso mestre.

Pe. Antonio Iraildo Alves de Brito, ssp
http://www.paulus.com.br/institucional/o-domingo-palavra#.UJ8pFofJQqL

Jesus sabe daquilo que podemos doar


Postado por: homilia

novembro 11th, 2012

O Evangelho segundo São Marcos nos diz que os escribas e os fariseus fazem ostentação da sua suposta bondade. Dão esmolas tocando a campainha; rezam no Templo, à frente, e em tom de grandiosidade; ocupam os primeiros lugares, etc.
“Acautelai-vos dos escribas. Eles gostam de passear com longas vestes e de receber cumprimentos nas praças. Querem os primeiros assentos nas sinagogas e os primeiros lugares nos banquetes”.
Logo a seguir, o Evangelho nos conta a história da viúva que, dando a menor moeda, dava tudo quanto possuía. Foi uma atitude que Jesus apreciou e dela fez o elogio aos Seus discípulos. A esmola da viúva, modesta no seu valor, foi a de maior significado. A misericórdia é uma virtude moral pela qual uma pessoa se dedica à outra com compaixão, dando ajuda espiritual e material na medida das suas posses.
O mérito não está na grandeza ou na pequenez da nossa oferta a Deus, mas em como a fazemos.
Os mestres da Lei, por exemplo, prevalecendo-se da estima que gozavam junto ao povo, tornavam-se vaidosos e inescrupulosos. Sentiam prazer em ser reconhecidos como pessoas altamente consideradas. Sendo assim, abusavam da boa fé e da hospitalidade das pobres viúvas, passando longas horas de oração na casa delas só para comer do bom e do melhor. Com prazer jogavam consideráveis esmolas no tesouro do Templo para serem vistos e louvados pelos presentes. Tal esmola, porém, embora valiosa em termos monetários, não tinha valor para o Senhor.
Bem diferente era o destino e a situação da pobre viúva que, tendo oferecido apenas algumas moedinhas, fez um gesto altamente agradável a Deus, porque marcado pela simplicidade e pela discrição. Talvez, só Jesus a tenha observado. A viúva não ofereceu do seu supérfluo; antes, abriu mão do que lhe era necessário para fazer um gesto agradável a Deus. Por isso, seu pouco se tornou “muito” aos olhos de Jesus. Deus vê o coração, sabe a sua dor, as suas aflições e necessidades.
Jesus sabe daquilo que eu e você podemos doar. Ele acredita no meu e no seu potencial, por isso preparou muitas coisas que somente nós podemos resolver. Mas eu e você ainda não demos tudo o que podíamos, por isso continuamos amarrados e, muitas vezes, infelizes. Não sejamos egoístas, mas generosos! Diga o seu “sim” e dê tudo aquilo que você pode e deve dar. Siga o exemplo da viúva e veja como ela agradou o Senhor. Se assim você fizer, também a sua oferta será agradável a Ele.
Senhor Jesus, dai-me pureza de coração para que todas as minhas ações sejam marcadas pela sinceridade e por um amor verdadeiro ao Pai.
Padre Bantu Mendonça
http://blog.cancaonova.com/homilia/2012/11/11/
Leitura orante 

Mc 12,38-44 - O maior dom: tudo!


Uma viúva pôs na caixa duas moedinhas.

Preparo-me para a Leitura rezando,
com todas as pessoas que navegam na internet:

Jesus Mestre, vós dissestes que a vida eterna consiste em conhecer a vós e ao Pai.
Derramai sobre nós os dons do Espírito Santo!
Que ele nos ilumine,
 
uie e fortaleça no vosso seguimento,
porque sois o único caminho para o Pai.
Fazei-nos crescer no vosso amor,
 
para que sejamos, como São Paulo,
testemunhas vivas do vosso Evangelho.
Com Maria,mãe, mestra e rainha dos apóstolos,
guardaremos a vossa Palavra, meditado-a em nosso coração. Amém.


1. Leitura (Verdade)

O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na Bíblia, o texto do dia: Mc 12,38-44, e observo pessoas, palavras, atitudes.

Ele dizia ao povo:
- Cuidado com os mestres da Lei! Eles gostam de andar para lá e para cá, usando capas compridas, e gostam de ser cumprimentados com respeito nas praças; preferem os lugares de honra nas sinagogas e os melhores lugares nos banquetes. Exploram as viúvas e roubam os seus bens; e, para disfarçarem, fazem orações compridas. Portanto, o castigo que eles vão sofrer será pior ainda!
Jesus estava no pátio do Templo, sentado perto da caixa das ofertas, olhando com atenção as pessoas que punham dinheiro ali. Muitos ricos davam muito dinheiro. Então chegou uma viúva pobre e pôs na caixa duas moedinhas de pouco valor. Aí Jesus chamou os discípulos e disse:
- Eu afirmo a vocês que isto é verdade: esta viúva pobre deu mais do que todos. Porque os outros deram do que estava sobrando. Porém ela, que é tão pobre, deu tudo o que tinha para viver.

Os ricos exibiam seu status com grandes ofertas, para serem vistos e reconhecidos pelo povo. Davam não só o que lhes sobrava, mas ainda, o fruto de sua exploração dos mais pobres. A oferta da viúva era modestíssima e não era o supérfluo. Ela "deu tudo o que tinha para viver". Por isso, sua oferta não passou despercebida a Jesus.

Jesus exalta a generosidade da mulher viúva e sua confiança em Deus. Deus é tudo para ela. Nesta certeza, ela sabe que nada lhe faltará.

2. Meditação (Caminho)

O que o texto diz para mim, hoje?

Posso me questionar se as boas obras que faço têm o objetivo de buscar reconhecimento, vaidade... ou vêm de um desejo sincero do coração, desejo de justiça, porque diante de Deus somos iguais em direitos?

 Tudo nos vem de Deus.

Os bispos, em Aparecida afirmaram:

"Também o encontramos (Jesus) de um modo especial nos pobres, aflitos e enfermos (cf. Mt 25,37-40), que exigem nosso compromisso e nos dão testemunho de fé, paciência no sofrimento e constante luta para continuar vivendo. Quantas vezes os pobres e os que sofrem realmente nos evangelizam! No reconhecimento desta presença e proximidade e na defesa dos direitos dos excluídos encontra-se a fidelidade da Igreja a Jesus Cristo
(DAp 257)

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, e concluo com a oração do Pai Nosso e o Creio.

4.Contemplação (Vida e Missão)
[
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

Como vou vivê-lo na missão?

Meu novo olhar me leva a encontrar a presença de Jesus Cristo nos mais pobres e sofredores.

"O encontro com Jesus Cristo através dos pobres é uma dimensão constitutiva de nossa fé em Jesus Cristo. Da contemplação do rosto sofredor de Cristo neles e do encontro com Ele nos aflitos e marginalizados, cuja imensa dignidade Ele mesmo nos revela, surge nossa opção por eles. A mesma união a Jesus Cristo é a que nos faz amigos dos pobres e solidários com seu destino.
(DAp 257)

Bênção 

- Deus nos abençoe e nos guarde. 
Amém. 
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. 
Amém. 
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. 
Amém. 
- Abençoe-nos Deus misericordioso, 
Pai e Filho e Espírito Santo. 
Amém. 

Irmã Patrícia Silva, fsp
http://leituraorantedapalavra.blogspot.com.br/

http://www.paulinas.org.br/diafeliz/evangelho.aspx

Oração Final
Pai Santo, infunde em nós os sentimentos de solidariedade e compaixão com os irmãos, especialmente os que sofrem e carecem dos bens essenciais para sua sobrevivência. Faze-nos fontes de esperança e alívio para todos, assim como foi para nós o Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, que contigo reina na unidade do Espírito Santo.
http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg06.php

Cifra do Salmo 145

Cifra do Salmo 145

Cifra para aprender a tocar o Salmo 145, utilizado na missa do dia 11/11/2012, Ano B;

———–E4 E        B/D#       A/C#               F#m                B4 B
— Bendize, Bendize, Bendize ó minha alma ao Senhor./
———-E4 E         B/D#       A/C#               B                    E
— Bendize, Bendize, Bendize ó minha alma ao Senhor./
————-C#m7      B/D#             E
— O Senhor    é   fiel para sempre,/
———A                   F#m7         B4
faz justiça aos que são oprimidos;
——G#m7                         C#m7
ele dá alimento aos famintos,/
————F#m7            A             B4  B
é o Senhor quem liberta os cativos.
— O Senhor abre os olhos aos cegos,/
o Senhor faz erguer-se o caído.
O Senhor ama aquele que é justo,/
é o Senhor quem protege o estrangeiro.
— Ele ampara a viúva e o órfão,/
mas confunde os caminhos dos maus./
O Senhor reinará para sempre!
Ó Sião, o teu Deus reinará/
para sempre e por todos os séculos!

http://blog.cancaonova.com/cliquesom/11-11-2012_salmo145/#more-791

Baixe e Ouça o Salmo Dominical - 145

Salmo Dominical - 145

11 de Novembro

O canal da música do cancaonova.com traz para você mais uma sugestão de melodia para salmos dominicais. Desta vez, é o Salmo 145, do próximo domingo, cujo refrão é: Bendize, oh minh'alma, o Senhor!"


Confira:


Produção musical, arranjos e execução - Paulinho de Jesus
Melodia: Priscila Macedo e Paulinho de Jesus

Essa melodia foi interpretada por Priscila Macedo, membro daComunidade Canção Nova desde 2001. Priscila participou da gravação do primeiro de CD de Salmos da Canção Nova, entitulado "Entoai Salmos" com as faixas "É no Senhor que confio e nada temo" e "De todos os temores me livrou o Senhor Deus" lançado em 2003. 

.: Confira o vídeo do Salmo 145


http://www.cancaonova.com/cnova/ministerio/temp/inf_txt.php?id=2324

LITURGIA DIÁRIA - 11/11/2012




Tema do Dia

«Tenham cuidado com os doutores da Lei.»

Elias foi para Sarepta. Encontrou uma viúva e a chamou: «Traga-me um pedaço de pão». A mulher foi fazer o que Elias mandara. E comeram, ele, ela e o filho. A farinha não se esvaziou e o azeite não se esgotou, como Javé tinha anunciado. (1Rs 17,10-16)
 http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/
Oração para antes de ler a Bíblia

orkut e hi5, Religiosos, palavras do Senhor Jesus, imagens de biblia, recados de Jesus, gifs de religião para orkut

Meu Senhor e meu Pai! Envia teu Santo Espírito para que eu compreenda 

e acolha tua Santa Palavra! Que eu te conheça e te faça conhecer, te ame

 e te faça amar, te sirva e te faça servir, te louve e te faça louvar por

 todas as criaturas. Fazei, ó Pai, que pela leitura da Palavra os pecadores

se convertam, os justos perseverem na graça e todos consigamos 

a vida eterna. Amém.


Verde. 32º DOMINGO Tempo Comum



Primeira leitura (1º Reis 17,10-16)

Domingo, 11 de Novembro de 2012
32º Domingo do Tempo Comum



Leitura do Primeiro Livro dos Reis: 

Naqueles dias, 10Elias pôs-se a caminho e foi para Sarepta. Ao chegar à porta da cidade, viu uma viúva apanhando lenha. Ele chamou-a e disse: “Por favor, traze-me um pouco de água numa vasilha para eu beber”.
11Quando ela ia buscar água, Elias gritou-lhe: “Por favor, traze-me também um pedaço de pão em tua mão”.
12Ela respondeu: “Pela vida do Senhor, teu Deus, não tenho pão. Só tenho um punhado de farinha numa vasilha e um pouco de azeite na jarra. Eu estava apanhando dois pedaços de lenha, a fim de preparar esse resto para mim e meu filho, para comermos e depois esperar a morte”.
13Elias replicou-lhe: “Não te preocupes! Vai e faze como disseste. Mas, primeiro, prepara-me com isso um pãozinho e traze-o. Depois farás o mesmo para ti e teu filho. 14Porque assim fala o Senhor, Deus de Israel: ‘A vasilha de farinha não acabará e a jarra de azeite não diminuirá, até o dia em que o Senhor enviar a chuva sobre a face da terra’”.
15A mulher foi e fez como Elias lhe tinha dito. E comeram, ele e ela e sua casa, durante muito tempo. 16A farinha da vasilha não acabou nem diminuiu o óleo da jarra, conforme o que o Senhor tinha dito por intermédio de Elias.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Salmo (Salmos 145)

Domingo, 11 de Novembro de 2012
32º Domingo do Tempo Comum



— Bendize, minh’alma, bendize ao Senhor! 
— Bendize, minh’alma, bendize ao Senhor!

— O Senhor é fiel para sempre,/ faz justiça aos que são oprimidos;/ ele dá alimento aos famintos,/ é o Senhor quem liberta os cativos.
— O Senhor abre os olhos aos cegos,/ o Senhor faz erguer-se o caído;/ o Senhor ama aquele que é justo./ É o Senhor quem protege o estrangeiro.
— Quem ampara a viúva e o órfão,/ mas confunde os caminhos dos maus. / O Senhor reinará para sempre!/ Ó Sião, o teu Deus reinará/ para sempre e por todos os séculos!


Segunda leitura (Hebreus 9,24-28)

Domingo, 11 de Novembro de 2012
32º Domingo do Tempo Comum



Leitura da Carta aos Hebreus: 

24Cristo não entrou num santuário feito por mão humana, imagem do verdadeiro, mas no próprio céu, a fim de comparecer, agora, na presença de Deus, em nosso favor.
25E não foi para se oferecer a si muitas vezes, como o sumo sacerdote que, cada ano, entra no Santuário com sangue alheio. 26Porque, se assim fosse, deveria ter sofrido muitas vezes, desde a fundação do mundo. Mas foi agora, na plenitude dos tempos, que, uma vez por todas, ele se manifestou para destruir o pecado pelo sacrifício de si mesmo.
27O destino de todo homem é morrer uma só vez e, depois, vem o julgamento. 28Do mesmo modo, também Cristo, oferecido uma vez por todas, para tirar os pecados da multidão, aparecerá uma segunda vez, fora do pecado, para salvar aqueles que o esperam.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Evangelho (Marcos 12,38-44)

Domingo, 11 de Novembro de 2012
32º Domingo do Tempo Comum




A pobre viúva


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 38Jesus dizia, no seu ensinamento a uma grande multidão: “Tomai cuidado com os doutores da Lei! Eles gostam de andar com roupas vistosas, de ser cumprimentados nas praças públicas; 39gostam das primeiras cadeiras nas sinagogas e dos melhores lugares nos banquetes. 40Eles devoram as casas das viúvas, fingindo fazer longas orações. Por isso eles receberão a pior condenação”.
41Jesus estava sentado no Templo, diante do cofre das esmolas, e observava como a multidão depositava suas moedas no cofre. Muitos ricos depositavam grandes quantias.
42Então chegou uma pobre viúva que deu duas pequenas moedas, que não valiam quase nada.
43Jesus chamou os discípulos e disse: “Em verdade vos digo, esta pobre viúva deu mais do que todos os outros que ofereceram esmolas. 44Todos deram do que tinham de sobra, enquanto ela, na sua pobreza, ofereceu tudo aquilo que possuía para viver”.

 


- Palavra da Salvação. 
- Glória a vós, Senhor.


Oração para depois de ler a Bíblia

orkut e hi5, Religiosos, mensagem religiosa, imagem da biblia, recados de religião, scraps religioso para orkut

Dou-Te graças, meu Deus, pelos bons propósitos, afetos e inspirações
que me comunicastes nesta meditação; peço-Te ajuda para colocá-los  em prática. Minha Mãe Imaculada, meu protetor São José e Anjo da minha guarda, intercedeis todos por mim. Amém.