quinta-feira, 22 de julho de 2021

BOM DIA! BOA TARDE! BOA NOITE! Oração da noite, Oração da manhã e Oração do entardecer - Deus te abençoe!



Oração da Noite

Boa noite Pai.
Termina o dia e a ti entrego meu cansaço.
Obrigado por tudo e… perdão!!
Obrigado pela esperança que hoje animou meus passos, pela alegria que vi no rosto das crianças;
Obrigado pelo exemplo que recebi daquele meu irmão;
Obrigado também por isso que me fez sofrer…
Obrigado porque naquele momento de desânimo lembrei que tu és meu Pai; Obrigado pela luz, pela noite, pela brisa, pela comida, pelo meu desejo de superação…
Obrigado, Pai, porque me deste uma Mãe!
Perdão, também, Senhor!
Perdão por meu rosto carrancudo; Perdão porque não me lembrei que não sou filho único, mas irmão de muitos; Perdão, Pai, pela falta de colaboração e serviço e porque não evitei aquela lágrima, aquele desgosto; Perdão por ter guardado para mim tua mensagem de amor;
Perdão por não ter sabido hoje entregar-me e dizer: “sim”, como Maria.
Perdão por aqueles que deviam pedir-te perdão e não se decidem.
Perdoa-me, Pai, e abençoa os meus propósitos para o dia de amanhã, que ao despertar, me invada novo entusiasmo; que o dia de amanhã seja um ininterrupto “sim” vivido conscientemente.
Amém!!!

Oração da manhã

Bom-dia, Senhor Deus e Pai!
A ti, a nossa gratidão pela vida que desperta, pelo calor que
cria vida, pela luz que abre nossos olhos.
Nós te agradecemos por tudo que forma nossa vida, pela terra, pela água, pelo ar, pelas pessoas. Inspira-nos com teu Espírito Santo os pensamentos que vamos alimentar,as palavras que vamos dizer, os gestos que vamos dirigir,a comunicação que vamos realizar.
Abençoa as pessoas que nós encontramos, os alimentos que vamos ingerir.
Abençoa os passos que nós dermos, o trabalho que devemos fazer.
Abençoa, Senhor, as decisões que vamos tomar, a esperança que vamos promover,a paz que vamos semear,a fé que vamos viver, o amor que vamos partilhar.
Ajuda-nos, Senhor, a não fugir diante das dificuldades, mas a abraçar amor as pequenas cruzes deste dia.
Queremos estar contigo, Senhor, no início, durante e no fim deste dia.
Amém.

Oração do entardecer

Ó Deus!
Cai à tarde, a noite se aproxima.
Há neste instante, um chamado à elevação, à paz, à reflexão.
O dia passa e carregam os meus cuidados.
Quem fez, fez.
Também a minha existência material é um dia que se passa,
uma plantação que se faz, um caminho para algo superior.
Como fizeste a manhã, à tarde e a noite, com seus encantos,
fizeste também a mim, com os meus significados, meus resultados.
Aproxima de mim, Pai, a Tua paz para que usufrua desta
hora e tome seguras decisões para amanhã.
Que se ponha o sol no horizonte, mas que nasça
em mim o sol da renovação e da paz para sempre.
Obrigado, Deus, muito obrigado!
Amém!

Santa Maria Madalena - 22 de Julho




Natural de Mágdala, na Galileia, Maria Madalena foi contemporânea de Jesus Cristo, tendo vivido no Século I. O testemunho de Maria Madalena é encontrado nos quatro Evangelhos:
Os doze estavam com ele, e também mulheres que tinham sido curadas de espíritos maus e de doenças. Maria, dita de Mágdala, da qual haviam saído sete demônios…” (Lc 8,1-2).

Sorrindo Pra Vida - 22/07/2021


Canal do Youtube - Canção Nova Play

Publicado em 22 de jul. de 2021

LEITURA ORANTE DO DIA 22/07/2021



LEITURA ORANTE

Jo 20,1-2.11-18 - Vi o Senhor!


Preparamo-nos para a Leitura Orante, rezando,
com todos os  que se encontram em torno da Palavra:

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Creio, Senhor Jesus, que sou parte de seu Corpo.
Trindade Santíssima - Pai, Filho, Espírito Santo -
presente e agindo na Igreja
e na profundidade do meu ser.
Eu vos adoro, amo e agradeço.

O Senhor disse a Maria Madalena:
Vai a meus irmãos e anuncia-lhes:
Subo a meu Pai e vosso Pai, a meu Deus e vosso Deus.
(Jo 20,17).
Maria de Magdala, cidade situada na Galileia, é a mulher que, segundo os Evangelhos, seguiu constantemente Jesus, até os pés da cruz. Seu ardente amor foi recompensado com o fato de ser a primeira a reconhecer Jesus ressuscitado, o qual fez dela a primeira missionária: “‘Vá encontrar os meus irmãos…’ Então Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: ‘Eu vi o Senhor’” (Jo 20,17-18). A santa que hoje celebramos seja, para nós, modelo de fidelidade ao divino Mestre e de amizade com ele..

1. Leitura (Verdade)
- O que a Palavra diz?
Lemos, atentamente, o texto do Evangelho do Dia: Jo 20,1-2.11-18.

Aleluuia, aleluia, aleluia.
Responde-nos, ó Maria, / no teu caminho o que havia? / Vi Cristo ressuscitado, / o túmulo abandonado! – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João
1No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus, bem de madrugada, quando ainda estava escuro, e viu que a pedra tinha sido retirada do túmulo. 2Então ela saiu correndo e foi encontrar Simão Pedro e o outro discípulo, aquele que Jesus amava, e lhes disse: “Tiraram o Senhor do túmulo, e não sabemos onde o colocaram”. 11Maria estava do lado de fora do túmulo, chorando. Enquanto chorava, inclinou-se e olhou para dentro do túmulo. 12Viu, então, dois anjos vestidos de branco, sentados onde tinha sido posto o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés. 13Os anjos perguntaram: “Mulher, por que choras?” Ela respondeu: “Levaram o meu Senhor e não sei onde o colocaram”. 14Tendo dito isso, Maria voltou-se para trás e viu Jesus, de pé. Mas não sabia que era Jesus. 15Jesus perguntou-lhe: “Mulher, por que choras? A quem procuras?” Pensando que era o jardineiro, Maria disse: “Senhor, se foste tu que o levaste, dize-me onde o colocaste, e eu o irei buscar”. 16Então Jesus disse: “Maria!” Ela voltou-se e exclamou em hebraico: “Rabunni” (que quer dizer “mestre”). 17Jesus disse: “Não me segures. Ainda não subi para junto do Pai. Mas vai dizer aos meus irmãos: subo para junto do meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus”. 18Então Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: “Eu vi o Senhor!” e contou o que Jesus lhe tinha dito. – Palavra da salvação.
Refletindo
Maria Madalena representa a comunidade que está à procura de Deus. Interessante é que são estas as primeiras palavras de Jesus, no evangelho escrito por João: "O que é que vocês estão procurando?" (Jo 1,38).
Maria Madalena está transtornada diante do túmulo vazio e chora. Nesta situação ela confunde Jesus com o jardineiro. Motivada por seu amor ela propõe ir buscar o Corpo de Jesus e colocá-lo de volta no sepulcro. Uma simples palavra mudou tudo. Jesus a chamou pelo nome: "Maria!" O tom familiar colocado por Jesus no nome, na identidade da mulher, fez com ela se virasse e o reconhecesse, feliz: "Mestre!" Torna-se, então, missionária, ou seja, enviada a anunciar a Ressurreição. Torna-se testemunha: "Eu vi o Senhor!" Este é o testemunho mais convincente e ninguém pode duvidar que Jesus está vivo.

2. Meditação (Caminho)
- O que a Palavra diz para nós?
O que procuramos?
Choramos, lamentamos por quais motivos?
Já ouvimos o Senhor chamar-nos pelo  nome?
Ele é o nosso Mestre?
Somos testemunhas de que ele vive entre nós?
Ajudamos a recuperar a alegria, a fé, a esperança no coração das pessoas que se perderam na dor, na desilusão, no desespero?
Reconhecemos a voz do Senhor?
Temos o mesmo respeito e valorizamos as mulheres como Jesus?
Meditando
Disseram os bispos, em Aparecida:
A prática de Jesus foi decisiva para significar a dignidade da mulher e de seu valor indiscutível: falou com elas (cf Jo 4,27), teve singular misericórdia com as pecadoras (cf. Lc 7,36-50; Jo 8,11), curou-as (cf. Mc 5,25-34), reivindicou sua dignidade (cf Jo 8,1-11), escolheu-as como primeiras testemunhas de sua ressurreição (cf. Mt 28,9-10) e incorporou-as ao grupo de pessoas que lhe eram mais próximas (cf. Lc 8,1-3).” (DAp 451).

3. Oração (Vida)
- O que a Palavra nos leva a dizer a Deus?
Rezamos o Salmo 62(63)

A minha alma tem sede de vós, Senhor!

1. Sois vós, ó Senhor, o meu Deus! / Desde a aurora, ansioso vos busco! / A minha alma tem sede de vós, † minha carne também vos deseja, / como terra sedenta e sem água! – R.
2. Venho, assim, contemplar-vos no templo / para ver vossa glória e poder. / Vosso amor vale mais do que a vida, / e por isso meus lábios vos louvam. – R.
3. Quero, pois, vos louvar pela vida / e elevar para vós minhas mãos! / A minha alma será saciada, / como em grande banquete de festa; / cantará a alegria em meus lábios / ao cantar para vós meu louvor! – R.
4. Para mim fostes sempre um socorro; / de vossas asas à sombra eu exulto! / Minha alma se agarra em vós; / com poder vossa mão me sustenta. – R.

4. Contemplação(Vida/ Missão)
- Qual o nosso novo olhar a partir da Palavra?
Teremos um olhar renovado de quem "viu o Senhor" e sentiu-se chamado/a por ele pelo nome.

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Ir. Patrícia Silva, fsp

HOMILIA - Deus nos chama pelo nome - Padre Valdinei Teodoro (22/07/2021)


Canal do Youtube - Canção Nova Play

Publicado em 22 de jul. de 2021

Santa Maria Madalena | (Jo 20, 1-2.11-18) #459- Meditação da Palavra - Frei Gilson



Publicado em 22 de jul. de 2021

Mãe Maria | Dom Walmor - 22/07/2021


Canal do Youtube: Rádio América

Publicado em 22 de jul. de 2021

Homilia Diária | Festa de Santa Maria Madalena - Padre Paulo Ricardo


Canal do Youtube: Padre Paulo Ricardo

Publicado em 21 de jul. de 2021

A Igreja celebra hoje a festa de Santa Maria Madalena. Discípula e fiel seguidora de Nosso Senhor, Maria Madalena representa a condição de todos nós, pecadores, mas igualmente chamados à santidade: antes, prostituta vendida ao “amor” adúltero das criaturas e dos ídolos; depois, alma enamorada que anseia ardorosamente a união com o nosso único e verdadeiro Esposo. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta quinta-feira, dia 22 de julho, e entendamos, a partir do exemplo de Maria Madalena, o que significa ser santo e como chegar a tornar-se um!

HOMILIA DIÁRIA - (CANÇÃO NOVA) - Jo 20,1-2.11-18 - 22/07/2021


Jesus é o único que dá sentido à nossa vida

“No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus, bem de madrugada, quando ainda estava escuro, e viu que a pedra tinha sido retirada do túmulo” (João 20,1).


Maria Madalena é a primeira discípula do Ressuscitado, é a primeira que se encontra com o Ressuscitado. Maria Madalena é a grande testemunha da Ressurreição de Jesus.
Veja os fatos: ela vai ao túmulo bem de madrugada quando ainda estava escuro, remete à própria vida dela, porque, na vida, ela experimentou uma grande escuridão, ela viveu períodos muito obscuros na vida. Não posso dizer ou afirmar com detalhes que ,vida Maria Madalena, Maria de Magdala, levou.
O que a Palavra nos diz é que Jesus transformou sua vida, pois dela foram expulsos sete demônios. Não vou demonizar, querer acusá-la ou denominá-la, como se ela tivesse sido; alguns dizem que ela foi prostituta. Não é isso que a Palavra de Deus nos diz, o que a Palavra nos diz é que sete demônios estavam sobre ela, é a totalidade dos pecados, podem ser os sete pecados capitais. Enfim, o fato é que era uma alma que vivia na escuridão do pecado.

O sentido da nossa vida não é a vida terrena somente, Jesus é o sentido eterno e pleno da nossa vida

Jesus, a luz do mundo, chegou para iluminar a sua vida e o seu coração, e desde que a luz de Jesus penetrou a sua vida, Madalena não foi mais a mesma, ela foi uma mulher transformada pela luz, que é Jesus. E, desde então, ela saiu da escuridão e passou a caminhar sempre na luz de Jesus. Maria Madalena nunca mais largou Jesus, nunca mais deixou de segui-Lo, amá-Lo e voltar para Ele todo o seu coração. Aquele que tirou a escuridão da sua vida passou a ser a luz e a razão da sua existência.
Quantas trevas vivem no nosso coração, quantas escuridões tomam conta da nossa alma ou quantas vezes a nossa alma vive na escuridão do pecado, do mal, do erro e da ignorância. Jesus é Luz e o Ressuscitado, assim como foi luz no coração e na vida de Madalena, quer ser luz também para a nossa vida.
Você imagina ela ainda naquela madrugada do sábado para cuidar do corpo do Senhor, para cuidar do corpo d’Aquele que lhe deu a vida, aquele que deu sentido para a sua vida. Ela ainda atravessava a escuridão da madrugada quando chegou ao túmulo, imagine no primeiro momento, o susto que ela tomou por não encontrar o seu Senhor ali.
Maria Madalena não sabia mais viver sem Jesus porque Ele deu razão e sentido para a sua vida. Nenhum outro dará razão e sentido profundo à sua vida a não ser Jesus.
Às vezes, colocamos a razão e o sentido da nossa vida em pessoas, em coisas, em funções, em trabalhos. Precisamos do trabalho, precisamos nessa vida viver, ter amigos, parentes, pais e ter paz. Na nossa vida precisamos uns dos outros, mas ninguém traz luz e sentido para a nossa vida como Jesus.
O sentido da nossa vida não é a vida terrena somente, Jesus é o sentido eterno e pleno da nossa vida. Não vamos nos encontrar com Jesus depois que morrermos, porque Jesus veio ao nosso encontro na nossa vida para que a nossa vida aqui tenha sentido; e já um sentido e um sabor eterno. Foi esse sentido que Maria Madalena encontrou, é assim que Deus também quer que nos encontremos com Ele; e Ele se torne a razão e o sentido do nosso viver.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 22/07/2021

ANO B


Jo 20,1-2.11-18

Comentário do Evangelho

O salto próprio da fé

O primeiro dia da semana é o tempo privilegiado do encontro com o Ressuscitado. Maria Madalena desconcertada e embebida na tristeza, vai ao túmulo, ainda de madrugada, quando é difícil ver com clareza. Só a aparência (a pedra retirada da entrada do sepulcro e o sepulcro vazio) não é suficiente para a fé. É necessário um olhar mais límpido e profundo. Efetivamente, há uma tristeza que imobiliza e impede o salto próprio da fé. As lágrimas da desolação distorcem o olhar. Por isso, os mensageiros de Deus dirão a Maria Madalena: “... por que choras? Quem procuras?” (v. 15). Esta palavra é extensiva a todo leitor do evangelho, a toda a Igreja. O encontro com o Senhor da vida enxuga nossas lágrimas; é ele quem nos liberta da realidade da morte. Sua presença e sua palavra suscitam em Maria e em nós a exclamação do reconhecimento e da fé: “Rabûni!” (v. 16). Maria Madalena, testemunha do Ressuscitado, pode compreender agora que o corpo do Senhor não foi roubado, mas transfigurado. Esse encontro fará dela arauto de uma boa notícia: “Eu vi o Senhor!” (v. 18).
Carlos Alberto Contieri, sj
Oração
Pai, desperta no meu coração uma fé verdadeira em Cristo ressuscitado, presente e vivo em nosso meio, vencedor da morte e do pecado.
Fonte: Paulinas em 22/07/2013

Comentário do Evangelho

Eu vi o Senhor”.

Maria Madalena, discípula de Jesus, a qual Jesus havia libertado de muitos males (Lc 8,1-3), é agora testemunha de sua ressurreição. O primeiro dia da semana é a unidade de tempo que perpassa os relatos da “aparição do ressuscitado”. A ressurreição não pode ser provada ao modo da ciência. Ela é objeto da fé. A presença do ressuscitado não é evidente nem experimentada imediatamente. Num primeiro momento, Maria Madalena não pôde “ver” o Senhor através dos seus sinais. Isso porque o reconhecimento do Ressuscitado necessita do testemunho e da fé. A tristeza impede de ver com clareza e para além do imediatamente perceptível. O Senhor trata a cada um pessoalmente, por isso sua palavra a Maria Madalena suscita nela a exclamação própria da fé: Rabûni! Maria Madalena entra no mistério de Jesus Cristo ressuscitado; experimenta que o que ela imaginava e a fazia sofrer difere do que ela agora experimenta no encontro com o Senhor: o corpo transfigurado de Jesus pela ressurreição permite encontrá-lo nas mais diferentes situações da existência humana. O encontro de Maria Madalena com o Senhor foi de tal modo profundo que ela pôde dizer: “Eu vi o Senhor”.
Carlos Alberto Contieri, sj
Oração
Pai, reforça minha fé na ressurreição de teu Filho Jesus, pois com ela deste prova de amá-lo e destiná-lo para a comunhão eterna contigo.
Fonte: Paulinas em 22/07/2014

Vivendo a Palavra

A fé de Maria Madalena foi além da morte de Jesus. Os discípulos O haviam abandonado. Só Maria continuava fiel ao Mestre. Por ter amado tanto, foi a primeira testemunha do Ressuscitado e portadora de sua mensagem aos irmãos. Nós, a Igreja de Jesus, temos a coragem de Maria para anunciar ao mundo a ressurreição do Cristo?
Fonte: Arquidiocese BH em 22/07/2013

Vivendo a Palavra

A missão assumida por Madalena é parecida com a nossa missão de Igreja: anunciar ao mundo que o Cristo Jesus, morto e sepultado pelos homens, Ressuscitou como diziam as Escrituras. Tal como Maria reconheceu o Senhor ao dizer seu nome, nós o reconheçamos ouvindo o nosso chamado pessoal.
Fonte: Arquidiocese BH em 22/07/2014

VIVENDO A PALAVRA

Simplesmente o carinho e a força de um nome: “Maria!” e a discípula Madalena compreendeu que ‘as coisas antigas passaram e a profecia se realizou: eis que uma realidade nova apareceu’. E corre para avisar aos Apóstolos – e também aos discípulos daquele tempo e de todos os tempos – que Jesus Cristo ressuscitou e sobe para junto do Seu Pai e nosso Pai, do Seu Deus e nosso Deus.
Fonte: Arquidiocese BH em 22/07/2020

vIVENDO A PALAVRa

Madalena ainda estava preocupada com a pedra a ser removida… Encontrar Jesus ressuscitado não estava em sua cogitação. Mas bastou ouvir o seu nome, pronunciado daquele jeito familiar, para que ela acordasse e caísse na realidade: Cristo está Vivo! Jesus fala hoje conosco, também no mesmo tom, próprio de amigos. Estejamos atentos aos sinais dos tempos para entrar no clima da Ressurreição.

Reflexão

Este Evangelho nos mostra o surpreendente amor que Maria Madalena tinha por Jesus e a conseqüente experiência que ela faz da presença do Ressuscitado em sua vida, que a levou a exclamar “Mestre” e a segurá-lo a ponto de o próprio Ressuscitado pedir-lhe que não o segurasse, pois ainda não havia subido para junto de Deus. De fato, somente quem ama verdadeiramente a Jesus o reconhece como verdadeiro Mestre e faz a experiência de sua presença viva e amorosa no seu dia a dia. Mas esta experiência necessariamente faz da pessoa um evangelizador. Assim que Maria Madalena fez a experiência do encontro pessoal com Jesus Ressuscitado, foi anunciar esta verdade.
Fonte: CNBB em 22/07/2013 22/07/2014

Reflexão

Maria de Magdala é a mulher que seguiu Jesus desde a Galileia até a Judeia. Esteve presente à morte e ao sepultamento de Jesus. Enquanto chorava por não encontrar o amigo morto, Jesus ressuscitado se dirige a ela chamando-a pelo nome “Maria”. Ao reconhecer o Mestre, acaba o choro, e a alegria inunda-lhe o ser. Jesus controla o ímpeto de Maria que quer segurá-lo, talvez como demonstração de imenso carinho. Os discípulos, doravante, deverão reconhecer Jesus, não mais pelo contato físico, mas pelo caminho da fé. Jesus então lhe confia o anúncio do grande mistério: “Vá encontrar os meus irmãos e diga a eles: ‘Eu estou subindo para junto do meu Pai e Pai de vocês, do meu Deus e Deus de vocês'”. Esta é Boa Notícia do Ressuscitado, de quem ela é testemunha ocular e fidedigna: “Eu vi o Senhor”.
Oração
Ó Mestre e Senhor, tiveste grande predileção por Maria Madalena, dela fizeste atenciosa e dócil discípula, que prestava socorro a ti e aos demais discípulos em tuas jornadas e pregações por toda parte. E a tornaste, enfim, a primeira mensageira de tua ressurreição. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)
Fonte: Paulus em 22/07/2020

Reflexão

Maria de Magdala é a mulher que seguiu constantemente Jesus desde a Galileia até a Judeia. Presente aos pés da cruz e diligente no sepultamento de Jesus, foi a primeira a encontrar-se com o Ressuscitado e também a primeira missionária a anunciar a Boa-Nova aos apóstolos (v. 17). Maria Madalena é mencionada no grupo de mulheres que “serviam Jesus com os bens que possuíam” (Lc 8,3). Ali se diz que dela foram expulsos “sete demônios”, expressão que acabou dando margem para variadas interpretações, algumas sem cabimento. Houve época em que Maria Madalena foi identificada com a pecadora pública (cf. Lc 7,36s) ou com a adúltera (cf. Jo 8,1s). Os textos bíblicos a ela referentes não afirmam isso.
Oração
Ó Mestre e Senhor, tiveste grande predileção por Maria Madalena, dela fizeste atenciosa e dócil discípula, que prestava socorro a ti e aos demais discípulos em tuas jornadas e pregações por toda parte. E a tornaste, enfim, a primeira mensageira de tua ressurreição. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2021 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp e Pe. Nilo Luza, ssp)

Meditação

Vejo Jesus? Onde e em que circunstâncias? - A Ressurreição de Jesus me incentiva a buscar sempre viver mais perto das coisas de Deus? - Vivo minha Fé de modo intenso e atuante? - Vejo Jesus presente em meu próximo? - Há muitos modos de anunciar a vida nova proposta por Jesus. Como dou testemunho de sua Ressurreição?
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R
Fonte: a12 - Santuário em 22/07/2013

Recadinho

Você pode dizer sinceramente que Jesus é tudo em sua vida? Em todos os seus atos você procura sempre agradar a Cristo? - Você está consciente de que Cristo o ama muito, sem considerar as faltas de amor que você cometeu no passado? - Você se considera um verdadeiro apóstolo de Cristo? - Você está preocupado em ser um enviado de Cristo a seus irmãos? - Cite um exemplo de apostolado que você realizou recentemente.
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R
Fonte: a12 - Santuário Nacional em 22/07/2014

Comentário do Evangelho

O SEPULCRO VAZIO

Os discípulos começaram a se dar conta da ressurreição do Senhor, ao se depararem com o sepulcro vazio. Maria Madalena, alarmada, pensou que o corpo de Jesus tivesse sido retirado, à surdina, e colocado num outro lugar. Pedro, tendo acorrido para se inteirar dos fatos, apenas constatou onde estavam o lençol e os demais panos com que Jesus havia sido envolvido. O discípulo amado, este sim, começou a perceber que algo de muito extraordinário havia acontecido. Por isso, foi capaz de passar da constatação do sepulcro vazio à fé: "Ele viu e acreditou".
O sepulcro vazio, por si só, não podia servir de prova para a ressurreição do Senhor. Seria sempre possível acusar os cristãos de fraude. Poderiam ter dado sumiço ao cadáver de Jesus, e sair dizendo que ele ressuscitara. Era preciso ir além e descobrir, de fato, onde estava o corpo do Mestre.
O discípulo amado, de imediato, cultivou a esperança de encontrar-se com o Senhor. Sua fé consistiu na certeza de que o Mestre estava vivo, não no sepulcro, porque ali não era o seu lugar. Senhor da vida, não poderia ter sido derrotado pela morte. Filho amado do Pai, as forças do mal não poderiam prevalecer sobre ele. Embora sem ter chegado ao pleno conhecimento do fato, a fé na ressurreição despontava no coração do discípulo amado.
Oração
Espírito de ressurreição, como o discípulo amado, creio que o Crucificado venceu a morte e as forças do mal.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Ó Deus, o vosso filho confiou a Maria Madalena o primeiro anúncio da alegria pascal; dai-nos, por suas preces e a seu exemplo, anunciar também que Cristo vive e contemplá-lo na glória de seu reino. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Dom Total em 22/07/2014

Meditando o evangelho

NÃO ME RETENHAS!

A cena comovente do encontro de Maria de Mágdala com Jesus evidencia a mudança de relacionamento entre o discípulo e o Mestre, operada a partir da ressurreição. A nova condição de Jesus exigia um novo tipo de relacionamento.
Maria expressou o carinho que nutria por Jesus nos vários detalhes de seu comportamento. A notícia do desaparecimento do corpo do Senhor deixou-a perplexa. Com isso, perdia um sinal seguro da presença do amigo querido, mesmo reduzido a um cadáver. Sem ele, não teria um lugar preciso ao qual se dirigir quando quisesse prantear a perda irreparável do amigo. Por isso, mesmo que todos tivessem se afastado, ela permaneceu sozinha, à entrada do túmulo, chorando.
Seu diálogo com os anjos ocorreu de maneira espontânea, sem ela se dar conta de estar falando com seres celestes. Só lhe importava saber onde puseram "o meu Senhor". Da mesma forma aconteceu o diálogo com o Ressuscitado. Num primeiro momento, Maria pensou tratar-se de um jardineiro. Demonstrando uma admirável fortaleza de ânimo mostrou-se disposta a ir, sozinha, buscar o cadáver do Mestre para recolocá-lo no sepulcro. Tão logo reconheceu a voz do Mestre, tentou agarrar-se a ele. Ele, porém, exortou-a a mudar de comportamento. Doravante, o sinal de amizade que o Senhor queria dela era que se tornasse missionária da ressurreição. Já se fora o tempo em que podia tocá-lo fisicamente.
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total).
Oração
Pai, ensina-me a ter um relacionamento conveniente com o Ressuscitado, reconhecendo que ele quer fazer de mim uma testemunha da ressurreição.

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

1. Maria Madalena
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Hoje nos encontramos com Maria Madalena, uma mulher apaixonada por Jesus, uma paixão até hoje incompreendida e mal falada por alguns "iluminados", que não conseguem vislumbrar algo além da carne. Jesus é o Grande Amor, não só de Madalena, mas de todos os que Nele creem, e que só podem experimentá-lo a partir do amor que fascina e deslumbra.
Parece que João, Evangelista, neste evangelho apresenta-nos um resumo da Vida de Madalena, tendo como enredo a sua experiência com Jesus. Em Jesus tivera início a Nova Criação, era o primeiro dia da Semana, Madalena VIU a pedra removida do sepulcro, ainda estava escuro, era o início da sua Vida de Fé, ainda não consegue experimentar aquilo que transcende e prevalece a Lógica humana "Tiraram o corpo do meu Senhor", vai dizer aos apóstolos.
Inclinar-se para olhar dentro do sepulcro é atitude de quem está à procura de algo mais, VE dois anjos, "Levaram o meu Senhor!" Com a Fé um pouco mais amadurecida ela consegue ver além, entretanto ainda pensa dentro da lógica humana. Depois disso ela se volta e vê Jesus, mas não o reconheceu, de fato, Jesus se deu a conhecer enquanto Palavra a ponto do próprio João chamá-lo de Verbo Encarnado, é a Palavra Poderosa de Deus que irá criar o mundo "FAÇA-SE", quando Jesus a chama pelo nome "Maria", então ela o reconhece, é precisamente a Palavra que nos comunica o dom da Fé, é a Palavra que cria e nos recria, nos renova e restaura.
"Mestre" vai exclamar Madalena. Quem o reconheceu quer experimentá-lo, tocar o outro, achegar-se mais ao outro, abraçar, pegar na mão. Madalena pensa ser esse o modo de experimentar Jesus em sua vida agora iluminada pela Fé.
As comunidades Joaninas dos anos 70 – 80 estavam desejosas de saber melhor quem era Jesus, e desejavam, como Madalena, tocá-lo, vê-lo, enxergá-lo. Retê-lo como um Bem particular, porém, não é mais esse o modo de se fazer a experiência de Jesus em nossa vida e em nossas comunidades.
Em seu estado glorioso, há uma presença real do Senhor, porém mística, que não se alcança com nossos sentidos, como cantamos no "Tão Sublime Sacramento". Madalena representa toda uma comunidade que por aquele tempo, quando tudo parecia ainda obscuro, soube vislumbrar essa nova presença de Jesus junto aos seus. Continuou uma eterna enamorada de Jesus, até o dia em que, na visão Beatífica, pode contemplá-lo plenificando o amor que alimentou nessa vida.
Inspirados por Santa Maria Madalena, que possamos também fazer essa bela experiência, reconhecendo o Senhor a partir da sua Santa Palavra, percebendo-o na vida dos irmãos e irmãs, que conosco caminham na comunidade.

2. Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: “Eu vi o Senhor” - Jo 20,1-2.11-18
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

Maria Madalena procurava o que lhe era conhecido. Ela buscava um cadáver, o corpo morto de Jesus. Ela o viu morrer e viu onde o corpo havia sido colocado. Passado o sábado, foi ao túmulo, não encontrou o corpo, encontrou-se com Jesus vivo, não o reconheceu, porque não o procurava e porque chorava. Por fim, tornou-se a Apóstola dos Apóstolos, anunciando-lhes a ressurreição.

HOMILIA

PORQUE CHORAS, A QUEM PROCURAS?

Os Evangelhos, além da Mãe de Jesus, falam explicitamente de três mulheres de nome Maria: Maria, mãe de Tiago e José (Mc 15,40); Maria, irmã de Marta e Lázaro (Jo 11,1-2) e Maria Madalena da qual foram expulsos sete demônios (Lc 10,38) e finalmente se fala de mais uma mulher pecadora que ungiu os pés de Jesus (Lc 7,44). Tudo quanto se saiba a partir do Evangelho. Ela é Maria, proveniente de Mágdala, uma cidade muito próspera no tempo de Cristo.
Maria Madalena foi das poucas pessoas que estava presente ao pé da Cruz, ao lado da Virgem Maria. Duas mulheres, dois extremos: a Imaculada e uma pecadora pública! Ambas receberam a redenção de Cristo, mas em forma diversa: Maria por antecipação, por força da qual foi concebida imaculada; Madalena, representando a humanidade pecadora, precisou ser lavada pelo sangue do Redentor!
Maria Madalena foi a feliz mulher que, por primeiro, viu o Cristo ressuscitado. Era a manhã de Páscoa. Maria tinha ido ao sepulcro vazio. Andava quase desesperada, achando que alguém tivesse roubado o corpo do Mestre. Vê a certo momento um hortelão e, angustiada, lhe pergunta: "Se foste tu que o levaste, dize-me onde o puseste". Jesus a chama pelo nome: "Maria..." A este nome abrem-se-lhe os olhos e exclama: "Rabboni", isto é, Mestre! Foi então levar a Boa-Nova da Ressurreição aos apóstolos.
A cena comovente do encontro de Maria de Mágdala com Jesus evidencia a mudança de relacionamento entre o discípulo e o Mestre, operada a partir da ressurreição. A nova condição de Jesus exigia um novo tipo de relacionamento.
Maria expressou o carinho que nutria por Jesus nos vários detalhes de seu comportamento. A notícia do desaparecimento do corpo do Senhor deixou-a perplexa. Com isso, perdia um sinal seguro da presença do amigo querido, mesmo reduzido a um cadáver. Sem ele, não teria um lugar preciso ao qual se dirigir quando quisesse prantear a perda irreparável do amigo. Por isso, mesmo que todos tivessem se afastado, ela permaneceu sozinha, à entrada do túmulo, chorando.
Seu diálogo com os anjos ocorreu de maneira espontânea, sem ela se dar conta de estar falando com seres celestes. Só lhe importava saber onde puseram "o meu Senhor". Da mesma forma aconteceu o diálogo com o Ressuscitado. Num primeiro momento, Maria pensou tratar-se de um jardineiro. Demonstrando uma admirável fortaleza de ânimo mostrou-se disposta a ir, sozinha, buscar o cadáver do Mestre para recolocá-lo no sepulcro. Tão logo reconheceu a voz do Mestre, tentou agarrar-se a ele. Ele, porém, exortou-a a mudar de comportamento. Doravante, o sinal de amizade que o Senhor queria dela era que se tornasse missionária da ressurreição. Já se fora o tempo em que podia tocá-lo fisicamente.
Maria buscava a Jesus morto e queria tocar o Seu corpo inanimado. Desejou permanecer na dor e não percebeu que o túmulo estava vazio porque Jesus estava vivo. Muitas vezes nós também procuramos a Jesus nos lugares errados ou então O imaginamos como um Deus morto, sem vida, ausente da nossa história. Por isso Jesus também nos faz essas duas perguntas básicas: porque choras e a quem procuras! Choramos a nossa falta de fé e de confiança na Sua Palavra e nas Suas promessas. Procuramos Alguém que está muito perto de nós e não O percebemos. Jesus quer ser encontrado vivo e ressuscitado, atuando na nossa vida. Às vezes não entendemos as Suas manifestações para nós e por isso, choramos. Sofremos pela nossa incapacidade de “enxergar” as coisas de Deus. O mundo espiritual está tão perto de nós, e nós somos incapazes de percebê-lo, absortos que estamos em prestar atenção às coisas e as pessoas que nos rodeiam. Confundimos a presença de Jesus com a de outras pessoas. O Senhor está perto, precisamos ter consciência disso. Quando descobrimos esta verdade nós não ficamos parados. Jesus disse a Madalena: “não me retenhas”! Se percebêssemos a Sua presença viva e ressuscitada e ouvíssemos realmente a sua voz que fala no nosso coração, sairíamos em disparada como fez Maria Madalena a anunciar a todos: “Eu vi o Senhor!” E tu: já viste o Senhor? – Já tiveste a experiência do Jesus Ressuscitado? E se já, correste para contá-la a alguém? Tu tens encontrado no caminho, mais mortos ou vivos? Tens percebido a quem o seu coração procura? Abra os teus olhos da fé para que possas enxergá-lo. Pois Ele como à Maria constantemente te dirige à palavra. Porque choras, a quem procuras?
Pai ensina-me a ter um relacionamento conveniente com o Ressuscitado, reconhecendo que ele quer fazer de mim uma testemunha da ressurreição.
Padre Bantu Mendonça Katchipwi Sayla
Fonte: Liturgia da Palavra em 22/07/2014

HOMILIA DIÁRIA

Busque o Tesouro e permaneça com Ele para sempre

Jesus é o verdadeiro tesouro para nossa alma, Aquele que dá sentido à nossa existência

“Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus, bem de madrugada, quando ainda estava escuro, e viu que a pedra tinha sido retirada do túmulo” (Jo 20, 1)

Com muita alegria, nós celebramos, hoje, Santa Maria Madalena. Ela foi a primeira testemunha da Ressurreição de Jesus, pois sempre visitava Seu túmulo. Naquele domingo, quando chegou ao túmulo, Maria não encontrou o corpo do Senhor.
Diante disso, o choro e a angústia de Maria Madalena foi a única resposta. Tudo isso porque ela sabia que a sua transformação de vida havia acontecido a partir do momento em que o Senhor entrou em sua vida e, a partir daquele momento, ela nunca mais foi a mesma.
Ela não queria perder o seu Senhor, pois Ele era a maior riqueza do seu coração. Mal sabia ela que, nesse dia, ela teria a maior experiência da sua vida: encontrar-se com o Jesus ressuscitado.
Assim como Maria Madalena teve seu encontro pessoal com Jesus e teve sua vida mudada, aqueles que têm a graça desse encontro precisam assumir a mesma mudança em sua vida.
Jesus é o verdadeiro tesouro para nossa alma, Aquele que dá sentido à nossa existência. A vida de uma pessoa é sempre diferente antes e depois de Jesus. E o mais importante é nunca perder o tesouro do encontro, sempre cultivando um relacionamento íntimo com Ele.
Se você se encontrou com Jesus, deixe que esse tesouro faça diferença na sua vida, permitindo que Ele vá transformando você por dentro e por fora. Madalena encontrou o Senhor e nunca mais o perdeu. Que você não perca esse tesouro precioso que é Jesus Salvador na sua vida.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 22/07/2013

HOMILIA DIÁRIA

O Senhor nos liberta do poder da morte e da escravidão do pecado

Os pecados nos mantêm cativos, escravos. Jesus, o Senhor da vida, veio nos libertar do poder da morte e da escravidão do pecado.

“Então Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: ‘Eu vi o Senhor, e contou o que Jesus lhe tinha dito'” (João 20, 18).

Nós, hoje, celebramos, de forma muito alegre e festiva, Santa Maria Madalena, a grande discípula e primeira testemunha da Ressurreição de Jesus. Vocês devem se recordar de que Maria Madalena foi a mulher liberta por Jesus, foi dela de quem o Senhor tirou sete demônios.
Nós não podemos dizer que Maria Madalena era uma prostituta ou se ela cometeu este ou aquele pecado; isso não é o mais importante. O mais importante é que a “mulher velha”, que nela habitava, sepultada nos vícios e nos pecados, encontrou-se com Jesus e desde o dia em que se encontrou com Ele a vida dela foi transformada.
Quando dizemos que dela foram expulsos sete espíritos, nos recordamos daqueles sete pecados capitais que norteiam e rodeiam as tentações da nossa vida: a ira, a luxúria, que, na verdade, é a busca desenfreada pelo prazer, a inveja, o orgulho e todos aqueles pecados que dão origem a outros pecados na vida humana.
Deus, quando entra na vida de uma pessoa, faz total diferença, Ele a liberta do cativeiro da morte, da escravidão e da submissão da alma ao pecado. Muitas vezes, não temos os sete pecados, mas pelo menos um deles nos aprisiona e nos rende mais – ou somos tomados pela vaidade, pela ira, pelo temperamento raivoso; ou somos tomados pela inveja ou ainda pelos prazeres da carne. Os pecados nos mantêm cativos, escravos, dependentes deles; por isso Jesus, o Senhor da vida, veio nos libertar do poder da morte e da escravidão do pecado.
Maria Madalena foi outra mulher depois que se encontrou com Jesus, depois que Ele a libertou do cativeiro da morte e da escravidão do pecado, ela nunca mais foi a mesma mulher! Ela foi agraciada por ser a primeira testemunha, a primeira a se encontrar com Jesus Ressuscitado; ela proclamou aos discípulos e aos outros que ela havia visto o Senhor, Aquele mesmo Senhor que mudara o sentido da sua vida.
Da mesma forma, se você já se encontrou com Jesus e Ele deu sentido e transformou a sua vida, se o Senhor libertou a sua vida do cativeiro da morte, não deixe de testemunhar, não deixe de anunciar, não se cale, proclamando aos quatro ventos, que você viu o Senhor, que Ele está vivo e está ressuscitado! E se perguntarem: “Onde?”, diga: “Na minha vida eu sinto viva em mim a vitória de Jesus Ressuscitado!”.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 22/07/2014

HOMILIA DIÁRIA

Sejamos, a cada dia, discípulos do Mestre Jesus

“Então Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: ‘Eu vi o Senhor’, e contou o que Jesus lhe tinha dito” (João 20,18).

Celebremos, com muito amor no coração, a festa de Santa Maria Madalena, discípula de Jesus. Poderíamos dizer muitas coisas a respeito de Maria Madalena, mas, infelizmente, muitas pessoas vivem sempre de passado, e estão mais interessadas naquilo que ela foi do que naquilo que ela é e se tornou pela graça de Deus.
Não posso dizer que Maria Madalena foi adúltera, prostituta, mulher da vida ou qualquer expressão dessas, porque a Sagrada Escritura não me fala isso dela, mas me fala que dela Jesus expulsou sete espíritos malignos. E depois que ela se encontrou com o Senhor, não foi mais a mesma, ela foi transformada e convertida no verdadeiro amor.
Jesus passou a ser o amor maior da vida de Madalena, por isso ela se tornou discípula d’Ele. Ela seguiu Jesus, porque, se antes ela seguia os impulsos do seu coração, ela era conduzida pelas paixões da sua alma e por toda a vida que levava, ela mudou a sua rota ou permitiu a Jesus mudar a rota da sua vida.

O que precisamos aprender com Maria Madalena é nos tornarmos, verdadeiramente, discípulos de Jesus

A paixão da vida de Maria passou a ser Jesus. Não seja leviano, mundano ou profano, porque, quando se fala de paixão, as pessoas confundem e só conhecem paixões carnais. É porque para a pessoa mundana tudo vai ser também mundano.
A conversão de Maria foi profunda, porque ela se converteu para o Reino de Deus, para os sentimentos evangélicos e para Jesus Mestre, Senhor e Salvador. Por isso, acima de tudo, ela se tornou a discípula, a seguidora, aquela que seguiu Jesus da vida até a morte, e foi a primeira testemunha de Cristo vivo e ressuscitado. Maria foi não só aquela que viu o Ressuscitado, mas aquela que proclamou que Ele estava vivo e no meio de nós.
O que precisamos aprender com essa mulher é nos tornarmos verdadeiramente discípulos de Jesus. Que o nosso encontro com Ele seja transformador e nos leve a nos tornarmos apaixonados pelo Evangelho e pela vida do Reino. Que o nosso encontro com o Senhor nos leve a ser o que Maria foi: aquela que levou a vida em nome do Mestre.
O bom discípulo é aquele que se torna apóstolo. Maria foi uma excelente discípula, porque nunca mais tirou os olhos de Jesus, e nem a morte d’Ele foi capaz disso! Pelo contrário, ela cuidava até do corpo d’Ele, por isso a vida de Jesus está nela, e ela se tornou apóstola da Ressurreição. Por onde Maria Madalena foi, ela anunciou a presença amorosa de Jesus no meio de nós.
Precisamos ser, a cada dia, discípulos do Mestre Jesus, precisamos ser apóstolos d’Ele; anunciar, proclamar e testemunhar para o mundo que caminha na escuridão das trevas, do pecado e da morte, que Jesus está vivo.
A vida de Maria Madalena foi a prova mais autêntica daquilo que Jesus realiza e transforma na vida da pessoa que n’Ele crê e leva a vida em Seu nome. Que as pessoas possam olhar para a nossa vida e dizer: “Jesus nele vive, então Ele está vivo”.
Não basta proclamar a Ressurreição de Jesus, é preciso deixar que a Ressurreição aconteça na nossa própria vida e a ilumine, para não vivermos nas trevas, na escuridão, no erro nem no pecado.
Que Maria Madalena nos ensine o caminho do discipulado e do apostolado do Mestre Jesus.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 22/07/2020

Oração Final
Pai Santo, dá-nos a ousadia de sermos testemunhas vivas perante o mundo em que vivemos do Mistério da Ressurreição. E que o façamos com simplicidade e humildade, mas com verdadeira alegria e gratidão pelo grande dom que nos deste – o Cristo Jesus, teu Filho que se fez nosso Irmão e contigo reina na do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 22/07/2013

Oração Final
Pai Santo, dá-nos a alegria e o entusiasmo de Maria Madalena para anunciar ao mundo a Ressurreição de teu Filho Unigênito, tua Palavra Criadora, o Cristo Jesus. Que nós não procuremos racionalizar o dom inefável da tua Presença em nós e no meio de nós – agora e para sempre, nos séculos sem fim. Pelo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 22/07/2014

ORAÇÃO FINAL
Pai misericordioso, dá-nos discernimento para enxergar tua amável Presença em cada irmão, especialmente nos que estão à margem do mundo globalizado em que vivemos; e coragem suficiente para trabalhar por sua libertação. Acende a nossa esperança de, como a Madalena, ouvirmos um dia o nosso nome pronunciado docemente pelos lábios santos de Jesus Cristo, teu Filho que se fez nosso irmão e contigo reina na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 22/07/2020

oRAÇÃO FINAl
Pai que muito amamos e és a nossa fonte de sabedoria e discernimento, o Mistério da Ressurreição ultrapassa a nossa compreensão, mas oferece a medida certa para nossa fé. Faze-nos, Pai querido, anunciadores alegres do teu Reinado entre os teus filhos que tanto amas. A Boa Notícia nos foi trazida pelo Cristo Jesus, teu Filho que se fez nosso Irmão e contigo reina na unidade do Espírito Santo.