quinta-feira, 21 de março de 2013

Dia da semana: Sexta-feira - Dedicado a: Paixão de Cristo - Sagrado Coração de Jesus



Ei, pare de chorar.
Veja, Ele está a lhe chamar.
Quer, lhe tirar da escuridão,
e limpar seu coração
das feridas do pecado.

Venha, para fora meu irmão.
Creia, Cristo espera por você.
Não, a morte já não tem lugar,
agora é só se levantar,
e sua glória então verá.

Quem tem Jesus tem tudo,
Ele salvou o mundo, Ele venceu a morte, mudou nossa sorte!



O CORAÇÃO DE JESUS BATE FORTE POR VOCÊ!!!


Você sabia que:

O incenso tem vários significados. Quando arde simboliza o zelo que deve consumir aos fiéis; seu odor agradável simboliza o aroma da virtude e a ascensão da fumaça simboliza nossa oração que se eleva a Deus.

Podcast - Ouça a história do santo do dia

Podcast

Santo do dia

Zacarias (papa) »

Saito
Data
03/22/13
03/20/13

Podcast - Ouça a Homilia do Evangelho do dia

Podcast

Homilia do dia

Joao 10,31-42

Homilia
Data
03/22/13
03/21/13
03/20/13

Podcast - Ouça o Evangelho do Dia

Podcast

Evangelho do dia

Joao 10,31-42

Evangelho
Data
03/22/13
03/21/13
03/20/13

Terço da Fé

Terço de Cura e Libertação - VÍDEO

TERÇO DA DIVINA PROVIDÊNCIA

VIA-SACRA COMENTADA - VÍDEOS


TERÇO DA MISERICÓRDIA - VÍDEOS




JESUS, EU CONFIO EM VÓS!!!

Oração do Angelus - Padre Antonello - VÍDEO

LITURGIA DAS HORAS

Clique no ícone abaixo
para acesso à Hora Canônica

Oração desta Hora

Terço - Mistérios Dolorosos - Terça-feira e Sexta-Feira.


Terço do Rosário: Mistérios Dolorosos 


Santa Léia - 22 de Março

Santa Léia
+384
Pouco se conhece sobre a vida de Léia, uma rica romana que quando ficou viúva, ainda jovem, recusou um novo casamento, como era o costume da época, para se juntar à Marcela, abadessa de uma comunidade, criada em sua própria residência em Aventino, Roma. O local, depois se tornou um dos mosteiros fundados e dirigidos por Jerônimo, que se tornou santo, doutor da Igreja e bispo de Hipona, na África do Norte, e que viveu também nesse período, na cidade eterna.

São Zacarias, Papa - 22 de Março




Filho de pai grego, residente na Calábria, foi eleito Papa em 741 e morreu em 752.
Ao contrário do seu predecessor Gregório III, relativamente a Liutprando, rei dos Lombardos, julgou ser melhor partido inaugurar com ele relações amistosas. Concluiu assim um acordo bastante vantajoso, recuperando quatro fortalezas e vários patrimônios; estipulou também com ele uma trégua de trinta anos. Mas não conseguiu impedir os Lombardos de tirarem aos Bizantinos o exarcado de Ravena.

HOMÍLIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 22/03/2013

22 de Março de 2013

Ano C


João 10,31-42

Comentário do Evangelho

É pela Palavra que Jesus é rejeitado

A ameaça e o desejo de matar Jesus são contínuos do quarto evangelho (veja, por exemplo: 8,59; 10,31, entre outros). A razão pela qual querem matar Jesus é dada, a blasfêmia: “Tu, sendo apenas um homem, pretendes ser Deus!” (v. 33). O texto apresenta ainda uma divisão acerca da pessoa de Jesus: para uns ele é um blasfemo (v. 33), enquanto outros o julgavam digno de fé (vv. 41-42). 
Não são pelas obras que querem apedrejar Jesus (cf. v. 33), mas pela palavra – a blasfêmia. Ora, o leitor do evangelho, que já passou pelo prólogo, sabe que “no princípio era a Palavra, a Palavra estava com Deus, e a palavra era Deus” (Jo 1,1).
Carlos Alberto Contieri, sj

http://diafeliz.paulinas.com.br/diafeliz/?system=evangelho&action=busca_result&data=22%2F03%2F2013

Vivendo a Palavra


Jesus revela a presença do Pai no Filho. A grande ‘novidade’, o mistério de um Deus que se encarna e se humaniza, confundia seu povo e continua confundindo os seguidores do Mestre de Nazaré. Muitos preferiam – e ainda preferem... – um Deus que é Senhor dos Exércitos e não o nosso Abbá (Papai querido!)
http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg05.php

Reflexão

Quando a gente não está com o coração aberto, não está disposto a acolher a palavra de Jesus, não querendo de fato assumir um compromisso de fé com Deus e com os irmãos, não buscando novos valores e não querendo uma constante mudança de vida para cada vez mais procurar uma união mais íntima e profunda com Deus, qualquer coisa torna-se motivo para a crítica e para a rejeição de Jesus. Assim aconteceu com os judeus, que não quiseram abandonar antigos valores para viver valores novos e mais plenos, sempre procuraram motivos para dizer que eles estavam certos e Jesus estava errado.
http://www.cnbb.org.br/liturgia/app/user/user/UserView.php?ano=2013&mes=3&dia=22

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO


1. Ser Filho de Deus, a grande Blasfêmia
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Todas as ações de Jesus a favor do bem das pessoas, incomodava os Judeus, afinal ele brilhava mais do que os Doutores da LEI, Escribas e Fariseus, porque ensinava com autoridade então, qualquer ação de Jesus era motivo para tentar condená-lo. A preocupação constante das lideranças religiosas era realmente fazer Jesus calar a boca, entretanto, havia algo que fazia toda aquela fúria dobrar-se... era quando Jesus se fazia Deus assumindo diante deles a sua Filiação Divina.

Naquelas cabeças duras e corações insensíveis, a idéia de um Deus feito homem, de um Deus entranhado na carne humana, era algo inconcebível, uma grande blasfêmia! Hoje, pelo modo com que o Ser humano é tratado, despojado de sua dignidade, violentado em seus direitos, massacrado e humilhado em sua dor e sofrimento, podemos dizer que, o homem não acredita que o seu irmão é Filho de Deus, não consegue crer em uma dignidade tão grande.

As obras que Jesus realizava eram incontestáveis, seu posicionamento a favor da vida, dos mais pequenos e dos miseráveis, dos impuros e excluídos, o fazia desprezível diante das lideranças religiosas que tinham no coração e na mente um outro Deus, uma outra verdade. e não queriam, trocar isso por nada desse mundo.

A religião do comodismo continua ainda hoje a ser uma grande tentação, quando nos deparamos com algum profeta corajoso e ousado que questiona a religião e o sentido de se viver na Fé, mexendo com as nossas estruturas espirituais e eclesiais, trememos na base e damos um jeitinho de fazê-lo calar a boca. A pregação de Jesus questionava e os fazia pensar e eles queriam uma pregação que anunciasse um missionário glorioso e vencedor. Eles bem que tentaram acabar com Jesus ali mesmo mais uma vez mais Jesus se retira imune para o deserto onde tudo havia começado com o Batismo e a pregação de João.

Nesta quaresma devemos também buscar o deserto onde Deus nos fala ao coração apontando-nos a missão e o caminho a ser seguido. Que nada desvie a nossa atenção e que não tenhamos medo de mudanças, mesmo que estas sejam bem no íntimo de nós.

2. É pela Palavra que Jesus é rejeitado
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Carlos Alberto Contieri, sj - e disponibilizado no Portal Paulinas)
VIDE ACIMA
ORAÇÃO
Pai, reforça minha fé em Jesus, em cujas palavras e ensinamentos tu te fazes presente na nossa história humana.

3. UM HOMEM FAZENDO-SE DEUS?
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total a cada mês).

Embora, Jesus jamais tivesse afirmado "Eu sou Deus!", seus adversários acusavam-no de, sendo apenas um homem, pretender passar por Deus. E chegavam a esta conclusão, não por causa de uma declaração peremptória de Jesus, e sim pelo modo como ele falava e agia. Suas palavras tinham uma autoridade desconhecida, e pareciam ir de encontro a tudo quanto, até então, era ensinado como Palavra de Deus. Esta liberdade diante da tradição religiosa revelava, no pensar dos inimigos, que Jesus estava pretendendo ocupar o lugar de Deus. Quanto aos sinais que realizava, eram de tal modo portentosos que só das mãos de Deus poderiam provir. Quem, a não ser Deus, pode curar os doentes, ressuscitar os mortos, transformar a água em vinho? Este poder criador é prerrogativa divina.

Essas falsas acusações foram rebatidas com dois argumentos. O primeiro foi tirado das Escrituras, precisamente do Salmo que, referindo-se aos juízes deste mundo, declara: "Vocês são deuses!". Eles, ao julgar, exercem um poder divino. Se as Escrituras fazem tal declaração, é possível aplicá-la também a Jesus. O segundo é tirado da própria pregação do Mestre. Suas palavras exatas foram "Eu sou o Filho de Deus". Esta consciência de ser Filho era o pano de fundo de tudo quanto fazia e ensinava. Sem isto, suas palavras cairiam no vazio e seriam sem sentido. Ele é, sim, o Filho santificado e enviado ao mundo para fazer as obras do Pai. E elas são as primeiras a testemunhar em seu favor.
Oração
Pai, reforça minha fé em Jesus, em cujas palavras e ensinamentos tu te fazes presente na nossa história humana.
http://www.npdbrasil.com.br/religiao/evangelho_do_dia_semana.htm#d6

Um Mistério de Amor acessível a todos


Postado por: homilia

março 22nd, 2013


Irmãos e irmãs, é muito interessante o contexto celebrativo, em que Nosso Senhor Jesus Cristo se comunica em Jo 10, 31-42. Aconteceu que o rei Antíoco IV Epífanes (cf. 1 Mc 4,36-59; 2 Mc 10,1-10) promoveu uma profanação do Templo, e a chamada “Festa da Dedicação” fazia memória da reconsagração do Templo por volta de 164 a.C. Portanto, respirava-se um clima festivo de reconquista e consagração.
Por tudo isso, um justo motivo de uma grande festa judaica. Convém também lembrar que os cristãos da Comunidade joanina estavam diante de um Evangelho escrito posteriormente à destruição definitiva do Templo de Jerusalém (70 d.C.), por ocasião da invasão do exército romano. Realidade prevista por Cristo, e não desejada, como testemunha o Santo Evangelho: «Quando Jesus se aproximou de Jerusalém e viu a cidade, começou a chorar. E disse: “Se tu também compreendesses hoje o que te pode trazer a paz! Agora, porém, está escondido aos teus olhos! Dias virão em que os inimigos farão trincheiras, te sitiarão e te apertarão de todos os lados. Esmagarão a ti e a teus filhos, e não deixarão em ti pedra sobre pedra, porque não reconheceste o tempo em que foste visitada» (Lc 19, 41-44).
Palavra realista de um Deus apaixonado, que não podia impor a Sua vontade e nem a Verdade! Mas também uma revelação que serve de alerta para a responsabilidade humana e suas consequências perante as indispensáveis visitas de Deus na história pessoal e universal. Ele que continua a agraciar o povo amado de Deus e revelou-se como Deus Uno e Trino: «Eu e o Pai somos um» (Jo 10, 30).
Jesus Cristo, um com o Pai, no Espírito Santo! Ele é a manifestação do Mistério do Deus Triúno pelo seu ser, agir e falar, mas que espera uma resposta de fé e adesão igualmente livre: «Se não faço as obras de meu Pai, não acrediteis em mim. Mas, se eu as faço, mesmo que não queirais crer em mim, crede nas minhas obras para que saibais e reconheceis que o pai está em mim e eu no Pai» (vv. 37-38).
Assim Jesus se revela como sendo maior do que o venerável Templo, ainda que o Senhor não o despreze. Ele se apresenta como o Dedicado e o Consagrado por excelência do Pai, que O enviou para obras de Salvação. E caso O quisessem destruir (matar), como de fato tentaram e conseguiram, a Sua palavra e poder é quem dará sempre a última palavra, pois ela é definitiva, e não a ignorância e maldade humana: «Destruí vós este templo e em três dias eu o reerguerei» (Jo 2, 19).
Com outra palavra de vida eterna, Jesus Pascal iluminou também a Semana Santa que se aproxima: «Ninguém me tira a vida, mas eu a dou por própria vontade. Eu tenho poder de dá-la, como tenho poder de recebê-la de novo. Tal é o encargo que recebi do meu Pai» (Jo 10, 18).
Na proximidade da Solenidade das solenidades – a Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo – somos convidados a um mergulho no Amor encarnado e crucificado, que venceu o mal e a morte, reconquistando gratuitamente para nós a nossa comunhão com Deus e entre nós. O único Redentor do gênero humano consagrou-nos na Verdade que liberta (cf. Jo 17), isto pela Sua oração, graça e Santo Batismo; também pelos méritos infinitos mereceu-nos a participação numa festa eterna, atualizada, prefigurada e antecipada por obra do Espírito Santo.
Realidades e possibilidades que nos convidam a uma participação ativa e frutuosa na Sagrada Liturgia da Igreja, principalmente neste tempo forte que se aproxima. Por isso, desde já, tenhamos uma Santa Semana em torno do Mistério do Amor Pascal e não meçamos esforços para tomarmos posse das graças alcançadas por Quem não mediu esforços para nos salvar! Santa Páscoa!
Padre Fernando Santamaria – Comunidade Canção Nova
http://blog.cancaonova.com/homilia/2013/03/22/
LEITURA ORANTE

Jo 10,31-42 - Queriam matar Jesus



- A nós, reunidos pela rede virtual, a paz de Deus, nosso Pai,
a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
no amor e na comunhão do Espírito Santo.
- Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
Preparo-me para a Leitura, rezando:
Jesus Mestre, que dissestes:
"Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome,
eu aí estarei no meio deles", ficai conosco,
aqui reunidos (pela grande rede da internet), para melhor meditar
e comungar com a vossa Palavra.
Sois o Mestre e a Verdade: iluminai-nos, para que melhor compreendamos
as Sagradas Escrituras. Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis ao vosso seguimento.
Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa,
onde a Palavra de Deus produza frutos
abundantes de santidade e missão.
(Bv. Alberione)

1. Leitura (Verdade) 
O que diz o texto do dia? 
Leio atentamente o texto: Jo 10,31-42, e observo pessoas, palavras, relações, lugares. 

Então eles tornaram a pegar pedras para matar Jesus. E ele disse:
- Eu fiz diante de vocês muitas coisas boas que o Pai me mandou fazer. Por causa de qual delas vocês querem me matar?
Eles responderam:
- Não é por causa de nenhuma coisa boa que queremos matá-lo, mas porque, ao dizer isso, você está blasfemando contra Deus. Pois você, que é apenas um ser humano, está se fazendo de Deus.
Então Jesus afirmou:
- Na Lei de vocês está escrito que Deus disse: "Vocês são deuses." Sabemos que as Escrituras Sagradas sempre dizem a verdade, e sabemos que, de fato, Deus chamou de deuses aqueles que receberam a sua mensagem. Quanto a mim, o Pai me escolheu e me enviou ao mundo. Então por que vocês dizem que blasfemo contra Deus quando afirmo que sou Filho dele? Se não faço o que o meu Pai manda, não creiam em mim. Mas, se eu faço, e vocês não crêem em mim, então creiam pelo menos nas coisas que faço. E isso para que vocês fiquem sabendo de uma vez por todas que o Pai vive em mim e que eu vivo no Pai.
A essa altura tentaram novamente prendê-lo, mas Jesus escapou das mãos deles.
Ele voltou de novo para o lado leste do rio Jordão, foi para o lugar onde João Batista tinha batizado antes e ficou lá. E muita gente ia vê-lo, dizendo:
- João não fez nenhum milagre, mas tudo o que ele disse sobre Jesus é verdade.
E naquele lugar muita gente creu em Jesus.

As autoridades dos judeus continuam o diálogo tenso com Jesus. As palavras de Jesus e seu testemunho os incomodam. Eles têm dificuldade de compreender que Jesus é o enviado do Pai. "De uma vez por todas, saibam que o Pai vive em mim e eu vivo no Pai". Foi a gota d´água para a ruptura e tentarem prender Jesus. 

2. Meditação (Caminho) 
O que o texto diz para mim, hoje? 

A sociedade, o mundo também nos pressiona quando queremos aceitar a proposta de Jesus. Se não nos prendem, nos ignoram, isolam, discriminam, nos tacham de retrógrados. Temos que ser fortes para abraçar a proposta de Jesus. Bem lembraram os bispos, em Aparecida: "Jesus está presente em meio a uma comunidade viva na fé e no amor fraterno. Ali Ele cumpre sua promessa: "Onde estão dois ou três reunidos em meu nome, ali estou eu no meio deles" (Mt 18,20). Ele está em todos os discípulos que procuram fazer sua a existência de Jesus, e viver sua própria vida escondida na vida de Cristo (cf. Cl 3,3). Eles experimentam a força de sua ressurreição até se identificar profundamente com Ele: "Já não vivo eu, mas é Cristo que vive em mim" (Gl 2,20). Jesus está nos Pastores, que representam o próprio Cristo (cf. Mt 10,40; Lc 10,16). Está naqueles que dão testemunho de luta por justiça, pela paz e pelo bem comum, algumas vezes chegando a entregar a própria vida em todos os acontecimentos da vida de nossos povos, que nos convidam a procurar um mundo mais justo e mais fraterno em toda realidade humana, cujos limites às vezes causam dor e nos agoniam." (DAp 256).

3.Oração (Vida) 
O que o texto me leva a dizer a Deus? 
Rezo a Oração oficial da CF 2013

Pai santo, vosso Filho Jesus,
conduzido pelo Espírito
e obediente à vossa vontade,
aceitou a cruz como prova de amor à humanidade.
Convertei-nos e, nos desafios deste mundo,
tornai-nos missionários
a serviço da juventude.
Para anunciar o Evangelho como projeto de vida,
enviai-nos, Senhor;
para ser presença geradora de fraternidade,
enviai-nos, Senhor;
para ser profetas em tempo de mudança,
enviai-nos, Senhor;
para promover a sociedade da não violência,
enviai-nos, Senhor;
para salvar a quem perdeu a esperança,
enviai-nos, Senhor;
para...

 4.Contemplação (Vida e Missão)
Meu novo olhar é contrário à "onda" que me afasta do Evangelho e de sua proposta, só para ser mais liberal e não, mais livre.

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém. 
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém. 
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém. 
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Sugestões:
- Campanha da Fraternidade 2013 - Veja informações no blog:
http://comunicacatequese.blogspot.com.br/

- Veja a mensagem do Papa Bento XVI para a Quaresma em
http://paulinascomunica.blogspot.com/

- Faça o Retiro de Quaresma e Páscoa seguindo o blog
http://viverecomunicarcristo.blogspot.com


Ir. Patrícia Silva, fsp
http://leituraorantedapalavra.blogspot.com.br/

http://diafeliz.paulinas.com.br/diafeliz/?system=evangelho&action=busca_result&data=22%2F03%2F2013
Oração Final
Pai Santo, que o teu Espírito em nós conforme a nossa consciência de filhos teus, muito amados e, com essa força, a certeza de que somos irmãos da humanidade, sem exclusões ou privilégios. Assim aprendemos com o Cristo Jesus, teu Filho que se fez nosso Irmão e contigo reina na unidade do Espírito Santo.
http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg06.php