sexta-feira, 24 de junho de 2022

Homilia Diária | Um Coração ferido pela ingratidão (Solenidade do Sagrado Coração de Jesus) - Padre Paulo Ricardo


Canal do Youtube: Padre Paulo Ricardo

Publicado em 23 de jun. de 2022

Se tivéssemos a infelicidade de, num momento de raiva, cuspir no rosto de nossa mãe, o que não faríamos para desagravar a ofensa? De joelhos, diríamos humilhados: “Oh, minha mãe querida, perdoa-me! Não sei onde estava com a cabeça”. Pegaríamos um lenço para lhe enxugar o rosto, cobrindo-o de beijos. Compraríamos um presente, faríamos enfim tudo para que ela esquecesse aquela mágoa, mostrando-lhe nosso arrependimento. Nossa mãe, bondosa, iria se esquecer, desde que visse nossa emenda e mudança de vida… Assim também o Sagrado Coração de Jesus, e muito mais ele, mais amoroso do que a mais amorosa das mães! Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta sexta-feira, 24 de junho, e reparemos hoje as ofensas, ingratidões e esquecimentos com que ferimos o Coração bendito do nosso Deus encarnado!

Homilia Diária | Muito mais que um nascimento (Solenidade da Natividade de São João Batista) - Padre Paulo Ricardo


Canal do Youtube: Padre Paulo Ricardo

Publicado em 22 de jun. de 2022

Celebrar a natividade de João Batista é recordar o primeiro milagre na ordem da graça que, por intercessão de Maria, o Pai dos céus se dignou realizar: a santificação do Batista no ventre de Isabel. Concebido em pecado como os outros homens, São João recebeu, antes de vir à luz, a graça redentora daquele cujos caminhos prepararia, assim como o Espírito Santo que, pouco depois, nos seria enviado de junto do Pai por Nosso Senhor. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta quinta-feira, dia 23 de junho, e demos graças a Deus por nos ter feito nascer em um tempo em que já é realidade viva e vivificante o que o Precursor pôde apenas anunciar e preparar em figuras.

HOMILIA DIÁRIA - (CANÇÃO NOVA) – Lc 15,3-7 – 24/06/2022


Encontre no coração de Jesus o amor que você precisa

Naquele tempo, Jesus contou-lhes esta parábola: “Se um de vós tem cem ovelhas e perde uma, não deixa as noventa e nove no deserto, e vai atrás daquela que se perdeu, até encontrá-la? Quando a encontra, coloca-a nos ombros com alegria, e, chegando a casa, reúne os amigos e vizinhos, e diz: ‘Alegrai-vos comigo! Encontrei a minha ovelha que estava perdida!’” (Lucas 15,3-5).



Meus irmãos e minhas irmãs, hoje, estamos celebrando, com toda a Igreja, a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus. Hoje é sexta-feira, um dia muito especial na vida da nossa Igreja. Temos, diante de nós, o coração de Cristo, que é oferecido a cada um de nós, um amor que é capaz de arriscar tudo por nós.
Como nos narrou o Evangelho: “Esse louco que deixa noventa e nove ovelhas e vai atrás de uma que se perdeu”. Na nossa lógica humana, isso nunca seria possível, mas, na lógica de Deus, sim. Porque esse amor é capaz de arriscar tudo por mim e por você. Esse é o amor do coração de Jesus por nós, essa é a capacidade que Ele tem de demonstrar o Seu amor por nós.
Tem um teólogo que dizia que o único número que Deus conhece é o número “1”. Porque você é importante para Deus, você é especial para Deus, foi por você que Ele deu o Filho d’Ele para morrer na cruz, foi por você que Ele deu a vida. Então, hoje, abramos o nosso coração, entendamos isto: cada coração humano é único aos olhos de Deus, cada coração humano é importante para Ele.

Esse coração, na palma da mão de Jesus, espera de mim e de você hoje uma resposta

E a alegria do coração de Deus é sempre aquela de reencontrar a sua ovelha perdida. O Evangelho nos narrou isto: “Alegrai-vos comigo”, porque a alegria desse homem era enorme, encontrou a ovelha perdida. Essa é a alegria de Deus.
Sabe quando Deus tem alegria? Quando Ele reencontra você. Deus tem alegria quando Ele pode reencontrar o seu coração. É claro que Deus fica feliz com a sua caminhada espiritual, é claro que Deus está feliz com o caminho que você está trilhando, com a sua vida de oração, mas Ele fica bem feliz mesmo é quando você volta para os braços d’Ele, é quando você retorna para casa d’Ele e Ele pode te abraçar, pode te amar e ser Pai para você.
Então, hoje, vamos experimentar, mais uma vez, o mistério do amor de Deus, os mistérios do amor. Por que Ele me criou? Por que Ele deu Seu Filho para morrer por mim? Por que Ele deu o coração do Seu Filho por amor a mim e por amor a você? Não calcule, só aceite! Porque a lógica do mundo é a do cálculo. Noventa e nove vale muito mais do que uma, mas a lógica de Deus não tem cálculo, tem só a verdade e o fato.
Deus me ama, Deus dá a vida por mim e por você. Cristo ofereceu o coração d’Ele a cada um de nós. Esse coração, na palma da mão de Jesus, espera de mim e de você, hoje, uma resposta. Dê a sua resposta, acolha o amor do coração de Jesus, ele bate forte por mim e por você!
Sobre todos vós, desça a bênção do Deus Todo-poderoso. Pai, Filho e Espírito Santo.
Padre Donizete Ferreira
Sacerdote da Comunidade Canção Nova. Amém!

HOMILIA DIÁRIA - (CANÇÃO NOVA) – Lc 1,57-66.80 – 23/06/2022


Encaixe-se nas expectativas que Deus espera de você

“Naquele, completou-se o tempo da gravidez de Isabel, e ela deu à luz um filho. Os vizinhos e parentes ouviram dizer como o Senhor tinha sido misericordioso para com Isabel, e alegraram-se com ela. No oitavo dia, foram circuncidar o menino, e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias. A mãe, porém, disse: ‘Não! Ele vai chamar-se João’” (Lucas 1,57-60).



Meus irmãos, neste ano, celebramos, hoje, dia 23, a Natividade de João Batista, porque amanhã (24) será a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus. Então, hoje, estamos diante deste grande santo na vida da nossa Igreja. O único que se celebra, seja o nascimento nesta Terra, seja o nascimento para Deus, isso nos mostra a importância de São João Batista no contexto da Igreja, no contexto do Reino de Deus.
João Batista — digamos assim — seria o diferente, porque já começou a partir do seu nome, ele deveria receber o nome do pai, mas não, pois o nome dele seria João para contrariar toda aquela sequência de batismos em relação aos nomes da família. Ele seria o diferente, já seria aquele contraditório na vida da família.
Mas, muitas vezes, precisamos refletir sobre esta realidade:  às vezes, é ruim termos de nos encaixar na expectativa dos outros. É muito ruim quando precisamos viver a nossa vida tentando constantemente nos encaixar na expectativa que os outros fazem de nós. Não podemos viver assim! A única expectativa que tem de pesar sobre nós é aquela lá do Alto, é a expectativa de Deus, são os sonhos de Deus, são os projetos de Deus ao nosso respeito. Essa sim deve pesar sobre nós, e precisamos nos adequar a ela constantemente na nossa vida, mas às expectativas de Deus a nosso respeito e não a das pessoas.

A única expectativa que tem de pesar sobre nós é aquela lá do Alto, é a expectativa de Deus

Bom, quando nós vemos a história de João Batista, a graça para ele foi ter nascido numa família que sabia obedecer a Deus; e colocou justamente João Batista dentro dessa dinâmica da vontade de Deus. Uma família que colaborou para que ele realizasse a sua própria profecia, a sua vocação.
João teve uma família que o ajudou a ser quem realmente ele era. A mãe, cheia do Espírito Santo, quando recebeu a visita da Virgem Maria, ficou cheia do Espírito Santo; e a criança pulou no seu ventre. João Batista já era “bem agitado” desde o ventre da mãe e, depois, viveu tudo isso na sua vida. O pai, Zacarias, que se deixou dobrar pela ação de Deus, inicialmente teve um pouco de dificuldade, mas depois deixou-se dobrar pela ação de Deus.
Veja a família que João Batista teve, veja o pai e a mãe que ele teve. Como eu disse: “bem agitadinho” já desde o ventre da mãe, depois, ele seria instrumento para agitar muitos corações, inclusive o do rei Herodes. Agitou o coração daquele homem quando teve de dizer para ele uma verdade muito dura: “Você está em adultério. Você precisa deixar essa vida”.
João Batista foi um grande profeta, foi um grande evangelizador. Sem grandes discursos porque não se tem muito sobre a pregação de João Batista, mas com a própria vida. Levou uma vida austera — estranha um pouco, aos olhos do mundo, porque diz que ele comia gafanhoto, se alimentava de mel silvestre, fazia jejuns rigorosos, era um homem que se vestia com roupa de peles de animais. Então, para o mundo poderia soar um pouco estranho, mas um homem de profunda comunhão com Deus, um estranho, mas um conhecido no Céu.
Muitas vezes, vamos viver a nossa vida assim: como pessoas estranhas que aderem a Jesus Cristo, que querem viver uma radicalidade do Evangelho, que querem falar de santidade, que querem viver a santidade. Estranhos para o mundo, mas conhecidos no Céu. Vale a pena! Que São João Batista nos ajude!
Sobre todos vós, desça a bênção do Deus Todo-poderoso. Pai, Filho e Espírito Santo. Amém!
Padre Donizete Ferreira
Sacerdote da Comunidade Canção Nova.

Para Você Boa Noite!

BOA NOITE! “Doce Coração de meu Jesus, fazei que eu vos ame cada vez mais.” “Coração Imaculado de Maria sede a nossa salvação!” DEUS TE ABENÇOE.

Tenha uma Boa Tarde Abençoada! "Que os ventos de Deus, que sopram hoje, sejam favoráveis à realização de tudo aquilo que você deseja com FÉ."

"NESTA DELÍCIA DE VIDA CHEIA DE MARÉS ALTAS E BAIXAS, TE DESEJO MUITA PAZ NO CORAÇÃO!" TENHA UMA TARDE PRA LÁ DE ESPECIAL!

Sagrado Coração de Jesus




A devoção ao Coração de Cristo foi um antídoto para suscitar nos fiéis o amor ao Senhor

Hoje, a Igreja Católica celebra a solenidade do Sagrado Coração de Jesus. Além da celebração litúrgica, muitas outras expressões de piedade têm por objeto o Coração de Cristo. Não há dúvida de que a devoção ao Coração do Salvador tem sido, e continua a ser, uma das expressões mais difundidas e amadas da piedade eclesiástica. Entendida à luz da Sagrada Escritura, a expressão “Coração de Cristo” designa o mesmo mistério de Cristo, a totalidade do Seu ser, a Sua Pessoa considerada no Seu núcleo mais íntimo e essencial.
Como o têm lembrado frequentemente os Romanos Pontífices, a devoção ao Coração de Cristo tem um sólido fundamento na Escritura. Jesus apresenta-se a si mesmo como mestre “manso e humilde de Coração” (Mt. 11,29). Pode-se dizer que a devoção ao Coração de Jesus é a tradução em termos cultuais do reparo que, segundo as palavras proféticas e evangélicas, todas as gerações cristãs voltaram para Aquele que foi atravessado (cf. Jo 19,27; Zc 12,10), isto é, o costado de Cristo atravessado pela lança, do qual brotou sangue e água, símbolo do “sacramento admirável de toda a Igreja”.
A Idade Média foi uma época especialmente fecunda para o desenvolvimento da devoção ao Coração do Salvador. Homens insignes pela sua doutrina e santidade, como São Bernardo (+1153), São Boaventura (+1274), Santa Lutgarda (+1246), Santa Matilde de Magdeburgo (+1282), as Santas Irmãs Matilde (+1299) e Gertrudes (+1302), Ludolfo de Saxónia (+1378) e Santa Catarina de Sena (+1380) aprofundaram o mistério do Coração de Cristo no qual percebiam o “refúgio” onde acolher-se.
As formas de devoção ao Coração do Salvador são muito numerosas; algumas têm sido explicitamente aprovadas e recomendadas pela Santa Sé. Entre elas devem ser lembradas: a Consagração pessoal; a Consagração da família; as Ladainhas do Sagrado Coração de Jesus; o Ato de Reparação; e a prática das Nove Primeiras Sextas-feiras.
A devoção ao Coração de Cristo foi um antídoto para suscitar nos fiéis o amor ao Senhor e a confiança na sua infinita misericórdia, da qual o Coração é prenda e símbolo.
Fonte:  Canção Nova em 2018

Solenidade do Sagrado Coração de Jesus


A Igreja celebra a Festa do Sagrado Coração de Jesus na sexta-feira da semana seguinte à Festa de Corpus Christi. O coração é mostrado na Escritura como símbolo do amor de Deus.
“Vosso Coração, Jesus, foi ferido, para que, na ferida visível, contemplássemos a ferida invisível de vosso grande amor.”  (Santo Agostinho)

Festa do Sagrado Coração

Uma festa propriamente dita do Coração de Jesus foi celebrada, pela primeira vez, em 20 de outubro de 1672, pelo padre São João Eudes.
Depois, aparecendo muitas vezes a Santa Margarida Maria Alacoque, de 1673 até 1675, foi que Jesus revelou sobre a devoção ao Sagrado Coração, “a grande devoção”, e sobre o desejo da instituição desta Festa, mostrando-lhe o Coração que tanto amou os homens e é por parte de muitos desprezado.
A característica própria dessa solenidade é a ação de graças pela riqueza insondável de Cristo e a contemplação reparadora do Coração Transpassado. O Papa Pio IX, em 1856, estendeu a festa a toda a Igreja Latina. Em 1899, Leão XIII consagrou o mundo ao Sagrado Coração de Jesus.
Paulo VI disse, certa vez, que a devoção é garantia de crescimento na vida cristã e garantia da salvação eterna.

Promessas do Sagrado Coração

Entre as Promessas que Jesus fez a Santa Margarida está a das Nove Primeiras Sextas-feiras do mês: aos fiéis que fizerem a comunhão em nove das primeiras sextas-feiras de cada mês, seguidas e sem interrupção, prometeu o Coração de Jesus a graça da perseverança final, o que significa que a pessoa nunca deixará a fé católica e buscará a sua santificação. São as chamadas comunhões reparadoras a Jesus pela ofensa que tantas vezes seu Sagrado Coração é tão ofendido pelos homens.
“No extremo da misericórdia do meu Coração onipotente, concederei a todos aqueles que comungarem, nas primeiras sextas-feiras de cada mês, durante nove meses consecutivos, a graça do arrependimento final. Eles não morrerão sem a minha graça e sem receber os SS. sacramentos. O meu coração, naquela hora extrema, ser-lhe-á seguro abrigo”.

As outras promessas do Coração de Jesus a Santa Margarida Maria Alacoque:

1 – Conceder-lhe-ei todas as graças necessárias ao seu estado.
2 – Porei a paz em suas famílias.
3 – Consolá-los-ei nas suas aflições.
4 – Serei seu refúgio na vida e especialmente na hora da morte.
5 – Derramarei copiosas bênçãos sobre suas empresas.
6 – Os pecadores encontrarão, no meu Coração, a fonte, oceano infinito de misericórdia.
7 – Os tíbios se tornarão fervorosos.
8 – Os fervorosos alcançarão rapidamente grande perfeição.
9 – Abençoarei os lugares onde estiver exposta e venerada a imagem do meu Coração.
10 – Darei aos sacerdotes a força de comover os corações mais endurecidos.
11 – O nome daqueles que propagarem esta devoção ficará escrito no meu Coração e de lá nunca será apagado.

A minha oração

“Ó Sagrado Coração de Jesus, quero amar-te sempre mais e ser-te devota por toda a vida, recebendo a graça de alcançar os frutos da entrega de Teu sangue por mim. Faz-me fiel a Ti. Consagro-me à mim, minha família e tudo o que me pertence ao Teu perfeito e santo coração. Amém!”

Outros santos e beatos celebrados em 24 de junho:
Os santos João e Festo, mártires, em Roma. († data inc.)
- São Simplício, atualmente na França, que, pertencendo a uma família nobre e piedosa, viveu em perfeita castidade com sua virtuosíssima esposa e depois foi eleito para o episcopado. († 375)
- O martírio dos santos Agoardo e Agilberto e outros muitos mártires, também na atual França. († s. V/VI)
- São Rumoldo, que é venerado como eremita e mártir, em Malinas, na actual Bélgica. († 775)
- São Teodolfo, bispo e abade, em Lobbes, na Austrásia, atualmente também na Bélgica. († 776)
- São Goardo, bispo e mártir, em Nantes,  hoje na França, que, celebrando a Missa com o povo na igreja catedral, quando cantava «Sursum corda» (“Corações ao alto”) foi trespassado com as setas de ímpios normandos e morreu com muitos fiéis. († 843)
- São Teodgaro, na Dinamarca, presbítero, o missionário que construiu nesta região a primeira igreja de madeira. († c. 1065)
- São José Yuan Zaide, presbítero e mártir, em Sichuan, província da China, estrangulado em ódio à fé cristã. († 1817)
- Santa Maria Guadalupe (Anastásia Guadalupe Garcia Zavala), em Guadalajara, no México, virgem, que colaborou muito ativamente na fundação da Congregação das Servas de Santa Margarida Maria e dos Pobres e se dedicou diligentemente às obras de caridade em favor dos pobres e dos enfermos. († 1963)

Fontes:
Martirológio Romano
- Vaticannews
- cancaonova.com
- Arquisp

– Pesquisa e redação: Catarina Xavier – Comunidade Canção Nova

Qual a origem da devoção ao Sagrado Coração de Jesus?


A devoção ao Sagrado Coração de Jesus é muito antiga; os Padres da Igreja já falavam dela; tudo brota daquele Coração “manso e humilde” que por nós foi transpassado pela lança do soldado Longuinho, na Cruz do Calvário. Dele saiu sangue e água, símbolos do Batismo e da Eucaristia, e também da Igreja, Esposa de Cristo, que nasce do lado aberto do novo Adão, como Eva nasceu do lado aberto do primeiro.

Após uma fase de eclipse, esta devoção ganhou novo impulso após as visões de Santa Margarida Maria Alacoque (1647-1690), difundidas por seu confessor São Claude de la Colombière (1673-1675). Era uma época difícil, onde havia uma heresia chamada Jansenismo, de Jansen, que pregava um cristianismo triste, onde poucos se salvavam, onde se disseminava um medo de receber Jesus eucarístico, etc.
Para eliminar essa tristeza Jesus mostrou seu Coração humano e misericordioso a Santa Margarida, como tábua de salvação para todos os pecadores que nele confiassem.
Santa Margarida Maria Alacoque foi uma freira que nunca transpôs os muros do seu convento das visitandinas de Paray-le-Monial da Ordem da Visitação de Santa Maria, instituição religiosa fundada por São Francisco de Sales (1567-1622) e Santa Joana de Chantal (1572-1641), morrendo antes de completar 45 anos, em 17 de outubro de 1690, sendo canonizada em 1920, pelo papa Bento XV. Recolhida, em profunda oração, pela porta do tabernáculo saiu uma espécie de vapor que foi se transformando na figura de homem que se encaminhou até ela e ali na sua presença abriu a túnica que lhe cobria o peito, lhe mostrando o coração em chamas inextinguível e lhe disse:
“Eis aqui o coração que tanto amou os homens e pelos quais e tão mal correspondido pelo menos tu, filha minha, chora pelos que me ofendem, geme pelos que não querem orar, imola-te pelos que renegam e blasfemam contra o meu santo nome. Prometo-te na grandeza do meu amor que abençoarei os lares que neles me hospedem, que os que comungarem durante nove primeiras sextas-feiras seguidas, não morrerão sem receber os sacramentos da penitência e da Eucaristia”.

Leia também:

Depois de 150 anos de enormes dificuldades impostas especialmente pelos jansenistas e o terror da Revolução Francesa, em 1856, Pio IX instituiu a festa litúrgica do Sagrado Coração de Jesus, propondo, segundo a recomendação dos santos, a consagração do mundo ao Coração de Jesus. Duzentos anos depois que Santa Margarida pediu ao Rei Luís XIV a consagração da França ao Coração de Jesus, o grande presidente do Equador, Gabriel Garcia Moreno, consagrou seu país em 1873, ao Coração de Jesus.
Vários Papas incentivarem esta devoção através de encíclicas. Atualmente a festa do Sagrado Coração na sexta-feira após a festa de Corpus Cristi. Leão XIII na “Annum Sacrum” (1899), deixou-nos a Oração para consagração ao Sagrado Coração. Pio XI na “Miserentissimus Redemptor” (1928); Pio XII na “Haurietis aquas” (1956); João Paulo II na “Redemptor Hominis” (1979) e Bento XVI em carta ao Pe. Kolvenbach Geral da Comapanhia de Jesus, falaram da importância dessa devoção. Em 1872, Pio IX concedeu indulgências especiais aos que portassem o escapulário com a imagem do Sagrado Coração.
A piedade ligada ao Coração de Jesus está em união com a devoção ao Imaculado Coração de Maria. Muitos santos recomendaram esta devoção: São João Eudes, Santa Margarida Maria Alacoque, São Luís Grignion de Montfort, Santa Catarina Labouré e São Maximiliano Kolbe.

Numerosas foram às promessas do Sagrado Coração de Jesus sendo as mais admiráveis as seguintes:

1. Eu lhes darei todas as graças necessárias ao seu estado de vida.
2. Eu farei reinar a paz em suas famílias.
3. Eu os consolarei em todas as suas aflições.
4. Serei seu refúgio seguro durante a vida e sobretudo na morte.
5. Derramarei muitíssimas bênçãos sobre todas as suas empresas.
6. Os pecadores encontrão em meu Coração a fonte e o mar infinito da misericórdia.
7. As almas tíbias se tornarão fervorosas.
8. As almas fervorosas elevar-se-ão rapidamente a grande perfeição.
9. Abençoarei Eu mesmo as casas onde a imagem do meu Coração estiver exposta e venerada.
10. Darei aos sacerdotes o dom de abrandar os corações mais endurecidos.
11. As pessoas que propagarem esta devoção terão os seus nomes escritos no meu Coração e dele nunca serão apagados.
12. No excesso da misericórdia do meu amor todo poderoso darei a graça da perseverança final aos que comungarem na primeira sexta feira de nove meses seguidos.
Prof. Felipe Aquino

GOTAS DE MISERICÓRDIA - Diário de Santa Faustina §1485



Diário de Santa Faustina §1620

“… diálogo de Deus misericordioso com a alma pecadora:
– Jesus: Alma pecadora, não tenhas medo do teu Salvador. Eu, sou o primeiro, tomo a iniciativa de Me aproximar de ti, pois sei que por ti mesma não és capaz de elevar-te até Mim. Não fuja, filha, de teu Pai, dispõe-te a dialogar a sós com o teu Deus de Misericórdia, que quer dizer-te palavras de perdão e cumular-te de graças. Oh! Como me é cara a tua alma!…
– Alma: ‘Senhor, não sei se me perdoareis tão grande quantidade de pecados; a minha miséria me enche de temor’.
– Jesus: A Minha misericórdia é maior que as tuas misérias e as do mundo inteiro. Quem pode medir a extensão da Minha bondade? Por ti desci do Céu à Terra, por ti permiti que Me pregassem na Cruz, por ti permiti que fosse aberto pela lança o Meu Sacratíssimo Coração e, assim, abri para ti uma fonte de Misericórdia. Vem haurir graças dessa fonte com o recipiente da confiança. Nunca rejeito um coração humilhado. A tua miséria ficou submersa no abismo da Minha Misericórdia. Por que terias que travar Comigo [uma disputa] sobre a tua miséria? Dá-Me antes o prazer de Me entregares todas as todas penúrias e toda a miséria, e Eu te cumularei com tesouros de graças’."

JESUS, EU CONFIO EM VÓS!!!!