sábado, 20 de janeiro de 2018

HOMÍLIA DIÁRIA - (CANÇÃO NOVA) - Mc 3,20-21 - 20/01/2018


Tenhamos a coragem de viver o Evangelho de Cristo

Não se deixe entristecer, perder o ânimo e a coragem, de viver o Evangelho por aqueles da sua casa

“Quando souberam disso, os parentes de Jesus saíram para agarrá-lo, porque diziam que estava fora de si” (Marcos 3,21).

No Evangelho de hoje, vimos que tantas pessoas se aglomeram ao redor de Jesus, queriam tocar n’Ele, queriam ouvi-Lo e de Jesus saia uma graça que toca, cura, liberta, mas os parentes d’Ele não O compreenderam, não O acolheram, não tiveram comunhão com Ele. Os parentes de Jesus agarraram-No e diziam: “Jesus! Está fora de si”.
Quando olhamos para esse Evangelho, percebemos que muitas vezes, estaremos em comunhão, em harmonia com os nossos parentes, porém, muitos não acolhem e não aceitam que sejamos de Deus, da Igreja, que tenhamos uma vida em Deus e cresçamos na nossa comunhão com Ele.
Não somos melhores e nem devemos ser melhores do que nossos parentes, não devemos rejeitá-los, pelo contrário, temos que amar os nossos. Há uma distinção de família, assim como na família de Jesus: Sua mãe, Seus pais e os parentes mais próximos; e ainda têm aqueles mais distantes, que são os familiares de Jesus. Na nossa vida também é assim, porém, Jesus estabelece uma nova ordem quando escutamos: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que fazem a vontade do meu Pai”, porque para Jesus, em primeiro lugar, está a Sua missão: realizar na Sua vida a vontade do Pai.
Precisamos também priorizar isso, a nossa missão. Mas, muitas vezes, entraremos em choque ou não seremos aceitos por nossos parentes, pessoas próximas a nós, que nos viram crescer. Muitos acham que queremos aparecer, que viramos beatos ou queremos ser “santinhos” demais.
Precisamos querer ser santos, fazer a vontade de Deus, ainda que os nossos familiares não compreendam, não acolham e não comunguem conosco.
Muitas pessoas sofrem para viver o Evangelho, por exemplo: uma mulher quer viver o Evangelho e o marido não aceita; por vezes acontece até dos filhos quererem viver o Evangelho, e os pais não os incentivarem; ou ainda, membros da sua família se afastaram de você.
É uma pena, mas não deixe de seguir Jesus, de ser firme n’Ele; e não deixe de amar os seus. Não se deixe entristecer, perder o ânimo e a coragem, de viver o Evangelho por aqueles da sua casa, pelos seus parentes que não compreendem aquilo que Deus está realizando na sua vida.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 20/01/2018

ANO B


Mc 3,20-21

Comentário do Evangelho

Jesus não se omite em ajudar quem o procura

Jesus é um Messias itinerante. Mesmo quando se recolhe em casa, lugar do convívio familiar, Jesus é procurado pela multidão. Ele não se esquiva das pessoas; não deixa de dirigir-lhes a palavra para ensinar, nem se omite em ajudar quem quer que seja. A compaixão, sentimento que o domina (cf. Mc 6,34), faz com que seja totalmente pelos outros, sem deixar, contudo, de se afastar dos afazeres cotidianos para, no silêncio, rezar (cf. Mc 1,35). Não somente o ritmo da vida de Jesus, mas também o que ele dizia e fazia, parecia também para os seus familiares uma loucura, pois saía do que se considerava um padrão normal de comportamento. Com este parecer também concorda a sua própria mãe, conforme se pode concluir do episódio de Mc 3,31-35. A boa intenção da família de Jesus está baseada num equívoco e na incompreensão, por ora, fruto da incredulidade. Mais adiante, no relato evangélico, Jesus faz um lamento significativo sobre a rejeição na sinagoga de Nazaré, incluindo também os seus parentes. A parentela de Jesus figura na lista dos que rejeitam ou não compreendem a sua missão e o seu comportamento (cf. Mc 6,4).
Pe. Carlos Alberto Contieri
Oração
Senhor, orientai meu coração, para que eu esteja sempre atento e disponível ao serviço dos meus irmãos.
Fonte: Paulinas em 24/01/2015

VIVENDO A PALAVRA

Depois de peregrinar pela região, convocando discípulos, realizando sinais e anunciando a chegada do Reino, Jesus volta aos seus parentes. A novidade era grande demais para ser assimilada por eles: o Filho do Carpinteiro só poderia estar perdendo o juízo! Coisa parecida acontece bem perto de nós: o Reino de Deus transforma as pessoas...

Reflexão

A família humana pode fazer com que toda prática de uma pessoa seja vista apenas com olhos humanos, e o resultado disso é a interpretação incorreta dos fatos que devem ser analisados à luz da fé. Os parentes de Jesus não foram capazes de ver o dedo de Deus agindo, e, por isso, achavam que Jesus estava fora de si. Mas o povo foi capaz de ver o que realmente estava acontecendo, pois os corações de todos estavam abertos ao momento presente e à ação do próprio Deus, procurando ver a vida e os ensinamentos de Jesus à luz da fé. Por isso, o povo se reunia em número cada vez maior em torno de Jesus, de modo que ele e seus discípulos nem sequer podiam comer.
Fonte: CNBB em 24/01/2015

Reflexão

A casa, em geral, é ambiente que oferece segurança e bem-estar. Sossego, muitas vezes. Não é o que acontece com Jesus e seus discípulos, que são procurados pelas multidões. Certamente Jesus lhes dedica toda atenção: ensinamento, curas de doenças e expulsão de espíritos impuros. As atividades eram tantas que “eles não conseguiam nem comer”. Tudo corria dentro da normalidade até que um episódio inesperado veio trazer desconforto ao Mestre. Seus parentes chegam para impedi-lo de agir. Corriam vozes de que Jesus estava contrariando os costumes, as leis e as estruturas vigentes. Os parentes querem evitar que Jesus saia da normalidade. Não entenderam a novidade do Reino que Jesus veio implantar. Ele não estava louco. Ao contrário, é o maior sábio que o mundo conheceu.
(Dia a dia com o Evangelho 2018 – Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)

Meditando o evangelho

ALVOROÇO EM TORNO DO MESTRE

O Evangelho se dá conta do alvoroço da multidão em torno de Jesus. Quando pregava à beira do lago da Galiléia, instruía os discípulos para terem sempre um barco pronto para escapar, caso a multidão ameaçasse comprimi-lo. Houve até momentos em que o vai-e-vem infindável das multidões não lhe permitia nem mesmo comer.
Tal coisa deixava preocupados seus parentes mais próximos. Estes, imediatamente, tomaram providências para tirá-lo daquela situação. Tal gesto, porém, pode ser interpretado de dois modos. Os parentes poderiam estar preocupados com o bem estar de Jesus, e queriam garantir-lhe um tempo de repouso, para recuperar as forças, uma vez que até se dizia estar o Mestre agindo como um louco. Ou eles mesmos acreditavam que Jesus estivesse fora de si. Daí tomarem a iniciativa para afastá-lo da multidão, de modo a não continuar fazendo suas "loucuras".
Ambas as interpretações desfocam a imagem de Jesus. No primeiro caso, ele é considerado incapaz de ter controle sobre a situação externa; no segundo, consideram-no incapaz de controlar os próprios sentimentos e emoções, dando mostras de demência.
Os familiares de Jesus estavam bem longe de compreender o sentido daquela movimentação. Tratava-se do alvoroço causado pela presença do Reino de Deus, cujo mediador era Jesus. Era a "loucura" de Deus manifestando sua misericórdia sem limites para com os pobres e marginalizados que não tinham ninguém a seu favor.
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total)
Oração
Pai, a manifestação de tua misericórdia, por meio de Jesus, é motivo de imenso júbilo. Que eu saiba expressá-lo, com todo o vigor, sem medo das censuras e maledicências.
Fonte: Dom Total em  21/01/2017

Meditando o evangelho

A REJEIÇÃO DOS PARENTES

As dificuldades de Jesus começaram com seus próprios parentes. Eles o consideraram louco e julgavam vergonhoso vê-lo falar e dizer coisas que lhes parecia fora de propósito.
A rejeição dos familiares de Jesus funda-se numa série de preconceitos contra ele. Ele era filho de uma família pobre, como poderia apresentar-se com uma sabedoria tão alta? Eles o tinham visto crescer e pensavam conhecê-lo muito bem, como agora estava se dando à prática de milagres, mais parecidos com atos de magia? Sua origem era humilde, como agora estava vindo tanta gente atrás dele, como se fosse uma pessoa importante? Havia algo de errado. Jesus só podia estar louco e era preciso dar um basta naquela situação.A mentalidade fechada dos parentes de Jesus os impediu de perceber que, naquele homem tão conhecido deles, algo de muito especial estava acontecendo na história humana. As palavras de Jesus, ditas com autoridade, e seus milagres em favor das multidões apontavam para a presença da misericórdia divina. Embora vissem tantas pessoas serem agraciadas pela bondade de Jesus e ouvissem deles palavras revolucionárias, muito mais inspiradoras e exigentes que as dos mestres da Lei, não se demoviam de seu desejo de silenciá-los. Entretanto, a violência dos familiares não intimidou Jesus. Ele continuou, sem se perturbar, sua missão.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Senhor Jesus, retira do meu coração o preconceito que me impede de ver, na ação dos pobres e humildes, a expressão da ação misericordiosa de Deus.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

1. A multidão procura por Jesus
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

Estamos sempre nos encontrando com pessoas ou extraordinárias ou loucas. Os próprios familiares de Jesus disseram que ele estava ficando louco. Por quê? Evidentemente pelo seu modo de ser e de agir. Era como todo mundo e ao mesmo tempo não era. A grande diferença estava em que Jesus não era medíocre. Sua vida era ornada de valores e ele propunha valores aos seus amigos.
Uma dessas pessoas, louca como Jesus, foi a jovenzinha Inês, martirizada no início do século quarto, juntamente com outros cristãos na perseguição de Domiciano. E como ela tantos outros, seguidores de Jesus, sem medo de serem diferentes, e até com o gosto de serem diferentes: simplicidade de vida, disponibilidade missionária, liberdade de coração, lembrança dos esquecidos, cabeceira de doentes, socorro de idosos, amparo de crianças, cuidado com o ar, a terra, a vegetação, voz das minorias, pequenos valores de gente miúda contrapostos aos grandes projetos, astutos e ardilosos, que movimentam milhões nunca em favor dos outros e sempre por interesses pessoais e grupais.
Os contravalores atraem. Quem não os busca, é louco. Inês, a santa de hoje, teve boas ofertas. Não lhe ofereciam vida desonesta. Pediam-lhe que rejeitasse a Cristo e aceitasse um bom casamento. A louca ficou com Cristo. Já ouvimos de São Paulo dizer de forma irônica aos coríntios: “Nós somos loucos por amor de Cristo, e vós sábios em Cristo; nós fracos, e vós fortes; vós ilustres, e nós desprezíveis”. O louco perdeu a razão e comete desatinos. No entanto, “o coração tem razões que a razão desconhece”, dizia Pascal.
Fonte: NPD Brasil em 21/01/2017

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

1. A Insensatez de Sermos Igreja
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Nós podemos ir á igreja ou Sermos Igreja, duas coisas totalmente diferentes. Quando somos Igreja e vivemos em comunidade, nossas ações e modo de agir parecem loucura aos olhos do mundo.
Que sentido tem para o espírito consumista, o agente de pastoral dedicar-se ao seu trabalho em um final de semana, não achando tempo nem para o lazer ou o passeio? Dia desses indaguei da Dona Maria - agente da Pastoral dos Enfermos - o porquê de suas visitas a enfermos em dias de domingo e feriados, sendo que nesses dias os familiares estão em casa e têm a obrigação de estar junto ao doente. E ela respondeu-me que, em domingos e feriados, os familiares que trabalham nos dias de semana saem a passeio e o doente fica sozinho, é o dia em que ele mais precisa de alguém por perto. Que resposta espetacular, o amor autêntico pelos irmãos e irmãs, não cobra nem exige dos demais, mas vai de encontro às necessidades do outro.
Os parentes de Jesus julgam que ele está louco, querem levá-lo de volta para casa, fechá-lo em seu círculo reservado, cuidar dos interesses da Família, da mãe e dos irmãos de sangue, que aqui se tratam de primos. Mas a casa e a Família é o lugar por excelência onde se experimenta a vida de amor e comunhão. Jesus inaugura um novo jeito de se relacionar e ser família, não mais a partir das obrigações e formalidades onde o grupo permanece junto apenas por interesses. Não é esse o caso das famílias nos dias de hoje? Nesse caso, os políticos ladrões e corruptos formam uma "Família", os Traficantes e demais marginais também. Forma-se um grupo, mas o que prevalece é o individualismo.
Família é um reflexo da Trindade Santa, que vive uma vida de amor e comunhão, sempre aberta a quem quiser ser acolhido. Essa é a vontade de Deus. Comunidade não defende e nem olha a conveniência ou o interesse de alguém, mas vive a Palavra de Deus e busca viver na prática a justiça e a igualdade no amor que sempre serve, mas que nunca quer ser servido...

2. Jesus e os seus apóstolos não têm descanso
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

Jesus e os seus apóstolos não têm descanso. Há sempre muita gente atrás deles. Não deveria ser assim, sobretudo se procuram cura de enfermidades. Tais enfermidades não deveriam existir ou deveriam ser tratadas e curadas sem intervenção extraordinária. Não é motivo de alegria que multidões de doentes vão atrás de Jesus. É motivo de preocupação. As curas feitas por Jesus mostram a misericórdia de Deus, que quer um povo sadio. Não basta, pois, tocar em Jesus e ser curado, como não basta pertencer à sua família de sangue. É preciso dar um passo a mais e assumir o projeto de Deus. É preciso dar um passo definitivo e compromissado em direção ao Reino de Deus.
Seus familiares não o entendem e acham que está ficando louco. Vão atrás dele para detê-lo. Não é esta a verdadeira família de Jesus. Há aqui uma ruptura. Uma nova ordem começa a surgir. A família de Jesus se expande para além dos laços de sangue. Será formada por loucos, talvez? Sem dúvida. Os normais pensam e refletem de outra maneira. A visão dos normais não vai além da carne. Os loucos percebem as dimensões ocultas da vida. Enxergam o invisível com os olhos da fé. Têm razão os familiares de Jesus em se preocuparem com ele, e certamente com aqueles com os quais ele andava. Um bando de loucos, sem tempo nem para comer, metidos com possessos e doentes, andando sem rumo, pregando ideias novas, perigosas e perturbadoras da ordem vigente. Provocam as autoridades e se opõem ao ensinamento dos escribas. Os parentes de Jesus querem protegê-lo e evitar complicações.

HOMÍLIA DIÁRIA

A Palavra de Deus sacia nossa alma

A Palavra de Deus proclamada e anunciada realiza maravilhas em nosso coração, alimenta nossa alma e sacia nossa sede
“Jesus voltou para casa com os discípulos. E de novo se reuniu tanta gente que eles nem sequer podiam comer” (Marcos 3,20).


As pessoas queriam se aproximar de Jesus, corriam atrás d’Ele. As multidões se aglomeravam dia e noite atrás do Senhor, e Ele precisava retirar-se para cuidar de si, para que no outro dia tivesse à disposição daquela multidão faminta, sedenta, sobretudo com uma sede enorme das coisas do Céu, uma sede enorme que está dentro do coração humano, sedento de coisas eternas. Porque só o que vem do Céu pode alimentar nossa alma e nosso coração.
Jesus alimentava aquelas multidões, por isso estavam atrás d’Ele onde quer que Ele fosse, para ouvi-Lo. O que Jesus falava? Ele anunciava e proclamava o Reino e a Palavra de Deus.
A Palavra de Deus proclamada e anunciada realiza maravilhas em nosso coração, alimenta a nossa alma, sacia a nossa sede e fome de eternidade. Ela vem em socorro às nossas fraquezas, nossas misérias e aflições que estão permeando a nossa alma e o nosso coração.
As multidões de ontem e de hoje estão em busca do alimento. Não é só o alimento que nos sacia nesta vida, como o pão, o arroz, o feijão, que são tão necessário para a nossa subsistência! O fato é que depois que nos alimentamos, a nossa alma continua vazia. Não adianta só nos fartarmos dos alimentos aqui da terra, se não saciarmos a nossa alma e o nosso coração. O único que pode saciar a nossa alma e o nosso coração é Jesus!
É preciso aproximar-se de Jesus, buscá-Lo, ouvi-Lo, colocar-se aos Seus pés. É preciso tocar em Jesus e ser tocado por Ele, para que nosso interior e nossa alma se alimentem do alimento eterno, para que nossa alma se preencha com os alimentos da eternidade.
Do outro lado, a Palavra de Deus nos revela que os parentes de Jesus queriam agarrá-Lo, dizendo que Ele estava fora de si.
Quem não entra na lógica, na dinâmica do Reino de Deus, de fato despreza, não compreende e menospreza tudo aquilo que se realiza no meio de nós. Se não abrirmos os olhos da fé e não olharmos com os olhos espirituais, não vamos compreender as maravilhas que o Pai realiza no meio de nós, não entraremos na dinâmica do Reino dos Céus.
Se os parentes de Jesus O rejeitaram, compreendemos porque tantos hoje não compreendem o Reino de Deus, são indiferentes a ele, perseguem e, de fato, não se abrem para essa dinâmica.
Os parentes de Jesus olharam para Ele de uma forma muito humana: “É nosso parente! É alguém próximo de nós!”, porém, em muitas situações, opuseram-se a Jesus. O Senhor saiu do meio deles para continuar proclamando o Reino de Deus.
Muitas vezes, os nossos não irão nos compreender, parentes, amigos nem pessoas próximas a nós. Só compreende o Reino de Deus quem entra na dinâmica e na lógica do Seu Reino! É preciso ter uma sabedoria que vem do Céu, que nos alimenta e nos sacia para entendermos, compreendermos o que vivemos, queremos e buscamos.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova


Fonte: Canção Nova em 21/01/2017

ORAÇÃO FINAL
Pai Santo, aos olhos do mundo a opção radical pelo teu Amor parece loucura. Aceita-nos como cidadãos do teu Reino, Pai amado, e faze de nós alegres e entusiasmados anunciadores da tua misericórdia e do teu perdão, para os companheiros de jornada nesta terra encantada. Por Jesus Cristo, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo. Amém.

LITURGIA DIÁRIA - 20/01/2018


Tema do dia

OS PARENTES DIZIAM QUE JESUS TINHA FICADO LOUCO

O Segundo Livro de Samuel narra o fim do reinado de Saul, já mostrando o protagonismo de Davi. Saul, o primeiro rei de Israel teve um mandato infeliz que terminou com a derrota ante o inimigo e as mortes dele próprio e de seu filho Jônatas. No texto, o luto de Davi.

Oração para antes de ler a Bíblia


Meu Senhor e meu Pai! Envia teu Santo Espírito para que eu compreenda e acolha tua Santa Palavra! Que eu te conheça e te faça conhecer, te ame e te faça amar, te sirva e te faça servir, te louve e te faça louvar por todas as criaturas. Fazei, ó Pai, que pela leitura da Palavra os pecadores se convertam, os justos perseverem na graça e todos consigamos a vida eterna. Amém.

Sábado da 2ª Semana do Tempo Comum
São Sebastião - Cor: Vermelho


Primeira Leitura (2Sm 1,1-4.11-12.19.23-27)
2ª Semana do Tempo Comum - Sábado

Início do Segundo Livro de Samuel.

Naqueles dias, 1Davi regressou da derrota que infligiu aos amalecitas, e esteve dois dias em Siceleg. 2No terceiro dia, apareceu um homem, que vinha do acampamento de Saul, com as vestes rasgadas e a cabeça coberta de pó. Ao chegar perto de Davi, prostrou-se por terra e fez-lhe uma profunda reverência. 3Davi perguntou-lhe: “Donde vens?” Ele respondeu: “Salvei-me do acampamento de Israel”. 4“Que aconteceu?”, perguntou-lhe Davi. “Conta-me tudo!” Ele respondeu: “As tropas fugiram da batalha, e muitos do povo caíram mortos. Até Saul e o seu filho Jônatas pereceram!”
11Então Davi tomou suas próprias vestes e rasgou-as, e todos os que estavam com ele fizeram o mesmo. 12Lamentaram-se, choraram e jejuaram até a tarde, por Saul e por seu filho Jônatas, e por causa do povo do Senhor e da casa de Israel, porque haviam tombado pela espada.
19E Davi disse: “Tua glória, ó Israel, jaz ferida de morte sobre os teus montes. Como tombaram os fortes! 23Saul e Jônatas, amados e belos, nem vida nem morte os puderam separar, mais velozes que as águias, mais fortes que os leões.
24Filhas de Israel, chorai sobre Saul. Ele vos vestia de púrpura suntuosa e ornava de ouro os vossos vestidos. 25Como tombaram os fortes em plena batalha! Jônatas foi morto sobre as tuas alturas. 26Choro por ti, meu irmão Jônatas. Tu me eras tão querido; tua amizade me era mais cara que o amor das mulheres. 27Como tombaram os fortes, como pereceram as armas de guerra!”

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Responsório (Sl 79)
2ª Semana do Tempo Comum - Sábado

— Resplandecei a vossa face, e nós seremos salvos!
— Resplandecei a vossa face, e nós seremos salvos!

— Ó Pastor de Israel, prestai ouvidos. Vós, que a José apascentais qual um rebanho! Vós, que sobre os querubins vos assentais, aparecei cheio de glória e esplendor ante Efraim e Benjamim e Manassés! Despertai vosso poder, ó nosso Deus, e vinde logo nos trazer a salvação!
— Até quando, ó Senhor, vos irritais, apesar da oração do vosso povo? Vós nos destes a comer o pão das lágrimas, e a beber destes um pranto copioso. Para os vizinhos somos causa de contenda, de zombaria para os nossos inimigos.


Evangelho (Mc 3,20-21)
2ª Semana do Tempo Comum - Sábado


Jesus e os seus apóstolos não têm descanso

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 20Jesus voltou para casa com os discípulos. E de novo se reuniu tanta gente que eles nem sequer podiam comer. 21Quando souberam disso, os parentes de Jesus saíram para agarrá-lo, porque diziam que estava fora de si.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.


Oração para depois de ler a Bíblia


Dou-Te graças, meu Deus, pelos bons propósitos, afetos e inspirações que me comunicastes nesta meditação; peço-Te ajuda para colocá-los em prática. Minha Mãe Imaculada, meu protetor São José e Anjo da minha guarda, intercedem todos por mim. Amém.

AVE CHEIA DE GRAÇA! - Maria e o Anjo!


AVE CHEIA DE GRAÇA!


Dia da semana: Sábado - Dedicado a - Nossa Senhora - Imaculado Coração de Maria - CONSAGRAÇÃO AO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA - Cenáculo de amor (Walmir Alencar)

Foto com animação

CONSAGRAÇÃO AO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, ao vosso Coração Imaculado nos consagramos, em ato de entrega total ao Senhor. Por Vós seremos levados a Cristo. Por Ele e com Ele seremos levados ao Pai. Caminharemos à luz da fé e faremos tudo para que o mundo creia que Jesus Cristo é o Enviado do Pai. Com Ele queremos levar o Amor e a Salvação até aos confins do mundo. Sob a proteção do vosso Coração Imaculado seremos um só povo com Cristo. Seremos testemunhas da Sua ressurreição. Por Ele seremos levados ao Pai, para glória da Santíssima Trindade, a Quem adoramos, louvamos e bendizemos. Amém.



Cenáculo de amor
Walmir Alencar

Reunidos aqui, num Cenáculo de amor
Pedimos forças pelas mãos de Maria
Ela conhece bem todos seus queridos filhos
E não deixará faltar para nós seu auxílio

Vinde, Espírito Santo! Vinde por meio da poderosa intercessão
Do Imaculado Coração de Maria, Vossa amadíssima Esposa
Vinde, Espírito Santo! Vinde por meio da poderosa intercessão
Do Imaculado Coração de Maria, Vossa amadíssima Esposa (bis)

Vossa amadíssima Esposa!

BOA NOITE!! - ♫ "Quem é está que avança como aurora, Temível como um exército em ordem de batalha, Brilhante como o sol e como a lua, Mostrando o caminho ao filhos seus. Minha alma glorifica ao Senhor, Meu espírito exulta, em Deus me Salvador." ♫ - Filha minha receba milhas bençãos.





Quem é esta que avança como aurora
Padre Marcelo Rossi 

Quem é está que avança como aurora,
Temível como um exército em ordem de batalha,
Brilhante como o sol e como a lua,

Mostrando o caminho ao filhos seus.
Minha alma glorifica ao Senhor,
Meu espírito exulta, em Deus me Salvador.
Quem é está que avança como aurora,
Temível como um exército em ordem de batalha,
Brilhante como o sol e como a lua,
Mostrando o caminho ao filhos seus.


TERÇOS – VÍDEOS


Acesse:

1  Terço da Divina Providência - http://youtu.be/5mzUbLl_P48

2 - Terço de Cura e Libertação  http://youtu.be/TWmZ47JoC0I

3  Terço da FÉ  http://youtu.be/-I1tuBSDtkU

4 - Terço do Espírito Santo - http://youtu.be/BJqMkwQsOeQ

5 - Terço da Libertação Cantado - http://youtu.be/9ofE4VoEZPU

6 - Terço da Sagrada Face de Nosso Senhor Jesus Cristo - http://youtu.be/dr_BtsQtRvo

7 - Terço de São Bento - http://youtu.be/p-iD6TySLmY

8 - TERÇO DE CURA E LIBERTAÇÃO (PADRE JOÃOZINHO)  http://youtu.be/hUuaQk1ydWw

TERÇO DA MISERICÓRDIA - VÍDEO - APRENDA A REZAR O TERÇO DA MISERICÓRDIA





"Quando rezarem este Terço junto aos agonizantes, Eu me colocarei entre o Pai e a alma agonizante, não como justo Juiz, mas como Salvador misericordioso".

JESUS, EU CONFIO EM VÓS!!!


APRENDA A REZAR O TERÇO DA MISERICÓRDIA


Para ser rezado nas contas do terço

No começo:


Pai nosso, que estais no céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.

Ave, Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco; bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.

Creio em Deus Pai, todo poderoso, criador do Céu e da Terra; e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor; que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia; subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, de onde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espirito Santo, na santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna Amém.

Nas contas de Pai Nosso, dirás as seguintes palavras usando o terço de Maria:

Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e o Sangue, a Alma e a Divindade de Vosso diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e dos do mundo inteiro.

Nas contas de Ave Maria rezarás as seguintes palavras:

Pela Sua dolorosa Paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro.

No fim, rezarás três vezes estas palavras:

Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro” 
(Diário, 476)