segunda-feira, 15 de junho de 2020

BOM DIA! BOA TARDE! BOA NOITE! Oração da noite, Oração da manhã e Oração do entardecer - Deus te abençoe!



Oração da Noite

Boa noite Pai.
Termina o dia e a ti entrego meu cansaço.
Obrigado por tudo e… perdão!!
Obrigado pela esperança que hoje animou meus passos, pela alegria que vi no rosto das crianças;
Obrigado pelo exemplo que recebi daquele meu irmão;
Obrigado também por isso que me fez sofrer…
Obrigado porque naquele momento de desânimo lembrei que tu és meu Pai; Obrigado pela luz, pela noite, pela brisa, pela comida, pelo meu desejo de superação…
Obrigado, Pai, porque me deste uma Mãe!
Perdão, também, Senhor!
Perdão por meu rosto carrancudo; Perdão porque não me lembrei que não sou filho único, mas irmão de muitos; Perdão, Pai, pela falta de colaboração e serviço e porque não evitei aquela lágrima, aquele desgosto; Perdão por ter guardado para mim tua mensagem de amor;
Perdão por não ter sabido hoje entregar-me e dizer: “sim”, como Maria.
Perdão por aqueles que deviam pedir-te perdão e não se decidem.
Perdoa-me, Pai, e abençoa os meus propósitos para o dia de amanhã, que ao despertar, me invada novo entusiasmo; que o dia de amanhã seja um ininterrupto “sim” vivido conscientemente.
Amém!!!

Oração da manhã

Bom-dia, Senhor Deus e Pai!
A ti, a nossa gratidão pela vida que desperta, pelo calor que
cria vida, pela luz que abre nossos olhos.
Nós te agradecemos por tudo que forma nossa vida, pela terra, pela água, pelo ar, pelas pessoas. Inspira-nos com teu Espírito Santo os pensamentos que vamos alimentar,as palavras que vamos dizer, os gestos que vamos dirigir,a comunicação que vamos realizar.
Abençoa as pessoas que nós encontramos, os alimentos que vamos ingerir.
Abençoa os passos que nós dermos, o trabalho que devemos fazer.
Abençoa, Senhor, as decisões que vamos tomar, a esperança que vamos promover,a paz que vamos semear,a fé que vamos viver, o amor que vamos partilhar.
Ajuda-nos, Senhor, a não fugir diante das dificuldades, mas a abraçar amor as pequenas cruzes deste dia.
Queremos estar contigo, Senhor, no início, durante e no fim deste dia.
Amém.

Oração do entardecer

Ó Deus!
Cai à tarde, a noite se aproxima.
Há neste instante, um chamado à elevação, à paz, à reflexão.
O dia passa e carregam os meus cuidados.
Quem fez, fez.
Também a minha existência material é um dia que se passa,
uma plantação que se faz, um caminho para algo superior.
Como fizeste a manhã, à tarde e a noite, com seus encantos,
fizeste também a mim, com os meus significados, meus resultados.
Aproxima de mim, Pai, a Tua paz para que usufrua desta
hora e tome seguras decisões para amanhã.
Que se ponha o sol no horizonte, mas que nasça
em mim o sol da renovação e da paz para sempre.
Obrigado, Deus, muito obrigado!
Amém!

BOM DIA! "Quando você acorda de manhã, pense no fantástico privilégio que é estar vivo - respirar, pensar, desfrutar, amar." Marco Aurélio

Bom dia! Deus é fiel! "A vitória vem para quem luta. O milagre vem para quem tem fé. E a recompensa vem para quem confia."

BOM DIA! ESTOU ENVIANDO ESTE ANJO PARA QUE ELE TE PROTEJA E TE GUIE O DIA INTEIRO. PARA QUE SEU DIA SEJA ALEGRE E CHEIO DE PAZ!

Ótima Terça! - "A dignidade de uma alma é tão grande, que cada um tem um anjo guardião desde seu nascimento". São Jerônimo

TENHA UMA EXCELENTE TERÇA-FEIRA!

QUERO DESEJAR UMA EXCELENTE TERÇA-FEIRA PRÁ VOCÊ!!

MEU DIA EM SINTONIA COM O ALTO - 15/06/2020














































Boa Noite! Senhor, Envia Teu Anjo para guardar e proteger esta pessoa que esta lendo essa mensagem nesse exato momento. Amém!

Bons Sonhos. Boa Noite.

Vim te desejar Boa Noite... E dizer com muito carinho Eu não me esqueço de você! Feliz Noite!

Sorrindo pra vida - 15/06/2020


Canal do Youtube - Canção Nova Play

Publicado em 15 de jun. de 2020

LEITURA ORANTE DO DIA - 15/06/2020



LEITURA ORANTE

Mt 5,38-42 - Não "olho por olho, dente por dente"



Recordamos, de início, uma frase do papa Bento XVI:
“a reconciliação e o perdão são, sem dúvida alguma,
condições para construir uma verdadeira paz”
(Sacramentum Caritatis, 89).
Preparemo-nos para a Leitura Orante,
rezando:
Creio, meu Deus, que estou diante de Ti.
Que me vês e escutas as minhas orações.
Tu és tão grande e tão santo: eu te adoro.
Tu me deste tudo: eu te agradeço.
Foste tão ofendido por mim:
eu te peço perdão de todo o coração.
Tu és tão misericordioso: eu te peço todas as graças
que sabes serem necessárias para mim.
Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

1. Leitura (Verdade) 
O que diz o texto do dia?
Lemos atentamente,  o texto: Mt 5,38-42 -, e ouvimos
o que Jesus fala sobre atitudes do cristão.
- Vocês ouviram o que foi dito: "Olho por olho, dente por dente." Mas eu lhes digo: não se vinguem dos que fazem mal a vocês. Se alguém lhe der um tapa na cara, vire o outro lado para ele bater também. Se alguém processar você para tomar a sua túnica, deixe que leve também a capa. Se um dos soldados estrangeiros forçá-lo a carregar uma carga um quilômetro, carregue-a dois quilômetros. Se alguém lhe pedir alguma coisa, dê; e, se alguém lhe pedir emprestado, empreste.
Refletindo
Se você for ouvir pessoas diferentes sobre este discurso de Jesus, vai ter opiniões as mais diversas. A maioria pensa e reage com a lei de talião ou do “olho por olho, dente por dente”. A lei de talião (do latim Lex Talionis; lex: lei e talis: tal), também conhecida como pena de talião, consiste na rigorosa reciprocidade do crime e da pena — apropriadamente chamada retaliação, revide, ou ainda, vingança. Aparece ainda muito forte, no coração de muita gente. É uma das mais antigas leis existentes. Os primeiros indícios da lei de talião foram encontrados no Código de Hamurabi (1780 a.C.), na Babilônia.
Como é a proposta de Jesus para superar a vingança? Ele propõe uma atitude nova, diferente, com o objetivo de eliminar pela raiz o círculo da violência. A resistência ao ofensor ou inimigo não deve ser feita com as mesmas armas usadas por ele, mas através do comportamento que o desarme. Essa é a grande novidade trazida por Jesus -o mandamento do amor - a essência do cristianismo que consiste em amar e perdoar não só aos amigos, mas também aos inimigos
O apóstolo são Paulo também fala do assunto, no capítulo 12 aos romanos: “Amados, não façam justiça com as próprias mãos... Se o inimigo tiver fome, dê-lhe de comer, se tiver sede, dê-lhe de beber; desse modo, você fará o outro corar de vergonha. Não se deixe vencer pelo mal, mas vença o mal com o bem” (Rm 12, 19-21).

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para nós, hoje?
Ouvi, Senhor, a voz do meu apelo, tende compaixão de mim e atendei-me; vós sois meu protetor, não me deixeis; não me abandoneis, ó Deus, meu salvador! (Sl 26,7.9)
Sentimos que nossa vida é carregada das cores da Palavra de Deus?
Ou ainda temos vestígios da lei de talião?
Nossa presença é iluminadora, aponta caminhos de paz, de reconciliação e de amor?
Na sociedade violenta em que vivemos, em que “ninguém leva desaforo pra casa”, não é fácil ser cristão.
Meditando
Os bispos, na Conferência de Aparecida, falaram da necessidade do cristão viver em contínua conversão:
“O prazo se cumpriu. O Reino de Deus está chegando. Convertam-se e creiam no Evangelho” (Mc 1,15). A voz do Senhor continua nos chamando como discípulos missionários e nos desafia a orientar toda nossa vida a partir da realidade transformadora do Reino de Deus que se faz presente em Jesus. Acolhemos com muita alegria esta boa nova. Deus amor é Pai de todos os homens e mulheres de todos os povos e raças. Jesus Cristo é o Reino de Deus que procura demonstrar toda sua força transformadora em nossa Igreja e em nossas sociedades. N'Ele, Deus tem nos escolhido para que sejamos seus filhos com a mesma origem e destino, com a mesma dignidade, com os mesmos direitos e deveres vividos no mandamento supremo do amor. O Espírito colocou este germe do Reino em nosso Batismo e o faz crescer pela graça da conversão permanente graças à Palavra de Deus e aos sacramentos.” (DAp 382)

3. Oração (Vida)
O que o texto nos leva a dizer a Deus?
Rezamos, com o Salmo 5

Atendei o meu gemido, ó Senhor!

1. Escutai, ó Senhor Deus, minhas palavras, / atendei o meu gemido! / Ficai atento ao clamor da minha prece, / ó meu rei e meu Senhor! R.
2. Não sois um Deus a quem agrade a iniquidade, / não pode o mau morar convosco; / nem os ímpios poderão permanecer / perante os vossos olhos. – R.
3. Detestais o que pratica a iniquidade / e destruís o mentiroso. / Ó Senhor, abominais o sanguinário, / o perverso e enganador. – R.

4. Contemplação (Vida e Missão)
Qual nosso novo olhar a partir da Palavra?
Sentimo-nos  discípulos/as de Jesus.
Nosso novo olhar é iluminado pela certeza de que “sem Cristo não há luz,
não há esperança, não há amor, não há futuro” (DAp 146).

nção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Irmã Patrícia Silva, fsp
https://leituraorantedapalavra.blogspot.com/

HOMILIA - A violência não faz parte da vida do cristão - Padre Leandro Couto (15/06/2020)


Canal do Youtube - Canção Nova Play

Publicado em 15 de jun. de 2020

HOMILIA - Devemos ser propriedade de Deus - Padre Roger Luis (14/06/2020)


Canal do Youtube - Canção Nova Play

Publicado em 15 de jun. de 2020

HOMILIA - Deus pode contar com seu sim ? - Padre Edilberto Carvalho (14/06/2020)


Canal do Youtube - Canção Nova Play

Publicado em 15 de jun. de 2020

HOMILIA - Feliz quem fala como o Espírito Santo inspira - Padre Vagner Baia (13/06/2020)


Canal do Youtube - Canção Nova Play

Publicado em 15 de jun. de 2020

Olho por olho dente por dente | (Mt 5,38-42) - Meditação da Palavra de Deus - #60 - Frei Gilson



Publicado em 15 de jun. de 2020

Mãe Maria | Dom Walmor - 15/06/2020


Canal do Youtube: TV Horizonte

Publicado em 15 de jun. de 2020

O que significa “dar a outra face”? (Homilia.1500: Segunda-feira da 11.ª Semana do Tempo Comum (P)) - Padre Paulo Ricardo


Canal do Youtube: Padre Paulo Ricardo

Publicado em 14 de jun. de 2020

Entre os que não creem em Cristo nem aceitam a sua doutrina, poucos versículos do Evangelho costumam ser mais queridos e mais citados, sobretudo quando se trata de “desarmar” um católico justamente indignado, do que este: “Se alguém te dá um tapa na face direita, oferece-lhe também a esquerda”. Mas, afinal, será mesmo que estamos “condenados” a fechar os olhos e esperar que o mundo nos estapeie as duas bochechas? Qual é o sentido deste ensinamento evangélico, tão difícil de viver e tão mal interpretado pelos que não querem aceitá-lo? Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta segunda-feira, dia 15 de junho, e descubra a resposta.

HOMILIA DIÁRIA - (CANÇÃO NOVA) – Mt 5,38-42 – 15/06/2020


A vingança tira a pureza do nosso coração

“Ouvistes o que foi dito: ‘Olho por olho e dente por dente!’ Eu, porém, vos digo: Não enfrenteis quem é malvado! Pelo contrário, se alguém te dá um tapa na face direita, oferece-lhe também a esquerda!” (Mateus 5,38-39).


O seguidor de Jesus não se deixa levar pela vingança, pelo rancor, pelo ressentimento e pela mágoa. Ainda que fiquemos magoados, a mágoa tem de ser curada, mas não podemos permitir que a alma seja maltratada porque vamos cultivando esses rancores.
A vingança é um demônio terrível que se esconde de diversas formas na nossa vida e na nossa história. Pode ser que, nós, literalmente não nos vinguemos de quem nos fez o mal, mas desejamos, alimentamos, esperamos e cultivamos. No fundo dizemos: “Ele vai pagar pelo que fez”, e usamos até subterfúgios mundanos para nos escondermos debaixo de uma faceta religiosa: “Aqui se faz, aqui se paga”; alguém ainda diz que está na Bíblia e usamos esses elementos para cultivar a vingança.
A vingança tira a pureza do nosso coração; o ressentimento, a mágoa e o rancor deixam o nosso coração machucado, oprimido, doente e enfermo. Jesus não está falando isso primeiro por causa do outro, mas por causa de nós, porque Ele quer o nosso coração sadio, quer a nossa vida a salvo. Ele quer a alma de cada um de nós vivendo de forma sadia e serena.

Permitamos que a graça de Deus vença a toda vingança, rancor, ódio e ressentimento que há em nós

Não há vida sadia e serena com o coração abarrotado pelo sentimento de vingança, de rancor e raiva. É óbvio que, na hora em que as coisas acontecem, quando somos traídos ou contrariados, os sentimentos crescem em nós. Dentro de nós os sentimentos mais belos se tornam os ressentimentos mais duros da alma, mas conhecemos Jesus e a graça d’Ele está em nós. A graça d’Ele em nós chama-se amor e misericórdia.
Quando falamos em amor, logo pensamos nas pessoas queridas que queremos, isso é uma forma de amar, mas o amor é mais sublime. O amor é o remédio que a alma precisa para ser curada dos males que o mundo nos impõe.
Quando vemos que estamos com pensamentos ruins sobre o outro, quando estamos com um desejo maldoso a respeito do outro é porque o amor não nos curou. Precisamos mergulhar no amor para sermos curados.
Enquanto pensarmos mal, querermos e desejarmos o mal e o mal do outro estiver em nós, continuaremos mal no que pensamos e no que sentimos.
Permitamos que a graça de Deus vença a toda vingança, rancor, ódio e ressentimento que há em nós.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.


Boa Tarde! Ser feliz também é fazer outras pessoas felizes. Pequenos gestos, como um abraço carinhoso, um elogio sincero, ou um agradecimento, podem tornar o dia de alguém muito especial. Ser gentil com as pessoas à sua volta é encher seu ambiente de felicidade!

Boa Tarde!! "FALAR SOBRE DEUS para um amigo é bom, mas falar sobre um amigo para Deus É PODEROSO!"

Linda tarde para você! "Fiz na vida o meu escudo, desta verdade sagrada: O nada com Deus é tudo, e tudo sem Deus é nada."

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 15/06/2020

ANO A



Mt 5,38-42

Comentário do Evangelho

Não pagar o mal com o mal. Não responder à violência com violência.

Trata-se, nesta quinta antítese, da superação da “lei do talião” (do latim, talis = tal): reparação exigida do criminoso que devia ser proporcional ao mal que ele causou. Esta antítese exemplifica, uma vez mais, a bem-aventurança da misericórdia, da operatividade da paz, da capacidade de perdão. A lei do talião visava pôr limites à sede de vingança do ser humano, impondo ao agressor o mesmo tratamento que ele tinha dado à vítima (cf. Ex 21,24; Lv 24,20; Dt 19,21). “Não resistir ao malvado” significa não fazer frente a ele, não pagar com a mesma moeda, não pagar o mal com o mal. Não responder à violência com violência.
Carlos Alberto Contieri, sj
Oração
Pai, não permitas que a violência tome conta do meu coração; antes, torna-me capaz de responder, com gestos de amor, a quem me faz o mal.
Fonte: Paulinas em 17/06/2013

Comentário do Evangelho

Não pagar o mal com o mal.

Nós encontramos referência à lei do talião em vários textos do Antigo Testamento (Ex 21,24; Lv 24,20; Dt 19,21). Do latim, talis é traduzido em português por “tal”. Trata-se, grosso modo, da reparação exigida de alguém que cometeu um delito e que devia ser proporcional ao mal que ele causou a outro. A finalidade de tal lei era conter a vingança e a violência, ao contrário do proposto por Lamec (cf. Gn 4,23-24). Essa quinta antítese visa à superação da lei do talião e explicita a bem-aventurança da misericórdia (Mt 5,7), a exigência cristã do perdão e da reconciliação e a paz que precisa ser construída com o esforço de todos (cf. Mt 5,9). A expressão “não resistir ao malvado” é ambígua e, por isso, deve ser bem compreendida. Em primeiro lugar, é fundamental a consciência de que é o mal que tem de ser extirpado e a ele não se pode ceder; a pessoa, é necessário salvá-la. Em segundo lugar, a afirmação de Jesus prescreve não pagar o mal com o mal, não pagar com a mesma moeda, não responder à violência com a violência. Para o cristão, é preciso considerar como Deus nos trata para poder superar qualquer impulso à violência, à vingança ou ao revanchismo: Deus não nos trata segundo nossas faltas. A todos, indistintamente, Ele oferece o seu perdão e o seu amor.
Carlos Alberto Contieri, sj
Oração
Pai, não permitas que a violência tome conta do meu coração; antes, torna-me capaz de responder, com gestos de amor, a quem me faz o mal.
Fonte: Paulinas em 16/06/2014

Vivendo a Palavra

A Lei de talião – olho por olho e dente por dente – era um avanço entre os povos vizinhos que cultivavam a vingança sem limites por qualquer ofensa recebida. Mas Jesus queria muito mais: o Amor que perdoa, que se oferece sem interesse de qualquer tipo de retribuição, nem mesmo o reconhecimento ou a gratidão.
Fonte: Arquidiocese BH em 17/06/2013

VIVENDO A PALAVRA

Pela lei do talião (Ex 21,23-25) o criminoso devia ser punido, mas impunha um limite: a mesma medida do dano causado. Já era um avanço frente à barbárie que reinava até então. Entretanto, para Jesus, este limite imposto à ‘retaliação’ era muito pouco. E Ele decreta a Lei do Amor sem limites, sem restrições: ofereça a outra face, entregue também o manto, partilhe tudo! Seja generoso como é generoso o Pai que está no Céu.

Reflexão

Os critérios humanos não são suficientes para resolver os problemas da própria humanidade, principalmente os que estão relacionados com a justiça, pois a justiça dos homens não tem como centro a pessoa humana, mas sim o que elas têm ou deixam de possuir. Os bens são comparáveis entre si, mas as pessoas não, pois cada uma é um ser único, incomparável na sua dignidade. Além disso, os elementos que estão presentes em um relacionamento são por demais complexos para serem abrangidos na sua totalidade a partir de categorias do conhecimento humano, uma vez que a própria razão é insuficiente para a compreensão do ser humano. Jesus nos mostra que somente o amor e a misericórdia possibilitam superar essas deficiências e construir um relacionamento justo e fraterno.
Fonte: CNBB em 17/06/2013 e 16/06/2014

Reflexão

Não é espontâneo ao ser humano fazer um gesto de bondade ao sofrer uma agressão. O contrário é o que se vê: violência gerando violência. Isso acontecia na época de Jesus e continua acontecendo na sociedade hodierna. Justamente por isso é que o Mestre vem com essas exigências desconcertantes. Ao mal se responde com o bem; em vez de vingança, a benevolência. É o único caminho para eliminar a espiral de violência vigente em nossos relacionamentos. Então, a benquerença amortece o ódio alheio; a valorização do outro elimina o desprezo; o abraço acolhedor vence o preconceito. Cria-se um clima de fraternidade, harmonia e paz, que ultrapassa nossa boa convivência em família, atinge e beneficia a sociedade inteira. Projeto de Deus para cristãos e cristãs de todos os tempos.
Oração
Ó Jesus, “Príncipe da paz”, a tendência a revidar alguma ofensa ou a “pagar com a mesma moeda” tem raízes profundas em nós. No entanto, aos cristãos vens pedir a capacidade de quebrar a espiral da violência, respondendo ao mal com o bem. Foi o que fizeste; assim nos ensinas. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))

Recadinho

Reconheço que retribuir mal com mal nada constrói? - Compreendo o mandamento da caridade? - Procuro vivê-lo? - Sou generoso como Deus é generoso comigo? - Se há mais alegria em dar do que em receber, o que dizer então da generosidade para com quem nos trata mal?
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R
Fonte: a12 – Santuário Nacional em 16/06/2014

Meditando o evangelho

UM TREMENDO DESAFIO

Um dos desafios mais tremendos para os discípulos de Jesus consistia em "oferecer a outra face a quem lhes esbofeteasse a face direita". Receber um tapa no rosto é uma experiência altamente ofensiva em qualquer cultura. Revidar é uma reação natural. O discípulo do Reino, porém, é orientado para agir de maneira diferente: jamais responder violência com violência.
As primeiras comunidades cristãs viam-se pressionadas pela violência de seus perseguidores. Quanto mais sem fundamento é a violência, tanto mais perversa e maligna ela é. A violência contra os cristãos era deste tipo. Se pagassem com a mesma moeda a violência sofrida, que moral teriam para proclamar a excelência do mandamento do amor e a urgência da reconciliação? Se se submetessem passivamente seriam dizimados dentro de pouco tempo. Se optassem por se dispersar ou por viver na clandestinidade, não poderiam realizar a missão de arautos do Evangelho que tinham recebido.
O gesto de oferecer a outra face era uma forma de resistência pacífica à fúria dos perseguidores. Significava que os discípulos de Jesus não temiam quem os perseguia; que recusavam a se rebaixar ao nível de seus adversários; que buscavam eliminar a violência no seu nascedouro; e que davam testemunho de um mundo novo onde a violência não tinha vez. Este testemunho inusitado poderia até mesmo levar os perseguidores à conversão.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Pai, não permitas que a violência tome conta do meu coração; antes, torna-me capaz de responder, com gestos de amor, a quem me faz o mal.
Fonte: Dom Total em 19/06/2017

Meditando o evangelho

A VIOLÊNCIA SUPERADA

O discípulo do Reino não pode contentar-se com a prática de retribuir olho por olho e dente por dente. Ele se caracteriza pela capacidade de, com firmeza, quebrar a espiral de violência através de atitudes chocantes, até mesmo, para seu agressor. Não é fácil imaginar alguém oferecendo a face esquerda para ser esbofeteada quando já se recebeu um bofetão na direita. Do mesmo modo, alguém que pretenda extorquir uma túnica, em juízo, e ver o lesado oferecer-lhe também o manto. Ou, então, quem é obrigado a fazer companhia a alguém, numa longa caminhada, para protegê-lo dos assaltos, mostrar-se disposto a caminhar o dobro.
Estas atitudes são, à primeira vista, insensatas e injustificáveis. Mas, são normas de conduta para o discípulo. Que finalidade teriam? Jesus não estava pregando uma espiritualidade da humilhação e do sofrimento. Não lhe interessava ver o discípulo humilhado. O gesto proposto visava converter o agressor para o Reino. Mostrar-lhe que é possível viver sem violência. Abrir-lhe os olhos para a possibilidade de se relacionar com o próximo sem transformá-lo em objeto de seu ódio e estabelecer relações verdadeiramente fraternas e amistosas. A não-violência do discípulo do Reino, portanto, é vivida de forma positiva e construtiva. O Reino vai se construindo onde a violência dá lugar ao amor.
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total).
Oração
Senhor Jesus, dá-me força para quebrar a espiral da violência e transformar o ódio em amor.

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

1. Amor sem Limites
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Todos os Cristãos têm plena consciência de que o Amor a Deus e ao próximo é a essência do cristianismo, afinal trata-se do Mandamento novo dado por Jesus. O problema está nos limites que colocamos no Amor e na intensidade do amor dependendo das pessoas. Amor que não é sem limites, não é cem por cento Cristão.
O Amor deixado por Jesus tem a característica do Amor Sacrifical, foi com esse amor que ele amou a Igreja e deu por ela a própria vida. É um amor onde vamos morrendo aos poucos pelas pessoas as quais amamos. Por isso no evangelho de hoje ele dá o esclarecimento sobre a prática desse amor, para que não paire dúvida e ninguém se sinta no direito de corromper o sentido e o significado do Amor Cristão.
Oferecer a outra face a quem feriu a primeira, ceder a capa a quem está pleiteando na Justiça a nossa túnica, andar dois mil passos a mais, dos quatro mil exigidos pela outra pessoa...são ações que estão dentro de um contexto social e religioso. Como entender e praticar esses valores do evangelho nos dias de hoje? “Se seguirmos ao pé da letra vamos fazer papel de trouxa”, poderá pensar alguém. O que está em jogo em todas essas ações é o Espírito de Vingança, muito forte no Antigo Testamento, como recomendava a Lei do Talião “Olho por olho por olho, dente por dente”.
Quando alguém nos faz um mal, pensamos em vingança, aliás, a imagem de um Deus vingativo é muito forte em nós, por conta de uma catequese mais antiga, principalmente quando acontece uma desgraça na vida de alguém que nos prejudicou, entendemos que foi uma ação divina para punir o sujeito, e assim nos sentimos vingados, porque o mal atingiu a vida do infeliz.
É aí que Jesus inverte esse quadro e orienta para que nossas ações com o próximo que nos prejudicou, não sejam maldosas ou vingativas, exatamente por que somos imagem e semelhança de Deus e o Amor e o perdão deve ser a nossa última palavra. Coisa dificílima de acontecer e de se por em prática, e até mesmo nas nossas comunidades cristãs vemos trocas de ofensas e pequenas vinganças. Nos meios familiares até agressões e mortes acontecem, refletindo uma sociedade violenta.
Os Cristãos são chamados a esse desafio, de irem além sendo capazes de manifestar perdão e misericórdia nos ambientes mais hostis. Deus conhece as nossas misérias e fraquezas, nossos instintos maldosos e vingativos, mas concede-nos a sua Graça, oferece o alimento da sua Palavra e da Eucaristia, para que sejamos realmente capazes de ir um pouco além no nosso jeito de amar as pessoas.

2. Dá a quem te pedir - Mt 5,38-42
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

Esta semana termina com as festas do Sagrado Coração de Jesus e do Imaculado Coração de Maria. Coração é sede da bondade. Então, desde hoje, sejamos bondosos com todas as pessoas. Evitemos causar tristeza a quem quer que seja. Vão bater na sua face direita, e você vai oferecer a esquerda. Vão querer tirar a sua camisa, e você dará também o casaco. Vão obrigá-lo a andar um quilômetro, e você andará dois. Vão lhe pedir emprestado, e você emprestará. Por que tudo isso? Primeiro, para mostrar que você é livre. Depois, para não dar um certificado a atitudes que você não apoia. Por que dar um tapa, se você não está de acordo com o tapa que lhe deram? Não alimente o pecado do mundo, antes o enfraqueça. Introduza algo novo em seus relacionamentos, como a bondade e a compreensão. Não trate o inocente como culpado, mas trate o culpado como inocente, para que se reabilite. Continua válida a regra de ouro: “Faça ao outro o que você quer que seja feito a você”. Você não acha bom ser bem tratado? Um exemplo de maldade encontra-se no Primeiro Livro dos Reis, na história da vinha de Nabot. O rei Acab quis comprar a vinha. Nabot não quis vender por ser herança de seus pais. O rei ficou triste, e sua esposa Jezabel fez falsas acusações contra Nabot, que foi apedrejado e morreu. Assim Acab pôde se apossar da vinha.

HOMILIA DIÁRIA

O VOSSO AMOR DEVE OPOR-SE AO ÓDIO

Estamos diante da lei do Talião: “Ouvistes o que foi dito: Olho por olho, dente por dente”, embora à primeira vista pareça estar alimentando um sentimento de vingança, ela justamente deseja frear um ímpeto de vingança individual.
Vivemos em época caracterizada por ilegalidade. Que tem invadido nossa sociedade a um grau imprevisto e sem precedente. Os que fazem da lei a sua profissão, estão sendo convocados para repensar o propósito da lei na sociedade. Em nossos dias o indivíduo exige seus próprios direitos e o direito de agir como lhe apraz. Pouca consideração se dispensa ao efeito que isto possa ter sobre a vida de outrem.
Encontramos este princípio por todo o Novo Testamento. Vejamos o que Paulo diz. “O amor seja sem hipocrisia. Detestai o mal, apegando-vos ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros” (Romanos 12:9-10). O justo manifesta amor. O amor é atencioso e altruísta. Como se revela esse amor?
Paulo disse: “Abençoai aos que vos perseguem, abençoai, e não amaldiçoeis. Alegrai-vos com os que se alegram, e chorai com os que choram”. “Não vos vingueis a vós mesmos, amados [não vos apegueis a vossos direitos, não demandeis pelo que vos é devido], mas dai lugar à ira; porque está escrito: A mim me pertence a vingança; eu retribuirei, diz o Senhor”. Se for cometido algum erro, o entregue ao Senhor. Não se vingue, não busque seus próprios direitos. “Se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas vivas sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem”. Paulo mostrou-nos o que nosso Senhor disse no capítulo 5 de Mateus: A pessoa tem direitos. Seus direitos foram violados. A pessoa pode exigir indenização. Mas o justo deixa esse problema com Deus, e demonstra amor e perdão até mesmo aos seus inimigos. Isso é justiça em ação.
Paulo menciona de novo este mesmo princípio em 1 Coríntios 6. Aqui ele luta com o problema de um crente recorrer ao tribunal contra outro crente para cobrar o que de direito lhe pertence. Certo homem insistia em seus próprios direitos, e o apóstolo criticou o descrédito que esse testemunho trazia ao mundo incrédulo: “Por que não sofreis antes a injustiça? Por que não sofreis antes o dano?” Paulo disse que o sinal do homem piedoso é abrir mão de seus direitos para que possa manifestar o amor altruísta de Cristo.” O amor não pratica o mal contra o próximo; de sorte que o cumprimento da lei é o amor”, diz o apóstolo Paulo em Romanos 13:10. A lei nos dá direitos, mas também nos dá a liberdade de renunciar a eles, e assim manifestar a justiça de Cristo. Temos nossos direitos, e a Palavra de Deus os protege. Temos, também, a liberdade de renunciar a eles para demonstrar o amor de Cristo. Não é a demanda por seus direitos que caracteriza o justo, mas o desistir deles é que destaca o homem que agrada a Deus.
Jesus no Evangelho de hoje, com as palavras, vai progressivamente nos conduzindo a ir além desta lei. Fazendo-nos reconhecer o não revide: oferecer a outra face; deixar também o manto; caminhar com ele dois mil passos. Jesus apresenta uma referência baseada, não na lei da justiça judaica, isto é, o que é devido a cada um, mas na lei da graça e do amor. Ouvistes o que foi dito: ‘Olho por olho e dente por dente!’ Eu, porém, vos digo: Não enfrenteis quem é malvado! Pelo contrário, se alguém te dá uma tapa na face direita, oferece-lhe também à esquerda! Se alguém quiser abrir um processo para tomar a tua túnica, dá-lhe também o manto! Se alguém te forçar a andar um quilômetro, caminha dois com ele! Dá a quem te pedir e não vires às costas a quem te pede emprestado.
Desta maneira, Ele nos leva ao mandamento da caridade, não só para melhor compreendê-lo, mas também como concretamente vivê-lo. O Senhor nos ordena a dar a todos, tudo o que eles nos pedem: que todos sejam cumulados, por nossa generosidade, de tudo o que lhes falta.
Façamos de modo que eles não sofram nem de sede, nem de fome, nem da falta de vestes. E então, seremos encontrados dignos dos bens que faltam a nós mesmos e que pedimos a Deus, pois o costume de dar nos merecerá obtê-los. Ademais, há mais alegria em dar do que em receber.
É urgente que aos nossos ouvidos soem as palavras de Jesus: vencer o mal com o bem, e tornar concreto em nosso agir o mandamento do amor fraterno.
Peçamos ao Senhor que encha nossos corações com as graças do Seu Espírito Santo; com amor, alegria, paz, paciência, bondade e humildade. E nos ensine a amar os que nos odeiam; a rezar pelos que nos perseguem. E com o Seu auxílio, renunciar aos prazeres deste mundo e a desejar uma nova terra e novos céus.
Pai, não permita que a violência tome conta do meu coração; antes, torna-me capaz de responder, com gestos de amor, a quem me faz o mal.
Fonte: Canção Nova em 16/06/2014

Oração Final
Pai Santo, lança em nossos corações a semente do perdão e nos dá força e coragem para cultivá-la e vivê-la nas relações com os irmãos. Só assim poderemos pedir-te, em nossa oração, que nos perdoe, assim como nós perdoamos... Pelo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 17/06/2013

Oração Final
Pai Santo, ensina-nos a amar a tua Lei. Que nós a guardemos bem no fundo do coração e tenhamos coragem e força para tomá-la como norma para os nossos relacionamentos com os companheiros peregrinos nesta terra abençoada. Pelo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 16/06/2014

ORAÇÃO FINAL
Pai amado, dá-nos sabedoria para seguir Jesus no seu Caminho de perdão sem medidas, de cuidado carinhoso com todos os irmãos – começando pelos marginalizados, os injustiçados e os pobres – chegando às alturas do amor aos inimigos. Pelo mesmo Jesus, o Cristo teu Filho que se fez nosso Irmão e contigo reina na unidade do Espírito Santo.