quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Vaticano transmitirá ao vivo o último dia do pontificado do Papa Bento XVI


VATICANO, 21 Fev. 13 / 01:11 pm (ACI/EWTN Noticias).- O último dia do pontificado do Papa Bento XVI, em 28 de fevereiro, será filmado ao vivo pela televisão. Serão suas últimas horas de permanência no Vaticano antes de partir para Castel Gandolfo. Assim o indicou Monsenhor Edoardo María Viganó, diretor do Centro Televisivo Vaticano (CTV).
Mons. Viganó explicou que o embarque do Papa no helicóptero “será um momento histórico”.
E para transmitir ao vivo os momentos da partida a Rádio e Televisão Italiana (RAI) também estão se preparando.

Terço de Cura e Libertação - VÍDEO

TERÇO DA DIVINA PROVIDÊNCIA

VIA SACRA DE JESUS - VÍDEO

VIA SACRA - IRMÃ KELLY PATRICIA (BERNADETE)

TERÇO DA MISERICÓRDIA - VÍDEOS




JESUS, EU CONFIO EM VÓS!!!

Oração do Angelus - Padre Antonello - VÍDEO

LITURGIA DAS HORAS

Clique no ícone abaixo
para acesso à Hora Canônica

Oração desta Hora

Terço - Mistérios Dolorosos - Terça-feira e Sexta-Feira.


Terço do Rosário: Mistérios Dolorosos 


Santa Joana Maria Bononi - 22 de Fevereiro



Santa Joana Maria Bononi

NascimentoNo ano de 1606
Local nascimentoAciago/Itália
OrdemBeneditinas
Local vidaBassano
EspiritualidadeSanta Joana Maria Bononi nasceu em Aciago, na diocese de Vicenza, Itália, em 1606. Em 1621 ingressou no convento das Beneditinas de Bassano. Levou vida penitente e orante, cumprindo com fidelidade seus deveres religiosos. Foi nomeada mestra de noviças, serviço a que se dedicou com paciência e sabedoria. Eleita abadessa da comunidade, Santa Joana Maria sofreu incompreensões e grandes tribulações de corpo e de espírito. Chamada de louca e de visionária, foi acometida por terríveis doenças, como a lepra, que muito a fez sofrer. Temendo o contágio, suas companheiras a abandonaram, prestando-lhes os serviços estritamente necessários. Faleceu no dia 22 de fevereiro de 1670, com 65 anos de idade. Foi canonizada pelo papa Pio VI, no dia 2 de junho de 1783.
Local morteBassano
MorteNo ano 1670, aos 65 anos de idade
Fonte informaçãoCentro de Pastoral Anchieta
OraçãoDá-nos, ó Jesus, a fecundidade de Teu amor e permite que a graça frutifique em nós para o louvor da misericórdia divina que Tu revelaste ao mundo. Amém.
DevoçãoAo Sagrado Coração de Jesus
Outros Santos do diaPrimiano, Florêncio (conf); Lázaro, Antônio (monge); Romana, Milburga, Marta (virgem); Sereno (monge e mártires); Celso, Félix e Ordanõ (bispo).
FONTE: ASJ

Santa Margarida de Cortona - 22 de Fevereiro


Santa Margarida de Cortona
1247-1297
A penitência marcou a vida de Margarida que nasceu em 1247, em Alviano, Itália. Foi por causa de sua juventude, período em que experimentou todos os prazeres de uma vida voltada para as diversões mais irresponsáveis.

Festa da Cátedra de São Pedro - 22 de Fevereiro




Festa da Cátedra de São Pedro. É com alegria que hoje nós queremos conhecer um pouco mais a riqueza do significado da cátedra, do assento, da cadeira de São Pedro que se encontra na Itália, no Vaticano, na Basílica de São Pedro. Embora a Sé Episcopal seja na Basílica de São João de Latrão, a catedral de todas as catedrais, a cátedra com toda a sua riqueza, todo seu simbolismo se encontra na Basílica de São Pedro.

HOMÍLIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 22/02/2013

22 de Fevereiro de 2013

Ano C


Mateus 16,13-19

Comentário do Evangelho

A fé de Pedro

O relato da "profissão de fé de Pedro" pertence à tríplice tradição. Jesus vai com seus discípulos em território pagão: Cesareia de Filipe. É Jesus quem toma a iniciativa de interrogar os discípulos: "Quem dizem as pessoas ser o Filho do Homem?" (v. 13b). Não se trata de curiosidade. A resposta a tal pergunta situa a existência de cada um em solo firme ou não. O que eles dizem da opinião das pessoas coloca Jesus na linha profética: João Batista, Elias, Jeremias ou algum dos Profetas que ressuscitou (v. 14). No entanto, todos falam do passado. Não reconhecem em Jesus a realização da promessa. A segunda pergunta visa diretamente aos discípulos: "E vós?" (v. 15). A resposta de Pedro é clara: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo" (v. 16). "Messias" deixou, então, de ser apenas um título ou uma promessa, para ter um rosto concreto, um rosto de Filho do Deus vivo, Jesus de Nazaré. A rocha sobre a qual a Igreja está construída, é esta fé de Pedro. A resposta de Pedro vem da acolhida, em si, da fé que Deus dá.
Carlos Alberto Contieri,sj

http://www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=evangelho&action=busca_result&data=22%2F02%2F2013

Vivendo a Palavra

‘Não foi um ser humano que lhe revelou isso, mas o meu Pai que está no céu.’ Assim é a nossa fé. Um dom do Pai Misericordioso que devemos reconhecer, acolher carinhosamente, cultivar com orações, vigílias constantes e partilhar generosamente com os companheiros de caminhada.
http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg05.php

Reflexão

Os valores que Jesus pregou durante toda a sua vida e que chegaram até nós graças ao trabalho apostólico não podem ser somente objetos do nosso conhecimento, mas precisam ser encarnados na nossa vida e na nossa história. Esses valores precisam de uma mediação institucional para fazer parte da vida das pessoas. Jesus Cristo escolheu como mediação para essa encarnação a Igreja, conforme nos revela o Evangelho de hoje. Deste modo, fica claro para todos nós qual é o papel da Igreja e de todos os seus membros no processo de construção do Reino de Deus, como também a responsabilidade de todos no sentido de procurar fazer com que cada vez mais a Igreja seja fiel aos ensinamentos de Jesus.
 http://www.cnbb.org.br/liturgia/app/user/user/UserView.php?ano=2013&mes=2&dia=22

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

FAÇA UMA DOAÇÃO AO NPDBRASIL...

1. A Cátedra de São Pedro
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Cátedra significa Cadeira, não uma cadeira qualquer, mas aquela onde deve sentar-se quem têm a responsabilidade do pastoreio, quem vai conduzir o rebanho, quem vai defendê-lo dos ataques dos lobos vorazes. Quem vai guardar, preservar e defender com todo rigor, os ensinamentos do Mestre, mantendo-os íntegros. Pedro não tinha perfil para ser Chefe dos discípulos, mas a sua profissão de Fé no Messianismo de Jesus foi que o credenciou para ser o nosso primeiro Papa.

São Pedro é chamado o príncipe dos apóstolos, isso é, aquele que iniciou o apostolado, e vemos no evangelho de hoje, porque o próprio Cristo o constituiu chefe da sua igreja. Ele conseguiu enxergar em Jesus algo muito mais do que se falava, o povo via nele um Messias Profeta, comparável a João Batista ou a Elias, outro grande profeta na História de Israel, mas esse pensamento era fruto de uma ideologia, e a era messiânica que todos aguardavam com ansiedade, representava uma nova política, uma inversão do quadro, o Messias era um libertador Político, enviado por Deus sim, porém, com uma missão terrena.

O apóstolo Pedro, que fala em nome do grupo, consegue fazer essa transição, do Messias Histórico e Ideológico, para o Messias Espiritual, ele não era enviado por Deus mas sim o próprio Deus. O que Jesus falava e fazia, todos viam, e a partir disso embalavam o sonho e a esperança de dias melhores para o povo de Israel, mas sempre em uma perspectiva terrena.
A confissão de Pedro manifesta pela primeira vez no meio do grupo, a Fé em uma Salvação que supera toda e qualquer realização humana, onde o homem atinge a plenitude do seu ser, divinizando aquilo que é humano. Cesaréia de Filipe é terra de pagãos, cercado por rochas sobre as quais há edificações habitadas pela elite do império romano. A igreja de Cristo está no meio do mundo, porém edificada sobre a fé professada por toda comunidade, que tem como base a fé professada por Pedro, naquele dia.

Como Pedro, que sejamos nessa igreja um apoio seguro para os que ainda não crêem, porque não conhecem a Cristo e acima de tudo, nunca nos esqueçamos de que Jesus Cristo edificou o reino sobre pessoas como Pedro , instrumentos aparentemente fracos, mas que pela ação da graça operante e santificante do Batismo que receberam, tornaram-se perenes, transpondo fronteiras e todas as barreiras que separa os homens, para anunciar Jesus Cristo, o Filho de Deus, aquele que plenificou o nosso existir.

2. A fé de Pedro
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Carlos Alberto Contieri, sj - e disponibilizado no Portal Paulinas)
VIDE ACIMA
Oração
Pai, consolida minha fé, a exemplo do apóstolo Pedro que, em meio às provações, soube dar, com o seu martírio, testemunho consumado de adesão a Jesus.

3. FÉ E MISSÃO
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total a cada mês).

A missão de liderança confiada a Pedro exigiu dele uma explicitação de sua fé. Antes de assumir o papel de guia da comunidade, foi preciso deixar claro seu pensamento a respeito de Jesus, de forma a prevenir futuros desvios.

Se tivesse Jesus na conta de um messias puramente humano, correria o risco de transformar a comunidade numa espécie de grupo guerrilheiro, disposto a impor o Reino de Deus a ferro e fogo. A violência seria o caminho escolhido para fazer o Reino acontecer.

Se o considerasse um dos antigos profetas reencarnados, transformaria a Boa-Nova do Reino numa proclamação apocalíptica do fim do mundo, impondo medo e terror. De fato, pensava-se que, no final dos tempos, muitos profetas do passado haveriam de reaparecer.

Se a fé de Pedro fosse imprecisa, não sabendo bem a quem havia confiado a sua vida, correria o risco de proclamar uma mensagem insossa, e levar a comunidade a ser como um sal que perdeu seu sabor, ou uma luz posta no lugar indevido.

Só depois que Pedro professou sua fé em Jesus, como o "Messias, o Filho do Deus vivo", foi-lhe confiada a tarefa de ser "pedra" sobre a qual seria construída a comunidade dos discípulos: a sua Igreja. Entre muitos percalços, esse apóstolo deu provas de sua adesão a Jesus, selando o seu testemunho com a própria vida, demonstração suprema de sua fé.
Portanto, sua missão foi levada até o fim.
Oração
Pai, consolida minha fé, a exemplo do apóstolo Pedro que, em meio às provações, soube dar, com o seu martírio, testemunho consumado de adesão a Jesus.
http://www.npdbrasil.com.br/religiao/evangelho_do_dia_semana.htm#d6

Somos indispensáveis e insubstituíveis… Em quê?


Postado por: homilia

fevereiro 22nd, 2013


Quem verdadeiramente sou para Deus e seu plano de salvação e bênçãos? Quem nunca se perguntou… Eis um bom dia para tal!
O Evangelho de Mt 16, 13-19, para além de ser o coração e o gonzo do Evangelho sinóptico mais completo e catequético, não deixa de apontar pistas para responder as questões apresentadas no princípio desta nossa partilha da Palavra. Claro que este trecho mateano registra a revelação quanto às palavras fundantes do Novo Israel e quanto ao Primado de Pedro frente aos demais Apóstolos, mas também fornecem elementos existenciais, que apontam para o lugar, ou melhor, à Pessoa certa, portadora de um Mistério que transpassa o nosso: «O Cristo, o Filho do Deus vivo» (Mt 16, 16).
O Concílio Vaticano II, que não teve documento a tratar unicamente do homem, no entanto considerou-o em todo o seu corpo textual, por isso forneceu-nos também esta pérola polida e bem apresentada por sábias expressões: «Na realidade, só no mistério do Verbo encarnado se esclarece verdadeiramente o mistério do homem. Adão, o primeiro homem, era efetivamente figura daquele futuro, isto é, de Cristo Senhor. Cristo, novo Adão, na própria revelação do mistério do Pai e do seu amor, revela o homem a si mesmo e descobre-lhe a sua vocação sublime» (Constituição Pastoral Gaudium et Spes, nº 22).
Não foi esta a descoberta da pessoa de Simão? De quem ele poderia, já adulto, receber um novo nome e missão? E qual destas duas realidades permaneceria com Pedro no Céu? O ser ou o agir? De fato, as palavras de Cristo iluminaram a sua existência e o seu agir como discípulo e missionário da Boa Nova. Só Jesus, o Novo Adão poderia dizer assim ao coração de Simão: «…tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as forças do Inferno não poderão vencê-la» (Mt 16, 18).
A descoberta que fazemos da nossa pessoa em Cristo, será sempre surpreendente, comprometedora e de uma responsabilidade que ultrapassa as nossas forças naturais, ainda que as suponham. Pensemos novamente em Pedro: quando que seu ‘sim’ ao seguimento fiel a Cristo poderia supor que ele seria escolhido para ser o primeiro Papa da Igreja de Cristo? Nenhum Evangelista e Comunidade, criaria estas palavras e depositaria sobre “as costas de alguém”: «Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus» (v. 19).
E não pensemos que tenha sido uma recompensa às palavras acertadas de Simão, as quais o próprio Cristo deu a entender que não poderia ser resultado dos estudos, nem de capacidades meramente humanas: « …porque não foi carne e sangue quem te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu» (v. 17).
Também é preciso considerar pela Tradição Viva, história da Igreja Católica e os fatos mais próximos do nosso tempo, que este lugar de Pedro não seria insubstituível para o governo da Igreja. O Primado, daquele que não é o primeiro entre os iguais, mas sim Chefe do Rebanho universal, pai (Papa) para todos e mestre universal, necessitaria de sucessão, passível até de uma declaração de renúncia. Isto foi e será possível como ato livre, consciente e público, por parte de quem ocupe o serviço de Vigário de Cristo, principalmente quando movido pela razoabilidade, humildade, coragem correspondente à vontade de Deus e o bem da Igreja, como fez o Papa Bento XVI.
Quanto a nós, ficamos interpelados pelo Evangelho de Mt 16, e iluminados pelos últimos acontecimentos da Igreja de Cristo, os quais nos apontam para o essencial, fundador e fundamento eterno da Igreja de Cristo e sustentáculo do serviço eclesial. Neste tempo de Quaresma, somos chamados mais do que servir ao Senhor e aos irmãos em Nome do Senhor – até quando Ele quiser! – mas a redescobrirmos o nosso valor enquanto pessoa, no encontro pessoal com Aquele único que é a Cabeça da Igreja e o Pastor Eterno, insubstituível no ser e agir. Só Jesus, com o Pai e o Espírito Santo!
Ele, antes de tudo, nos quer sendo e agindo, a partir do essencial: nossa pertença a Ele! Nisto somos todos indispensáveis e insubstituíveis: «Eu sou a videira e vós, os ramos. Aquele que permanece em mim, como eu nele, esse dá muito fruto; pois sem mim, nada podeis fazer» (Jo 15,5).
Padre Fernando Santamaria – Comunidade Canção Nova
http://blog.cancaonova.com/homilia/2013/02/22/
LEITURA ORANTE

Mt 16,13-19 – O Filho do Deus vivo



Preparo-me para a Leitura Orante.

Disponho-me ao encontro com Deus, com toda a Igreja virtual que agora reza conosco:



Divino Espírito Santo,
amor eterno do Pai e do Filho,
eu vos adoro, louvo e amo!
Peço-vos perdão por todas as vezes que vos ofendi
em mim e no meu próximo.
Vinde, com a plenitude de vossos dons,
nas ordenações, nas consagrações e nas crismas!
Iluminai, santificai, aumentai o zelo apostólico!
Espírito de verdade,
consagro-vos a minha inteligência,
imaginação e memória. Iluminai-me!
Dai-me conhecer Jesus Cristo Mestre.
Revelai-me o sentido profundo do Evangelho
e de tudo o que ensina a santa Igreja.
(Bv. T. Alberione)

1. Leitura (Verdade) 
O que diz o texto do dia? 
Leio atentamente o texto Mt 16,13-19, observando o testemunho de fé de Pedro.

Jesus foi para a região que fica perto da cidade de Cesaréia de Filipe. Ali perguntou aos discípulos:
- Quem o povo diz que o Filho do Homem é?
Eles responderam:
- Alguns dizem que o senhor é João Batista; outros, que é Elias; e outros, que é Jeremias ou algum outro profeta.
- E vocês? Quem vocês dizem que eu sou? - perguntou Jesus.
Simão Pedro respondeu:
- O senhor é o Messias, o Filho do Deus vivo.
Jesus afirmou:
- Simão, filho de João, você é feliz porque esta verdade não foi revelada a você por nenhum ser humano, mas veio diretamente do meu Pai, que está no céu. Portanto, eu lhe digo: você é Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e nem a morte poderá vencê-la. Eu lhe darei as chaves do Reino do Céu; o que você proibir na terra será proibido no céu, e o que permitir na terra será permitido no céu.

Simão declara que Jesus é o Filho do Deus vivo. Jesus confirma, declarando a missão de Pedro, o Primado na Igreja: “Você é Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e nem a morte poderá vencê-la. Eu lhe darei as chaves do Reino do Céu; o que você proibir na terra será proibido no céu, e o que permitir na terra será permitido no céu”. Jesus se propõe construir a Igreja que não é simplesmente um prédio, mas é uma nova comunidade. Esta comunidade ou Igreja é do domínio de Jesus. Ele diz: “construirei a minha Igreja”. E Pedro tem nela uma missão de mediação: terá “as chaves”. Terá o poder de abrir e fechar as portas, ligar e desligar, terá o poder de julgar, perdoar e proibir o que não é conforme o projeto do Reino de Jesus.



2. Meditação (Caminho) 
O que o texto diz para mim, hoje?

A pergunta de Jesus é também para mim: 
“Quem dizem que eu sou?
 E você? Quem sou para você?” 
Estas perguntas merecem uma profunda reflexão de nossa parte e uma resposta coerente e sincera. Veja que resposta bonita deram os bispos em Aparecida:“Jesus Cristo é a plenitude da revelação de Deus, um tesouro incalculável, a “pérola preciosa” (cf. Mt 13,45-46). Verbo de Deus feito carne, Caminho, Verdade e Vida dos homens e das mulheres aos quais abre um destino de plena justiça e felicidade. Ele é o único Libertador e Salvador que, com sua morte e ressurreição, rompeu as cadeias opressivas do pecado e da morte, revelando o amor misericordioso do Pai e a vocação, dignidade e destino da pessoa humana.” (DAp 6).

Portanto, para os bispos e para nós, Jesus Cristo é “a plenitude da revelação de Deus”, “um tesouro incalculável”, a “pérola preciosa”, “Verbo de Deus feito carne”, “Caminho, Verdade e Vida”, “O único Libertador e Salvador”. 

É assim que o acolhemos na nossa vida?


 3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus? 

Rezo com toda Igreja a


Oração oficial da CF 2013

Pai santo, vosso Filho Jesus,
conduzido pelo Espírito
e obediente à vossa vontade,
aceitou a cruz como prova de amor à humanidade.
Convertei-nos e, nos desafios deste mundo,
tornai-nos missionários
a serviço da juventude.
Para anunciar o Evangelho como projeto de vida,
enviai-nos, Senhor;
para ser presença geradora de fraternidade,
enviai-nos, Senhor;
para ser profetas em tempo de mudança,
enviai-nos, Senhor;
para promover a sociedade da não violência,
enviai-nos, Senhor;
para salvar a quem perdeu a esperança,
enviai-nos, Senhor;
para...

4. Contemplação(Vida/ Missão) 

- Qual o meu novo olhar a partir da Palavra? 

. Meu novo olhar será para priorizar Deus em minha vida.
Bênção 

- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém. 

- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém. 
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém. 
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém. 

Sugestões: 

- Campanha da Fraternidade 2013 - Veja informações no blog:

http://comunicacatequese.blogspot.com.br/
- Veja a mensagem do Papa Bento XVI para a Quaresma em

http://paulinascomunica.blogspot.com/

- Faça o Retiro de Quaresma e Páscoa seguindo o blog

http://viverecomunicarcristo.blogspot.com

Ir. Patrícia Silva, fsp

http://leituraorantedapalavra.blogspot.com.br/


http://www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=evangelho&action=busca_result&data=22%2F02%2F2013
Oração Final
Pai Santo, fortalece a nossa fé, para que possamos proclamar ao mundo, como Pedro, que Jesus de Nazaré é o Cristo, teu Filho que se fez nosso Irmão, passou pelo mundo fazendo o bem, foi condenado pelos homens, morreu na cruz e hoje, ressuscitado, reina contigo, na unidade do Espírito Santo.
http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg06.php

LITURGIA DIÁRIA - 22/02/2013



Tema do Dia

Cátedra de São Pedro, Apóstolo
Em sua primeira carta, Pedro se coloca na posição de responsável pelos irmãos na Comunidade do Caminho de Jesus. E pede aos demais presbíteros que não se imponham como donos, mas como modelos para o rebanho. Esta é a estrada que leva à glória eterna.
http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/

Oração para antes de ler a Bíblia


Meu Senhor e meu Pai! Envia teu Santo Espírito para que eu compreenda 

e acolha tua Santa Palavra! Que eu te conheça e te faça conhecer, te ame

 e te faça amar, te sirva e te faça servir, te louve e te faça louvar por

 todas as criaturas. Fazei, ó Pai, que pela leitura da Palavra os pecadores

se convertam, os justos perseverem na graça e todos consigamos 

a vida eterna. Amém.


Branco. Cátedra de São Pedro, Apóstolo, Festa


Primeira leitura (1º Pedro 5,1-4)
Sexta-Feira, 22 de Fevereiro de 2013 
Cátedra de São Pedro, Apóstolo


Leitura da Primeira Carta de São Pedro.

Caríssimos, 1exorto aos presbíteros que estão entre vós, eu, presbítero como eles, testemunha dos sofrimentos de Cristo e participante da glória que será revelada: 2Sede pastores do rebanho de Deus, confiado a vós; cuidai dele, não por coação, mas de coração generoso; não por torpe ganância, mas livremente; 3não como dominadores daqueles que vos foram confiados, mas antes, como modelos do rebanho. 4Assim, quando aparecer o pastor supremo, recebereis a coroa permanente da glória.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Salmo (Salmos 22)
Sexta-Feira, 22 de Fevereiro de 2013 
Cátedra de São Pedro, Apóstolo


— O Senhor é o pastor que me conduz, não me falta coisa alguma. 
— O Senhor é o pastor que me conduz, não me falta coisa alguma.

— O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma. Pelos prados e campinas verdejantes ele me leva a descansar. Para as águas repousantes me encaminha, e restaura as minhas forças.
— Ele me guia no caminho mais seguro, pela honra do seu nome. Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso, nenhum mal eu temerei. Estais comigo com bastão e com cajado, eles me dão a segurança!
— Preparais à minha frente uma mesa, bem à vista do inimigo; com óleo vós ungis minha cabeça, e o meu cálice transborda.
— Felicidade e todo bem hão de seguir-me, por toda a minha vida; e, na casa do Senhor, habitarei pelos tempos infinitos.


Evangelho (Mateus 16,13-19)
Sexta-Feira, 22 de Fevereiro de 2013 
Cátedra de São Pedro, Apóstolo


Pedro reconhece em Jesus o Filho de Deus



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 13Jesus foi à região de Cesareia de Filipe e ali perguntou aos seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?” 14Eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros que é Elias; outros ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas”. 15Então Jesus lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?”16Simão Pedro respondeu: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”.
17Respondendo, Jesus lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu. 18Por isso eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la. 19Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que tu ligares na terra será ligado nos céus; tudo o que tu desligares na terra será desligado nos céus”.

- Palavra da Salvação. 

- Glória a vós, Senhor.


Oração para depois de ler a Bíblia


Dou-Te graças, meu Deus, pelos bons propósitos, afetos e inspirações
que me comunicastes nesta meditação; peço-Te ajuda para colocá-los  em prática. Minha Mãe Imaculada, meu protetor São José e Anjo da minha guarda, intercedeis todos por mim. Amém.