segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Terço - Mistérios Dolorosos - Terça-feira e Sexta-Feira


Terço do Rosário: Mistérios Dolorosos





"Mediante o Rosário, o povo cristão aprende com Maria a contemplar a beleza do rosto de Cristo, e a experimentar a profundidade do seu amor."
São João Paulo II

Dia da semana - Terça-feira - Dedicado a: Santos – Anjos - ORAÇÃO AO SANTO ANJO DA GUARDA - Anjo de Resgate - Manda Teus Anjos


ORAÇÃO AO SANTO ANJO DA GUARDA

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Senhor Deus, Todo-poderoso, criador do céu e da terra. Louvores Vos sejam dados por todos os séculos dos séculos. Assim seja.
Senhor Deus, que por vossa imensa bondade e infinita misericórdia, confiaste cada alma humana a cada um dos anjos de vossa corte celeste, graças vos dou por essa imensurável graça. Assim confiante em vós e em meu santo anjo da guarda, a ele me dirijo, suplicando-lhe velar por mim, nesta passagem de minha alma, pelo exílio da Terra.
Meu santo anjo da guarda, modelo de pureza e de amor a Deus, sede atento ao pedido que vos faço. Deus, meu criador, o Soberano Senhor a quem servis com inflamado amor, confiou à vossa guarda e vigilância a minha alma e meu corpo; a minha alma, a fim de não cometer ofensas a Deus, o meu corpo, a fim de que seja sadio, capaz de desempenhar as tarefas que a sabedoria divina me destinou, para cumprir minha missão na terra.
Meu santo anjo da guarda, velai por mim, abri-me os olhos, dai-me prudência em meus caminhos pela existência. Livrai-me dos males físicos e morais, das doenças e dos vícios, das más companhias, dos perigos, e nos momentos de aflição, nas ocasiões perigosas, sede meu guia, meu protetor e meu guarda, contra tudo quanto me cause dano físico ou espiritual.
Livrai-me dos ataques dos inimigos invisíveis, dos espíritos tentadores.
Meu santo anjo da guarda, protegei-me.

Creio..., Pai Nosso... Ave Maria... Glória ao Pai...



Dia da semana - Terça-feira - Dedicado a: Santos – Anjos - CONSAGRAÇÃO AOS SANTOS ANJOS


CONSAGRAÇÃO AOS SANTOS ANJOS

Conhecendo, por uma doce experiência, quanto é eficaz o culto dos Santos Anjos e poderosa sua proteção, eu.... venho, religiosamente e solícito, para me consagrar ao seu santo serviço. Na presença de DEUS, prometo solenemente honra-los com culto especial e imitar suas virtudes, de que eles me dão o exemplo, principalmente sua pureza, sua caridade e sua obediência perfeita. Apraza a todos os espíritos celestes e ainda mais à Maria Santíssima, sua augusta Rainha, abençoar essa minha resolução, que ofereço-lhes do fundo do coração; e alcançar-me da bondade de DEUS a graça de perseverar nela enquanto eu viver, para assim merecer o favor de me associar à sua glória, durante toda a eternidade. Amém.
Rainha dos Anjos, rogai por nós.
Todos os Santos Anjos e Arcanjos, rogai por nós.

(Extraído do Devocionário Diurnal, p.344)


Bom dia! Que os Santos Anjos acampem ao seu redor. Deus te abençoe.

ÓTIMA TERÇA! - "Quando se viver preso ao dinheiro, ao orgulho ou ao poder, é impossível ser feliz." Papa Francisco - DEUS TE ABENÇOE.

MEU DIA EM SINTONIA COM O ALTO - 05/02/2018




















LEITURA ORANTE DO DIA - 05/02/2018



LEITURA ORANTE

Mc 6,53-56 - O povo reconhece Jesus e vai ao seu encontro


- A nós todos, reunidos pela rede da internet,
a paz de Deus, nosso Pai,
a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
no amor e na comunhão do Espírito Santo.
- Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
Preparo-me para a Leitura, rezando:
Senhor Jesus, Tu és o Caminho!
Em meio a sombras e luzes,
alegrias e esperanças, tristezas e angústias,
Tu nos levas ao Pai.
Não nos deixes caminhar sozinhos.
Fica conosco, Senhor!

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Mc 6,53-56, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.
Jesus e os discípulos atravessaram o lago e chegaram à região de Genesaré, onde amarraram o barco na praia. Quando desceram do barco, o povo logo reconheceu Jesus. Então, eles saíram correndo por toda aquela região, começaram a trazer os doentes em camas e os levavam para o lugar onde sabiam que Jesus estava. Em todos os lugares aonde ele ia, isto é, nos povoados, nas cidades e nas fazendas, punham os doentes nas praças e pediam a Jesus que os deixasse pelo menos tocar na barra da sua roupa. E todos os que tocavam nela ficavam curados.
Refletindo
Jesus  Mestre curava a todos que o tocavam, mas nesta narrativa de Marcos, nada fala. As multidões correm ao encontro de Jesus. Buscam os milagres. Tocam em Jesus. Existem muitas maneiras de demonstrar o quanto somos importantes uns para os outros. Cada pessoa demonstra isso de uma forma – pode ser um toque no ombro, um aperto de mão, um carinho, uma palavra gentil, agradecida, um arrependimento e pedido de perdão, uma mensagem, um cartão, um e-mail, um telefonema, uma xícara de café... Pequenos gestos que aquecem e nos fazem sentir especiais.
Jesus sabia que o relacionamento humano tem essa característica: saber dar, receber e sentir que somos amados, e este conhecimento se manifesta através de gestos Não se trata apenas das coisas que fazemos, mas daquilo que transmitimos para o outro. O toque aquece o coração. Por isto, Jesus também usou o toque para curar, para ensinar. Podemos constatá-lo em outros textos: Mt 8,3 (cura um leproso com o toque); Mt 9,29 (cura dois cegos, tocando-lhes os olhos),  Mt 17,7 9 (Jesus toca nos apóstolos, encorajando-os, na Transfiguração);  Mt 20:34 (toca os olhos e cura os dois cegos de Jericó) e tantos outros. Em todos os casos, o  poder de Jesus tem em vista a verdadeira salvação que supõe a conversão do coração. Conversão e fé.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Quais outros textos este me recorda?
Qual palavra mais me toca o coração?
Meditando
Os bispos, na Conferência de Aparecida, disseram: "As pessoas se sentiram atraídas pela sabedoria das palavras de Jesus, pela bondade de seu trato e pelo poder de seus milagres. E pelo assombro inusitado que a pessoa de Jesus despertava, acolheram o dom da fé e vieram a ser discípulos de Jesus. Ao sair das trevas e das sombras de morte (cf. Lc 1,79), a vida deles adquiriu plenitude extraordinária: a de haver sido enriquecida com o dom do Pai. Viveram a história de seu povo e de seu tempo e passaram pelos caminhos do Império Romano, sem esquecer o encontro mais importante e decisivo de sua vida que os havia preenchido de luz, força e esperança: o encontro com Jesus, sua rocha, sua paz, sua vida. Assim ocorre também a nós olhar a realidade de nossos povos e de nossa Igreja, com seus valores, suas limitações,suas angústias e esperanças. Enquanto sofremos e nos alegramos, permanecemos no amor de Cristo, vendo nosso mundo e procurando discernir seus caminhos com a alegre esperança e a indizível gratidão de crer em Jesus Cristo. Ele é o Filho de Deus verdadeiro, o único Salvador da humanidade. A importância única e insubstituível de Cristo para nós, para a humanidade, consiste em que Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida."(DAp 21-22)

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo com a Oração
Senhor, Tu és a Verdade!
Desperta nossas mentes
e faze arder nossos corações com a tua Palavra.
Que ela ilumine e aqueça os corações sedentos de justiça e santidade.
Ajuda-nos a sentir a beleza de crer em Ti!
Fica conosco, Senhor!
(XVI Congresso Eucarístico Nacional)

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus.
Vou demonstrar pela vida que o amor de Deus se revela no amor ao próximo.

nção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Irmã Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

Homília Diária - Mãe Maria - 05/02/18 - Dom Walmor Oliveira de Azevedo


Canal do Youtube: Arquidiocese de Belo Horizonte

Publicado em 4 de fev de 2018

Apresentado pelo Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, o programa Mãe Maria é um tempo dedicado à reflexão e oração, à luz do Evangelho proposto pela liturgia de cada dia. Inspirada no exemplo de Nossa Senhora, a reflexão ilumina a realidade, o caminhar da Igreja e a vida de cada discípulo missionário de Cristo Jesus.

Categoria - Sem fins lucrativos/ativismo

Licença - Licença padrão do YouTube

Evangelho do Dia - 05/02/2018, com o Padre Rodrigo Vieira


Canal do Youtube: WebTV Redentor

Publicado em 5 de fev de 2018

Evangelho (Mc 6,53-56)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 53tendo Jesus e seus discípulos acabado de atravessar o mar da Galileia, chegaram a Genesaré e amarraram a barca. 54Logo que desceram da barca, as pessoas imediatamente reconheceram Jesus. 55Percorrendo toda aquela região, levavam os doentes deitados em suas camas para o lugar onde ouviam falar que Jesus estava.
56E, nos povoados, cidades e campos onde chegavam, colocavam os doentes nas praças e pediam-lhe para tocar, ao menos, a barra de sua veste. E todos quantos o tocavam ficavam curados.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Categoria - Pessoas e blogs

Licença - Licença padrão do YouTube

Homilia Diária.762: Segunda-feira da 5.ª Semana do Tempo Comum (P) - A graça da Unção dos Enfermos - Padre Paulo Ricardo


Canal do Youtube: Padre Paulo Ricardo

Publicado em 4 de fev de 2018

Muitos pensam que o sacramento da Unção dos Enfermos devolve, como por um passe de mágica, a saúde do corpo. Na verdade, Jesus instituiu este sacramento para conferir uma graça toda especial, que dá forças a quem está gravemente enfermo e debilitado para preservar, puro e intacto, um bem mais precioso do que a saúde física: a caridade e a fidelidade a Deus. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta segunda-feira, dia 5 de fevereiro, e encomendemos aos cuidados de nossa Mãe Santíssima, Saúde dos enfermos, todos os nossos doentes.

Categoria - Educação

Licença - Licença padrão do YouTube

HOMÍLIA DIÁRIA - (CANÇÃO NOVA) - Mc 6,53-56 - 05/02/2018


Deus cura os doentes e os enfermos

Os doentes e enfermos tocados por Jesus são curado

“E, nos povoados, cidades e campos onde chegavam, colocavam os doentes nas praças e pediam-Lhe para tocar, ao menos, a barra de sua veste. E todos quantos o tocavam ficavam curados” (Mc 6, 53-56)


O que são as nossas doenças e enfermidades, se não nossas fragilidades expostas e conhecidas vindo à luz. Nós nascemos frágeis e não há nada mais frágil do que uma criança quando sai do ventre de sua mãe. A nossa fragilidade nos dá consciência de uma suprema verdade e a soar uma fortaleza na vida que chama-se Deus.
Quando levamos nossas enfermidades, nossos doentes e enfermos para a presença de Jesus, para serem tocados por Ele, nós também, somos tocados pela fortaleza de Deus.
É o Senhor que nos fortalece, porque nós não somos fortes. Forte é Deus! Quando Ele está em nós somos fortalecidos e colocados de pé.
Nós até podemos treinar bastante e ficarmos fortes e musculosos, mas só que, cedo ou tarde, a fragilidade bate à nossa porta. Preciso dizer que é muito importante que tomemos consciência de nossa fragilidade, pois, quando não tomamos consciência das nossas fragilidades, somos cercados e dominados pela soberba e o orgulho.
A soberba e o orgulho nos cegam, iludem e nos colocam na pior das enfermidades, porque com elas nós não enxergamos a cura e a fortaleza, e a cura e a fortaleza da nossa vida tem nome: Jesus.
Deus enviou Seu Filho ao mundo para que, todas as nossas fragilidades, estivessem e estejam aos pés do Senhor da vida. Quando nos achamos fortes e acreditamos que nenhum mal possa nos vencer, a “picada da serpente” nos fragiliza, a “picada do mal” nos coloca cientes do quanto somos frágeis.
Deus quer fortalecer cada um de nós!
Coloquemos no Senhor, a confiança e a esperança, porque Ele é a nossa fortaleza e cuida das nossas fragilidades.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 05/02/2018

ANO B


Mc 6,53-56

Comentário do Evangelho

Jesus vem para libertar e restaurar a vida

A cada travessia do lago, Jesus leva não somente a esperança às pessoas, mas a experimentarem a salvação e a misericórdia de Deus. A cada encontro o Senhor, por seus gestos e palavras, revela que Deus é bom para com todos e que não há lugar onde o Senhor não esteja. Todo e qualquer lugar é ocasião para a manifestação da salvação de Deus. Nosso texto é um sumário cuja finalidade é condensar em poucas linhas a atividade de Jesus e o sucesso de sua missão. As pessoas buscam tocar ao menos na franja do manto de Jesus (cf. tb. 5,28). Cria-se que uma pessoa revestida do poder de curar alguém poderia fazê-lo, inclusive, através de suas vestes (At 19,11-12) e até de sua sombra (At 5,15). O fato é que, e é isso que importa fazer saber o leitor do evangelho, a passagem de Jesus pela vida das pessoas desperta, lá onde parece não haver mais o que esperar, a esperança e a fé na vida. As pessoas que tocavam Jesus experimentavam-se tocadas por ele e sentiam a força desse encontro no próprio corpo.
Carlos Alberto Contieri, sj
Oração
Pai, que a misericórdia seja o traço característico do meu modo de ser no trato com os meus semelhantes, de maneira que eu possa atrair, como Jesus, muitas pessoas para ti.
Fonte: Paulinas em 10/02/2014

Vivendo a Palavra

O extraordinário da cena é que ela se repetia sempre: as multidões em busca da cura e da libertação de Jesus. Assim também deveríamos ser entre os irmãos – amigos atentos e generosos, testemunhas da Boa Notícia de que o Reino do Céu já está em nós – ainda que não em plenitude. Ele foi vivido e nos foi anunciado pelo Cristo Jesus.
Fonte: Arquidiocese BH em 10/02/2014

VIVENDO A PALAVRA

A obra da Criação chega à plenitude com a Encarnação do Filho de Deus, o Cristo, na simplicidade daquele homem – Jesus de Nazaré. Ele veio ao mundo para curar e libertar a humanidade. Exerceu sua missão e nos delegou a sua continuação, até que o Reino do Pai seja anunciado a todas as nações.

Reflexão

O cristão de verdade não pode ficar parado. Ele nunca pode dizer que cumpriu a sua missão, pois ele deve estar sempre a caminho, sempre se lançando rumo aos novos trabalhos, prestando atenção aos apelos que a realidade faz, buscando superar novos desafios e obstáculos, sempre olhando com misericórdia os irmãos e irmãs, procurando conhecer os seus problemas e necessidades e sendo para todos a manifestação do amor de Deus que responde ao clamor dos seus filhos e filhas. Por isso, quando terminamos uma etapa da caminhada, devemos iniciar outra imediatamente, pois a proposta do Reino exige isso.
Fonte: CNBB em 10/02/2014

Recadinho

Procuramos manifestar atenção e carinho para com os que buscam em nós conforto e segurança? - Será que não há muitas restrições de nossa parte? - Temos realmente um coração livre para servir? - Será que não somos seletivos demais, fechando-nos para o amor ao próximo? - Sabemos acolher? - Nosso coração é acolhedor?
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R
Fonte: a12 - Santuário Nacional em 10/02/2014

Reflexão

Sem ser incomodado pelas autoridades, Jesus circula livremente por “toda a região”. Não fixa um ponto para o atendimento, mas percorre “vilarejos, cidades ou campos”. E os doentes acorrem a ele com as próprias pernas ou transportados em macas e postos diante dele. Querem tocar ao menos a barra do seu manto. Pelo toque, dá-se a transmissão de uma energia curativa. Lucas esclarece: “porque dele saía uma força que curava a todos” (Lc 6,19). Naturalmente Jesus oferece uma cura que ultrapassa o aspecto físico, conforme a disposição interna da pessoa. A cura verdadeira e completa atinge o interior. É a libertação da ganância, do ódio, dos ressentimentos e tristezas. Dos que eram curados, Jesus esperava inteira adesão a ele e generoso serviço à comunidade.
(Dia a dia com o Evangelho 2018 – Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)

Meditando o evangelho

EM BUSCA DO SENHOR

A vida missionária de Jesus foi bastante tumultuada. Ele não conseguia passar despercebido e sua presença atraía multidões de pessoas, vindas em sua busca de cura para seus males. E ninguém era despedido sem ter recebido a graça desejada.
Em meio a tantas solicitações, Jesus era desafiado a não perder o rumo da missão, pois estava cercado de perigos. A afluência das massas carentes podia dar origem ao orgulho e levá-lo a esquecer que estava a serviço do Pai. Ou então, que o poder recebido do Pai para realizar gestos poderosos servia para sinalizar a presença do Reino e não para auto-promoção. Ou ainda, que sua missão não se resumia em fazer milagres, motivo de glória e reconhecimento. Antes, um caminho de sofrimento e cruz estava para ser trilhado.
O movimento frenético das multidões não enganava Jesus. Ele tinha consciência de ser procurado porque transmitia gratuitamente e sem discriminação o dom da vida e não por sua condição de enviado do Pai. Talvez, a mentalidade popular identificasse Jesus como um milagreiro ambulante e não fosse capaz de dar o salto qualitativo da fé. Mas, se a fé era uma exigência para ser beneficiado pelo poder taumatúrgico de Jesus, como era possível controlar a fé das multidões? Sem dúvida, Jesus se deixava mover pela pura misericórdia. E não podia manter-se insensível e intransigente tendo diante em quadro desolador de gente abandonada.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Senhor Jesus, que eu sirva com amor gratuito e generoso a quem precisa de mim, sem perder de vista minha condição de servidor do Reino.

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

1. Curando os doentes da Galiléia...
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

O evangelista Marcos nos apresenta nesse evangelho um Jesus que faria o maior sucesso em nossos dias entre os "Milagreiros de Plantão". Com Jesus por perto não precisava de SUS ou planos de Saúde, pois, sem filas, nem senhas, nem longas esperas, bastava o enfermo tocar na barra da sua túnica e a doença sumia na hora.
Claro que a sua fama se espalhou rapidamente e Ele não tinha mais sossego, onde ia havia uma multidão de enfermos á sua espera e todos eram curados, sem receitas de medicamentos caros, nadica de nada, custo zero e benefício de cem por cento. Hoje em dia há líderes Religiosos "Picaretas", que só trabalham nesse esquema: cura de enfermidades e "cartão vermelho para o Diabo", e, quando a cura não acontece o “Controle de Qualidade da igreja", logo alerta que é falta de Fé do doentinho... E o nosso povo sofrido, com mil e um problemas de saúde e de doenças psicossomáticas, torna-se uma presa fácil na mão de tantos "Vigaristas de Jesus".
Mas como podemos fazer uma reflexão que contesta esses milagres que Marcos faz questão de relatar? O problema não está em Jesus, mas sim nesta relação equivocada que muitos têm para com ele. Podem reparar que, alguns poucos que foram curados, tornam-se seguidores de Jesus, mas bem poucos, pois os restantes, uma vez curados voltavam para a mesma vidinha de antes... Se alguém duvidar, basta nos lembrar dos dez leprosos onde só um voltou.
Onde estão os curados de hoje? Estão firmes na Fé, com a vida transformada, ou viraram apenas marqueteiros de algumas igrejas e seus "pastores com pele de Lobo". Para quem eles estão á serviço? A Jesus Cristo, seu reino e seu evangelho? Talvez alguns poucos vivem sinceramente a sua vida de Fé, transformados por essa experiência profunda com Jesus.
Jesus não é um simples curandeiro que menospreza a medicina e dispensa o atendimento médico hospitalar, tem cristão iludido que pensa assim e morre antes da hora porque abandonou o tratamento acreditando estar curado por causa de alguma "revelação" feita por alguém em quem ele acredita piamente...
O poder de Jesus vem de Deus que é Vida para todos, mas Jesus não quer formar um exército de pessoas curadas que se tornam suas escravas e agora têm que ficar permanentemente sob seu domínio. Jesus não precisa nem ontem e nem hoje de marqueteiros para venderem sua imagem poderosa e assim aumentar sempre o seu ibope.
Jesus quer seguidores fiéis, que tenham o seu evangelho no coração e o vivam com fidelidade, ajudando a construir o Reino de Deus em meio aos homens, com um testemunho concreto marcado pela ética e pela moral cristã, a partir dos valores que ele pregou, viveu e ensinou a todos. Ser curado de uma enfermidade física é graça Divina concedida a alguns, mas pôde também não significar nada se a pessoa curada não ter uma Fé comprometida com a Vida...

2. E todos os que o tocavam ficavam curados
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

Na redação dos textos bíblicos, os escritores sagrados de vez em quando fazem um pequeno resumo, aqui e ali, que chamamos de “sumários”. O texto de Marcos que lemos hoje é um desses sumários. O espaço costumeiro de Jesus e seus Apóstolos é o lago de Genesaré, na Galileia. Isaías e Mateus se referem a ela como Galileia dos gentios ou das nações e caminho do mar. Simbolicamente é a porta da Casa de Israel para o mundo. Lá brilha a luz iluminando os povos que viviam na escuridão. De lá saem os Apóstolos para levar a luz ao mundo. Aonde Jesus chegava era logo reconhecido e levavam a ele os doentes. Esse era o mundo de Jesus. Quem o procurava tinha fé e queria ao menos poder tocar na franja do seu manto. Hoje e sempre continuamos discutindo se o milagre existe ou é apenas uma ficção literária para mostrar o poder de Jesus e sua divindade, para mostrar a sua misericórdia com todos os que sofrem. De fato, Jesus sempre deu a entender que o que faz o milagre é a fé de quem pede. Aqueles que acreditam que Jesus é Deus e Homem verdadeiro, e conhecem sua predileção pelos humildes, continuem tocando na franja de seu manto e pedindo-lhe o que aos homens parece impossível. Os que não acreditam, não peçam, mas que alguém peça por eles. Bons amigos são intercessores.

HOMILIA

O POVO LOGO RECONHECEU JESUS

Depois dos discípulos terem anuído ao convite do Mestre, abandonaram a casa de Simão e partiram para outras regiões da redondeza. E no Evangelho de hoje vemos os discípulos fazendo a travessia do mar agitado com seu próprio barco desembarcando em Genesaré e logo o povo reconhece Jesus.
O povo vai em massa atrás de Jesus. Eles vêm de todos os lados, carregando seus doentes. O que chama a atenção é o entusiasmo do povo que reconheceu Jesus e vai atrás dele. O que o move nesta busca de Jesus não é só o desejo de encontrar-se com ele, de estar com ele, mas também o desejo de obter a cura das suas doenças.
A salvação é dirigida a esta multidão formada por gentios e judeus marginalizados. São os moradores dos povoados, cidades e campos por onde Jesus andava, com seus discípulos. Jesus realiza a sua atividade, sobretudo entre as camadas mais sofredoras e abandonadas do povo, constituindo, praticamente, a única esperança dessa gente.
O enfoque é a presença física libertadora de Jesus. As curas são conseguidas com o toque, pelo menos na franja do manto dele. A doença generalizada é fruto das barreiras a exclusão.
A cura resulta da libertação da exclusão e é fruto da acolhida. Assim como, fisicamente, o pão foi partilhado, o mesmo vale para o corpo. A comunicação não se faz apenas pela palavra. Faz-se também pela partilha do corpo. A presença física, o toque, o abraço, o sorriso acolhedor, o olhar compreensivo e atento, a compaixão complementam a força comunicadora da palavra libertadora.
Desde o começo da sua atividade apostólica, Jesus anda por todos os povoados da Galiléia para falar ao povo sobre o Reino de Deus que estava chegando (Mc 1,14-15). Onde encontra gente para escutá-lo, ele fala e transmite a Boa Nova de Deus, acolhe e cura os doentes, em qualquer lugar: nas sinagogas durante a celebração da Palavra nos sábados (Mc 1,21; 3,1; 6,2); em reuniões informais nas casas de amigos (Mc 2,1.15; 7,17; 9,28; 10,10); andando pelo caminho com os discípulos (Mc 2,23); ao longo do mar na praia, sentado num barco (Mc 4,1); no deserto para onde se refugiou e onde o povo o procurava (Mc 1,45; 6,32-34); na montanha, de onde proclamou as bem-aventuranças (Mt 5,1); nas praças das aldeias e cidades, onde povo carregava seus doentes (Mc 6,55-56); no Templo de Jerusalém, por ocasião das romarias, diariamente, sem medo (Mc 14,49)! Curar e ensinar, ensinar e curar era o que Jesus mais fazia (Mc 2,13; 4,1-2; 6,34). Era o costume dele (Mc 10,1). O povo ficava admirado (Mc 12,37; 1,22.27; 11,18) e o procurava em massa.
Na raiz deste grande entusiasmo do povo estava, de um lado, a pessoa de Jesus que chamava e atraía, e, de outro lado, o abandono do povo que era como ovelha sem pastor (cf. Mc 6,34). Em Jesus, tudo era revelação daquilo que o animava por dentro! Ele não só falava sobre Deus, mas também o revelava. Comunicava algo do que ele mesmo vivia e experimentava. Ele não só anunciava a Boa Nova do Reino. Ele mesmo era uma amostra, um testemunho vivo do Reino. Nele aparecia aquilo que acontece quando um ser humano deixa Deus reinar, tomar conta de sua vida. O que vale não são só as palavras, mas também e sobretudo o testemunho, o gesto concreto.
Pela fé, todos nós esperamos e sonhamos com o Reino de Deus, como um novo tempo, onde não haverá dor nem lágrimas. Ao curar muitas pessoas, Jesus mostra que Deus reprova tudo o que faz o ser humano sofrer. Mergulhemos na certeza de que nossa missão é seguir os passos do Mestre para construir este “novo tempo”, entre nós.
Pai, que a misericórdia seja o traço característico do meu modo de ser no trato com os meus semelhantes, de maneira que eu possa atrair, como Jesus, muitas pessoas para ti.
Padre Bantu Mendonça Katchipwi Sayla
Fonte: Liturgia da Palavra em 10/02/2014

HOMÍLIA DIÁRIA

As palavras de Jesus transformam a nossa vida!

Não existe maneira mais sublime de sermos tocados por Deus do que deixar Suas palavras entrarem dentro de nós, ressoarem em nosso coração e transformarem o nosso ser!
”E todos quantos o tocavam ficavam curados” (Mc 6, 56).
A presença de Jesus no meio do Seu povo é uma presença contagiante, porque Cristo passa pelos Seus gestos, pelas Suas palavras, pelas Suas ações, e por tudo o que Ele faz, a presença do Reino de Deus. Jesus faz as pessoas se aproximarem de Deus por intermédio daquilo que são Seus gestos e Suas obras. Por isso, aonde quer que Jesus vá, atravessando o mar da Galileia e outros lugares, multidões inteiras vão atrás d’Ele para ouvir a Sua Palavra. E, ao mesmo tempo, para levar os doentes, os enfermos, os tristes, os desanimados, os desorientados para que sejam tocados por Suas palavras, para que sejam tocados por Sua presença. E todos quanto tocavam ou eram tocados pelo Senhor ficavam curados.
Sabem, meus irmãos, a primeira coisa é esta: nós precisamos tocar no Senhor e também nos deixar ser tocados por Ele. Sim, ser tocados por Jesus, não é simplesmente um toque físico, é um toque que atinge a nossa alma. Quando a Palavra do Senhor vem ao nosso coração e toca o profundo do nosso ser, mágoas caem por terra, ressentimentos explodem, vão para longe de nós, quando somos tocados por essa Palavra as montanhas que nos tornam, muitas vezes, cegos, desiludidos, que nos deixam para baixo, são removidas, porque Jesus toca na profundidade daquilo que causa as nossas doenças e as nossas enfermidades.
Não existe maneira mais sublime de sermos tocados por Deus do que deixar Suas palavras entrarem dentro de nós, ressoarem em nosso coração e transformarem o nosso ser. Essas palavras nos levantam, nos curam, nos libertam. As palavras de Jesus mudam a nossa vida!
Nós precisamos ser presença de Jesus na vida do outro, na vida do nosso irmão, do nosso próximo; nós precisamos ser o toque de amor de Jesus para as pessoas. Como um abraço sincero e verdadeiro faz bem, um aperto de mão dado com ternura, quando as pessoas não olham mais umas nos olhos das outras, quando as pessoas dão abraços falsos ou frios! Em vez de sermos cura, levamos até mais doenças e enfermidades para os outros ao agirmos assim; ao passo que o nosso toque cristão sem malícia e sem segundas intenções cura!
A mãe precisa tocar seu filho, colocar a mão nele e dizer-lhe: ”Deus te abençoe, meu (a) filho (a)!” A mãe tem que orar por sua criança, por seus filhos, nós temos que orar um pelos outros, e não termos medo de ser o toque da graça de Deus para as pessoas. Todos nós temos doenças e enfermidades, permitamos que o toque da graça de Deus chegue em nós e seja uma fonte de cura, de libertação e de restauração!
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 10/02/2014

Oração Final
Pai Santo, uma coisa só nós te pedimos, mas esta nós imploramos: habitar em tua Morada Santa por todos os dias da nossa vida, na companhia dos amigos que colocaste em nosso caminho para partilhar a experiência do teu Amor de Pai que também é Mãe. Pelo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 10/02/2014

ORAÇÃO FINAL
Pai Santo, nós te damos graças pelas maravilhas que criaste. Pelo universo, pela vida, pelos homens e mulheres, nossos companheiros de jornada neste Planeta-jardim encantado. E te agradecemos, sobretudo, Pai amado, pelo Cristo, teu Filho que se fez nosso Irmão em Jesus de Nazaré, viveu entre nós e hoje, ressuscitado, contigo reina na unidade do Espírito Santo. Amém.