terça-feira, 27 de agosto de 2013

Santo Agostinho de Hipona - 28 de Agosto







Santo Agostinho, grande Bispo e Doutor da Igreja

Depois de “perder” sua mãe, voltou para a África, onde fundou uma comunidade cristã ocupada na oração, estudo da Palavra e caridade
Celebramos neste dia a memória do grande Bispo e Doutor da Igreja que nos enche de alegria, pois com a Graça de Deus tornou-se modelo de cristão para todos. Agostinho nasceu em Tagaste, no norte da África, em 354, filho de Patrício (convertido) e da cristã Santa Mônica, a qual rezou durante 33 anos para que o filho fosse de Deus.

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 28/08/2013

28 de Agosto de 2013

Ano C


 Mt 23,27-32

Comentário do Evangelho

Deus não se deixa levar pela aparência.

Os vv. 27-28 repetem a mesma ideia dos versículos anteriores: a hipocrisia dos escribas e fariseus; neste capítulo 23, o objeto da lamentação de Jesus é a oposição entre interior e exterior. Mas a aparência de justiça, ao empenhar-se nas práticas religiosas só para serem vistas pelos homens, não impede Deus de penetrar no coração, na verdade de cada pessoa. Deus não se deixa levar pela aparência. É este o apelo de Jesus aos discípulos: “Guardai-vos de praticar a vossa justiça diante dos homens só para serdes vistos por eles” (6,1).
Deus vê no segredo (cf. 6,4.6.18). Nos versículos 29-32, Jesus lamenta a hipocrisia dos escribas e fariseus, porque eles utilizam da glória dos profetas em beneficio próprio.
O seu rigor legalista e, em razão dele, suas faltas presentes, os tornam coniventes com a morte dos profetas. Não é exatamente o que farão ao condenar Jesus como blasfemo?
É bom que tenhamos claro que não é a observância da Lei que é atacada por Jesus, mas a sua deformação.
Carlos Alberto Contieri, sj

Vivendo a Palavra

Celebrando hoje a festa de Santo Agostinho, nós sentimos como a condenação de Jesus aos doutores da Lei e fariseus orientou sua caminhada de conversão: Agostinho procurou viver o amor de forma cada vez mais transparente e é, para nós, Igreja de Jesus, exemplo de como vencer a hipocrisia do mundo.

Reflexão

Devemos sempre estar alertas em relação à nossa vivência da fé porque, se não nos cuidarmos, podemos criar um abismo muito grande entre o que falamos e o que vivemos ou, pior ainda, podemos viver uma religiosidade de aparências, uma religiosidade ritual em detrimento de uma real vivência de fé, de uma resposta pessoal aos apelos que nos são feitos para que assumamos os compromissos do nosso batismo a partir de uma vida verdadeiramente profética que denuncie os contravalores do mundo e anuncie a verdade dos valores que foram pregados por Jesus Cristo. Deste modo, a nossa vida religiosa não será simplesmente ritual, mas também compromisso.

Meditação

Exteriormente revelo aquilo que vai em meu coração? - Procuro demonstrar bondade, fraternidade, sinceridade? - Pratico e insisto para que pratiquem a justiça para com todos? - Será que apenas enfeitando a carroça o burro andará mais depressa? - Minha imagem espiritual, interior, é correspondente àquilo que aparento exteriormente?
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R

Comentários do Evangelho


28 de AGOSTO – QUARTA


1 - Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! - Severino Alves


2 - Sepulcros caiados - Maria Cecília


3 - Sepulcros caiados- José Salviano


4 - “Síndromes do Farisaísmo” -Diac. José da Cruz


Liturgia comentada

Por fora parecem belos... (Mt 23,27-32)
O povo antigo tinha um dito para nos alertar: “por fora, bela viola; por dentro, pão bolorento”. Neste Evangelho de tonalidade assustadora, Jesus emprega uma linguagem ainda mais forte: “sepulcros caiados”. Para os judeus, quem esbarrasse em um túmulo, ficaria ritualmente impuro e deveria passar por complicado processo de purificação. Daí o costume de caiar os sepulcros, de modo que ficassem bem visíveis e ninguém os tocasse por descuido. No entanto, mesmo limpinhos por fora, nada mudava sua podridão interior. Não adianta salvar as aparências...
Jesus se vale dessa imagem crua para denunciar a falsidade dos homens da religião judaica que “vendiam uma imagem” exterior de piedosos quando, por dentro, alimentavam sentimentos contrários à Lei de Deus, como a autossuficiência, a vaidade e a avareza. É para eles – os religiosos de fachada - que Jesus reserva o adjetivo “hipócritas” (cf. Mt 23,13; Mc 2,16).
Em sua juventude, quando morava em Nazaré, é bem provável que Jesus tenha visitado uma das cidades de cultura helenizada, ali mesmo na Galileia, como Tiberíades ou Cesareia de Filipe, onde peças de teatro eram representadas nas arenas. Nestas, os atores usavam máscaras sobre o rosto (trágica e cômica) e simulavam tristeza ou alegria, lágrimas ou gargalhadas, conforme o seu papel. Claro, eram sentimentos fingidos, não correspondiam ao íntimo dos artistas.
Jesus se vale desta situação (a de estar “debaixo da máscara”) para definir a atitude dos fariseus que rondavam o Templo de Jerusalém. Não havia nenhuma sinceridade em seu culto, em seus jejuns, em suas orações de pé, à vista de todos, tampouco em suas esmolas lançadas bem do alto para que as moedas retinissem nas arcadas do santuário e todos as percebessem... (Cf. Lc 21,1-4)
Por oposição, Jesus de Nazaré se mostra atraído pela oração daquele publicano anônimo que se humilha e confessa o próprio pecado (Lc 18,13), e ainda elogia o publicano Zaqueu, disposto a reparar suas falcatruas, com uma frase de admiração: “Hoje a salvação entrou nesta casa!” (Lc 19,9) Na contramão de nossa sociedade, Jesus quer apenas a sinceridade de coração: só os corações que se abrem à luz podem receber os cuidados do Senhor, que incluem a cura e o perdão.
Os que parecem bons (escribas e fariseus) são rejeitados. E para escândalo dos honestos, aqueles que parecem maus (prostitutas e publicanos) ouvem promessas de salvação. Qual será o nosso grupo?
Orai sem cessar: “Senhor, sabeis tudo de mim...!” (Sl 139,1)
Texto de  Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
santini@novaalianca.com.br
Sua alma anda inquieta?
A alma que anda inquieta precisa encontrar um repouso, um sentido para tudo aquilo que faz. Que o nosso coração inquieto repouse no coração do Pai.
Celebramos, na liturgia de hoje, Santo Agostinho. Lembrávamos, no dia de ontem, a mãe dele, Santa Mônica, e também vimos que tudo o que ele é, foi e será para a Igreja é graças às lágrimas e às orações convincentes de Mônica.
Santo Agostinho andou perdido nos caminhos da vida e deu muito trabalho para sua mãe. Ele viveu distante, longe como um filho errante, perdido nas estradas da vida.
Quando lemos a grande obra escrita por ele, a qual retrata sua vida e lembra as lágrimas de sua mãe, chamada ‘As confissões’, o santo mesmo se manisfesta: “O meu coração estava inquieto, enquanto não repousava em Deus”. Mas que inquietação era essa? De uma alma que buscava, nos prazeres, nas satisfações da vida, nas alegrias do mundo, o sentido para a sua vida, mas nunca o encontrava.
“Eram prazeres momentâneos”, recorda Santo Agostinho em sua obra ‘As confissões’. “Eram prazeres de horas, coisas que me faziam curtir a vida, no entanto, ela só encurtava e eu não encontrava nenhum sentido e nenhuma direção.”
A alma que anda inquieta, perturbada, encontra-se sem sentido muitas vezes; faz muitas coisas, corre para lá e para cá, mas precisa encontrar um repouso, precisa encontrar um sentido para tudo aquilo que faz. E foi no coração de Deus, no coração de Jesus que Agostinho encontrou seu referencial.
Foi o coração do Senhor que converteu o coração do jovem Agostinho. Aquilo que antes para ele era prazeroso, tornou-se algo fatigante; aquilo que antes lhe causava repugnância e não o fazia sentir nenhum prazer pelas coisas de Deus, tornou-se o sentido e o prazer para sua vida.
Por isso Agostinho consagrou a sua vida inteiramente a Deus, tornou-se bispo de Hipona. Ele trouxe ensinamentos iminentes para a Igreja da sua época e para a Igreja de todos os tempos.
A Igreja bebe da sabedoria que vem do coração convertido deste santo, um coração que experimentou as doçuras de Deus e, por isso, sua alma tornou-se um referencial para todos nós.
Nós que estamos no caminho da conversão, da mudança de vida, precisamos, a cada dia, nos encontrarmos com o Senhor. Que o nosso coração inquieto, perturbado, repouse no coração do Pai.
Deus abençoe você.

Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.Facebook Twitter
LEITURA ORANTE

23,27-32 - Fariseus...hipócritas... falta-lhes transparência



Preparo-me para a Leitura Orante, juntamente com todos os que navegam na web, rezando:
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Creio, Senhor Jesus, que sou parte de seu Corpo.
Espírito Santo,tu que habitas, pela fé, nos nossos corações,
abre-nos à Palavra!
Seja a nossa inteligência e a nossa vontade,
terreno bom,
onde tu possas trabalhar com liberdade,
de modo que a nossa vida seja sinal da tua caridade. 
Amém.

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente o texto Mt 23,27-32, e observo pessoas as palavras fortes de Jesus aos hipócritas.
- Ai de vocês, mestres da Lei e fariseus, hipócritas! Pois vocês são como túmulos pintados de branco, que por fora parecem bonitos, mas por dentro estão cheios de ossos de mortos e de podridão. Por fora vocês parecem boas pessoas, mas por dentro estão cheios de mentiras e pecados. - Ai de vocês, mestres da Lei e fariseus, hipócritas! Pois vocês fazem túmulos bonitos para os profetas e enfeitam os monumentos das pessoas que viveram de modo correto. E dizem: "Se tivéssemos vivido no tempo dos nossos antepassados, não teríamos feito o que eles fizeram, não teríamos matado os profetas." Assim vocês confirmam que são descendentes daqueles que mataram os profetas. Portanto, vão e terminem o que eles começaram! Cobras venenosas, ninhada de cobras! Como esperam escapar da condenação.
Jesus continua falando aos mestres da Lei e aos fariseus, lamentando sua hipocrisia. E os compara a túmulos pintados de branco. Por fora, bonitos. Por dentro, cheios de podridão. Túmulos bonitos, monumentos para os profetas que foram mortos por eles mesmos. Jesus aponta a contradição que demonstram entre o que são e aparentam ser. Falsos. Boas pessoas, aparentemente bonitas, mas cheios de podridão por dentro.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Onde estão, hoje, os fariseus?
Existem em nossa sociedade pessoas que pregam coisas boas, enquanto por dentro alimentam inveja, rancor, ciúme, maldade, interesses próprios?
Existem pessoas que cultivam o corpo, a estética, a aparência e sua consciência está pesada, carregada de culpas, juízos, mentiras?
Utilizo subterfúgios, restrições à verdade porque é dura, exigente?
Finjo ser uma coisa e sou outra?
Existe em mim coerência de vida no seguimento de Jesus?
Os bispos na V Conferência, em Aparecida, falaram de caminhos de vida e caminhos de morte: "Hoje se considera escolher entre caminhos que conduzem à vida ou caminhos que conduzem à morte (cf. Dt 30.15). Caminhos de morte são os que levam a dilapidar os bens que recebemos de Deus através daqueles que nos precederam na fé. São caminhos que traçam uma cultura sem Deus e sem seus mandamentos ou inclusive contra Deus, animada pelos ídolos do poder, da riqueza e do prazer efêmero, a qual termina sendo uma cultura contra o ser humano e contra o bem dos povos latino-americanos. Os caminhos de vida verdadeira e plena para todos, caminhos de vida eterna, são aqueles abertos pela fé que conduzem à “plenitude de vida que Cristo nos trouxe: com esta vida divina, também se desenvolve em plenitude a existência humana, em sua dimensão pessoal, familiar, social e cultural”. Essa é a vida que Deus nos participa por seu amor gratuito, porque “é o amor que dá a vida”. Estes caminhos frutificam nos dons de verdade e de amor que nos foram dados em Cristo, na comunhão dos discípulos e missionários do Senhor, para que América Latina e Caribe sejam efetivamente um continente no qual a fé, a esperança e o amor renovem a vida das pessoas e transformem as culturas dos povos." (DAp 13).

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo com Jesus: Pai nosso...e com o Salmista, o Salmo 51:
Tem misericórdia de mim, ó Deus,
segundo a tua benignidade;
apaga as minhas transgressões,
segundo a multidão das tuas misericórdias.
Lava-me completamente da minha iniquidade,
e purifica-me do meu pecado.
Porque eu conheço as minhas transgressões,
e o meu pecado está sempre diante de mim.
Contra ti, contra ti somente pequei,
e fiz o que é mal à tua vista,
para que sejas justificado quando falares,
e puro quando julgares.
Eis que em iniquidade fui formado,
e em pecado me concebeu minha mãe.
Eis que amas a verdade no íntimo,
e no oculto me fazes conhecer a sabedoria.
Purifica-me com hissope, e ficarei puro;
lava-me, e ficarei mais branco do que a neve.
Faze-me ouvir júbilo e alegria,
para que gozem os ossos que tu quebraste.
Esconde a tua face dos meus pecados,
e apaga todas as minhas iniquidades.

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Meu novo olhar é de purificação, eliminando tudo que em mim possa ser duplicidade, subterfúgio, hipocrisia.
Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

Bênção
"O Senhor te abençoe e te guarde.
O Senhor faça brilhar sobre ti sua face, e se compadeça de ti.
O Senhor volte para ti o seu rosto e te dê a paz"
(Nm 6, 24-26).
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Ir. Patrícia Silva, fsp
Oração Final
Pai Santo, nós cremos, mas aumenta a nossa fé! Ensina-nos a proclamá-la aos companheiros peregrinos através de palavras sábias e, sobretudo, pelo testemunho de uma vida sóbria e coerente com o caminho trilhado pelo Cristo Jesus, teu Filho que se fez nosso Irmão que contigo reina na unidade do Espírito Santo.

LITURGIA DIÁRIA 28/08/2013




Tema do Dia

Santo Agostinho: ‘Meu coração está inquieto...’

Na carta, Paulo conta aos tessalonicenses como deve ser o procedimento de um missionário. No Evangelho, Jesus condena a conduta dos doutores da Lei e dos fariseus, aos quais faltavam as qualidades que o Apóstolo viria a recomendar aos discípulos.

Oração para antes de ler a Bíblia


Meu Senhor e meu Pai! Envia teu Santo Espírito para que eu compreenda
e acolha tua Santa Palavra! Que eu te conheça e te faça conhecer, te ame
 e te faça amar, te sirva e te faça servir, te louve e te faça louvar por
 todas as criaturas. Fazei, ó Pai, que pela leitura da Palavra os pecadores
se convertam, os justos perseverem na graça e todos consigamos
a vida eterna. Amém.

Branco. 4ª-feira da 21ª Semana Tempo Comum
Sto. Agostinho BDr, memória


Primeira Leitura (1Ts 2,9-13)
Santo Agostinho
Quarta-feira 28/08/13

Leitura da Primeira Carta de São Paulo ao Tessalonicenses.

9Irmãos, certamente ainda vos lembrais dos nossos trabalhos e fadigas. Trabalhamos dia e noite, para não sermos pesados a nenhum de vós. Foi assim que anunciamos o Evangelho de Deus. 10Vós sois testemunhas, e Deus também, de quão santo, justo, irrepreensível foi o nosso proceder para convosco, os fiéis.
11Bem sabeis que, como um pai a seus filhos, 12nós exortamos a cada um de vós e encorajamos e insistimos, para que vos comporteis de modo digno de Deus, que vos chama ao seu reino e à sua glória. 13Por isso agradecemos a Deus sem cessar por terdes acolhido a pregação da Palavra de Deus, não como palavra humana, mas como aquilo que de fato é: Palavra de Deus, que está produzindo efeito em vós que abraçastes a fé.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Responsório (Sl 138)
Santo Agostinho
Quarta-feira 28/08/13

— Senhor, vós me sondais e me conheceis!
— Senhor, vós me sondais e me conheceis!

— Em que lugar me ocultarei de vosso espírito? E para onde fugirei de vossa face? Se eu subir até os céus, ali estais; se eu descer até o abismo, estais presente.
— Se a aurora me emprestar as suas asas, para eu voar e habitar no fim dos mares; mesmo lá vai me guiar a vossa mão e segurar-me com firmeza a vossa destra.
— Se eu pensasse: “A escuridão venha esconder-me e que a luz ao meu redor se faça noite!” Mesmo as trevas para vós não são escuras, a própria noite resplandece como o dia.


Evangelho (Mt 23,27-32)
Santo Agostinho
Quarta-feira 28/08/13


A importância de sermos transparentes.

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus: 27“Ai de vós, mestres da Lei e fariseus hipócritas! Vós sois como sepulcros caiados: por fora parecem belos, mas por dentro estão cheios de ossos de mortos e de toda podridão! 28Assim também vós: por fora, pareceis justos diante dos outros, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e injustiça.
29Ai de vós, mestres da Lei e fariseus hipócritas! Vós construís sepulcros para os profetas e enfeitais os túmulos dos justos, 30e dizeis: ‘Se tivéssemos vivido no tempo de nossos pais, não teríamos sido cúmplices da morte dos profetas’. 31Com isso, con­fessais que sois filhos daqueles que mataram os profetas. 32Com­pletai, pois, a medida de vossos pais!”

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.


Oração para depois de ler a Bíblia


Dou-Te graças, meu Deus, pelos bons propósitos, afetos e inspirações
que me comunicastes nesta meditação; peço-Te ajuda para colocá-los  em prática.
Minha Mãe Imaculada, meu protetor São José e Anjo da minha guarda, intercedeis todos por mim. Amém

"VÁ FIRME NA DIREÇÃO DAS SUAS METAS. PORQUE O PENSAMENTO CRIA, O DESEJO ATRAI E A FÉ REALIZA." BOM DIA!

SAIBA ESPERAR!!! - UMA LINDA QUARTA-FEIRA!!! - "Não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo. Não deixe de ter alguém ao seu lado por puro medo de ser feliz. A única falta que terá, será desse tempo que infelizmente... Não voltará mais." (Mario Quintana) - Você é Especial


:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:

"Tenha sempre firmeza em suas

atitudes e persistência

em seus ideais, mas seja paciente.

Não queira que tudo lhe chegue

de imediato.

Há tempo pra todo propósito!

E tudo que é seu virá às suas mãos

no momento oportuno,

confie em Deus, saiba esperar...“

PAZ E LUZ PARA TODOS VOCÊS!!!

-:¦:- E -:¦:-

Um Dia Abençoado para todos!!

:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:--:¦:

Você sabia que:

Os seguidores de Jesus foram chamados "cristãos" recém desde o ano 43 na evangelização da Antioquia.