sábado, 18 de dezembro de 2021

BOM DIA! BOA TARDE! BOA NOITE! Oração da noite, Oração da manhã e Oração do entardecer - Deus te abençoe!



Oração da Noite

Boa noite Pai.
Termina o dia e a ti entrego meu cansaço.
Obrigado por tudo e… perdão!!
Obrigado pela esperança que hoje animou meus passos, pela alegria que vi no rosto das crianças;
Obrigado pelo exemplo que recebi daquele meu irmão;
Obrigado também por isso que me fez sofrer…
Obrigado porque naquele momento de desânimo lembrei que tu és meu Pai; Obrigado pela luz, pela noite, pela brisa, pela comida, pelo meu desejo de superação…
Obrigado, Pai, porque me deste uma Mãe!
Perdão, também, Senhor!
Perdão por meu rosto carrancudo; Perdão porque não me lembrei que não sou filho único, mas irmão de muitos; Perdão, Pai, pela falta de colaboração e serviço e porque não evitei aquela lágrima, aquele desgosto; Perdão por ter guardado para mim tua mensagem de amor;
Perdão por não ter sabido hoje entregar-me e dizer: “sim”, como Maria.
Perdão por aqueles que deviam pedir-te perdão e não se decidem.
Perdoa-me, Pai, e abençoa os meus propósitos para o dia de amanhã, que ao despertar, me invada novo entusiasmo; que o dia de amanhã seja um ininterrupto “sim” vivido conscientemente.
Amém!!!

Oração da manhã

Bom-dia, Senhor Deus e Pai!
A ti, a nossa gratidão pela vida que desperta, pelo calor que
cria vida, pela luz que abre nossos olhos.
Nós te agradecemos por tudo que forma nossa vida, pela terra, pela água, pelo ar, pelas pessoas. Inspira-nos com teu Espírito Santo os pensamentos que vamos alimentar,as palavras que vamos dizer, os gestos que vamos dirigir,a comunicação que vamos realizar.
Abençoa as pessoas que nós encontramos, os alimentos que vamos ingerir.
Abençoa os passos que nós dermos, o trabalho que devemos fazer.
Abençoa, Senhor, as decisões que vamos tomar, a esperança que vamos promover,a paz que vamos semear,a fé que vamos viver, o amor que vamos partilhar.
Ajuda-nos, Senhor, a não fugir diante das dificuldades, mas a abraçar amor as pequenas cruzes deste dia.
Queremos estar contigo, Senhor, no início, durante e no fim deste dia.
Amém.

Oração do entardecer

Ó Deus!
Cai à tarde, a noite se aproxima.
Há neste instante, um chamado à elevação, à paz, à reflexão.
O dia passa e carregam os meus cuidados.
Quem fez, fez.
Também a minha existência material é um dia que se passa,
uma plantação que se faz, um caminho para algo superior.
Como fizeste a manhã, à tarde e a noite, com seus encantos,
fizeste também a mim, com os meus significados, meus resultados.
Aproxima de mim, Pai, a Tua paz para que usufrua desta
hora e tome seguras decisões para amanhã.
Que se ponha o sol no horizonte, mas que nasça
em mim o sol da renovação e da paz para sempre.
Obrigado, Deus, muito obrigado!
Amém!

NOVENA DE NATAL DOS DIAS 16/12/2020 A 24/12/2020 - QUINTO DIA


NOVENA DE NATAL - QUINTO DIA

5º Dia - Jesus Caminho, guie nossos passos

1. Canto

Vem, Senhor, Jesus, o mundo precisa de ti (bis)
Ao mundo falta PÃO. Tu és PÃO. Vem, Senhor Jesus!

2. Saudação

Com. - A graça e a paz do Senhor estejam conosco
Todos - Ele está no meio de nós!

Somos discípulos e missionários daquele que vem!

Com. - Senhor Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida.
Todos - Tende piedade de nós.

3. Motivação: Documento de Aparecida

Com. - Em sintonia com a V Conferência de Aparecida, hoje o tema de nossa novena é um pedido: Jesus, guie nossos passos.

Leitor 1 - "A história da humanidade, história que Deus nunca abandona, transcorre sob seu olhar compassivo. Deus amou tanto nosso mundo que nos deu seu Filho. Ele anuncia a boa nova do Reino aos pobres e aos pecadores. Por isso, nós, como discípulos e missionários de Jesus, queremos e devemos proclamar o Evangelho, que é o próprio Cristo." (DAp 29)

4. Palavra de Deus

Com. - Tomemos agora a Palavra de Deus onde Ele se revela a nós.

Leitor 2 - Leitura bíblica (Ler na Bíblia: Lc 2,12).

(Alguns momentos de silêncio)

5. Partilha

Com. - Ouvimos no Evangelho que os pastores encontraram um recém-nascido. Deus guia nossos passos para encontrá-lo no simples, no pobre, no pequeno. Alguém tem alguma experiência de encontrar Deus no pequeno, no pobre, no simples? Vamos partilhar? Vamos partilhar e colocar as palhinhas na manjedoura.

(Momentos para partilha dos participantes).

Canto: Ave Maria, Ave Maria, Ave Maria, Mãe de Jesus.


6. Oração

Com. - Rezemos com toda a Igreja

- Senhor Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida, rosto humano de Deus e rosto divino do homem, acendei em nossos corações o amor ao Pai que está no céu e a alegria de sermos cristãos.

- Vinde ao nosso encontro e guiai nossos passos para seguir-vos e amar-vos na comunhão de vossa Igreja, celebrando e vivendo o dom da Eucaristia, carregando nossa cruz, e ungidos por vosso envio.

- Dai-nos sempre o fogo de vosso Santo Espírito, que ilumine nossas mentes e desperte entre nós o desejo de contemplar-vos, o amor aos irmãos, sobretudo aos aflitos, e o ardor por anunciar-vos no início deste século.

- Discípulos e missionários vossos, queremos remar mar adentro, para que nossos povos tenham em Vós vida abundante, e com solidariedade construam a fraternidade e a paz.

Todos: Senhor Jesus, vinde e enviai-nos!

Maria, Mãe da Igreja, rogai por nós. Amém.

7. Canto

Envia tua Palavra, Palavra de salvação, que vem trazer esperança, aos pobres, libertação.


8. Despedida e Bênção

Com. - Até o próximo encontro vamos descobrir o rosto humano de Deus na pessoa dos irmãos.

Jesus Divino Mestre seja para ti a verdade que ilumina, o caminho da santidade, a vida plena e eterna. Que ele te guarde e defenda. Plenifique de todos os bens a ti e a todos os que amas. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. (Alberione)

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Todos se despedem, combinando, antes, o próximo encontro.



HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA - 18/12/2021

ANO C


Mt 1,18-24

Comentário do Evangelho

José, israelita sincero

O evangelho de Marcos, o mais antigo, inicia-se com o batismo de Jesus por João Batista. Cerca de vinte anos depois, Mateus e Lucas escrevem seus evangelhos, que, de início, apresentam as narrativas do nascimento de Jesus, anunciado por um anjo. Em Mateus, que escreve para sua comunidade de cristãos oriundos do judaísmo, o anúncio do anjo é feito a José, apresentado como o último elo de uma genealogia com origem em Abraão, passando por Davi. Jesus é concebido em Maria e José pensa em abandoná-la, porém, esclarecido pelo anjo, a recebe. Pode-se ver em José a representação das comunidades dos judeus e em Maria, as comunidades formadas em torno de Jesus. Assim, a narrativa sugere que os judeus também devem aceitar estas comunidades de Jesus, e se unirem a elas.
José Raimundo Oliva
Oração
Pai, ajuda-me a contemplar tua ação maravilhosa em relação à concepção de teu Filho Jesus. Que eu reconheça nela tua oferta gratuita de salvação para toda a humanidade.
Fonte: Paulinas em 18/12/2012

Vivendo a Palavra

Para um semita, o nome é a essência de um ser. É a sua própria presença. Este é o sentido do nome Emanuel, indicado pelo Anjo: Deus está conosco. O Pai Misericordioso faz a experiência de nossa humanidade, encarnando-se em Jesus de Nazaré, para que nós façamos a experiência divina de segui-lo pelos caminhos da vida.
Fonte: Arquidiocese BH em 18/12/2012

VIVENDO A PALAVRA

Para um semita, o nome revela a essência de um ser. É a sua própria presença. Este é o sentido do nome Emanuel, indicado pelo Anjo: Deus está conosco. O Pai Misericordioso faz a experiência de nossa humanidade, encarnando-se em Jesus de Nazaré, para que nós façamos a experiência divina de segui-lo pelos caminhos da vida.
Fonte: Arquidiocese BH em 18/12/2018

VIVENDO A PALAVRA

Entre as lições que aprendemos de José, o seu silêncio talvez seja a mais importante, oportuna e necessária para os nossos dias. Vivemos na era da comunicação, é certo, mas muitas vezes mal compreendida como tempo de muitas palavras. Informações maciças e agressivas, mas pouca formação, escasso tempo para a assimilação e reflexão. José mostrou que nem sempre é preciso palavras para a comunicação eficaz. A Sagrada Escritura não registra sequer uma manifestação que ele tenha proferido. E ele falou bem e bonito!
Fonte: Arquidiocese BH em 18/12/2020

Reflexão

Os profetas anunciaram que o Messias seria da descendência do rei Davi, e esta descendência vem por meio de José. As Sagradas Escrituras não narram se Maria era descendente de Davi. José não teve nenhuma participação no Mistério da Encarnação, mas mesmo assim, cooperou com a realização das profecias ao reconhecer Jesus como seu filho e, ao dar-lhe o seu nome, lhe transmite todos os direitos da descendência davídica. Com isso, o Evangelho de hoje nos mostra que, embora a salvação seja obra de Deus, a colaboração humana é necessária para a sua realização e somente pode ser considerado verdadeiramente santo aquele que procura participar da obra salvífica da humanidade como colaborador do próprio Deus.
Fonte: CNBB em 18/12/2012

Reflexão

A passagem bíblica narra sobre a gravidez de Maria “por obra do Espírito Santo” e o matrimônio dela com José, “filho de Davi”. É natural que José estranhe a gravidez de sua esposa “antes de viverem juntos”. Enquanto fica matutando sobre que atitude tomar, eis que Deus vem esclarecer-lhe os fatos: “Um anjo do Senhor lhe apareceu em sonho, dizendo: ‘José, filho de Davi, não tenha medo de receber Maria como sua esposa, pois o que nela foi gerado provém do Espírito Santo’”. José compreende que se trata de grandiosa intervenção de Deus em vista da salvação do mundo e que ele, José, está sendo escolhido para fazer parte desse maravilhoso plano divino. Uma vez resolvido o equívoco, do mesmo modo que Maria, José entrega-se à vontade de Deus.
Fonte: Paulus em 18/12/2018

Reflexão

A passagem bíblica narra sobre a gravidez de Maria “por obra do Espírito Santo” e o matrimônio dela com José, “filho de Davi”. É natural que José estranhe a gravidez de sua esposa “antes de viverem juntos”. Enquanto fica matutando sobre que atitude tomar, eis que Deus vem esclarecer-lhe os fatos: “Um anjo do Senhor lhe apareceu em sonho, dizendo: ‘José, filho de Davi, não tenha medo de receber Maria como sua esposa, pois o que nela foi gerado provém do Espírito Santo'”. José compreende que se trata de grandiosa intervenção de Deus em vista da salvação do mundo e que ele, José, está sendo escolhido para fazer parte desse maravilhoso plano divino. Uma vez resolvido o equívoco, do mesmo modo que Maria, José entrega-se à vontade de Deus.
Oração
Ó Jesus, Deus-conosco, bendito seja Deus por tua mãe, Maria, que ficou grávida de ti por obra do Espírito Santo. Bendito seja Deus também por José que, iluminado pelo mesmo Espírito, manteve-se fiel companheiro de Maria e compreendeu o mistério divino que nela se realizava. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte: Paulus em 18/12/2020

Reflexão

Depois de apresentar a genealogia de Jesus, o Evangelho de Mateus anuncia a gravidez de Maria. Ao constatar que sua futura esposa estava gestante, José fica em dúvida sobre como agir diante disso, mas o anjo do Senhor lhe esclarece tudo o que está acontecendo com ela. José, homem justo, aceita a revelação do anjo e acolhe Maria. Jesus vem a nós pela ação do Espírito de Deus e a acolhida do ser humano. Deus age, mas espera a abertura da pessoa para acolher sua proposta. Para que essa ação de Deus se concretize, é necessário que as três personagens entrem em harmonia: o Espírito Santo, que gera, Maria, que dá à luz, e José, que dá o nome ao filho que vai nascer. Com isso, o milagre da vida acontece. Precisamos nos deixar engravidar pelo Espírito de Deus e assim gerar o projeto de Jesus.
Oração
Ó Jesus, Deus-conosco, bendito seja Deus por tua Mãe, Maria, que ficou grávida de ti por obra do Espírito Santo. Bendito seja Deus também por José, que, iluminado pelo mesmo Espírito, manteve-se fiel companheiro de Maria e compreendeu o mistério divino que nela se realizava. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2021 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp e Pe. Nilo Luza, ssp)

Meditando o evangelho

A OBRA DO ESPÍRITO SANTO

A perícope evangélica da concepção virginal de Jesus tem sido objeto de controvérsia. As interpretações são desencontradas tanto por desconhecermos elementos fundamentais para compreendê-la, o que não acontecia com as comunidades primitivas, quanto por projetarmos nossos preconceitos sobre o texto bíblico.
O Evangelho detém-se na soleira do mistério insondável de Deus, numa atitude de respeito e reverência, sem se importar com especulações de caráter anatômico ou fisiológico. Só lhe interessam os elementos teológico-espirituais deste dado da fé da Igreja.
Jesus não entra na História como resultado do esforço humano de construir a própria salvação. Ele tem sua origem em Deus, em quem toda a sua existência está alicerçada.
Sua origem evoca o relato da criação, no Gênesis, onde tudo existe pela vontade soberana de Deus. Jesus, e com ele a salvação da humanidade, é a derradeira obra divina.
Jesus é o dom de Deus a ser acolhido pela humanidade. Torna-se, portanto, inútil qualquer esforço humano de construir a salvação pelas próprias mãos. O ser humano só pode salvar-se por obra de Deus. Qualquer outro caminho estará fadado ao fracasso.
A referência ao Espírito Santo aponta para um tipo de ação inefável e misteriosa de Deus em relação à mãe do Messias. O mesmo Espírito Santo, instrumento da ação divina desde os primórdios da Criação, fez-se também presente quando do nascimento do Messias Jesus. A esta força divina é que se deve sua presença no mundo.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Pai, ajuda-me a contemplar sua ação maravilhosa em relação à concepção de teu Filho Jesus. Que eu reconheça nela tua oferta gratuita de salvação para toda a humanidade.
Fonte: Dom Total em 18/12/2018

Meditando o evangelho

A OBEDIÊNCIA DE JOSÉ

Tendo excluído a paternidade humana na geração de Jesus, a genealogia deixou sem explicação a participação de José no nascimento do Messias. Para superar esta lacuna, José é apresentado como um discípulo fiel que se deixou guiar por Deus e, assim, mesmo sem ter evidências, aceitou colaborar na obra da salvação.
O esposo de Maria foi definido como sendo um homem justo. Em suas dúvidas a respeito da noiva que se apresentara grávida, soube ouvir a voz de Deus e submeter-se a ela. O pedido de Deus era claro: José deveria acolher Maria como esposa e assumir, como filho, o que nela fora gerado por obra do Espírito Santo. A função de José no plano da salvação seria a de garantir a identidade social do menino Jesus. Doravante, este seria reconhecido como filho de José, embora fosse Deus seu verdadeiro Pai. Em seu papel de pai adotivo, competia-lhe dar, ao menino, o nome - Jesus - e, com isso, evidenciar sua missão de salvador da humanidade.
A obediência de José possibilitou o cumprimento do projeto salvífico divino, pois Jesus tornar-se-ia o Emanuel, a presença de Deus na vida da humanidade. Em Jesus, começaria uma nova etapa da História, sendo ele o acesso definitivo a Deus. Seria Deus conosco, caminhando com a humanidade pecadora em busca de salvação. Em tudo isto, foi grande o mérito do humilde José.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Senhor Jesus, faze-me assimilar o exemplo de José, em sua obediência de discípulo disposto a colaborar na obra da salvação.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

1. A origem de Jesus Cristo
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

Neste ano, esta é a última semana do Advento antes do Natal. A quarta semana terá a duração de um dia e logo estaremos celebrando o nascimento do Senhor. O evangelista São Mateus nos conta a origem de Jesus Cristo, pensando em São José. Maria estava prometida em casamento a José. Esta promessa constituía um vínculo entre eles, mesmo antes de coabitarem. E eis que Maria aparece grávida por obra do Espírito Santo. Quem podia entender o que estava acontecendo? Se a gravidez não vinha de José, Maria poderia ser apedrejada como adúltera infiel. Como pensar isso de Maria, cheia de graça não por tê-lo dito o anjo, mas por ser assim na realidade. Cheia de graça e graciosa, um homem justo não podia condená-la, e não o fez. O mesmo Deus que fez Maria engravidar iluminou a mente já sadia de José para que sua decisão fosse acertada.
Fonte: NPD Brasil em 18/12/2018

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

1. A Humildade de José
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

O que vemos neste evangelho, são duas coisas muito importantes, primeiro, que toda a Obra da Salvação é conduzida por Deus, a iniciativa é sempre dele, quando surgem problemas insolúveis, situações impossíveis de serem resolvidas, é sempre ele que vai á frente, desencadeando os fatos de modo que eles acabem se direcionando para o Bem da Salvação do Homem.
O Germe colocado no Ventre de Maria é fruto do Espírito Santo, e quanto ao esposo José, quando este entra em crise e decide abandonar a noiva para não difamá-la, Deus se manifesta em sonhos e o faz mudar seus planos em relação a Maria.
Talvez os leitores se perguntem se nesta vida tudo não poderia ser sempre assim, Deus vai fazendo as coisas acontecerem, vai dando um jeitinho aqui, outro ali, e tudo vai saindo segundo a sua Vontade e o homem só assiste de camarote á maravilhosa obra Divina.
Deus age, e o homem de Fé participa diretamente da sua ação. O Homem de Fé, nesse caso, é aquele que tem uma visão diferente dos que não crêem, uma visão que vai além da lógica humana, pois a gravidez de Maria só indicava uma realidade: ela o havia traído com outro. Mas quando Deus lhe revela, José que era um homem justo, fez como o anjo do Senhor lhe havia mandado, recebeu em sua casa sua esposa e assumiu o filho como seu.
José e Maria correspondem á Deus com uma Fé que os leva a tomar decisões importantes em suas vidas, não vão pela lógica, mas se movem pela Fé, como o Patriarca Abraão. Em cada acontecimento de nossa vida, há algo de Deus a ser percebido e correspondido, mas é preciso que esses acontecimentos sejam sempre iluminados pela Luz da nossa Fé. Deus age verdadeiramente, mas se não nos colocarmos disponíveis pela força da nossa Fé, perderemos a oportunidade de participarmos da grandiosa obra da Salvação.

2. Eis que a virgem ficará grávida e dará à luz um filho - Mt 1,18-24
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

São Mateus termina a genealogia de Jesus com Jacó, que “gerou José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado o Cristo”. Jesus nasce de Maria, mas não de José, porque foi concebido por obra do Espírito Santo. José deve assumir a paternidade legal de Jesus e a missão de pai na Sagrada Família. Faltava-lhe clareza na decisão a ser tomada, até que o mesmo anjo que anunciou a Maria lhe apareceu em sonho e o orientou a receber Maria como esposa, sem medo. Assim acontece e se realiza a profecia de Isaías, “que a virgem conceberá e dará à luz um filho e o chamarão com o nome de Emanuel”. José, o justo, cumprirá com zelo e dedicação sua missão junto a Maria e ao Menino que vai nascer. O anjo do Senhor o acompanhará com sucessivas revelações, ajudando-o a proteger o Menino e sua Mãe. Não nos falte a ajuda do mesmo anjo e a proteção de São José!
Fonte: NPD Brasil em 18/12/2020

HOMILIA DIÁRIA

Saiba confiar e esperar no Senhor que tudo pode

Postado por: homilia
dezembro 18th, 2012

Começamos nossa reflexão citando as palavras do anjo a José, no que toca a concepção e, consequentemente, o nascimento de Jesus.
José depara-se com uma situação humanamente impossível: sua esposa está grávida sem a ter conhecido. Como será isso e que procedimento seguir? Se ele a tivesse conhecido antes de viverem juntos, seria o pior vexame que teriam passado, além de correr o risco de serem apedrejados pela cultura daquele tempo; o que seria o de menos, pelo fato de terem violado a Lei. O enigmático é que conscientemente isso aconteceu e ela aparece grávida.
Alguém lhe teria passado para trás? Ou a própria Maria o teria traído? Devido ao adjetivo a ele atribuído e sem querer difamá-la, porque era justo, José resolveu abandonar o amor da sua vida em segredo. Mas, enquanto pensava nisso, Deus veio ao seu encontro através de um anjo.
Na intervenção de Deus, neste momento de profunda angústia e confusão de José, manifesta-se o triunfo da justiça divina sobre os homens e mulheres fiéis a Ele, que andam observando e vivendo os seus mandamentos. “Aos homens retos, darei alegria plena”, diz Deus. “Eu estou ao lado da justiça e julgo segundo o que vejo; não segundo as aparências”.
A atitude de silêncio interior de José pode ser entendida como o tempo da meditação, de intimidade profunda com Deus, de deixar que Ele fale por nós. Quando nós levamos as nossas preocupações a Ele, o Senhor as faz suas. Então, não somos nós que falamos, mas o Espírito do nosso Pai que fala por nós. Basta fazer a nossa parte, que consiste somente em confiar e saber esperar no Senhor que tudo pode. José não precisou falar alto nem muito com “A” ou “B”. Simplesmente, contemplando o sucedido e rezando, calou-se.
A resposta de Deus não se fez esperar. Imediatamente, agiu mandando o seu anjo que diz:“José, descendente de Davi, não tenha medo de receber Maria como sua esposa, pois ela está grávida pelo Espírito Santo. Ela terá um menino, e você porá n’Ele o nome de Jesus, pois Ele salvará o seu povo dos pecados”. Era isso que José esperava ouvir. Esclarecida a dúvida, José recebe Maria como sua esposa e toca a vida.
Muitas são as simbologias que podemos encontrar neste texto. Veja por exemplo: com a escolha do homem da casa de Davi, o Evangelho de Mateus quer, teologicamente, inserir Jesus na genealogia davídica para harmonizar a concepção virginal de Maria com a acolhida de José. O estranho é que, só depois de José sofrer profundamente ao perceber, progressivamente, a gravidez da mulher amada, o anjo é enviado a ele, dissipando a terrível dúvida acumulada.
Teologicamente, José, apresentado como inserido na genealogia davídica, representa o antigo judaísmo. De Maria, que está fora desta genealogia, nascerá Jesus. Maria representa a novidade de Jesus nas comunidades cristãs. Alguém que não pertence à raça, à estirpe, à tribo. Porém, o novo que se manifesta em Maria escapa à compreensão de José. Era necessário que, do Alto, viesse a luz e José fosse advertido pelo anjo. E então, ele acolhe Maria para dizer que os judeus devem aceitar as novas comunidades cristãs, vendo nelas a obra de Deus.
Este “judeu” pode ser eu e pode ser você, meu irmão, quando diante dos pecadores públicos, dos criminosos, nos consideramos justos e sem pecados. Por isso, queremos nos manter distantes dos leprosos e dos pecadores.
José, o homem justo, fiel e humilde, compreendeu o desígnio do Pai para com a humanidade e colaborou para que ele fosse realizado. Em que ponto você está? Assim como aconteceu com José ontem, hoje a Palavra de Deus continua sendo dirigida a nós. Não tenha medo de receber o estrangeiro, o pobre, a viúva, o órfão, o viciado, o doente. Ame-os! Assim, você transformará a sua vida e salvará sua alma da morte eterna e, assim, celebrará o verdadeiro Natal.
Padre Bantu Mendonça
Fonte: Canção Nova em 18/12/2012

HOMILIA DIÁRIA

Recebamos Maria em nossa casa

Recebamos Maria em nossa vida, na nossa casa, pois ela nos apontará a direção do Céu

“José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo” (Mateus 1,20).

Não há presença de Jesus no meio de nós sem a presença de Maria, a Mãe que O gerou e O trouxe até nós. Maria é a portadora de Deus, a portadora do Verbo divino. Ela é a primeira que colaborou de forma plena e total com o desígnio salvador de Deus, que é a encarnação de Jesus no meio de nós.
Humanamente, não é fácil de entender nem compreender, porque os desígnios divinos estão além da nossa compreensão humana, nem mesmo José entendeu. Até José ficou confuso, meio perdido sobre o que aconteceu, o que se realizava em Maria.
É por isso que o anjo se manifesta a José dizendo: “Não tenha medo, porque o que se realiza em Maria é ação do Espírito, por isso não tenha medo de recebê-la”. Para recebermos Jesus em nós, não podemos ter medo de receber Maria nem de amá-la.
Amar Maria é pecado? Que pecado Deus pode ter cometido? Porque Ele foi o primeiro que a amou profundamente e quis, inclusive, fazer morada nela. Amar Maria é amar os desígnios de Deus que se manifestam no ventre dela. Não tenhamos medo nem receio.
José a recebeu em sua casa. Receba Maria em sua casa, em sua vida. Muitos podem pensar: “Eu não preciso dela, eu vou direto a Deus”. Entretanto, Deus não veio direto a nós, Ele veio a nós por meio dela. Foi Deus quem escolheu esse caminho, é claro que poderia ter sido outro caminho, Deus é Deus e Ele tudo pode, nada é impossível para Ele. Mas Deus escolheu a mediação humana, e essa mediação tem nome, é a Virgem Maria. E nós nos voltamos agora para Deus e a mediação humana da dureza, da humildade, da entrega de Maria; é um caminho mais do que abençoado para chegarmos a Deus.
Eu recebi Maria em minha vida, ela me ensinou e ensina-me todos os dias a ser de Deus, a amá-Lo, a abrir meu coração para que Ele faça morada em mim, como habitou nela. Maria é aquela que faz de nós presépios vivos, não faz de nós apenas seres decorativos no processo divino salvífico. Maria nos aponta o caminho e a direção para amarmos a Deus sobre todas as coisas.
Recebamos Maria em nossa vida, na nossa casa, e ela nos apontará a direção do Céu.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 18/12/2018

HOMILIA DIÁRIA

Acolhamos a Maria em nossa vida

“José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo” (Mateus 1,20).

Pense você que não foi fácil para José, naquele primeiro momento, acolher a Virgem Maria, porque Maria ficou grávida pela ação do Espírito Santo. É o Espírito de Deus que n’Ela realizou a obra divina mais extraordinária, mais extraordinária ainda do que a própria criação.
Aqui é um novo paraíso, uma nova humanidade que nasce; e ela nasce no ventre de Maria. Agora não é só Deus que cria criaturas como criou todo mundo e todo o universo, mas é mais do que isso, é o Seu Filho eterno que se torna criatura humana no ventre de uma criatura humana: a Bem-aventurada Virgem Maria.
Estamos contemplando um milagre, mas não é um milagre pequeno, é o milagre mais sublime da nossa fé. Estamos olhando para Maria e Ela se torna o templo da graça, o lugar da ação de Deus.
Talvez, tenhamos permitido que as coisas se tornassem muito simplórias e reduzidas em nossa vida, além disso, tenhamos perdido ou nunca tenhamos tido a capacidade de contemplar os mistérios da ação de Deus na nossa vida, na vida da humanidade.

Maria se torna o templo da graça, o lugar da ação de Deus

Quando paro para contemplar o mistério da encarnação, fico estupefato porque é a nova criação, é a criação sublime de Deus. É Deus quem aposta tudo no novo paraíso, e esse novo paraíso tem nome, pois é o ventre de Maria.
Que ação sublime, divina e magnífica na qual a vida inteira aqui na Terra é muito pouco para que possamos contemplar tamanho mistério e grandeza de fé. Como José não pôde, num primeiro momento, penetrar o mistério porque não tinha conhecimento, ele submete-se à vontade de Deus para poder n’Ele entender o que se passa.
Que beleza como Deus se revela nos sonhos de José! “José, não tenha medo de receber Maria, porque Ela concebeu por ação do Espírito”. E agora José, que é avisado por um anjo, também passa a contemplar esse mistério sublime, passa a participar cuidando e protegendo Aquela que é o templo da nova humanidade, Aquela que é o novo paraíso que nos trouxe o novo Adão, Jesus, Nosso Salvador.
Que possamos acolher a Maria em nossa vida, para contemplarmos n’Ela o mistério de redenção e salvação que Deus realiza na humanidade.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 18/12/2020

Oração Final
Pai Santo, que nossa celebração do Natal não se torne rotineira, ofuscando nosso encantamento pelo mistério de Amor, que é a encarnação de teu Filho. Ensina-nos a acolher o Menino Jesus neste Natal como tua Palavra Criadora e que nós o anunciemos aos companheiros de caminhada. Pelo mesmo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 18/12/2012

ORAÇÃO FINAL
Pai Santo, que nossa celebração do Natal não se torne rotineira, ofuscando nosso encantamento pelo mistério de Amor, que é a encarnação de teu Filho Unigênito. Ensina-nos a acolher o Menino Jesus neste Natal como tua Palavra Criadora para que nós o anunciemos aos companheiros de caminhada. Pelo mesmo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 18/12/2018

ORAÇÃO FINAL
Pai querido, como Tu és Bom e Misericordioso! Que o exemplo do Justo José, aceitando ocupar com sublimado Amor o seu lugar humilde (mas indispensável) no Plano da Salvação, encoraje-nos a viver os nossos dias nesta terra, acordados e atentos para identificar a tua Vontade, fazendo dela o nosso desejo maior, para cumpri-la com alegria e gratidão. Por Jesus, o Cristo teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 18/12/2020