quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

BOA NOITE

orkut e hi5, Boa noite, anjo, flores, gliter, imagem

CONSAGRAÇÃO A NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA



Consagre-se a Nossa Senhora Aparecida com o texto na voz do saudoso P. Vítor Coelho de Almeida, C.Ss.R. (†21/julho/1987)
Ó Maria Santíssima, que em vossa Imagem milagrosa de Aparecida espalhais inúmeros benefícios sobre o Brasil, eu, embora indigno de pertencer ao número dos vossos servos, mas desejando participar dos benefícios da vossa misericórdia, prostrado a vossos pés, consagro-vos o entendimento, para que sempre pense no amor que mereceis.
Consagro-vos a língua, para que sempre vos louve e propague a vossa devoção. Consagro-vos o coração, para que, depois de Deus, vos ame sobre todas as coisas. Recebei-nos, ó Rainha incomparável, no ditoso número dos vossos servos. Acolhei-nos debaixo da vossa proteção.
Socorrei-nos em nossas necessidades espirituais e temporais e, sobretudo, na hora da nossa morte. Abençoai-nos, ó Mãe Celestial, e com vossa poderosa intercessão fortalecei-nos em nossa fraqueza, a fim de que, servindo-vos fielmente nesta vida, possamos louvar-vos, amar-vos e render-vos graças no céu, por toda eternidade. Assim seja.
Pela intercessão de Nossa Senhora Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil, a bênção de Deus onipotente, Pai, Filho e Espírito Santo desça sobre vós e permaneça sempre. Amém.

São Cláudio de La Colombiere - 15 de Fevereiro




São Cláudio de La ColombiereNasceu na França, em 1641. Sua mãe, muito cedo, havia profetizado que seu filho seria um santo religioso. Não que isso o forçou, mas ajudou no seu discernimento. Passado um tempo, ele, pertencente e uma família religiosa, pôde fazer este caminho de seguimento a Cristo e entrou para a Companhia de Jesus.

Dado aos estudos, aprofundou-se, lecionou e chegou a superior de um colégio jesuíta. Mas Deus tinha muitos planos para ele. Ele dizia: “Os planos de Deus nunca se realizam senão à custa de grandes sacrifícios” e pôde experimentar essa realidade. Ao ser o confessor do convento de Nossa Senhora da Visitação, conheceu a humilde e serva do Senhor, Margarida Maria Alacoque, que ia recebendo as promessas do Sagrado Coração de Jesus. Ele a orientou muito e pôde se aprofundar também nesta devoção; amor ao coração de Jesus. Amando o Senhor, pôde estar em comunhão também com o sacrifício e com a dor.

Ele mergulhou o seu coração nessa devoção e pôde ajudar a santa, mas, por obediência, teve de ir para Londres onde sofreu incompreensões por parte de cristãos não católicos, ao ponto de calúnias o levarem ao julgamento e à prisão. Só não foi morto por causa da intervenção do rei da França, Luís XIV.

São Cláudio de La Colombiere voltou para o berço da devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Com 41 anos, partiu para a glória, como havia profetizado Margarida Maria Alacoque.

O seu testemunho nos mostra que é do coração de Jesus que vem a santidade para o nosso coração.

São Cláudio de La Colombiere, rogai por nós!

FONTE DE PESQUISA: Canção Nova

HOMÍLIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 15/02/2012

15 de Fevereiro de 2012

Marcos 8,22-26

Comentário do Evangelho

Deus no amor misericordioso de Jesus

Vindo da Decápole, Jesus está a caminho de Cesareia de Filipe. Betsaida é a cidade de Pedro, André e Filipe, com a presença de gregos entre a população. André é um nome de origem grega (Andréas). Esta narrativa detalhada e minuciosa da cura de um cego é bem característica do estilo de Marcos ao descrever os gestos e reações de Jesus. Jesus leva o cego pela mão, cospe em seus olhos, impõe-lhe as mãos. Como o cego ainda não vê bem, Jesus coloca novamente as mãos sobre seus olhos e ele passa a ver perfeitamente. Marcos já registrara o uso da saliva por Jesus ao curar um surdo-gago. Jesus retira o cego do "povoado" e diz-lhe que não volte a ele. Pode-se perceber uma simbologia na narrativa. O "povoado" seria uma alusão às populações sob a influência da doutrina do judaísmo nesta região. O "cego" é impedido de "ver" por causa desta doutrina. Jesus, uma vez abrindo-lhes os olhos, recomenda que ele não volte àquela doutrina. Há uma alusão aos discípulos originários do judaísmo. Estes foram formados na doutrina messiânica davídica de poder, o que dificulta que entendam a revelação de Deus no amor humilde e misericordioso de Jesus. 

José Raimundo Oliva 



Vivendo a Palavra

O privilégio do encontro solitário com Jesus dado àquele cego está ao alcance de todos e de cada um de nós: o Mestre nos ensinou a orar – que significa encontrar com o Pai – no silêncio do nosso coração, estando fechadas as suas portas para as distrações do mundo.



Reflexão 
Jesus retira o homem do povoado, não o cura totalmente na primeira vez que lhe impõe as mãos, o deixa totalmente curado na segunda vez que lhe impõe as mãos e diz para ele não entrar no povoado. Esses elementos nos ajudam numa reflexão sobre o Evangelho de hoje. As pessoas vivem em sociedade e, geralmente, assumem integralmente os seus valores. Esses valores muitas vezes se tornam um obstáculo para a atuação da graça e para a verdadeira libertação dessas pessoas. Depois que a libertação acontece, essas pessoas não podem assumir novamente todos os valores da sociedade, pois voltarão a viver na escuridão do erro e do pecado.



COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

1. "As Etapas da conversão"(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Quando cristãos retornam de algum retiro ou encontro de espiritualidade, alardeando que agora estão convertidos, é para se ficar sempre com um pé atrás. Digo isso porque muitas vezes, o coitado mal volta do retiro e já o engajam em alguma pastoral ou movimento dando-lhes mil e uma tarefas. O pior é quando, por conta desse embalo inicial, marcado pelo excessivo entusiasmo, são convidados a darem testemunho na assembléia... Testemunho como o de Pedro que um dia, cheio de entusiasmo disse a Jesus “Eu te seguirei Senhor por onde fores, jamais deixarei de estar contigo”, mas naquele mesmo dia, que era a véspera de sua paixão, Jesus apagou o fogo de palha de Pedro, profetizando que naquela madrugada ele iria negá-lo por três vezes, antes que o galo cantasse.

Nada contra os nossos retiros e encontros de espiritualidade, que são úteis e necessários sendo até colocados como obrigação aos ministros ordenados e religiosos, pela Lei da Igreja. O problema é pensar que a conversão já aconteceu e a partir de agora vão poder vislumbrar um mundo totalmente novo quando na verdade, o mundo é o mesmo, as pessoas são as mesmas, e as situações também. O Novo, na verdade, está dentro da pessoa... E um coração renovado renova também o olhar que ganha a luz da FÉ.

A conversão verdadeira é toda um processo de muitas etapas, nessa experiência com Jesus  Cristo, é portanto uma dinâmica em nossa vida, pois em cada decisão tomada ou atitude assumida diante de grandes ou pequenos acontecimentos vamos mostrando se estamos ou não nesse processo.

O homem cego, curado por Jesus nesse evangelho, já tinha feito uma experiência inicial com ele, entretanto ainda não tinha uma visão clara dos acontecimentos, pois a sua visão espiritual confundia homens com árvores que andavam. O que houve? Jesus não teria feito direito os gestos para realizar a cura? Claro que não, é que o ser humano tem suas limitações e os efeitos da Graça Divina é como aquela chuvinha fina, que sem muito alarde, vai fecundando a terra mansamente tornando-a fértil.

Foi somente após mais uma experiência com Jesus que os olhos daquele homem começaram a enxergar perfeitamente. E onde é o lugar de quem tem uma nova visão da vida, das pessoas e dos acontecimentos? É a Comunidade a casa dos que crêem. Mas sempre lembrando que a FÉ é dom de Deus e é Jesus quem abre nossos olhos para vivermos essa realidade totalmente nova. Pertencer a uma comunidade, sentir-se Igreja com os demais irmãos e irmãs, não é uma decisão nossa, mas somos Igreja e Comunidade pelo impulso permanente do Espírito Santo. Não se trata de um simples "empurrãozinho" igual aquele que se dá para fazer um carro pegar no tranco, a Força do Espírito é uma dinâmica em nossa Vida de Fé.

Mas é um processo lento que começa em nosso Batismo e termina com a nossa morte, quando então, totalmente convertidos, Jesus nos mandará para nossa casa definitiva onde teremos a visão Beatífica de Deus.

2. Deus no amor misericordioso de Jesus(O comentário do Evangelho abaixo é feito por José Raimundo Oliva - e disponibilizado no Portal Paulinas)

VIDE ACIMA

Oração

Pai, abre meus olhos para que, pela fé, eu reconheça teu filho Jesus, e possa beneficiar-me da força libertadora que dele provém.

3. COMPREENSÃO GRADATIVA(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total a cada mês).

A cura do cego de Betsaida serve de parábola para o processo de iluminação da inteligência dos discípulos, na tentativa de compreenderem e assimilarem os ensinamentos de Jesus. Evidentemente, isto não aconteceu de repente Antes, esta dinâmica de compreensão e assimilação foi lenta e gradual, exigindo tempo para consolidar-se.

A passagem da cegueira à visão, no caso do cego, deu-se de forma gradativa. Num primeiro momento, Jesus umedeceu-lhe os olhos com saliva e impôs-lhe as mãos. Disto resultou uma visão ainda imperfeita e nebulosa. As pessoas eram vistas de forma indistinta, como se fossem árvores caminhando. Só num segundo momento, após ter Jesus tocado os olhos do cego é que ele passou a ver distintamente, não só de perto, mas também de longe.

Servindo-se de um texto do profeta Jeremias, Jesus já havia censurado os discípulos os quais "tendo olhos, não viam e tendo ouvidos, não ouviam". A incompreensão deles era comparável a uma cegueira. Necessitava de cura! O processo já havia sido iniciado. Eles, porém, ainda permaneciam no primeiro estágio, vendo as coisas de maneira nebulosa. Era preciso dar o passo seguinte: compreender tudo, o mais claramente possível, sem nenhuma hesitação. Acomodar-se no primeiro passo seria uma atitude insensata, por parte de quem já tinha aceitado deixar-se guiar por Jesus.

Oração 

Espírito clarividente, liberta-me da cegueira que me impede de compreender e assimilar plenamente a realidade do Reino proclamado por Jesus.



A Palavra de Jesus nos cura de toda cegueira


Postado por: homilia

fevereiro 15th, 2012


Na umidade interior da boca, a saliva tem – como a água – grande importância, porque une e dissolve os alimentos, pode curar ou corromper, suavizar ou insultar violentamente quando transformada em cuspe. O órgão da saliva é a língua, como na relação entre a lágrima e os olhos. A língua, como um pequeno leme, governa nossa embarcação; ela é fértil, e seu fruto maduro e criativo é a palavra.
Para despertar a Palavra, para libertar o Verbo, Jesus empregará Sua saliva sob os olhos daquele cego. Para impedir a Palavra e aniquilar o Verbo, cuspiram sobre o rosto de Jesus.
Língua e saliva. Como órgão do paladar e do gosto, a língua é símbolo do discernimento. Ela separa o bom do ruim, distingue, aparta e isola como um chicote, uma faca ou espada.
A língua é considerada uma chama, cuja forma e mobilidade é como o fogo que destrói e purifica. Como instrumento da palavra, a língua edifica e arrasa. Comparada ao fiel de uma balança, a língua julga. Comparada a um pequeno leme, dirige o navio inteiro. A língua é como o fogo, o único animal que ninguém consegue dominar (cf. Tg 3,2-12). Na maioria das vezes, o termo significa a própria palavra. Quando a palavra língua é empregada sem qualificativo, em geral designa a má língua. Como você tem utilizado a sua língua?
Na Bíblia, a saliva evoca a vida, a cura e a salvação. Tocados pela saliva, os cegos veem, surdos ouvem e mudos falam. Ao promover com os dentes e a língua uma intimidade da pessoa com o alimento – por todos os critérios de reconhecimento derivados do paladar -, a saliva fala do nosso desejo de um sustento espiritual, de alimentar-se do divino.
A saliva de Jesus é muito mais do que simplesmente um líquido transparente e insípido, segregado pelas glândulas salivares na base da língua que serve para fluidificar os alimentos, facilitar sua ingestão e digestão. A saliva de Jesus cura e liberta.
Associada aos alimentos, a saliva serve para uni-los e dissolvê-los, pode curar ou corromper, suavizar ou ofender. Cuspir no rosto é um gesto grave com consequências na tradição judaica. Quem cospe em alguém não foi capaz de reter sua ira, seu ódio e transforma sua saliva luminosa em cuspe, em “não luz”. Na Bíblia, cuspir no rosto de alguém é uma suprema vergonha, punida de lepra (cf. Nm 12,14).
O tema da cegueira é bastante central na missão de Jesus. Não há dúvida de que, entre as curas, as mais relevantes devolveram a visão aos cegos. Na tradição judaica, “abrir os olhos” era a cura messiânica por excelência, o sinal para a identificação do verdadeiro Messias, segundo a tradição profética.
Quem se encontra na cegueira não vê nada. Só é possível ver quando se é tocado pela saliva e pela Palavra de Jesus Cristo, pela fertilidade da Água Viva.
Somos vitimados pelas mais diversas cegueiras. Não vemos nem sequer a maior das certezas: a realidade da morte fruto do pecado. E vivemos muitas vezes como se fôssemos “imortais”. O mistério da vontade divina é o seu desejo de salvação para todos (cf. Ef 1,9).
Somos cegos e devemos aceitar nossa condição humana: não vemos a luz. Aceitar também, sem contestação, que o sopro e a Palavra de Jesus, que estão por detrás da saliva, habitem nosso pó, sinais da presença de Cristo, de nossa divinização e da fonte da nossa salvação. Jesus, ao cuspir e passar a saliva nos olhos do homem, ao pôr a mão sobre ele e perguntar se ele via alguma coisa, nos convida a mergulhar em nossa condição humana e suas racionalidades com uma nova consciência. Só n’Ele, por Ele e com Ele conseguimos enxergar perfeitamente o caminho que nos leva ao Pai.
Agora lavados com e pela saliva de Jesus, temos os nossos olhos abertos. Vemos, sabemos e conhecemos o que nos pode matar. E para tal já não podemos voltar para o povoado. Povoado, aqui, quer dizer voltar para a vida de pecado que gera a nossa morte e a perdição dos nossos.
Padre Bantu Mendonça


Leitura Orante 

Preparo-me para a Leitura Orante de hoje, 
fechando os olhos por uns instantes e, 
colocando-me na presença de Deus, 
peço a Ele que toque em mim, 
que toque no coração de todos 
que circulam pela rede virtual. 

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. 

Espírito Santo 
que procede do Pai e do Filho, 
tu estás em mim, falas em mim, 
rezas em mim, ages em mim. 
Ensina-me a fazer espaço à tua palavra, 
à tua oração, 
à tua ação em mim 
para que eu possa conhecer 
o mistério da vontade do Pai. 
Amém. 

1. Leitura (Verdade) 

Leio atentamente, na Bíblia, o texto: 
Mc 8,22-26. 

Agora procuro compreender melhor o texto do Evangelho. Algumas pessoas com visão levaram o cego a Jesus. O cego assumiu sua cegueira. Deixou-se conduzir pela mão por Jesus; deixou que o levasse para fora do povoado, e cuspisse nos seus olhos, impondo-lhe as mãos. "Estou vendo as pessoas como se fossem árvores andando", disse o homem. Ele via de forma confusa. Parece que lhe faltava mais luz, nitidez. Então, Jesus impôs de novo as mãos sobre os olhos dele e ele começou a enxergar perfeitamente. A conversão de qualquer pessoa passa também por um processo - vai enxergando aos poucos. Só se converte quem se deixa conduzir por Jesus Cristo, que se deixa tomar pelas mãos por Ele. 

2. Meditação (Caminho) 

- O que a Palavra diz para mim? 
Também eu, você, confundimos pessoas com árvores, ou seja: ideal com realidade, pessoas com coisas. O homem via sem nitidez. Às vezes, no olhar da vida, perdemos a nitidez, quando somos permissivos, damos um "jeitinho" e a nossa fé vai ficando descolorida, sem brilho, sem expressão, sem luz, sem clareza. O apóstolo Paulo, quando perseguia os cristãos, caiu por terra e nada enxergava. Precisou da ajuda de Ananias, esteve três dias sem comer ou beber e sem enxergar. Às vezes, não enxergamos bem dentro de nós. Temos uma espécie espécie de embaçamento que pode ser causado pelo nosso egoísmo, superstições, nossas fraquezas, falta de perdão, inseguranças, mistura de crenças, inconstância, falta de solidariedade. São como "escamas", como aconteceu com Paulo. 

Disseram os bispos, em Aparecida:
 "Nossa maior ameaça é "a fé que vai se desgastando e degenerando em mesquinhez" A todos nós toca "recomeçar a partir de Cristo". 
(DAp 12). 
É preciso romper tudo isto que nos impede de ver e caminhar. 
Deixemos que Jesus nos tome pela mão. 

3.Oração (Vida) 

- O que a Palavra me leva a dizer a Deus? 

Rezo com Paulo VI: 

Oração para pedir a Fé 

Senhor, eu creio, eu quero crer em Ti. 
Senhor, faze que a minha fé seja total, sem reserva; 
que ela penetre no meu pensamento e na minha maneira de 
julgar as coisas divinas e as coisas humanas. 

4. Contemplação (Vida e Missão) 

- Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?
 Um novo olhar e nova disposição: 
Quero olhar o mundo e as pessoas como são, com o olhar transparente, limpo, 
livre de distorções. 

Bênção 

- Deus nos abençoe e nos guarde. 
Amém. 

- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. 
Amém. 

-Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz.
 Amém. 

- Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. 
Amém. 

I. Patrícia Silva, fsp
http://www.paulinas.org.br/diafeliz/evangelho.aspx

Oração Final
Pai Santo, ensina-nos a verdadeira oração, ao encontro real com o Amor, que nos faz generosos e compassivos, companheiros alegres e fonte de esperança para os que peregrinam nesta vida rumo ao teu Reino. Por Jesus, o Cristo, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.

http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg06.php

LITURGIA DIÁRIA - 15/02/2012



«Estou vendo homens; parecem árvores que andam.»


Tiago traduz para a Igreja as regras da boa convivência entre os homens: ouvir mais do que falar, fugir da raiva, da malícia e acolher a Palavra com amor no coração. Religião pura é socorrer os órfãos e as viúvas em aflição, e não se corromper.



Primeira leitura (Tiago 1,19-27)

Quarta-Feira, 15 de Fevereiro de 2012
6ª Semana Comum


Leitura da Carta de São Tiago.

19Meus queridos irmãos, sabei que todo homem deve ser pronto para ouvir, mas moroso para falar e moroso para se irritar. 20Pois a cólera do homem não é capaz de realizar a justiça de Deus. 21Por esta razão, rejeitai toda impureza e todos os excessos do mal, mas recebei com humildade a Palavra que em vós foi implantada, e que é capaz de salvar as vossas almas.
22Todavia, sede praticantes da Palavra e não meros ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.23Com efeito, aquele que ouve a Palavra e não a põe em prática é semelhante a uma pessoa que observa o seu rosto no espelho: 24apenas se observou, vai-se embora e logo esquece como era a sua aparência.
25Aquele, porém, que se debruça sobre a Lei da liberdade, agora levada à perfeição, e nela persevera, não como um ouvinte distraído, mas praticando o que ela ordena, esse será feliz naquilo que faz. 26Se alguém julga ser religioso e não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo: a sua religião é vã. 27Com efeito, a religião pura e sem mancha diante de Deus Pai é esta: assistir os órfãos e as viúvas em suas tribulações e não se deixar contaminar pelo mundo.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.



Salmo (Salmos 14)

Quarta-Feira, 15 de Fevereiro de 2012
6ª Semana Comum


— Senhor, quem morará em vosso Monte Santo?
— Senhor, quem morará em vosso Monte Santo?

— É aquele que caminha sem pecado e pratica a justiça fielmente; que pensa a verdade no seu íntimo e não solta em calúnias sua língua.
— Que em nada prejudica o seu irmão, nem cobre de insultos seu vizinho; que não dá valor algum ao homem ímpio, mas honra os que respeitam o Senhor.
— Não empresta o seu dinheiro com usura, nem se deixa subornar contra o inocente. Jamais vacilará quem vive assim!


Evangelho (Marcos 8,22-26)

Quarta-Feira, 15 de Fevereiro de 2012
6ª Semana Comum




Deixar-se conduzir por Jesus

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 22Jesus e seus discípulos chegaram a Betsaida. Algumas pessoas trouxeram-lhe um cego e pediram a Jesus que tocasse nele.
23Jesus pegou o cego pela mão, levou-o para fora do povoado, cuspiu nos olhos dele, pôs as mãos sobre ele, e perguntou: “Estás vendo alguma coisa?”
24O homem levantou os olhos e disse: “Estou vendo os homens. Eles parecem árvores que andam”. 25Então Jesus voltou a pôr as mãos sobre os olhos dele e ele passou a enxergar claramente. Ficou curado, e enxergava todas as coisas com nitidez. 26Jesus mandou o homem ir para casa, e lhe disse: “Não entres no povoado!”

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

As Mãos

As Mãos

Nós rezamos, e vemos muitas pessoas
rezarem o Pai Nosso de mãos dadas.
Gostaríamos que refletissem sobre o profundo
mistério que envolvem essas mãos que se unem:

A mão Jovem se une à mão velha e
entre elas, se cruza a mão eterna do Cristo.

A mão débil se une à mão robusta e
entre elas, se cruza a mão firme do Cristo.

A mão branca se une à mão negra e
entre elas, se cruza a mão santa do Cristo.

A mão trêmula se une à mão segura e
entre elas, se cruza a mão sustentáculo do Cristo.

A mão calejada se une à mão sedosa e
entre elas, se cruza a mão cravejada do Cristo.

A mão do médico se une à mão do doente e
entre elas, se cruza a mão ensangüentada do Cristo.

A mão do empregado se une à mão do patrão e
entre elas, se cruza a mão de mestre do Cristo.

A mão da ignorância se une à mão da sabedoria e
entre elas, se cruza a mão onisciente do Cristo.

A mão pecadora se une à mão da graça e
entre elas, se cruza a mão do perdão do Cristo.

A mão da vida se une à mão da morte e
entre elas, se cruza a mão redentora do Cristo.

Lamentavelmente, somente mãos fechadas
não se unem a outras mãos fechadas.
Mas, mesmo assim, entre elas se põe
e entre elas se cruza a mão aberta de Cristo!

Bento XVI continua meditação sobre oração de Jesus na cruz



AP
Bento XVI, na audiência geral, continuo sua meditação sobre a oração de Jesus na cruz
Na catequese desta quarta-feira, 15, o Papa Bento XVIcontinuou a sua meditação sobre a oração feita por Jesus em seus últimos momentos na cruz. Diante de cerca de 6 mil fiéis que reuniram-se na Sala Paulo VI, no Vaticano, o Pontífice destacou que a oração de Jesus oferece indicações precisas também para a vida de oração de cada cristão.
"Jesus que pede ao Pai para perdoar aqueles que o estão crucificando, nos convida ao difícil gesto de rezar também por aqueles que nos prejudicaram, sabendo perdoar sempre, a fim que a luz de Deus possa iluminar o coração deles, e nos convida a viver, na nossa oraççao, a mesma atitude de misericórdia e amor", destacou.

Acesse
.: NA ÍNTEGRA: Catequese de Bento XVI 15/02/2012

O Santo Padre trouxe uma explicação minuciosa sobre três grandes momentos de Jesus na cruz: o momento no qual Ele pede que Deus perdoe seus algozes, o acolhimento do pedido feito pelo bom ladrão que pede a Jesus para ser conduzido ao Reino dos céus e por fim,  o grande brado de Jesus que entrega ao Pai o seu espírito momentos antes da morte.
" A morte de Jesus é caracterizada explicitamente como evento cósmico e litúrgico, em particular, marca o início de um novo culto, em um templo não construído por homem porque é o próprio corpo de Jesus morto e ressuscitado, que reúne os povos e os une no Sacramento do Seu Corpo e do seu sangue", enfatizou.
Por fim, o Pontífice falou da confiança plena de Jesus quando se entrega a Deus em um ato de total abandono. O Papa fez um convite para que a partir do modelo de Jesus cada cristão também se deixe conduzir pelo amor de Deus.
"Por mais que sejam duras as provas, difíceis os problemas, não cairemos mais fora das mãos de Deus, aqueles mãos que nos criaram, nos sustentam e nos acompanham no caminho da existência, guiados por um amor infinito e fiel", concluiu.

NOITES TRAIÇOEIRAS


Noites Traiçoeiras


FAÇA UMA DOAÇÃO AO NPDBRASIL...

Deus está aqui neste momento.
Sua presença é real em meu viver.
Entregue sua vida e seus problemas.
Fale com Deus, Ele vai ajudar você.

Deus te trouxe aqui
Para aliviar o teu sofrimento.
É Ele o autor da Fé
Do princípio ao fim,
De todos os seus momentos.

(refrão)
E ainda se vier noites traiçoeiras,
Se a cruz pesada for, Cristo estará contigo.
O mundo pode até fazer você chorar,
Mas Deus te quer sorrindo. (bis)

Seja qual for o seu problema
Fale com Deus. Ele vai ajudar você.
Após a dor vem a alegria,
Pois Deus é amor e não te deixará sofrer.

Deus te trouxe aqui
Para aliviar o seu sofrimento.
É Ele o autor da Fé
Do princípio ao fim,
De todos os seus momentos.

(refrão)
E ainda se vier noites traiçoeiras,
Se a cruz pesada for, Cristo estará contigo.
O mundo pode até fazer você chorar,
Mas Deus te quer sorrindo.

O PESO DA CRUZ

orkut e hi5, Religiosos, mensagem religiosa, imagens para orkut, recados de religião, scraps religioso para orkut

BOA TARDE

orkut e hi5, Boa tarde, garfield, pequena, lápis, gif

QUARTA-FEIRA

orkut e hi5, Quarta Feira, ternura, animais, ursos, familia urso