domingo, 18 de agosto de 2019

BOM DIA! BOA TARDE! BOA NOITE! Oração da noite, Oração da manhã e Oração do entardecer - Deus te abençoe!



Oração da Noite

Boa noite Pai.
Termina o dia e a ti entrego meu cansaço.
Obrigado por tudo e… perdão!!
Obrigado pela esperança que hoje animou meus passos, pela alegria que vi no rosto das crianças;
Obrigado pelo exemplo que recebi daquele meu irmão;
Obrigado também por isso que me fez sofrer…
Obrigado porque naquele momento de desânimo lembrei que tu és meu Pai; Obrigado pela luz, pela noite, pela brisa, pela comida, pelo meu desejo de superação…
Obrigado, Pai, porque me deste uma Mãe!
Perdão, também, Senhor!
Perdão por meu rosto carrancudo; Perdão porque não me lembrei que não sou filho único, mas irmão de muitos; Perdão, Pai, pela falta de colaboração e serviço e porque não evitei aquela lágrima, aquele desgosto; Perdão por ter guardado para mim tua mensagem de amor;
Perdão por não ter sabido hoje entregar-me e dizer: “sim”, como Maria.
Perdão por aqueles que deviam pedir-te perdão e não se decidem.
Perdoa-me, Pai, e abençoa os meus propósitos para o dia de amanhã, que ao despertar, me invada novo entusiasmo; que o dia de amanhã seja um ininterrupto “sim” vivido conscientemente.
Amém!!!

Oração da manhã

Bom-dia, Senhor Deus e Pai!
A ti, a nossa gratidão pela vida que desperta, pelo calor que
cria vida, pela luz que abre nossos olhos.
Nós te agradecemos por tudo que forma nossa vida, pela terra, pela água, pelo ar, pelas pessoas. Inspira-nos com teu Espírito Santo os pensamentos que vamos alimentar,as palavras que vamos dizer, os gestos que vamos dirigir,a comunicação que vamos realizar.
Abençoa as pessoas que nós encontramos, os alimentos que vamos ingerir.
Abençoa os passos que nós dermos, o trabalho que devemos fazer.
Abençoa, Senhor, as decisões que vamos tomar, a esperança que vamos promover,a paz que vamos semear,a fé que vamos viver, o amor que vamos partilhar.
Ajuda-nos, Senhor, a não fugir diante das dificuldades, mas a abraçar amor as pequenas cruzes deste dia.
Queremos estar contigo, Senhor, no início, durante e no fim deste dia.
Amém.

Oração do entardecer

Ó Deus!
Cai à tarde, a noite se aproxima.
Há neste instante, um chamado à elevação, à paz, à reflexão.
O dia passa e carregam os meus cuidados.
Quem fez, fez.
Também a minha existência material é um dia que se passa,
uma plantação que se faz, um caminho para algo superior.
Como fizeste a manhã, à tarde e a noite, com seus encantos,
fizeste também a mim, com os meus significados, meus resultados.
Aproxima de mim, Pai, a Tua paz para que usufrua desta
hora e tome seguras decisões para amanhã.
Que se ponha o sol no horizonte, mas que nasça
em mim o sol da renovação e da paz para sempre.
Obrigado, Deus, muito obrigado!
Amém!

HOMENAGEM PÓSTUMA A MINHA MÃE ALDAIR OLIVEIRA DE SOUZA - 02/05/1929 A 19/08/2019


Mãezinha....

13 anos na CASA DO PAI.

Muita SAUDADE.

Receba, minha querida e amada,

estas rosas virtuais, como 

sinal do meu 

AMOR ETERNO.


Até qualquer DIA....

AGENTE SE ENCONTRARÁ...

para falarmos de AMOR.


A sua benção Mãe.

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 19/08/2019

ANO C


Mt 19,16-22

Comentário do Evangelho

Deus na origem de toda bondade

“... que devo fazer de bom para ter a vida eterna?”. O homem relaciona vida eterna com fazer algo. É fazendo algo de bom que se alcança a vida eterna – é esta concepção que subjaz à pergunta daquele anônimo. Em primeiro lugar, a vida eterna é um dom de Deus. Jesus, por sua vez, vai ultrapassar a pergunta dele, afirmando que o essencial é buscar quem é o único bom.
Deus é a fonte de toda bondade, a fonte da vida. Se algo de bom pode ser feito, é porque Deus está na origem de todo bem. A vida eterna é dom e, como tal, precisa ser recebida. Não é merecimento pelo cumprimento irrepreensível da Lei, ainda que o cumprimento da Lei seja vida (ver: Dt 30,15-16). Só o cumprimento dos mandamentos não é suficiente; então, o que falta, ainda?
Para ser perfeito, isto é, para amar como se é amado por Deus, é preciso desapego, pois a vida eterna não se compra. O seguimento de Jesus é o caminho da vida eterna: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida” (Jo 14,6). “... jovem foi embora cheio de tristeza, pois possuía muitos bens” (v. 22).
A tristeza mostra que o jovem reconhece o seu apego. Mas será capaz de optar pela “perfeição”? Ele aceitou e fez o recomendado por Jesus? Nós não o sabemos! Mas cabe a nós respondermos, diante de Deus, estas mesmas questões, pois elas nos dizem respeito. A vida cristã autêntica depende da resposta a estas perguntas.
Carlos Alberto Contieri, sj
Fonte: Paulinas em 19/08/2013

Vivendo a Palavra

Não basta a boa intenção. Nós precisamos levar a nossa vida seguindo o modelo das relações vividas por Jesus de Nazaré: relação com nós mesmos, com o próximo, com a natureza e com o Pai Misericordioso. Nisto se resume toda a Lei e os Profetas. Esta é a estrada da santidade.
Fonte: Arquidiocese BH em 19/08/2013

VIVENDO A PALAVRA

Não basta a boa intenção. Nós precisamos levar a nossa vida seguindo o modelo das relações vividas por Jesus de Nazaré: relação com nós mesmos (de sobriedade), com o próximo (de compaixão), com a natureza (de cuidado) e com o Pai Misericordioso (de gratidão). Nisto se resume toda a Lei e os Profetas. Esta é a estrada da santidade.

Reflexão

Deus nos ama com amor eterno e, por isso, quer relacionar-se conosco. A partir disso, devemos perceber qual é o verdadeiro sentido da religião. O que caracteriza o verdadeiro cristão não é a mera observância dos mandamentos, mas a busca da perfeição que está no seguimento de Jesus, portanto no relacionamento com ele. Porém, existem valores deste mundo que se tornam obstáculo para este relacionamento, como é o caso dos bens materiais, que impediram o jovem de buscar livremente a vida eterna e a perfeição, através da caridade e do seguimento de Jesus, embora observasse todos os mandamentos.
 Fonte: CNBB em 19/08/2013

Reflexão

Um jovem, dono de muitos bens, consulta Jesus sobre o que fazer em vista de “entrar para a vida”, expressão equivalente a herdar a vida eterna, ser salvo, entrar no Reino dos Céus. “Pratique os mandamentos”: é a resposta de Jesus. Isso o moço já faz, mas acredita que deve fazer algo mais: “O que me falta ainda?” Jesus o estimula a dar um passo de qualidade, propondo-lhe que vá, venda todos os seus bens, e doe aos pobres; depois, venha para segui-lo. Radical mudança de mentalidade e de atitudes. Estar totalmente disponível para o Reino dos Céus. Esse passo, o jovem não consegue dar. A riqueza domina seu coração. Ele não é capaz de se desfazer delas; são sua segurança. Volta para sua condição social, não saltitando de alegria, mas triste, “porque tinha muitos bens”.
(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)

Meditação

Como você encara o dever para com seus irmãos de sangue? - Como você manifesta humildade? - Que lugar Nossa Senhora ocupa em sua vida? - Qual o ato de devoção a Nossa Senhora que mais lhe agrada? - Você se considera uma pessoa de bom coração?
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R
Fonte: a12 - Santuário em 19/08/2013

Meditando o evangelho

UM SÓ É BOM!

A pergunta apresentada a Jesus pelo jovem reflete uma tendência do farisaísmo, a de praticar a virtude visando apenas obter a salvação. Esses fariseus eram calculistas, sempre preocupados em acumular méritos diante de Deus.
Tendo feito tudo quanto estava a seu alcance, interessava ao jovem saber o que poderia ainda fazer de bom para alcançar a vida eterna. Na qualidade de Messias, talvez Jesus pudesse indicar-lhe obras que rendessem méritos de valor muito maior.
O Mestre, porém, tentou corrigir este modo de pensar. Não se alcança a vida eterna pela prática de coisas boas ("O que devo fazer de bom?"), submetendo-se a um código de regras precisas de comportamento, e sim, pela relação com uma pessoa ("Um só é Bom!"), entendendo-se, com isso, tanto Jesus quanto o Pai. O que é bom deve ser praticado por corresponder à vontade daquele que é Bom. Sem esta obediência, os atos de virtude ficam desprovidos de valor.
O jovem é confrontado com a proposta de passar da prática mecânica dos mandamentos para um tipo de relação capaz de transformar-lhe a vida: desfazer-se de tudo e dar aos pobres o valor correspondente para, em seguida, tornar-se seguidor de Jesus. Se o jovem não fosse tão apegado a seus bens, teria tido a chance de experimentar a alegria de conhecer, em profundidade, a vontade salvífica de Deus.
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total).
Oração
Pai, quero estar sempre em comunhão contigo, pois só tu és Bom. Que eu possa, assim, conhecer a tua vontade e colocá-la em prática, pois este é o caminho da salvação.

Comentários do Evangelho

1- Que devo fazer para ganhar a vida eterna? - José Salviano

Aquele jovem que já seguia os mandamentos, pergunta a Jesus, o que mais ele tinha de fazer para alcançar vida eterna. Vai, vende todos os teus bens e dá o dinheiro para os pobres, e terás um tesouro no céu. Disse-lhe Jesus. O jovem ficou muito triste porque era muito rico.
Aquele jovem, como muita gente no mundo, havia acumulado, ou herdado um tesouro.  Hoje também existem muitas pessoas que investem no Banco Do Brasil, na Caixa Federal, e em outros bancos. Compram gado, terras ou imóveis porque a propaganda diz que este é o melhor negócio, o melhor investimento. Tais pessoas ao fazer todos os tipos de investimento, constroem um tesouro na Terra.
Outras pessoas preferem construir tesouros no céu. Optam pelo melhor investimento, embora muitos não concordam com isso, ou não sabem. Essas pessoas ajudam os pobres. Dando esmolas, ou contribuindo para que eles saiam da situação de miséria a que se encontram. Isto, porque às vezes, em vez de dar o peixe, é melhor a gente dar o anzol para o sujeito ir pescar.
Acabamos de comparar dois tesouros. Um que é deste mundo, que nos dá muito prazer, segurança, conforto, vida tranqüila, nos faz importantes e muito respeitados. Porém, é um tesouro que apesar das precauções, como o seguro, por exemplo, é muito vulnerável. Uma crise financeira, um grande desfalque, um roubo, um incêndio, são as traças que corroem o tesouro terreno. Além disso, este tesouro fica para os outros quando morremos. Não levamos nada para a outra vida, a qual, não se sabe ao certo para onde se vai, mesmo porque o tesouro material não nos garante a vida eterna. Pelo contrário, pode mesmo nos fazer perdê-la.
Já o outro tesouro acumulado no céu, apesar de não nos proporcionar grandes prazeres nesta vida, nos garante estar um dia desfrutando a vida eterna. É o tesouro que os ladrões não levam, é o tesouro que as crises financeiras e os incêndios não destroem.
Poderíamos idealizar um terceiro tesouro. Seria uma riqueza moderada, que dessem muitos empregos, e cujos empreendimentos seriam diretamente direcionados para promover os menos favorecidos ou os excluídos da sociedade. Uma maravilha de tesouro! Mas a grande pergunta, é: Quem toparia se aventurar neste tipo de investimento?  Que tal você?
Sal

2 - Se tu queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens, e terás um tesouro no céu – Claretianos

Primeira leitura: Juízes 2,11-19 - O Senhor mandou-lhes juízes; eles, porém, nem aos seus juízes quiseram ouvir.

Salmo responsorial: Salmo 105, 34-37.39-40.43ab e 44 (R. 4a) Lembrai-vos de nós ó Senhor, segundo o amor para com vosso povo.

Evangelho: Mateus 19, 16-22 - Se tu queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens, e terás um tesouro no céu.

Jesus quer instruir seus discípulos e o evangelista quer instruir a sua comunidade, sobre a atitude que devemos ter diante da pobreza e da riqueza. O diálogo inicial sobre o que devemos fazer para alcançar a salvação se move na lógica do que todos já sabem. Cumprir os mandamentos, algo que o jovem rico fez bastante bem.
Contudo, a pergunta chave é a que se encontra na metade do relato: Que posso fazer ainda? Jesus propõe o paradigma da perfeição, que acrescenta o cumprimento, os verbos “partilhar e seguir”. Podemos ser boas pessoas, cumprindo as normas básicas da religião ou da sociedade, porém, somente é verdadeiro cristão quem partilha com os pobres sua riqueza e com Jesus sua vida.
Pobreza e seguimento entram em conflito com a riqueza do jovem. Para tristeza de todos, triunfa a riqueza. O jovem não compreendeu que em Jesus e nos pobres estava seu grande tesouro e que por estes valem a pena deixar tudo. – São muitos os cristãos que nunca se perguntam “que nos falta fazer ainda?”, erroneamente convencidos de que o batismo e o cumprimento ritual são suficientes. – A propósito, o que nos resta por fazer ainda?

3 - “passaporte para a casa do Pai.” - Helena Serpa

Os mandamentos nos são dados para que tenhamos aqui uma vida feliz, entregues à providência de Deus. Ele nos deu a Sua Lei para que a cumpramos e possamos viver, desde já, o reino dos céus, a vida eterna. Por isso, Jesus é afirmativo e nos avisa: não chegaremos ao céu pelo que fizermos de bom, porque só Deus é Bom. Mas nos orienta: “Se tu queres entrar na vida, observa os mandamentos”. Portanto, os mandamentos são o caminho que nos levam a possuir a eternidade. A vida eterna começa aqui e, atingir a perfeição do céu, implica em desapegarmo-nos de tudo o quanto nos prende aqui na terra, projetos pessoais, vontade própria, ideias humanas, bens materiais e colocá-los à disposição de Deus em favor de alguém. Todas as nossas ações devem ter um motivo, uma razão de ser e um objetivo dentro do que Deus nos propõe. O jovem da parábola, cheio de tristeza, afastou-se de Jesus, porque era muito rico. Ele não percebeu que o apego à sua riqueza estava tirando dele o direito de perseguir a perfeição seguindo a Jesus. Que Jesus é o único que pode nos salvar, e com Ele, nós não precisaremos das riquezas aqui da terra, pois o nosso tesouro está guardado no céu, para onde caminhamos. Com efeito, crer em Jesus e seguir a Sua Lei é o passaporte que nos levará a uma vida plena na casa do Pai. – Você é uma pessoa apegada ao que você possui? – Você também fica triste com esta palavra de Jesus? – O que mais prende você aqui na terra? – Para você o que significa a vida eterna?
Helena Serpa
Fonte: Liturgia Diária Comentada2 em 19/08/2013

Liturgia comentada

Se queres ser perfeito... (Mt 19, 16-22)
Nos últimos tempos, mesmo em certos ambientes de nossa Igreja, quando se fala em “perfeição”, brotam sorrisos céticos, como se a simples ideia de perfeição fosse utopia fora de nosso alcance. Ou sintoma de orgulho espiritual. Como se fôssemos batráquios, incapazes de chegar às estrelas... Ora, se os filhos de Deus (fomos adotados no Batismo!) não fossem capazes de tender à perfeição, não viria do próprio Deus uma ordem como a que se lê na manhã do Antigo Testamento: “Sede santos, porque eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo”. (Lv 19, 2.) Nem ouviríamos de Jesus, já na luz plena do Novo Testamento: “Sede perfeitos, assim como vosso Pai celestial é perfeito”. (Mt 5, 48.)
Além do mais, a “perfeição” não resulta de práticas de ascetismo ou de algum atletismo espiritual. Santos não são heróis nem super-homens, mas pecadores que se deixaram transfigurar pelo amor de Deus. O amor nos aperfeiçoa. A mocinha mimada se casa: nascem os filhos e, no dia-a-dia, ela aprende a amar e a servir, colocando-se em último lugar tão somente porque ama os filhos. O amor aos filhos santifica as mães. O garotão narcisista se forma em medicina e vai trabalhar no asilo das velhinhas. Ali, leva um choque ao descobrir a velhice com suas cruzes terríveis. Seu coração se comove e o doutorzinho passa a dedicar-se àquelas vovozinhas de alma e coração. Pouco a pouco, sem o perceber, será santificado pelo carinhoso amor que foi brotando nele. O amor aos pacientes santifica os médicos.
Neste Evangelho, encontramos um jovem que cumpria os mandamentos. Todos os dez! E isto já era admirável. Ao manifestar desejo de seguir a Jesus, o Mestre leu seu coração e percebeu que, mesmo sem infringir a Lei, era apegado aos bens que possuía. Ora, sem liberdade não se pode amar. O apego à matéria constrange o coração do homem, sufoca-o de cuidados, cerca-o de temores, rouba-lhe a paz. E o Mestre a quem pretendia seguir nem mesmo um travesseiro possuía, onde pudesse descansar a cabeça. Livre como os pardais, palmilhava as estradas da Palestina a semear uma estranha sementeira de amor.
Daí a observação penetrante, que cortou o peito do jovem como lâmina afiada: “Uma coisa te falta...” Ele poderia ter pensado: “Uma coisa me falta? Mas tenho tudo. Nada me falta!” Faltava, porém... Faltava a liberdade que vem do desapego. A liberdade que torna possível um salto no escuro, um vôo cego no amor divino.
Somos livres para seguir a Jesus?
Orai sem cessar: “Fora de vós, Senhor, não há felicidade para mim!” (Sl 16 [15], 2)
Texto de  Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
Fonte: NS Rainha em 19/08/2013

HOMILIA DIÁRIA

O que devemos fazer para possuir o Reino do Céus?

O que nós devemos fazer para possuir o Reino do Céus? Três coisas precisamos observar.
A liturgia de hoje nos apresenta um jovem muito rico, que se confronta com Jesus e Lhe pergunta o que precisaria fazer para possuir a vida eterna. Jesus, hoje, aponta-nos o caminho que devemos percorrer para possuirmos a vida.
Esse caminho apontado para o jovem é direcionado também a mim e a você. O que nós devemos fazer para possuir o Reino do Céus? Três coisas precisamos observar. A primeira delas é “guardar os mandamentos da lei de Deus, observar os mandamentos da lei divina”.
Nós nem podemos pensar nos outros passos se não vivermos o primeiro. Você se recorda dos dez mandamentos? Amar a Deus sobre todas as coisas, não tomar seu santo nome em vão, não matar, não roubar, não pecar contra a castidade… Enfim, aqueles mandamentos que aprendemos desde criança, mas que deixamos de observar um ou outro.
A segunda coisa é “saber repartir”. “Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no céu” (Mt 19,21).
Às vezes, não precisa ser muito rico, pois todo mundo tem o que partilhar. Muitas vezes, são os mais pobres que partilham o pouco que têm; outros, retêm as coisas para si.
Discípulo de Jesus Cristo não pode ser acumulador de bens, discípulos de Jesus Cristo tem o dom e a graça da partilha. Nós entraremos no Reino dos Céus se soubermos observar os mandamentos de do Senhor, partilhar os bens que temos, sejam eles poucos ou muitos. Sobretudo, temos de cuidar dos pobres, dar atenção aos necessitados e não fazermos de nada um tesouro na Terra, porque nosso único tesouro está no Céu, e é ele que devemos guardar para sempre.
Não podemos nos apegar a nada que é da Terra, porque um tesouro maior, uma graça maior é reservada para nós no Céu.
Que hoje saibamos percorrer esses passos que nos conduzem para a eternidade feliz junto do Pai.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 19/08/2013

Oração Final
Pai Santo, que o nosso amor aos irmãos se manifeste em ajuda eficaz em suas dificuldades. Que sejamos cuidadosos com o próximo, generosos na partilha dos bens e talentos com que nos cumulaste, e agradecidos a Ti, Pai amado, sobretudo pelo Cristo Jesus, teu Filho que se fez um de nós e contigo reina na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 19/08/2013

ORAÇÃO FINAL
Pai Santo, o nosso amor aos irmãos deve se manifestar na forma de ajuda eficaz em suas dificuldades. Que sejamos cuidadosos com o próximo, generosos na partilha dos bens e talentos com que nos cumulaste, e agradecidos a Ti, amado Pai, sobretudo pelo Cristo Jesus, teu Filho que se fez um de nós e contigo reina na unidade do Espírito Santo.

LITURGIA DIÁRIA - 19/08/2019


Tema do dia

SEJAMOS CUIDADOSOS COM O PRÓXIMO E GENEROSOS NA PARTILHA

Desaparecidos os Patriarcas, o povo se esquece do Senhor e passa a adorar os ídolos dos povos vizinhos. O Senhor envia, então, Juízes para reconduzi-los à Lei de Moisés. Mas a fidelidade durava pouco: tão logo morria um Juiz, o povo voltava à idolatria.

Oração para antes de ler a Bíblia


Meu Senhor e meu Pai! Envia teu Santo Espírito para que eu compreenda e acolha tua Santa Palavra! Que eu te conheça e te faça conhecer, te ame e te faça amar, te sirva e te faça servir, te louve e te faça louvar por todas as criaturas. Fazei, ó Pai, que pela leitura da Palavra os pecadores se convertam, os justos perseverem na graça e todos consigamos a vida eterna. Amém.

2ª-feira da 20ª Semana Tempo Comum
Cor: Verde


Primeira Leitura (Jz 2,11-19)
20ª Semana do Tempo Comum - Segunda-feira – 19/08/2019

Leitura do Livro dos Juízes.

Naqueles dias, 11os filhos de Israel fizeram o que desagrada ao Senhor, servindo a deuses cananeus. 12Abandonaram o Senhor, o Deus de seus pais, que os havia tirado do Egito, e seguiram outros deuses dos povos que em torno deles habitavam, e os adoraram, provocando assim a ira do Senhor. 13Afastaram-se do Senhor, para servir a Baal e a Astarte. 14Por isso acendeu-se contra Israel a ira do Senhor, que os entregou nas mãos dos salteadores que os saqueavam, e os vendeu aos inimigos que habitavam nas redondezas. E eles não puderam resistir aos seus adversários. 15Em tudo o que desejassem empreender, a mão do Senhor estava contra eles para sua desgraça, como lhes havia dito e jurado. A sua aflição era extrema.
16Então o Senhor mandou-lhes juízes, que os livrassem das mãos dos saqueadores. 17Eles, porém, nem aos seus juízes quiseram ouvir, e continuavam a prostituir-se com outros deuses, adorando-os. Depressa se afastaram do caminho seguido por seus pais, que haviam obedecido aos mandamentos do Senhor; não procederam como eles.
18Sempre que o Senhor lhes mandava juízes, o Senhor estava com o juiz, e os livrava das mãos dos inimigos enquanto o juiz vivia, porque o Senhor se deixava comover pelos gemidos dos aflitos. 19Mas, quando o juiz morria, voltavam a cair e portavam-se pior que seus pais, seguindo outros deuses, servindo-os e adorando-os. Não desistiram de suas obras perversas nem da sua conduta obstinada.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Responsório (Sl 105,34-44)
20ª Semana do Tempo Comum - Segunda-feira – 19/08/2019

— Lembrai-vos de nós ó Senhor, segundo o amor para com vosso povo!
— Lembrai-vos de nós ó Senhor, segundo o amor para com vosso povo!

— Não quiseram suprimir aqueles povos, que o Senhor tinha mandado exterminar; misturaram-se, então, com os pagãos, e aprenderam seus costumes depravados.
— Aos ídolos pagãos prestaram culto, que se tornaram armadilha para eles; pois imolaram até mesmo os próprios filhos, sacrificaram suas filhas aos demônios.
— Contaminaram-se com suas próprias obras, prostituíram-se em crimes incontáveis. Acendeu-se a ira de Deus contra o seu povo e o Senhor abominou a sua herança.
— Quantas vezes o Senhor os libertou! Eles, porém, por malvadez o provocavam, mas o Senhor tinha piedade do seu povo, quando ouvia o seu grito na aflição.


Evangelho (c)
20ª Semana do Tempo Comum - Segunda-feira – 19/08/2019


Um só é bom

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 16alguém aproximou-se de Jesus e disse: “Mestre, que devo fazer de bom para possuir a vida eterna?” 17Jesus respondeu: “Por que me perguntas sobre o que é bom? Um só é o Bom. Se queres entrar na vida, observa os mandamentos”. 18O homem perguntou: “Quais mandamentos?” Jesus respondeu: “Não matarás, não cometerás adultério, não roubarás, não levantarás falso testemunho, 19honra teu pai e tua mãe, e ama teu próximo como a ti mesmo”.
20O jovem disse a Jesus: “Tenho observado todas essas coisas. Que ainda me falta?” 21Jesus respondeu: “Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me”. 22Quando ouviu isso, o jovem foi embora cheio de tristeza, porque era muito rico.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.


Oração para depois de ler a Bíblia


Dou-Te graças, meu Deus, pelos bons propósitos, afetos e inspirações que me comunicastes nesta meditação; peço-Te ajuda para colocá-los em prática. Minha Mãe Imaculada, meu protetor São José e Anjo da minha guarda, intercedem todos por mim. Amém.