segunda-feira, 14 de agosto de 2017

BOM DIA! BOA TARDE! BOA NOITE! Oração da noite, Oração da manhã e Oração do entardecer - Deus te abençoe!



Oração da Noite

Boa noite Pai.
Termina o dia e a ti entrego meu cansaço.
Obrigado por tudo e… perdão!!
Obrigado pela esperança que hoje animou meus passos, pela alegria que vi no rosto das crianças;
Obrigado pelo exemplo que recebi daquele meu irmão;
Obrigado também por isso que me fez sofrer…
Obrigado porque naquele momento de desânimo lembrei que tu és meu Pai; Obrigado pela luz, pela noite, pela brisa, pela comida, pelo meu desejo de superação…
Obrigado, Pai, porque me deste uma Mãe!
Perdão, também, Senhor!
Perdão por meu rosto carrancudo; Perdão porque não me lembrei que não sou filho único, mas irmão de muitos; Perdão, Pai, pela falta de colaboração e serviço e porque não evitei aquela lágrima, aquele desgosto; Perdão por ter guardado para mim tua mensagem de amor;
Perdão por não ter sabido hoje entregar-me e dizer: “sim”, como Maria.
Perdão por aqueles que deviam pedir-te perdão e não se decidem.
Perdoa-me, Pai, e abençoa os meus propósitos para o dia de amanhã, que ao despertar, me invada novo entusiasmo; que o dia de amanhã seja um ininterrupto “sim” vivido conscientemente.
Amém!!!

Oração da manhã

Bom-dia, Senhor Deus e Pai!
A ti, a nossa gratidão pela vida que desperta, pelo calor que
cria vida, pela luz que abre nossos olhos.
Nós te agradecemos por tudo que forma nossa vida, pela terra, pela água, pelo ar, pelas pessoas. Inspira-nos com teu Espírito Santo os pensamentos que vamos alimentar,as palavras que vamos dizer, os gestos que vamos dirigir,a comunicação que vamos realizar.
Abençoa as pessoas que nós encontramos, os alimentos que vamos ingerir.
Abençoa os passos que nós dermos, o trabalho que devemos fazer.
Abençoa, Senhor, as decisões que vamos tomar, a esperança que vamos promover,a paz que vamos semear,a fé que vamos viver, o amor que vamos partilhar.
Ajuda-nos, Senhor, a não fugir diante das dificuldades, mas a abraçar amor as pequenas cruzes deste dia.
Queremos estar contigo, Senhor, no início, durante e no fim deste dia.
Amém.

Oração do entardecer

Ó Deus!
Cai à tarde, a noite se aproxima.
Há neste instante, um chamado à elevação, à paz, à reflexão.
O dia passa e carregam os meus cuidados.
Quem fez, fez.
Também a minha existência material é um dia que se passa,
uma plantação que se faz, um caminho para algo superior.
Como fizeste a manhã, à tarde e a noite, com seus encantos,
fizeste também a mim, com os meus significados, meus resultados.
Aproxima de mim, Pai, a Tua paz para que usufrua desta
hora e tome seguras decisões para amanhã.
Que se ponha o sol no horizonte, mas que nasça
em mim o sol da renovação e da paz para sempre.
Obrigado, Deus, muito obrigado!
Amém!

Assunção de Nossa Senhora - 15 de Agosto





Assunção de Nossa Senhora - Mãe de Deus

Deus lhe concedeu como a Virgem antes do parto, no parto e depois do parto, como a Mãe de Deus
Hoje, solenemente, celebramos o fato ocorrido na vida de Maria de Nazaré, proclamado como dogma de fé, ou seja, uma verdade doutrinal, pois tem tudo a ver com o mistério da nossa salvação. Assim definiu pelo Papa Pio XII em 1950 através da Constituição Apostólica Munificentissimus Deus: “A Imaculada Mãe de Deus, a sempre Virgem Maria, terminado o curso da vida terrestre foi assunta em corpo e alma à glória celestial.”

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 15/08/2017

ANO A


Mt 18,1-5.10.12-14

Comentário do Evangelho

O maior é o menor, aquele que serve.

O discurso eclesiológico, ou sobre a Igreja, é orientação de Jesus aos discípulos que visa dar, em primeiro lugar, ante o judaísmo, os traços característicos da comunidade cristã. Essas orientações, contudo, não se encerram num momento histórico específico, ao contrário, são exigências para a Igreja de todos os tempos. A pergunta dos discípulos a Jesus revelam as disputas internas à comunidade cristã. A resposta de Jesus poderia ser compreendida nesses termos: o maior é o menor, aquele que serve. O serviço é um traço característico do discípulo e da comunidade cristã. Mas para que seja um modo de vida, é preciso conversão, mudança radical de mentalidade. A “criança”, aqui, é símbolo do próprio Cristo que se fez servo de todos e que, sendo de condição divina, assumiu plenamente a nossa humanidade (Fl 2,6-7a). Os “pequenos” são os que se sentem desprezados (v. 10) e que são tentados a abandonar a fé. Por eles é exigida da comunidade cristã uma atenção especial para que ninguém se perca, a exemplo do pastor que incansavelmente vai atrás da ovelha perdida, até encontrá-la. Na vida cristã, a ideologia do “cada um por si” não pode ocupar espaço nem mover qualquer decisão. Na Igreja, cada membro é importante e deve ser tratado com o mesmo cuidado com que Deus mesmo cuida de cada um de nós.
Carlos Alberto Contieri, sj
Oração
Pai, poupa-me de cair na tentação de querer fazer-me grande aos olhos do mundo, pois a verdadeira grandeza consiste em fazer-me amigo e servidor do meu próximo.
Fonte: Paulinas em 12/08/2014

Comentário do Evangelho

Convívio comunitário e social

Mateus, no capítulo dezoito de seu evangelho, apresenta um conjunto de textos que orientam os discípulos para assumirem disposições e práticas de bom convívio comunitário e eclesial. O conjunto é introduzido pelo debate dos discípulos sobre quem seria o maior. Removendo a ideologia de poder que os inspira, Jesus apresenta-lhes o modelo a ser seguido: uma criança. Marginalizada e frágil, com um mundo novo pela frente, cheia de alegria e esperança, a criança exprime a condição a ser assumida pelos discípulos. A parábola da ovelha perdida e reencontrada é a expressão da missão de Jesus, enviado do Pai, em acolher e restaurar o convívio comunitário e social daqueles excluídos e considerados marginais e pecadores pelo sistema religioso e social.
José Raimundo Oliva
Oração
Pai, poupa-me de cair na tentação de querer fazer-me grande aos olhos do mundo, pois a verdadeira grandeza consiste em fazer-me amigo e servidor do meu próximo.
Fonte: Paulinas em 14/08/2012

Vivendo a Palavra

A nossa conversão deve ser no sentido de nos tornarmos simples como crianças. O mundo nos tenta, seduzindo-nos com promessas de muita cultura, títulos de doutores – quem sabe, de teólogos? Mas Jesus insiste: vivamos a alegria dos pequenos, dos que são capazes de confiar no Pai Misericordioso.
Fonte: Arquidiocese BH em 12/08/2014

Vivendo a Palavra

Jesus escandaliza seu povo valorizando crianças, naquele tempo consideradas desprezíveis – como mulheres, doentes, publicanos e muitos outros. Nossa sociedade continua rotulando, discriminando, desprezando gente. Seguir Jesus é ver em cada ser humano um irmão, pois todos somos filhos do mesmo Pai.
Fonte: Arquidiocese BH em 14/08/2012

VIVENDO A PALAVRA

Jesus ensina o cuidado com os pequeninos. Na cultura do seu tempo, era uma grande novidade. A criança era desprezada – como a mulher, os doentes, os cobradores de impostos e tantos outros… Pensando no nosso tempo: quais são, hoje, os excluídos? A minha atitude para com eles lembra a de Jesus com as crianças?

Reflexão

A nossa vida é constantemente condicionada pelos valores e costumes da sociedade e nós temos a tendência de querer levar os valores do mundo para a Igreja e até mesmo para o Reino de Deus. Entre esses valores do mundo que nos influenciam, podemos citar a hierarquização e a competitividade no dia a dia, que fazem com que haja sempre entre nós um clima de disputa e de busca de superioridade em relação às outras pessoas. É esse clima o principal responsável por muitos mal estares na vida da comunidade. São os valores evangélicos que devem transformar o mundo e não os valores do mundo que devem transformar a Igreja.
Fonte: CNBB em 12/08/2014

Recadinho

Você busca ser simples como as crianças? - Respeita-as? - Dá-se conta de que nelas está o futuro da sociedade? - Você consegue viver sem mágoas e sem rancores? - Conhece algum adulto que vive realmente a simplicidade da vida como uma criança?
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R
Fonte: a12 - Santuário Nacional em 12/08/2014

Meditando o evangelho

FAZER-SE PEQUENO

A mania de grandeza dos discípulos foi fortemente censurada por Jesus. Cada qual se preocupava em saber quem dentre eles seria o maior no Reino dos Céus. Esse interesse nada tinha nada de espiritual. Era preocupação com promoção pessoal, com ocupar cargos importantes no Reino a ser inaugurado por Jesus.
O Mestre, porém, propôs-lhes uma condição para ser maior no Reino dos Céus: fazer-se pequeno como as criancinhas. Era a exigência de renunciar a toda ambição pessoal e a todo desejo de colocar-se acima dos demais para oprimi-los. Era preciso que se tornassem "pobre em espírito", confiados totalmente em Deus, e não nos bens deste mundo. Era uma forma de "renegar-se a si mesmo", colocando a vontade de Deus acima de tudo.
Os discípulos deviam dar-se conta de que os valores do Reino são opostos aos do mundo. Seria inútil ansiar pelas grandezas terrenas. A grandeza do Reino consiste no serviço humilde e gratuito ao semelhante, na solidariedade para com os pobres e marginalizados, na partilha com os desprovidos dos bens deste mundo, no esforço para construir um mundo fraterno e reconciliado.
Engana-se quem, pretendendo fazer-se grande para Deus, envereda por um caminho diferente daquele trilhado por Jesus ao implantar o Reino dos Céus na História.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Pai, poupa-me de cair na tentação de querer fazer-me grande aos olhos do mundo, pois a verdadeira grandeza consiste em fazer-me amigo e servidor do meu próximo.

HOMÍLIA

SENHOR LIVRA-ME DA TENTAÇÃO DE QUER SER GRANDE

Quem é o mais importante no Reino do Céu? Ante a pergunta do discípulo, em três partes Jesus dividi o seu discurso. Primeira: Desmonta as grandezas dos pensamentos dos seus discípulos. Pois o Reino não é para aqueles que se fazem grandes mas sim os pequeninos. Depois Ele ameaça a quem fizer qualquer mal a um pequenino. E, por fim, fala como Deus se agrada de reaver um pequenino que estava perdido. Isso leva os discípulos de uma posição de superiores, para uma posição de igualdade aos pequeninos. Ao invés de valorizarem o poder, a vaidade, são levados a se colocarem à disposição. E Jesus faz tudo isso porque percebe a grande vontade deles em participar do Reino dos Céus!
O Evangelho conclui falando ainda que Deus se agrada mais de um pequenino que é resgatado, do que de 99 que não precisaram ser resgatados. Eis uma boa pista para quem quer agradar a Deus e garantir um bom lugar no Reino dos Céus. Ir ao encontro do irmão, da irmã, do filho, da filha, do marido ou esposa que qual ovelha perdida anda longe do rebanho e até mesmo fora de si mesmo.
Jesus dividiu o seu discurso em três partes bem claras. Primeiramente Ele tira a vontade dos discípulos serem grandes. A razão é simples. É que o Reino dos Céus é daqueles que se fazem pequeninos. Assim, todo o atentado contra eles não se deixará impune, ao ofensor. E, por fim, Deus manifesta a grande alegria que sente ao reencontrar um pequenino que estava perdido, um filho que estava morto e que agora ressuscitou, vive. Esta mensagem é para mim e para ti que somos os discípulos de hoje. Temos de nos mover dos conceitos que formamos sobre nós mesmos criados pelas posições que ocupamos dentro da igreja, que muitas vezes nos leva a nos considerarmos os melhores de todos e por isso merecedores de um lugar de destaque e consequentemente superiores, para uma posição de igualdade aos pequeninos. Ao invés de valorizaremos o poder, a vaidade, Jesus nos leva a nos colocaremos à disposição como servidores dos outros. É preciso que por exemplo eu que tomei como meu lema sacerdotal “ em tudo servir para a maior glória de Deus”, realmente me dobre e com a toalha à cintura lave os pés aos homens e mulheres despidos de sua dignidade. Jesus nos dirige estas palavras, porque percebe a grande vontade dos discípulos e hoje nossa em participar do Reino dos Céus!
Portanto, a lição prática que podemos levar conosco para a nossa vida hoje e sempre:
1) A humildade e simplicidade, ingenuidade no pecado e pureza do coração representados pela criança símbolo dos órfãos, excluídos, pobres e parginalizados pela sociedade; 2) A acolhida que se deve dar a estes excluídos condenados à comer o pão que o diabo amassou ou seja acolhida aos pequeninos; 3) E por último não só acolher, mas e, sobretudo, sair em busca dos pequeninos que se perderam, e resgatá-los.
Pai poupa-me de cair na tentação de querer fazer-me grande aos olhos do mundo, pois a verdadeira grandeza consiste em fazer-me amigo e servidor do meu próximo.
Padre Bantu Mendonça Katchipwi Sayla
Fonte: Liturgia da Palavra em 12/08/2014

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

1. QUE NINGUÉM SE PERCA
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total a cada mês).

A severidade e o desprezo dos líderes da comunidade em relação àqueles que davam os primeiros passos na vida de fé foram seriamente censurados por Jesus. Não era possível exigir deles uma maturidade própria de quem já havia feito uma longa caminhada. Os pequeninos deveriam ser tratados de maneira muito especial, com paciência e benignidade. Só assim sua fé haveria de se consolidar e se tornariam capazes de dar um testemunho autêntico de sua condição de discípulos.
O carinho dos líderes pelos pequeninos não se parecia, por nada, com o amor do Pai para com eles. A parábola da ovelhinha desgarrada serviu de motivo para a compreensão deste amor paterno. Vale a pena deixar noventa e nove ovelhas, que estão em segurança, para ir em busca de uma que se desviou. O desinteresse pela ovelha desgarrada não tem justificativa. O pastor está em relação pessoal com cada ovelha. Por isso, não pode contentar-se com a perda de nenhuma delas. Para ele, o rebanho não é questão de número. As ovelhas são consideradas na sua individualidade. E a perda de uma só delas é motivo de dor.
O mesmo se passa com o Pai. Ele não considera a comunidade de discípulos sob o aspecto numérico. Cada um deles, por menor que seja, é objeto de um carinho especial. Portanto, os líderes da comunidade não têm o direito de desprezá-los.
Oração
Senhor Jesus, que eu jamais perca de vista o desejo do Pai em relação aos pequeninos, de forma a me tornar um incansável defensor deles.
Fonte: NPD Brasil em 14/08/2012

HOMILIA DIÁRIA

Sejamos maduros, mas não percamos o coração de criança

Sejamos muito maduros, crescidos, amadurecidos com a vida, mas não percamos esse coração puro de uma criança, porque quanto mais desprovido e necessitado for o nosso coração do amor divino, tanto mais Deus cuidará de nós.
“Em verdade vos digo, se não vos converterdes, e não vos tornardes como crianças, não entrareis no Reino dos Céus” (Mateus 18, 3).
A mensagem de Jesus para o nosso coração no dia de hoje é um apelo para que voltemos a ser crianças, mas não no sentido cronológico do tempo. Voltar a ser criança e ter um coração de criança é abraçar novamente a pureza, abraçar novamente aquela criança que tem carência de afeto, de saber, de conhecer e de cuidado.
Vemos que é mais fácil cuidar do filho quando criança do que quando este se torna um rapagão, uma moça, porque nessa fase age conforme a sua cabeça e seus pensamentos. Com a criança isso não ocorre, pois ela precisa de tudo, necessita saber tudo, ela necessita de atenção e de cuidado.
Assim como para alguns pais é mais fácil cuidar de uma criança, porque esta [criança] obedece muito mais, Deus pode cuidar muito mais de nós se tivermos o coração como o de uma criança, que necessita aprender, pois Ele nos ensina. Ao passo que, quando já sabemos tudo e nos comportamos como os grandes sábios, o que Deus pode nos ensinar? O que Ele pode fazer por nós se já somos grandes, autossuficientes, se já podemos tudo? Desse modo como o Senhor pode nos pegar pela mão, nos pegar pelos braços e cuidar de nós?
Criança é sinônimo de humildade e humildade é caminho de salvação. Quando sabemos ser humildes, Deus pode fazer muito por nós. Ser adulto, muitas vezes, é sinônimo de orgulho, de autossuficiência, do “eu posso”. Sejamos muito maduros, crescidos, amadurecidos com a vida, mas não percamos esse coração puro de criança, porque quanto mais desprovido e necessitado for o nosso coração do amor divino, tanto mais Deus cuidará de nós. Quanto menos rebeldes nós formos, tanto mais Deus poderá fazer por nós.
É difícil conversar com um adulto cabeça-dura, é difícil fazê-lo entender, compreender, dialogar com ele, porque ele acha que já sabe de tudo, já tem sua opinião formada e não está aberto para o novo. Ao passo que a criança está sempre descobrindo as novidades do mundo e os horizontes à sua frente. Por isso é gostoso as ensinar, é gostoso entrar no mundo delas; as crianças nos remetem à pureza original. Quanto mais criança for, tanto mais pura é a criatura; quanto mais a nossa alma se aproximar de uma criança frágil, de um bebê ainda no colo da mãe, todo necessitado de afeto, de carinho, totalmente puro, mais a nossa alma se aproximará de Deus.
É por isso que o maior no Reino dos Céus é quem mais se parece com as crianças. Quanto mais tivermos o coração de criança, tanto maiores ficaremos diante de Deus. Por outro lado, quanto mais o orgulho do adulto tomar conta de nós tanto mais vamos nos tornando menores, correndo o risco de desaparecer para o Reino de Deus.
Que nós cresçamos no coração de Deus, que nós possamos diminuir para o mundo e para nós mesmos para sermos grandes aos olhos do Senhor!
Que Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 12/08/2014

HOMÍLIA DIÁRIA

Quem é o mais importante no Reino dos Céus?

Postado por: homilia
agosto 14th, 2012

“Quem é o mais importante no Reino dos Céus?” Mateus não chega a dizer qual dos discípulos fez a pergunta, mas a verdade é que Jesus, de tanto falar bem do Reino dos Céus, fez com que todos os discípulos fizessem de tudo para entrar nele, e com o maior destaque possível!
Ante a pergunta do discípulo, Jesus divide o Seu discurso em três partes. Primeiro, Cristo desmonta a grandeza dos pensamentos dos Seus discípulos, pois o Reino não é para aqueles que se fazem grandes, mas sim para os pequeninos. Depois, Ele ameaça a quem fizer qualquer mal a um desses pequeninos. Por fim, fala como Deus se agrada de reaver um pequenino que estava perdido.
Isso leva os discípulos de uma posição superior a uma posição de igualdade com os pequenos. Em vez de valorizar o poder e a vaidade, eles são levados a se colocarem à disposição. Jesus faz tudo isso, porque percebe a grande vontade deles em participar do Reino dos Céus.
O Evangelho conclui que Deus se agrada mais com um pequenino resgatado do que com noventa e nove que não precisaram ser resgatados. Eis aí uma boa pista para quem quer agradar a Deus e garantir um bom lugar em Seu Reino: ir ao encontro do irmão, da irmã, do filho, da filha, do marido ou esposa – os quais, como ovelhas perdidas, andam longe do rebanho e até mesmo fora de si mesmo.
Eis, portanto, as lições práticas que podemos levar conosco para a nossa vida hoje e sempre:
1ª) Humildade e simplicidade, ingenuidade no pecado e pureza do coração, representados pela criança, a qual é símbolo dos órfãos, excluídos, pobres e marginalizados pela sociedade;
2ª) A acolhida que se deve dar a estes excluídos condenados a comer “o pão que o diabo amassou”, ou seja, a acolhida dos pequeninos;
3ª) Por último, não só acolher, mas – e sobretudo! – sair em busca daqueles que se perderam e resgatá-los.
Isso é deixar as noventa e nove ovelhas e ir ao encontro de uma única que se perdeu. Esta ovelha, um dia, foi você. Ovelha encontrada por Jesus e que, agora, Ele consagra para ser discípulo e missionário d’Ele com uma vocação específica.
Padre Bantu Mendonça
Fonte: Canção Nova em 14/08/2012

ORAÇÃO FINAL
Pai Santo, que o teu Espírito nos faça entender que cada um dos nossos irmãos, por menor que pareça, deve ser, para nós, objeto de cuidado e carinho, como aquela ovelhinha perdida da parábola. Que o nosso amor seja inclusivo, como é o Amor do Cristo Jesus, teu Filho que se fez nosso Irmão e contigo reina na unidade do Espírito Santo.

LITURGIA DIÁRIA - 15/08/2017


Tema do dia

QUEM É O MAIOR NO REINO DO CÉU?

O Deuteronômio vai chegando ao fim. Na leitura de hoje Moisés entrega a Josué a responsabilidade de conduzir o Povo na conquista final da Terra Prometida, pedindo-lhe que seja forte e corajoso, pois o Senhor irá à sua frente e jamais o abandonará.
http://arquidiocesebh.org.br/para-sua-fe/espiritualidade/meu-dia-em-oracao/quem-e-o-maior-no-reino-do-ceu/

Oração para antes de ler a Bíblia


Meu Senhor e meu Pai! Envia teu Santo Espírito para que eu compreenda e acolha tua Santa Palavra! Que eu te conheça e te faça conhecer, te ame e te faça amar, te sirva e te faça servir, te louve e te faça louvar por todas as criaturas. Fazei, ó Pai, que pela leitura da Palavra os pecadores se convertam, os justos perseverem na graça e todos consigamos a vida eterna. Amém.

3ª-feira da 19ª Semana do Tempo Comum
Cor: Verde

Foto com animação

Primeira Leitura (Dt 31,1-8)
19ª Semana do Tempo Comum - Terça-feira 15/08/2017

Leitura do Livro do Deuteronômio.

1Moisés dirigiu-se a todo Israel com as seguintes palavras: 2“Tenho hoje cento e vinte anos e já não posso deslocar-me. Além do mais, o Senhor me disse: ‘Não atravessarás este rio Jordão’. 3É o Senhor teu Deus que irá à tua frente; ele mesmo, à tua vista, destruirá todas essas nações, para que ocupes suas terras. Josué passará adiante de ti, como disse o Senhor.
4E o Senhor fará com esses povos o que fez com Seon e Og, reis dos amorreus, e com suas terras, que ele destruiu. 5Quando, pois, o Senhor os entregar a vós, fareis com eles exatamente o que vos ordenei. 6Sede fortes e valentes; não vos intimideis nem tenhais medo deles, pois o Senhor teu Deus é ele mesmo o teu guia, e não te deixará nem te abandonará”.
7Depois Moisés chamou Josué e, diante de todo Israel, lhe disse: “Sê forte e corajoso, pois és tu que introduzirás este povo na terra que o Senhor sob juramento prometeu dar a seus pais, e és tu que lhe darás a posse dela. 8O Senhor que é o teu guia, marchará à tua frente, estará contigo e não te deixará nem te abandonará. Por isso, não temas nem te acovardes”.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Foto com animação

Responsório (Dt 32,3-12)
19ª Semana do Tempo Comum - Terça-feira 15/08/2017

— A porção do Senhor é o seu povo.
— A porção do Senhor é o seu povo.

— O nome do Senhor vou invocar; vinde todos e dai glória a nosso Deus! Ele é a Rocha: suas obras são perfeitas.
— Recorda-te dos dias do passado e relembra as antigas gerações; pergunta, e teu pai te contará; interroga, e teus avós te ensinarão.
— Quando o Altíssimo os povos dividiu e pela terra espalhou os filhos de Adão, as fronteiras das nações ele marcou de acordo com o número de seus filhos;
— Mas a parte do Senhor foi o seu povo, e Jacó foi a porção de sua herança. O Senhor, somente ele, foi seu guia, e jamais um outro deus com ele estava.

Foto com animação

Evangelho (Mt 18,1-5.10.12-14)
19ª Semana do Tempo Comum - Terça-feira 15/08/2017


Quem é o maior no Reino dos Céus?

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram: “Quem é o maior no Reino dos Céus?” 2Jesus chamou uma criança, colocou-a no meio deles 3e disse: “Em verdade vos digo, se não vos converterdes, e não vos tornardes como crianças, não entrareis no Reino dos Céus. 4Quem se faz pequeno como esta criança, este é o maior no Reino dos Céus. 5E quem recebe em meu nome uma criança como esta é a mim que recebe.
10Não desprezeis nenhum desses pequeninos, pois eu vos digo que os seus anjos nos céus veem sem cessar a face do meu Pai que está nos céus. 12Que vos parece? Se um homem tem cem ovelhas, e uma delas se perde, não deixa ele as noventa e nove nas montanhas, para procurar aquela que se perdeu? 13Em verdade vos digo, se ele a encontrar, ficará mais feliz com ela, do que com as noventa e nove que não se perderam. 14Do mesmo modo, o Pai que está nos céus não deseja que se perca nenhum desses pequeninos”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Foto com animação

Oração para depois de ler a Bíblia


Dou-Te graças, meu Deus, pelos bons propósitos, afetos e inspirações que me comunicastes nesta meditação; peço-Te ajuda para colocá-los em prática. Minha Mãe Imaculada, meu protetor São José e Anjo da minha guarda, intercedeis todos por mim. Amém.

TERÇOS – VÍDEOS


Acesse:

1  Terço da Divina Providência - http://youtu.be/5mzUbLl_P48

2 - Terço de Cura e Libertação  http://youtu.be/TWmZ47JoC0I

3  Terço da FÉ  http://youtu.be/-I1tuBSDtkU

4 - Terço do Espírito Santo - http://youtu.be/BJqMkwQsOeQ

5 - Terço da Libertação Cantado - http://youtu.be/9ofE4VoEZPU

6 - Terço da Sagrada Face de Nosso Senhor Jesus Cristo - http://youtu.be/dr_BtsQtRvo

7 - Terço de São Bento - http://youtu.be/p-iD6TySLmY

8 - TERÇO DE CURA E LIBERTAÇÃO (PADRE JOÃOZINHO)  http://youtu.be/hUuaQk1ydWw