sábado, 30 de junho de 2012

Terço - Mistérios Gloriosos - Quarta-Feira e Domingo


Terço do Rosário: Mistérios Gloriosos  


Solenidade do Sagrado Coração de Jesus - 1 de julho

Doce Coração de Jesus que 
tanto nos amais, 
fazei que vos amemos
 cada vez mais


Jesus apareceu numerosas vezes a Santa Margarida Maria Alacoque, de 1673 até 1675, para falar sobre a devoção ao seu Sagrado Coração, a "grande devoção". A Igreja instituiu a solenidade do Sagrado Coração de Jesus que é celebrada pela Igreja na sexta-feira seguinte ao segundo domingo depois de Pentecostes. Há diversas formas de devoção ao Coração de Jesus. Entre elas: a consagração pessoal, que, segundo Pio XI, "entre todas as práticas do culto ao Sagrado Coração é sem dúvida a principal"; e também, a consagração da família. 
Dos colóquios de Santa Margarida com Jesus, distinguem-se 12 promessas. São elas: 

Santo Oliver Plunkett - 1 de julho

Santo Oliver Plunkett
1625-1681


Oliver Plunkett, irlandês, nasceu no ano de 1625, em Loughcrew, numa família de nobres. Ele queria ser padre, mas para realizar sua vocação estudou particularmente e na clandestinidade. Devido à perseguição religiosa empreendida contra os católicos, seus pais o enviaram para completar o seminário em Roma, onde recebeu a ordenação em 1654. 
A ilha irlandesa pertence à Coroa inglesa e possuía maioria católica. Mas como havia rompido com a Igreja de Roma, o exército real inglês, liderado por Cromwel, assumiu o poder para conseguir a unificação política da Inglaterra, Escócia e Irlanda. Obcecado pelo projeto, mandara até mesmo assassinar o rei Carlos I. E na Irlanda não fez por menos, todos os religiosos, sem exceção, foram mortos, além de leigos, militares e políticos; enfim, todos os que fossem católicos. Por isso o então padre Plunkett ficou em Roma exercendo o ministério como professor de teologia. 

São Galo - 1 de julho



São Galo
489-554


Filho de pais nobres e ricos, descendente de família tradicional da corte da França, Galo nasceu no ano 489, na cidade de Clermont, na diocese de Auvergne. Foi tio e professor de outro santo da Igreja, o bispo Gregório de Tours. 

Na sua época era costume os pais combinarem os matrimônios dos filhos. Por isso ele estava predestinado a casar-se com uma jovem donzela de nobre estirpe. 
Mas Galo, desde criança, já havia dedicado sua alma à vida espiritual. Para não ter de obedecer à tradição social, ele fugiu de casa, refugiando-se no convento de Cournou, daquela mesma diocese.

São Pedro e São Paulo - 1 de julho

Duas "colunas da Igreja": São Paulo e São Pedro


A solenidade de São Pedro e São Paulo (29 de junho), quando cai em dia de semana, é comemorada no Brasil, no domingo seguinte, como foi determinado na VII Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Portanto, na Liturgia, a celebração deste ano, acontece hoje, dia 1o. de julho. 
A solenidade de são Pedro e de são Paulo é uma das mais antigas da Igreja, sendo anterior até mesmo à comemoração do Natal. Já no século IV havia a tradição de, neste dia, celebrar três missas: a primeira na basílica de São Pedro, no Vaticano; a segunda na basílica de São Paulo Fora dos Muros e a terceira nas catacumbas de São Sebastião, onde as relíquias dos apóstolos ficaram escondidas para fugir da profanação nos tempos difíceis. 

Santo Aarão - 1 de Julho


Santo AarãoPertence aos santos do Antigo Testamento. O santo de hoje era irmão de sangue de Moisés.

Seu testemunho está nas Sagradas Escrituras no Pentateuco, no Salmo 98 e no livro do Eclesiástico.

“Exaltou também a Aarão, santo como ele, seu irmão, da tribo de Levi. Confirmou para ele uma aliança eterna, deu-lhe o sacerdócio do seu povo, encheu-o de felicidade e de glória. Moisés consagrou-lhe as mãos e o ungiu com o óleo santo. Foi-lhe, pois, concedido por aliança eterna, a ele e à sua descendência, enquanto durar o céu: servir ao Senhor e exercer o sacerdócio, e abençoar o povo em seu nome.” (Eclo 45,7-8.18-19)

Solenidade de São Pedro e São Paulo (Ano B)

sao_pedro_e_sao_paulo

Solenidade de São Pedro e São Paulo (Ano B)

Leituras e subsídios para liturgia e homilia:

HOMÍLIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 01/07/2012

1 de Julho de 2012 


Mateus 16,13-19

Comentário do Evangelho

"Tu és o Filho de Deus vivo"

Os três evangelhos sinóticos, Marcos, Mateus e Lucas, narram esta controvertida passagem da "confissão de Pedro", cada um deles imprimindo suas interpretações teológicas pessoais a suas narrativas. Nos evangelhos de Marcos e Lucas, a resposta de Pedro à pergunta de Jesus sobre sua identidade é breve: "Tu és o Cristo (messias)", e merece a repreensão de Jesus. Pedro e os demais discípulos acreditavam que Jesus seria o messias político esperado, que daria ao povo judeu a glória e o poder sobre as demais nações, como um novo Davi, conforme a imagem elaborada pela tradição do Primeiro Testamento. Jesus censura Pedro por esta compreensão e procura demovê-la da mente dos discípulos. 
Mateus modifica a narrativa original de Marcos e também adotada por Lucas. Ele dá um novo sentido à resposta de Pedro, à qual acrescenta a proclamação "Filho de Deus vivo". Segue-se a fala de Jesus confirmando a profissão de seu messianismo celeste, ao elogiar a fala de Pedro, declarando-a como revelação divina. Com o acento sobre o caráter messiânico cristológico de Jesus, Mateus dá uma resposta às suas comunidades, oriundas do judaísmo. Ele escreve na década de 80, depois da destruição do Templo de Jerusalém, quando os cristãos inseridos na comunidade judaica estavam sendo expulsos das sinagogas, que até então frequentavam. Ele pretende convencê-los de que em Jesus se realizavam suas esperanças messiânicas moldadas sob a antiga tradição de Israel, de modo a não se intimidarem sob as ameaças e repressão da sinagoga e permanecerem na comunidade cristã. 
Com a visão teológica de Mateus ficam estabelecidas duas identidades para Jesus: uma, é "o filho do homem", o simples Jesus de Nazaré, inserido na humanidade, na sua humildade, e presente entre ela até o fim dos tempos, porém, dignificando-o e divinizando-o; a outra é o "cristo" ou "messias" (cristo do grego, messias do hebraico, significando "ungido"), que é o Jesus ressuscitado, manifestado em glória nos céus, acima dos poderes celestiais, de onde virá para o julgamento final. 
Embora no Segundo Testamento se perceba conflitos entre Pedro e Paulo (cf., p. ex., Gl 2,11-14), a liturgia os reúne em uma só festa. Pedro é lembrado pelo seu testemunho corajoso diante da perseguição (primeira leitura) e Paulo, por seu empenho missionário em territórios da diáspora judaica.

José Raimundo Oliva


Vivendo a Palavra

Jesus não escolheu anjos para a missão, mas homens, falíveis como toda a humanidade. Pedro, a quem atribuiu a firmeza da rocha, teve medo e foi capaz de negá-lo. Paulo, era um perseguidor terrível até ser chamado no caminho de Damasco. Nós, que compartilhamos com os dois seus momentos de fraqueza humana, peçamos ao Espírito que nos faça capazes de amar como eles amaram.

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

FAÇA UMA DOAÇÃO AO NPDBRASIL...

1. "A FESTA DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO"
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

A Festa de São Pedro e São Paulo, que celebramos nesse domingo, nos faz pensar na origem de nossas comunidades. Como tudo começou? Quando foi a primeira celebração, quem fez? Como é que a comunidade cresceu e se desenvolveu para chegar aos dias de hoje? Uma coisa é muito certa: o fundador ou fundadores devem ter feito uma experiência muito profunda com Jesus Cristo, pois sem isso, a comunidade não teria um alicerce, alguém em quem apoiar-se para poder crescer e cumprir a sua missão.

Comecemos a falar primeiro de Paulo, cuja teologia, isso é, o modo como ele começou a pensar as coisas de Deus, depois do encontro com Jesus no caminho para Damasco, foi tão marcante na vida das comunidades, que esse apóstolo é mencionado como o segundo fundador da nossa Igreja. De fato, seria difícil pensarmos em uma igreja universal, presente no mundo inteiro, em outras culturas e nações, sem nos lembrar de Paulo, aquele que pregou aos gentios que eram pessoas de outra cultura. Paulo não ficou só na mística, se assim o fizesse, teria fundado uma outra religião e arrastaria milhares de adeptos, porém, sistematizou alguns pontos doutrinários importantes, organizou as comunidades que havia iniciado, e o mais bonito, mesmo pensando um pouco diferente do Chefe dos Apóstolos, manteve-se firme em comunhão com ele e os irmãos da Igreja de Jerusalém, com quem aliás, sempre foi solidário , ao organizar coletas que levava para a Igreja mãe.

São Paulo é o modelo fiel do cristão autêntico, que faz a experiência com Jesus, se encanta com o seu ensinamento, desfaz o seu projeto de vida por causa dele e torna-se um fiel seguidor do evangelho, dando por ele a própria vida como aconteceu em seu martírio.São Paulo sempre acreditou nas comunidades, mesmo quando havia indícios de desunião, problemas internos, contendas e divisões, acreditava nas pessoas e mantinha com elas uma boa relação, mesmo que se tratasse de Pedro, que tinha uma linha mais tradicionalista, causa de algumas divergências bastante sérias entre ambos mas Paulo nunca deixou de amá-lo por causa disso. Ele mesmo manifestava essa sua flexibilidade, quando afirmava que se fazia um com todos e não tinha dificuldade de conviver com as pessoas. Outra coisa importante na pessoa de Paulo, é que ele promoveu uma ação evangelizadora em ambiente hostil á Cristo e ao seu evangelho, era corajoso e nunca teve medo de anunciar a Verdade.

Isso nos leva a pensar que muitas vezes somos negligentes, quando ficamos esperando que as pessoas venham procurar nossa pastoral ou movimento, parece que a gente não se sente seguro para falar do evangelho no meio do mundo, lá onde as pessoas precisam escutar esse anúncio, porque achamos que não vão gostar e que algumas vão ser contra. Se São Paulo pensasse assim, milhares de pessoas, ontem e hoje, não teriam conhecido a Jesus.

São Pedro é chamado o príncipe dos apóstolos, isso é, aquele que iniciou o apostolado, e vemos no evangelho de hoje, porque o próprio Cristo o constituiu chefe da sua igreja. Ele conseguiu enxergar em Jesus algo muito mais do que se falava, o povo via nele um Messias Profeta, comparável a João Batista ou a Elias, outro grande profeta na História de Israel, mas esse pensamento era fruto de uma ideologia, e a era messiânica que todos aguardavam com ansiedade, representava uma nova política, uma inversão do quadro, o Messias era um libertador Político, enviado por Deus sim, porém, com uma missão terrena.

O apóstolo Pedro, que fala em nome do grupo, consegue fazer essa transição, do Messias Histórico e Ideológico, para o Messias Espiritual, ele não era enviado por Deus mas sim o próprio Deus. O que Jesus falava e fazia, todos viam, e a partir disso embalavam o sonho e a esperança de dias melhores para o povo de Israel, mas sempre em uma perspectiva terrena.
A confissão de Pedro manifesta pela primeira vez no meio do grupo, a Fé em uma Salvação que supera toda e qualquer realização humana, onde o homem atinge a plenitude do seu ser, divinizando aquilo que é humano. Cesaréia de Filipe é terra de pagãos, cercado por rochas sobre as quais há edificações habitadas pela elite do império romano. A igreja de Cristo está no meio do mundo, porém edificada sobre a fé professada por toda comunidade, que tem como base a fé professada por Pedro, naquele dia.

Como Pedro e Paulo, que sejamos nessa igreja um apoio seguro para os que ainda não crêem, porque não conhecem a Cristo e acima de tudo, nunca nos esqueçamos de que Jesus Cristo edificou o reino sobre pessoas como Pedro e Paulo, instrumentos aparentemente fracos, mas que pela ação da graça operante e santificante do Batismo que receberam, tornaram-se perenes, transpondo fronteiras e todas as barreiras que separa os homens, para anunciar Jesus Cristo, o Filho de Deus, aquele que plenificou o nosso existir. (São Pedro e São Paulo MATEUS 16, 13-19)
José da Cruz é Diácono da 
Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP


2. Tu és o Filho de Deus vivo
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por José Raimundo Oliva - e disponibilizado no Portal Paulinas)

VIDE ACIMA

Oração
Pai, consolida minha fé, a exemplo do apóstolo Pedro que, em meio às provações, soube dar, com o seu martírio, testemunho consumado de adesão a Jesus.


3. O BEM-AVENTURADO PEDRO
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total a cada mês).

A figura de Pedro foi importante na articulação da comunidade primitiva. Ele foi escolhido para ser o fundamento dessa comunidade reunida pela fé na pessoa de Jesus. Foi-lhe dada autoridade em vista da ação que iria desenvolver. Foi-lhe assegurado que, sob sua liderança, as poderosas forças do mal seriam incapazes de suplantar a Igreja de Cristo.

A terminologia usada por Jesus evoca a parábola das duas casas, uma construída sobre uma rocha firme, ao passo que a outra, sobre a areia. Não é necessário muito esforço para compreender o destino de cada uma, ao sobrevirem as chuvas e as tempestades.

A troca do nome de Simão para Pedro é, por isso, carregado de simbolismo. Nele se concentravam as expectativas do Mestre, a respeito da futura comunidade de discípulos. E, também, era uma clara demonstração da confiança que nele depositava. Mesmo conhecendo o caráter impetuoso de Pedro, e sua tendência a vacilar nos momentos de dificuldade, Jesus o escolheu para guia da comunidade. Sobre ele podia ser edificada, com firmeza, a Igreja!

A confiança que Jesus depositou em Pedro decorreu do fato de ter sido objeto da predileção divina. Sua confissão de fé - "Tu és o Cristo!" - não resultou de sabedoria humana, nem tampouco do empenho pessoal para reconhecê-lo. Foi, sim, obra da revelação do Pai. E ele, na certa, continuará a inspirá-lo e revelar-lhe a identidade do Messias Jesus.

Oração
Espírito de fé no testemunho apostólico, como Pedro, faze-me sensível para acolher a revelação do Pai e reconhecer Jesus como "o Cristo de Deus".




O Domingo - Palavra

ANO B – COR VERMELHA- ANO 37 – Nº 31 – REMESSA VIII – 1/7/2012
SÃO PEDRO E SÃO PAULO

São Pedro e são Paulo, grandes servidores do reino de Deus

Celebramos a festa de duas pessoas importantes, são Pedro e são Paulo. Duas pessoas bem diferentes que ouviram o chamado do Mestre e ofereceram forças, mente, vontade e coração para viver e anunciar o evangelho. 

Pedro era um pescador que foi chamado por Jesus enquanto trabalhava. Parecia ser pessoa de cabeça dura: aceitou seguir o Mestre, mas tinha dificuldade em entender sua mensagem. Disse que daria a vida por ele, mas em momentos difíceis acabou negando-o. Mesmo assim, foi confirmado em sua fé, e Jesus ressuscitado confiou-lhe o cuidado do rebanho. Pedro, com todos os seus defeitos, foi chamado por Jesus e se transformou em grande apóstolo! Nós também, se confiarmos na graça de Deus e não desistirmos de fazer o bem, poderemos ser grandes no reino de Deus. Lembremos que ser grande no reino de Deus é fazer o bem ao próximo.

Paulo, como nós hoje, não teve oportunidade de conhecer Jesus como Pedro conheceu. Mas teve a graça de se encontrar com o Senhor ressuscitado no caminho de Damasco. Esse encontro deu sentido novo à sua vida, direção nova para suas energias. Tal foi a força, o poder dessa experiência, que nada deteve o apóstolo: enfrentou inúmeras dificuldades e perseguições para anunciar a graça que recebeu por meio de Jesus. Paulo, antes inimigo dos cristãos, tornou-se fundador e animador de comunidades, servindo de modelo de entusiasmo, criatividade e anúncio do evangelho ainda hoje. Com seu temperamento firme, ensinou a Igreja de todos os tempos o que era verdadeiramente necessário para seguir Jesus, libertando as comunidades do cumprimento de regrinhas ultrapassadas, que não promoviam a melhora das pessoas, mas as escravizavam. Ele nos mostrou que Jesus nos trouxe a libertação integral ao vencer o pecado e a morte; por isso, não suportava ver as pessoas sendo dominadas em nome da religião, como se pode ler na carta aos Gálatas. Ressaltou, porém, que liberdade não significa viver de qualquer maneira, pois toda forma de desequilíbrio é escravidão. Se estudarmos as cartas de são Paulo, certamente seremos mais fiéis à mensagem de Jesus.

Vamos prestar atenção nos exemplos destes dois notáveis seres humanos, Pedro e Paulo, que Jesus transformou em grandes santos. Peçamos a Deus que faça a mesma coisa em nós, que nos liberte, nos transforme de pecadores em santos, grandes santos. São Pedro e são Paulo roguem a Deus por nós!

Claudiano Avelino dos Santos, ssp

Onde está Pedro, aí está a Igreja!

Postado por: homilia

julho 1st, 2012

Estamos diante da questão da identidade de Jesus. Perante isto, dois títulos se confrontam: “Filho do Homem” e “Cristo”. Jesus, com frequência, identifica-se como o “Filho do Homem”. Por outro lado, os discípulos originários do Judaísmo identificam-no como o “Cristo”. O “Filho do Homem” é uma expressão que aparece quase uma centena de vezes no livro do profeta Ezequiel, exprimindo a condição humana comum e frágil de alguém que coloca toda sua confiança em Deus.
“Cristo”, sinônimo de “Messias” ou “Ungido”, é um título aplicado, abundantemente, a Davi, ou a um de seus descendentes, no Antigo Testamento, estando associado à ideia de um chefe poderoso e dominador.
“Por isso eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la” (Mt 16,18). A Igreja é imortal e seu fundamento deve perdurar sempre.
Nós católicos temos a certeza e o orgulho de sermos a única Igreja cristã edificada sobre o fundamento rochoso, sobre Pedro (ver Mt 7,24). Daí que nós, simples e humildemente, nos orgulhamos em afirmar: “Onde está Pedro, aí está a Igreja!”
Deixemos a primeira pergunta: “Quem dizem os homens que eu sou?”. Respondamos a segunda pergunta: “E vós?”. Hoje, não é suficiente a resposta de Pedro: “O Messias, o esperado de Israel”. A nossa deveria ser: “O Filho de Deus encarnado, ‘que se entregou e morreu por nós’” (cf. Gl 2,20). Por isso, vivemos a vida presente pela fé no Filho de Deus.
Na verdade, essa imagem de Cristo, que levamos dentro de nós desde o batismo, está destroçada ou escurecida. Como poderemos ser apóstolos se não sentimos Sua presença dentro de nós? Como “vender um produto” do qual não estamos, nós mesmos, convencidos?
A resposta de Jesus, dada a Simão, indica que a nossa resposta, admitindo Seu senhorio total como Messias e Filho de Deus, é também um dom do céu. Não seremos os chefes, como Pedro, mas a Igreja estará fundada em nós e nas nossas famílias.
Além de Cristo, como figura central, temos Pedro como figura destacada por duas razões: por sua fé em Jesus e por sua lista de serviços como chefe da comunidade. A revelação de confessar Jesus como Messias, Filho de Deus, é um dom do Pai, e isso serve para todos nós. A chefia da comunidade eclesial é própria dele [Pedro] e continua em seus sucessores através dos séculos. A eles pertence o poder das chaves, jurídico e doutrinal, como o entende a Igreja Católica. Não foi dado este poder aos outros discípulos e, portanto, devemos distingui-lo do poder evangelizador e de governo dado ao resto dos apóstolos, do qual todos nós participamos como discípulos e missionários de Jesus Cristo com uma missão específica.
Que os dois pilares da Igreja, Pedro e Paulo, intercedam por cada um de nós a fim de que sejamos verdadeiramente discípulos e missionários, exercendo as nossas tarefas diárias e professando a nossa fé em Jesus Cristo, o Filho do Deus Vivo!
Padre Bantu Mendonça

Leitura Orante

Preparo-me para a Leitura Orante, hoje, Dia de São Pedro e São Paulo, rezando:
Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. 

Oração a são Pedro 

São Pedro,
tu que fizeste a bela profissão de fé ao Mestre: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo!"(Mt 16,16);
tu, a quem Jesus disse: "Tu és pedra e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja" (Mt 16,18);
tu que foste escolhido para ser pescador de gente (Mt 4,19);
tu que disseste: "Senhor, a quem iremos? Tu tens palavras de vida eterna e nós cremos" (Jo 6,68),
faze-nos fortes e fiéis discípulos seguidores de Jesus,
missionários, como tu, pescadores de gente para o Reino na familia, na comunidade, na Igreja, no trabalho, entre os amigos, em toda parte.
Contigo, são Pedro, também sentindo nossa fraqueza na fé, fazemos nossa declaração de amor a Jesus Cristo:
"Senhor, tu sabes que eu te amo"(Jo 21,15). Amém.

1. Leitura (Verdade)

O que diz o texto do dia?

Leio atentamente, na Bíblia, o texto 
Mt 16,13-19, 
observando o testemunho de fé de Pedro.
O Evangelho descreve o momento em que Jesus conferiu a Pedro o primado na Igreja: "Você é Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e nem a morte poderá vencê-la. Eu lhe darei as chaves do Reino do Céu; o que você proibir na terra será proibido no céu, e o que permitir na terra será permitido no céu". Desde então, a sucessão a Pedro nunca se interrompeu. Bento XVI é o 266º (ducentésimo, sexagésimo sexto) sucessor de Pedro. Por isso, hoje, é também o Dia do Papa.
Com São Pedro, celebramos a outra "coluna" da Igreja, são Paulo Apóstolo, que foi o grande comunicador do Evangelho. Disse são Paulo, na segunda carta a Timóteo: "O Senhor esteve ao meu lado e me deu forças. Ele fez com que a mensagem fosse anunciada por mim, integralmente, e ouvida por todas as nações" (2Tm 4,17).

2. Meditação (Caminho)

O que o texto diz para mim, hoje?

Sendo o Dia do Papa, vejamos o que Bento XVI diz para nós: 

"Importa uma missão evangelizadora que convoque todas as forças vivas deste imenso rebanho" que é povo de Deus na América Latina e no Caribe: "sacerdotes, religiosos, religiosas e leigos que se doam, muitas vezes com imensas dificuldades, para a difusão da verdade evangélica". É um afã e anúncio missionários que precisa passar de pessoa a pessoa, de casa em casa, de comunidade a comunidade. "Neste esforço evangelizador - prossegue o Santo Padre - a comunidade eclesial se destaca pelas iniciativas pastorais, ao enviar, sobretudo entre as casas das periferias urbanas e do interior, seus missionários, leigos e religiosos, procurando dialogar com todos em espírito de compreensão e de delicada caridade". 
(DAp 550).

3.Oração (Vida) 

O que o texto me leva a dizer a Deus? 

Sendo hoje o Dia de São Pedro e São Paulo, recordo, o grande missionário das gentes, com a canção Paulo, Paulo
Paulo, Paulo
Pe. Zezinho,scj

Paulo, Paulo porque me persegues?
Quem és tu, Senhor?
Paulo, Paulo porque não me segues?
Quem és tu, Senhor?

Eu sou Jesus e já te escolhi
Pra me anunciares pelo mundo inteiro
Serás meu mensageiro!
Serás meu mensageiro!

Paulo, Paulo, ouve a minha palavra
Quem és tu, Senhor?
Paulo, Paulo, ouve a minha mensagem
Quem és tu Senhor?

Eu sou Jesus e não vai adiantar
querer calar meu sangue derramado
Serás meu aliado

Paulo, Paulo de alma irrequieta
Quem és tu Senhor?
Paulo, Paulo serás meu profeta
Quem és tu, Senhor?

Eu sou Jesus e eu já te escolhi
Para levares a minha mensagem
Eu te darei coragem! Eu te darei coragem!
CD Ouço tua voz - Grupo Chamas - Paulinas COMEP

4.Contemplação (Vida e Missão) 

Qual meu novo olhar a partir da Palavra? 

Meu novo olhar a partir da Palavra é iluminado também pelo pensamento do papa Bento XVI, sobre todas as pessoas, em especial as mais carentes, que precisam sentir a proximidade da Igreja. Disse ele aos Bispos em Aparecida: 

"O povo pobre das periferias urbanas ou do campo necessitam sentir a proximidade da Igreja, seja no socorro de suas necessidades mais urgentes, como também na defesa de seus direitos e na promoção de uma sociedade fundamentada na justiça e na paz. Os pobres são os destinatários privilegiados do Evangelho ". 
(DAp 550).

Bênção

- Deus nos abençoe e nos guarde. 
Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. 
Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. 
Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, 
Pai e Filho e Espírito Santo. 
Amém.
(Ir. Patrícia Silva, fsp) 
Oração Final
Pai Santo, que entregando a Igreja a Pedro e Paulo mostraste que ela não deve ser feita anjos, mas de homens e mulheres – e para homens e mulheres –, envia sobre nós o teu Espírito e nos transforma em testemunhas do teu inefável Amor de Pai que também é Mãe. Pelo Cristo Jesus, teu Filho que se fez nosso Irmão e contigo reina na unidade do Espírito Santo.



Confira as cifras do Salmo 33


01/07/2012 Salmo 33

Responsório (Salmo 33)
C    Dm7        C/E        F      G      Am7
- De todos os temores me livrou o Senhor Deus.
     Dm7        C/E        F      G      C
- De todos os temores me livrou o Senhor Deus.

     Dm7                           C/E        Dm7                          C/E
Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo,/ seu louvor estará sempre em minha boca.
      F                    Em7  Am7       Bb               Dm7      G4     G
Minha alma se gloria no Senh....or;   que ouçam os humildes e se alegrem! 

Comigo engrandecei ao Senhor Deus,/ exaltemos todos juntos o seu nome!
Todas as vezes que o busquei, ele me ouviu,/ e de todos os temores me livrou. 

Contemplai a sua face e alegrai-vos,/ e vosso rosto não se cubra de vergonha!
Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido,/ e o Senhor o libertou de toda angústia. 

O anjo do Senhor vem acampar/ ao redor dos que o temem, e os salva.
Provai e vede quão suave é o Senhor!/ Feliz o homem que tem nele o seu refúgio!
http://wiki.cancaonova.com/index.php/01/07/2012_Salmo_33

Baixe e Ouça o Salmo Dominical - 33

Salmo 33

De todos os temores me livrou o Senhor Deus!

Para esta semana, o canal da música traz uma melodia para o Salmo 33. Este é o Salmo da liturgia do primeiro domingo do mês de julho. Nele, o salmista celebra sua gratidão ao Senhor que o salvou e o livrou de todo mal. É um convite ao louvor e a ação de graças por meio da Palavra de Deus. 
Na voz de Graça Schelck, missionária da Comunidade Canção Nova, você pode aprender a melodia e cantá-la em sua paróquia. 
"De todos os temores me livrou o Senhor Deus!"

Confira:
Produção musical, arranjos e execução - Paulinho de Jesus

Melodia: Graça Schelck e Paulinho de Jesus


Assista:

LITURGIA DIÁRIA - 01/07/2012



Tema do Dia

São Pedro e São Paulo, Apóstolos

Nesse tempo, o rei Herodes decidiu prender Pedro. Pedro dormia entre dois soldados. De repente, apareceu o anjo do Senhor e lhe disse: «Levante-se depressa.» Pedro disse: «Agora sei que o Senhor de fato enviou o seu anjo para me libertar.» (At 12,1-11)

Oração para antes de ler a Bíblia 

orkut e hi5, Religiosos, palavras do Senhor Jesus, imagens de biblia, recados de Jesus, gifs de religião para orkut

Meu Senhor e meu Pai! Envia teu Santo Espírito para que eu compreenda 

e acolha tua Santa Palavra! Que eu te conheça e te faça conhecer, te ame

 e te faça amar, te sirva e te faça servir, te louve e te faça louvar por

 todas as criaturas. Fazei, ó Pai, que pela leitura da Palavra os pecadores

se convertam, os justos perseverem na graça e todos consigamos 

a vida eterna. Amém.


Vermelho. São Pedro e São Paulo, Apóstolos, Solenidade


Primeira leitura (Atos dos Apóstolos 12,1-11)

Domingo, 1 de Julho de 2012
São Pedro e São Paulo



Leitura dos Atos dos Apóstolos: 

Naqueles dias, 1o rei Herodes prendeu alguns membros da Igreja, para torturá-los.2Mandou matar à espada Tiago, irmão de João. 3E, vendo que isso agradava aos judeus, mandou também prender a Pedro. Eram os dias dos Pães ázimos.
4Depois de prender Pedro, Herodes colocou-o na prisão, guardado por quatro grupos de soldados, com quatro soldados cada um. Herodes tinha a intenção de apresentá-lo ao povo, depois da festa da Páscoa.
5Enquanto Pedro era mantido na prisão, a Igreja rezava continuamente a Deus por ele.
6Herodes estava para apresentá-lo. Naquela mesma noite, Pedro dormia entre dois soldados, preso com duas correntes; e os guardas vigiavam a porta da prisão.
7Eis que apareceu o anjo do Senhor e uma luz iluminou a cela. O anjo tocou o ombro de Pedro, acordou-o e disse: “Levanta-te depressa!” As correntes caíram-lhe das mãos.
8O anjo continuou: “Coloca o cinto e calça tuas sandálias!” Pedro obedeceu e o anjo lhe disse: “Põe tua capa e vem comigo!”
9Pedro acompanhou-o, e não sabia que era realidade o que estava acontecendo por meio do anjo, pois pensava que aquilo era uma visão.
10Depois de passarem pela primeira e segunda guarda, chegaram ao portão de ferro que dava para a cidade. O portão abriu-se sozinho. Eles saíram, caminharam por uma rua e logo depois o anjo o deixou.
11Então Pedro caiu em si e disse: “Agora sei, de fato, que o Senhor enviou o seu anjo para me libertar do poder de Herodes e de tudo o que o povo judeu esperava!”

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.



Salmo (Salmos 33)

Domingo, 1 de Julho de 2012
São Pedro e São Paulo


— De todos os temores me livrou o Senhor Deus. 
— De todos os temores me livrou o Senhor Deus.

— Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo,/ seu louvor estará sempre em minha boca./ Minha alma se gloria no Senhor;/ que ouçam os humildes e se alegrem!
— Comigo engrandecei ao Senhor Deus,/ exaltemos todos juntos o seu nome!/ Todas as vezes que o busquei, ele me ouviu,/ e de todos os temores me livrou.
— Contemplai a sua face e alegrai-vos,/ e vosso rosto não se cubra de vergonha!/ Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido,/ e o Senhor o libertou de toda angústia.
— O anjo do Senhor vem acampar/ ao redor dos que o temem, e os salva./ Provai e vede quão suave é o Senhor!/ Feliz o homem que tem nele o seu refúgio! 


Segunda leitura (2º Timóteo 4,6-8.17-18)

Domingo, 1 de Julho de 2012
São Pedro e São Paulo


Leitura da Segunda Carta de São Paulo a Timóteo: 

Caríssimo: 6Quanto a mim, eu já estou para ser derramado em sacrifício; aproxima-se o momento de minha partida. 7Combati o bom combate, completei a corrida, guardei a fé.8Agora está reservada para mim a coroa da justiça, que o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que esperam com amor a sua manifestação gloriosa.
17Mas o Senhor esteve a meu lado e me deu forças, ele fez com que a mensagem fosse anunciada por mim integralmente, e ouvida por todas as nações; e eu fui libertado da boca do leão. 18O Senhor me libertará de todo mal e me salvará para o seu Reino celeste. A ele a glória, pelos séculos dos séculos! Amém.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Evangelho (Mateus 16,13-19)

Domingo, 1 de Julho de 2012
São Pedro e São Paulo




Pedro: sobre esta pedra, a Igreja!

— O Senhor esteja convosco. 
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 13Jesus foi à região de Cesareia de Filipe e ali perguntou aos seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?”
14Eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros que é Elias; outros ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas”.
15Então Jesus lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?”
16Simão Pedro respondeu: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”.
17Respondendo, Jesus lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu. 18Por isso eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la. 19Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que tu ligares na terra será ligado nos céus; tudo o que tu desligares na terra será desligado nos céus”.

 

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.


Oração para depois de ler a Bíblia

orkut e hi5, Religiosos, mensagem religiosa, imagem da biblia, recados de religião, scraps religioso para orkut

Dou-Te graças, meu Deus, pelos bons propósitos, afetos e inspirações
que me comunicastes nesta meditação; peço-Te ajuda para colocá-los  em prática. Minha Mãe Imaculada, meu protetor São José e Anjo da minha guarda, intercedeis todos por mim. Amém.

QUE A NOVA SEMANA SEJA MUITO PROVEITOSA E CHEIA DE GRANDES CONQUISTAS.

BOM DIA!

DOMINGO

FRASE DE PADRE LÉO

EI, VOCÊ?! PSIU... Amanhã é domingo, não se esqueça da Missa, tá?!:)



FRASES DE SÃO FELIPE NERI