quarta-feira, 28 de abril de 2021

BOM DIA! BOA TARDE! BOA NOITE! Oração da noite, Oração da manhã e Oração do entardecer - Deus te abençoe!



Oração da Noite

Boa noite Pai.
Termina o dia e a ti entrego meu cansaço.
Obrigado por tudo e… perdão!!
Obrigado pela esperança que hoje animou meus passos, pela alegria que vi no rosto das crianças;
Obrigado pelo exemplo que recebi daquele meu irmão;
Obrigado também por isso que me fez sofrer…
Obrigado porque naquele momento de desânimo lembrei que tu és meu Pai; Obrigado pela luz, pela noite, pela brisa, pela comida, pelo meu desejo de superação…
Obrigado, Pai, porque me deste uma Mãe!
Perdão, também, Senhor!
Perdão por meu rosto carrancudo; Perdão porque não me lembrei que não sou filho único, mas irmão de muitos; Perdão, Pai, pela falta de colaboração e serviço e porque não evitei aquela lágrima, aquele desgosto; Perdão por ter guardado para mim tua mensagem de amor;
Perdão por não ter sabido hoje entregar-me e dizer: “sim”, como Maria.
Perdão por aqueles que deviam pedir-te perdão e não se decidem.
Perdoa-me, Pai, e abençoa os meus propósitos para o dia de amanhã, que ao despertar, me invada novo entusiasmo; que o dia de amanhã seja um ininterrupto “sim” vivido conscientemente.
Amém!!!

Oração da manhã

Bom-dia, Senhor Deus e Pai!
A ti, a nossa gratidão pela vida que desperta, pelo calor que
cria vida, pela luz que abre nossos olhos.
Nós te agradecemos por tudo que forma nossa vida, pela terra, pela água, pelo ar, pelas pessoas. Inspira-nos com teu Espírito Santo os pensamentos que vamos alimentar,as palavras que vamos dizer, os gestos que vamos dirigir,a comunicação que vamos realizar.
Abençoa as pessoas que nós encontramos, os alimentos que vamos ingerir.
Abençoa os passos que nós dermos, o trabalho que devemos fazer.
Abençoa, Senhor, as decisões que vamos tomar, a esperança que vamos promover,a paz que vamos semear,a fé que vamos viver, o amor que vamos partilhar.
Ajuda-nos, Senhor, a não fugir diante das dificuldades, mas a abraçar amor as pequenas cruzes deste dia.
Queremos estar contigo, Senhor, no início, durante e no fim deste dia.
Amém.

Oração do entardecer

Ó Deus!
Cai à tarde, a noite se aproxima.
Há neste instante, um chamado à elevação, à paz, à reflexão.
O dia passa e carregam os meus cuidados.
Quem fez, fez.
Também a minha existência material é um dia que se passa,
uma plantação que se faz, um caminho para algo superior.
Como fizeste a manhã, à tarde e a noite, com seus encantos,
fizeste também a mim, com os meus significados, meus resultados.
Aproxima de mim, Pai, a Tua paz para que usufrua desta
hora e tome seguras decisões para amanhã.
Que se ponha o sol no horizonte, mas que nasça
em mim o sol da renovação e da paz para sempre.
Obrigado, Deus, muito obrigado!
Amém!

A Palavra de Deus te julgará | (Jo 12, 44-50) #375​ - Meditação da Palavra - Frei Gilson



Publicado em 28 de abr. de 2021

Minhas ovelhas escutam minha voz | (Jo 10, 22-30) #374​ - Meditação da Palavra - Frei Gilson



Publicado em 27 de abr. de 2021

Vida em abundância | (Jo 10, 1-10) #373​ - Meditação da Palavra - Frei Gilson



Publicado em 26 de abr. de 20221

O grande presente que o Pai nos deu | (1Jo 3, 1-2) #372​ - Meditação da Palavra - Frei Gilson



Publicado em 25 de abr. de 2021

Mãe Maria | Dom Walmor - 28/04/2021


Canal do Youtube: TV Horizonte

Publicado em 28 de abr. de 2021

Mãe Maria | Dom Walmor - 27/04/2021


Canal do Youtube: TV Horizonte

Publicado em 27 de abr. de 2021

Mãe Maria | Dom Walmor - 26/04/2021


Canal do Youtube: TV Horizonte

Publicado em 26 de abr. de 2021

Mãe Maria | Dom Walmor - 25/04/2021


Canal do Youtube: TV Horizonte

Publicado em 25 de abr. de 2021

A Voz do Pastor, 25/04/2021 com o Cardeal Orani João Tempesta


Canal do Youtube: WebTV Redentor

Publicado em 22 de abr. de 2021

4º Domingo da Páscoa

Anúncio do Evangelho (Jo 10,11-18)

 O Senhor esteja convosco.
 Ele está no meio de nós.
 PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
 Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus: 11“Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida por suas ovelhas. 12O mercenário, que não é pastor e não é dono das ovelhas, vê o lobo chegar, abandona as ovelhas e foge, e o lobo as ataca e dispersa. 13Pois ele é apenas um mercenário que não se importa com as ovelhas.
14Eu sou o bom pastor. Conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem, 15assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai. Eu dou minha vida pelas ovelhas.
16Tenho ainda outras ovelhas que não são deste redil: também a elas devo conduzir; elas escutarão a minha voz, e haverá um só rebanho e um só pastor.
17É por isso que meu Pai me ama, porque dou a minha vida, para depois recebê-la novamente. 18Ninguém tira a minha vida, eu a dou por mim mesmo; tenho poder de entregá-la e tenho poder de recebê-la novamente; essa é a ordem que recebi de meu Pai”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Homilia Diária | Memória de São Luís Maria Grignion de Montfort, Presbítero - Padre Paulo Ricardo


Canal do Youtube: Padre Paulo Ricardo

Publicado em 27 de abr. de 2021

Graças a Deus, a devoção a São Luís Maria de Montfort vem crescendo no Brasil ao longo dos últimos anos, por conta da difusão de seu Tratado e da consagração a Jesus pelas mãos de Nossa Senhora. No entanto, São Luís Maria, se é admirável por seus escritos, não o é menos por sua vida, tão pouco conhecida dos brasileiros. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta quarta-feira, dia 28 de abril, e conheça um pouco a vida deste grande santo mariano, exemplo de pobreza, humildade e sabedoria!

Homilia Diária | Terça-feira da 4.ª Semana da Páscoa – Ai de quem dá ouvidos ao capeta! - Padre Paulo Ricardo


Canal do Youtube: Padre Paulo Ricardo

Publicado em 26 de abr. de 2021

Muita gente vai ao confessionário queixando-se de que não consegue vencer tal pecado, que não tem forças para superar tal vício, que já tentou de tudo, mas sempre volta a cair… Mas, fazendo as perguntas certas, quase sempre se descobre que são ovelhas acostumadas a “flertar” com o lobo: querem ser de Cristo, mas vivem fora do redil, metidas em mil perigos e expostas às ocasiões em que só não cairia quem já fosse muito santo! Ora, se brincar com o pecado já é pecado, como irá vencer aquele que, em vez de se manter perto de Cristo, se deixa seduzir pelas mentiras do grande enganador, o diabo? Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta terça-feira, dia 27 de abril, e medite conosco mais uma página do santo Evangelho!

Homilia Diária | Segunda-feira 4.ª Semana da Páscoa – “Quem é louco de querer o que Deus não quer?” - Padre Paulo Ricardo


Canal do Youtube: Padre Paulo Ricardo

Publicado em 25 de abr. de 2021

Verdadeiro cristão, qual ovelha que reconhece a voz do pastor, é o que busca fazer não a própria vontade, mas a de Deus, manifestada na doutrina da Igreja, no exemplo dos santos e também nas cruzes do dia a dia. Exemplo disto foi S. Rafael Arnáiz, a quem Deus chamou à vida no mosteiro para, na doença, saber renunciar à vontade de ser monge. Porque, se é bom querer ser religioso, muito melhor é não querer senão o que Deus quer, como quer e quando quer. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta segunda-feira, dia 26 de abril, e que São Rafael Arnáiz nos dê, por sua intercessão, esta santa conformidade à vontade divina!

Homilia para o Domingo do Bom Pastor (4.º Domingo da Páscoa) - Padre Paulo Ricardo


Canal do Youtube: Padre Paulo Ricardo

Publicado em 24 de abr. de 2021

A imagem bucólica de ovelhas regidas por um pastor está presente nas Sagradas Escrituras desde o rei Davi e os profetas, mas só em Jesus Cristo encontra pleno cumprimento. É por isso que Ele diz, no Evangelho deste domingo: “Eu sou o bom pastor”. Muitos de nós, porém, pouco acostumados à vida campestre, talvez não compreendamos em profundidade o que Nosso Senhor nos quer ensinar com essa comparação. O que faz, de verdade, um pastor, e o que Deus quer fazer conosco? Quem são os lobos e os mercenários dos quais precisamos ser defendidos? É o que Padre Paulo Ricardo explica em mais esta homilia para o Tempo da Páscoa.

HOMILIA DIÁRIA - (CANÇÃO NOVA) - Jo 12,44-50 - 28/04/2021


Deixemo-nos guiar pela luz de Cristo

“Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas” (João 12,46).


Você sabe que todo aquele que crê em Jesus, crê que Ele é o enviado de Deus. Crê não somente em Jesus, mas também n’Aquele que O enviou. Crê no Pai, Senhor da Vida, Senhor que ilumina a nossa vida.
A luz que o Pai nos dá é o Seu próprio Filho: “Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas…”, na escuridão, na ilusão, nos caminhos tenebrosos, mas encontre no caminho da vida.
Como existem caminhos escuros nesta vida! Como existem tantas obscuridades nos caminhos por onde andamos! Mas não podemos perder a direção de viver. A direção da nossa vida está em Jesus. Sigamos Ele, olhemos para Ele e deixemos que a nossa vida seja dirigida, iluminada, guiada e conduzida pelo Senhor da Vida que é Jesus.
A nossa comunhão com Cristo é crer em Sua Palavra, é crer na Palavra que Ele traz para nós, é crer que Ele é a Palavra, e o nosso encontro com ela é o nosso encontro com Ele. Quando me deixo guiar e conduzir pela Palavra de Jesus, Ele traz luz às situações mais escuras da minha vida.

É Jesus quem nos traz a luz, a graça e a direção

Às vezes, encontramo-nos naquela penumbra, sem saber o que fazer, estamos tomados por uma obscuridade que tem nome, que se chama ansiedade. A ansiedade é a pressa de ter respostas para as coisas, a ansiedade leva-nos a ser precipitados, ao mesmo tempo, iludidos; e estamos facilmente tão enganados!
Precisamos vencer essas trevas que fazem o nosso coração sucumbir na precipitação, na agitação, em meio a tudo aquilo que precisamos resolver na vida. Por isso não podemos tirar de Jesus o nosso olhar, sobretudo em meio às contrariedades todas que passamos.
Quando nos agitamos, perturbamo-nos, revoltamo-nos e inquietamo-nos. Então, quando as coisas estiverem dando errado para nós, acalmemos o nosso coração, não nos voltemos para as coisas tenebrosas. Voltemos nossa atenção para Jesus, e vamos pedindo a luz d’Ele para iluminar cada situação obscura que vivemos. Supliquemos para que Ele nos tire das trevas que envolvem a nossa alma, supliquemos a libertação e a restauração. Supliquemos para caminhar na presença de Jesus mesmo que tenhamos que passar pelas sombras mais tenebrosas da morte.
É Jesus quem nos conduz pela mão, é Ele quem nos traz a luz, a graça e a direção para a nossa vida. Ele veio ao mundo como luz, por isso não permaneçamos nas trevas, guardemos Suas Palavras, observemos Seus mandamentos e nos deixemos guiar pela luz, que é Nosso Senhor e Salvador Jesus.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.



HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 28/04/2021

ANO B


Jo 12,44-50

Comentário do Evangelho

“Quem me vê, vê aquele que me enviou”

A perícope de hoje contrasta com a precedente (12,37-43), em que o tema é a incredulidade. Apesar de ter realizado muitos sinais, muitos judeus não creram nele (cf. v. 34). A razão da incredulidade: cegueira e dureza de coração (cf. v. 40; ver também Jo 9,41). Aqui, Jesus toma a palavra. Ele é o enviado do Pai e, como tal, é portador da palavra do Pai: “… aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus” (Jo 3,34). Pelo paralelismo apresentado nos versículos 44 e 45, “crer” e “ver” são, no quarto evangelho, sinônimos. Trata-se da visão própria da fé, que ultrapassa o aparente e penetra a realidade em sua profundidade. A fé possibilita a experiência de que estar diante de Jesus é estar na presença de Deus: “Quem me vê, vê aquele que me enviou” (v. 45). Esse paralelismo permite ainda compreender a profunda unidade que une o enviado àquele que o enviou. Por isso, Jesus poderá dizer: “O Pai e eu somos um” (10,30).Ouvir Jesus é ouvir, como dissemos, o Pai: “… o que eu falo, eu o falo de acordo com o que o Pai me disse” (v. 50).
Carlos Alberto Contieri, sj
Oração
Pai, como discípulo da luz, quero deixar-me sempre guiar por teu Filho. Só, assim, as ciladas do demônio não prevalecerão sobre mim. Vem em meu auxílio!
Fonte: Paulinas em 24/04/2013

Vivendo a Palavra

Através do Filho, o Enviado, nós acreditamos no Pai Misericordioso, que O enviou. Hoje nós somos os enviados por Jesus de Nazaré. Que os nossos irmãos peregrinos possam crer na Boa Notícia do Reino de Deus que nós anunciamos com alegria não só com palavras, mas com o testemunho de nossas vidas.
Fonte: Arquidiocese BH em 24/04/2013

vIVENDO A PALAVRa

“Eu vim ao mundo como Luz” – disse Jesus e devemos dizer nós, seguidores do seu Caminho. A Luz que Ele nos deixou para que a testemunhemos em nossos ambientes existenciais é a Palavra – a Palavra que é Ele, Palavra que nos liberta e cura, mas também é nosso Juiz. A missão do cristão é viver e anunciar essa Palavra com fidelidade, transparência e simplicidade.

Reflexão

Jesus é o grande comunicador do Pai. Ele veio ao mundo não para fazer a própria vontade, mas veio como enviado do Pai para realizar as obras de Deus, e ele foi fiel à sua missão. E a missão que o Pai atribuiu a Jesus é uma missão salvífica: a missão de retirar a humanidade do reino das trevas e introduzi-la no reino da luz. Ser cristão significa ouvir as palavras de Jesus, reconhecer o caráter divino que está presente nela, sentir-se apelado por ela para não mais viver nas trevas do erro, do pecado e da morte, mas sim na luz da verdade, da vida e do amor e responder de forma positiva a este apelo para que, crendo nas palavras de Jesus, creiamos firmemente naquele que o enviou para a nossa salvação.
Fonte: CNBB em 24/04/2013

Reflexão

Jesus reafirma que não age por conta própria; seu poder de realizar obras grandiosas vem do Pai. Ele não diz as palavras como bem entende; ele reproduz as palavras que o Pai o mandou dizer. Então, é possível conhecer o Pai: “Quem me vê, está vendo aquele que me enviou”. Não há como separar Pai e Filho. E Jesus, ao se auto-revelar, convida cada pessoa a buscar a luz, que é vida plena para todos: “Eu vim como luz para o mundo, para que não permaneça nas trevas todo aquele que acredita em mim”. Diante de Jesus e do seu projeto de vida, as pessoas não podem ficar indiferentes ou neutras, deixando para mais tarde uma tomada de posição. Se quiser caminhar na luz, se quiser trilhar os caminhos de Deus, a decisão é agora: a favor de Jesus. Ele é o único revelador do Pai e a única salvação para nós.
Oração
Ó Jesus, vieste como “luz para iluminar o mundo”, a fim de que não permaneça nas trevas aquele que acredita em ti. Ajuda-nos, Senhor, a compreender que estás unido ao Pai e proferes as palavras que o Pai te mandou dizer. E que o mandamento do Pai é vida eterna. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte: Paulus em 06/05/2020

Reflexão

Chegamos ao final da primeira parte do Evangelho de João, o livro dos sinais. No texto de hoje, o evangelista revela a íntima união que há entre Jesus e seu Pai: acreditar nele é acreditar no Pai; vê-lo é ver o Pai. Jesus é o autêntico revelador de Deus, e rejeitá-lo é rejeitar o próprio Pai. Jesus veio como luz para iluminar o caminho que conduz a Deus e levar ao encontro dos irmãos e irmãs. Ele não condena, pois veio para salvar; quem julga é a sua Palavra. Diante de sua mensagem, torna-se necessário decidir: comprometer-se com seu projeto e romper com os projetos perversos ou rejeitar a luz e andar nas trevas. Continuamente, ao longo da vida, somos chamados a optar por uma coisa ou outra. A missão dos cristãos é levar a luz, que é o próprio Jesus, aos que vivem nas trevas e tornarem-se, eles próprios, luz para os outros.
Oração
Ó Jesus, vieste como “luz para iluminar o mundo”, a fim de que não permaneça nas trevas aquele que acredita em ti. Ajuda-nos, Senhor, a compreender que estás unido ao Pai e proferes as palavras que o Pai te mandou dizer. E que o mandamento do Pai é vida eterna. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2021 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp e Pe. Nilo Luza, ssp)

Meditando o evangelho

ACOLHIDA E REJEIÇÃO

Jesus ressuscitado é a luz colocada pelo Pai na história humana, para que ninguém fique vagando nas trevas. Mas, é preciso tomar uma decisão. Quem se decide por Cristo, coloca-se no caminho da salvação. A luz do Ressuscitado permite ao seguidor de Jesus detectar os empecilhos que o egoísmo coloca em seu caminho, para desviá-lo do amor e da justiça. Esta luz denuncia as artimanhas do mal que, enganando os incautos, tende a afastá-los de Deus. Ela possibilita vislumbrar a misericórdia do Pai que acolheu e ressuscitou Jesus e quer acolher a todos que nele crerem.
Quem rejeita Jesus, toma o perigoso caminho do Julgamento. Por não ser capaz de dar à sua vida o rumo certo, deixará o mal tomar conta de seu coração, não permitindo que Deus nele venha morar. Permanecerá insensível diante da injustiça. O sofrimento alheio lhe passará despercebido. Este centramento no próprio eu só pode gerar a morte.
O Ressuscitado propõe-se a iluminar a vida de quem aceita deixar-se guiar por ele. Optar pela luz é optar pela vida e pela salvação. Escutar Jesus é deixar-se guiar pelo Pai que, por amor, nos oferece vida em plenitude. Por conseguinte, é loucura dar as costas a Jesus e rejeitar suas palavras. Por meio dele, o Pai quer atrair a si toda humanidade.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Senhor Jesus, ilumina o meu caminho com tua luz de Ressuscitado, para que eu caminhe com segurança em direção ao Pai.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

1. CRER EM JESUS E NO PAI
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total a cada mês).

A fé em Jesus está estreitamente ligada com a fé no Pai, e a fé no Pai conduz à fé em Jesus. Ambos os níveis da fé estão em mútua dependência. Considerados isoladamente, perdem toda a sua consistência.
A fé em Jesus tem fundamento na sua condição de enviado do Pai. Enquanto enviado, é portador de uma missão específica. As palavras a serem proclamadas não são suas. Compete-lhe somente anunciar o que lhe foi comunicado. Por outro lado, o poder de realizar obras prodigiosas também lhe foi conferido. Portanto, os milagres realizados por ele apontam para o Pai, fonte de todo poder.
Todavia, a ação de Jesus não foi puramente mecânica, como se ele fosse um instrumento passivo nas mãos do Pai. Pelo contrário, lançou-se, de corpo e alma, na missão recebida, assumindo como obra própria tudo quanto realizava. Havia uma profunda sintonia entre a pessoa de Jesus e sua ação. Ele não agia por mera formalidade.
Embora querida pelo Pai, a ação de Jesus revelava sua identidade com ele. Por isso, a profissão de fé no Pai leva, necessariamente, à profissão de fé no Filho Jesus. Por outro lado, sendo Jesus manifestação do Pai, na história humana, quem nele crê, está no caminho seguro para chegar ao Pai.
Oração
Espírito do Pai e do Filho, conduze-me a uma fé sincera em ambos, de modo que eu saiba contemplar, no rosto de Jesus, o rosto Pai.
Fonte: NPD Brasil em 24/04/2013

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

1. A Palavra que nos julga...
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Estava revendo uma novela dos anos 90 chamada "Roque Santeiro", nela, o maldoso e cruel Sinhozinho Malta, a cada maldade arquitetada perguntava aos seus cupinchas, "Estou certo ou errado?" balançando a pulseira do relógio, em um gesto que demonstrava um excessivo autoritarismo, e ninguém ousava dizer que ele estava errado...
Quando ouvimos falar de um Deus diante do qual chegaremos para ser julgados, dá um "friozinho" na barriga, principalmente sabendo que não haverá recurso e nem apelação, o julgamento será definitivo e irá selar toda a eternidade. Entretanto, diferente dos tribunais da terra, onde muitas vezes prevalece a mentira por causa de um ardil muito bem planejado da Defesa ou da Acusação, e que consiste em ter na manga da camisa ou no bolso do colete uma elemento surpresa para ser utilizado na audiência, nenhum homem ou mulher da humanidade inteira poderá alegar falta de conhecimento, ou medo de que Deus use de um elemento surpresa, de algo que não sabemos, para nos condenar...
Ele falou as claras, manifestou-se nitidamente no seu Filho Jesus Cristo, sabiamente chamado pelo evangelista João de "Verbo Divino", e aqui, também para que ninguém alegue que se esqueceu dessa Palavra de Deus e do seu ensinamento, Jesus nos deu o seu Espírito Santo, para sempre "refrescar a nossa memória e o nosso coração", isso é, poderá passar milênios de história da nossa Humanidade, a Palavra permanecerá sempre intacta e atualizada, nenhum ser humano terá diante de Deus qualquer desculpa, para abrandar o julgamento.
Ouvir a Palavra de Jesus é ouvir a Palavra do Pai, ver a Jesus e fazer com ele experiência mais sensacional e espetacular de nossa Vida, é ver e experimentar o próprio Pai.
Quem viver de maneira permanente essa experiência, tornar-se-á conhecido do Pai e não precisará temer o julgamento. Entretanto, ouvir e ver, conhecê-lo e experimentá-lo, é decisão que compete a cada homem tomar, mediante a fé e o bom uso do seu Livre arbítrio.
Desprezar e rejeitar a Jesus, menosprezar o seu evangelho, sua Palavra libertadora, sua Luz maravilhosa, e viver de qualquer jeito, empurrando a existência com a "barriga", ignorando o seu sentido, a origem da Vida e o seu ocaso, é condenar-se já nesta vida, é tomar a decisão errada, criando uma situação que depois não poderá ser revertida...
Uma coisa é certa e comprovada, sem acolher esta Palavra, nem vale a pena viver...

2. Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas - Jo 12, 44-50
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

Não vemos o Cristo fisicamente como o viram seus contemporâneos antes de sua morte. Não vemos também como o viram os que testemunharam a sua ressurreição, que com ele falaram e com ele comeram. Fazemos parte daqueles que acreditaram sem ter visto e que, por isso, são considerados bem-aventurados por Jesus. São João insiste na necessidade da fé que, por Jesus, nos leva ao Pai. “Quem crê em mim não é em mim que crê, mas naquele que me enviou.” João, apóstolo e evangelista, escreve num período de relações polêmicas entre os nazarenos, discípulos de Jesus, e os fariseus remanescentes da destruição do Templo e da Cidade Santa de Jerusalém. Estes acreditavam ser verdadeiros discípulos de Moisés e adoradores do Deus verdadeiro. Em contrapartida, a comunidade joanina afirmava que, para conhecer alguma coisa do Pai, do Deus dos nossos pais, é preciso aceitar Jesus Cristo na fé. Para eles, verdadeiros discípulos de Moisés e adoradores do Deus verdadeiro são os seguidores de Jesus de Nazaré. Embora em tom mais amigável, a polêmica perdura até hoje.
Fonte: NPD Brasil em 06/05/2020

HOMILIA DIÁRIA

Temos acolhido ou rejeitado as palavras de Jesus?

Postado por: homilia
abril 24th, 2013

Estamos diante de uma verdade inegável. Pela última vez, Jesus visita Jerusalém e fala publicamente por ocasião da festa da Páscoa dos judeus. Clamado rei pelo povo quando entra na cidade, em alto e bom som Jesus começa o seu discurso de identificação com o Pai do Céu, exortando a todos para que permaneçam unidos a Ele escutando e acolhendo Sua palavra, assim como Ele e o Pai são um: “Eu e o Pai somos um”.
A partir desta expressão, concluímos que entre Jesus e o Pai que O enviou há tal comunhão de vida, palavra e juízo, que ouvir e ser julgado por um é ouvir e ser julgado pelo outro.
Retomando o que João disse no prólogo, acolhê-Lo é acolher a Luz que vem de Deus. Pois Ele é a Luz do mundo, e quem crer n’Ele não permanece nas trevas, mas terá a luz da vida. É ter a vida que vem do próprio Deus. Crer em Jesus é crer em Deus Pai. Ele só fala o que o Pai lhe mandou e ordenou que dissesse ou fizesse: “Eu não tenho falado em meu próprio nome, mas o Pai, que me enviou, é quem me ordena o que devo dizer e anunciar”.
Quero chamar a sua atenção, meu irmão, nas palavras de Jesus: “A palavra que eu falei o julgará no último dia”, ou seja, as palavras de Cristo nos haverão de julgar. O julgamento não será feito por Jesus, mas sim pela própria acolhida ou rejeição da Sua palavra.
Aproximemo-nos, acolhamos e sejamos dóceis a elas [palavras de Jesus]. Saiba que a participação – ou não – na vida eterna é opção minha e sua. Deus conta com a minha e a sua adesão na fé e com o nosso dom de amor a serviço da vida, a qual, assumida em Deus, é eterna. Quanto mais entramos em comunhão de vida, palavra e critérios com Jesus e o seu Reino, mais compreenderemos a expressão: “Ver Jesus é ver o Pai”, e preparados estaremos para a nossa união indivisível com Cristo, no Pai e no Espírito Santo.
Padre Bantu Mendonça
Fonte: Canção Nova em 24/04/2013

HOMILIA DIÁRIA

A luz de Jesus ilumina as nossas obscuridades

“Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas. Se alguém ouvir as minhas palavras e não as observar, eu não o julgo, porque eu não vim para julgar o mundo, mas para salvá-lo” (João 12,46-47).

O nosso Mestre Jesus é a luz para a nossa vida e para o mundo. De uma forma bem direta, Ele é a luz para o nosso coração, pois são muitas as trevas que encobrem a nossa alma, os nossos pensamentos e os nossos sentimentos.
Quantas coisas escuras e obscuras tomam conta de nós; de quanta obscuridade vive a humanidade, a sociedade e o mundo em que estamos; Quantas coisas confusas se espalham, se disseminam em nosso meio. E precisamos permanecer em Jesus.
Jesus não está na confusão, na bagunça, na briga, nos desentendimentos provocativos, onde simplesmente as pessoas querem criar discórdias umas com as outras. Jesus, mais do que iluminar com conceitos, nos ilumina com a vida e com a graça, Ele tira de dentro de nós aqueles sentimentos que impulsionam a nossa forma de ser e de agir.
A luz de Jesus ilumina aquilo que, dentro de nós, está machucado e ferido. Até podemos ter razão em muitas coisas na vida, mas toda razão que é ferida pelo ressentimento, pela mágoa e pelo rancor perde a sua razão de ser. Não dá para viver com quem impõe na vida apenas os frutos da sua raiva, dos seus medos e temores.
Precisamos da luz de Jesus para entrar nas feridas da alma e do coração, para iluminar os poços obscuros que criamos dentro de nós. Somos poços de feridas que fomos assimilando ao longo da vida e desde o ventre de nossa mãe, mas aquele que crê em Jesus vem como luz.

O nosso Mestre Jesus é a luz para a nossa vida e para o mundo

Às vezes, olhamos para as pessoas e elas vivem das feridas passadas, vivem sempre carregando os mesmos traumas e as mesmas mágoas. Eu passaria aqui o dia inteiro fazendo ladainha dos meus dramas da vida, mas não posso parar nos meus dramas, tenho que caminhar na luz que Jesus trouxe para aquilo que obscureceu as estradas da minha vida. Se no passado eu fui atropelado, eu também atropelei, preciso agora caminhar na luz, na direção de Deus, preciso ouvir as Palavras de Jesus e ser guiado por Ele.
Não posso ficar ouvindo a voz dos meus ressentimentos, dos meus rancores, a voz do mundo, a voz daqueles que criam dessabores, não posso ficar ouvindo “tudo e quanto é coisa”.
Abrimos o mundo em que estamos e, antigamente, era para abrir jornais; hoje, os jornais ficaram de lado, porque abrimos a internet, ligamos a televisão, ouvimos o rádio, tem tanta coisa entrando, são as pessoas o tempo inteiro falando no nosso ouvido.
Ouça Jesus, deixe que Ele seja a cura e a luz para todas as razões sem razões que há dentro de nós. Ele é a luz para a nossa vida e para a nossa existência.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 06/05/2020

Oração Final
Pai Santo, que fizeste da tua Palavra encarnada em Jesus o nosso juiz no último dia, dá-nos especial veneração por eia. Que nós a guardemos no coração, que a vivamos nos relacionamentos humanos e a anunciemos com amor aos irmãos peregrinos, nós te pedimos, Pai querido, pelo Cristo Jesus, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 24/04/2013

oRAÇÃO FINAl
Pai Santo, que és clemente e misericordioso, ajuda-nos a nos mantermos fiéis à Palavra que nos enviaste, através de uma vida simples e transparente, de testemunho do cuidado, do carinho misericordioso com os peregrinos desta terra, e da busca constante de tua Presença na oração. Pelo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, que contigo reina na unidade do Espírito Santo.