quarta-feira, 21 de abril de 2021

BOM DIA! BOA TARDE! BOA NOITE! Oração da noite, Oração da manhã e Oração do entardecer - Deus te abençoe!



Oração da Noite

Boa noite Pai.
Termina o dia e a ti entrego meu cansaço.
Obrigado por tudo e… perdão!!
Obrigado pela esperança que hoje animou meus passos, pela alegria que vi no rosto das crianças;
Obrigado pelo exemplo que recebi daquele meu irmão;
Obrigado também por isso que me fez sofrer…
Obrigado porque naquele momento de desânimo lembrei que tu és meu Pai; Obrigado pela luz, pela noite, pela brisa, pela comida, pelo meu desejo de superação…
Obrigado, Pai, porque me deste uma Mãe!
Perdão, também, Senhor!
Perdão por meu rosto carrancudo; Perdão porque não me lembrei que não sou filho único, mas irmão de muitos; Perdão, Pai, pela falta de colaboração e serviço e porque não evitei aquela lágrima, aquele desgosto; Perdão por ter guardado para mim tua mensagem de amor;
Perdão por não ter sabido hoje entregar-me e dizer: “sim”, como Maria.
Perdão por aqueles que deviam pedir-te perdão e não se decidem.
Perdoa-me, Pai, e abençoa os meus propósitos para o dia de amanhã, que ao despertar, me invada novo entusiasmo; que o dia de amanhã seja um ininterrupto “sim” vivido conscientemente.
Amém!!!

Oração da manhã

Bom-dia, Senhor Deus e Pai!
A ti, a nossa gratidão pela vida que desperta, pelo calor que
cria vida, pela luz que abre nossos olhos.
Nós te agradecemos por tudo que forma nossa vida, pela terra, pela água, pelo ar, pelas pessoas. Inspira-nos com teu Espírito Santo os pensamentos que vamos alimentar,as palavras que vamos dizer, os gestos que vamos dirigir,a comunicação que vamos realizar.
Abençoa as pessoas que nós encontramos, os alimentos que vamos ingerir.
Abençoa os passos que nós dermos, o trabalho que devemos fazer.
Abençoa, Senhor, as decisões que vamos tomar, a esperança que vamos promover,a paz que vamos semear,a fé que vamos viver, o amor que vamos partilhar.
Ajuda-nos, Senhor, a não fugir diante das dificuldades, mas a abraçar amor as pequenas cruzes deste dia.
Queremos estar contigo, Senhor, no início, durante e no fim deste dia.
Amém.

Oração do entardecer

Ó Deus!
Cai à tarde, a noite se aproxima.
Há neste instante, um chamado à elevação, à paz, à reflexão.
O dia passa e carregam os meus cuidados.
Quem fez, fez.
Também a minha existência material é um dia que se passa,
uma plantação que se faz, um caminho para algo superior.
Como fizeste a manhã, à tarde e a noite, com seus encantos,
fizeste também a mim, com os meus significados, meus resultados.
Aproxima de mim, Pai, a Tua paz para que usufrua desta
hora e tome seguras decisões para amanhã.
Que se ponha o sol no horizonte, mas que nasça
em mim o sol da renovação e da paz para sempre.
Obrigado, Deus, muito obrigado!
Amém!

LEITURA ORANTE DO DIA 21/04/2021



LEITURA ORANTE

Jo 6,35-40 - Jesus é o Pão da vida


Preparamo-nos para a Leitura orante, colocando-nos,
com todos os que se encontram em volta da mesa da Palavra
na presença de Deus e invocando o Espírito Santo:
Espírito de verdade,
a ti consagro a mente e meus pensamentos: ilumina-me.
Que eu conheça Jesus Mestre e compreenda o seu Evangelho.
Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

1. Leitura (Verdade)
Perguntamo-nos:
O que diz o texto do dia?
Lemos: Jo 6,35-40, e identificamos melhor quem é Jesus.
Jesus respondeu:
- Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim nunca mais terá fome, e quem crê em mim nunca mais terá sede. Mas eu já disse que vocês não creem em mim, embora estejam me vendo. Todos aqueles que o Pai me dá virão a mim; e de modo nenhum jogarei fora aqueles que vierem a mim. Pois eu desci do céu para fazer a vontade daquele que me enviou e não para fazer a minha própria vontade. E a vontade de quem me enviou é esta: que nenhum daqueles que o Pai me deu se perca, mas que eu ressuscite todos no último dia. Pois a vontade do meu Pai é que todos os que vêem o Filho e creem nele tenham a vida eterna; e no último dia eu os ressuscitarei.
Refletindo
Jesus se define "pão" da vida para aquele que nele crê. E revela também a vontade do Pai: que ninguém se perca.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para nós, hoje?
Jesus é para nós pão da vida.
Meditamos
Os bispos, em Aparecida, afirmaram: Damos graças a Deus que nos deu o dom da palavra, com a qual podemos comunicar-nos com Ele por meio de seu Filho, que é sua Palavra (cf. Jo 1,1), e entre nós. Damos graças a Ele que por seu grande amor fala a nós como a amigos (cf. Jo 15,14-15). Bendizemos a Deus que se nos dá na celebração da fé, especialmente na Eucaristia, pão de vida eterna. A ação de graças a Deus pelos numerosos e admiráveis dons que nos outorgou culmina com a celebração central da Igreja, que é a Eucaristia, alimento substancial dos discípulos e missionários.” (DAp 25).
E nós, temos a missão de oferecer este pão da vida a todas as pessoas que formos encontrando no dia de hoje. Oferecemos Jesus, o pão da vida, através de um gesto de solidariedade, através de uma palavra,  da Palavra, oferecendo um bom livro de presente. Podemos enviar esta reflexão a pessoas que temos em nossa  lista de endereços. Podemos fazer assim, como fez Jesus, a multiplicação dos pães.

3. Oração (Vida)
O que o texto nos leva a dizer a Deus?
Rezamos, com o Padre Zezinho, a canção:
Daqui do meu lugar
Daqui do meu lugar, eu olho teu altar,
e fico a imaginar aquele pão aquela refeição,
partiste aquele pão e o deste aos teus irmãos,
criaste a religião do pão do céu do pão que vem do céu,
somos a igreja do pão,
do pão repartido e do abraço e da paz,
somos a igreja do pão,
do pão repartido e do abraço e da paz,

Daqui do meu lugar, eu olho o teu altar,
e fico a imaginar aquela paz, aquela comunhão,
viveste aquela paz, e a deste aos teus irmãos,
criaste a religião do pão da paz,
da paz que vem do céu.
Somos a igreja da paz,
da paz partilhada e do abraço e do pão,
Somos a igreja da paz,
da paz partilhada e do abraço e do pão.
(CD Muito mais que pão, Pe. Zezinho,scj)


4. Contemplação (Vida e Missão)
Qual nosso novo olhar a partir da Palavra?
Nosso novo olhar é de solidariedade para com aqueles que têm fome e sede de Deus.

nção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Ir. Patrícia Silva, fsp

Prepare-se para o seu último momento, pois todos iremos morrer! - Padre José Augusto (21/04/2021)


Canal do Youtube - Canção Nova Play

Publicado em 21 de abr. de 2021

A vontade de Deus é a salvação de todos | (Jo 6, 35-40) #368​ - Meditação da Palavra - Frei Gilson



Publicado em 21 de abr. de 2021

Mãe Maria | Dom Walmor - 21/04/2021


Canal do Youtube: TV Horizonte

Publicado em 21 de abr. de 2021

Homilia Diária | Memória de Santo Anselmo de Cantuária, Bispo e Doutor - Padre Paulo Ricardo


Canal do Youtube: Padre Paulo Ricardo

Publicado em 20 de abr. de 2021

A vida de Santo Anselmo, como a de todos os santos, tem sempre muito a nos ensinar. Ele foi monge exemplar, teólogo penetrante, abade responsável e bispo dedicado. Mas foi também um exemplo — particularmente atual — de como as autoridades eclesiásticas devem estar dispostas a suportar o exílio e a perseguição para não se dobrarem às intromissões do poder civil em assuntos espirituais. Não, o católico não é um desobediente nem um rebelde, mas tampouco pode se esquecer do que disse Cristo: “Dai a César o que de César e a Deus o que é de Deus”. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta quarta-feira, dia 21 de abril, e peçamos a Deus que ilustre a Igreja com o exemplo de Santo Anselmo e nos dê, por sua intercessão, o mesmo zelo que ele teve pelas almas e os direitos do Evangelho.

HOMILIA DIÁRIA - (CANÇÃO NOVA) - Jo 6,35-40 - 21/04/2021


Jesus veio para que nossa vida seja eterna

“Pois esta é a vontade do meu Pai: que toda pessoa que vê o Filho e nele crê tenha a vida eterna. E eu o ressuscitarei no último dia” (João 6,40).


A vontade do Pai é que tenhamos vida, porque Deus nos criou para ela, e não foi para a morte. A morte não pertence a Deus, ela não vem de Deus, o que vem d’Ele é a vida.
Se a morte entrou no mundo por causa do pecado, se ela entra em nossa vida por causa do pecado, permitamos que o Filho de Deus, o Senhor da Vida, Aquele que veio para dar a vida, destrua o poder da morte em nós. Destruamos, primeiro, o pecado que nos conduz para a morte, e alimentemo-nos do Senhor, porque Ele é o Pão da Vida.
A expressão: “Jesus, Pão da Vida” é rica em significados e direção para nós, porque se Ele é o Pão da Vida, quem d’Ele comer tem a vida.
Disseram-me que muitos cientistas têm se dedicado a descobrir como tornar a vida do ser humano na Terra eterna, ou como eliminar a morte da vida do ser humano. É uma perda de tempo, porque aquilo que os cientistas vão se debruçar para tentar descobrir e nunca irão chegar, Aquele que é o Senhor da Vida já nos deu, Ele nos deu a vida eterna, a vida plena, deu-nos a vida repleta de significado e grandeza.

A vontade do Pai é que tenhamos vida, porque Deus nos criou para ela

Todo aquele que está em Jesus tem a vida eterna, e mesmo que esteja morto, o Senhor está dizendo: ele irá ressuscitar. Por isso, é preciso trazer um significado a nossa vida.
É triste ver quando alguém crê que a vida termina quando a pessoa morre, quando a pessoa diz: “Chegou o fim dos meus dias”, “Chegou a plenitude da minha vida”, “Chegou a razão da minha existência”.
Não há morte para aquele que crê, há transformação no sentido de viver, e a vida assume um significado eterno que ninguém mais pode roubar ou tirar, porque Aquele que nos deu uma vida, que se tornou limitada no caminhar terreno, agora se torna eterna na eternidade feliz que Deus criou para nós.
Se temos alguns momentos de felicidade na Terra, se temos períodos em que temos o sabor de viver, saiba que Deus quer nos saciar com o sabor eterno de viver, com o gosto da eternidade para nunca mais morrer.
Coloquemos em Jesus a razão da nossa vida, para termos uma vida rica de significados aqui e saboreá-la para sempre na presença de Deus. Ele veio para que a nossa vida seja plena e eterna!
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 21/04/2021

ANO B


Jo 6,35-40

Comentário do Evangelho

A vida dada pela fé em Jesus Cristo

O longo discurso sobre o pão da vida é uma catequese sobre a Eucaristia na qual o povo de Deus é sustentado com o alimento espiritual. A vida do ser humano não se reduz ao seu bem-estar material. No ser humano criado por Deus há uma sede, um anseio de vida plena e de Deus. Se pão e água são essenciais para a existência do ser humano, eles não podem dar à vida do homem sentido nem fazer com que experimente a vida em plenitude. No agradecimento depois da Eucaristia, a Didaqué sugere a seguinte oração: “Tu, Senhor Todo-poderoso, criaste todas as coisas por causa do teu Nome e deste aos homens o prazer do alimento e da bebida, para que te agradeçam. A nós, porém, deste uma comida e bebida espirituais, e uma vida eterna por meio do teu Servo” (Didaqué, X, 3). Para chegar à fé em Jesus é preciso não se deixar deter pelas aparências; é preciso o olhar do coração purificado pela ação do Espírito Santo. Noutras palavras, é indispensável “nascer do alto”. Somente nessa vida nova é que se pode reconhecer que a missão de Jesus é fazer a vontade do Pai que o enviou (v. 38). A vontade do Pai é que todos possam aceitar participar da vida divina, a vida eterna. Essa vida é dada pela fé em Jesus Cristo.
Carlos Alberto Contieri, sj
Oração
Pai, transforma-me em discípulo autêntico de teu Filho Jesus, de modo que a tua vontade seja o centro de minha existência, e eu experimente, já na Terra, a vida eterna.
Fonte: Paulinas em 07/05/2014

Vivendo a Palavra

O Evangelho de João desvenda o inefável Mistério: a Vida Eterna é ver e acreditar no Filho de Deus. Jesus oferece aos discípulos – que hoje somos nós! – nada menos do que o seu próprio Corpo – o Pão da Vida. Este é o alimento para seguirmos o Mestre pelas estradas da vida, juntos como irmãos.
Fonte: Arquidiocese BH em 07/05/2014

VIVENDO A PALAVRA

Amado Pai, nós Te oferecemos o Pão – fruto da terra de do trabalho dos homens. Transforma-o em Pão da Vida! Alimentados por Ele, nós nos incorporamos ao Universo criado e nos unimos a toda a humanidade, que trabalha pelo alimento. Assim saciados, glorificamos o Autor da Vida, Criador do Universo e Pai Misericordioso de todos nós.
Fonte: Arquidiocese BH em 29/04/2020

vIVENDO A PALAVRa

Um texto de Esperança que deveríamos ter gravado em nossos corações: o desejo de Deus – a Sagrada Vontade do nosso Pai Misericordioso! – é que nenhum de nós, que fomos dados ao Cristo, seu Filho Unigênito, se perca, mas que sejamos todos ressuscitados no último dia para a Vida Eterna!

Reflexão

A fé em Jesus Cristo é fundamental para a compreensão da eucaristia e para que se possa desfrutar deste sacramento, fundamental para a nossa vida espiritual, uma vez que ele é fonte de vida eterna. A vontade do Pai, ao enviar Jesus, é que todas as pessoas acreditem que Jesus é o seu enviado, o seu Filho amado, para que possam ser salvos por ele, e assim não se perca nenhum dentre os seus filhos e filhas. E, para que ninguém se perca, o Pai concede a quem vê e crê no seu Filho a vida eterna. É preciso que as pessoas vejam Jesus, creiam nele, participem da eucaristia, o sacramento do penhor da vida eterna, para que Jesus as ressuscite no último dia.
Fonte: CNBB em 07/05/2014

Reflexão

Os contemporâneos de Jesus veem o milagre da multiplicação dos pães e peixes (alimento material), mas não acreditam nele, não aceitam o dom de sua pessoa: “Vocês me viram e não acreditam”. No entanto, ele afirma de si mesmo: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim nunca mais terá fome, e quem acredita em mim nunca mais terá sede”. Ao dizer “Eu sou”, Jesus assume o nome do Deus libertador do Antigo Testamento (cf. Ex 3,14). Ele é o dom de Deus para a vida da humanidade. Jesus fala de uma vida definitiva, que ele quer transmitir. A condição para receber essa vida definitiva não é a aceitação intelectual de verdades e doutrinas. Trata-se de adesão profunda à pessoa de Jesus, que nos comunica vida plena. A salvação só estará completa com a ressurreição.
Oração
Ó Jesus, pão da vida, queremos unir-nos cada vez mais a ti, que disseste: “Desci do céu… para fazer a vontade daquele que me enviou”. Disseste também: “A vontade daquele que me enviou é que eu não perca nenhum dos que ele me tem dado, mas que eu ressuscite a todos no último dia”. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))
Fonte: Paulus em 29/04/2020

Reflexão

O Evangelho retoma o último versículo de ontem. Daqui até o fim do capítulo, o evangelista procura apresentar Jesus como o pão da vida, como ele mesmo se define: “Eu sou o pão da vida”. Muitos, porém, não o acolhem, pois não acreditam nas suas palavras e em seus sinais. Não basta simplesmente ver: mais importante é crer, mesmo não tendo visto. Jesus acolhe todos aqueles que o Pai lhe confia, cumprindo, assim, a vontade de Deus, o qual quer que ninguém se perca e que tenham a vida eterna, vida abundante para todos. O evangelista transcende a fome biológica e mostra que Jesus sacia todo tipo de fome: de justiça, de solidariedade, de compromisso. Crer no Mestre é se comprometer com ele e assumir sua proposta em favor da vida. Quem crê em Jesus une-se a ele e forma com ele uma só coisa, e assim tem, desde agora, a vida eterna.
Oração
Ó Jesus, pão da vida, queremos unir-nos cada vez mais a ti, que disseste: “Desci do céu… para fazer a vontade daquele que me enviou”. Disseste também: “A vontade daquele que me enviou é que eu não perca nenhum dos que ele me tem dado, mas que eu ressuscite a todos no último dia”. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2021 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp e Pe. Nilo Luza, ssp)

Recadinho

O que você mais admira em Jesus? - Quando Jesus se mostrou amável? (Cite um fato). - Sua comunidade cuida bem da casa de Deus, a igreja? - Você respeita seu próximo como templo de Deus? - Você procura ser atencioso e amável com todos ou se irrita facilmente?
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R
Fonte: a12 - Santuário Nacional em 07/05/2014

Meditando o evangelho

O PÃO DA VIDA

Ao afirmar ser o pão da vida, Jesus estava evocando um fato importante da história de Israel, o êxodo do Egito e a longa travessia pelo deserto, onde o povo, faminto e sedento, foi saciado pela Providência divina. Aliás, jamais o povo viu-se privado de pão e água, naquela circunstância delicada de sua história, pois Deus caminhava com ele.
Da mesma forma, a Providência divina jamais deixou de agir em favor da humanidade. Sua bondade manifestou-se, de forma grandiosa, ao saciar, definitivamente, a fome e a sede da humanidade, por meio de seu Filho Jesus. Quem dele se acerca, não terá mais fome nem sede. Antes, poderá estar certo de ter forças para alcançar à meta da caminhada.
A evocação do êxodo oferece uma perspectiva particular para considerar quem, na fé, adere ao Ressuscitado. O cristão faz parte do verdadeiro povo de Deus, a caminho para a casa do Pai. É o êxodo definitivo, durante o qual defronta-se com toda sorte de desafios, correndo o risco de não perseverar até o fim.
Sabendo-se saciado pelo alimento celeste - Jesus -, o cristão recobra as forças, e não se deixa abater pelos reveses da vida. A Eucaristia sacramentaliza esta experiência de fé. Alimentando-se com o pão eucarístico os cristãos revigoram sua fé no Senhor ressuscitado. É o alimento verdadeiro. Engana-se quem imagina poder enfrentar o deserto do mundo, sem contar com ele.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Espírito que sacia nossos anseios profundos, guia-me ao Ressuscitado, junto do qual não terei mais fome nem sede.

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

1. Eles viam Jesus como um grande profeta
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Às vezes quando vamos a alguma festa de poucos convidados, nunca comemos à vontade e quando chegamos em casa, pode até ser tarde da noite se for um Jantar, acabamos assaltando a geladeira porque por vergonha comemos pouco e não saciamos a fome. Quando vou a uma festa assim, e tenho liberdade de brincar com meus anfitriões, costumo dizer à saída “Vou embora que ainda tenho de jantar”.
As lideranças religiosas do Judaísmo viam Jesus como um grande profeta; reconheciam o seu Carisma de ensinar de uma maneira renovada, mas não tinham Fé suficiente para romperem com toda e qualquer segurança Religiosa, e aderirem somente a Ele. Valorizavam somente as suas tradições e as Palavras de Jesus acabavam caindo no vazio em seus corações. Não se saciavam do banquete que ele oferecia e preferiam um “Lanche rápido” das suas tradições Mosaicas.
Não conseguiam entender que nos Patriarcas e nos Santos Profetas, entre eles Moisés, que tanto veneravam, Deus tinha só mandado um recado, e que agora em Jesus de Nazaré, o Verbo Encarnado, o próprio Deus lhes falava, sem intermediários.
O mais incrível é que Jesus lhes falava às claras. Não inventou outro deus desconhecido deles, não revogou a Lei antiga, manteve-se fiel  a Religião de Israel submetendo-se á Lei, como diz o apóstolo, em suma, era um deles mas que tinha em si a Plenitude que Deus Pai havia prometido na Aliança Antiga a todo Povo de Israel.
Não havia outra Verdade a ser anunciada: Jesus é a própria Verdade anunciada pelos Homens Santos que o precederam, porém, um Deus assim tão humano, que desceu do céu, era demais para os Guardiães da Tradição e da Lei, que acreditavam em um Deus muito bondoso e poderoso, onipotente e onipresente, três vezes Santo, mas tão Santo que jamais iria se misturar ao Ser Humano.
O Pai o enviara com a missão de ganhar a toda humanidade, o Pai o enviara para que diante dos homens Jesus fosse o modelo de homem Novo, fiel e submisso á Vontade Divina. Em um primeiro momento nem precisaria imitá-lo, bastava apenas ter Fé em quem Ele era, manifestando a Fé, Jesus Cristo lhes comunicaria a sua Graça Santificante e Operante. E o mais inédito e espetacular, o Verbo Encarnado acabaria com a idéia do Xeol, de uma Mansão dos Mortos onde a Vida humana terminava melancolicamente sem nenhuma perspectiva.
Todo aquele que vê o Filho e nele crê tem a Vida eterna e eu o ressuscitarei no último dia. Eis uma promessa que nenhum ser humano jamais havia feito. Somente o Deus da Vida poderia fazê-lo.  Notem o verbo ter no presente “Tem” e não “Terá”. Essa Vida Nova com a qual Israel tanto sonhou em sua história de alegrias e tragédias, Jesus a oferecia naquele momento. Mas a falta de uma Fé mais madura e menos infantil, os impedia de enxergarem e compreenderem tudo aquilo. Essa Realidade já está presente em nossa mente e alma, ou ainda como Marta, a irmã de Lázaro, achamos que somente no último dia é que tomaremos posse dela?

2. Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome, e quem crê em mim nunca mais terá sede - Jo 6,35-40
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

Quem não se alimenta acaba morrendo de fome. São Maximiliano Kolbe morreu de fome na prisão nazista juntamente com outros companheiros condenados à morte. Devemos comer, nem demais nem de menos, mas com moderação para manter-nos vivos e com boa saúde. A nossa vida cristã também deve ser alimentada, e o alimento que a mantém viva e sadia é Jesus. Como podemos nos alimentar da pessoa de Jesus? Deixando que ele se apodere de nossa vida. Ele mesmo toma a iniciativa, aproxima-se de nós e nos pega. São Paulo diz aos filipenses que foi agarrado por Cristo Jesus e que agora ele também tenta agarrar Jesus Cristo. Jesus faz a sua parte do seu jeito e nós fazemos a nossa do nosso jeito. Há pessoas com as quais nos sentimos muito bem, cuja presença nos torna felizes. Assim será o nosso relacionamento com Jesus, de pessoa a pessoa. Além disso, nós o temos vivo nas Escrituras Sagradas. Podemos ler e meditar a Bíblia, sobretudo os Evangelhos. Jesus está presente no próximo, sobretudo nos menos amados. Alimentando-nos assim de Jesus Cristo, nossa vida humana, divina, material, espiritual, nossa vida, enfim, se fortificará de tal forma que nunca morrerá. Nós ressuscitaremos!
Fonte: NPD Brasil em 29/04/2020

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

1. Religião e Fé.
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Esta semana o evangelho de São João vem nos questionando sobre que tipo de Religião é a nossa, qual é na verdade a prática da nossa Fé. Ter e se viver uma Religião é ter um relacionamento com Deus e a reflexão tem seu enfoque justamente nesse ponto: como é o nosso relacionamento com Deus e como deveria ser. O evangelho não é uma lição de moral que Jesus no passado deu a um grupo do Judaísmo que o rejeitava, mas é uma palavra atualizadíssima para a nossa vida. Muitas vezes, por orgulho e prepotência, ou por comodismo, meditamos o evangelho e pensamos “Puxa, meu vizinho, meu marido, minha esposa, meu colega de serviço tinha que ler isso...” Mas não é no vizinho, no filho ou filha, esposo ou esposa, que o Espírito Santo quer aprofundar a palavra de Deus, mas sim em nós que o refletimos.
Havia um grupo de Judeus que estavam seguindo Jesus, quase convictos de que ele era o Messias, é a este grupo que em toda esta semana Jesus vem fazendo uma ampla catequese sobre a sua pessoa e missão. Era difícil para este grupo romper com a tradição de Israel e ficar só com a Fé em Jesus Cristo. A mesma dificuldade tem hoje muitas pessoas que são indiferentes à Fé Cristã, ou olham o cristianismo com desconfiança. Talvez nosso erro como evangelizadores e missionários, é falar ás vezes de maneira excessiva sobre o nosso Movimento ou Pastoral, ou sobre a instituição da Igreja, e muito pouco sobre quem é Jesus e a sua ação libertadora que conduz o homem a Salvação.
A Instituição vai passar, o Movimento e as Pastorais também passarão, mas o Reino de Deus do qual Jesus é o anunciador e Edificador no meio dos homens, esse é perene. Jesus ao falar de si, que desceu do Céu, promete algo inédito para quem Nele crer: a Ressurreição no último dia e a Vida Eterna! A Instituição com todos os seus rituais e Sacramentos, sua organização hierárquica, deve ser sempre um sinal desta Vida Nova, os Sacramentos sinalizam, indicam, mostram, motivam, fortalecem mas precisam ser assumidos, vividos e celebrados por todos os que creem em Jesus Cristo.
Eis o grande problema daquele grupo de Judeus radicais e tradicionalistas: Viam Jesus, sua pessoa, suas ações a favor da Vida das pessoas, mas não acreditavam que ele trazia algo mais forte e poderoso do que a Velha Instituição do Judaísmo. A pessoa de Jesus, sua missão e modo de agir, está sempre em conformidade com a Vontade do Pai, nossas ações, gestos, atitudes e palavras, devem sempre estar de acordo com o Evangelho, em comunhão com Cristo e segundo a Vontade de Deus. Qualquer estrutura, até mesmo religiosa, se não estiver nessa linha do serviço e da Fé genuína no seu Senhor que é Jesus, corre sim o risco de ser opressora.

2. Eu desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou - Jo 6,35-40
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

Jesus afirma que ressuscitará no último dia quem nele crê. Esta é a vontade do Pai, que não se perca nenhum daqueles que ele deu a Jesus. Esta é a vontade do Pai, que quem vê o Filho e nele crê tenha a vida eterna e ressuscite no último dia. Enquanto o último dia não chega, o que fazemos? Vamos a Jesus, que é o pão da vida, sabendo que ele é o alimento da vida eterna, sabendo que serão saciados os que têm fome e sede de justiça. E a fome e sede sentidas pelo corpo que necessita de alimentos para manter-se vivo? Quem dá de comer a tantas pessoas famintas e sedentas no mundo de hoje? Crendo em Cristo, participando da Eucaristia e esperando a ressurreição procuramos estar em tudo atentos às necessidades uns dos outros. Se falamos em partilhar o alimento, falamos também em não desperdiçar. Se falamos em partilhar, falamos também em não desviar. Não ressuscitará para a vida quem desvia para si mesmo o que se destina à moradia, à saúde, à educação de todos. O que é de todos não é só meu. “Queres honrar o Corpo de Cristo?”, pergunta São João Crisóstomo. “Não permitas que seja desprezado nos seus membros, isto é, nos pobres que não têm o que vestir.”

HOMILIA

O PÃO DA VIDA

A nossa salvação é o maior desejo do coração de Deus. Foi o próprio Jesus que nos revelou isto, ao dizer: “É esta a vontade daquele que me enviou: ‘Que eu não perca nenhum daqueles que Ele me deu, mas os ressuscite no último dia’”! Jesus Cristo veio fazer a vontade do Pai e é muito bom saber que a nossa vida está entregue nas mãos Dele e que o nosso futuro é promissor, pois está assegurado nas Suas Palavras. Crer em Jesus Cristo é, portanto, deixar-se entregar à Sua ação salvífica e nunca duvidar do Seu domínio sobre a nossa vida e a nossa morte. Jesus não veio apenas nos propor a vida eterna depois da morte, mas também nos assegura uma vida terrena fortalecida pela Sua presença, no pão que alimenta o nosso espírito, o pão do Céu. A Palavra de Deus é via de amor e fortifica a nossa caminhada aqui na terra. A Eucaristia é a presença do Deus vivo correndo nas nossas veias regenerando e purificando o nosso corpo e a nossa alma. Quem come a carne e bebe o sangue de Jesus tem a vida eterna. Esta é, portanto, a vontade do nosso Pai que está nos céus! Reflita – Você tem percebido a ação da Palavra de Deus na sua vida? – Em que a Palavra tem lhe modificado? – Qual a sua percepção sobre a Eucaristia? – Se você crê nas palavras de Jesus você então, tem o seu futuro garantido.
A Eucaristia é um mistério, uma realidade salvífica. As suas riquezas somente são acessíveis a quem acolher palavra reveladora de Jesus. Escutemos, então, o próprio Jesus, que quis revelar a verdade e a beleza deste mistério da fé. Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crêe em mim nunca mais terá sede.
A partir do que Jesus está falando a mim e a você precisamos acatar de uma voz por todas que a vida nos vem do Pão que desceu do céu. E esta vida é Jesus que se faz presente na história humana e nos dá o sentido pleno da vida, e sacia a fome e a sede de vida eterna.
Portanto, faça da Eucaristia que comunga todos os dias o Pão dos fortes e da sua vida uma missão entre os homens, seus irmãos anunciando-lhes a salvação que Cristo o Pão da Vida nos trouxe. Seja instrumentos de alegria, da paz, da justiça, do amor, e da vitória de Deus na vida dos seus. É o próprio Jesus quem está falando isso para ti meu irmão e minha irmã: Pois a vontade do meu Pai é que todos os que vêem o Filho e crêem nele tenham a vida eterna; e no último dia eu os ressuscitarei. Portanto, acredite e tenha fé no Pão da vida. Você e os seus viverão eternamente.
Pai, transforma-me em discípulo autêntico de teu Filho Jesus, de modo que a tua vontade seja o centro de minha existência, e eu experimente, já na Terra, a vida eterna.
Padre Bantu Mendonça Katchipwi Sayla
Fonte: Liturgia da Palavra em 07/05/2014

HOMILIA DIÁRIA

A eternidade é a presença de Deus no meio de nós

Que tudo aquilo que nós somos: corpo, alma e espírito, seja inteiramente saciado pela presença maravilhosa do Senhor entre nós!

”Pois esta é a vontade do meu Pai: que toda pessoa que vê o Filho e nele crê tenha a vida eterna. E eu o ressuscitarei no último dia” (João 6, 40).

Por meio desta catequese maravilhosa que Jesus faz a nós sobre o pão da vida, sobre o que esse pão da vida realiza em nós, Ele, hoje, nos introduz na eternidade, nos dá a vida e concede a ela [à vida] um sentido mais pleno, um sentido eterno. Qualquer alimento que nós comemos nessa Terra pode até nos fazer mais fortes e mais saciados, mas não existe nenhum alimento que nos sacie para a eternidade, não existe nenhum alimento que gere a eternidade dentro de nós.
Quando nós nos alimentamos de Jesus e de Sua Palavra e fazemos d’Ele o alimento da nossa vida, a vida d’Ele resplandece em nós. A vida do Senhor Jesus acontece dentro de nós, e assim como Jesus ressuscitou e não morre mais, a eternidade é presente, é perene n’Ele. Cristo nos sacia, nos convida e nos introduz e nos faz participar da eterna bem-aventurança, que o Pai preparou para nós.
É um engano nosso acharmos que a eternidade é a realidade depois da morte. A eternidade é a presença de Deus em nós, que jamais se acaba e jamais terá fim. Mesmo em meio aos sofrimentos, ao vale de lágrimas, mesmo em meio às coisas perecíveis da Terra, nós já somos introduzidos na eternidade quando nós levamos a vida em Deus e Ele passa ser um em nós.
O que a Eucaristia faz em nós, primeiro, é nos ajudar a vencer o medo da morte, o drama da morte que nos causa inquietações, dúvidas, incertezas, sentimentos que geram um vazio no coração de tantas pessoas. A morte é que causa tristeza para muitos, em Deus ela é apenas uma passagem, é apenas o prêmio: assumir plenamente aquilo que o Senhor sempre nos prometeu, porque, quando nós nos saciamos de Jesus, nós já começamos a fazer parte dessa eternidade feliz.
A promessa de Jesus, para nós, é justamente esta: primeiro nos fazer participar da eternidade, e depois ainda que o nosso corpo pereça, seja aniquilado, destruído, ainda que a terra sugue todo o nosso corpo físico, o Senhor, no dia final, promete nos ressuscitar. A Eucaristia, a presença de Jesus entre nós, não é um alimento só para a nossa alma ou só para o nosso espírito (ainda que alma contenha todo o nosso ser); pois até nosso corpo é saciado com esse  sacramento, porque ele também vai participar da eternidade em Deus.
Que tudo aquilo que nós somos: corpo, alma e espírito, seja inteiramente saciado pela presença maravilhosa do Senhor entre nós! Que nós sejamos saciados pela eternidade com o corpo de Nosso Senhor!
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 07/05/2014

HOMILIA DIÁRIA

A eternidade começa para quem vive a vida em Jesus

“Pois esta é a vontade do meu Pai: que toda pessoa que vê o Filho e nele crê tenha a vida eterna. E eu o ressuscitarei no último dia” (João 6,40).

O que é a vontade de Deus para a minha vida? Que eu veja o Seu Filho e creia n’Ele, que eu leve a vida em nome de Jesus e que Ele seja tudo na minha vida.
Não podemos colocar a nossa confiança, a nossa esperança, a nossa vida e a nossa fé em mais nada, a não ser em Jesus. Estamos diante do limite da vida humana, experimentando quão frágil e limitada ela é. Tocar na fragilidade da vida humana é uma realidade que muitos de nós queremos ignorar, não queremos pensar nem encarar.
Se não encararmos agora [a fragilidade humana], vamos encará-la depois, mas termos consciência dela é importante. Não é para nos sentirmos fracassados, pelo contrário, é para termos a certeza e a convicção de que somente Aquele que nos deu a vida é capaz de dar sentido pleno a essa vida, e que Ele pode nos dar a vida eterna.

A eternidade começa agora para quem entrega a sua vida a Jesus

A vida terrena foi dada a todos que estão nela, mas a vida eterna só é dada àquele que crê em Jesus, o Filho de Deus.
Jesus é a vida, e todo aquele que n’Ele crê não perece, mas sua vida se torna plena. Podemos até tocar na morte ou a morte nos tocar, mas Ele há de nos ressuscitar.
A Ressurreição do último dia, na verdade, corresponde à Ressurreição do primeiro dia, porque foi no primeiro dia da semana que Jesus ressuscitou. Aquilo que seria para nós o último dia, o fim das coisas ou o fim dos tempos, torna-se, hoje, o primeiro dia da nossa vida, o primeiro dia da eternidade.
É por isso que, a cada celebração Pascal, a cada domingo, celebro a minha eternidade, porque Aquele que eu creio ressuscitou, e ninguém mais pode Lhe tirar a vida; e quando estou n’Ele, eu participo da eternidade. Não preciso esperar morrer para estar com Jesus, pois a eternidade começa, agora, para quem entrega a sua vida a Ele, para quem vive a sua vida em Jesus, para quem coloca n’Ele a sua confiança, a sua esperança e o seu coração.
Tenhamos a vida de Deus em nós, porque Ele está no meio de nós, dando-nos a vida e levando-nos para viver a eternidade com Ele a cada dia.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 29/04/2020

Oração Final
Pai Santo, que nos deste teu Filho Unigênito como alimento para a Vida Eterna, infunde-nos sincera veneração pelo Mistério de Amor que é a Eucaristia. Sim, Pai amado, se foi grande tua generosidade, dando-nos teu Filho, maior foi a entrega dele por nós – a sua própria vida. Pelo mesmo Cristo Jesus, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 07/05/2014

ORAÇÃO FINAL
Amado Pai, nós Te oferecemos o Pão – fruto da terra de do trabalho dos homens. Transforma-o em Pão da Vida! Alimentados por Ele, nós nos incorporamos ao Universo criado e nos unimos a toda a humanidade, que trabalha pelo alimento. Assim saciados, glorificamos o Autor da Vida, Criador do Universo e Pai Misericordioso de todos nós.
Fonte: Arquidiocese BH em 29/04/2020

oRAÇÃO FINAl
Pai nosso, mostra-nos o teu Amor e nos dá a tua Salvação! Alimenta-nos com o Pão da Vida! Que o Sacramento – Sinal que recebemos na Eucaristia – assimilado por nosso corpo, nos dê sabedoria, força e coragem para nos sentirmos unidos à Natureza, aclamando-Te como Criador, e à Humanidade, amando-Te como Pai Misericordioso. Pelo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.