sexta-feira, 25 de junho de 2021

BOM DIA! BOA TARDE! BOA NOITE! Oração da noite, Oração da manhã e Oração do entardecer - Deus te abençoe!



Oração da Noite

Boa noite Pai.
Termina o dia e a ti entrego meu cansaço.
Obrigado por tudo e… perdão!!
Obrigado pela esperança que hoje animou meus passos, pela alegria que vi no rosto das crianças;
Obrigado pelo exemplo que recebi daquele meu irmão;
Obrigado também por isso que me fez sofrer…
Obrigado porque naquele momento de desânimo lembrei que tu és meu Pai; Obrigado pela luz, pela noite, pela brisa, pela comida, pelo meu desejo de superação…
Obrigado, Pai, porque me deste uma Mãe!
Perdão, também, Senhor!
Perdão por meu rosto carrancudo; Perdão porque não me lembrei que não sou filho único, mas irmão de muitos; Perdão, Pai, pela falta de colaboração e serviço e porque não evitei aquela lágrima, aquele desgosto; Perdão por ter guardado para mim tua mensagem de amor;
Perdão por não ter sabido hoje entregar-me e dizer: “sim”, como Maria.
Perdão por aqueles que deviam pedir-te perdão e não se decidem.
Perdoa-me, Pai, e abençoa os meus propósitos para o dia de amanhã, que ao despertar, me invada novo entusiasmo; que o dia de amanhã seja um ininterrupto “sim” vivido conscientemente.
Amém!!!

Oração da manhã

Bom-dia, Senhor Deus e Pai!
A ti, a nossa gratidão pela vida que desperta, pelo calor que
cria vida, pela luz que abre nossos olhos.
Nós te agradecemos por tudo que forma nossa vida, pela terra, pela água, pelo ar, pelas pessoas. Inspira-nos com teu Espírito Santo os pensamentos que vamos alimentar,as palavras que vamos dizer, os gestos que vamos dirigir,a comunicação que vamos realizar.
Abençoa as pessoas que nós encontramos, os alimentos que vamos ingerir.
Abençoa os passos que nós dermos, o trabalho que devemos fazer.
Abençoa, Senhor, as decisões que vamos tomar, a esperança que vamos promover,a paz que vamos semear,a fé que vamos viver, o amor que vamos partilhar.
Ajuda-nos, Senhor, a não fugir diante das dificuldades, mas a abraçar amor as pequenas cruzes deste dia.
Queremos estar contigo, Senhor, no início, durante e no fim deste dia.
Amém.

Oração do entardecer

Ó Deus!
Cai à tarde, a noite se aproxima.
Há neste instante, um chamado à elevação, à paz, à reflexão.
O dia passa e carregam os meus cuidados.
Quem fez, fez.
Também a minha existência material é um dia que se passa,
uma plantação que se faz, um caminho para algo superior.
Como fizeste a manhã, à tarde e a noite, com seus encantos,
fizeste também a mim, com os meus significados, meus resultados.
Aproxima de mim, Pai, a Tua paz para que usufrua desta
hora e tome seguras decisões para amanhã.
Que se ponha o sol no horizonte, mas que nasça
em mim o sol da renovação e da paz para sempre.
Obrigado, Deus, muito obrigado!
Amém!

DIA MUNDIAL DOS AVÓS - Dia dos Avós nos convida a olhar para esta vocação, diz religiosa

SEXTA-FEIRA, 25 DE JUNHO DE 2021, 7H57

Coordenadora nacional da Pastoral da Pessoa Idosa comenta os preparativos para o Dia Mundial dos Avós no Brasil

Da redação - Denise Claro

Primeiro Dia Mundial dos Avós será celebrado em 25 de julho deste ano
Foto: Denise Claro

A coordenadora nacional da Pastoral da Pessoa Idosa no Brasil, Irmã Maria Lúcia Rodrigues, afirma que a data significa um reconhecimento por todo bem que a pessoa idosa fez e continua fazendo, sobretudo na Igreja e nas famílias.
“É o momento de dar visibilidade, ter respeito, gratidão pela sabedoria por aqueles que um dia cuidaram de nós. É um chamado a voltar nossa atenção, na valorização, acolhida, fazendo pequenos gestos de carinho, ternura para com os idosos, mostra-se solidário e resgatar a dignidade dos avós e dos idosos.”

Mensagem do Papa

Para a religiosa, a mensagem do Papa para a data é profunda, carinhosa, próxima e solidária. Ao mesmo tempo, chama os avós e idosos ao compromisso, a responder à vocação e ao chamado de Deus nesta fase da vida.
“Convida a Igreja a olhar o sofrimento, abandono, solidão, falta de afeto, falta de reconhecimento, agressões de todos os tipos e violações de direitos em que vivem os idosos, sobretudo neste tempo de pandemia. Convida a ser anjo que visita, vai ao encontro levando um abraço, que se coloca ao lado na escuta atenta e afetuosa. Este anjo pode ser alguém da família, um amigo, o líder da Pastoral da Pessoa Idosa que se coloca nesta disposição de acompanhamento sistemático da pessoa idosa, levando a ternura de Deus.”

Acesse

Irmã Maria Lúcia ressalta que os avós e os idosos têm uma vocação especial, que é salvaguardar as raízes, transmitir a fé aos jovens e cuidar dos pequeninos. Ao ressaltar sobre a vocação e missão dos avós e idosos, Papa Francisco mostra a capacidade e responsabilidade nesta missão e que não existe idade para se aposentar da tarefa de anunciar o Evangelho e transmitir as tradições aos netos.
Os sonhos, a memória e a oração, são os pilares indispensáveis para construção de um mundo melhor, diz a religiosa. É preciso sonhar com a justiça, paz, solidariedade para que os mais jovens tenham novas visões, e juntos, jovens e idosos construir o futuro.
“Recordar é uma missão verdadeira e própria de cada idoso. Fazer memória é viver, é iluminar o presente para construir um mundo mais humano e acolhedor. A oração dos idosos é um recurso precioso que sustenta, dá força, ‘pulmão’, e é o porto seguro.”
A coordenadora destaca a fala do Papa Francisco quando diz da importância da convivência entre as gerações dos mais novos com os mais velhos. E também de dar aos idosos um lugar pleno na comunidade eclesial, sempre enfatizando que todas as gerações devem caminhar juntas.

Leia também

A data no Brasil

Irmã Maria Lúcia Rodrigues é coordenadora
nacional da Pastoral da Pessoa Idosa
Foto: Arquivo Pessoal

Irmã Maria Lúcia conta que a Pastoral da Pessoa Idosa está entusiasmada com a celebração da data.
“Estamos divulgando a data anunciada pelo Papa Francisco para todas as lideranças da Pastoral, bem como para a comunidade em geral, por meio das redes sociais e outros meios de comunicação. Desta maneira, estimulando que seja bastante comemorado e lembrado como já acontece, por exemplo, com o dia das mães. Isso ajuda a fortalecer os laços familiares das pessoas idosas, contribuindo para sua valorização e respeito. Estamos preparando a semana do dia dos avós, articulando-nos junto à CNBB e outras Pastorais.”
A religiosa afirma que a CNBB está organizando junto às Pastorais para que esse dia seja lembrado e celebrado, ficando a critério da criatividade de cada Paróquia celebrar festivamente pelo menos uma Missa evidenciando a data do dia dos avós.

Leia também

Indulgência

Receberão a indulgência, sob as condições habituais, os avós, idosos e todos os fiéis que participarem no dia 25 de julho de 2021 da celebração que o Papa presidirá na Basílica Vaticana ou então das diversas funções que ocorrerão em todo o mundo. Também poderá ser aplicada em sufrágio das almas do Purgatório.
A indulgência também será concedida nesse dia àqueles que visitarem, real ou virtualmente, idosos necessitados ou em dificuldade. Da mesma forma, estende-se aos idosos doentes e todos que estiverem impossibilitados de sair de casa por motivo grave e se unirem espiritualmente à data. E isso pode ser pela televisão, rádio ou pelos novos meios de comunicação.

Leia também

SUPER-HERÓI NA CATEQUESE - Papa se depara com Homem-Aranha que faz sorrir crianças doentes

QUARTA-FEIRA, 23 DE JUNHO DE 2021, 9H25

Jovem vestido de Homem-Aranha estava na catequese de hoje; ele faz trabalho voluntário levando alegria a crianças hospitalizadas

Da Redação, com Vatican News

Papa cumprimenta o Homem-Aranha na audiência geral
Foto: REUTERS/Remo Casilli

O Homem-Aranha apareceu nesta quarta-feira, 23, na audiência geral com o Papa Francisco no Pátio São Dâmaso, no Vaticano. Além de entregar sua máscara, o herói “revelou” sua identidade. É Mattia Villardita, um jovem de 28 anos que leva alegria a crianças hospitalizadas.
A história de Mattia está interligada à de muitas crianças que se encontram em alas pediátricas nos hospitais. Segundo Mattia, elas são os verdadeiros super-heróis, bem como suas famílias, que lutam com esperança.
“Eu me visto de Homem-Aranha para tirar um sorriso das crianças que estão no hospital: eu faço isso porque tenho uma doença congênita. Durante 19 anos eu entrava e saía do Hospital Gaslini, em Gênova, e eu teria gostado muito, quando estiva lá, sozinho, no meu leito, de ver o Homem-Aranha entrar pela janela do meu quarto…”, disse ele.
Segundo o jovem, é assim que se torna Homem-Aranha: com o coração. Não há “um curso para super-herói” mesmo que Mattia tenha criado a associação Super-herói nas enfermarias.
“Somos um grupo de jovens envolvidos no trabalho voluntário que, vestidos de ‘heróis’, levamos momentos de distração nas alas pediátricas dos hospitais”. “Eu usei pela primeira vez esta máscara 4 anos atrás, no Natal: tinha que entregar um computador no Hospital São Paulo de Imperia e inventei algo que pudesse divertir as crianças que estavam vivendo o que eu também tinha vivido”.

Em missão no Hospital Gemelli

O Homem-Aranha também realizou suas proezas no período de lockdown. “Fiz mais de 1.400 chamadas de vídeo, já que não podia ir pessoalmente”, disse ele.
Mattia acompanha as crianças através do contato contínuo com seus pais até mesmo quando elas voltam para casa. “Organizamos festas surpresa ou simplesmente a entrega de uma pizza”, frisou.
No ano passado, o presidente da República Italiana, Sergio Mattarella, concedeu-lhe a Honra de Mérito por “altruísmo e iniciativas fantasiosas com as quais ele contribui para aliviar o sofrimento dos pacientes jovens dos hospitalares”. Poderia ser a definição perfeita de um super-herói, “alguém que tenta tornar o mundo melhor do que o encontrou”.
Na tarde desta quarta-feira, 23, no Hospital Gemelli, o Homem-Aranha também encontrará a comunidade de pessoas afetadas por fibromialgia. Trata-se de uma doença “desconhecida” que afeta 2 milhões de pessoas na Itália, e das pessoas que as assistem tanto do ponto de vista sanitário quanto pastoral.

38 ENCONTROS - Catequeses sobre a oração: relembre as reflexões do Papa Francisco

TERÇA-FEIRA, 22 DE JUNHO DE 2021, 12H55

Em 38 catequeses sobre a oração, Papa apresentou modelos a seguir e enfatizou a força da oração na vida da igreja

Da Redação, Jéssica Marçal

Papa Francisco durante catequese na Biblioteca Vaticana
Foto: IPA/Sipa USA via Reuters

Todas às quartas-feiras, já é tradição o encontro do Papa com os fiéis: a audiência geral ou “catequese”, como é conhecida no Brasil. Na última quarta-feira, 16, Francisco encerrou um ciclo de catequeses sobre a oração.
Este foi um dos maiores ciclos deste pontificado. Foram 38 reflexões, que começaram em 6 de maio de 2020 com o tema “O mistério da oração”. Com uma pausa para o ciclo de catequeses sobre a pandemia, as reflexões retornaram em 7 de outubro passado.

Dom Milton Kenan Júnior
Foto: Diocese de Barretos (SP)

“As 38 reflexões que o Papa Francisco destinou à oração, neste período de pandemia, surgiram como a resposta de um pastor preocupado em alimentar a esperança do seu rebanho”. Quem afirma é o responsável pela Animação Bíblico-Catequética do Regional Sul 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Milton Kenan Júnior.

Exemplos bíblicos e tipos de oração

Francisco destacou que a oração é o respiro da fé. Ele trouxe à luz o exemplo de personagens bíblicos, como Abraão, Moisés e Davi, além de outros. Não faltou na reflexão de Francisco o modelo orante de Nossa Senhora.
“Através deles, ele nos apresentou o percurso da oração que assume, em cada pessoa, um contorno próprio”, pontua Dom Milton, que é bispo da diocese de Barretos (SP).
O Papa também explicou aos fiéis os diversos tipos de oração – súplica, louvor, ação de graças, intercessão. A conclusão, na semana passada, foi sobre a oração pascal de Jesus, um modelo para a oração do cristão.
De todas as reflexões, uma tocou Dom Milton de modo especial: a de 11 de abril passado, quando o Papa mencionou que a Igreja é casa e escola de oração. “Ele diz que a Igreja nasce na oração, e tudo cresce graças à oração. Ele diz que corremos o risco de esquecer-nos da oração quando organizamos ou planejamos a vida da Igreja”.

Sobre as audiências gerais

A cada audiência geral, o Pontífice traz um tema para reflexão ou ainda o desdobra em vários encontros, os chamados ciclos de catequese. No Pontificado de Francisco, já houve ciclo de reflexões sobre a família, a misericórdia e os sacramentos, por exemplo.
As audiências gerais são o principal encontro entre o Papa e os peregrinos que visitam Roma. O início foi no pontificado de João XXIII – nasceram em pleno Concílio Vaticano II – e o Papa Paulo VI as estruturou com o formato utilizado hoje em dia.
“É o momento em que o Papa, fiel à missão confiada por Jesus a São Pedro, confirma seus irmãos na fé e na caridade. Hoje, de fato, a possibilidade de acompanhar pelos meios de comunicação social e pelas mídias as audiências ampliou enormemente o alcance da palavra do Papa”, explica Dom Milton.

O Papa e o povo

Para além da reflexão evangélica, é também um momento de contato mais próximo do Papa com o povo. Geralmente, o Papa percorre a praça acariciando um, ouvindo outro, atendendo o pedido para uma selfie, autografando um livro.
“Enfim, nas audiências vemos o grande esforço do Papa de se tornar próximo; mas também nas catequeses, torna-se próximo porque se serve de uma linguagem capaz de ser compreendida e acolhida com muita facilidade.”
A participação na catequese é aberta a todos, mas requer um bilhete de entrada, que é gratuito. Neste momento de pandemia, há restrições e orientações específicas. O órgão responsável pela distribuição dos bilhetes, bem como a organização do evento, é a Prefeitura da Casa Pontifícia.

Confira os temas dessas 38 catequeses. Para acessar a íntegra da reflexão feita pelo Papa, basta entrar no link abaixo, e, na página clicar na imagem das reflexões:

Papa: caminho libertador de Jesus é a resposta aos "guardiães" da verdade

QUARTA-FEIRA, 23 DE JUNHO DE 2021, 7H58

Novo ciclo de catequeses é inspirado na Carta aos Gálatas

Da Redação, com Vatican News

Papa no Pátio São Dâmaso para a catequese desta quarta-feira, 23
Foto: REUTERS/Remo Casilli

Nesta quarta-feira, 23, o Papa Francisco iniciou um novo ciclo de catequeses. O tema agora é inspirado no apóstolo Paulo, mais precisamente em Carta aos Gálatas.
“É uma Carta muito importante, diria até decisiva, não só para conhecer melhor o Apóstolo, mas sobretudo para considerar alguns dos temas que ele aborda em profundidade, mostrando a beleza do Evangelho. Parece escrita para os nossos tempos”, explicou o Pontífice.

Acesse

As primeiras comunidades cristãs

Entre os temas a serem explorados nas próximas semanas, estão a conversão, a liberdade, a graça e o modo de vida cristão. A primeira temática abordada por Francisco foi a obra de evangelização realizada pelo Apóstolo, que visitou as comunidades da Galácia pelo menos duas vezes durante as suas viagens missionárias.
Sabe-se que os gálatas eram uma antiga população celta que, através de muitas vicissitudes, se estabeleceu na extensa região da Anatólia. A capital era na cidade de Ancira, hoje Ankara, capital da Turquia.

Leia também

Paulo relata apenas que, por causa de uma doença, viu-se obrigado a permanecer naquela região. Um fato que, segundo o Papa, indica que o caminho da evangelização nem sempre depende da nossa vontade e dos nossos projetos, mas requer a disponibilidade a deixar-nos plasmar e seguir outros caminhos que não estavam previstos.

A chegada dos “abutres”

Para o Papa, é interessante notar a preocupação pastoral de Paulo, pois havia muitos infiltrados semeando teorias contrárias aos seus ensinamentos, chegando ao ponto de o difamar. Como alguém dizia, notou o Pontífice, “vêm os abutres a destruir a comunidade”.
“Como podemos ver, é uma prática antiga apresentar-se em certas ocasiões como o único possuidor da verdade e procurar menosprezar o trabalho dos outros, até com a calúnia”, afirmou.
Entre as intrigas, os adversários argumentaram que os Gálatas teriam de renunciar à sua identidade cultural e os mesmos se encontravam numa situação de crise. Para eles, que conheceram Jesus e acreditaram na obra de salvação realizada através da sua morte e ressurreição, foi verdadeiramente o início de uma nova vida, mas se sentiam desorientados e incertos sobre como se comportar e a quem ouvir.
“Pensemos em alguma comunidade cristã ou diocese: começam as histórias e depois acabam por desacreditar o pároco, o bispo. É precisamente o caminho do maligno, dessas pessoas que dividem e não sabem construir. E nesta Carta aos Gálatas vemos este procedimento.”
Uma situação que se apresenta também hoje, constatou Francisco. “Ainda hoje, não faltam pregadores que, especialmente através dos novos meios de comunicação, se apresentam não para anunciar o Evangelho de Deus que ama o homem em Jesus Crucificado e Ressuscitado, mas para reiterar com insistência, como verdadeiros ‘guardiães da verdade’, qual é a melhor maneira de ser cristão”.

A liberdade oferecida por Cristo

Estas pessoas afirmam que o verdadeiro cristianismo é aquele a que estão ligados, frequentemente identificado com certas formas do passado, e que a solução para as crises de hoje é voltar atrás para não perder a genuinidade da fé. Também hoje, como outrora, existe a tentação de se fechar em algumas certezas adquiridas em tradições passadas.
O traço distintivo dessas pessoas, segundo o Papa, é a rigidez. “Diante da pregação do Evangelho que nos torna livres, nos faz alegres, estes são rígidos”.
Mas é o próprio Apóstolo que indica o caminho a seguir. É o caminho libertador e sempre novo de Jesus Crucificado e Ressuscitado. É o caminho do anúncio, que se realiza através da humildade e da fraternidade. “Os novos pregadores não conhecem o significado da humildade, da fraternidade”, pontuou. É o caminho da confiança mansa e obediente, que os novos pregadores não conhecem, na certeza de que o Espírito Santo age em cada época da Igreja.
“Em última instância, a fé no Espírito Santo presenta na Igreja nos leva avante e nos salvará.”

Sorrindo pra Vida - 24/06/2021


Canal do Youtube - Canção Nova Play

Publicado em 25 de jun. de 2021

LEITURA ORANTE DO DIA 25/06/2021



LEITURA ORANTE

Mt 8, 1-4 - Jesus cura um leproso


Preparamo-nos  para a Leitura Orante rezando:
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Creio, Senhor Jesus, que sou parte de seu Corpo.
"Espírito Santo,
tu que vieste dos céus abertos, do Pai,
e que permaneceste conosco, em Jesus,
tu que habitas, pela fé, nos nossos corações,
abre-nos à Palavra!
Seja a nossa inteligência e a nossa vontade,
terreno bom,
onde tu possas trabalhar com liberdade,
de modo que a nossa vida
seja sinal eloquente da tua caridade.
Amém.

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Lemos atentamente o texto: Mt 8,1-4, e observamos pessoas, palavras, relações, lugares.
Jesus desceu do monte, e muitas multidões o seguiram. Então um leproso chegou perto dele, ajoelhou-se e disse:
- Senhor, eu sei que o senhor pode me curar se quiser.
Jesus estendeu a mão, tocou nele e disse:
- Sim, eu quero. Você está curado.
No mesmo instante ele ficou curado da lepra. Então Jesus lhe disse:
- Escute! Não conte isso para ninguém, mas vá pedir ao sacerdote que examine você. Depois, a fim de provar para todos que você está curado, vá oferecer o sacrifício que Moisés ordenou.
Refletindo
No tempo de Jesus, o portador de lepra era considerado impuro e pecador. A doença era vista como castigo de Deus. Por isso, a pessoa deveria afastar-se da sociedade e viver em um lugar deserto. Jesus se sensibilizou com a dor, o sofrimento e a exclusão daquele homem. E o cura.
Depois diz ao homem curado: "Vá pedir ao sacerdote que examine você. Depois, a fim de provar para todos que você está curado, vá oferecer o sacrifício que Moisés ordenou." Este exame era necessário para reintegrar a pessoa curada, ou seja, devolver o homem ao convívio social.
O leproso era o caso extremo de modelo da marginalização religiosa e social. Declarar injusta a exclusão do leproso significava denunciar toda e qualquer marginalização. Ao curar o homem, Jesus "tocou" nele. Ao tocá-lo, violou a Lei. Se alguém tocasse um leproso, ficava também impuro, (Cf Lv 5,5-6).
Com isso, Jesus declarou que a marginalização, embora pretenda respaldar-se na Lei divina, não vem de Deus. Em consequência, é inadmissível e injustificável marginalizar alguém em nome de Deus. O leproso torna-se representante de todos os que, em nome de uma Lei religiosa, eram excluídos pela sociedade.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para nós, hoje?
Temos algum preconceito? Quem marginalizamos?
Denunciamos a lepra social das injustiças e discriminações?
Meditando
Os Bispos, na Conferência de Aparecida, manifestaram uma preocupação: "Frente a esta forma de globalização (dinâmica de concentração de poder e de riqueza), sentimos um forte chamado para promover uma globalização diferente, que esteja marcada pela solidariedade, pela justiça e pelo respeito aos direitos humanos, fazendo da América Latina e do Caribe não só o Continente da esperança, mas também o Continente do amor, como propôs SS. Bento XVI no Discurso Inaugural desta Conferência". (DAp, 64).

3. Oração (Vida)
O que o texto nos leva a dizer a Deus?
Rezamos o 
Salmo  Responsorial: 136(137)

Que se prenda a minha língua ao céu da boca / se de ti, Jerusalém, eu me esquecer!

1. Junto aos rios da Babilônia † nos sentávamos chorando, / com saudades de Sião. / Nos salgueiros por ali / penduramos nossas harpas. – R.
2. Pois foi lá que os opressores / nos pediram nossos cânticos; / nossos guardas exigiam / alegria na tristeza: / “Cantai hoje para nós / algum canto de Sião!” – R.
3. Como havemos de cantar † os cantares do Senhor / numa terra estrangeira? / Se de ti, Jerusalém, † algum dia eu me esquecer, / que resseque a minha mão! – R.
4. Que se cole a minha língua † e se prenda ao céu da boca / se de ti não me lembrar! / Se não for Jerusalém / minha grande alegria! – R.

4. Contemplação (Vida e Missão)
Qual nosso novo olhar a partir da Palavra?
Nosso novo olhar é de solidariedade para com os que sofrem.

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Ir. Patricia Silva,fsp

Se queres, tu tens poder de me purificar | (Mt 8, 1-4) #433 - Meditação da Palavra - Frei Gilson



Publicado em 25 de jun. de 2021