quinta-feira, 7 de março de 2013

Você sabia que:

A cor branca na liturgia se utiliza principalmente no Natal e Páscoa, assim como em festas marianas, de santos e anjos. Simboliza a pureza e integridade da vida de fé.

Podcast - Ouça a história do santo do dia

Podcast

Podcast - Ouça a Homilia do Evangelho do dia

Podcast

Homilia do dia

Marcos 12,28b-34

Homilia
Data
03/08/13
03/07/13
03/06/13

Podcast - Ouça o Evangelho do Dia

Podcast

Evangelho do dia

Marcos 12,28b-34

Evangelho
Data
03/08/13
03/07/13
03/06/13

Terço da Fé

Terço de Cura e Libertação - VÍDEO

TERÇO DA DIVINA PROVIDÊNCIA

TERÇO DA MISERICÓRDIA - VÍDEOS




JESUS, EU CONFIO EM VÓS!!!

Oração do Angelus - Padre Antonello - VÍDEO

Dia da semana: Sexta-feira - Dedicado a: Paixão de Cristo - Sagrado Coração de Jesus



Ei, pare de chorar.
Veja, Ele está a lhe chamar.
Quer, lhe tirar da escuridão,
e limpar seu coração
das feridas do pecado.

Venha, para fora meu irmão.
Creia, Cristo espera por você.
Não, a morte já não tem lugar,
agora é só se levantar,
e sua glória então verá.

Quem tem Jesus tem tudo,
Ele salvou o mundo, Ele venceu a morte, mudou nossa sorte!



O CORAÇÃO DE JESUS BATE FORTE POR VOCÊ!!!


VIA SACRA - JESUS RESSUSCITOU! ELE ESTÁ VIVO!

VIA-SACRA COMENTADA - VÍDEOS


LITURGIA DAS HORAS

Clique no ícone abaixo
para acesso à Hora Canônica

Oração desta Hora

Terço - Mistérios Dolorosos - Terça-feira e Sexta-Feira.


Terço do Rosário: Mistérios Dolorosos 


São João de Deus - 8 de Março




Neste dia, lembramos a vida de João Cidade que depois de viver longa aventura distante de Deus, aventurou-se ao Evangelho e hoje, é aclamado como São João de Deus, o patrono dos hospitais.

HOMÍLIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 08/03/2013

8 de Março de 2013

Ano C

 

Marcos 12,28b-34

Comentário do Evangelho

O amor como origem da Lei

O texto que nos ocupa faz parte de uma série de textos que, no evangelho de Marcos, são caracterizados como "diálogos didáticos". Tais diálogos têm por finalidade instruir os discípulos a apresentar o que é fundamental para a vida cristã.
O que é óbvio para muitos de nós, hoje, não o era para os contemporâneos de Jesus. Não era difícil, entre tantos mandamentos a serem observados (613), se perguntar: Qual é o maior? Qual deles é o primeiro, isto é, o fundamento de todos os demais? Qual deles, numa situação de conflito entre dois ou mais preceitos, tem precedência e é exigido pela Lei? A resposta de Jesus é sem equívoco: o amor a Deus que exige o amor ao próximo. O amor não é um entre outros mandamentos, mas é ele que está na origem da Lei. Para o discípulo, o amor é a expressão máxima da vida cristã.
Carlos Alberto Contieri,sj

http://www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=evangelho&action=busca_result&data=08%2F03%2F2013

Vivendo a Palavra

O ser humano é uma síntese de coração, alma, entendimento e força. Assim deve ser o nosso amor a Deus, que se revela no amor ao próximo: envolver nossos sentimentos, espírito, inteligência e corpo – numa grande unidade. Não vivamos fragmentados! Assim como o Deus é UM, sejamos inteiros no amor.
http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg05.php

Reflexão

Muitas pessoas acham que para serem salvas, é suficiente cumprir todas as suas obrigações de ordem religiosa como a participação nas celebrações e atos devocionais. O escriba do Evangelho de hoje afirma que amar a Deus e ao próximo é melhor do que as práticas religiosas, no caso os holocaustos e os sacrifícios, e Jesus confirma isso ao afirmar que ele não está longe do reino de Deus. A nossa vida religiosa só tem sentido enquanto é um reflexo do amor vivido concretamente, ou seja, enquanto é manifestação da nossa solidariedade. Caso contrário, a religião se reduz a práticas mágicas, bruxarias, rituais vazios, que nada acrescentam a ninguém e não nos aproxima de Deus.
http://www.cnbb.org.br/liturgia/app/user/user/UserView.php?ano=2013&mes=3&dia=8

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

FAÇA UMA DOAÇÃO AO NPDBRASIL...

1. Amor a Deus e ao Próximo
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Muitas vezes nos evangelhos, algumas pessoas importantes que se aproximam de Jesus para o interrogá-lo, entre elas Escribas e Doutores da Lei, já o rejeitaram e só estão a procura de um argumento para denunciá-lo ao Conselho visando a sua condenação e morte.

Mas no evangelho de hoje esse Escriba procurou Jesus com sinceridade para lhe perguntar qual era o Mandamento mais importante de toda a Lei de Moisés.

Jesus mostra com absoluta clareza aquilo que está no centro da Lei “O amor sem medidas para com Deus, em primeiro lugar, e o amor ao próximo” que é tão importante quanto o primeiro, e que , no dizer de Jesus, não há nenhum outro que supere esses dois.

É fácil percebermos quando a pessoa que se aproxima de Jesus para conhecê-lo e experimentá-lo, está a procura de algo novo. Basta ver o entusiasmo na concordância com a Palavra “Perfeitamente Mestre, dissestes bem...”. E o Escriba repetiu exatamente, palavra por palavra, o ensinamento que Jesus acabara de fazer, respondendo a sua pergunta e ainda fez uma bela interpretação “Esse amor a Deus e ao próximo supera todos os holocaustos e sacrifícios”. O Escriba captou que algo bem maior e mais profundo do que as Verdades do Judaísmo estava ali diante dele, trazido por Jesus, o grande Mestre.

Vivemos em uma sociedade que até conhece e crê em Jesus, mas que dificilmente concorda com a sua Palavra e o seu ensinamento, centralizado na preservação da Vida e da Dignidade humana, em um Reino pautado pela Justiça e Igualdade. Basta ver o que a nefasta cultura da pós Modernidade apregoa sobre aborto, divórcio, eutanásia e outros pontos que contrariam totalmente esse Amor a Deus e ao próximo.

Jesus ao final da conversa encheu o coração daquele Escriba de alegria e esperança quando lhe disse “Na verdade não estás longe do Reino de Deus”. Certamente não dirá o mesmo do Homem ateu da pós-modernidade, perdido na sua arrogância, prepotência e Egocentrismo, sempre pensando que o Homem é o Centro do Mundo. Quanta ilusão.
..
2. O amor como origem da Lei
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Carlos Alberto Contieri, sj - e disponibilizado no Portal Paulinas)
VIDE ACIMA
ORAÇÃO
Pai, faze-me compreender sempre mais que o eixo da minha vida de fé deve consistir num amor entranhado a ti e a meu próximo.


3. ONDE CENTRAR NOSSA VIDA
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total a cada mês).

A pergunta pelo primeiro dos mandamentos comporta uma preocupação: onde a vida humana deve centrar-se? A resposta a este problema é fundamental para a vida do discípulo. Mas não basta responder teoricamente. É mister que discípulo tome consciência onde efetivamente sua vida está centrada. O engano, aqui, pode ser fatal!

A resposta de Jesus ao mestre da Lei aponta para os dois eixos vertebradores da vida do discípulo: Deus e o próximo. Considerando bem, ambos os eixos se exigem mutuamente, a ponto de um levar ao outro, e a ausência de um provocar a ausência do outro.

Quem está centrado em Deus, está necessariamente aberto ao amor e à solidariedade, está sempre pronto para lutar pela justiça, não suportando ver o próximo ser vilipendiado. Sobretudo, torna-se um lutador incansável pela causa do Reino, ansiando por vê-lo acontecer em sua própria vida e na de seus semelhantes.

Por outro lado, tem sua vida centrada no próximo quem é capaz de superar o egoísmo e romper as amarras das paixões, quem se esforça para se libertar da tirania do pecado, tornando-se livre para Deus. Em outras palavras, quem tem Deus no coração.

Todos os demais eixos são espúrios e devem ser rejeitados pelo discípulo do Reino. Basta considerar o modo de proceder de quem não ama a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. São pessoas desumanizadas e desumanizadoras.
Oração
Pai, realiza meu anseio de ver minha vida sempre mais centrada em ti e no meu próximo. Só assim poderei dar testemunho verdadeiro de ser discípulo do Reino.
http://www.npdbrasil.com.br/religiao/evangelho_do_dia_semana.htm#d6

Discípulos do Amor Trinitário
Postado por: michelle

março 8th, 2013


Irmãs e irmãos, no Evangelho de Mc 12, 28b-34, Jesus é questionado por um escriba, o qual, aparentemente, fez-lhe uma pergunta de fácil resposta: «Qual é o primeiro de todos os mandamentos?» (v. 28b).
Na verdade, existiam 613 possibilidades de respostas, pois, na lei mosaica, identifica-se 365 proibições e 248 mandamentos no tempo de Jesus. No entanto, Cristo, o intérprete da Lei Antiga e revelador da Nova lei do Espírito (cf. Rm 8,2), fez a junção de duas passagens da Torah (Dt 6, 4-5; Lv 19, 18) e assim respondeu com sabiamente: «O primeiro é: Ouve Israel, o Senhor nosso Deus é único Senhor. Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, com toda a tua alma, com todo o teu pensamento e com toda a tua força. Eis o segundo: Amarás o teu próximo com a ti mesmo» (v. 29-31). Assim o amor é manifestado como a essência da Palavra, afinal é ou não é o amor a essência de Deus?
Jesus, sendo a revelação plena do Amor Trinitário, não deixou escapar a oportunidade de dizer ao interlocutor de ontem e de hoje que fora do amor não existe interpretação correta das Sagradas Escrituras, nem do Antigo nem do Novo. Uma hermenêutica do amor é urgente e sempre atual!
Retornando ao texto bíblico, percebemos também que, pelas citações utilizadas pelo Mestre dos mestres, as Palavras não eram novidades para o povo da Antiga Aliança, mas o original, em Cristo, repousou sobre a união destas verdades em meio a tantas, a ponto de Jesus chancelar a tal inspiração com palavras contundentes: «Não existe outro mandamento maior do que estes» (v. 31).
Assim, Jesus tornou duplo o mandamento supremo do Amor, partindo – na resposta ao escriba – da oração que o judeu reza, pelo menos duas vezes ao dia: «Escuta, Israel! O Senhor, nosso Deus, é o Senhor que é um» (Dt 6,4). Confirmando, ao Primeiro Israel, o caminho da verdade revelada que move o ser humano a responder a Deus a partir da oração. Mas Jesus, pela junção das passagens bíblicas, demonstra que a falta da consciência da necessidade do amor ao próximo, torna anula – na prática – o testemunho do amor a Deus!
Quanto ao Novo Israel, uma novidade basilar é o surgimento de um novo centro que orienta quanto a vivência da Lei e os Profetas. Mais do que uma bússola hermenêutica, Ele é o próprio Filho, apresentado pela Santíssima Trindade à toda humanidade, na ocasião do início da vida pública de Jesus: «Logo que foi batizado, Jesus saiu da água. Eis que os céus se abriram e ele viu o Espírito de Deus descer como uma pomba e pairar sobre ele, e eis que uma voz vinda dos céus dizia: Este é o meu Filho bem amado, aquele que me aprove escolher» (Mt 3, 16-17). Já no alto do Monte Tabor, qual um novo sinal, o Pai confirma o Seu Messias, o qual inaugura um novo lugar de escuta: «Veio encobri-los uma nuvem, e uma voz soou, vinda da nuvem: Este é meu Filho bem-amado. Ouvi-o!» (Mc 9,7).
De fato, Cristo veio levar a Lei e os Profetas ao cumprimento, sem depender para isto de ideologias, mas de um testemunho vivaz, como o Papa teólogo, agora Emérito, ressaltou desde a sua primeira Encíclica: «No início do ser cristão, não há uma decisão ética ou uma grande ideia, mas o encontro com um acontecimento, com um Pessoa que dá à vida um novo horizonte e, desta forma, o rumo decisivo.
A verdadeira novidade do Novo Testamento não reside em novas ideias, mas na própria figura de Cristo, que dá Carne e Sangue aos conceitos – um incrível realismo. Já no Antigo Testamento, a novidade bíblica não consistia simplesmente em noções abstratas, mas na ação imprevisível e, de certa forma, inaudita de Deus» (BENTO XVI, Deus caritas est, nn. 1.12).
Por fim, como fugir a esta lógica de um amor tão próximo a nós e que nos vocaciona a sermos identificados no mundo por este amor transbordado? Se assim não fosse Jesus, Sacramento do Amor do Pai, não teria revelado com a vida, palavras, gestos, sofrimentos e silêncio a Essência da Nova e Eterna Religião, na qual o relacionamento com o outro será sempre determinante para sermos ou não – para Deus e os outros – reconhecidos como verdadeiros discípulos de Jesus Cristo, como Ele mesmo deu a entender: «Nisto todos reconhecerão que sois meus discípulos: no amor que tiverdes uns para com os outros» (Jo 13, 35).
Padre Fernando Santamaria – Comunidade Canção Nova
http://blog.cancaonova.com/homilia/2013/03/08/
LEITURA ORANTE

Mc 12,28b-34 - Amar com totalidade:mente, vontade e coração



Preparo-me para a Leitura Orante,
rezando com todos os que, nesta rede da internet,
se reúnem em torno da Palavra:
Senhor, nós te agradecemos por este dia.
Abrimos nossas portas e
janelas para que tu possas
entrar com tua luz.
Queremos que tu Senhor,
definas os contornos de
nossos caminhos,
as cores de nossas palavras e gestos,
a dimensão de nossos projetos,
o calor de nossos relacionamentos e o
rumo de nossa vida.

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia? 

Leio atentamente o texto, na Bíblia: Mc 12,28b-34 e observo a síntese que Jesus faz dos mandamentos.

Um mestre da Lei que estava ali ouviu a discussão. Viu que Jesus tinha dado uma boa resposta e por isso perguntou:
- Qual é o mais importante de todos os mandamentos da Lei?
Jesus respondeu:
- É este: "Escute, povo de Israel! O Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma, com toda a mente e com todas as forças." E o segundo mais importante é este: "Ame os outros como você ama a você mesmo." Não existe outro mandamento mais importante do que esses dois.
Então o mestre da Lei disse a Jesus:
- Muito bem, Mestre! O senhor disse a verdade. Ele é o único Deus, e não existe outro além dele. Devemos amar a Deus com todo o nosso coração, com toda a nossa mente e com todas as nossas forças e também devemos amar os outros como amamos a nós mesmos. Pois é melhor obedecer a estes dois mandamentos do que trazer animais para serem queimados no altar e oferecer outros sacrifícios a Deus.
Jesus viu que o mestre da Lei tinha respondido com sabedoria e disse:
- Você não está longe do Reino de Deus.
Depois disso ninguém tinha coragem de fazer mais perguntas a Jesus.

O mestre da Lei que por Jesus à prova. No Antigo Testamento há decálogos w leis que regulavam a conduta do israelita. A tradição rabínica possuía até 613 preceitos, 248 mandatos e 365 proibições. O mestre pergunta a Jesus qual é o mandamento mais importante. Jesus resume todos os mandamentos em dois, igualmente importantes e inseparáveis: o amor a Deus e ao próximo. Quem ama a Deus deve amar o filho de Deus, ou seja, o próximo. Tudo o mais é consequência. E diz mais: o amor ao próximo deve ser igual ao amor a si mesmo.

2. Meditação (Caminho) 

O que o texto diz para mim, hoje?
Como vivo estes dois mandamentos? 
Começo ao contrário, pelo segundo mandamento. 
Amo as outras pessoas como a mim mesmo? 
 papa Bento XVI , em 2006, a sua primeira encíclica intitulada “Deus caritas est”, Deus é amor. No parágrafo 16, diz que há um “nexo indivisível entre o amor a Deus e o amor ao próximo: um exige tão estreitamente o outro que a afirmação do amor a Deus se torna uma mentira, se o homem se fechar ao próximo ou, inclusive, o odiar.”
O papa diz mais: “Só a minha disponibilidade para ir ao encontro do próximo e demonstrar-lhe amor é que me torna sensível também diante de Deus. Só o serviço ao próximo é que abre os meus olhos para aquilo que Deus faz por mim e para o modo como Ele me ama. Os Santos — pensemos, por exemplo, na Beata Teresa de Calcutá — hauriram a sua capacidade de amar o próximo, de modo sempre renovado, do seu encontro com o Senhor eucarístico e, vice-versa, este encontro ganhou o seu realismo e profundidade precisamente no serviço deles aos outros. Amor a Deus e amor ao próximo são inseparáveis, constituem um único mandamento” (Deus caritas est, 18).
É assim que amo meu irmão? 
É assim que amo a Deus?


3.Oração (Vida)

O que o texto me leva a dizer a Deus? 

Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo, com a 
Oração oficial da CF 2013
Pai santo, vosso Filho Jesus,
conduzido pelo Espírito
e obediente à vossa vontade,
aceitou a cruz como prova de amor à humanidade.
Convertei-nos e, nos desafios deste mundo,
tornai-nos missionários
a serviço da juventude.
Para anunciar o Evangelho como projeto de vida,
enviai-nos, Senhor;
para ser presença geradora de fraternidade,
enviai-nos, Senhor;
para ser profetas em tempo de mudança,
enviai-nos, Senhor;
para promover a sociedade da não violência,
enviai-nos, Senhor;
para salvar a quem perdeu a esperança,
enviai-nos, Senhor;
para...

4.Contemplação (Vida e Missão)
 Qual meu novo olhar a partir da Palavra? 
Meu novo olhar é de renovada relação de amor com Deus e, em conseqüência, com o próximo.
Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém. 
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém. 
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém. 
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Sugestões:


- Campanha da Fraternidade 2013 - Veja informações no blog:

http://comunicacatequese.blogspot.com.br/



- Veja a mensagem do Papa Bento XVI para a Quaresma em 
http://paulinascomunica.blogspot.com/

- Faça o Retiro de Quaresma e Páscoa seguindo o blog
http://viverecomunicarcristo.blogspot.com

Ir. Patrícia Silva, fsp
http://leituraorantedapalavra.blogspot.com.br/

http://www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=evangelho&action=busca_result&data=08%2F03%2F2013
Oração Final
Pai Santo, é simples o caminho para o teu Reino – o Amor! Mas, Pai amado, não estamos preparados para compreender o que é simples. Deixamos de ser crianças gostamos de complicar... Envia o teu Espírito e aumenta a nossa fé, te pedimos pelo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão que contigo reina na unidade do Espírito Santo.
http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg06.php

 


Podcast - Ouça a Homilia do Dia

Homilia do dia

Marcos 12,28b-34

Homilia
Data
03/08/13
03/07/13
03/06/13