domingo, 29 de dezembro de 2013

TERÇOS – VÍDEOS

TERÇO DA DIVINA PROVIDÊNCIA
 

TERÇO DE CURA E LIBERTAÇÃO
 

TERÇO DA FÉ
 

TERÇO DO ESPÍRITO SANTO
 

TERÇO DA LIBERTAÇÃO CANTADO - JOÃO GREGÓRIO

TERÇO DA MISERICÓRDIA - VÍDEOS






"Quando rezarem este Terço junto aos agonizantes, Eu me colocarei entre o Pai e a alma agonizante, não como justo Juiz, mas como Salvador misericordioso".

JESUS, EU CONFIO EM VÓS!!!

Oração do Angelus - Padre Antonello - VÍDEO


LITURGIA DAS HORAS

Clique no ícone abaixo
para acesso à Hora Canônica

Mensagens diárias prá vc

Terço - Mistério Gozosos - Segunda-Feira e Sábado


Terço do Rosário: Mistérios Gozosos




São Fulgêncio - 30 de dezembro

São Fulgêncio
NascimentoNo ano de 467
Local nascimentoÁfrica
OrdemAgostiniana
Local vidaÁfrica (Ruspe)
EspiritualidadeViveu no século IV: filhos de romanos, ele vivia em uma região da África. Trabalhava como procurador de impostos até conhecer a obra de santo Agostinho. Decidiu-se então, a viver uma vida de austeridade e solidão. Após ter sido ordenado padre, quis viver isolado com os monges do Egito. Porém sua viagem foi interrompida quando o navio que o levava precisou se atravar em Siracusa. Ainda no porto, soube que havia sido eleito como candidato na eleição de novos bispos católicos para diversas cidades africanas. Foi então que decidiu fugir para mais distante ainda. Quando Fulgêncio soube que os bispos já tinham sido consagrados, retornou à sua terra natal. Mas mal chegou à sua província foi eleito bispo da pequena cidade de Ruspe, a única diocese que ainda não tinha bispo. Fulgêncio passou a pregar e a se dedicar intensamente às obras pastorais. O dinheiro que recebia, dava-o aos pobres. Durante nove anos desempenhou sua função com humildade, até sua morte.
Local morteRuspe (África)
MorteNo ano de 532, aos 65 anos de idade
Fonte informaçãoO Livro dos Santos e Webcatólica
OraçãoSão Fulgêncio, que apesar de terdes desejado fazer a vossa vontade, exilando-vos - até mesmo para não receberdes o papel de bispo, e acabastes por ver que o vosso destino - quando entregue a Deus - é Ele quem o dirige, rogai por nós para que aceitemos com alegria e obediência tudo o que estiver em conformidade aos planos do Pai. Que seja realmente feita a Sua vontade e não a nossa. São Fulgêncio, que a partir do momento em que abraçastes o que realmente estava vos traçado para viver, passastes a ser realmente feliz, que também nós nos mergulhemos na Vontade suprema de nosso Criador para que mesmo em meios às dificuldades de cada dia, possamos sentir na paz e a força do Alto, que sempre nos é concedida. Louvo a Nosso Deus e Senhor, por Vossa vida. Amém.
DevoçãoÀ vida contemplativa
PadroeiroDos que precisam obedecer à vontade de Deus
Outros Santos do diaFélix (papa); Sabino (bispo); Exuperâncio, Marcelo (diács); Venustiano, Mansueto, Severo, Apiano, Donato, Honório (márts) Rainiero, Grucino, Jocundo (bispo) Vicenta Mª de Vicunha.
FONTE: ASJ

Santa Anisia - 30 de dezembro

Santa Anisia

Santa Anisia era uma jovem cristã, órfã de pai e mãe e proprietária de uma grande fortuna com a que beneficiava generosamente aos mais necessitados. Nos tempos do governador Ducisio desatou uma cruel perseguição na Tesalônica e tratava de impedir, especialmente, que os cristãos levassem a cabo suas assembléias religiosas. Anisia decidiu assistir a uma destas assembléias, mas no caminho, um dos guardas do imperador lhe fechou o caminho e lhe perguntou aonde se dirigia.
A Santa confessou corajosamente sua fé cristã provocando a ira do guarda quem a matou imediatamente. Quando retornou a paz para a Igreja, os cristãos da Tesalônica construíram um oratório no lugar onde havia sido sacrificada a Santa.
http://www.acidigital.com/santos/santo.php?n=377

São Rugero - 30 de dezembro

São Rugero
(Século XVII)
Rugero nasceu entre 1060 e 1070, na célebre e antiga cidade italiana de Cane. O seu nome, de origem normanda, sugere que seja essa a sua origem. Além dessas poucas referências imprecisas, nada mais se sabe sobre sua vida na infância e juventude. Mas ele era respeitado, pelos habitantes da cidade, como um homem trabalhador, bom, caridoso e muito penitente. Quando o bispo de Cane morreu, os fiéis quiseram que Rugero ficasse no seu lugar de pastor. E foi o que aconteceu: aos trinta anos de idade, ele foi consagrado bispo de Cane.

Sagrada Família - 30 de Dezembro




Se o Natal tiver sido ao domingo; não tendo sido assim, a Sagrada Família celebrar-se-á no domingo dentro da Oitava do Natal.
Da alocução de Paulo VI, Papa, em Nazaré, 5.1.1964:
O exemplo de Nazaré:
Nazaré é a escola em que se começa a compreender a vida de Jesus, é a escola em que se inicia o conhecimento do Evangelho. Aqui se aprende a observar, a escutar, a meditar e a penetrar o significado tão profundo e misterioso desta manifestação do Filho de Deus, tão simples, tão humilde e tão bela. Talvez se aprenda também, quase sem dar por isso, a imitá-la.

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 30/12/2013

30 de Dezembro de 2013

ANO A


Lc 2,36-40

Comentário do Evangelho

Realização da promessa

O texto de hoje se situa no Templo de Jerusalém, na apresentação de Jesus ao Senhor. Em parte dos “evangelhos da infância”, e de modo próprio no evangelho segundo Lucas, a perícope da apresentação de Jesus no Templo é caracterizada pela imprecisão, pois o evangelista mescla o rito de purificação da mulher que dá à luz com o rito de consagração do primogênito ao Senhor. Sem nos atermos aos detalhes, convém simplesmente dizer que o texto de hoje faz com que o Antigo Testamento, representado por Simeão e Ana, contemple, pela ação do Espírito Santo, a realização da promessa feita por Deus a seu povo: “Agora, Senhor, segundo a tua palavra, deixas livre e em paz teu servo, porque meus olhos viram teu Salvador…” (vv. 29-30).
A profetisa Ana tem o mesmo nome da mãe de Samuel (1Sm 1,19-20). Com Simeão, a profetisa Ana garante o duplo testemunho exigido pela Lei (Dt 19,15). Homem e mulher são associados no reconhecimento da salvação, isto é, todo o Israel vê sua esperança de salvação se realizar.
Carlos Alberto Contieri, sj
ORAÇÃO
Pai, dá-me a graça de ser piedoso e justo como as pessoas envolvidas no mistério da encarnação de teu Filho Jesus. Sejam elas para mim fonte de perene inspiração.

Vivendo a Palavra

O tempo do Natal nos leva a contemplar a humanidade de Jesus. Como todos os homens, Ele ‘crescia e ficava forte’ – para que também nós, como Ele, procuremos crescer na sabedoria e na graça do Pai. É na encarnação do Verbo Criador de Deus que reside o nosso compromisso de assumirmos a Graça do Pai que quer estar em nós para o bem de todos.

Reflexão

Toda pessoa que faz da sua vida um serviço a Deus vive a alegria do encontro com ele. Com Ana não foi diferente. Depois de oitenta e quatro anos vividos na busca da realização da vontade de Deus, ela tem a alegria do encontro pessoal com ele. Mas Ana não fica com essa alegria só para ela; sai anunciando a todos que aquele menino é a resposta do próprio Deus a todos os que esperam a verdadeira libertação. E este anúncio é acompanhado do reconhecimento do amor de Deus, que é fiel às suas promessas, através do louvor a ele.

Recadinho


A profetisa Ana, de 84 anos, reconhece o messias que “crescia e tornava-se forte, cheio de sabedoria”.
Procuro conhecer cada vez mais o Jesus que age em meu coração? - Dou espaço para que Ele seja sempre realmente uma presença em mim?
E nossas crianças e jovens? Crescem fortes, com sabedoria, na graça de Deus? Tenho alguma responsabilidade neste contexto? - Os filhos podem seguramente.
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R

Comentário do Evangelho

UMA PLÊIADE DE JUSTOS

A profetisa Ana completa a plêiade dos justos envolvidos nos eventos em torno do nascimento do Messias Jesus. De Zacarias e Isabel afirmou-se que eram “justos diante de Deus e caminhavam irrepreensíveis em todos os mandamentos e ordens do Senhor”. Isabel, “cheia do Espírito Santo”, proclamou as glórias da mãe do Salvador. João Batista, “desde o ventre materno”, esteve cheio do Espírito Santo, destinado a ser “profeta do Altíssimo”, cujos caminhos haveria de preparar. Maria reconheceu-se “humilde serva do Senhor”, disposta a cumprir em tudo a sua santa palavra. Fala-se pouco de José, sendo sublinhada somente sua prontidão em cumprir as leis civis (vai com Maria até Belém para alistar-se no recenseamento), bem como, as leis religiosas (no prazo previsto, vai com sua esposa e seu filho ao templo de Jerusalém realizar os ritos da purificação). Simeão é apresentado como um homem “justo e piedoso”, que esperava a realização das promessas divinas feitas a Israel. O Espírito revelou-lhe que não haveria de morrer “sem ver o Cristo do Senhor”. O mesmo Espírito conduziu-o ao templo para o encontro com o Messias.
Ana, por sua vez, é apresentada como uma mulher fiel e temente a Deus. A maior parte de sua vida foi dedicada ao serviço do Senhor, no templo, com jejuns e orações. Sua piedade foi recompensada com a graça de reconhecer no menino Jesus a realização das esperanças de Israel.
Oração
Pai, dá-me a graça de ser piedoso e justo como as pessoas envolvidas no mistério da encarnação de teu Filho Jesus. Sejam elas para mim fonte de perene inspiração.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Concedei, ó Deus todo-poderoso, que o novo nascimento de vosso Filho como homem nos liberte da antiga escravidão do pecado. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

REFLEXÕES DE HOJE


30 de DEZEMBRO - SEGUNDA


Liturgia comentada

Pôs-se a louvar a Deus... (Lc 2,36-40)
No Evangelho de hoje, a liturgia deseja chamar nossa atenção para a figura quase apagada de Ana, uma humilde viúva que servia no Templo em tempo integral. Tal como o haviam feito os pastores de Belém, os magos do Oriente e o velho Simeão, Ana também entoa seu louvor com a chegada do Menino.
Convido o leitor a fazer o mesmo, entoando o Hino do Ofício das Leituras para o tempo do Advento:

Eterno esplendor da beleza divina,
ó Cristo, vós sois luz e vida e perdão.
Às nossas doenças trazeis o remédio,
abris uma porta para a salvação.

O coro dos anjos ressoa na terra
e um mundo novo seu canto anuncia:
a glória de Deus Pai nas alturas celestes,
e ao gênero humano a paz e a alegria.

Embora pequeno, deitado em presépio,
em todo o Universo, ó Cristo, reinais.
Ó fruto bendito da Virgem sem mancha,
que todos vos amem num reino de paz.

Nasceis para dar-nos o céu como Pátria,
vivendo na carne da humanidade.
Renovem-se as mentes e os corações,
se unam por laços de tal caridade.

Às vozes dos anjos as nossas unimos,
num coro exultante de glória e louvor,
cantando aleluias ao Pai e ao Filho,
cantando louvores e graças ao Amor.

Orai sem cessar: “O Senhor é rei!” (Sl 96,10)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
santini@novaalianca.com.br 


HOMILIA
A PROFETISA ANA Lc 2,36-40
A profetisa Ana não abandonava o Senhor. Essa é uma das grandes características de todos aqueles a quem Deus se manifestou ou se deixou revelar. E nós, ao raiar de um novo ano, como anda nossa fidelidade ao Senhor? Que propósitos fizemos em cima das missões que Deus nos confiou?
Ana não abandonava o Senhor mesmo após tanto tempo de viuvez. Eu imagino a dificuldade em ser mulher em um período repleto de tradições centradas nos homens. Ser viúva, mais que um estado civil era imaginá-la sem ter alguém que cuidasse se sua saúde, de sua vida, do mínimo necessário para poder sobreviver. Ser viúva era contar com a doação das pessoas caso não tivesse patrimônios, riquezas.
Ana se apega a Deus. E quem melhor ela poderia se apegar? Ela não pula do barco! Existe muita gente e talvez você seja um deles, que nesse ano, por um instante pensaram em desistir. Cansaram talvez dos dedos apontados, das críticas infundadas, das perseguições… Não encontram mais forças ou razões para levantar a cabeça e com ela a sua auto-estima. Mas é preciso voltar a acreditar no Senhor e esperar a visita de Jesus a nossa aflição.
Nossa perseverança normalmente dura até a primeira sede de Deus. Como posso me afastar do poço nesse mundo tão deserto? Ninguém é tolo de enfrentar o deserto sem levar consigo um cantil ou reservatório de água. Como, portanto suportar as dificuldades da vida sem levar Deus conosco?
Ele precisa estar no nosso trabalho, na escola, em casa. Esses locais precisam aos poucos se tornar oásis e não desertos. O que faz um local de adversidades se tornarem pouco a pouco um lugar melhor é a água que carrego no cantil. É a fé persistente de Ana; é bater contra a rocha e ver brotar água aos olhos dos mais descrentes; é ver esperança no filho drogado; é depositar nas mãos de Deus o futuro incerto; é ver a reconstrução e a vida quando a chuva derruba a casa; é ver a luta de quem insiste em levantar mesmo que a vida não lhe ofereça condições; é ver Jesus andando sobre as águas e acalmando o mar agitado da sua vida. Num desiste de você mesmo nem dos que você ama. Saiba que com Jesus e pela força da oração tudo pode ser mudado.
Pai, dá-me a graça de ser piedoso e justo como as pessoas envolvidas no mistério da encarnação de teu Filho Jesus. Sejam elas para mim fonte de perene inspiração como fez a profetisa Ana, afim de que possa um dia contemplar a vossa face lá no Céu.
Fonte Homilia: Padre Bantu Mendonça Katchipwi Sayla
HOMÍLIA DIÁRIA
Educar os filhos com os ensinamentos de Deus
Gerar filhos é uma graça, mas a graça se torna maior ainda, quando estes filhos gerados são criados e educados segundo a vontade do Senhor.
”O menino crescia e tornava-se forte, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava com ele” (Lc 2, 40).
Nós contemplamos, hoje,  Jesus no Templo. E lá estava uma profetiza, uma viúva fiel e temente a Deus, servia a Ele com jejuns, orações dia e noite; e agora ela pega um menino nos seus braços, louva a Ele por tudo aquilo que esse menino significa e representa para todo Israel, e para todo povo de Deus. Ali, saindo do Templo, Jesus vai viver com seus pais em Nazaré, ali vai ser sua cidade.
Em Nazaré, Jesus cresce, como cresce nossas crianças. Ali ele aprende andar, caminhar, ali aprende a falar, ali no meio de crianças ele brinca, ele vive a sua vida, como qualquer outro menino. E a Palavra, testemunha para nós, que Jesus cresce, tornando-Se forte, cheio de sabedoria, e a graça de Deus repousando sobre Ele.
Eu, hoje, peço a Deus por todo pai, por toda mãe, que tem a graça de criarem e educarem seus filhos, porque as duas coisas são muito importantes. Gerar filhos é uma graça, mas a graça se torna maior ainda, quando estes filhos gerados são criados e educados segundo a vontade do Senhor.
Um desafio tremendo para os nossos dias, é o desafio de criar filhos. Não é fácil e não é simples! A minha palavra não é para desanimar, muito pelo contrário, é para encorajar, à você que é pai e mãe. Para que você tenha a sabedoria, tenha a luz divina; tenha discernimento, mas também tenha pulso. Dois ingredientes necessários, para se criar filho: ternura e firmeza; ou ternura e vigor.
Nossas crianças precisam de ternura, de amor, de carinho, de cuidado, de atenção, de presença; de pais que escutem, que compreendam, que tratem cada filho com a dignidade única e pessoal que cada filho merece. Pais que dê atenção, pais que se façam presente, pais que dê aos seus filhos alegria de serem firmes. Que nossos pais não precisem cuidar de nossas crianças com aspereza, com grosseria, com dureza, mas que aprendam que não basta colocar comida, dar presentes, que isso faz de você um bom pai. Um pai que se faz presente, comunicando amor e ternura, para com seus filhos.
Mas, amor e ternura precisam se misturar ao vigor e ao rigor. Nós não podemos permitir, que crianças mande em seus pais. Alias, pais que façam tudo que as crianças querem. Criança precisa de disciplina, precisa ser educada, criança precisa aprender ouvir ”Não!” Para que assim, aprenda dar valor às coisas. Muitas vezes, as crianças, fazem aquilo que querem, e os pais: Olha que lindo isso, criança é assim mesmo!
É no colo da família, no seio da família, que nossas crianças são educadas e aprendem o sentido da vida. Eu hoje, estou rogando por você que é pai, e por você que é mãe. Que você tenha a graça e o dom de Deus, para educar seus filhos, que Ele te dê a ternura e o rigor para educar seus filhos, para que cresçam como Jesus cresceu no meio de nós, na sabedoria, na fortaleza e na graça do Senhor.
Que Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.Facebook Twitter
LEITURA ORANTE



Preparo-me para a Leitura Orante, rezando com todos os visitantes desta página na web:
Saudação
- A nós todos, a paz de Deus, nosso Pai,
a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
no amor e na comunhão do Espírito Santo.
- Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
- Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
- Creio, Senhor Jesus, que sou parte de seu Corpo.
Trindade Santíssima
- Pai, Filho, Espírito Santo -
presente e agindo na Igreja e na profundidade do meu ser.
Eu vos adoro, amo e agradeço.

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na minha Bíblia: Lc 2,36-40. Observo os personagens da cena descrita: o Menino Jesus, Ana, Maria e José.
Havia ali também uma profetisa chamada Ana, que era viúva e muito idosa. Ela era filha de Fanuel, da tribo de Aser. Sete anos depois que ela havia casado, o seu marido morreu. Agora ela estava com oitenta e quatro anos de idade. Nunca saía do pátio do Templo e adorava a Deus dia e noite, jejuando e fazendo orações. Naquele momento ela chegou e começou a louvar a Deus e a falar a respeito do menino para todos os que esperavam a libertação de Jerusalém.
Quando terminaram de fazer tudo o que a Lei do Senhor manda, José e Maria voltaram para a Galiléia, para a casa deles na cidade de Nazaré.
O menino crescia e ficava forte; tinha muita sabedoria e era abençoado por Deus.
Havia ali também uma profetisa chamada Ana, que era viúva e muito idosa. Ela era filha de Fanuel, da tribo de Aser. Sete anos depois que ela havia casado, o seu marido morreu. Agora ela estava com oitenta e quatro anos de idade. Nunca saía do pátio do Templo e adorava a Deus dia e noite, jejuando e fazendo orações. Naquele momento ela chegou e começou a louvar a Deus e a falar a respeito do menino para todos os que esperavam a libertação de Jerusalém.
Quando terminaram de fazer tudo o que a Lei do Senhor manda, José e Maria voltaram para a Galiléia, para a casa deles na cidade de Nazaré. O menino crescia e ficava forte; tinha muita sabedoria e era abençoado por Deus.

A profetisa Ana, nos seus 84 anos, estava sempre no templo, adorando a Deus. Ela tem duas atitudes ao ver o Menino Jesus:
1ª Louva a Deus
2ª Fala, anuncia a todos que o Menino é o libertador esperado.
Maria e José, depois de cumprir a Lei do Senhor, voltaram para Nazaré, na Galiléia.
O Menino crescia em idade, sabedoria e graça de Deus.


2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Posso me perguntar:
sou uma pessoa atenta aos sinais de Deus?
Ao perceber a presença de Deus na minha vida, quais atitudes tenho?
Como Ana, louvo a Deus e o anuncio aos demais?
Como disseram os bispos em Aparecida: "Como discípulos de Jesus reconhecemos que Ele é o primeiro e maior evangelizador enviado por Deus (cf. Lc 4,44) e, ao mesmo tempo, o Evangelho de Deus (cf. Rm 1,3). Cremos e anunciamos "a boa nova de Jesus, Messias, Filho de Deus" (Mc 1,1). (DAp 103).

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo:
Espírito vivificador,
a ti consagro o meu coração:
aumenta em mim o amor a Jesus, Vida da minha vida.
Faze-me sentir filho amado do Pai. Amém.
Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.


4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Meu novo olhar é de busca dos sinais de Deus no mundo em que vivo. Sei que "Somos chamados a encarnar o Evangelho no coração do mundo"(Diretrizes da CNBB, no 21). Vou falar de Deus às pessoas com quem convivo.


Bênção
 
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
-Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.


Ir. Patrícia Silva, fsp
Oração Final
Pai Santo, que moras em nós, como testemunho de tua Presença sejamos solidários e misericordiosos com os irmãos do caminho. Faze-nos generosos com os talentos e bens com que nos propiciaste e sempre agradecidos pelo teu Dom Maior, o Cristo Jesus, teu Filho que se fez nosso Irmão e contigo reina na unidade do Espírito Santo.



LITURGIA DIÁRIA 30/12/2013


Tema do Dia

"E a graça de Deus estava com ele.”

Nós devemos ler a carta de João com carinho parecido ao que ele demonstra por nós, seus ‘filhinhos’... Hoje ele nos alerta sobre o perigo de nos deixarmos iludir pela sedução do mundo. Nós não somos do mundo, mas devemos procurar as coisas do Pai.

Oração para antes de ler a Bíblia


Meu Senhor e meu Pai! Envia teu Santo Espírito para que eu compreenda
e acolha tua Santa Palavra! Que eu te conheça e te faça conhecer, te ame
 e te faça amar, te sirva e te faça servir, te louve e te faça louvar por
 todas as criaturas. Fazei, ó Pai, que pela leitura da Palavra os pecadores
se convertam, os justos perseverem na graça e todos consigamos
a vida eterna. Amém.

Branco. 6º DIA NA OITAVA DO NATAL Natal



Primeira Leitura (1Jo 2,12-17)
6º Dia na Oitava do Natal
Segunda-feira 30/12/13

Leitura da Primeira Carta de São João.

12Eu vos escrevo, filhinhos: os vossos pecados foram perdoados por meio do seu nome. 13Eu vos escrevo, pais: vós conheceis aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevo, jovens: vós vencestes o maligno.
14Já vos escrevi, filhinhos: vós conheceis o Pai. Já vos escrevi, jovens: vós sois fortes, a Palavra de Deus permanece em vós e vencestes o Maligno.
15Não ameis o mundo, nem o que há no mundo. Se alguém ama o mundo, não está nele o amor do Pai. 16Porque tudo o que há no mundo – as paixões da natureza, a concupiscência dos olhos e a ostentação da riqueza – não vem do Pai, mas do mundo.
17Ora, o mundo passa, e também a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Responsório (Sl 95)
6º Dia na Oitava do Natal
Segunda-feira 30/12/13

— O céu se rejubile e exulte a terra!
— O céu se rejubile e exulte a terra!

— Ó família das nações, dai ao Senhor, ó nações, dai ao Senhor poder e glória, dai-lhe a glória que é devida ao seu nome!
— Oferecei um sacrifício nos seus átrios, adorai-o no esplendor da santidade, terra inteira, estremecei diante dele!
— Publicai entre as nações: Reina o Senhor! Ele firmou o universo inabalável, e os povos ele julga com justiça.


Evangelho (Lc 2,36-40)
6º Dia na Oitava do Natal
Segunda-feira 30/12/13


Jesus é apresentado no Templo

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 36havia também uma profetisa, chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Era de idade muito avançada; quando jovem, tinha sido casada e vivera sete anos com o marido.
37Depois ficara viúva, e agora já estava com oitenta e quatro anos. Não saía do Templo, dia e noite servindo a Deus com jejuns e orações. 38Ana chegou nesse momento e pôs-se a louvar a Deus e a falar do menino a todos os que esperavam a libertação de Jerusalém. 39Depois de cumprirem tudo, conforme a Lei do Senhor, voltaram à Galileia, para Nazaré, sua cidade. 40O menino crescia e tornava-se forte, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava com ele.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.


Oração para depois de ler a Bíblia


Dou-Te graças, meu Deus, pelos bons propósitos, afetos e inspirações

que me comunicastes nesta meditação; peço-Te ajuda para colocá-los  em prática.

Minha Mãe Imaculada, meu protetor São José e Anjo da minha guarda, intercedeis todos por mim. Amém