sábado, 12 de fevereiro de 2022

HOMILIA DIÁRIA - (CANÇÃO NOVA) - Mc 7,31-37 - 11/02/2022


Abra o seu coração para a Palavra de Deus

“Naquele tempo, trouxeram então um homem surdo, que falava com dificuldade, e pediram que Jesus lhe impusesse a mão. Jesus afastou-se com o homem, para fora da multidão; em seguida, colocou os dedos nos seus ouvidos, cuspiu e com a saliva tocou a língua dele. Olhando para o céu, suspirou e disse: ‘Efatá!’, que quer dizer: ‘Abre-te!’ Imediatamente seus ouvidos se abriram, sua língua se soltou e ele começou a falar sem dificuldade” (Marcos 7,32-35).


Conteúdo em áudio:

Estamos diante de uma passagem que eu gostaria de dizer que não tem nada a ver com os irmãos que são afetados por essa dificuldade, seja na forma de falar, mas seja também na dificuldade para ouvir. Aqui, a Palavra de Deus, quer nos mostrar outra coisa: a impossibilidade interior de falar porque não se escuta, a impossibilidade de comunicar porque não se escuta; a mudez e a surdez interior.
O problema é a comunicação do interior, quem realmente a pessoa é, esse é o problema! A palavra “surdo” é a mesma raiz da palavra “absurdo”. Tornam-se as realidades absurdas para quem não consegue escutar, pode ser até mesmo a mais bela declaração de amor, mas se a pessoa não escuta, fica difícil entender que aquilo ali é uma linguagem do amor.
Tem a linguagem dos sinais, hoje, muito bem desenvolvida nos nossos tempos, mas precisa de alguém com quem se conectar para traduzir essa linguagem. Ou seja, se nós não escutamos, se sou surdo, para mim tudo se torna absurdo. E as pessoas que não conseguem, muitas vezes, pôr para fora os seus dramas, os seus conflitos — você certamente conhece alguém assim ou tem alguém assim dentro da sua casa, a pessoa fechada em si, que não consegue falar dos seus sentimentos, que não consegue se expressar, que é uma pessoa fechada em si mesma, que tem essa dificuldade de comunicar aquilo que ela é, de comunicar aquilo que ela vive e sente.

Deixemo-nos tocar pela Sua graça, pela Sua Palavra, para que nós saíamos do nosso fechamento e nos abramos para Deus

“Jesus afastou-se com esse homem”; só a intimidade com Jesus nos faz passar do fechamento para a abertura, só quando estamos próximos de Jesus somos capazes de comunicar aquilo que tem dentro, porque Jesus conhece o nosso interior, porque Ele é conhecedor dos nossos corações.
Os gestos que Jesus realiza aqui, sobretudo, neste tempo de pandemia, são bem estranhos: o dedo, a saliva, o toque. Mas vamos lá, o dedo é Deus quem modela; Ele modela esse novo homem. A saliva é o símbolo do Espírito que dá a vida. O toque na língua é a Palavra de Deus que chega na vida daquele homem. Todos esses sinais de Jesus estão presentes hoje. Onde? Nos sacramentos, e nesses sinais visíveis nós podemos tocar no Senhor, experimentar a Sua graça e receber também d’Ele as Suas bênçãos.
Jesus diz ao final: “Efatá”, essa palavra que significa: “Abra-te”, a mesma palavra que foi proferida sobre nós no nosso batismo. Nós também recebemos em nossos ouvidos essa proclamação: “Abra-te”. Ninguém pode viver no fechamento, ninguém pode viver fechado em si mesmo, a abertura leva a comunicação daquilo que nós somos.
Aproximemo-nos de Jesus, deixemo-nos tocar pela Sua graça, pela Sua Palavra, para que nós saíamos do nosso fechamento e nos abramos para Deus e para os nossos irmãos.
Sobre todos vós, a bênção do Deus Todo-poderoso. Pai, Filho e Espírito Santo. Amém!
Padre Donizete Ferreira
Sacerdote da Comunidade Canção Nova.

Nenhum comentário:

Postar um comentário