terça-feira, 5 de março de 2013

Santa Rosa de Viterbo - 6 de Março




A santidade é uma graça que o Espírito Santo quer dar a todos, porém, é Ele que vai no tempo d'Ele manifestando para o mundo este dom dado a quem luta diariamente. Por exemplo, Santa Rosa - que lembramos neste dia - muito cedo começou a externar atitudes extraordinárias de coragem e amor ao Senhor.
Nasceu em Viterbo, no ano de 1233, numa pobre e humilde família; quando tinha apenas três anos conta-se que pela sua oração Jesus reviveu uma tia. Com sete anos, Rosa pegou uma forte doença que acabou sendo um meio para sua vida de consagração, pois Nossa Senhora apareceu a ela, restituindo sua saúde e chamando-a à uma total entrega de vida.
Santa Rosa, antes mesmo de alcançar idade, resolveu livremente vestir um hábito franciscano, já que sua meta era entrar na Ordem de Santa Clara de Assis. Menina cheia do Espírito Santo, não ficou parada diante dos hereges cátaros, que semeavam a rejeição às autoridades.
Com apenas doze anos, era instrumento eficaz nas mãos do Pai Celeste, por isso anunciava o Evangelho e denunciava as artimanhas de satanás. Banida pelo imperador, continuou profetizando. Com o falecimento do imperador, ela voltou como heroína para Viterbo. Mesmo sem ser aceita com dezesseis anos pelas Irmãs Clarissas, Santa Rosa perseverou no caminho da santidade e, aos dezoito anos, foi acometida de uma doença que a levou para a Eterna Morada de Deus.
Santa Rosa de Viterbo, rogai por nós!
http://www.cancaonova.com/portal/canais/liturgia/santo/index.php?mes=3&dia=6&id=57

Santa Rosa de Viterbo

Santa Rosa de Viterbo
1234- 1252
Rosa viveu numa época de grandes confrontos, entre os poderes do pontificado e do imperador, somados aos conflitos civis provocados por duas famílias que disputavam o governo da cidade de Viterbo. Ela nasceu nesta cidade num dia incerto do ano de 1234. Os pais, João e Catarina, eram cristãos fervorosos. A família possuía uma boa propriedade na vizinha Santa Maria de Poggio, vivendo com conforto da agricultura.
Envolta por antigas tradições e sem dados oficiais que comprovem os fatos narrados, a vida de Rosa foi breve e incomum. Como sua mãe, Catarina, trabalhava com as Irmãs Clarissas do mosteiro da cidade, Rosa recebeu a influência da espiritualidade franciscana, ainda muito pequena. Ela era uma criança carismática, possuía dons especiais e um amor incondicional ao Senhor e a Virgem Maria. Dizem que com apenas três anos de idade transformava pães em rosas e aos sete, pregava nas praças, convertendo multidões. Aos doze anos ingressou na Ordem Terceira de São Francisco, por causa de uma visão em que Nossa Senhora assim lhe determinava.
No ano de 1247 a cidade de Viterbo, fiel ao Papa, caiu nas mãos do imperador Frederico II, um herege, que negava a autoridade do Papa e o poder do Sacerdote de perdoar os pecados e consagrar. Rosa teve outra visão, desta vez com Cristo que estava com o coração em chamas. Ela não se conteve, saiu pelas ruas pregando com um crucifixo nas mãos. A notícia correu toda cidade, muitos foram estimulados na fé, e vários hereges se converteram. Com suas palavras confundia até os mais preparados. Por isto, representava uma ameaça para as autoridades locais.
Em 1250, o prefeito a condenou ao exílio. Rosa e seus pais foram morar em Soriano onde sua fama já havia chegado. Na noite de 5 de dezembro 1251, Rosa recebeu a visita de um anjo, que lhe revelou que o imperador Frederico II, uma semana depois, morreria. O que de fato aconteceu. Com isto, o poder dos hereges enfraqueceu e Rosa pode retornar a Viterbo. Toda a região voltou a viver em paz. No dia 6 de março de 1252, sem agonia, ela morreu.
No mesmo ano, o Papa Inocêncio IV, mandou instaurar o processo para a canonização de Rosa. Cinco anos depois o mesmo pontífice mandou exumar o corpo, e para a surpresa de todos, ele foi encontrado intacto. Rosa foi transladada para o convento das Irmãs Clarissas que nesta cerimônia passou a se chamar, convento de Santa Rosa. Depois desta cerimônia a Santa só foi "canonizada" pelo povo, porque curiosamente o processo nunca foi promulgado.
A canonização de Rosa ficou assim, nunca foi oficializada.. Mas também nunca foi negada pelo Papa e pela Igreja. Santa Rosa de Viterbo, desde o momento de sua morte, foi "canonizada" pelo povo.
Em setembro de 1929, o Papa Pio XI, declarou Santa Rosa de Viterbo a padroeira da Juventude Feminina da Ação Católica Italiana . No Brasil ela é A Padroeira dos Jovens Franciscanos Seculares. Santa Rosa de Viterbo é festejada no dia de sua morte, mas também pode ser comemorada no dia 4 de setembro, dia do seu translado para o mosteiro de Clarissas de Santa Rosa, em Viterbo, Itália.
http://www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=santo&id=60

Santa Rosa de Viterbo 

A santidade é uma graça que o Espírito Santo quer dar a todos, porém é Ele que vai no tempo Dele manifestando para o mundo este dom dado a quem luta diariamente. Por exemplo Santa Rosa que lembramos neste dia muito cedo começou a externar atitudes extraordinárias e coragem e amor ao Senhor. Nasceu em Viterbo em 1233 de pobre e humilde família; quando tinha apenas três anos conta-se que pela sua oração Jesus reviveu uma tia. Com sete anos Rosa pegou uma forte doença que foi meio para sua vida de consagração, pois Nossa Senhora apareceu a ela restituindo a saúde e chamando a total entrega de vida. Santa Rosa antes mesmo de alcançar idade, resolveu e vestir um hábito franciscano, já que sua meta era entrar na Ordem de Santa Clara de Assis. Menina cheia do Espírito Santo não ficou parada diante dos hereges cátaros que semeavam a rejeição às autoridades, assim com o próprio Imperador da Alemanha que prepotente protegia os hereges e buscar o prejuízo da Igreja. Santa Rosa com apenas doze anos era instrumento eficaz nas mãos Pai Celeste, por isso anunciava o Evangelho e denunciava as artimanhas de Satanás na época. Banida pelo imperador continuou profetizando, até o imperador morreu, ela voltou como heroína para Viterbo e mesmo sem ser aceita com dezesseis anos pelas Irmãs Clarissas, Santa Rosa perseverou no caminho da santidade até pegar uma doenças que a levou com dezoito anos para a Eterna Morada de Deus.
http://www.catolicanet.com/?system=santododia&action=ver_santos&data=06/03

http://www.acidigital.com/santos/santo.php?n=238

Santa Rosa de Viterbo
NascimentoNo ano de 1234
Local nascimentoViterbo - Itália
OrdemLeiga
Local vidaViterbo
EspiritualidadeEsta querida santinha figura-se entre uma da mais jovens de toda a história da Igreja. Rosa dedicou-se a pregação a partir de 8 anos de idade: nessa época a imoralidade e rivalidades entre o Papa e o Imperador Frederico II em todo o no norte da Itália a fizesse, mesmo criança lançar-se ao apostolado público contra os abusos do Imperador e atacando suas heresias. Ia para as cidades vizinhas, atraindo sempre grandes multidões. É condenada ao exílio junto à sua família. Morto o Imperador, volta a Viterbo triunfante. Desejava muito entrar para o convento para era tão pobre que por falta de dote não o conseguiu. E em profundas orações e penitências, morreu esgotada, aos 17 anos de idade. Deus queria premiá-la com o céu.
Local morteViterbo
MorteNo ano de 1252, aos 17 anos de idade
Fonte informaçãoNosso santo de cada dia, rogai por nós
OraçãoDeus, nosso Pai, à medida que transcorrem os séculos, vemos com mais clareza a vossa ação no mundo. Na verdade, vós sois um Deus fiel e agis com força e poder dentro da história dos homens, abalados por tantas contradições. Mas vós conduzis vosso povo através dos tempos. Moveis os corações dos homens para que encontrem paz. E suscitais, segundo as necessidades de cada época, pessoas fortalecidas com as vossas promessas antigas, mas sempre novas. Por isso, Senhor, hoje nós vos suplicamos humildemente: a exemplo de Santa Rosa, façamos de nossa vida um tempo de conversão, de fidelidade a Deus e de amor à paz.
DevoçãoAo combate as heresias, orações, penitências, apostolado e sacrifícios
PadroeiroDa juventude missionária
Outros Santos do diaMarciano (bispo); Agápio, Vitor, Vitoriano, Claudiano e Bassa, Conão (márts); Olegário, Basílio (bispo); Cirilo, Evágrio (confs.); Coleta, Rosa de Vitebo (virgens).
FONTE: ASJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário