quinta-feira, 14 de março de 2013

HOMÍLIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 15/03/2013

15 de Março de 2013

Ano C


João 7,1-2.10.25-30

Comentário do Evangelho

O perigo de fechar-se à novidade de Deus

O texto revela a razão do não reconhecimento de Jesus como Messias, a saber, uma ideia hermética e equivocada do Messias, além da falta de conhecimento do Pai: ". este, nós sabemos de onde é. O Cristo, quando vier, ninguém saberá de onde é" (v. 27). Pensava-se que o Messias teria uma origem desconhecida. Fecharam-se à novidade de Deus, esqueceram-se de que Deus é surpreendente, por isso identificavam Jesus com um simples homem e não se permitiam o salto da fé. A resposta de Jesus revela a ignorância deles, pois pensam saber de onde Jesus vem, mas, de fato, não o sabiam. Parece, da parte de Jesus, uma ironia ao dizer: "... sabeis de onde eu sou!" (v. 28). A sua origem é outra: ele vem do Pai (cf. v. 29). Eles não conhecem o Pai (cf. v. 28), por isso não podem reconhecer aquele que Deus enviou (cf. v. 29). 
Carlos Alberto Contieri, sj

http://www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=evangelho&action=busca_result&data=15%2F03%2F2013

Vivendo a Palavra

A presença de Jesus confundia seus conterrâneos. Ele anunciava a chegada do Reino de Deus, mas de uma forma surpreendente: um Reino de generosidade e perdão, que não se parecia nada com o modelo que a expectativa havia criado – um reino de poder. Qual é a nossa imagem do Reino do Céu?
http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg05.php

Reflexão

A descrença pode ter conseqüências terríveis como nos revela o Evangelho de hoje. As pessoas que acreditaram em Jesus procuraram seguir seus ensinamentos e viver uma nova forma de relacionamento com Deus, de modo que a sua fé gerava a vida em abundância. Os que não aceitavam as palavras de Jesus não só se privavam desta vida como também procuravam tirar a vida de Jesus. Mas o nosso Deus é o Deus da vida. A descrença luta contra a vida e pode até mesmo tirar a vida das pessoas, mas tira apenas a vida biológica, e o sangue que é derramado fertiliza a terra para que nela brote as sementes de vida eterna. O sangue de Jesus foi derramado, assim como o de muitos mártires, e isso faz com que as sementes do Reino cresçam e dêem fruto.
  http://www.cnbb.org.br/liturgia/app/user/user/UserView.php?ano=2013&mes=3&dia=15

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

FAÇA UMA DOAÇÃO AO NPDBRASIL...

1. Humano demais...
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Há até uma bela música com este nome, e aqui está o problema dos Judeus para com Jesus: eles queriam um MESSIAS misterioso, de origem desconhecida, talvez vindo de alguma nuvem do céu e eis que aparece no meio deles um homem comum como qualquer outro judeu, mas que se diz um enviado do Pai em uma missão especial.

Como pode um ser humano anunciar-se como um enviado especial do Pai? Para o Judaísmo é uma afronta! Pois esse anúncio explicita a divindade de Jesus, foi Deus quem o enviou e ele, apesar de homem, é o Filho de Deus. De um modo bem simples eis aí a razão da condenação de Jesus.

Talvez ao ler o evangelho de João, onde o confronto com o Judaísmo vai ficando cada vez mais acirrado, alguém possa pensar que Jesus "Gostava de cutucar a onça com a vara curta", fazendo provocação aos Judeus. Entretanto é a fidelidade ao Pai e a sua Vontade que leva Jesus a agir desse modo. Se ele não falar de onde veio e quem o enviou, não estará revelando o Pai, evitando assim que os homens o conheçam.

Sendo quem é, e assumindo com fidelidade a missão que lhe foi confiada, Jesus age com inteira liberdade, de fato, no evangelho de João é Jesus quem se entrega, tudo aconteceu pela vontade do Pai, mas com o seu consentimento. Por isso, embora já ameaçado de morte, ele anda livremente por Jerusalém pregando e ensinando, fazendo prodígios, e as pessoas se admiram que ninguém o tenha impedido. Na hora da sua glorificação na cruz ele irá se entregar, pois na visão Joanina, ninguém tem força e poder, para impedir a obra da Salvação que em Cristo irá se realizar.

Nos dias de hoje há uma multidão de homens e mulheres que se dizem Filhos e Filhas de Deus, ou porque receberam um Batismo, como nós cristãos, ou porque assim se sentem. Entretanto, falta a coragem a ousadia e a fidelidade de Jesus, para de fato viver e pensar como autênticos Filhos e Filhas de Deus, já que qualquer poder do mundo, as vezes é suficiente pára nos fazer dobrar os nossos joelhos diante das forças do mal.

Ser livre não é falar e fazer sempre o que se quer, mas a nossa verdadeira liberdade está em Deus.

2. O perigo de fechar-se à novidade de Deus
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Carlos Alberto Contieri, sj - e disponibilizado no Portal Paulinas)
VIDE ACIMA
ORAÇÃO
Pai, minha vida está colocada em tuas mãos, pois tu és o Senhor do meu destino. Movido por esta certeza, dá-me a graça de testemunhar, com coragem, o teu Reino.


3. MINHA HORA NÃO CHEGOU!
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total a cada mês).

A vida de Jesus estava toda colocada nas mãos do Pai. Com esta consciência, ele enfrentava os desafios do ministério, sem se deixar abater pelos mal-entendidos, pelas hostilidades evidentes ou veladas ou mesmo pela ameaça de morte que pairava sobre a sua cabeça. Sua coragem manifestava-se na maneira aberta com que proclamava sua doutrina, em plena Jerusalém – no Templo –, mesmo sabendo que os judeus buscavam matá-lo.

Importava-lhe unicamente manter-se fiel a quem o enviou, pois não tinha vindo por si mesmo, nem proclamava uma doutrina de sua autoria e propriedade. As hostilidades contra ele provinham do desconhecimento do Pai. Logo, fruto da ignorância! Bastava que se abrissem para o Pai, para estarem em condições de compreender a veracidade do testemunho de Jesus.

A vida do Filho estava nas mãos do Pai. Isto impedia que os adversários assumissem o controle do destino de Jesus. Por isso, em vão, procuravam detê-lo e infligir-lhe a pena capital. "Sua hora ainda não chegara".

A coragem do Mestre serviu de exemplo para os discípulos, sobretudo nos momentos difíceis de seu ministério apostólico. Também a vida deles estava nas mãos do Pai. Sendo assim, nenhum inimigo, por pior que fosse, haveria de se transformar em senhor de seus destinos. Somente o Pai pode determinar a hora de cada um!
Oração
Pai, minha vida está colocada em tuas mãos, pois tu és o Senhor do meu destino. Movido por esta certeza, dá-me a graça de testemunhar, com coragem, o teu Reino.
http://www.npdbrasil.com.br/religiao/evangelho_do_dia_semana.htm#d6

Os fundamentos da nossa festa


Postado por: homilia

março 15th, 2013


Irmãos e irmãs, o contexto do Evangelho segundo João 7, 1-2.10.25-30 está intimamente ligado à festa judaica chamada “Festa das Tendas” ou “Cabanas”. Uma festa marcada pela alegria devido ao fim das colheitas e pelo reconhecimento das intervenções do Senhor para com o seu povo no tempo do Êxodo. Esta festa era também um momento de recordar e anunciar os bens messiânicos.
E quem estava para ir, como os seus familiares, para esta festa em Jerusalém? Àquele que é o maior fruto colhido da Providência e Misericórdia Divina, a manifestação plena e eterna da salvação prometida por Deus para com os povos e o Messias em Pessoa, a cumprir as promessas messiânicas outrora anunciadas: «Acontecerá então que todos os sobreviventes das nações que tiveram marchado contra Jerusalém subirão, ano após ano, à cidade para se prosternarem diante do rei, o Senhor de todo poder, e para celebrar a festa das Tendas» (Zc 14, 16).
Portanto, nesta grande festa de ação de graças, eles tiveram a oportunidade de reconhecerem e se renderem, em meio aos louvores, a Jesus (Deus salva), o Senhor Todo-Poderoso e Rei dos reis. Mas isto tudo a conjugar com o mistério da liberdade humana e optar por aceitar a crer nas revelações de Deus.
Infelizmente, já no seio familiar, Cristo encontrou resistência (cf. Mc 3, 21), igualmente por parte também de muitos outros judeus, que neste caso incluiu principalmente os líderes religiosos do tempo de Cristo (cf. Jo 7, 1.25). No entanto, movido pela obediência ao Pai de onde veio, não deixou de se arriscar para anunciar a Boa Nova, mesmo em meio a um ambiente alegre para todos e hostil a Ele: «Em alta voz, Jesus ensinava no templo: “Vós me conheceis e sabeis de onde sou; eu não vim por mim mesmo, mas o que me enviou é fidedigno. A esse não o conheceis, mas eu o conheço, porque venho da parte dele, e ele foi quem me enviou» (Jo 7, 28-29).
Assim Jesus se apresentou não como um “estraga festas”, mas como o fundamento da alegria que festeja as manifestações do Amor de Deus no passado, presente e na certeza que não falhará no futuro.
Também hoje podemos perceber que existem muitas motivações e sensibilidade para com o bom humor e, propriamente, a alegria. Agora, somente pela livre adesão a Jesus Cristo, por uma fé obediente, poder-se-á experimentar os frutos do Espírito Santo, do qual a alegria, vinculada ao amor é que promove o verdadeiro e edificante bom humor: «Mas eis o fruto do Espírito: amor, alegria, paz, paciência, bondade, benevolência, fé, doçura, domínio de si; contra tais coisas não há lei» (Gl 5, 22-23).
Deus quer que os frutos do Espírito Santo, que sinalizam o Reinado do Amor de Deus em nós, também nos faça sinais do mesmo Reino, a partir nós, inclusive nos nossos relacionamentos. Verdade que, de certa forma, desejou o novo Papa para o relacionamento dele com todos os fiéis: «E agora iniciamos este caminho, Bispo e povo…este caminho da Igreja de Roma, que é aquela que preside a todas as Igrejas na caridade. Um caminho de fraternidade, de amor, de confiança entre nós» (Papa Francisco).
Primeiras palavras como Bispo de Roma e Vigário de Cristo que apontam para um estilo de vida possível com a graça de Deus. Com Jesus, no Espírito Santo e como Igreja, podemos continuamente contemplar e anunciar as intervenções deste Deus que continua salvando e abençoando a Igreja e o mundo , inclusive através de cada sucessor de São Pedro.
Por isso tudo, estamos em Quaresma, mas sem perder os motivos de uma festa que não passa.
Padre Fernando Santamaria – Comunidade Canção Nova
http://blog.cancaonova.com/homilia/2013/03/15/
LEITURA ORANTE

Jo 7,1-2.10.25-30 - Ensinamento que incomoda



Preparo-me para a Leitura Orante, 

rezando com todos os 
que navegam pela rede da internet 
e com toda a Igreja: 

-Vinde, ó Deus em meu auxílio. 
-Socorrei-me sem demora. 
- Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. 
- Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Hino

Ó Cristo, sol de justiça,
brilhai nas trevas da mente.
Com força e luz, reparai
a criação novamente.
 Dai-nos, no tempo aceitável,
um coração penitente,
que se converta e acolha
o vosso amor paciente.
 A penitência transforme
tudo o que em nós há de mal.
É bem maior que o pecado
o vosso dom sem igual.
 Um dia vem, vosso dia,
e tudo então refloresce.
Nós, renascidos na graça,
exultaremos em prece.
A vós, Trindade clemente,
com toda a terra adoramos,
e no perdão renovados
um canto novo cantamos.

1. Leitura (Verdade) 

 Jesus está no Templo e é a primeira vez que, segundo João, ele ensina. É um ensinamento novo, diferente. E pergunta se o conhecem mesmo. Se sabem de onde ele é. Jesus lhes fala daquele que o enviou. A Boa-Notícia de Jesus causava impacto no povo pois comunicava "um novo ensinamento! Dado com autoridade! "Ele ensina como quem tem autoridade e não como os escribas e dos fariseus" (Mc 1,22). Qual a diferença? Os escribas, quando ensinavam, diziam as sentenças das autoridades da época. Jesus nunca citava doutores, mas ensinava com autoridade, ou seja, sua palavra, Palavra do Pai, que lhe vinha do coração para o coração do povo. Contra esta postura de Jesus, irritadas, as autoridades queriam prendê-lo. 
- O que a Palavra diz? 
Rezo ou canto: "Ó Luz do Senhor, que vem sobre a terra, inunda meu ser, permanece em nós!" (repetir).
De início, leio na Bíblia, o Evangelho do dia em Jo 7,1-2.10.25-30Depois disso, Jesus começou a andar pela Galiléia; ele não queria andar pela Judéia, pois os líderes judeus dali estavam querendo matá-lo. Aconteceu que a festa dos judeus chamada Festa das Barracas estava perto. Depois que os seus irmãos foram à festa, Jesus também foi, mas fez isso em segredo e não publicamente. Algumas pessoas que moravam em Jerusalém perguntavam: 
- Não é este o homem que estão querendo matar? Vejam! Ele está falando em público, e ninguém diz nada contra ele! Será que as autoridades sabem mesmo que ele é o Messias? No entanto, quando o Messias vier, ninguém saberá de onde ele é; e nós sabemos de onde este homem vem. 
Quando estava ensinando no pátio do Templo, Jesus disse bem alto: 
- Será que vocês me conhecem mesmo e sabem de onde eu sou? Eu não vim por minha própria conta. Aquele que me enviou é verdadeiro, porém vocês não o conhecem. Mas eu o conheço porque venho dele e fui mandado por ele. 
Então quiseram prender Jesus, mas ninguém fez isso porque a sua hora ainda não tinha chegado. 

2. Meditação(Caminho) 
- O que a Palavra diz para mim? 
Acolho o ensinamento novo de Jesus ou prefiro permanecer nos meus tradicionais conceitos? 
Posso admitir que pouco me interesso por conhecer melhor Jesus e aceitar a sua proposta?
 Ou prefiro deixar como está? 
Digo a Palavra ou apenas palavras de grandes pensadores?
Os bispos, em Aparecida, disseram: "O Espírito Santo, com o qual o Pai nos presenteia, identifica-nos com Jesus-Caminho, abrindo-nos a seu mistério de salvação para que sejamos seus filhos e irmãos uns dos outros; identifica-nos com Jesus-Verdade, ensinando-nos a renunciar a nossas mentiras e ambições pessoais, e nos identifica com Jesus-Vida, permitindo-nos abraçar seu plano de amor e nos entregar para que outros “tenham vida n’Ele”."(DAp 137).

 3. Oração (Vida) 
- O que a Palavra me leva a dizer a Deus? 
Rezo com toda Igreja, a

Oração oficial da CF 2013

Pai santo, vosso Filho Jesus,
conduzido pelo Espírito
e obediente à vossa vontade,
aceitou a cruz como prova de amor à humanidade.
Convertei-nos e, nos desafios deste mundo,
tornai-nos missionários
a serviço da juventude.
Para anunciar o Evangelho como projeto de vida,
enviai-nos, Senhor;
para ser presença geradora de fraternidade,
enviai-nos, Senhor;
para ser profetas em tempo de mudança,
enviai-nos, Senhor;
para promover a sociedade da não violência,
enviai-nos, Senhor;
para salvar a quem perdeu a esperança,
enviai-nos, Senhor;
para... 

4. Contemplação (Vida/ Missão)
- Qual o meu novo olhar a partir da Palavra? 
Quero hoje viver com o olhar de Jesus e descobrir, a cada instante, a sua proposta nova para cada situação.

nção
 - Deus nos abençoe e nos guarde. Amém. 
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém. 
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém. 
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Sugestões:
- Campanha da Fraternidade 2013 - Veja informações no blog:
http://comunicacatequese.blogspot.com.br/

- Veja a mensagem do Papa Bento XVI para a Quaresma em 
http://paulinascomunica.blogspot.com/

- Faça o Retiro de Quaresma e Páscoa seguindo o blog
http://viverecomunicarcristo.blogspot.com


Ir. Patrícia Silva, fsp
http://leituraorantedapalavra.blogspot.com.br/

http://www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=evangelho&action=busca_result&data=15%2F03%2F2013
Oração Final
Pai Santo, mantém-nos atentos e receptivos à novidade que teu Reino de Amor nos traz. Ajuda-nos, Pai amado, a discernir a Vida Nova nos sinais dos tempos que vivemos, para anunciá-la aos peregrinos que caminham conosco nesta terra abençoada. Por Jesus Cristo, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg06.php

Nenhum comentário:

Postar um comentário