quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

São Pedro Damião - 21 de Fevereiro




São Pedro Damião, Bispo e Doutor da Igreja. Nasceu em Ravena, Itália no ano de 1907. Marcado desde cedo pelo sofrimento porque perdeu os seus pais, foi morar e viver com seu irmão. No amor e no acolhimento, São Pedro Damião pode discernir a sua vocação.
Oração e penitência, algo que sempre acompanhou a vida de Pedro Damião; e algo que também precisa nos acompanhar constantemente.
São Pedro Damião discerniu sua vocação à vida religiosa e entrou para a Ordem dos Camaldulenses, no mosteiro de Fonte Avellana, na Úmbria, onde religiosos austeros levavam vida de eremitas.
Diante das regras e do que ele via e percebia, era preciso uma renovação a começar por ele. Ao se abrir a ação do Espírito Santo, ao ser obediente às regras, outros também foram se ajuntando a Pedro Damião, fundaram outros mosteiros e deram essa contribuição.
A renovação de qualquer instituição passa pela renovação pessoal, e também é válido para os tempos de hoje. As reclamações, as acusações, as rebeliões nada renovam, mas a decisão pessoal, a abertura a Deus, isso sim, pode provocar, como provocou na vida e na história de São Pedro Damião, uma renovação.
Deus pediu mais, e ele foi servir de maneira mais próxima a hierarquia da Igreja, sendo conselheiro de um Papa. Foi Bispo de Óstia, lugar perto de Roma, e também foi escolhido como Cardeal. Algo que marcou a sua história.
São Pedro Damião, sua própria vida nos aconselha a oração, a penitência e ao amor que se compromete com a renovação dos outros, pois a partir da renovação pessoal, nós também ajudamos na renovação do outro e das instituições.
A Igreja precisa ser renovada constantemente, para isso somos chamados a nossa renovação pessoal, a conversão diária. Peçamos a intercessão do santo de hoje que foi Bispo, Cardeal e Doutor da Igreja.
São Pedro Damião, rogai por nós!
http://www.cancaonova.com/portal/canais/liturgia/santo/index.php?mes=2&dia=21&id=44

São Pedro Damião

São Pedro Damião
1007-1072
Pedro nasceu em Ravena, em 1007. Teve uma infância muito sofrida, ficou órfão muito cedo e foi criado de forma improvisada pelos irmãos que eram em grande número. Mesmo assim, o irmão mais velho, Damião, acabou por se responsabilizar sozinho por seus estudos. Estudou em Ravena, Faenza e Pádua e depois de ter ensinado em Parma, ingressou no mosteiro camaldulense de Fonte Avelana, na Úmbria, que se tornou o centro de suas atividades reformadoras. Pedro, em retribuição à seu irmão Damião, assumiu também o seu nome ao se ordenar sacerdote.
Pedro Damião, aos vinte e um anos, então na Ordem Camaldulense, por seus méritos logo tornou o superior diretor. As regras da Ordem já eram duras, mas ele as tornou mais rígidas ainda. Passou a criticar severamente conventos onde não havia pobreza e sua influência se estendeu por mosteiros da Itália e da França, entre eles Montecassino e Cluny, que passaram a seguir seus conceitos. Com seu reformismo, trabalhou incansavelmente para devolver à vida religiosa seu sentido de consagração total a Deus, na austeridade da solidão e da penitência.
Pedro Damião era um sacerdote contemplativo, de vida simples, adepto à vida monástica e desse modo singular atacava o luxo dos cardeais. Citava os apóstolos Pedro e Paulo como exemplos, pois percorreram o mundo para evangelizar, sendo magros e andando descalços, ou seja, para levar a Palavra de Deus, era necessário sobretudo se despojar dos apegos materiais. Foi desse modo que solidificou a austeridade religiosa e como viveu toda sua existência terrena.
Seu trabalho não parou aí. Havia, na época, a venda de títulos, funções e cargos da Igreja, como se fazia com os títulos feudais. A essa troca de favores se deu o nome de simonia clerical. O ato de comprar ou vender benesses espirituais, era antigo e esse nome deriva de Simão, o Mago, que procurou comprar dos Apóstolos graças espirituais. Dessa forma, cargos da Igreja acabavam ocupados por pessoas despreparadas e indignas que se rebelavam contra a disciplina exigida deles, principalmente com relação ao celibato.
A Igreja, assim dilacerada, vitimada pelas discórdias e cismas, tinha necessidade de homens cultos e austeros como padre Pedro Damião. Por isso, ele foi chamado à Santa Se para auxiliar nesses combates. Esteve ao lado de seis papas, como viajante da paz, e em particular colaborou com o cardeal Hildebrando, o grande reformador que se tornou o Papa Gregório VII.
Pedro Damião após várias peregrinações à cidade de Milão, à França e à Alemanha, se tornou cardeal e foi designado para a diocese de Óstia. Seus escritos, após a sua morte, prosseguiram doutrinando religiosos importantes. Aos poucos, a situação da Igreja foi se normalizando. Já velho, foi enviado à Ravena para recompor a questão do antipapa. Morreu em 1072, na cidade italiana de Faenza, quando voltava de uma missão de paz.
A fama de sua santidade em vida se cristalizou junto aos fiéis, que então passaram a venerá-lo como santo. Em 1828 o papa Leão XII declarou Santo Pedro Damião e o proclamou também doutor da Igreja, por seus numerosos escritos teológicos e pela incansável e eficiente atuação para a unidade da Santa Mãe, a Igreja Católica de Roma.
http://www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=santo&id=34

São Pedro Damião

O Santo deste dia é reconhecido como Doutor da Igreja, já que pela doutrina e amor a Igreja testemunhou sua vida de santidade. São Pedro Damião nasceu em Ravena em 1007; teve uma infância sofrida devido à morte dos pais. Mais tarde foi acolhido pelo irmão mais velho até entrar na vida religiosa pela Ordem Camaldulense. São Pedro Damião lutou como reformador para, com a ajuda dos irmãos, reformar a vida religiosa. Pedro Damião dirigiu e fundou um grupo de mosteiros que seguiam, com certas variações, a reforma camaldulense. Trabalhou incansavelmente para devolver à vida religiosa seu sentido de consagração total a Deus, na solidão e penitência. A partir de 1046 foi levado a trabalhar para a santificação de toda a Igreja de Cristo. Ajudou vários Papas, até mesmo depois de tornar-se bispo e cardeal de Óstia, perto de Roma. São Pedro Damião esteve muito próximo da Igreja Universal, por isso foi conselheiro e legado papal em 1072.
http://www.catolicanet.com/?system=santododia&action=ver_santos&data=21/02
São Pedro Damião, Bispo e Doutor da Igreja


Comemoração Litúrgica:  21 de fevereiro.

Também nesta data - São Sérvulo e São Fortunato

São Pedro Damião, Cardeal e Doutor da Igreja nasceu pelos fins do ano 1006, ou em começo de 1007, em Ravena. Com receio de ser parcelada demais a fortuna da família, em virtude da prole numerosa, a mãe expô-lo, retomando-o pouco depois. Pedro perdeu os pais muito cedo e ficou debaixo das ordens de um irmão mais velho, que o tratava com muita dureza e sem a menor caridade. Tendo 10 anos, a sorte de Pedro melhorou. Um outro irmão, também de nome Damião, que era arcipreste em Ravena, recebeu-o em casa, introduzindo-o no estudo das ciências e foi para ele um pai carinhoso. Para mostrar-lhe a gratidão, Pedro adotou o cognome de Damião. Durante alguns anos, teve por professores esse irmão e um outro sacerdote. Mais tarde continuou os estudos em Faenza e Parma. Nesta última cidade e depois em Ravena exerceu o cargo de professor. Em todo este tempo se lhe realizou na alma grande mudança. Tendo 28 anos, fez-se monge do eremitério de Fonte Avelana, na diocese de Faenza. Com dedicação a mais extremada trabalhou na sua santificação, lançando os alicerces de uma vida ascética, que não mais largou até à morte. Diversos outros mosteiros convidaram a Pedro para pregações e para reformá-los em seu espírito. Morto o prior de Fonte Avelana, foi Pedro eleito seu sucessor. Como Superior, dirigiu toda a atenção à formação de um bom espírito ascético nas comunidades. Para este fim, escreveu as biografias dos Santos Odilon, Romualdo, Domingos Loricato e Rodolfo de Eugubio, que apresentavam aos monges exemplos perfeitos da vida religiosa.
Pedro não podia ficar indiferente diante da situação triste em que se achava a Igreja Católica. A Sé apostólica tinha se tornado objeto de aspirações ambiciosas e achava-se em certa pendência da casa imperial da Alemanha. Em condições análogas estavam as dignidades eclesiásticas na Itália, França e Alemanha. Os prepotentes da política vendiam-nas a troco de dinheiro, ou davam-na às suas criaturas. Grande parte do clero tinha-se esquecido de sua alta missão e estava entregue ao vício da simonia ou nicolaitismo. O povo cristão estava sem guias e o espírito da impiedade alastrava-se cada vez mais.
Pedro Damião se opôs com toda a força a este estado de coisas. Pôs-se em comunicação direta com os Papas Gregório VI, Clemente II, Leão IX, Estevão IX, e Nicolau II e conseguiu que se abrisse forte campanha contra os dois abusos, que tanto prejudicavam a obra de cristo na terra.
Ele mesmo escreveu duas monografias, em que tratou das duas chagas perniciosas no corpo da Igreja. A segunda publicação, contra o nicolaitismo, criou-lhe muitos adversários, por causa do assunto, e do modo franco e enérgico com que desvendou e atacou o mal.
O Papa Estevão IX, porém, nomeou o autor Cardeal-Bispo de Ostia, dignidade a que se achava ligada outra, de decano do Colégio cardinalício.
Para que Pedro Damião se resolvesse a aceitar a púrpura foi preciso o Papa ameaçá-lo de excomunhão.
Grandiosa foi a atividade de Pedro Damião na reforma religiosa, em muitas dioceses. Comissões dificílimas e bem melindrosas foram-lhe confiadas pelos Papas e sua prudência,  energia e caridade conseguiram os mais brilhantes resultados. Foi este o motivo porque os Papas tão pouca disposição mostraram de aceitar-lhe o reiterado pedido de exoneração, para poder voltar ao querido eremitério. Muito bem fez a Santa Sé em não se ter privado da cooperação de tão hábil diplomata e santo reformador. A política abusiva do partido imperial, na eleição do sucessor de Nicolau II (1061), necessitava de um regulador prudente e enérgico, da têmpera de um Pedro Damião.
Em muitas questões difíceis e melindrosas, quer entre diocesanos e a autoridade diocesana, quer entre religiosos e Bispos, era-lhe decisivo o arbítrio.
Tendo 67 anos de idade, foi enviado ao “Reichstag” de Francfurt para, na qualidade de delegado pontifício, protestar contra o projeto do imperador Henrique IV, de divorciar-se da legítima mulher.
O Arcebispo de Ravena tinha incorrido na excomunhão e morrido sem absolvição. Reinava na cidade  forte animosidade contra Roma. Pedro Damião acalmou os espíritos e restabeleceu a paz. Foi esta a última obra do Santo na sua vida. Ansioso por procurar o merecido descanso em Fonte Avelana, morreu na viagem, em Faenza, no ano de 1089, tendo 83 anos de idade.
São Pedro Damião é enumerado entre as figuras clericais mais eminentes de todos os tempos. Foi grande como sábio, religioso, sacerdote e cardeal. Admiráveis e fora do comum eram-lhe os conhecimentos, principalmente da jurisprudência; admirável era a franqueza apostólica, com que profligava os vícios do tempo; admirável a austeridade e santidade de sua vida; admirável a piedade e zelo sacerdotal; admirável enfim, a dedicação incondicional à Santa Sé e o entusiasmo e atividade pela prosperidade da Igreja. O corpo do grande Santo descansa na Igreja dos Cistercienses, em Faenza. Leão XII deu a S. Pedro o título honroso de Doutor da Igreja.
Reflexões:
“Porque não pensas mais seriamente no negócio de tua salvação?” costumava S. Pedro perguntar-se a si mesmo. A mesma pergunta devíamos dirigir a nós, sendo a salvação de nossa alma o que mais nos devia interessar. Salva a tua alma e tudo está bem; perdida a alma, tudo está perdido. Muitos há e estes pertencem à maioria, que põem esta questão em último plano, considerando-a a mais insignificante de todas as outras e a menos importante. Jesus Cristo pensa diferentemente. “Marta, Marta, disse ele à irmã de Maria, estás te preocupando com muitas coisas, quando uma só é necessária”. (Lc. 10, 41). A salvação da alma é de todos os negócios o mais importante; é o negócio dos negócios; por isto merece nossa maior atenção, o máximo cuidado da nossa parte.
“A vida é curta e seu curso veloz”, diz a Sagrada Escritura. Se a vida é curta e sua passagem rápida, cumpre aproveitá-la para não perder nenhum dia, nenhuma hora. O tempo que se perde, perdido está para sempre. Uma eternidade não nos pode restituir o que no tempo perdemos. “Perdido uma vez o tempo, que Deus na sua bondade nos concedeu, para fazermos penitência e trabalhar para a nossa salvação, nunca mais o recuperaremos. (S. Boaventura).
http://www.paginaoriente.com/santosdaigreja/fev/pedro2102.htm
São Pedro Damião
NascimentoNo ano de 1007
Local nascimentoRavena
OrdemDiocesana
Local vidaMilão, França e Alemanha
EspiritualidadeLogo órfão de pai, caçula, foi criado pelos irmãos, cujo irmão mais velho. O Século X é conhecido como o século terrível para o pontificado pois o concubinato, a simonia estava em toda estrutura eclesiástica, mesmo na vida monástica e necessitava de urgente reforma. Foi uma era de trevas no mundo e para a Igreja. Pelo Damião foi um desses grandes reformadores pelo seu profundo amor à Igreja. Monge e discípulo de São Romualdo, dirigiu e fundou um grupo de mosteiros na Úmbria, que se tornou centro das atividades reformadoras que seguiam com certas variações a reforma camaldulence. Trabalhou incansavelmente para devolver à vida religiosa seu sentido de consagração á vida religiosa, a austeridade da solidão e da penitência. A partir de 1046 começou a se tornar grande sua fama de santidade. Os papas lhe pediam ajuda. Tornou-se cardeal e bispo de Ostia, legado do Pontifício, visitador dos mosteiros, escritor, conselheiro, libertando a Igreja de seus vínculos temporais o que deu ao Papa Gregório VII, um ano após sua morte a grande reforma empreendida. Sua extensa obra o fez merecer o título de doutor da Igreja pelos seus inumeráveis escritos teológicos, pelo Papa Leão XII.
Local morteRavena
MorteNo ano 1072, aos 65 anos de idade
Fonte informaçãoSanto nosso de cada dia, rogai por nós!
OraçãoÓ Deus, nós Te suplicamos, que todos os homens possam encontrar-Te pessoalmente e responder-Te com a mesma fé de Abraão, dos apóstolos e dos santos. Amém. São Pedro Damião, rogai por nós.
DevoçãoÀ reforma da Igreja decaída
PadroeiroDas reformas da Igreja
Outros Santos do diaPedro Damião (bispo e dr); Severiano (bispo) Zacarias (part); Randaoldo (monge); Vérulo , Félix, Secundino, Saturino, Fortunato Serício, Sélvulo, Cláudio, Sabino e Máximo (mártires) Leonor Rainha da Inglaterra.
FONTE: ASJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário