quinta-feira, 26 de abril de 2018

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 27/04/2018

ANO B


Jo 14,1-6

Comentário do Evangelho

Só há um modo de vencer o medo, pela fé

O evangelho de hoje é parte do discurso de despedida de Jesus, que tem sua origem na última ceia (13,31–14,31). Evidentemente, o anúncio da paixão e morte de Jesus e a predição da traição de Judas deixaram os discípulos confusos, agitados, assustados. A finalidade do discurso de Jesus é encorajar os discípulos para que não desanimem nem percam a esperança diante de sua paixão e da morte injusta, violenta e escandalosa. Efetivamente, o medo, a perturbação e a frustração põem em risco a unidade e podem levar a abandonar o seguimento de Jesus e os ideais propostos. No momento da paixão e aos pés da cruz, somente uns poucos, segundo João, permaneceram: a mãe de Jesus, Maria Madalena, Maria de Cléofas e o discípulo que Jesus amava (19,25-27). Os demais fugiram! Só há um modo de vencer o medo, pela fé (cf. v. 1). A fé permite manter viva a palavra e a promessa do Senhor, mesmo nos momentos dramáticos da existência humana. Os discípulos são convidados a fazer um novo êxodo: do medo à fé; da perturbação à paz dada pela confiança na palavra de Jesus. É a promessa feita pelo Senhor (v. 3) que sustenta essa Páscoa.
Carlos Alberto Contieri, sj
Oração
Pai, meu coração anseia por estar em comunhão contigo, em tua casa, lugar que Jesus preparou para mim. Que eu persevere sempre no caminho que me leva a ti.
Fonte: Paulinas em 16/05/2014

Vivendo a Palavra

Uma promessa de Jesus boa para ser lembrada em nossos momentos de angústia: “existem muitas moradas na casa de meu Pai!” Cuidemos para que a nossa mensagem não transmita dúvidas ou ansiedade, mas a firme esperança, a certeza de que caminhamos, já aqui, no terreno sagrado do Reino do Pai, onde um dia estaremos plenamente.
Fonte: Arquidiocese BH em 16/05/2014

VIVENDO A PALAVRA

O que significa em nossa vida a promessa de Jesus de preparar para nós lugar na casa do Pai? O nosso coração ainda se perturba? Peçamos ao Espírito Santo o dom da fé. Ela virá como uma sementinha, pequena como a da mostarda, mas nós cuidaremos dela até que se torne uma árvore capaz de acolher os irmãos.

Reflexão

Jesus está prestes a concluir a missão para a qual foi enviado pelo Pai e sabe que a sua presença histórica no meio dos homens está perto do fim. Por isso, ele inicia a preparação dos apóstolos para que reconheçam a sua nova forma de ser presença na vida das pessoas, assim como para receberem o Espírito Santo e serem conduzidos por ele na sua missão evangelizadora. Jesus inicia esta preparação mostrando aos discípulos que ele jamais os abandonará, mas irá preparar um lugar para onde ele mesmo conduzirá todas as pessoas que ele ama a fim de conviverem eternamente com ele.
Fonte: Liturgia Diária em 16/05/2014

Recadinho

Qual o caminho de realização que Deus lhe inspirou para sua vida? - Você se sente feliz e realmente se realiza fazendo o que faz e vivendo como vive? - Você se considera um privilegiado de Deus? - Você tem ocasião de indicar o caminho de Deus para outras pessoas? - Como e em que circunstâncias você faz isso?
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R
Fonte: a12 - Santuário Nacional em 16/05/2014

Reflexão

A certeza da iminente morte de Jesus deixa os apóstolos desconsolados e inseguros. Jesus os conforta. Garante-lhes que sua morte não é o fim de tudo. Não há razão para tristeza. Ele jamais abandona seus discípulos. Está voltando ao Pai, é verdade, mas continua presente na vida e na missão de seus seguidores. Mais: vai reservar um ambiente glorioso para os que permanecem fiéis ao seu projeto de amor e vida para todos. Essa foi a missão de Jesus; será também essa a tarefa para seus discípulos e discípulas. E não lhes faltará a constante ajuda do Mestre e Senhor: “O que vocês pedirem em meu nome, eu vou fazer, para que o Pai seja glorificado no Filho” (Jo 14,13). A exigência de Jesus é que sejam fiéis a ele, único caminho que conduz ao Pai: “Ninguém chega ao Pai, a não ser por mim”.
(Dia a dia com o Evangelho 2018 – Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)

Comentário do Evangelho

NÃO SE PERTURBE!

O discípulo do Ressuscitado vê-se confrontado com duas situações que, se mal compreendidas, poderão ser causa de perturbação. Por um lado, tem diante de si um projeto, cujas exigências e conseqüências são preocupantes: pautar a própria vida pelo ideal do Reino, num mundo hostil e refratário ao amor, tem um preço a ser pago. Por outro lado, o discípulo pergunta-se pelo fim de tudo isto, pela meta para onde caminha. O sentido da caminhada e o ânimo com que ela é feita, dependem de uma certa lucidez. Caso contrário, o discípulo deixar-se-á vencer pelo desânimo.
Jesus tomou a iniciativa de tranqüilizar os discípulos, apelando para a fé: "Assim como vocês acreditam em Deus, acreditem também em mim". Suas palavras elucidavam as dúvidas que povoavam o coração deles. Acolhidas na fé, essas palavras surtiriam o efeito tranqüilizador desejado.
Para os discípulos, abriu-se uma perspectiva de comunhão escatológica com o Pai. Simbolicamente, Jesus referiu-se à casa com muitas moradas. O vocábulo casa evoca afeto, convivência, intimidade. As muitas moradas significam a disposição do Pai para acolher a todos, sem exceção. Quem chegar na casa do Pai, será recebido por ele.
Esse lugar de acolhida será preparado por Jesus, o qual precederá os seus discípulos. Com uma tal certeza, pode-se deixar de lado todo receio. Basta seguir o caminho aberto por Jesus.
Oração
Espírito de tranqüilidade afasta para longe de mim toda perturbação, e faze-me confiar plenamente nas palavras de Jesus, que já nos preparou um lugar na casa do Pai.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Deus, a quem devemos a liberdade e a salvação, fazei que possamos viver por vossa graça e encontrar em vós a felicidade eterna, pois nos remistes com o sangue do vosso Filho. Que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Dom Total em 16/05/2014

Meditando o evangelho

VOU PREPARAR-VOS UM LUGAR

Embora convocasse os discípulos para se empenharem na prática do amor e da justiça, Jesus lhes descortinava, também, um horizonte para além dos limites da História. Ele lhes propunha uma meta a ser alcançada no fim da peregrinação terrena: a casa do Pai, com muitas moradas, espaço de acolhida para todos.
As palavras do Mestre visam estimular os discípulos a seguirem em frente, sem se deixarem abater pelas adversidades. Mas, seria injusto considerá-las como incentivo à passividade e à alienação. Elas só têm sentido para o discípulo que se lança à ação.
A meta da caminhada dos discípulos é a comunhão plena e eterna com o Pai. Comunhão esta preparada pela morte e ressurreição de Jesus que, desta forma, os precede e lhes promete ter para sempre consigo, na casa paterna.
O caminho para se chegar à casa do Pai é o próprio Jesus, que se definiu "Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida". Jesus é o Caminho na medida em que é a Verdade pela qual a Vida é comunicada a quem o escolhe para chegar ao Pai. A casa do Pai é alcançada na medida em que o discípulo pauta seu agir pela Verdade proclamada por seu Mestre. E assim usufrui a Vida cuja plenitude encontra-se no término do Caminho, que é o mesmo Jesus. Importa apenas que o discípulo siga fielmente esse Caminho que é guia seguro para se chegar à casa do Pai.
Oração
Pai, meu coração anseia por estar em comunhão contigo, em tua casa, lugar que Jesus preparou para mim. Que eu persevere sempre no caminho que me leva a ti.

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

1. A segurança que vem de Jesus
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

No evangelho de João estamos diante de um Jesus que fala muito, os discursos ocupam a maior parte, é sempre bom lembrar que os escritos Joaninos situam-se mais ou menos nos anos 90, quase final do primeiro século, marcado por intensa perseguição aos cristãos.
O quadro que se apresenta é de insegurança e perturbação, certamente o grupo dos discípulos também viveu essa mesma experiência nos dias que antecederam a paixão e morte do Senhor, no coração dos pobres e simples, os ensinamentos de Jesus eram bem acolhidos, mas nas Lideranças Religiosas, ao contrário, a rejeição e a incredulidade eram evidentes.
As comunidades do final do primeiro século também estão inseguras, todos se perguntam que destino terá o Cristianismo iniciado pelos discípulos de Jesus, como sobreviver em um ambiente tão hostil ao evangelho, onde os cristãos são considerados membros de uma seita perigosa ao sistema. São José Operário deve também ter se perguntado, muitas vezes, em sua vida terrena, por que Deus não facilitava as coisas para ele, que era guardião de Maria e do menino Filho de Deus.
Os cristãos têm consciência da missão que fora confiada á igreja, pelo próprio Senhor, mas por outro lado sentem-se impotentes e nada podem fazer para reverter o quadro. Na nossa vida e na vida de São José isso sempre ocorre. Deus nos chama para algo grandioso, mas que é vislumbrado pela Fé.
Nossas comunidades cristãs neste terceiro milênio, embora em outro contexto vivem o mesmo drama, o que fazer diante de um mundo cada vez mais hostil ás coisas de Deus Pai ? Como agir em uma sociedade que ainda não conhece de fato a Jesus Cristo, seu Reino e seu evangelho. Filipe não conhecia o Pai, e hoje em nossas comunidades, muitos também não conhecem a Deus, fazendo dele uma imagem distorcida.
Muitos vivem em comunidade, recebem um Batismo, tem contato com Deus nos Sacramentos, ouvem a Deus na Palavra, comungam Deus na Eucaristia, mas não sabem ao certo quem é Deus, e essa fé em Jesus nem sempre os faz ser, pensar e agir diferente. Creem em Jesus, mas não o aceitam como Senhor de suas Vidas, aliás, nem admitem que ele interfira em suas vidas, é a chamada Religião onde as pessoas se “sentem bem”, sem qualquer compromisso com a moral ou ética, Filipe não conseguia ligar Fé e Vida, sua relação com Deus se fundamentava em revelações e manifestações grandiosas, por isso irá dizer a Jesus “Senhor, mostra-nos o Pai e isso basta!”.
A queixa de Jesus procede, no caso de Filipe e para nossas comunidades também “Há tanto tempo estou convosco e não me conhecestes!” Por isso que as vezes há cristãos que nos surpreendem negativamente, leigos, religiosos, membros do clero, quando se envolvem em escândalos que são um contra testemunho, e dizemos cheios de espanto “Nossa ! Mas ele não saia da igreja...” O que fez todo esse tempo ? O mesmo que Filipe, sonhando com um Messias poderoso e celestial, que de vez em quando vem interferir em nossas misérias...
Nós cristãos corremos dois grandes riscos nos dias de hoje, podemos, a exemplo de Filipe, querer viver uma religião das manifestações milagrosas, vivendo então só na Mística, Deus nos revela seu mistério, que contemplamos e adoramos, e fica nisso. É Deus quem faz, é Deus quem age, é Deus que soluciona, Ele tudo pode e tudo quer, quanto a nós, em nossa pequenez nada temos a contribuir, e assim, fugimos do mundo que não aceita Deus, e nos acercamos dele, até o dia em que formos arrebatados para o céu.
Esse é um primeiro perigo, deixar tudo por conta de Deus, mas há outro perigo, e hoje esse é muito maior: o de buscarmos soluções no homem, no racionalismo que tem resposta para tudo, e nesse caso, a salvação vem do homem, Deus é apenas uma entre muitas outras opções do modo de se viver.
Há obras que precisam ser feitas, e Jesus garante que estas serão maiores do que aquelas que ele realizou, mas é preciso saber ocupar o nosso lugar, que não é em uma esfera celestial, flutuando ao encontro do céu, mas o lugar do Cristão é na terra, com os pés firmes caminhando em Comunidade, semeando a Boa Nova e cultivando sempre a esperança que não é vã, porque Jesus está com o Pai, mas também caminha á nossa frente mostrando-nos o caminho a tomar, para que não nos percamos nos atalhos que não nos levam a lugar nenhum.
A São José, a quem Deus tinha confiado a guarda do seu precioso e Divino Filho, não foi oferecido favores especiais, mas olhado pelas outras pessoas, era um Judeu comum, um Carpinteiro que trabalhava em seu dia a dia, como ótimo profissional, para manter a sua família. José trilhava um caminho que só alguns conheciam...
O caminho é bem conhecido, não podemos dar a mesma desculpa de Filipe “Senhor, não sabemos para onde vais”! Não sabemos o que fazer, ou que estilo de vida adotar enquanto cristãos. Essa é uma desculpa esfarrapada demais, o nosso caminho é o mesmo de Jesus, é o caminho do serviço, percorrido sempre com amor e entusiasmo, ainda que diante de nós, tenhamos muitas vezes as cruzes dos fracassos, o tormento das nossas limitações. A Fé no Pai que se revelou em Jesus, aquele a quem seguimos sempre nos reanima as forças, nos faz olhar à frente e seguirmos adiante, para uma Vida além de tudo o que hoje vemos, sentimos e somos.
Esse lugar que já está reservado ao homem de Fé, é ao lado de Deus, para isso Ele nos fez e nisso consiste a Salvação... Ele já está à disposição, ainda nesta vida, para quem se dispuser a Ser Discípulo Fiel de Jesus. São José Operário. Rogai por todos nós, nossas famílias e nossos trabalhadores!

2. Na casa de meu Pai há muitas moradas
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

O bom pastor caminha à frente das ovelhas e elas o seguem porque conhecem a sua voz. Assim, Jesus vai a nossa frente preparar um lugar para nós junto dele. Ele quer que estejamos onde ele estiver. Ele se refere à vida na eternidade de Deus. Ele vai à frente, prepara o lugar, volta e nos leva consigo. Portanto, que o nosso coração não se perturbe. Não tenhamos medo de nada. O fim está garantido e os meios também. Os meios são o caminho que percorremos nesta vida e que nos leva até onde Jesus está. O caminho é ele mesmo. Ele é o caminho verdadeiro que leva para a vida que está no Pai. É por ele que vamos ver a face do Pai. Cremos que ele é o caminho, a verdade e a vida, e cremos que, ao fecharmos os olhos para este mundo, despertaremos no lugar que Jesus foi preparar para nós e lá viveremos plenamente com ele para sempre. Por isso nosso coração não se perturba, nem diante da realidade da morte. Ela precisa acontecer para contemplarmos a beleza do Senhor ao despertarmos. A morte é rápida e passageira. Não é fim e não tem o poder de pôr fim à existência. Depois da Morte e Ressurreição de Jesus, podemos perguntar à morte onde está sua vitória. Se não fosse assim, Jesus nos teria dito.

HOMILIA

COMO PODEMOS CONHECER O CAMINHO?

Jesus Cristo é o único caminho. Não há outro caminho que nos leve ao Pai e muito menos outra verdade. Inclusive temos ouvido pessoas cristãs, que de uma forma “ecumênica” por desconhecer a Verdade dizerem que “muitos caminhos nos levam a Deus”. E a casa do Pai, a Sua morada, é simplesmente a igreja, não uma edificação de alvenaria e tijolos, apenas a igreja, assembléia dos chamados, daquelas pessoas que têm um viver que agrada a Deus. Somos a morada do Deus vivo, templo do Espírito Santo, conforme vemos em João 14:23: ” Respondeu Jesus: Se alguém me ama guardará a minha palavra e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada”. A doutrina do Espiritismo diz que Cristo se referia a várias moradas nos ares, em camadas celestiais. É bobagem dizer isso, é um grande desconhecimento da Bíblia.
Enquanto aqui esteve com os Seus discípulos, Jesus, humildemente, pedia-lhes sua compreensão para os fatos que iriam acontecer. Por isso, Ele lhes dizia: “Não se perturbe o vosso coração. Tendes fé em Deus, tende fé em mim também.” Sabendo que pouco tempo lhe restaria no meio deles, Jesus punha-se a mostrar-lhes muitos empecilhos que eles teriam que enfrentar quando Ele fosse embora para perto do Pai. Assim sendo, Ele lhes falava da casa do Pai e suas moradas e prometia-lhes preparar um lugar para eles na Casa de Deus. Porém, os discípulos, permaneciam tendo dúvidas e não entendiam muito bem do que Jesus queria lhes mostrar, embora Jesus lhes garantisse: “vós conheceis o caminho.”.
Assim acontece também conosco, apesar de conhecer toda a história, de ter acesso à Palavra que nos esclarece os mal entendidos, de termos tido uma experiência com Jesus ressuscitado, às vezes, nós ficamos confusos e nos perguntamos: como podemos conhecer o Caminho? Desconhecemos as lições de Jesus e ficamos procurando o Caminho nos caminhos do mundo. Como falou aos discípulos, Jesus hoje, nos fala também: “Eu sou o Caminho a Verdade e a Vida”! Jesus já veio até nós e opera milagres na nossa vida. Ele realiza as obras do Pai e nos revela a Sua Face nos momentos de oração, de adoração, quando meditamos com a Sua Palavra. Somente dessa maneira é que nós chegaremos ao Pai. Ninguém chegará ao Pai por si mesmo, Jesus é a Estrada pela qual nós caminhamos até a morada de Deus. – Por que buscamos outros caminhos? – Por que acreditamos nos contos que o mundo nos prega? – Por que não assumimos a vida nova de Cristo pra valer? – O que está nos faltando: fé, disposição, coragem, humildade, oração, conhecimento da Palavra? – Responda por você e para você!
Pai, meu coração anseia por estar em comunhão contigo, em tua casa, lugar que Jesus preparou para mim. Que eu persevere sempre no caminho que me leva a ti.
Padre Bantu Mendonça Katchipwi Sayla
Fonte: Liturgia da Palavra em 16/05/2014

HOMILIA DIÁRIA

Jesus é a única verdade neste mundo de mentiras!

Neste mundo cheio de mentiras, de meias verdades, Jesus é a verdade única da humanidade, na qual devemos depositar todo o nosso coração e toda a nossa confiança!
“Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim” (João 14, 6).
Jesus hoje começa o Seu Evangelho dizendo: ”Não se perturbe o vosso coração. Tendes fé em Deus, tende fé em mim também” (João 14, 1). Sabem, meus irmãos, as tribulações batem à nossa porta, a cada dia, com roupas ou com aparências diferentes, com o espírito de perturbação, de inquietação, de intranquilidade e nas diversas circunstâncias da vida que, muitas vezes, nos surpreendem a fim de tirar a paz do nosso coração.
O nosso Mestre hoje vem para nos consolar, mas, ao mesmo tempo, também para ordenar ao nosso coração de discípulos e de seguidores d’Ele: “Não perturbe o vosso coração, não permita que o vosso coração perca a paz que conquistei para ele”. Nós até podemos ser atribulados, mas nós não somos esmagados, porque é o Senhor que nos segura pela mão. Nós podemos até ser perseguidos, mas a nossa fé ninguém pode tirar de nós! Nós podemos ser até maltratados pelas pessoas, muito maltratados, mas a nossa dignidade ninguém tira de nós!
Nós somos seguidores de Jesus, o caminho, a verdade e a vida! Nós nos perdemos nas estradas da vida perguntando qual é a direção, qual é o caminho pelo qual nós devemos andar. Olhe fixo em Jesus, não tire de Jesus a direção do seu olhar, por mais atribulado que esteja o caminho, por mais obscuro que sejam os caminhos dessa vida ou as estradas pelas quais passamos, o importante é não tirarmos o olhar de Jesus, olhar fixo n’Ele.
Porque, no meio de um mundo confuso, cheio de mentiras, de meias verdades, Jesus é a verdade única e verdadeira da humanidade, na qual devemos depositar todo o nosso coração e toda a nossa confiança. Quando olhamos para a vida humana esmagada, sofrida, corrompida, a vida humana descartável, sendo tratada de qualquer jeito, quando olhamos para a própria vida e perguntamos: “O que fazemos da vida? O que fazer da vida? Como dar qualidade para a nossa vida?”, vemos que a qualidade da nossa vida está em encontrar o sentido da nossa própria existência. E é por isso que nós não podemos tirar o nosso olhar de Jesus, porque Ele nos trouxe vida e vida plena; trouxe sentido para a nossa existência. A nossa vida é Jesus e quando fazemos d’Ele a nossa vida, a nossa existência tem outro sabor, outro rumo e outra direção!
Jesus Mestre, Tu és o caminho, a verdade e a vida; ilumina os nossos passos para não perdermos a direção do caminhar. Jesus, nosso Mestre, Senhor da nossa vida, tire a perturbação que agita a nossa mente e o nosso coração e faça de nós discípulos fiéis de Tua Palavra!
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 16/05/2014

Oração Final
Pai Santo, dá-nos ânimo, força e persistência para seguirmos o Caminho, a Verdade e a Vida que nos enviaste pelo Filho Unigênito, e profunda inspiração para testemunharmos perante os companheiros de jornada a nossa fé no mesmo Cristo Jesus, que contigo reina na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 16/05/2014

ORAÇÃO FINAL
Pai Santo, faze-nos lembrar sempre de que tudo que temos e somos é dom do teu Amor. Abre nosso entendimento e nosso coração para acolher com alegria a Palavra de Jesus. Ensina-nos a seguir o Cristo, teu Filho que enviaste ao mundo, aprendendo dele a humildade, a confiança em Ti e a compaixão ao nosso próximo. Pelo mesmo Jesus, nosso irmão, que contigo reina na unidade do Espírito Santo. Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário