terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Santa Luzia - 13 de Dezembro



Santa Luzia, protetora dos olhos

Santa Luzia vendeu tudo, deu aos pobres, e logo foi acusada pelo jovem que a queria como esposa
O nome de Santa Luzia deriva do latim e significaPortadora da luz. Ela é invocada pelos fiéis como a protetora dos olhos, que são a "janela da alma", canal de luz.
Ela nasceu em Siracusa (Itália) no fim do śeculo III. Conta-se que pertencia a uma família italiana e rica, que lhe deu ótima formação cristã, a ponto de ter feito um voto de viver a virgindade perpétua. Com a morte do pai, Luzia soube que sua mãe, chamada Eutícia, a queria casada com um jovem de distinta família, porém, pagão.
Ao pedir um tempo para o discernimento e tendo a mãe gravemente enferma, Santa Luzia inspiradamente propôs à mãe que fossem em romaria ao túmulo da mártir Santa Águeda, em Catânia, e que a cura da grave doença seria a confirmação do "não" para o casamento. Milagrosamente, foi o que ocorreu logo com a chegada das romeiras e, assim, Santa Luzia voltou para Siracusa com a certeza da vontade de Deus quanto à virgindade e quanto aos sofrimentos pelos quais passaria, assim como Santa Águeda.
Santa Luzia vendeu tudo, deu aos pobres, e logo foi acusada pelo jovem que a queria como esposa. Não querendo oferecer sacrifício aos falsos deuses nem quebrar o seu santo voto, ela teve que enfrentar as autoridades perseguidoras. Quis o prefeito da cidade, Pascásio, levar à desonra a virgem cristã, mas não houve força humana que a pudesse arrastar. Firme como um monte de granito, várias juntas de bois não foram capazes de a levar (Santa Luzia é muitas vezes representada com os sobreditos bois). As chamas do fogo também se mostravam impotentes diante dela, até que por fim a espada acabou com vida tão preciosa. A decapitação de Santa Luzia se deu no ano de 303.
Conta-se que antes de sua morte teriam arrancado os seus olhos, fato ou não, Santa Luzia é reconhecida pela vida que levou Jesus - Luz do Mundo - até as últimas consequências, pois assim testemunhou diante dos acusadores: "Adoro a um só Deus verdadeiro, e a Ele prometi amor e fidelidade".
Santa Luzia, rogai por nós!
Somente em 1894 o martírio da jovem Luzia, também chamada Lúcia, foi devidamente confirmado, quando se descobriu uma inscrição escrita em grego antigo sobre o seu sepulcro, em Siracusa, Nápoles. A inscrição trazia o nome da mártir e confirmava a tradição oral cristã sobre sua morte no início do século IV.
Mas a devoção à santa, cujo próprio nome está ligado à visão ("Luzia" deriva de "luz"), já era exaltada desde o século V. Além disso, o papa Gregório Magno, passado mais um século, a incluiu com todo respeito para ser citada no cânone da missa. Os milagres atribuídos à sua intercessão a transformaram numa das santas auxiliadoras da população, que a invocam, principalmente, nas orações para obter cura nas doenças dos olhos ou da cegueira.
Diz a antiga tradição oral que essa proteção, pedida a santa Luzia, se deve ao fato de que ela teria arrancado os próprios olhos, entregando-os ao carrasco, preferindo isso a renegar a fé em Cristo. A arte perpetuou seu ato extremo de fidelidade cristã através da pintura e da literatura. Foi enaltecida pelo magnífico escritor Dante Alighieri, na obra "A Divina Comédia", que atribuiu a santa Luzia a função da graça iluminadora. Assim, essa tradição se espalhou através dos séculos, ganhando o mundo inteiro, permanecendo até hoje.
Luzia pertencia a uma rica família napolitana de Siracusa. Sua mãe, Eutíquia, ao ficar viúva, prometeu dar a filha como esposa a um jovem da Corte local. Mas a moça havia feito voto de virgindade eterna e pediu que o matrimônio fosse adiado. Isso aconteceu porque uma terrível doença acometeu sua mãe. Luzia, então, conseguiu convencer Eutíquia a segui-la em peregrinação até o túmulo de santa Águeda ou Ágata. A mulher voltou curada da viagem e permitiu que a filha mantivesse sua castidade. Além disso, também consentiu que dividisse seu dote milionário com os pobres, como era seu desejo.
Entretanto quem não se conformou foi o ex-noivo. Cancelado o casamento, foi denunciar Luzia como cristã ao governador romano. Era o período da perseguição religiosa imposta pelo cruel imperador Diocleciano; assim, a jovem foi levada a julgamento. Como dava extrema importância à virgindade, o governante mandou que a carregassem à força a um prostíbulo, para servir à prostituição. Conta a tradição que, embora Luzia não movesse um dedo, nem dez homens juntos conseguiram levantá-la do chão. Foi, então, condenada a morrer ali mesmo. Os carrascos jogaram sobre seu corpo resina e azeite ferventes, mas ela continuava viva. Somente um golpe de espada em sua garganta conseguiu tirar-lhe a vida. Era o ano 304.
Para proteger as relíquias de santa Luzia dos invasores árabes muçulmanos, em 1039, um general bizantino as enviou para Constantinopla, atual território da Turquia. Elas voltaram ao Ocidente por obra de um rico veneziano, seu devoto, que pagou aos soldados da cruzada de 1204 para trazerem sua urna funerária. Santa Luzia é celebrada no dia 13 de dezembro e seu corpo está guardado na Catedral de Veneza, embora algumas pequenas relíquias tenham seguido para a igreja de Siracusa, que a venera no mês de maio também.
Fontes: Paulinas e Catolicanet em 2014

Santa Lucia, Mártir

A Santa Luzia lhe representou freqüentemente com dois olhos, porque segundo uma antiga tradição, a Santa teriam arrancado os olhos por proclamar firmemente sua fé.
Nasceu e morreu em Siracusa, cidade da Itália, e graças a suas múltiplas virtudes entre as que se destaca a simplicidade, a humildade e a honradez, ao Papa São Gregório no século VI pôs seu nome a dois conventos femininos que ele fundou.
Segundo a tradição, quando a Santa era muito menina fez a Deus o voto de permanecer sempre pura e virgem, mas quando chegou à juventude quis sua mãe (que era viúva), casá-la com um jovem pagão. Luzia finalmente obteve a permissão de não se casar, mas o jovem pretendente, rechaçado, dispôs como vingança acusá-la diante do governador de que a Santa era cristã, religião que estava totalmente proibida nesses tempos de perseguição. Santa Luzia foi chamada a julgamento; foi atormentada para obrigá-la a adorar a deuses pagãos, mas ela se manteve firme em sua fé, para em seguida ser decapitada.
http://www.acidigital.com/santos/santo.php?n=354
Santa Luzia
NascimentoNo século IV
Local nascimentoSiracusa
OrdemLeiga
Local vidaSiracusa
EspiritualidadeA jovem Luzia viveu no século IV, época em que os filhos tinham que aceitar, sem contestação, as ordens dos pais. Vinha de uma família rica e houvera sido prometida a uma rapaz por sua mãe. Luzia disse que não queria se casar pois há muito tempo consagrara-se de corpo e alma a Cristo. Mas o fato é que sua mãe ficou gravemente doente e Luzia orou à santa Águeda pedindo por sua recuperação, inclusive levando-a em peregrinação até a tumba da santa. A mãe retornou completamente curada e compreendeu a filha Luzia em sua sublime vocação. Luzia então deu todo seu dote aos pobres. Seu ex noivo, porém, não gostou de tal decisão e por orgulho ferido denunciou-a aos perseguidores dos cristãos. Pascácio, o procônsul, decretou sua prisão e sabendo de seus ideais de virgindade, iria mandá-la a um prostíbulo! Mas um milagre ocorreu: seu corpo ficou tão pesado que não houveram guardas que conseguissem tira-la dali. Então sofreu inúmeras torturas, até que um golpe de espada a degolou. Enquanto isso, conta-se a história que santa Luzia ainda exortava às pessoas na fé em Jesus Cristo.Devido a seu nome, (Luzia) que significa luz, santa Luzia é considerada como protetora daqueles que tem problemas em enxergar tanto fisicamente quanto espiritualmente.
Local mortePrisão de Siracusa
Morte13 de dezembro de 304
Fonte informaçãoO Livro dos Santos
OraçãoÓ Santa Luzia, que preferistes que seus olhos fossem vazados e arrancados ante de negar a fé em nosso grande Deus, com um milagre extraordinário, foram lhe devolvidos outros dois olhos sãos e perfeitos, para recompensar a vossa virtude e vossa fé, e vos constituiu protetora contra as doenças diversas dos olhos, eu recorro à vós para protejais minhas vistas e cureis a doença dos meus olhos. Ó santa Luzia, conservai a luz dos olhos de minh'alma, a fé, pela qual posso conhecer o Meu Deus, compreender os Seus ensinamentos, reconhecer o seu amor para comigo e nunca errar o caminho, que me conduzirá onde vós, Santa Luzia, vos encontrais, em companhia dos Anjos e Santos. Santa Luzia, protegei os meus olhos e conservai a minha fé. Amém
DevoçãoÀ virtude da castidade e a Nosso Senhor Jesus Cristo
PadroeiroDos que têm problemas na visão e oculistas
Outros Santos do diaSanta Lúcia (padroeira dos Eletricistas); Eustrácio, Eugênio, Mandário, Orestes, Antíaco (mártires); Audberto, Irsici (bispo); Judoco (presb); Otilia (virgem); Arsénio (monge).
FONTE: ASJ EM 2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário