segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 19/12/2017

ANO B


Lc 1,5-25

Comentário do Evangelho

Fidelidade de Deus

Na apresentação dos pais de João Batista, Lucas nos diz que ambos eram justos e seguiam em tudo os mandamentos e os preceitos, mas não tinham filho. Tal estado de coisas contradiz a promessa de bênção de Dt 28,1-14, para aqueles que cumprem fielmente todos os mandamentos. Entre as bênçãos figura o fruto do ventre (cf. Dt 28,4) que será abundante (cf. Dt 28,11). O anúncio do anjo a Zacarias e a realização deste anúncio (cf. Lc 1,24-25) são a revelação da fidelidade de Deus: o que Deus diz, Deus faz.
Carlos Alberto Contieri, sj
Oração
Pai, atendendo à oração de Zacarias, manifestaste tua misericórdia para com o justo sofredor. Sê também benévolo diante das nossas angústias.
Fonte: Paulinas em 19/12/2013

Vivendo a Palavra

Aproximando-nos do Natal do Senhor, contemplamos a concepção de João, o Precursor. Os justos Zacarias e Isabel, já idosos, são agraciados com o filho que já não esperavam. O Evangelho ensina que o Tempo do Senhor não é como o nosso tempo e nos encoraja a esperar sempre e continuar esperando...
Fonte: Arquidiocese BH em 19/12/2013

VIVENDO A PALAVRA

Cheios de reverência e gratidão, lembramos hoje o nascimento de João Batista. ‘Nenhum nascido de mulher foi maior do que ele’ – disse um dia o seu primo Jesus. João foi o último profeta da Lei Antiga e o precursor do Messias, a nova e eterna aliança concretizada no Cristo.

Reflexão

A Bíblia nos apresenta alguns casos em que mulheres que não poderiam ter filhos ficaram grávidas. Podemos citar alguns exemplos: Sara, esposa de Abraão e mãe de Isaac; a esposa de Manué, que era estéril e deu à luz Sansão; Ana , esposa de Elcana, que era estéril e deu à luz Samuel; e Isabel, esposa de Zacarias, que deu à luz João Batista. Cada vez que uma mulher estéril fica grávida, alguma coisa importante vai acontecer. Com Isaac, a formação do povo de Israel, com Sansão, a derrota dos filisteus, que permitiu a permanência do povo de Israel na Terra Prometida, com Samuel, a formação do Reino de Israel e com João Batista, a chegada da plenitude dos tempos.
Fonte: CNBB em 19/12/2013

Recadinho

Deus precisou de alguém para anunciar a vinda do Messias. Faço a minha parte para anunciá-lo ao meu próximo? Peço as luzes do Espírito Santo para entender o que Deus espera de mim? - Sirvo-me da vida de comunidade para colaborar na evangelização? Rezo pedindo a ajuda de Deus para cumprir minha missão? - Procuro silenciar meu coração de vez em quando para que Deus possa agir nele?
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R
Fonte: a12 - Santuário Nacional em 19/12/2013

Comentário do Evangelho

PREPARANDO A VINDA DO MESSIAS

A chegada do Messias Jesus, além de ter sido preparada ao longo da história de Israel, teve, também, uma preparação imediata. Uma série de fatos colaboraram para isto. Entre eles, o nascimento miraculoso de João Batista, a quem seria confiada a missão de ser o Precursor do Messias Jesus, para preparar-lhe o caminho.
O anúncio do nascimento de João está calcado na história do nascimento de grandes personagens do Antigo Testamento. Aparece, a Zacarias, um mensageiro divino, encarregado de ajudá-lo a compreender o que lhe haveria de acontecer, por obra de Deus. Zacarias apresenta ao anjo empecilhos para a concretização do plano divino, como o da a velhice e esterilidade de Isabel. Foi necessário um sinal para confirmar a veracidade das palavras do mensageiro divino. E este sinal consistiria nisto: Zacarias ficaria mudo até que as palavras do anjo se realizassem.
O nome, que o velho sacerdote deveria dar a seu filho, seria já um prenúncio da chegada do Messias. João significa "o Senhor mostrou o seu favor". Sendo assim, o Messias, cujos caminhos seriam preparados por seu Precursor, estava destinado a ser uma manifestação da misericórdia de Deus pela humanidade, que não havia sido esquecida, nem tinha sido relegada ao desprezo, por causa do pecado. Competia a João levantar esta bandeira.
Oração
Senhor Jesus, que eu te reconheça sempre como a manifestação da misericórdia divina pela humanidade, como o nome de João indica.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Ó Deus, que revelastes ao mundo o esplendor da vossa glória pelo parto virginal de Maria, dai-nos venerar com fé pura e celebrar sempre com amor sincero o mistério tão profundo da encarnação. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Dom Total em 19/12/2013

Meditando o evangelho

DOIS EXEMPLOS DE PIEDADE

No contexto do advento do Messias Jesus, despontam dois personagens, autênticos modelos de piedade: Zacarias e Isabel. Seus nomes estarão para sempre ligados ao Messias.
Zacarias, nome que significa Deus se lembra, era sacerdote do baixo-clero de Jerusalém. Sua profunda religiosidade tornava-o íntimo de Deus. Como os grandes personagens do passado, apesar de sua fidelidade, chegara a uma idade avançada sem ter gerado filhos que lhe garantissem a descendência. Péssima experiência, numa sociedade onde a prole era sinal de bênção divina. Ele, porém, recorreu incansavelmente a Deus, até que sua oração foi atendida, muito além do que esperava. O Senhor dar-lhe-ia um filho, cheio do "espírito e poder de Elias", cuja missão seria promover um grande processo de reconciliação, visando "preparar para o Senhor um povo perfeito". Essa promessa seria demasiadamente difícil de ser realizada, devido à idade muito avançada do casal. Foi preciso um sinal divino: a experiência de mudez de Zacarias, para provar a autenticidade da mensagem divina. Embora levantando objeções, este comportou-se como autêntico homem temente a Deus. Por isso, Deus lembrou-se dele.
Isabel, nome que significa Deus é plenitude, manteve viva a chama da esperança de gerar um filho, apesar da velhice e da esterilidade. Por isso, experimentou a bondade divina que se dignou livrá-la da ignomínia de não ser mãe.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Espírito de humilde piedade, a exemplo de Zacarias e de Isabel, faze-me viver em íntima comunhão com Deus, confiando sempre que ele irá atender às minhas súplicas.

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

1. Quem faz a historia acontecer...
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Hoje em dia muitos aposentados ainda trabalham na própria empresa onde se aposentaram ou mesmo na economia formal, visando melhorar o seu orçamento, mas na verdade, embora fazendo parte da população ativa, acabam eles próprios se colocando á margem da história, e quando ouvem falar de alguma luta ou confronto, dizem cheios de recordações.
"Ah no meu tempo que era bom, eu fazia isso, fazia aquilo, ajudei nesse projeto, lutei para conquistar tal coisa, agora me aposentei pois a idade chegou e só estou quebrando um galho, outros até dizem que mudaram de nome, passando-se a chamar "Jaque" , Já que está aí sem fazer nada, vai fazer isso ou aquilo...Nos Países mais desenvolvidos, ou nos do Oriente, o idoso tem seu valor e jamais fica á margem da sociedade. Zacarias e Isabel eram idosos e nem tinham filhos, já estavam na "Quarta Idade", desfrutando de uma velhice sossegada, assistindo a história que os outros estavam fazendo mas Deus pensa e age diferente...
De meros assistentes passaram a protagonistas da história da Salvação, com eles e neles vai começar uma nova história, a mais bela que a Humanidade ouviu contar e fazer parte, irão gerar aquele que irá ser o Precursor do Grande Messias. Avançado em idade, sem muita perspectiva de vida, e sem muitos planos a não ser o de viver bem cada dia, Zacarias toma um grande susto quando entra no Santo dos Santos para cumprir sua escala na oferta de incenso diante do altar e tem uma visão, não se assusta tanto com a Visão mas sim com o que ela anuncia.
"Será que Deus não está equivocado! Senhor Anjo, já sou aposentado e não espero mais nada da vida, inclusive eu e a minha esposa Isabel nem temos Filhos, se tivéssemos poderíamos até esperar alguma coisa nova, mas nem isso temos...." Foi mais ou menos essa a réplica do Velho Zacarias, que o evangelista resumiu em poucas palavras. Que contribuição nossos idosos podem dar á nossa história? Será que ainda poderão fazer algo de novo, causando espanto nas Geração Y que acabou de sair das fraldas? Para a sociedade de consumo não!
Mas Deus sempre apostou nos pequenos e excluídos da sociedade, chamou-os para fazerem a história, e assim aconteceu com Zacarias e sua esposa Isabel. A Mudez é o simbolismo de uma apatia que para Deus não existe. Mudo é quem nada tem a dizer, a sugerir, a opinar. Por que irão querer a opinião de um pequeno ou de um idoso? Eles não são importantes... A mudez do velho Zacarias não é castigo como o próprio texto sugere, antes, é uma constatação de como um idoso é insignificante para o sistema, inclusive o Religioso.
Zacarias só irá falar no tempo oportuno, quando Deus tiver realizado as promessas, para que ninguém dê margem á desconfiança. A gravidez de Isabel confirma que Deus já está agindo, uma criança em um útero seco e estéril, eis a obra de Deus e o prenúncio feliz do que Jesus irá realizar, arrancando o homem da secura da morte do pecado, e chamando-o para viver á luz da Graça de Deus.
Os que antes eram humilhados, Zacarias e Isabel, por serem velhos e estéreis, e nem ter tido a graça de gerar um Filho., agora se tornam sinais inequívocos da ação Divina. Nós também somos de certa forma um ÚLTERO SECO, incapazes de gerar a Vida nova, entretanto, em Jesus e seu Espírito que habita em nós, damos a volta por cima, e vivificados geramos nova Vida no que pensamos e fazemos, da mudez das nossas impossibilidades, abrimos a boca maravilhados para reconhecer as maravilhas que o Senhor em nós realizou.

2. Como posso ter certeza disso?
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

O anjo do Senhor aparece a Zacarias e lhe explica o que vai acontecer. Apesar da idade, sua esposa Isabel lhe dará um filho, o precursor do Salvador, que caminhará diante do povo de Israel com o espírito e o poder de Elias. Tudo isso é sinal de que algo extraordinário está acontecendo. Zacarias ficará sem poder falar até o nascimento de João Batista e, então, ele bendirá o Senhor Deus de Israel, que visita o seu povo.

Liturgia comentada

Será cheio do Espírito Santo... (Lc 1,5-25)
No Evangelho de hoje, estamos diante de uma “anunciação”. O mensageiro divino manifesta ao sacerdote Zacarias, bem junto do altar, que lhe seria dado um filho em plena velhice. Entre outros traços desse menino, diz o Anjo que ele será “cheio do Espírito Santo”.
Como em toda vida humana, o nascimento de João corresponde a uma vocação necessária. Deus “precisa” de alguém que prepare o povo para a vinda do Messias. João foi o escolhido. Mas o esforço humano, habilidades e dedicação são insuficientes para o cumprimento de nossa missão. Por isso mesmo, o menino será dotado da plenitude do Espírito de Deus. É com tal dinamismo que ele exercerá o seu papel na história dos homens.
A mesma expressão aparece após Pentecostes, em várias situações registradas nos Atos dos Apóstolos, seja na vida de Pedro (At 4,8), de Estevão (At 7,55), de Paulo (At 9,17; 13,9), de Barnabé (At 11,24) ou dos discípulos em geral (At 2,4; 4,31; 6,3; 13,52). A cooperação entre o Espírito e a Igreja (cf. At 9, 31) permite a expansão do Evangelho e o crescimento da Igreja de Cristo. A Igreja primitiva tinha a consciência de que não realizava tarefa humana, mas agia impelida pelo Espírito de Deus, sem o qual se veria incapaz para a missão.
Na Carta aos Romanos, Paulo insiste nessa evidência: “Vós, porém, não viveis segundo a carne, mas segundo o espírito, se realmente o Espírito de Deus habita em vós. Se alguém não possui o Espírito de Cristo, este não é dele.” (Rm 8, 9.) Nem mesmo a oração – que pode parecer tarefa bem fácil – conseguiremos levar adiante sem esta mesma sustentação: “Outrossim, o Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza, porque não sabemos o que devemos pedir nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis. E Aquele que perscruta os corações sabe o que deseja o Espírito, o qual intercede pelos santos, segundo Deus.” (Rm 8,26-27.)
Em nossos tempos, é comum o engano de iniciar projetos – mesmo dentro da Igreja – quando se conta apenas com as forças e recursos humanos. Como resultado, muita agitação, muito cansaço, muitos fracassos. Os santos, ao contrário, mesmo sem dinheiro e sem o apoio dos poderosos, ergueram obras admiráveis para servir em especial aos pequeninos deste mundo.
E nós? Com quem estamos contando para cumprir a nossa missão?
Orai sem cessar: “É o espírito de Deus no homem e um sopro do Todo-poderoso que o torna inteligente.” (Jó 32,8)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança
santini@novaalianca.com.br
Fonte: NS Rainha em 19/12/2013

HOMILIA

O NASCIMENTO DO JOÃO

Numa altura em que Zacarias exercia as funções sacerdotais, Deus olhou misericordiosamente pelas suas orações e cumpre a promessa aos homens justos e tementes à Ele. Esse casal vivia a vida que para Deus é correta, obedecendo fielmente a todas as leis e mandamentos do Senhor. Por meio do anjo Gabriel extraordinariamente Deus anuncia o nascimento de João Batista. Pois Isabel era já de idade avançada e para além do mais era velho. Tocou-lhe a vez de exercer o seu ministério e enquanto oferecia o sacrifício divino pelos pecados do povo e também dos seus.
Dentro desta dinâmica Deus resolve atender dentre tantos pedidos o do próprio Zacarias. Conceder-lhe um filho, que por providência divina nasce de uma mulher da estirpe de Aarão cujo nome é Isabel. Pela razão aludida acima, Deus realiza o impossível na vida homens de fé e se aparece alguma dúvida apesar da fidelidade, Ele manifesta o seu poder sobrenatural. O povo rezando do lado de fora esperava que ele saísse depois do incenso. Enquanto isso, o anjo de Deus se aproxima e conversa com Zacarias. E o conteúdo da conversa é: Não tenha medo, Zacarias, pois Deus ouviu a sua oração! A sua esposa vai ter um filho, e você porá nele o nome de João. Neste filho se vê antecipadamente o anúncio do nascimento do Messias, o Emanuel. Ele será mandado por Deus como mensageiro e será forte e poderoso como o profeta Elias. Ele fará com que pais e filhos façam as pazes e que os desobedientes voltem a andar no caminho direito. E conseguirá preparar o povo de Israel para a vinda do Senhor.
Para Lucas, as aparições de anjos são o sinal de que caíram as antigas barreiras entre o céu e a terra, ou pelo menos estão por cair, como neste caso, e está para aparecer na terra dos homens uma epifania do mundo celeste. A iniciativa parte de Deus, porque tudo o que é grande vem d’Ele. Zacarias, ante a impossibilidade humana, expressa a pouca fé nas coisas altas e profundas. Ainda não se sentiu que para Deus nada é impossível e que seu poder começa onde a fraqueza humana mostra os limites de suas possibilidades. Como resultado do seu comportamento ficará mudo até que a profecia se cumpra. Porque para Deus nada é impossível. Tanto tempo, muita demora e como agravante aprece mundo. O povo reage desesperadamente. Como se comunicar com ele? O que será isso? Que milagre terá acontecido? Por inspiração divina chegam a conclusão de que teria tido uma visão. Deus lhe teria falado.
Caríssimos irmãos como a primavera traz belas e perfumadas flores, o Advento traz vida para nós. Somos chamados com todo o rigor à conversão, à mudança de nossa vida. É preciso que querendo mudemos de verdade o nosso modo de agir e penetremos mais firmemente no caminho do Reino. Se João Batista nos chama à conversão, Jesus por sua vez nos chama e convida a tomar parte no Reino. Próximo de nós está. Se quisermos na verdade encontrar Deus temos de nos converter profundamente. Acolhamos a voz do anjo que nos anuncia a chegada do Deus menino. Tenhamos fé firme e forte que supere a de Zacarias. Pois Ele foi norteado somente pela esperança profética. Nós sabemos e temos provas concretas da presença de Deus no mundo. “ Aquele que há de vir, chegará sem demora: já não haverá mais temor entre nós, porque Ele é o nosso Salvador ” Hb 10,37
Padre Bantu Mendonça Katchipwi Sayla
Fonte: Liturgia da Palavra em 19/12/2013

HOMÍLIA DIÁRIA

Que Deus cure a nossa incredulidade

Que Deus cure a nossa incredulidade, que Ele cure tudo aquilo que está manco e paralisado em nós por causa da nossa falta de fé.
“Não tenhas medo, Zacarias, porque Deus ouviu tua súplica. Tua esposa, Isabel, vai ter um filho, e tu lhe darás o nome de João” (Lc 1,13).
Estamos contemplando a ação de Deus na história dos homens, na história da nossa salvação. O anjo mesmo que aparece a Maria é o mesmo que aparece a Zacarias, anunciando que sua esposa, Isabel, estéril, também ficará grávida e conceberá e dará a luz aquele que será o precursor do Messias, Jesus, Nosso Salvador.
Hoje, quero chamar a sua atenção para a pessoa de Zacarias, aquele que é o pai de João Batista. Zacarias era um homem de fé, era um sacerdote, servia no Templo do Senhor, mas, mesmo um homem de fé pode cair na incredulidade, na dúvida. Então a sua fé se torna estéril. Foi o que aconteceu com Zacarias, porque é o anjo do Senhor que está diante dele dizendo aquilo que Deus vai realizar na vida dele. Aquilo que Isabel suplicou por tantos anos, e que ele suplicou por tantos anos, na hora em que Deus concede a eles, Zacarias tem dúvida e faz seus questionamentos: “– Mas como eu vou ter certeza disto? Sou velho, minha mulher é de idade avançada!”
Daí surgem os “porquês”, os questionamentos, os empecilhos humanos para que a obra de Deus se realize. A dúvida, a incerteza e a incredulidade nos lançam na mudez espiritual, e é o que acontece com Zacarias. Ele vai ficar mudo até que João Batista possa nascer, porque, uma vez mudo, ele não vai mais poder duvidar daquilo que Deus é capaz de fazer.
Meus irmãos, quando contemplo hoje Zacarias mudo, contemplo, vejo e relembro todos nós, muitas vezes, deficientes em tantas áreas da nossa vida: surdos, mudos, cegos, debilitados porque não acreditamos na ação de Deus no meio de nós. E mais do que não acreditar, colocamos dificuldades e empecilhos para que a obra de Deus aconteça.
A esterilidade de Isabel, como a de tantas mulheres que têm dificuldades para gerar filhos, não é a maior das esterilidades. A maior delas é ser estéril na fé, é ter uma fé que não gera frutos, é ter uma fé que não tem obras concretas, é ter uma fé que apenas crê que Deus existe; mas não conhece o poder da mão d’Ele agindo em nosso meio.
Que Deus cure a nossa incredulidade, que Ele cure tudo aquilo quem está manco e paralisado em nós por causa da nossa falta de fé. Senhor, como nós precisamos ter uma fé firme, uma fé convicta, mesmo diante dos abalos, das dificuldades, de tudo que possa acontecer em nossa vida! Que não desanimemos jamais! Que possamos dizer: Eu sei em quem depositei a minha fé, eu sei em quem depositei a minha confiança!
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 19/12/2013

Oração Final
Pai Santo, infunde paciência em nossos corações. Não a paciência resignada e triste, mas a Paciência filha da Esperança – entrega de todo nosso ser nas tuas mãos misericordiosas, alegres por realizar os teus desígnios e não os nossos desejos. Por Jesus Cristo, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 19/12/2013

ORAÇÃO FINAL
Pai Santo, que vivamos a permanente certeza de tua presença amorosa em nós e na nossa história. Que os exemplos de Sansão e João Batista nos ensinem a confiar na tua Providência e a nos entregarmos a ti como filhos que se jogam nos braços do amado pai. Pelo Cristo Jesus, Teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário