segunda-feira, 23 de agosto de 2021

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 23/08/2021

ANO B


Mt 13,44-46

Comentário do Evangelho

O valor do Reino dos céus.

Falar de tesouro e de pérolas preciosas é falar de valores, ou melhor, do valor do Reino dos céus. Três verbos caracterizam as duas parábolas: “encontrar” (v. 44), “procurar” (v. 45) e “encontrar” (v. 46). As duas parábolas têm em comum esta expressão: “... vende tudo o que possui e compra…”. A diferença entre as duas é a seguinte: na primeira parábola o homem encontra o tesouro, sem buscá-lo; na segunda, ele procura a pérola preciosa. Estas duas parábolas são inseparáveis e complementares. Por isso, há de se supor que o comerciante que compra a pérola experimenta a mesma “alegria” que o homem que compra o campo por causa do tesouro. A conclusão que se pode tirar destas parábolas é relativamente simples: o Reino dos céus é comparável a bens que ultrapassam em valor o que se pode imaginar. A quem o encontra é exigido o engajamento de toda a vida para adquiri-lo. Possuí-lo é uma grande alegria.
Carlos Alberto Contieri, sj
Oração
Pai, que eu seja decidido e rápido em desfazer-me do que me impede de acolher plenamente o teu Reino. Que meu coração nunca se apegue a coisa alguma deste mundo.
Fonte: Paulinas em 23/08/2013

VIVENDO A PALAVRA

O campo onde se encontra o Reino de Deus é o ser humano – somos nós! Jesus indica o único jeito de possuirmos esse tesouro: dominar nossos pensamentos, sentimentos, desejos e paixões. Em consequência, dominaremos nossos atos, fazendo o bem a todos os companheiros de jornada neste mundo encantado que nos foi emprestado para desfrute, partilha e cuidado.
Fonte: Arquidiocese BH em 23/08/2019

vIVENDO A PALAVRa

Isabel Flores é o nome da filha de imigrantes espanhóis que se estabeleceram em Lima, Peru. Nasceu em 1586. Por sua formosura, desde pequena era chamada “Rosa”. Todos adivinhavam que ela cresceria em beleza e graça. Com efeito, ainda criança sentiu o chamado de Deus para uma vida totalmente consagrada a ele. Ingressou na Ordem Terceira Dominicana. Dedicou-se intensamente ao cuidado dos “pobres índios”. Levou uma vida de muita penitência e profunda piedade eucarística e mariana. Manteve constante serenidade em meio às provações dolorosas que acompanharam sua trajetória. Favorecida com extraordinários dons místicos, morreu em Lima, aos 31 anos de idade. Canonizada em 1671, foi a primeira santa elevada às honras do altar no continente sul-americano e depois proclamada Padroeira da América Latina.

Reflexão

O Evangelho de hoje nos mostra a parábola na qual Jesus compara o Reino de Deus com um tesouro e com uma pérola. A comparação com o tesouro nos mostra o valor que o Reino de Deus deve ter nas nossas vidas, um valor que não pode ser superado por nenhum outro valor deste mundo. A pérola nos mostra a preciosidade inigualável que é o Reino de Deus para todas as pessoas. E tanto o valor como a preciosidade do Reino de Deus significam que todas as outras coisas perdem sua importância diante dele e só têm sentido enquanto contribuem para que o homem possa chegar até Deus.
Fonte: CNBB em 23/08/2013

Reflexão

Isabel Flores é o nome da filha de imigrantes espanhóis que se estabeleceram em Lima, Peru. Nasceu em 1586. Por sua formosura, desde pequena era chamada “Rosa”. Todos adivinhavam que ela cresceria em beleza e graça. Com efeito, ainda criança sentiu o chamado de Deus para uma vida totalmente consagrada a ele. Ingressou na Ordem Terceira Dominicana. Dedicou-se intensamente ao cuidado dos “pobres índios”. Levou vida de muita penitência e profunda piedade eucarística e mariana. Manteve constante serenidade em meio às provações dolorosas que acompanharam sua trajetória. Favorecida com extraordinários dons místicos, morreu em Lima, aos 31 anos de idade. Canonizada em 1671, foi a primeira santa elevada às honras do altar no continente sul-americano e depois proclamada Padroeira da América Latina.
(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)
Fonte: Paulus em 23/08/2019

Reflexão

Isabel Flores é o nome da filha de imigrantes espanhóis que se estabeleceram em Lima, Peru. Nasceu em 1586. Por sua formosura, desde pequena era chamada “Rosa”. Todos adivinhavam que ela cresceria em beleza e graça. Com efeito, ainda criança sentiu o chamado de Deus para uma vida totalmente consagrada a ele. Ingressou na Ordem Terceira Dominicana. Dedicou-se intensamente ao cuidado dos “pobres índios”. Levou uma vida de muita penitência e profunda piedade eucarística e mariana. Manteve constante serenidade em meio às provações dolorosas que acompanharam sua trajetória. Favorecida com extraordinários dons místicos, morreu em Lima, aos 31 anos de idade. Canonizada em 1671, foi a primeira santa elevada às honras do altar no continente sul-americano e depois proclamada Padroeira da América Latina.
Oração
Senhor Jesus, teu Evangelho falou profundamente ao coração da bela Rosa de Lima. Ela, de fato, renunciou aos apelos do mundo, para viver, no silêncio e na oração, os valores do Reino de Deus. Sua vida de caridade e penitência nos motive a corrigir nossos defeitos e intensificar a prática do bem. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2021 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp e Pe. Nilo Luza, ssp)

Meditação

Tesouro e pérola preciosa! Seu coração é assim? - O que faz com o tesouro da graça de Deus? - Ao praticar a religião você tem consciência que está com um grande tesouro que ainda não o conhece direito? - O que faz para que este tesouro esteja bem em seu coração? - Você despreza tudo para ter a graça de Deus no coração?
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R
Fonte: a12 - Santuário em 23/08/2013

Meditando o evangelho

O ABSOLUTO DO REINO

O centro de convergência da parábola do tesouro escondido e da pérola preciosa encontra-se na decisão do agricultor e do comerciante, de desfazer-se de todos os seus bens para adquirir o bem encontrado, por ser sobremaneira precioso. O bom senso mostrou-lhes a conveniência de investir tudo na aquisição do bem maior. A perda redundaria em ganho, a loucura revelar-se-ia sabedoria.
Assim comporta-se o discípulo em relação ao Reino. Sua descoberta leva-o a redimensionar toda a sua vida, dando um sentido novo a cada um de seus aspectos, subordinando-os ao absoluto do Reino. O discípulo predispõe-se a qualquer sacrifício. Nada lhe parece demasiadamente pesado, quando se trata de colocar o Reino e seus valores no centro de sua existência.
O discípulo vê-se confrontado com a responsabilidade de fazer uma opção que revolucionará toda a sua vida. Nem sempre estará seguro do passo que deverá dar. Daí a possibilidade de se deixar levar pelo medo e pela incerteza. A convicção do discípulo, ao tomar esta decisão, dependerá do modo como foi tocado pelo Reino. Quanto mais profunda for a experiência tanto mais seguro estará o discípulo. Uma experiência superficial dificilmente levará a uma opção radical. Aí se revela quem, de fato, fez-se discípulo do Reino.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Espírito de radicalidade, reforça minha opção pelo Reino e seus valores, para que eu o coloque sempre mais como o centro de minha vida.

Comentários do Evangelho

1 - “ENCONTRAR O REINO DOS CÉUS É ENCONTRAR UM TESOURO!” - Olívia Coutinho

Quando ouvimos falar de um Reino de amor, de paz, de justiça, imaginamos algo distante de nós, num lugar diferente deste mundo que a cada dia vai perdendo de vista o maravilhoso horizonte da paz e do amor!
E quando ouvimos Jesus falar que este Reino está próximo de nós,  ficamos apreensivos, pois o imaginamos após a nossa  morte, um  sinal de que ainda não temos uma compreensão suficiente madura para entender que o Reino de Deus, é uma possibilidade que Deus nos oferece  de viver já aqui na terra, as alegrias do céu!
Sem uma adesão à proposta de Jesus, é impossível fazer parte do Reino de Deus, por isto, precisamos estar atento, revendo sempre as nossas escolhas.
É importante termos a consciência, de que o Reino de Deus, não está pronto, ele é algo que vamos construindo aos poucos, procurando envolver todos nesta construção: jovens, crianças, adultos, todos, sem distinção, pois o Reino de Deus, é de todos e para todos!
Jesus nos fala do Reino com autoridade, Ele é a presença deste reino no meio de nós, analisar as suas palavras dentro da lógica humana, é estar longe de compreender a dimensão do amor de Deus.
O Reino dos Céus, implantado por Jesus aqui na terra, é uma oferta do amor do Pai a toda humanidade! Fazer parte deste Reino, é tornar um operário nas mãos do Senhor, é estar  ciente de que este Reino  é uma eterna construção.
Sem uma adesão radical  à proposta de Jesus, é impossível fazer parte do Reino. Daí, a  importância  desta adesão, à Jesus, uma adesão que nos impulsiona  a levar ao outro a proposta deste reino, assim como Jesus  fez,  revelando-o,  pelas ruas, encontrando com os pobres, libertando  os oprimidos e marginalizados, realimentando a esperança dos que sofrem.
Encontrar o Reino dos Céus,  não significa encontrar um Oasis de tranqüilidade, pelo contrário, é  encontrar uma paz inquietante, uma paz que  desinstala, que tira do comodismo.
Encontrar o Reino de Deus é nascer de Novo, é morrer para o pecado, é enxergar a vida com os olhos de Jesus, é agir como Ele agia!
Quem encontrou o Reino de Deus, passa a ser movido pelo amor, não se cala diante das injustiças, não acostuma com a violência, com  o  sofrimento do irmão.
Quem encontrou o Reino dos céus, Encontrou um Tesouro, encontrou Jesus,  e não o troca por nada deste mundo!
Busquemos o Reino de Deus em primeiro lugar...
FIQUE NA PAZ DE JESUS! – Olívia

2 - Aprendemos a fugir das correções - Alexandre Soledade

Bom dia!
Gostaria de começar recordando que ontem lancei uma pergunta partindo do diálogo de Jesus com o Jovem rico: O que falta ainda?
O evangelho de ontem e o de hoje nos convidam à auto-análise. O de hoje enfatiza o de ontem por ser uma continuação natural do diálogo de Jesus com seus discípulos.
Reparem que Pedro fica inquieto com a fala de Jesus. A palavra o faz vibrar, se incomodar, (…). Talvez um misto de medo e desconfiança: “Será que até nós, seus discípulos, não seremos salvos”? Essa pergunta poderia pairar por seus pensamentos tranquilamente. Não conheciam ou concebiam plenamente a natureza divina de Jesus.
O posicionamento do Senhor me lembra uma frase de Dom Bosco que, dentre outras técnicas pedagógicas, dizia que existe uma corda que vibra dentro de cada um, bastando apenas que a encontremos. Jesus conseguia fazer isso com muita maestria. Ele tocava em aspectos especiais que por vezes queremos esconder.
Não dá pra ocultar um elefante num gramado de futebol. Talvez essa seja a forma que tentamos esconder nossas mazelas e imperfeições (elefantes) dos olhos atentos do Senhor. De tempos em tempos Ele também nos faz vibrar, ou seja, refletir. Essas situações nos mantem atentos, pois não estamos prontos e tão pouco acabados.
Quanto mais erros temos, mais devemos apresentá-los sem receios a Deus. É rolando na areia que o passarinho retira os parasitas que vivem entranhados na sua penugem. Não é fugindo, se escondendo das correções que irei crescer. Tai a importância de se viver em comunidade. O irmão que cresce a nosso lado, por mais difícil que seja colabora para nosso crescimento através de seus comentários e críticas.
As críticas mais duras, por mais que nos abalem no primeiro momento, nos despertam para a vigilância, o zelo e a construções mais minuciosas.
“(…) Meu filho, se me ouvires com atenção, serás instruído; se submeteres o teu espírito, tornar-te-ás sábio. Se me deres ouvido, receberás a doutrina. Se gostares de ouvir, adquirirás a sabedoria. Permanece na companhia dos doutos anciãos, une-te de coração à sua sabedoria, a fim de que possas ouvir o que dizem de Deus, e não te escapem suas louváveis máximas”. (Eclesiástico 6, 33-35)
Aprendemos a fugir das correções. Não podemos fazer isso.
Quem coordena, está a frente, lidera, (…) deve aprender a ouvir por mais que lhe pareça absurdo o que é dito. Talvez até seja, mas precisamos estar atentos, pois após a tempestade, alguma brisa leve, um vento impetuoso, pode soprar daquela discussão que suscite o que realmente Deus deseja.
Temos irmãos e irmãs que sucumbiram na tristeza como o jovem rico por não querer ouvir. Ministérios de música, pregadores, padres, religiosos que odeiam serem repreendidos justificando que o padre, a liturgia, o coordenador do CPC, (…) é que esta “cortando a ação do Espírito Santo”. Muitos desses alegam que a igreja sofre pelas podas que recebem, mas na verdade, esses irmãos “manés” apenas aumentam o capim em volta dos seus elefantes.
Tem que arrumar um culpado desde que não tenha que assumir a sua própria culpa! (hunf!)
Ai entra a auto-análise do evangelho: E EU?
Vi recentemente um padre sendo preso no Paraná porque estava alcoolizado. Talvez Jesus tenha dito a Ele no silencio de sua cela “(…) aquele que, por causa de mim e do evangelho, deixar casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos ou terras, receberá muito mais, ainda nesta vida. Receberá cem vezes mais casas, irmãos, irmãs, mães, filhos, terras e também perseguições. E no futuro receberá a vida eterna”. Portanto Levante! Exponha a Deus o seu elefante e peça a força para continuar.
Um imenso abraço fraterno.

3 - UM TESOURO ESCONDIDO NO CAMPO - José Salviano

Vende todos os seus bens e compra aquele campo.
Imagine que você seja rico (a), e tenciona comprar uma fazenda. Depois de muitas andanças, finalmente encontra aquela propriedade do seu agrado, porém o dono está exigindo um preço muito alto. Investigando perto dali você encontrou outra propriedade não muito atraente, porém o seu empregado que por acaso é um perito em prospecção de petróleo, detectou um enorme lençol contendo essa preciosa matéria prima naquela propriedade. Que você faz? Providência tudo imediatamente para conseguir o mais rápido possível, fechar negócio da aquisição daquele bem duplamente lucrativo! Acertei?
Então. Essa foi a comparação que Jesus fez para nos explicar o imenso e infinito valor do Reino dos Céus.
O Reino de Deus é um tesouro tão valioso que não deveria ser trocado por nenhuma coisa deste mundo. Mais o pior é que estamos sempre trocando. Volta e meia substituímos o amor de Jesus, a vida da graça ou estado de graça, por coisas tão banais que não dá para acreditar no que sempre fazemos, por causa da nossa infidelidade.
Deus é fiel. Ele prometeu estar com a sua Igreja até os fins dos tempos, e Ele está cumprindo a sua promessa, assim como todas as demais. Nós, ao contrário, vivemos prometemos que vamos nos converter, melhorar, ou seja, que não vamos pecar mais. E em momentos depois, fazemos tudo ao contrário. Quando nos preparamos para uma confissão, por exemplo, ao rever os nossos pecados, recorremos à infinita graça e misericórdia de Deus implorando que nos dê o perdão através do seu representante na Terra. Também suplicamos esse perdão dizendo que não vamos mais fazer aquelas coisas que sempre fazemos. Que não vamos mais pecar. Dias depois, repetimos tudo de novo! E voltamos à estaca zero, porque somos infiéis, muito infiéis. E por isso não conseguimos cumprir o que prometemos a Deus.
Caríssimos. Vamos suplicar a Deus em nome de Jesus, que nos proporcione mais fidelidade nos nossos propósitos de manutenção da vida da graça, da amizade com Deus e com o próximo através da prática da caridade como Jesus nos ensinou.
Sal.

4 - Ele vende todos os seus bens e compra aquele campo – Claretianos

Primeira leitura: 2 Coríntios 10,17 - 11,2 - Eu vos desposei a um esposo único, para vos apresentar ao Cristo como uma virgem pura.

Salmo responsorial: 148, 1-2.11-14 - Da vossa glória estão cheios o céu e a terra.

Evangelho: Mateus 13, 44-46 - Ele vende todos os seus bens e compra aquele campo.

Os saduceus fracassaram no seu intento de desprestigiar a Jesus. Agora são os fariseus que pretendem demonstrar que Jesus não sabe interpretar a lei e, portanto, é um falso mestre. Perguntam a Jesus pelo mandamento mais importante na lei. Os judeus tinham na lei 613 mandamentos, dos quais 365 eram proibições e 248 eram orientações positivas.
Por isso, discutiam permanentemente sobre a hierarquia dos mandamentos. Jesus não responde com um, mas com dois, unindo o mandamento do amor a Deus e ao próximo (Lv 19,18). A originalidade de Jesus consiste em que os dois são colocados no mesmo nível e são considerados inseparáveis. O amor é a chave que unifica a ambos; por isso, o amor a Deus passa necessariamente pelo próximo.
Porém, em outro momento Jesus complementará este mandamento quando propõe a nova lei do “amai-vos uns aos outros como eu vos tenho amado”. Não resta dúvida de que a ética cristã tem sua base fundamental no amor a Deus e aos irmãos. Sem amor, o cristianismo é somente uma ideologia vazia e longe da verdade. – É bom procurar saber da autenticidade do nosso amor nas famílias e nas nossas comunidades!

5 - “Nós somos o campo que contém o tesouro valioso” - Helena Serpa

 2 Coríntios 10,17 - 11,2 - “um amor ciumento”

Cheios do Espírito Santo, nós podemos manifestar ao mundo a glória de Deus, por meio de dons, virtudes, e frutos que expressamos em cada movimento. No entanto, São Paulo nos recomenda a não nos apropriarmos desta glória, que pertence somente a Deus, mas nos deixemos ser glorificados pelo Seu amor ciumento que nos mantêm intocável e nos desposa ao Seu Filho Jesus Cristo. Podemos nos gloriar não dos nossos feitos, mas dos feitos do Senhor em nós. O Senhor nos concede o Seu Espírito sem medida para que possamos ser aprovados nas nossas ações. A Deus, devemos a vida e os dons; não somos donos de nada! Por isso, apesar de nos sentirmos em estado de graça, não podemos nos recomendar a outros pelas nossas boas ações, pois somente é aprovado aquele que é recomendado pelo Senhor. São Paulo nos ensina também a sermos responsáveis e zelosos por aquelas pessoas para quem somos instrumentos de Deus, a fim de levá-las a Jesus Cristo. Necessitamos também ter por elas um zelo que chega até ser “um amor ciumento”, pois somos nós aqui na terra aqueles (as) a quem Deus escolheu para acompanhá-las, não deixando que se afastem da verdade que é Jesus Cristo. Quantas vezes somos instrumentos de Deus para as pessoas e depois nos descuidamos delas, não cultivamos este amor que Deus quer que tenhamos e as abandonamos e por isso elas voltam para a mesma vida de antes. Estejamos, pois atentos, para que não se acabe a obra começada por Deus através de nós. – Com você tem acontecido isso? – Onde estão aquelas pessoas a quem você falou de Jesus, fazendo com que elas também viessem conhecê-Lo? – Elas ainda estão firmes na fé ou já se extraviaram como uma ovelha sem pastor? - Você sabia que é a glória de Deus no mundo? Como você irradia essa glória? Com ações, com palavras, com gestos, com testemunho?

Salmo 148 – “Vós, jovens, vós moças e rapazes, louvai todos o nome do Senhor!”

Todos nós somos chamados a louvar o Senhor. Nós fomos criados para isto. Ninguém pode ficar de fora, até as criancinhas têm o seu papel no meio do povo que é convocado para exaltar a majestade de Deus. Os reis da terra, os príncipes, os ricos, os pobres, só estarão em paz quando cumprirem o seu papel de criatura que louva o Criador.

Evangelho – Mateus 13, 44-46 – “Nós somos o campo que contém o tesouro valioso”

É dentro de nós que devemos procurar e buscar o reino dos céus. Jesus o compara a uma pérola ou ao um tesouro escondido no campo. Nós somos o campo que contêm o tesouro valioso ao qual Jesus se refere no Evangelho! Se formos meditar nós perceberemos que este tesouro e esta pérola são figuras que constituem algo de muito valor. E estão escondidos dentro de nós. O reino dos céus não é um lugar no tempo e no espaço, mas um estado de espírito, um clima diferente que nós vivenciamos dentro do nosso coração e no meio da nossa humanidade. Quando temos a experiência com Deus nós sentimos que a nossa natureza humana vai dando lugar a um modo de ser divino e logo percebemos que este tesouro é maior do que tudo que temos fora de nós mesmos e a que nos apegamos no decorrer da nossa vida. Aos poucos, nós nos desvencilhamos das nossas idéias próprias, dos nossos projetos pessoais e interesseiros, dos ideais que só visam a glória terrena, para nos apoderar dos bens espirituais que o Evangelho nos propõe. Só conseguiremos nos apossar desse tesouro quando nos despojarmos dos bens e valores momentâneos que nos escravizam. Esse é um processo de conversão que demanda certo tempo, ou melhor, vai até os últimos dias da nossa vida. No entanto, já podemos sentir os sinais da presença do reino em nós, que são, a alegria e a paz mesmo nos momentos de dificuldades, a vontade de ajudar ao próximo, a fraternidade nos relacionamentos, a esperança que provém da fé. - Qual é a percepção do reino dos céus em você? – Você ainda continua procurando “pérolas preciosas” para comprar ou você já encontrou este tesouro? – Aonde você o tem procurado? – Você demonstra ao mundo que o reino de Deus está dentro de você?
Helena Serpa
Fonte: Liturgia Diária Comentada2 em 23/08/2013

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

1. Deus alcança a todos, mas só quem o recebe pode ser feliz!
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

A Palavra moderna que se pode aplicar aos dois personagens das parábolas contadas por Jesus, neste evangelho, é Investimento.
Na contabilidade caseira ou mesmo na empresarial, o valor que se paga, para aquisição de um imóvel, não é contabilizado como despesa, mas sim acréscimo patrimonial, sendo, portanto um investimento, despesa é o que gastamos com algo de consumo, e que não retorna mais ao nosso caixa, já o investimento tem retorno, e se o administrador for bom, terá um bom lucro com o valor investido.
Em nossa casa, dinheiro que gastamos com educação dos filhos, ou com plano de saúde, também não é despesa, mas investimento. Os dois personagens fizeram um ótimo investimento ao venderem seus bens para ficar com o tesouro, ou a pérola preciosa. Abriu mão de tudo que tinham porque estavam diante de algo muito mais valioso. No evangelho de segunda Feira, aquele jovem rico não teve essa mesma visão, preferiu ficar com o seu patrimônio do que perdê-lo, no fundo achou que o Reino não valia tanto assim...
No mundo de hoje ninguém quer perder, todo e qualquer empreendimento visa ganho e lucro. O Cristianismo foi adaptado por alguns espertalhões, para atender esse espírito consumista e a religião torna-se um investimento que visa riqueza material, mas o Cristianismo autêntico que brota do Evangelho contraria essa cultura pseudo cristã.
Para ser seguidor de Jesus, através do discipulado, não se podem visar lucros ou ganhos materiais, o maior investimento é na relação com Deus e com o próximo, onde a prioridade é o reino e por ele vale a pena deixar tudo para seguir a Jesus. Parece loucura pensar desta forma, mas não há outro caminho. E segundo o evangelho, todos terão essa oportunidade de descobrirem o Reino de Deus. O primeiro homem estava no campo e não procurava nada quando encontrou o tesouro. No segundo caso o homem estava a procura de uma pérola valiosa e acabou a encontrando.
Nenhum ser vivente passará por essa vida sem conhecer a Deus e o seu reino. Deus alcança a todos indistintamente, de modos e por vias que nem imaginamos. A questão é, se o homem lhe abrirá totalmente sua vida e seu coração, colocando tudo mais em segundo plano, para tê-lo como Senhor Absoluto da sua vida. Essa escolha e decisão é nossa e Deus não interfere.

2. Como um tesouro escondido
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

Santa Rosa de Santa Maria nasceu no dia 20 de abril de 1586 em Lima, no Peru, de pai espanhol e mãe índia. Entrou na Ordem Terceira de São Domingos e viveu com o hábito dominicano numa pequena ermida no quintal de sua casa. Isabel Flores y de Oliva, assim se chamava, conhecida como Rosa por ter a beleza da flor, assumiu o nome religioso de Rosa de Santa Maria. Nunca viveu em convento. Era leiga de uma Ordem secular. Lima, na época, era conhecida como cidade religiosa não só pelo número de edifícios, mas também pelas pessoas que procuravam viver uma vida religiosa regular. Eram muito conhecidas as “beatas”, das quais Rosa era uma, com fama de santidade. A Inquisição visitou Rosa para verificar a autenticidade de suas visões e de seu conhecimento religioso. Dizem as crônicas que “os inquisidores ficaram pasmados diante da solidez doutrinal e da maturidade espiritual de Santa Rosa. Por meio da oração alcançara maiores conhecimentos da Divina Essência do que o mais douto e polido dos teólogos”. Foi a primeira santa canonizada do Continente americano. Morreu no dia 24 de agosto de 1617, dia de São Bartolomeu, como ela mesma tinha previsto. Dizia que se os homens soubessem o que é viver em graça, não se assustariam com nenhum sofrimento e padeceriam de bom grado qualquer pena, porque a graça é fruto da paciência. É Padroeira do Peru, de toda a América Latina e das Filipinas.
Fonte: NPD Brasil em 23/08/2019

Liturgia comentada

Um tesouro escondido... (Mt 13,44-46)
Quando lemos esta parábola de Jesus – e já passamos por ela tantas vezes! -, quase sempre ficamos presos à imagem literal do “campo” onde existe um velho baú enterrado, ou do profundo “oceano” de onde provêm as preciosas pérolas. Dificilmente alguém pensa em si mesmo, no próprio coração, onde Deus investiu grandes dons. Quem diria, hein? O tesouro escondido em nós?
Eis a reflexão de Máximo, o Confessor [580-662 d.C.]:
“Entre os irmãos, alguns pensam não ter nenhuma participação nos carismas do Espírito Santo. Por causa de sua negligência em praticar os mandamentos, eles não sabem que aquele que guarda inalterada a fé em Cristo reúne em si mesmo todos os carismas divinos. Posto que, por inércia, estamos longe do amor ativo que devíamos trazer em nós, esse amor que nos mostra os tesouros de Deus escondidos em nós, é natural que pensemos não ter parte nos carismas divinos.
Se Cristo mora em nossos corações pela fé, segundo o Apóstolo (cf. Ef 3,17), e se todos os tesouros da sabedoria e da ciência estão escondidos nele (Cl 2,3), logo, todos os tesouros da sabedoria e da ciência estão ocultos em nossos corações. Mas eles se revelam na medida da purificação de cada um, aquela purificação que é suscitada pelos andamentos.
Assim é o tesouro escondido no campo de teu coração e que ainda não encontraste por causa de tua preguiça. Se o tivesses encontrado, terias vendido tudo e adquirido esse campo. Agora, porém, deixaste o campo e procuras em volta dele, ali onde não se encontra outra coisa a não ser espinheiros e capim bravo.
É por isso que o Senhor diz: ‘Bem-aventurados os corações puros, pois eles verão a Deus’. (Mt 5,8) Eles O verão, e verão os tesouros que estão em si mesmos quando, pelo amor e pela temperança, forem purificados. E tanto mais verão, quanto mais forem purificados.
É por isso que ele diz ainda: ‘Vendei o que tendes, dai-o como esmola e eis que tudo será puro para vós’. (Lc 11,41) Esses deixam de se ocupar com as coisas do corpo, mas se aplicam a purificar do ódio e da desordem da inteligência aquilo que o Senhor chama de coração. Pois são estas coisas que, manchando a inteligência, não permitem ver o Cristo que nela habita pela graça do santo Batismo.
Purifica tua inteligência da cólera, do ressentimento e dos pensamentos infames e, então, poderás conhecer em ti a presença de Cristo.”
O Espírito de Deus habita em nós. Sua presença é a garantia dos preciosos dons investidos em nós para dar continuidade à missão do próprio Salvador. Até quando ficaremos alheios a esse tesouro?
Orai sem cessar: “Não me prives, Senhor, do teu Santo Espírito!” (Sl 51,13)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
Fonte: NS Rainha em 23/08/2013

HOMILIA DIÁRIA

Dê uma outra direção à sua vida

Amar o Senhor não desmerece nenhum amor humano. Ame-O com toda a força da sua alma e isso dará uma outra direção à sua vida.

Hoje, a liturgia nos dá a graça de celebrarmos Santa Rosa de Lima, uma jovem peruana consagrada a Deus na vida religiosa.
Santa Rosa é padroeira de todo o continente latino-americano, exemplo de despojamento e de uma vida totalmente entregue à causa de Deus e ao cuidado com os pobres. Ela colocou em prática, de forma radical, aquilo que o Evangelho nos ensina: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento!”. Se nós entendêssemos esse pedido do Senhor, nossa vida assumiria outro rumo, outra direção. A ninguém e a coisa nenhuma, nessa vida, nós podemos amar mais do que a Deus.
Com todas as forças da nossa alma, do nosso coração e de todo o nosso ser, temos de estar imbuídos dessa verdade evangélica. Deus é o amor maior da nossa vida! Quando O encontramos, somos resgatados. O amor do Pai move toda a nossa vida, por isso nada nós podemos amar mais do que Deus.
Amar o Senhor não desmerece nenhum amor humano; muito pelo contrário, quando nós O amamos, dedicamo-nos às pessoas com uma qualidade maior, porque todas serão amadas com o amor que vem do coração de Deus. Não haverá em nós egoísmo nem interesse baseado no prazer.
Aquele que é resgatado por Deus ama as pessoas que estão ao seu lado, pois o Senhor é o combustível que move todo esse sentimento dentro da nossa alma. Nosso amor para com o próximo será mais sincero, menos interesseiro e sofreremos muito menos, porque viveremos exatamente aquilo que o Pai depositou em nosso coração.
Ame o Senhor com toda a força da sua alma e isso dará uma outra direção à sua vida.
Deus abençoe você.
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 23/08/2013

HOMILIA DIÁRIA

Deus é o grande tesouro do nosso coração

O Reino dos Céus é como um tesouro escondido no campo. Um homem o encontra e o mantém escondido. Cheio de alegria, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquele campo” (Mateus 13,44).

Por que o homem compra aquele campo? Porque naquele campo tem um tesouro escondido que não está à mostra e não é encontrado de qualquer forma. É porque esse tesouro é o mais precioso e o mais valoroso. É o tesouro que dá valor para a nossa vida e sentido à nossa existência. É o tesouro essencial e fundamental do qual não podemos abrir mão de forma nenhuma.
A jovem que celebramos, hoje, Santa Rosa de Lima, padroeira da América Latina, tão jovem entregou toda a sua vida para Deus. Uma menina penitente, que amava a Deus sobre todas as coisas; os sentimentos do seu coração e da sua alma, sobre todas as coisas, estavam voltados para o Senhor Nosso Deus.
Santa Rosa de Lima encontrou esse tesouro precioso que brilhou na sua alma e no seu coração, pelas virtudes evangélicas que ela viveu em cada dia da sua vida.
Passamos a vida inteira em busca de coisas, valores, pessoas e situações para nos preencherem. Somos pessoas inquietas e insatisfeitas com tudo aquilo que realizamos. É muito raro encontrarmos a satisfação, a realização da nossa vida, até porque, algo que nos realiza agora, depois nos cansa; algo que nos faz bem no momento, depois se torna enfadonho. Aquilo que achávamos que seria o sentido da nossa vida provocam vazio em nossa alma e coração.

É o tesouro essencial e fundamental do qual não podemos abrir mão de forma nenhum

Muitas vezes, pulamos de um abismo para outro em busca da razão e do sentido do nosso viver. Encontre em Deus sua razão de viver e o sentido da sua vida. Não busque no Reino de Deus outras coisas que não seja Deus, porque, muitas pessoas, estão na Igreja, mas ainda estão perdidas, vazias… Até se entusiasmaram com aquele primeiro encontro que fizeram com o Senhor, mas depois a vida tornou-se sem gosto e sem graça.
Paramos em coisas acidentais, paramos no defeito das pessoas, paramos nas decepções que temos com as pessoas e nas comparações humanas, quando, na verdade, o tesouro é Jesus. Muitas vezes, encontramos o tesouro, mas o perdemos por causa das vaidades, excessos, preocupações e situações não resolvidas.
Quem resolve, quem ilumina as situações todas da nossa alma chama-se Jesus. Encontremos Jesus em nossa vida, deixemos ser encontrados por Deus, para que a Sua luz ilumine toda a nossa vida e tudo aquilo que realizarmos.
Que Deus seja o grande tesouro da nossa vida!
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 23/08/2019

Oração Final
Pai Santo, ajuda-nos a descobrir o Tesouro escondido do teu Reino de Amor. Que a nossa vida seja transparente para que a tua Luz, que mora dentro de nós, possa iluminar os caminhos deste mundo, ajudando a todos os irmãos a viver já nesta terra os sinais do teu Reino de Amor. Pelo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 23/08/2013

ORAÇÃO FINAL
Pai Santo, ajudá-nos a descobrir o Tesouro escondido – teu Reino de Amor. Que a nossa vida seja transparente para que a tua Luz, que mora dentro de nós, possa iluminar os caminhos do mundo, ajudando os irmãos a viver, já nesta terra, os sinais de teu Reino de Amor. Pelo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 23/08/2019

oRAÇÃO FINAl
Senhor Jesus, teu Evangelho falou profundamente ao coração de Santa Rosa de Lima, que renunciou aos apelos do mundo, para viver, no silêncio e na oração, os valores do Reino de Deus. Sua vida de caridade e penitência nos motive a nos corrigir e buscar sempre praticar o bem. Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário