quinta-feira, 21 de maio de 2020

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 22/05/2020

ANO A


Jo 16,20-23a

Comentário do Evangelho

A tristeza se transformará em alegria.

Diante da morte de Jesus, há um contraste entre a atitude dos discípulos e a do mundo. A tristeza e a lamentação dos discípulos são causadas pela paixão e morte de Jesus. Não se pode, no entanto, deixar de ler nessas linhas a perseguição dos cristãos por parte dos judeus. A tristeza que abate e faz perder a esperança certamente não provém de Deus, mas do inimigo da natureza humana. Próprio de Deus é consolar, animar, encorajar para que mesmo em meio à perseguição os discípulos possam permanecer no Senhor e dar testemunho, inclusive pela entrega da própria vida, do Cristo ressuscitado. É na palavra do Cristo que o cristão fiel deve confiar: a tristeza se transformará em alegria, assim como a morte foi vencida pelo poder de Deus que ressuscitou o seu Filho dentre os mortos. Não há vida sem sofrimento. É o que acontece com a mulher que está para dar à luz. Mas a irrupção de uma vida nova transforma o sofrimento numa grande alegria – isso é uma verdadeira Páscoa! A alegria, que é dom do Cristo ressuscitado, ninguém nem nenhuma situação humana pode tirar. Ela é dada para permanecer mesmo em tempos difíceis, como no tempo da perseguição por causa da fé em Jesus Cristo.
Carlos Alberto Contieri, sj
Oração
Pai, não permitas que jamais a tristeza e o pranto tomem conta do meu coração. E que a fé na Ressurreição seja, para mim, motivo de perene alegria.
Fonte: Paulinas em 30/05/2014

Vivendo a Palavra

No caminho para o nascimento de um mundo melhor, sinal do Reino de Deus que devemos construir nesta terra, haverá gemidos e lamentos. Mas a descoberta da Presença do Pai em nós – pois o Reino está dentro de nós! - nos alegrará, com aquela alegria completa que Jesus prometeu. Façamos esta experiência maravilhosa!
Fonte: Arquidiocese BH em 30/05/2014

VIVENDO A PALAVRA

No caminho para o nascimento de um mundo melhor, sinal do Reino de Deus que devemos construir nesta terra, haverá gemidos e lamentos. Mas a descoberta da Presença do Pai em nós – pois o Reino está dentro de nós! – nos alegrará, com aquela Alegria completa que Jesus prometeu. Façamos esta experiência maravilhosa!

Reflexão

Nós hoje sentimos uma série de tristezas, que são causadas por causa dos acontecimentos do nosso tempo que se constituem em negação dos valores do Reino de Deus e que, além de trazer muito sofrimento para a humanidade, principalmente para os mais pobres e desvalidos, exigem de nós um testemunho corajoso de Jesus e do seu Evangelho, o que nem sempre é fácil porque na verdade somos fracos na fé. Mas devemos nos consolar e encontrar forças para esse testemunho a partir da promessa que nos é feita por Jesus no Evangelho de hoje, pois veremos Jesus e isso nos encherá de uma alegria que não nos pode ser tirada e nos levará ao pleno conhecimento da verdade.
Fonte: CNBB em 30/05/2014

Reflexão

Jesus retoma o assunto sobre a densa nuvem de tristeza e angústia que invadirá o coração dos discípulos. O motivo é que Jesus lhes dará um “espetáculo” horrível, o de morrer diante deles, como se fosse um fracassado, como se tivesse enganado uma multidão de seguidores. É verdade que a sociedade injusta vai se alegrar, julgando ter destruído o Autor da vida. Entretanto, a ressurreição de Jesus e suas aparições aos amigos reorganizam a realidade: alegria aos discípulos, pois “eles ficaram contentes porque viram o Senhor” (Jo 20,20). Decepção para os adversários. Com a ressurreição, os discípulos de Jesus passaram a compreender que a dor é fonte de vida. Já não precisam mais fazer perguntas: tudo ficou mais claro por acreditarem nas Escrituras e nas palavras de Jesus.
Oração
Senhor e Mestre, sabes que teus discípulos ficarão aflitos e desorientados por ocasião de tua Paixão e Morte. Por isso, os confortas com a certeza de que, ressuscitado, voltarás para o meio deles. Então seus corações se alegrarão e ninguém vai tirar deles essa alegria. Amém.
(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))

Recadinho

Nas angústias você busca força e consolo em Deus? - Teve muitas tristezas que se transformaram em alegria? - Procura fortalecer sua fé? Como? - E diante do sofrimento do próximo, consegue fazer-se presente? - O que lhe diz a expressão “o sol voltará a brilhar?”
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R
Fonte: a12 - Santuário Nacional em 30/05/2014

Comentário do Evangelho

ENXUGANDO O PRANTO

Os discípulos foram alertados a respeito do perigo de ficarem muito abatidos com a morte do Mestre, e se entregarem ao pranto e às lamentações, esquecendo-se da missão que tinham pela frente.
Se, por um lado, justificava-se o choro momentâneo, seria insensato deixar-se vencer por ele. A tristeza deveria transformar-se em alegria, e o pranto em festa. A última palavra sobre a vida de Jesus competia ao Pai. Este responderia com a "vida" o que os inimigos do Reino votaram à "morte". Então teria fim a alegria efêmera do mundo, que se vangloriou de ter eliminado Jesus. Era tempo de colocar no Pai uma confiança inabalável.
As dores do parto são uma imagem do que os discípulos estavam vivendo. Uma criança vem à luz em meio a dores e sofrimentos, tanto dela quanto da mãe. Uma vez concluído o parto, é tempo de festejar.
Algo semelhante passa-se com Jesus: seu ministério de salvação da humanidade foi perpassado de rejeição e incompreensão que culminou na morte de cruz. Tudo isto foi necessário para que a salvação pudesse acontecer. Uma vez realizada, era tempo de alegrar-se, porque o Senhor ressuscitou. Ninguém jamais haveria de privar os discípulos dessa alegria pela presença do Ressuscitado.
Doravante, as tribulações infligidas pelo mundo podem ser vividas de maneira diferente, pois, em Jesus Ressuscitado, temos a certeza de que o poder da morte foi vencido definitivamente.
Oração
Pai, não permitas que jamais a tristeza e o pranto tomem conta do meu coração. E que a fé na Ressurreição seja, para mim, motivo de perene alegria.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Ó Deus, fazei que a pregação do Evangelho por toda a terra realize o que prometestes ao glorificar o vosso Verbo, para que possamos alcançar, vivendo plenamente como filhos e filhas, o que foi anunciado pela vossa palavra. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Dom Total em 30/05/2014

Meditando o evangelho

A ALEGRIA VIRÁ

Apesar das cruzes e dos contratempos, o cristão tem motivos para se alegrar. Jesus ressuscitado abre-lhe um vasto horizonte, no qual desponta a figura amorosa e acolhedora do Pai, meta da caminhada humana. A alegria cristã não é ingênua, nem descompromissada com a História. O cristão se alegra, entregando-se todo ao serviço da fermentação da história humana pelo amor, a exemplo de Jesus. As decepções e os fracassos, por maiores que sejam, não são suficientemente grandes a ponto de diminuir o entusiasmo do seguidor de Cristo.
Esta verdadeira persistência é devida à Ressurreição. A fé no Ressuscitado não permite que o cristão fique confinado aos limites da História. A possibilidade de ter uma visão mais abrangente mantém viva, nele, a chama da esperança. E mais: liberta-o do imediatismo que leva ao desespero, quando se vislumbra o risco da frustração. Esta liberdade se deve à certeza de que a obra da salvação pertence a Deus. Ele a confiou a tantas e diferentes pessoas, porém, não definiu prazos para sua conclusão. Nem julga as pessoas pela sua eficiência.
Pelo simples fato de saber-se devotado à missão recebida do Senhor, o cristão não tem por que entristecer-se. Ser capaz de perseverar, apesar de o mundo parecer impor-se ao projeto de Deus, já é algo de grandioso. No coração de quem age assim, por causa de Jesus ressuscitado, não pode haver espaço para a tristeza.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Senhor Jesus, não permitas que a tristeza tome conta do meu coração. Antes, que a certeza de tua Ressurreição me faça viver na esperança.

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

1. VAI PASSAR...
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

"Seus filhos erravam cegos pelo continente,
levavam pedras feito penitentes
Erguendo estranhas catedrais
E um dia, afinal, tinham o direito a uma alegria fugaz
Meu Deus, vem olhar, vem ver de perto uma cidade a cantar
A evolução da liberdade até o dia clarear...".
Grandes poetas como o nosso Chico Buarque de Holanda, sempre cantaram a esperança nos momentos difíceis e turbulentos da nossa história. Nesse evangelho de João os discípulos estão ás vésperas da tragédia que irá se abater sobre eles e Jesus os consola, afirmando poeticamente e teologicamente que "Toda aquela tristeza vai passar...”.
"Haveis de estar tristes, mas toda a vossa tristeza há de se transformar em alegria..." A paixão e a morte de Jesus são necessárias, mas não se trata de uma dor do desespero, mas de uma dor toda feita de esperança exatamente como a dor do parto que depois se transforma em risos de alegria.
De fato, os discípulos de Jesus passaram por um período tenebroso, da sua Ascensão ao Céu até o dia em que o Espírito os confirmou como Igreja dando-lhes a certeza esperança de que Jesus estava vivo e continuava a caminhar com eles.
Dia desses um irmão da comunidade desabafou de um jeito triste que há muitas coisas erradas na nossa Igreja e que ele tem medo de pensar no que tudo isso vai dar, pois as vezes a Igreja parece tomar decisões contrárias ao evangelho e aos ensinamentos de Jesus, quando não se abre, para sair de si mesma e ir ao encontro das pessoas para fazer o anúncio querigmático, uma igreja que muitas vezes parece estar tão longe dos que sofrem, dos que são injustiçados, dos marginalizados e excluídos...
Exatamente aí, onde tudo parece estar errado, o Espírito de Jesus está agindo, e o coração do autêntico discípulo consegue perceber a sua presença e se enche de alegria. Aos discípulos Jesus falava dos novos tempos que estavam por vir, com a expansão do cristianismo no mundo inteiro, muito além de Jerusalém, onde estava a Igreja Mãe.
Para nós esse evangelho também nos encoraja, a superarmos todas as dificuldades, momentos cruciais marcados por angústias e incertezas, divisões e outras amarguras no meio do povo de Deus, contudo, como a cantiga do poeta, essa Palavra nos consola o coração ferido: TUDO VAI PASSAR... A VOSSA ANGÚSTIA E TRISTEZA SE TRANSFORMARÁ EM ALEGRIA...

2. Eu vos verei novamente, e o vosso coração se alegrará - Jo 16,20-23a
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas e disponibilizado no Portal Paulinas - http://comeceodiafeliz.com.br/evangelho)

“Eu vos verei novamente, e o vosso coração se alegrará.” São palavras de Jesus referentes ao último dia, à sua vinda gloriosa no fim dos tempos, e referentes à vinda do Espírito Santo como o grande dom resultante da morte e da ressurreição do Senhor. “Naquele dia, não me perguntareis mais nada.” Esperamos pela revelação final e definitiva, quando veremos o Senhor face a face, e então nos veremos como realmente somos aos olhos de Deus. Entretanto, o Espírito Santo vai nos iluminando e na sua luz vemos a própria luz. Durante um ano e meio Paulo ensina a Palavra de Deus aos coríntios, sempre tendo que enfrentar dificuldades e oposições. Era, porém, acompanhado pelo próprio Senhor. “Não temas, continua a falar, eis que estou contigo”, disse-lhe Jesus numa visão. “Eu estou contigo”, já não mais como estava em Jerusalém ou Nazaré, mas no Espírito Santo. Nós nos abrimos ao Espírito Santo e nos dispomos a ser canais de sua manifestação ao mundo, sobretudo pela sensibilidade fraterna, para que o mundo possa se alegrar. A tristeza se faz presente ao longo de nossa vida, por isso pedimos a Deus a graça da alegria, que é resultado do encontro com seu Filho Jesus no Espírito Santo, alegria que ninguém nos pode tirar.

HOMILIA

A Vossa tristeza se converterá em alegria

Olá, cá estou mais uma vez para te dirigir uma palavra que não é minha, mas sim do próprio Jesus. Diante da situação que estás passando Jesus diz no Evangelho de hoje: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria.
Gostaria que meditasses bem no que estas palavras significam. A tua tristeza se converterá em alegria. Com fé, confiança, esperança entrega-te a Deus. Pois Jesus vai subir para o Seu e o nosso Pai. Para o Seu e nosso Deus. Pare de te maltratar e chorar. Preste atenção nestas palavras de Jesus: A vossa tristeza se transformará em alegria! É promessa de Deus, na pessoa do Seu próprio Filho Nosso Senhor Jesus Cristo. Daí que seja uma realidade na vida de todos aqueles que crêem em Jesus Cristo Salvador. Ele é o único que sabe do tamanho da tua tristeza, da tua agonia. Ele vem para te fortalecer, te encorajar. Saiba que a tua tristeza se transformará em alegria! Embora agora estejas passando pela situação difícil, não se preocupe. Já Jesus o percebeu e por isso te diz: vós agora sentis tristeza, mas eu hei de ver-vos novamente e o vosso coração se alegrará, e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria.
Meu filho, não existe tristeza no coração do homem que não possa ser transformada em alegria por Jesus. Todavia, fundamental que confiarmos no amor de Deus, é preciso apegar-se a esse amor de forma sobrenatural, mesmo que as pessoas a sua volta te incentivem a desistir dos teus sonhos, mesmo que elas coloquem barreiras naquilo que tu tens buscado, não importa, Deus é maior, confie no Senhor e somente assim essa tristeza vai se transformar em alegria. E esta alegria não te será tirada por ninguém. Ela será a alegria plena.
Ao passarmos por alguma dificuldade, ela parece que não vai ter fim! Não é mesmo? Mas olhe quantas tristezas tu já superaste e eu creio que em todas elas tu pensavas não ser possível. Eu não vou sair dessa. A minha casa caiu. E já não a conseguirei levantar. Não vai passar, dessa vez eu não vou agüentar. Mas tu as superaste com força e coragem. Sobretudo com Fé naquele que venceu o mundo.
Muitas vezes no momento da tristeza fazemos perguntas ao Senhor, o porquê disso, o porquê daquilo? Mas de novo Senhor? E porque só eu? Será que não posso ter sossego.
Quero deixar bem claro para ti meu irmão minha irmã: Se tu deixares Jesus entrar no teu coração, se tu confiares cegamente nele, ele te dirá: No mundo sofrereis tribulações. Mas tende fé. Eu venci o mundo e comigo também vós vencereis. Portanto, se confiarmos ao Senhor as nossas tristezas chegaremos ao ponto de não questionarmos mais o Senhor. o porquê disso ou o porque daquilo? É necessário que nossa confiança esteja somente no Senhor nosso Deus. Tire tua confiança do homem, confie apenas no Senhor, porque ele tem o poder de mudar tudo, ele é o Senhor da vida, da alegria, da esperança. Neste, neste momento da tua vida faça suas as palavras de São Paulo: Quando sou fraco é que sou forte! Isso é confiar no Senhor, me torno fraco quando reconheço que só Jesus pode mudar a minha vida, mas esse reconhecer-se fraco diante do poder de Deus, na verdade me leva a ser forte, porque quando penso e ajo assim eu estou colocando toda minha confiança no Senhor. Pois acredito que não serei eu quem vai mudar a situação, mas é o próprio Senhor.
Padre Bantu Mendonça
Fonte: Liturgia da Palavra em 30/05/2014

HOMILIA DIÁRIA

Não deixe o desânimo ter a última palavra em sua vida!

É Deus quem está dizendo a mim e a você: Não tenha medo, não se cale, não entregue os pontos! Não deixe o desânimo ter a última palavra em sua vida!

“Não tenhas medo; continua a falar e não te cales, porque eu estou contigo. Ninguém te porá a mão para fazer mal” (Atos dos Apóstolos 18, 9-10).

A nossa meditação de hoje é sobre a Primeira Leitura dos Atos dos Apóstolos, em que lemos que o apóstolo Paulo está chegando à cidade de Corinto. Ali, em uma noite, Jesus visita o coração de Paulo justamente para o consolar. A angústia, a tensão, o medo, muitas vezes, visitaram o coração do apóstolo, pois não foi em todos os lugares em que o grande apóstolo foi bem recebido e acolhido.
E uma vez que o apóstolo dos gentios não era acolhido, não era bem recebido, a Palavra de Deus também não era acolhida e bem recebida, mas nem por isso o apóstolo desanimava! E de onde vinha a força de Paulo? De onde vinha a intrepidez do apóstolo Paulo? Vinha do consolo que ele recebia de Deus, vinha de uma força do alto que o fazia levantar e não lhe permitia ficar prostrado e desanimado.
As dificuldades em Corinto eram muitas, comunidade grande, com diversos problemas, ali Paulo deveria anunciar o Evangelho. Para que o medo não se apoderasse dele e as numerosas dificuldades não tirassem a coragem e a ousadia do apóstolo é que Deus vem em socorro de sua fraqueza: Não tenhas medo; continua a falar e não te cales, porque eu estou contigo” (At 18, 9-10).
Quando olhamos para a nossa vida vemos que existem muitas situações que nos calam, nos atemorizam, nos tiram o vigor da alma e do espírito e nos deixam, muitas vezes, desanimados. As dificuldades estão dentro da nossa própria casa, estão em nosso trabalho, estão em nossa própria comunidade onde trabalhamos.
Quantas vezes, nós temos vontade de entregar os pontos e dizer: “Eu não dou mais conta disso! Isso não é para mim! Chega!”. O estresse nos visita, as enfermidades começam a tomar conta de nós e a pior delas é o desânimo, porque tira o nosso ânimo, a vitalidade da nossa alma, o vigor para fazermos aquilo que é a nossa missão.
Hoje, Deus quer revigorar a nossa alma, revigorar o nosso espírito, nos dar uma coragem nova, uma disposição nova, uma vontade nova, para que continuemos a realizar a Sua vontade na nossa vida! Seja você, pai, mãe, homem, mulher, jovem, trabalhador, onde a missão o chama, onde os compromissos são muitos, Deus não o quer  desanimado! Ele quer hoje dar um vigor novo à sua alma, ao seu espírito!
É Deus quem está dizendo a mim e a você: Não tenha medo, não se cale, não se amedronte, não entregue os pontos! Não deixe o desânimo ter a última palavra em sua vida!
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Fonte: Canção Nova em 30/05/2014

Oração Final
Pai Santo, sabemos que a porta é estreita e a estrada é áspera, mas sabemos também que a alegria da descoberta será completa. Dá-nos discernimento, força e perseverança para nossa caminhada, nós pedimos pelo Cristo Jesus, teu Filho e nosso Irmão, que contigo reina na unidade do Espírito Santo.
Fonte: Arquidiocese BH em 30/05/2014

ORAÇÃO FINAL
Pai amado, sabemos que a porta é estreita (a opção pela conversão é pessoal e solitária) e a estrada é áspera (é preciso ter coragem), mas sabemos também que a Alegria da descoberta do Reino em nós será completa. Dá-nos discernimento, força e perseverança para a caminhada, nós pedimos pelo Cristo Jesus, teu Filho que se fez nosso Irmão e contigo reina na unidade do Espírito Santo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário