terça-feira, 24 de março de 2020

HOMILIA DIÁRIA - (CANÇÃO NOVA) – Jo 5,1-16 – 24/03/2020


Lembremos do próximo que precisa de nossa ajuda

“Jesus disse: ‘Levanta-te, pega tua cama e anda’. No mesmo instante, o homem ficou curado, pegou sua cama e começou a andar” (João 5,8-9).


Há tanto tempo esse homem sofria! Há 38 anos, ele tentava receber ajuda, mas ninguém fazia nada por ele. Uma crença dizia que as águas da piscina borbulhavam, e quem entrasse nessa piscina poderia ficar curado. Aquele homem, no entanto, não conseguia chegar até as águas quando elas subiam. Ele até fazia um esforço humano e sobrenatural, mas, quando estava chegando, outros passavam à sua frente.
Sabemos que, na hora do aperto, é assim: cada um por si e Deus por todos. Na hora que a coisa aperta, ninguém lembra de ajudar o outro, ninguém está preocupado com a dor ou se o outro precisa mais do que nós. Esse homem estava ali há 38 anos, e ninguém ligava para ele.
No meio de nós, há pessoas deixadas de lado, esquecidas, maltratadas, sofridas há um ano, há 10 anos, há 20 anos, há 38 anos. Nem olho para o tempo cronológico que essa pessoa esteja, o fato é que há muitos no meio de nós que estão largados pela falta de cuidado, compaixão e ternura da nossa humanidade egoísta, orgulhosa e soberba, onde cada um cuida de si, onde cada um está à procura do seu médico e do seu tratamento. 

Na hora que a coisa aperta, ninguém lembra de ajudar o outro, ninguém está preocupado com a dor

Quando você já levou alguém para fazer uma consulta? Quando você já levou alguém para rever a sua saúde? Quando você levou alguém que não tem condições a um hospital? Quando você já ofereceu a sua mão para socorrer a mão do outro que não consegue andar? Quando você já sentou ao lado de alguém para poder cuidar dele?
Há muitos que estão morrendo pela depressão do desprezo, do descuido, da solidão e do abandono. Há muitos que estão deixados de lado, porque está todo mundo correndo atrás de si, está todo mundo se felicitando com o que consegue para si. Há os que estão sorrindo às custas da tristeza de muitos, há quem tem tirado do pobre o seu lugar na fila do hospital público, porque há pessoas que têm condições de ter o seu plano de saúde, pagar seus médicos, mas, por privilégios, ocupam o lugar do pobre que não tem outro meio de ser socorrido.
Como a nossa natureza humana é egoísta, como só pensamos em nós! É cada um por si neste mundo selvagem em que estamos. Há fileiras de pessoas que morrem a cada dia! Bastava um cuidado, bastava receberem atenção, bastava alguém para ter um médico ou um cuidado humano básico para aquelas pessoas.
Jesus, o Divino Médico, vê o que ninguém quer ver, olha o que ninguém olha. Ali estava esse homem, há 38 anos largado, deixado de lado. Jesus se voltou para ele com Seu olhar bondoso e misericordioso: “Quer ser curado, meu filho?”. Ele respondeu: “Senhor, eu até quero, mas não tem ninguém que cuide de mim”.
O grito desse homem é o grito de tantos ao nosso lado. Não há ninguém que cuide, que olhe e dê atenção. Sejamos o olhar de Jesus para tantos que precisam de nós.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.


Nenhum comentário:

Postar um comentário