terça-feira, 29 de abril de 2014

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 29/04/2014

29 de Abril de 2014

ANO A


Jo 3,7b-15

Comentário do Evangelho

Jesus e Nicodemos

O evangelho de hoje é a sequência do diálogo catequético-batismal entre Jesus e Nicodemos que começamos a ver no dia de ontem. Para compreender o mistério de Deus e desfrutar do seu reinado é preciso “nascer do alto”; é preciso, movido pelo Espírito que como o vento sopra onde quer, superar o que é estritamente carnal e não permitir que a relação do homem com Deus se reduza ao puramente terrestre ou seja definitivamente condicionada por ele. É preciso deixar-se mover e conduzir por Deus. Sem isso, é impossível compreender o mistério de Jesus Cristo e reconhecer que ele é o enviado do Pai. As considerações de Jesus fazem Nicodemos titubear e declarar a própria ignorância (v. 9). Sua dificuldade de compreensão pode ser atribuída ao raciocínio estreito em que o homem prisioneiro do seu próprio modo de pensar se fecha para a novidade de Deus. Somente o novo nascimento, uma vida segundo o Espírito, pode permitir ao ser humano sair do hermetismo do racionalismo e de uma prática vaidosamente rigorosa da Lei e conhecer, por uma relação pessoal e íntima com o Senhor, o mistério de Deus e receber dele a luz que faz sair da escuridão e caminhar sem tropeçar.
Carlos Alberto Contieri, sj
Oração
Pai, lança-me, cada dia, na aventura do Espírito, que me tira do comodismo e do abatimento e me faz superar meus próprios limite.

Vivendo a Palavra

A visita de Nicodemos possibilita recordar um discurso denso e profundo de Jesus. No texto de hoje, o Mestre reforça a ideia de que é preciso o contínuo ‘nascer de novo’ pela água e o espírito. O comodismo e a satisfação com o que já fizemos não são próprios do cristão. Devemos sair de nós mesmos e abandonar confortáveis posições de segurança, se quisermos seguir Jesus.

Reflexão

A Vida nova, a Vida segundo o Espírito, não é algo que a pessoa humana possa conseguir por si mesma, uma vez que é algo que está muito além da sua própria natureza, portanto algo que foge às suas capacidades. A Vida nova é a vida da graça, que nos é dada pelo próprio Deus, a partir do mistério pascal de Jesus. A condição para a participação nessa Vida em Cristo é a fé; todos os que acreditam que Jesus, crucificado, morto e ressuscitado, é o Filho de Deus, a segunda Pessoa da Santíssima Trindade que se fez homem para ser o Emanuel, o Deus conosco, recebem dele o dom da Vida em plenitude, o dom da vida eterna.

Recadinho


Você pede que Deus lhe aumente a fé? - Você sabe distinguir o que é essencial e o que é secundário nas coisas da fé? - Dê um exemplo de obra que manifesta muita fé. - Mencione um bem que sua comunidade faz em favor do próximo. - Que lugar ocupa a cruz de Cristo em sua casa?
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R

Comentário do Evangelho

SOB O SOPRO DO ESPÍRITO

Ao exortar Nicodemos sobre a necessidade de nascer de novo, Jesus apontou o ação do Espírito como dinamismo deste renascimento. É o Espírito quem leva a pessoa a superar os esquemas da vida, segundo a carne, e a assumir um projeto de vida centrado na vontade de Deus. Arranca-a das malhas do egoísmo, e a coloca no terreno firme do amor. Abre-lhe os horizontes, apresentando-lhe a carência dos pobres e sofredores como campo de serviço. Liberta-a dos interesses mesquinhos, levando-a a confrontar-se com ideais elevados, realmente capazes de trazer felicidade e realização pessoal.
O sopro incontrolável do vento serviu de comparação para revelar a liberdade de ação de quem é movido pelo Espírito. Como não se pode segurar, determinar o rumo, exercer controle sobre o vento, o mesmo se dá com a pessoa que nasce do Espírito. Sua capacidade de fazer o bem torna-se ilimitada. Nada a detém quando se trata de demonstrar, com gestos concretos, o amor ao semelhante. O amor que traz dentro de si permite-lhe expressar, de maneira criativa, sua solidariedade. Tudo, em sua vida, torna-se novo, pois o Espírito não lhe permite cair na rotina e na inatividade, características de quem perdeu a razão de viver.
A ressurreição de Jesus é um convite a nascer de novo. O Ressuscitado é quem nos concede o Espírito necessário para este renascer.
Oração
Espírito de renovação, que o nascimento pelo Espírito faça-me superar tudo o que é velho dentro de mim, e experimentar a liberdade de servir.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Ó Deus, que inflamastes de amor santa Catarina de Sena na contemplação da paixão do Senhor e no serviço da Igreja, concedei-nos, por sua intercessão, participar do mistério de Cristo e exultar em sua glória. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
http://www.domtotal.com/religiao/meu_dia_com_deus/evangelho_dia.php?data=2014-4-29

REFLEXÕES DE HOJE




DIA 29 DE ABRIL – TERÇA

 
HOMILIA
É necessário para vós nascer do alto
Hoje, Jesus nos expõe a dificuldade de prevenir e conhecer a ação do Espírito Santo: de fato, «sopra onde quer» (Jo 3,8). Isto relaciona-o com o testemunho que Ele mesmo está dando e com a necessidade de nascer do alto. «É necessário para vós nascer» (Jo 3,7), diz o Senhor com claridade, é necessária uma nova vida para poder entrar na vida eterna. Não é suficiente com um ir puxando para chegar ao Reino dos Céus, é necessária uma vida nova regenerada pela ação do Espírito de Deus. A nossa vida profissional, familiar, esportiva, cultural, lúdica e, sobretudo, de piedade tem que ser transformada pelo sentido cristão e pela ação de Deus. Tudo, transversalmente, tem que ser impregnado pelo seu Espírito. Nada, absolutamente, nada deveria ficar fora da renovação que Deus realiza em nós com o seu Espírito.
Uma transformação que tem Jesus Cristo como catalisador. Ele, que antes tinha que ser elevado na Cruz e que também tinha que ressuscitar, é quem pode fazer com que o Espírito de Deus nos seja enviado. Ele que tem vindo do alto. Ele que tem mostrado com muitos milagres o seu poder e a sua bondade. Ele que em tudo faz a vontade do Pai. Ele que tem sofrido até derramar a última gota de sangue por nós. Graças ao Espírito que nos enviará, nós «podemos subir ao Reino dos Céus, por Ele obtemos a adoção filial, por Ele se nos dá a confiança de nomear Deus com o nome de “Pai”, a participação da graça de Cristo e o direito a participar da gloria eterna» (São Basílio Magno).
Façamos que a ação do Espírito tenha acolhimento em nós, escutemo-lhe e, apliquemos as suas inspirações para que cada um seja –no seu lugar habitual- um bom exemplo elevado que irradie a Luz de Cristo.
Fonte: Rev. D. Xavier SOBREVÍA i Vidal (Castelldefels, Espanha) – Evangeli
http://www.liturgiadapalavra.com/
HOMILIA DIÁRIA
Que renasçamos da água e do Espírito para experimentarmos os prodígios de Deus
Aquele que vê com os olhos de Deus, vê além até o que não consegue enxergar, porque permite que o Senhor conduza seus passos!
”Vós deveis nascer do alto. O vento sopra onde quer e tu podes ouvir o seu ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. Assim acontece a todo aquele que nasceu do Espírito”(João 3, 7b-8).


Continuando a conversa de Jesus com Nicodemos, aquele homem tão sábio, aquele mestre da Lei de Deus e chefe judaico, o Senhor lhe mostra em que consiste nascer do alto. Nascer do alto significa ter uma vida conduzida pelo Espírito de Deus, deixar que este vento maravilhoso, este sopro maravilhoso, que é o vento de Deus, o sobro de Deus, conduza nossos passos, oriente nossa vida e dê direção àquilo que nós fazemos. Porque o vento é assim, ele vem, sobra de um lado, depois vai para o outro e depois desaparece e segue a sua direção.
O homem e a mulher que nasceram de Deus são conduzidos por Ele, são direcionados por Deus e iluminados pela graça que vem do alto, eles não projetam a sua vida ou não fazem sua vida somente segundo raciocínios humanos, segundo seus cálculos, seus planejamentos. Eles se deixam moldar por Deus, se deixam refazer por Deus, se deixam recomeçar a cada dia e ser remodelados a cada momento.
O homem que nasce do alto não leva em consideração as mágoas passadas, os ressentimentos acumulados, pelo contrário, ele permite que este vento maravilhoso, vindo do Alto, sopre com força na mente, no coração e no espírito dele e remova tudo aquilo que não é de Deus, tudo aquilo que está pesado, passado e ultrapassado em sua vida. Nós, muitas vezes, ficamos presos a coisas que não constroem  nem edificam a nossa vida.
Nós, muitas vezes, deixamos a nossa vida atolada em um passado medíocre, porque ficamos machucados, cicatrizados com as ofensas que recebemos e não permitimos que o bálsamo do Espírito cicatrize todas as coisas, dê uma direção nova e um sabor novo à nossa vida. Dessa firma, ficamos presos à nossa mesquinhez, à nossa forma, muitas vezes, muito mesquinha de pensar a vida e de querer ver a vida só com os nossos olhos.
Aquele que vê com os olhos de Deus, vê além até o que não consegue enxergar, porque permite que o Senhor conduza seus passos. Que hoje renasçamos da água e do Espírito para experimentarmos os prodígios de Deus em nossa vida!
Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. FacebookTwitter
LEITURA ORANTE

Jo 3,7b-15 - Conversa de dois Mestres sobre o Espírito



Preparo-me para a Leitura Orante, invocando, com todos os internautas, o Espírito Santo.
Espírito de verdade,
a ti consagro a mente e meus pensamentos: ilumina-me.
Que eu conheça Jesus Mestre
e compreenda o seu Evangelho.
Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Jo 3,7b-15, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.
. O vento sopra onde quer, e ouve-se o barulho que ele faz, mas não se sabe de onde ele vem, nem para onde vai. A mesma coisa acontece com todos os que nascem do Espírito.
- Como pode ser isso? - perguntou Nicodemos.
Jesus respondeu:
- O senhor é professor do povo de Israel e não entende isso? Pois eu afirmo ao senhor que isto é verdade: nós falamos daquilo que sabemos e contamos o que temos visto, mas vocês não querem aceitar a nossa mensagem. Se vocês não crêem quando falo das coisas deste mundo, como vão crer se eu falar das coisas do céu? Ninguém subiu ao céu, a não ser o Filho do Homem, que desceu do céu.
- Assim como Moisés, no deserto, levantou a cobra de bronze numa estaca, assim também o Filho do Homem tem de ser levantado, para que todos os que crerem nele tenham a vida eterna.
Observo a conversa de dois Mestres. Jesus continua conversando com o doutor da Lei, Nicodemos.
Jesus usa alguns símbolos neste texto. Fala do vento que sopra e ninguém sabe de onde vem, nem para onde vai. Isto acontece com os que nascem do Espírito. Deixam-se conduzir por ele.
Fala ainda da cobra de bronze que Moisés ergueu no deserto. E diz que desta forma acontecerá com o Filho de Deus. Será levantado com um objetivo: para que todos os que crerem nele tenham a vida eterna.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Pela fé em Jesus Cristo se chega à vida eterna. Parece simples, mas no mundo onde tudo é comprovado, explicado, tudo passa pelo racional, é difícil o compromisso com o que não é palpável. Mas, o vento não se vê e, no entanto, se vêem sua ação e conseqüências. Assim, se tenho fé, minha vida será diferente, coerente, verdadeiramente cristã. Com os bispos, em Aparecida, refletimos sobre nosso relacionamento com o Mestre: “Como discípulos de Jesus reconhecemos que Ele é o primeiro e maior evangelizador enviado por Deus (cf. Lc 4,44) e, ao mesmo tempo, o Evangelho de Deus (cf. Rm 1,3). Cremos e anunciamos “a boa nova de Jesus, Messias, Filho de Deus” (Mc 1,1). Como filhos obedientes á voz do Pai queremos escutar a Jesus (cf. Lc 9,35) porque Ele é o único Mestre (cf. Mt 23,8). Como seus discípulos sabemos que suas palavras são Espírito e Vida (cf. Jo 6,63.68). Com a alegria da fé somos missionários para proclamar o Evangelho de Jesus Cristo e, n’Ele, a boa nova da dignidade humana, da vida, da família, do trabalho, da ciência e da solidariedade com a criação.” (DAp 103).

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo:
Mestre, tu tens palavras de vida eterna:
Substitui a minha mente, os meus pensamentos contigo mesmo.
Tu que iluminas todo homem e és a própria verdade: eu
não quero raciocinar senão como tu ensinas, nem julgar
senão conforme os teus julgamentos,
nem pensar senão a Ti verdade substancial, dada a mim pelo Pai:
“Vive na minha mente, ó Jesus verdade”.

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

Meu novo olhar é para Jesus e assim quero ter atenção para perceber todo sopro do Espírito e seguir o seu movimento.

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.

- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.

- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.


Ir. Patrícia Silva, fsp
Oração Final
Pai Santo, dá-nos vontade como a de Nicodemos para buscar a tua Verdade, o teu Caminho e a tua Vida – que, nós sabemos, encontram-se no teu Unigênito, o Cristo Jesus. Que nós tenhamos sabedoria, coragem e força para segui-lo nos caminhos da vida, anunciando-O aos irmãos peregrinos. Pelo mesmo Cristo Jesus, que contigo reina na unidade do Espírito Santo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário