quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

HOMÍLIA DIÁRIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 22/01/2014

22 de Janeiro de 2014

ANO A


Mc 3,1-6

Comentário do Evangelho

Jesus revela a face de Deus

Trata-se da última disputa nessa seção denominada de “controvérsias galileanas”. Uma vez mais, o objeto da controvérsia é o descanso sabático. Os opositores de Jesus estão sempre à espreita com intuito de pegá-lo e eliminá-lo (cf. 3,1.6). Efetivamente, a compreensão e a prática da Lei por parte de Jesus são tão desconcertantes que, para uma mentalidade da estrita observância da Lei, só há a certeza de que o outro está “fora da lei” e blasfema. Para um homem de fé, instruído na Lei, a alternativa vida ou morte não é sequer razoável (cf. Mc 3,4); ela contradiz a Lei cuja finalidade última é preservar o dom da vida e da liberdade. O silêncio dos opositores de Jesus diante da pergunta leva o narrador do evangelho a concluir que a resistência deles se devia à esclerocardia (= “dureza de coração” – v. 5). Esse fechamento extremo impede de reconhecer o tempo messiânico (cf. Is 35,3ss). O autor do evangelho antecipa o motivo da condenação e morte de Jesus (cf. Mc 3,6). Essa antecipação fez com que muitos comentaristas considerassem o evangelho de Marcos como um grande relato da paixão e morte do Senhor.
Carlos Alberto Contieri, sj
ORAÇÃO
Pai, sejam minhas mãos usadas somente para a prática do bem. Livra-me de mantê-las fechadas a quem precisa de minha ajuda, e de usá-las para fazer o mal.
http://www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=evangelho&action=busca_result&data=22%2F01%2F2014

Vivendo a Palavra

Ainda hoje há ‘pessoas espiando’ o que vamos fazer no sábado... Vamos praticar o Bem, ou o Mal? Curar, ou deixar ficar? Libertar ou ignorar a injustiça? Religião cristã é a re-leitura da vida com os olhos e os critérios de Jesus de Nazaré e, a partir daí, assumir as atitudes conseqüentes, mesmo que sejam perigosas ou desafiadoras.
http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg05.php

Reflexão

A vivência legalista e proibitiva da religião é uma das maiores manifestações da dureza de coração que pode acontecer na vida das pessoas. Quando isso acontece, as pessoas não são capazes de descobrir os valores que devem marcar o nosso relacionamento entre nós mesmos e entre nós e o próprio Deus, e a religião acaba por se tornar um mero cumprimento de obrigações e de ritos, numa verdadeira bruxaria. Esta forma de religião acaba por ter como um dos seus principais fundamentos a relação de poder, o autoritarismo e a estratificação social a partir da fé das pessoas. É por isso que as autoridades do tempo de Jesus procuram descobrir a maneira como haveriam de matá-lo.
http://liturgiadiaria.cnbb.org.br/app/user/user/UserView.php?ano=2014&mes=1&dia=22

Recadinho


Nosso coração é cheio de bondade para com todos? - Podemos seguramente pedir que Deus tenha atitude igual para conosco? - Lembra-se de reservar espaços especiais para Deus em sua vida? - Em agradecimento a tantos dons, o que temos a oferecer a Deus? - Será que de fato somos todos iguais?!
Padre Geraldo Rodrigues, C.Ss.R
http://www.a12.com/santuario-nacional/santuario-virtual/evangelho-do-dia/22/01/2014

Comentário do Evangelho

FAZER O BEM É SEMPRE PERMITIDO

Jesus sabia-se livre para fazer o bem, mesmo atropelando as tradições religiosas de seu tempo. Sua liberdade, entretanto, podia ser mal entendida e tomada como uma forma irresponsável de chocar a sensibilidade religiosa alheia. Ou, então, como uma espécie de anarquismo, onde regras e normas são tranqüilamente atropeladas.
Uma consciência profunda de ser servidor do Reino de Deus movia a ação de Jesus. Enquanto servo, ele se colocava à disposição do Pai, cuja vontade estava sempre pronto para cumprir. O desígnio do Pai era que o Reino acontecesse de maneira efetiva na vida das pessoas, resgatando-as de tudo quanto pudesse mantê-las cativas. A doença é uma forma de limitação da força vital concedida a cada ser humano. Libertar-se dela é sinal de resgate do dom original de Deus. Por isso, quando se tratava de recuperar a saúde de alguém, Jesus passava por cima de todas as convenções religiosas.
A pressão sofrida por parte dos fariseus não intimidava Jesus. Ele não curava às escondidas, nem se preocupava de saber se estava agradando ou não a seus críticos. Um homem foi curado no meio da sinagoga repleta, num dia de sábado. Era inadmissível para Jesus vê-lo com sua deficiência física e se omitir. Embora atraísse o ódio de muitos sobre si, escolheu o caminho da fidelidade ao Pai, restituindo ao homem o pleno uso de sua mão.
Oração
Senhor Jesus, tua liberdade para servir ao Pai e ao Reino são uma referência para mim. Que também eu seja livre para fazer sempre o bem ao meu próximo.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Oração
Deus eterno e todo-poderoso, que governais o céu e a terra, escutai com bondade as preces do vosso povo e dai ao nosso tempo a vossa paz. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
http://www.domtotal.com/religiao/meu_dia_com_deus/evangelho_dia.php?data=2014-01-22

REFLEXÕES DE HOJE


22 de JANEIRO - QUARTA

http://liturgiadiariacomentada2.blogspot.com.br/



HOMILIA
JESUS CURA O HOMEM DA MÃO ALEIJADA Mc 3,1-6

Nesse texto podemos ver claramente como o fanatismo e sectarismo cegam nossa mente. O homem se torna capaz de compreender o real sentido da fé, da espiritualidade e do bem estar da alma. Ele não é capaz de compreender que só com amor e fazendo bem ao próximo é que conseguirá ter a festa no céu. Que é vivendo e praticando a solidariedade com os que passam necessidades, com os doentes, com os que sofrem as catástrofes naturais no Rio de Janeiro, em São Paulo e m tantos outros lugares no Brasil e do mundo possuirá como herança a vida eterna lá no céu.
Sem amor a Lei pouco importa. Ela é morta e os que lhe são submissos estão condenados a desaparecer com ela. Aliás, a Lei não foi criada somente pra punir, mas, pra mostrar os limites ao homem. Quando Deus disse: "Não matarás", ele quis dizer que este ato é ruim, tanto para vitima, quando para o assassino. Mas, nossos desejos, maldades e cegueira não nos deixam compreender isso com facilidade. Assim o imbecil, com uma arma na mão, após matar uma pobre vitima, se acha esperto e até zomba da pobre alma que foi tirada da vida. No entanto, não sabe ele, que matando um inocente, ele está também matando a se próprio. Pois, cada vida tirada é uma penalização aumentada no carma de quem mata. Mesmo sem a antiga máxima de "olho por olho dente por dente", Jesus deixou claro que: "Quem com ferro fere com ele será ferido".
Então o que eleva a alma não são as leis, mas, os sentimentos que tem que ser puros, inocentes e iluminados. Por isso Jesus nos disse que se quisermos entrar no Reino dos céus temos que voltar a sermos crianças. E o que nos faz ser inocentes, puros de coração e de alma é o amor. Pois como nos ensina São Paulo, o amor é o vínculo da perfeição. E para São João, Deus é amor. Quem ama permanece em Deus. E para tal se manifestar o amor de Deus em nós, não temos outro caminho senão colocar seus mecanismos em pratica, que são caridade, humildade, misericórdia e bondade. Diz: dei-vos um exemplo, para que assim como eu fiz façais vós também.
Voltando ao evangelho de hoje, nos perguntamos: Então como Jesus poderia deixar de ajudar o pobre homem só porque era sábado? O sábado no Antigo Testamento que para nós cristãos o Domingo, é um dia consagrado ao Senhor. E o Senhor é o Senhor da vida e não da morte. Da saúde e não da doença. Da alegria e não da tristeza. Do perdão, da misericórdia, da liberdade e na da condenação.
Na verdade o que temos que praticar é o amor, a amizade e a misericórdia, para que o amor divino se manifeste em nós.
Pai, sejam minhas mãos usadas somente para a prática do bem. Livra-me de mantê-las fechadas a quem precisa de minha ajuda, e de usá-las para fazer o mal.

Fonte Homilia: Padre Bantu Mendonça Katchipwi Sayla
http://www.liturgiadapalavra.com/
HOMÍLIA DIÁRIA
Deixe a graça de Deus fazer morada no seu coração
Fechar o coração para a graça de Deus significa ficar indiferente a dor do próximo, ao sentimento do próximo, a necessidade que o próximo tem!
”E perguntou-lhes: ‘É permitido no sábado fazer o bem ou fazer o mal? Salvar uma vida ou deixá-la morrer?’ Mas eles nada disseram” (Mc 3, 4).
Meus queridos irmãos e irmãs, nós hoje continuamos a reflexão sobre aquilo que começamos a fazer no dia de ontem: ”o sentido sagrado do sábado”, o repouso sabático para o judeu, para aqueles contemporâneos de Jesus, para os quais observar o sábado estava acima de qualquer coisa.
Por isso, quando o homem de mão seca se aproxima do Senhor, precisando da ajuda de Jesus, do toque de Jesus, da graça de Jesus, eles começam a observar: ”Será que Ele vai fazer o que não é permitido no dia de sábado?”. E aí o Senhor questiona se não seria permitido fazer o bem, se não seria permitido salvar uma vida ou se seria preferível deixá-la morrer, porque no sábado não se podia fazer nada. Eles simplesmente se calaram e nada responderam.
Isso, sim, provocou uma ”ira santa” em Jesus! Ele olhou ao Seu redor, movido por uma tristeza e por um abatimento por causa da dureza do coração daquelas pessoas. A única coisa que não pode acontecer com um homem religioso, uma mulher religiosa, um homem de Deus, uma pessoa que procura ser de Deus, é fechar o coração para a graça de Deus. E fechar o coração para a graça de Deus significa ficar indiferente à dor do próximo, ao sentimento do próximo e à necessidade que o próximo tem!
Não existe ”bitolamento religioso” maior do que nós irmos à Missa, a grupos de oração, rezarmos o nosso terço, adorarmos o Senhor e simplesmente sermos indiferentes à dor, ao sofrimento e à necessidade pelos quais o outro passa.
A religião que vivemos, irmãos e irmãs, deve ser a religião que ”cutuca” o coração, a religião que torna o coração mais sensível às necessidades e ao sofrimento do nosso próximo. Não podemos viver uma religião na qual estamos muito apegados a compromissos religiosos, reuniões para lá e para cá, orações de lá e cá (muitas pessoas se sentem muito religiosas quando rezam muito, quando têm muitos compromissos na Igreja), quando, na verdade, nem nos sobra tempo para cuidar dos sofrimentos daqueles que estão ao nosso lado e, muitas vezes, até dentro da nossa própria casa e da nossa própria família.
A “religião” que leva as pessoas a só rezarem e a não praticarem o amor e a caridade para com o próximo não é a de Jesus!
Deus abençoe você!

Padre Roger Araújo

Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.Facebook Twitter
http://homilia.cancaonova.com/homilia/deixe-a-graca-de-deus-fazer-morada-no-seu-coracao/
LEITURA ORANTE

Mc 3,1-6 - O bem da pessoa em primeiro lugar



Saudação
- A nós, a paz de Deus, nosso Pai,
a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
no amor e na comunhão do Espírito Santo.
- Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
Preparo-me para a Leitura, rezando:
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo
Jesus Mestre, que dissestes:
"Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome,
eu aí estarei no meio deles",
ficai conosco,
aqui reunidos (pela grande rede da internet),
para melhor meditar
e comungar com a vossa Palavra.
Sois o Mestre e a Verdade:
iluminai-nos, para que melhor compreendamos
as Sagradas Escrituras.
Sois o Guia e o Caminho:
fazei-nos dóceis ao vosso seguimento.
Sois a Vida:
transformai nosso coração em terra boa,
onde a Palavra de Deus produza frutos
abundantes de santidade e missão.
(Bv. Alberione)

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente o texto na Bíblia: Mc 3,1-6.
Jesus foi outra vez à sinagoga. Estava ali um homem que tinha uma das mãos aleijada. Estavam também na sinagoga algumas pessoas que queriam acusar Jesus de desobedecer à Lei; por isso ficaram espiando Jesus com atenção para ver se ele ia curar o homem no sábado. Ele disse para o homem:
- Venha cá!
E perguntou aos outros:
- O que é que a nossa Lei diz sobre o sábado? O que é permitido fazer nesse dia: o bem ou o mal? Salvar alguém da morte ou deixar morrer?
Ninguém respondeu nada. Então Jesus olhou zangado e triste para eles porque não queriam entender. E disse para o homem:
- Estenda a mão!
O homem estendeu a mão, e ela sarou. Logo depois os fariseus saíram dali e, junto com as pessoas do partido de Herodes, começaram a fazer planos para matar Jesus.

Era sábado. Jesus entrou na sinagoga e ensinava. Lá também estava um homem que tinha a mão aleijada. E estavam lá pessoas espiando se Jesus curaria no sábado. Espreitavam, como diz o Salmo: “Homens cruéis estão fazendo planos contra mim”(Sl 59, 4).O homem que tinha a mão aleijada centralizou as atenções. Para Jesus, a vida é mais importante que o sábado. E mais: ele é o Senhor do sábado. E já se manifestou sobre esta questão, afirmando que omitir socorro possível nestas situações, é fazer um mal. Primeiro, Jesus manda que o homem fique em pé e na frente de todos. Depois questiona: “é permitido neste dia fazer o bem ou o mal? Salvar da morte ou deixar morrer?” Disse ao homem que estendesse a mão. E, assim, o curou. Os fariseus, por falta de razão, e apegados à sua pretensa superioridade, “ficaram furiosos” e passaram a fazer planos para matar Jesus.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Mais uma vez me é apresentada a questão do legalismo, de um lado; e, de outro, a defesa da vida, da pessoa segundo o Projeto de Deus.
Os bispos, em Aparecida, disseram: " Como discípulos de Jesus reconhecemos que Ele é o primeiro e maior evangelizador enviado por Deus (cf. Lc 4,44) e, ao mesmo tempo, o Evangelho de Deus (cf. Rm 1,3). Cremos e anunciamos “a boa nova de Jesus, Messias, Filho de Deus” (Mc 1,1). Como filhos obedientes á voz do Pai queremos escutar a Jesus (cf. Lc 9,35) porque Ele é o único Mestre (cf. Mt 23,8). Como seus discípulos sabemos que suas palavras são Espírito e Vida (cf. Jo 6,63.68). Com a alegria da fé somos missionários para proclamar o Evangelho de Jesus Cristo e, n’Ele, a boa nova da dignidade humana, da vida, da família, do trabalho, da ciência e da solidariedade com a criação." (DAp 103).
Minha vida reflete o que Jesus diz e faz ou há contradições?
O meu Projeto de vida é o do Mestre Jesus Cristo?

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo com o bem-aventurado Alberione:
Jesus Mestre, disseste que a vida eterna consiste
em conhecer a ti e ao Pai.
Derrama sobre nós, a abundância do Espírito Santo!
Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no teu seguimento,
porque és o único caminho para o Pai.
Faze-nos crescer no teu amor,
para que sejamos, como o apóstolo Paulo
testemunhas vivas do teu Evangelho.
Com Maria, Mãe Mestra e Rainha dos Apóstolos,
guardaremos tua Palavra,
meditando-a no coração.
Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós.

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Como dizem os bispos da América Latina: “nós, como discípulos e missionários de Jesus, queremos e devemos proclamar o Evangelho, que é o próprio Cristo. Anunciamos a nossos povos que Deus nos ama, que sua existência não é uma ameaça para o homem, que Ele está perto com o poder salvador e libertador de seu Reino, que Ele nos acompanha na tribulação, que alenta incessantemente nossa esperança em meio a todas as provas. Os cristãos são portadores de boas novas para a humanidade, não profetas de desventuras.” (DAp 30).

Bênção
- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém
.

Irmã Patrícia Silva, fsp
http://leituraorantedapalavra.blogspot.com.br/
http://www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=evangelho&action=busca_result&data=22%2F01%2F2014
Oração Final
Pai Santo, a Lei não poucas vezes é aplicada como uma cerca que limita nossa liberdade. Jesus nos aponta o Amor, que é como uma seta a indicar uma direção sem limites, sempre aberta ao mais profundo, ao mais largo, ao melhor para os irmãos. Dá-nos coragem, Pai amado, para seguirmos Jesus, teu Filho e nosso Irmão, que contigo reina na unidade do Espírito Santo.
http://www.arquidiocesebh.org.br/mdo/pg06.php

Nenhum comentário:

Postar um comentário