quarta-feira, 10 de outubro de 2012

HOMÍLIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 11/10/2012

11 de Outubro de 2012 


Lucas 11,5-13


Comentário do Evangelho

Oração perseverante

Lucas, no seu evangelho, dá grande destaque à oração. Após a narrativa na qual Jesus ensina os discípulos a orar, apresenta uma sugestiva comparação para ilustrar a importância da oração perseverante e contínua. O orante a Deus é comparado a um "amigo" que vai a outro amigo, em uma hora pouco conveniente, pedir ajuda para atender um terceiro. Graças à sua insistência ele é atendido. Ao "pedir", "buscar", "bater à porta", sem desistir, se conquistará as coisas boas que são agradáveis a Deus e que desejamos. 
Em conclusão temos a comparação, usando contrastes exagerados, com os pais que sabem dar coisas boas a seus filhos e o Pai do céu. O dom maior, que Deus não nos negará e que podemos pedir, é o seu Espírito de Amor, pelo qual entramos em comunhão de vida com nosso próximo e com Deus. 

José Raimundo Oliva


Vivendo a Palavra

O Mestre revela que as portas do coração de Deus estão escancaradas para atender nossos pedidos. Mas deixa claro: muito melhor do que nós, que somos limitados, o Pai Misericordioso sabe dar aos filhos o que mais nos convém: as luzes do seu Espírito para vivermos com sabedoria.

Reflexão

A oração é uma busca constante de viver na presença de Deus e procurar estar em diálogo com ele para que ele nos ajude em nossas necessidades, mas devemos nos lembrar das palavras de são Tiago: pedis sim, mas pedis mal, pois não sabeis o que pedir. Muitas vezes pedimos, e pedimos muito, mas não pedimos o que deveríamos, nossos pedidos são mesquinhos, materialistas e visam simplesmente a satisfação de interesses pessoais e imediatos, não sabemos pedir os verdadeiros valores, que são eternos, não pedimos a salvação, o perdão dos pecados nossos e dos outros, não pedimos pela ação evangelizadora da Igreja, pela superação das injustiças que causam guerras e tantos sofrimentos, mas principalmente, não pedimos a ação do Espírito Santo em nossas vidas.


COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

FAÇA UMA DOAÇÃO AO NPDBRASIL...

1. Não pedir o peixe pronto!
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Na reflexão anterior dizíamos que a Oração requer comprometimento, não tem sentido pedir "tudo mastigado" a Deus, infelizmente há muitos cristãos bem intencionados em nossas comunidades, mas que costumam pedir o "Peixe" já frito, daí a gente só tem o trabalho de sentar e comer... O evangelho nos dá uma informação importante, se soubermos pedir, a nossa oração jamais deixará de ser atendida, Deus não condiciona os pedidos, ele não faz uma seleção de quais orações irá atender, e também não adianta imaginar que, os que tem mais Fé terão prioridade no atendimento das orações encaminhadas a Deus.

Então, o ensinamento é muito claro, o que pedimos a Deus É O CANIÇO completo, com todas as condições necessárias para que a pescaria tenha êxito, e o meio para termos as nossas orações atendidas, é o Espírito Santo, que é Perfeito em si mesmo, ele nos dá o discernimento do que devemos pedir, e depois nos capacita com seus dons celestiais, nos dá força e coragem para irmos a luta e vermos realizado tudo o que pedimos, claro que se pedirmos algo que esteja direcionado para o mal, não seremos atendidos.

A insistência e a perseverança na oração autêntica é por demais importante, pois quanto mais pedimos der maneira insistente, Deus em seu Espírito vai nos mostrando e nos dando o discernimento, e daí a experiência da Vida nos ensina o quanto Deus nos ama. Digo isso porque na minha vida, andei pedindo a Deus certas coisas, que se Ele atendesse, provavelmente não seria hoje um escriba da sua Santa Palavra. Já pedi muito "peixe pronto" a Deus, confesso aos leitores, mas Deus com o passar do tempo foi me moldando, me ajustando, e o seu Espírito Santo foi apontando as saídas, e algumas ferramentas importantes para conquistar o que eu tinha pedido, posso garantir que não foi da noite para o dia...

Ser sempre insistente e perseverante, ter um foco e um sentido para a nossa Vida, acreditar nos sonhos e projetos, principalmente quando se sabe que eles estão em sintonia com os desígnios de Deus, oração assim, Deus não resiste e atende de maneira generosa, sempre nos dando mais do que pedimos.

2. Oração perseverante
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por José Raimundo Oliva - e disponibilizado no Portal Paulinas)
VIDE ACIMA

Oração
Pai, que a minha oração seja plena de confiança em ti, pois sei que queres dar-me o que tens de melhor, o Espírito Santo.

3. A ORAÇÃO PERSEVERANTE
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total a cada mês).

Ao orientar seus discípulos a respeito da oração, Jesus procurou evitar certas atitudes equivocadas em relação a Deus. Entre elas, a tendência a fazer de Deus um empregado do ser humano, sempre pronto a atender seus pedidos, sem jamais recusar-se.

Muitos discípulos, vendo que suas orações não eram atendidas imediatamente, eram levados a deixá-las de lado, considerando-as inúteis. Jesus alertou-os a não nutrir tais disposições.

A relação com o Pai dá-se na gratuidade e na perseverança. O discípulo sabe que tudo quanto recebe de Deus é dom imerecido. Não tem o direito de exigir nada; antes, deve colocar-se diante dele, com humildade, e apresentar-lhe suas necessidades. Por outro lado, o discípulo sabe que o Pai não está obrigado a submeter-se a seu ritmo. Daí a necessidade de ser perseverante, e rezar sem cessar. O Pai conhece a melhor hora de atendê-lo.

Jesus inculcou nos discípulos uma certeza: quem pede com perseverança obterá o que espera, pois o Pai celeste não se deixa vencer em bondade. Se um pai humano jamais dá uma coisa má a um filho que lhe pede uma coisa boa, tanto mais o Pai celeste dará a seus filhos algo que possa prejudicá-los. Antes, reserva-lhes um dom precioso, o Espírito Santo, o bem mais necessário para não esmorecerem no seu caminho de fidelidade ao Reino.

Oração
Senhor Jesus, dá-me a graça de ser perseverante na oração, sabendo que o Pai me reserva o que ele tem de melhor.

Não pare de rezar!


Postado por: homilia

outubro 11th, 2012


No Evangelho de ontem, Jesus responde ao pedido: “Senhor, ensina-nos a orar”, instruindo seus discípulos nos elementos da oração apropriada, pelo modelo de oração que Ele dá. Hoje, Jesus enfatiza a importância da fé na oração feita com persistência, conforme aparece claramente na parábola do amigo à meia-noite.
Nesta parábola, um homem é surpreendido na calada da noite por um hóspede inesperado e está embaraçado por não ter nada para alimentá-lo. Para cumprir esta exigência da hospitalidade do Oriente Médio, ele vai ao seu amigo vizinho, à meia-noite, pedindo três pães. A resposta é abrupta e insensível: “Não me importunes; a porta já está fechada, e os meus filhos comigo também já estão deitados. Não posso levantar-me para tos dar”.
A reação do suplicante, contudo, é insistir, sem se acanhar, até que seu “amigo” veja que há menos inconveniência em honrar o pedido do que continuar uma discussão a essa hora da noite. A moral da história, indicada no versículo oito, é que a “persistência” ou a “falta de acanhamento” do hospedeiro embaraçado conseguiu seu objetivo numa situação em que os laços de amizade e de afinidade mostraram-se ineficazes. Portanto, a aplicação da parábola é para encorajar a persistência e a fé esperançosa na oração.
“Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e a quem bate, abrir-se-lhe-á”.
É importante reconhecer que esta parábola é simplesmente ilustrativa e não simbólica, pois Deus não é certamente um amigo insensível e de má vontade e Ele não nos vê como vizinhos importunos, desavergonhados. O argumento, então, raciocina do menor para o maior, do pior para o melhor. Se verdadeiramente somos amados de Deus em vez de desprezados, e se Ele está ansioso – antes que hesitante – para ouvir nossos pedidos, por que a fidelidade na oração não produziria não somente um ouvido atento, mas uma boa vontade em dar tudo o que pedimos que for consistente com sua sabedoria divina?
Jesus completa suas instruções em Lucas 11 sobre a fidelidade na oração indo além da certeza de que Deus ouve a oração de seu filho, a uma concentração no objeto da súplica. Enquanto há, certamente, exemplos de abusos cometidos contra crianças em volta de nós, a maioria das pessoas – não importa se são más – não dão intencionalmente aos seus filhos presentes perigosos: “Se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?”
Novamente, o argumento é feito contrastando o pior com o melhor. Se podemos confiar nos humanos para fazerem a coisa certa pela razão errada ou por causa da “afeição natural” por seus filhos, não podemos ser absolutamente confiantes em que Deus, que é mais do que apenas um amigo e pai, tanto ouvirá como dará suas melhores dádivas (seu Filho e a influência de seu Espírito) àqueles que lhe imploram persistente e fielmente?
Esta mensagem de Lucas 11 deve fazer do seu coração o lugar da acolhida do projeto de Deus em sua vida. Com fé, esperança e confiança, bate à porta, suplique, chore apresentando todas as suas preocupações. Tenho a plena certeza de que o Senhor ouvirá, atenderá e responderá abundantemente de acordo com a qualidade da nossa oração.
O desafio se chama persistência, disciplina e fidelidade na oração. Portanto, como disse Paulo aos novos convertidos de Tessalônica também digo a você: “Reze sem cessar”, ou seja: “Não pare de rezar!”
Padre Bantu Mendonça
Leitura Orante

Lc 11,5-13 - "Peçam e vocês receberão"



Preparo-me para a Leitura Orante, rezando:


Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.


Trindade Santíssima
- Pai, Filho, Espírito Santo -
presente e agindo na Igreja e na profundidade do meu ser.
Eu vos adoro, amo e agradeço.

1. Leitura (Verdade)

O que diz o texto do dia?

Leio atentamente, na Bíblia, o texto 
Lc 11,5-13, 
e observo as recomendações de Jesus.

Então Jesus disse aos seus discípulos:
- Imaginem que um de vocês vá à casa de um amigo, à meia-noite, e lhe diga: "Amigo, me empreste três pães. É que um amigo meu acaba de chegar de viagem, e eu não tenho nada para lhe oferecer."
- E imaginem que o amigo responda lá de dentro: "Não me amole! A porta já está trancada, e eu e os meus filhos estamos deitados. Não posso me levantar para lhe dar os pães."
Jesus disse:
- Eu afirmo a vocês que pode ser que ele não se levante porque é amigo dele, mas certamente se levantará por causa da insistência dele e lhe dará tudo o que ele precisar. Por isso eu digo: peçam e vocês receberão; procurem e vocês acharão; batam, e a porta será aberta para vocês. Porque todos aqueles que pedem recebem; aqueles que procuram acham; e a porta será aberta para quem bate. Por acaso algum de vocês será capaz de dar uma cobra ao seu filho, quando ele pede um peixe? Ou, se o filho pedir um ovo, vai lhe dar um escorpião? Vocês, mesmo sendo maus, sabem dar coisas boas aos seus filhos. Quanto mais o Pai, que está no céu, dará o Espírito Santo aos que lhe pedirem!

Jesus quer dizer que Deus, o Pai, não se faz surdo aos nossos pedidos. Não é, porém,  para  o deixar em paz, como pode parecer, num primeiro momento, no exemplo que Jesus dá. Apresenta três afirmações neste trecho do Evangelho de Lucas:
- Oração e pedidos pelas nossas necessidades.
- Perseverança na oração: “insistência”.
- Confiança na bondade de Deus: “se vocês sabem dar coisas boas a seus filhos, quanto mais o Pai”.
Fica claro neste texto o que Jesus fala sobre a necessidade da oração. E uma certeza: o Pai dará o Espírito Santo aos que a ele o pedirem.

2. Meditação (Caminho)

O que o texto diz para mim, hoje?

O texto me faz recordar o que disseram os bispos em Aparecida:

 “A oração pessoal e comunitária é o lugar onde o discípulo, alimentado pela Palavra e pela Eucaristia, cultiva uma relação de profunda amizade com Jesus Cristo e procura assumir a vontade do Pai. A oração diária é um sinal do primado da graça no caminho do discípulo missionário. Por isso, “é necessário aprender a orar, voltando sempre a aprender esta arte dos lábios do Mestre”
 (DAp 255)

3.Oração (Vida)

O que o texto me leva a dizer a Deus?

Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo, com o 
Bem-aventurado Alberione:

Jesus, Mestre:
que eu pense com a tua inteligência, com a tua sabedoria.
Que eu ame com o teu coração.
Que eu veja com os teus olhos.
Que eu fale com a tua língua.
Que eu ouça com os teus ouvidos.
Que as minhas mãos sejam as tuas.
Que os meus pés estejam sobre as tuas pegadas.
Que eu reze com as tuas orações.
Que eu celebre como tu te imolaste.
Que eu esteja em ti e tu em mim. Amém.

4.Contemplação (Vida e Missão)

Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

Meu novo olhar é impregnado pelo espírito de oração, recomendado por Jesus.

Bênção

 - Deus nos abençoe e nos guarde. 
Amém. 
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. 
Amém. 
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz.
 Amém. 
- Abençoe-nos Deus misericordioso, 
Pai e Filho e Espírito Santo.
 Amém.

Outubro 2012 - Mês Missionário

 Tema: "Brasil missionário partilha a tua fé".

Ir. Patrícia Silva, fsp


Oração Final
Pai Santo, faze-nos reconhecer a presença do teu Espírito em nós, e nos dá força e coragem para viver sua inspiração, tornando-nos irmãos dos nossos próximos e filhos teus amorosos e agradecidos. Por Jesus Cristo, teu Filho e nosso Irmão, na unidade do Espírito Santo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário