quarta-feira, 30 de agosto de 2017

GOTAS DE MISERICÓRDIA - Diário de Santa Faustina §102 a 105


Diário de Santa Faustina §102 a 105

§102
"Após algum tempo uma das Irmãs entrou na cela e me encontrou quase morta. Assustou-se e foi chamar a Mestra que, por força da santa obediência, ordenou que eu me levantasse do chão. Imediatamente voltaram minhas forças físicas e levantei-me do chão, toda tremendo. A Mestra percebeu logo o estado da minha alma, falou -me da insondável misericórdia de Deus, dizendo-me: ¨Irmã, não se perturbe seja com o que for; e ordeno-lhe isto pela virtude da obediência. ¨ E acrescentou: ¨Agora reconheço que Deus esta destinando a Irmã para um alto grau de santidade. O senhor quer ter a Irmã perto de Si, já que permite tais provas e tão cedo. Que a irmã seja fiel a Deus, porque isto é sinal de que deseja lhe reservar um elevado lugar no Céu. ¨ Mas eu não compreendia nada dessas palavras ."

§103
"Quando entrei na capela, senti como se a minha alma fosse completamente purificada, como se acabasse de sair das mãos de Deus; intui, então, a pureza inviolável da minha alma e senti-me como uma criancinha. Então, de repente, vi anteriormente o Senhor, que me disse: Não tenhas medo, minha filha, Eu estou contigo. Nesse momento dissiparam-se todas as trevas e angústias, os sentidos foram inundados de indízível alegrias, as faculdades da alma repletas de luz."

§104
"Ainda quero mencionar que, embora a minha alma já estivesse sob os raios do Seu amor, no meu corpo ficaram ainda por dois dias os vestígios do tormento passado. O rosto mortalmente pálido e os olhos ensanguentados. Só Jesus sabe o quanto tinha sofrido. Comparando com a realidade, aquilo que escrevi parece sem expressão. Não sei expressá-lo, parece que voltei do outro mundo. Experimento agora uma aversão a tudo que é criado. Aconchego-me ao Coração de Deus como uma criança ao peito da mãe. Vejo tudo com outros olhos. Estou consciente de tudo que Deus fez na minha alma com uma só palavra e por Ela vivo. Tremo só de me lembrar dos tormentos passados. Não teria acreditado que se pode sofrer tanto se eu mesma não tivesse passado por isso. É um sofrimento inteiramente espiritual."

§105
"Todavia, em todos esses sofrimentos e lutas, eu não faltava a Santa Comunhão. Quando achava que não devia comungar, procurava antes da Comunhão a Mestra e dizia-lhe que não podia comungar, parecia-me que não deveria comungar. Ela, no entanto, não permitia que eu deixasse à Santa Comunhão; comungava e vi que somente a obediência me salvava. Foi a própria Mestra que me disse mais tarde que essas minhas provações passaram depressa justamente porque a ¨Irmã foi obediente. É só pelo poder da obediência a Irmã superou tudo isso com tanta coragem.¨ Na verdade foi o próprio Senhor que me tirou desse tormento, mas a fidelidade à obediência Lhe foi agradável. Embora sejam coisas pavorosas, nenhuma alma deve assustar-se demasiadamente com elas, porque Deus não nos submete a provas que estejam acima de nossas forças."

Jesus, eu confio em Vós!




Nenhum comentário:

Postar um comentário