terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Santo Hilário de Poitiers - 13 de Janeiro




Santo Hilário de Poitiers, combateu o Arianismo do Oriente

Para o bem do povo anunciava com ousadia até ser exilado, mas não deixou de evangelizar nem mesmo na cadeia
Um dos santos padres da Igreja de Cristo, ele nasceu no ano de 315, em Poitiers, na França. Buscava a felicidade; mas sua família, pagã, vivia segundo a filosofia hedonista, ligada ao povo grego-romano; ou seja, felicidade como sinônimo de prazeres, com puro bem-estar. Então, aquele jovem dado aos estudos, se perguntava quanto ao fim último do ser humano; não podia acabar tudo ali com a morte; foi perseguindo a verdade.
O Espírito Santo foi agindo até ele conhecer as Sagradas Escrituras. O Antigo Testamento o levou proclamar o Deus uno, que merece toda a adoração. Passando para o Novo Testamento, Santo Hilário foi evangelizado e, numa busca constante, ele se viu necessitado do santo batismo, entrar para Igreja de Cristo e se fazer membro deste Corpo Místico. Em 345, foi batizado. Não demorou muito já era sacerdote e, depois, ordenado bispo para o povo de Poitiers.
Ele sofria com as heresias do arianismo. Santo Hilário, pela sua pregação e seus escritos, foi chamado "O Atanásio do Ocidente", porque ele combateu o Arianismo do Oriente. No tempo em que o imperador Constâncio começou a apoiar esta heresia, Santo Hilário não teve medo das autoridades. Se era para o bem do povo, ele anunciava com ousadia até ser exilado, mas não deixou de evangelizar nem mesmo na cadeia. Por conselho, o próprio imperador o assumiu de volta em 360, porque os conselheiros sabiam da grande influência desse santo bispo que não ficava apenas em Poitiers, mas percorria toda a França.
Ele voltou, convocou um Concílio em Paris, participou de tantos outros conselhos no ocidente, mas sempre defendendo essa verdade que é Jesus Cristo, verdadeiro Deus, verdadeiro homem.
Santo Hilário de Poitiers foi se consumindo por essa verdade. Pelos seus escritos que chegam até o tempo de hoje, percebe-se este amor por Jesus Cristo. Não só numa busca pessoal, mas de promover a salvação dos outros. No século IV, ele partiu para a glória.
Santo Hilário de Poitiers, rogai por nós!
http://santo.cancaonova.com/santo/santo-hilario-de-poitiers-combateu-o-arianismo-do-oriente/

Santo Hilário de Poitiers

Santo Hilário de Poitiers
315-367
Hilário era francês, acredita-se que tenha nascido no ano 315, de família rica e pagã, recebendo educação e instrução privilegiada. Durante anos buscou na filosofia as respostas para seus questionamentos em busca da Verdade. Mas só as encontrou no Evangelho e então se converteu ao cristianismo.
Hilário foi batizado aos trinta anos de idade, junto com a esposa e a filha, Abrè, a quem amava ternamente. A partir daí passou a levar uma vida familiar guiada pelos preceitos cristãos.
Este era um período de paz externa para a Igreja, que precisava se fortalecer no seu próprio seio. Mas que, no entanto, se apresentava cheia de pequenas rupturas internas, provocadas principalmente pela chamada "heresia ariana", uma doutrina que negava a divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Foi justamente pela vida exemplar que levava, assim como pelos conhecimentos intelectuais e espirituais que, povo e clero, o elegeram bispo, convidando-o para o cargo. Era uma decisão difícil, pois um bispo alçado da sua condição tinha que, obrigatoriamente abandonar a família para abraçar o clero. Mas não vacilou e aceitou a incumbência e desafios que ela lhe trazia. Foi consagrado bispo de Poitiers e lutou vigorosamente contra o arianismo. Debate após debate, polêmica após polêmica com os hereges, sua defesa da Fé foi se tornando conhecida e o respeito por sua atuação cada vez maior.
Foi por isso chamado "o Atanásio do Ocidente". Como ele, Hilário foi perseguido pelos imperadores e sofreu o exílio. Enviado para o Oriente, não se sentiu derrotado, aproveitou para estudar o grego e conhecer as comunidades cristãs mais antigas e os ensinamentos dos maiores sábios da Igreja, o que só fortaleceu sua missão.
Corajoso, durante o exílio de cinco anos, escreveu livros contra os imperadores Constâncio e Auxêncio. Também foi o autor de diversas obras: sobre a Santíssima Trindade, Comentários sobre os Salmos, e algumas obras cujos textos interpretou. Contribuindo intensamente para o desenvolvimento da teologia da revelação.
Hilário ficou realmente fascinado pela liturgia oriental. Compôs hinos litúrgicos para familiarizar os fiéis com a teologia e mantê-los mais intimamente unidos às celebrações. Pastor zeloso, procurou, ao retornar para sua diocese na França, oferecer a seu rebanho o que de melhor aprendera neste período de exílio. Mas nem por isso esqueceu a família, cuja filha ele mesmo ministrou o sacramento do matrimônio e a esposa ingressou num mosteiro, com seu auxílio e aprovação.
Faleceu em 367, quando passou a ser venerado como santo logo após seu último suspiro. Uma conhecida frase sua mostra bem a coragem e a valentia com que viveu e atuou, enfrentando hereges e poderosos: "Enganam-se os que acreditam que me farão calar. Falarei pelos escritos e a palavra de Deus, que ninguém pode aprisionar, voará livre". O Papa Pio IX, o canonizou e o honrou com o título de "Doutor da Igreja", confirmando a sua celebração para o dia 13 de janeiro.
FONTE: paulinas em 2013

Santo Hilário de Poitiers

bispo e doutor da Igreja
(315-368)
Muitas são as analogias entre esse santo batalhador e seu contemporâneo santo Agostinho.
Como este, era filho de família abastada e já pai de uma menina (chamada Abre) quando se converteu ao cristianismo, após um acidentado percurso rumo à fé, que o levou da leitura dos filósofos neoplatônicos à meditação sobre as páginas da Bíblia. Nesta ele encontrou resposta para as perguntas que fazia a si mesmo desde a juventude sobre os fins do homem e a natureza da alma.
Como Agostinho, também foi aclamado bispo pelo povo. Sua ação pastoral teve de voltar-se imediatamente para o campo da ortodoxia, ao combater o crescente avanço da heresia ariana. Nesse embate, contou com a colaboração do jovem Martinho, o futuro bispo de Tours.
Os arianos, que recebiam o apoio do imperador Constâncio, conseguiram que este o condenasse ao exílio. Deportado para a Frígia, Hilário teve a oportunidade de se aprimorar, tomando contato com a grande tradição dos padres orientais. Aprendeu grego, podendo assim se abeberar nas fontes da teologia patrística.
Mas também na Frígia começou a desagradar aos arianos, que o expediram a Poitiers, onde ele escreveu De Trinitate, ou melhor, De fide adversus arianos, tratado que o tornou célebre e lhe valeu o título de doutor da Igreja, outorgado em 1851.
Polemista e arguto teólogo, era ao mesmo tempo bom pastor de almas e compassivo com a ovelha perdida. Consagrou-se também, com efeito, aos bispos e padres que, tendo aderido à heresia, reconheceram os próprios erros e foram reintroduzidos em suas sedes episcopais e paróquias.
FONTE: paulinas em 2014

Santo Hilário, Bispo de Poitiers

Nasceu em Poitiers, no seio de uma ilustre família. Ele mesmo nos diz que foi educado na idolatria e faz uma narração detalhada de como Deus o levou ao conhecimento da fé, recebendo o batismo a uma idade um tanto avançada.
Por volta do ano de 350, foi eleito Bispo de Poitiers. Depois de sua elevação ao episcopado compôs antes de partir para o desterro em Frígia, um comentário sobre o Evangelho de São Mateus, que chegou até nós. Entretanto, seus principais escritos são sobre o arianismo. Santo Hilário amava a verdade sobre todas as coisas e não poupava nenhum esforço, nem evitava alguém por defendê-la. Assim, Santo Hilário defendeu ardentemente os decretos do Concílio de Nicéa, quando este viu-se ameaçado pelas intenções do imperador Constâncio que reuniu um concílio de arianos de Selucia de Isauria, a fim de neutralizá-lo. Hilário morreu em Poitiers, provavelmente em 368.
http://www.acidigital.com/santos/santo.php?n=185
São Hilário de Poitiers
NascimentoNo ano de 315
Local nascimentoGália Romana - Poitiers - Sul da França
OrdemDiocesana
Local vidaFrígia, atual Turquia
EspiritualidadeO século IV realmente marca na história da Igreja um tempo terrível de muitos martirizados por amor ao Evangelho: a maior prova já passada pela Igreja. A atitude de são Hilário por meio de seus escritos e participação pastoral foi importantíssima na ajuda da Igreja para fazer os cristão encontrar a unidade na fé., superando assim toda heresia. Com toda razão santo hilário era chamado de "Atanásio do Ocidente", ou seja, o homem que mais contribuiu na Igreja para vencer a crise do arianismo, (doutrina a qual seria exaltado pelo sistema nazista). Com 30 anos recebeu o batismo. Era casado e tinha uma filha chamada Abre. Ao morrer o bispo da cidade o povo e o clero pediram-lhe para que aceitasse o cargo pastoral de chefe da comunidade cristã. Separou-se de comum acordo de sua esposa que lho apoiou e entregou sua vida inteira a serviço da Igreja. Hilário soube unir dois extremos difíceis harmonizar: o espírito de doçura e persuasão com a intransigência mais corajosa. Enfrentou por inúmeras vezes a imperadores e acabou sendo desterrado do oriente pelo Imperador quando escreveu o livro "Contra Auxencio" (o rei) por compactuar-se com a heresia. Igualmente é destacada a contribuição deste santo na elaboração do pensamento cristão e da vida religiosa. Passou cinco anos no Oriente. Saindo do desterro, escreveu "Sobre a Trindade - Tratados sobre os Mistérios e Salmos" - o que valeu o título de Doutor da Igreja, Livro de Hinos", enriquecendo a moralidade também do pensamento latino, com seu esforço especulativo e exegético da teologia oriental.
Local morteFrança
MorteNo ano de 367, aos 52 anos de idade
Fonte informaçãoSanto Nosso de cada dia, rogai por nós!
OraçãoÓ Deus, que marcastes pela vossa doutrina a vida de Santo Hilário de Poitiers, concedei-nos, por sua intercessão, que sejamos fiéis à mesma doutrina, e a proclamemos em nossas ações. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.
DevoçãoÀ retidão da vivência do Evangelho
PadroeiroDos combatentes das heresias
Outros Santos do diaHilário (bispo e dr); Gumercindo (presb); Servídeo (monge); Potito, hermilo e Estratánico (mártires); Agrício, Leôncio (bispo); Glafira, Verônica de Birasco (virgens); Vivêncio (conf.)
FONTE: ASJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário