domingo, 19 de maio de 2013

HOMÍLIA, COMENTÁRIO E REFLEXÃO DO EVANGELHO DO DIA 19/05/2013

19 de Maio de 2013

Ano C


João 20,19-23

Comentário do Evangelho


A solenidade de Pentecostes

Encerra o Tempo da Páscoa.
Inaugura-se na história da humanidade um novo tempo, o Tempo do Espírito, ou o Tempo da Igreja. Trata-se de um espaço aberto pra o testemunho dos discípulos: “… permanecei em Jerusalém até receberdes a força do alto, o Espírito Santo, na Judeia, na Samaria, até os confins da terra” (At 1,8).
O adjetivo ordinal “pentecostes” designa o último dia de uma série de cinquenta dias. O pentecostes não coincide com a festa judia de Pentecostes (cf. At 2,1). A festa judia passou por uma evolução: de uma festa agrícola (Ex 12,15-17; Ex 34,22; Dt 16,10), ela passou, no período pós-exílico, a ser a festa comemorativa da Aliança no Sinai (ver: Ex 19,1).
Todo relato da descida do Espírito Santo em At 2,1-11 possui os elementos da teofania do Sinai: barulho ensurdecedor e fogo (ver Ex 19,16). São elementos da manifestação de Deus.
O barulho enche toda a casa, como o Espírito Santo, a todos eles (cf. vv. 2.4). E, depois de um fenômeno sonoro, um fenômeno visual: “... línguas como de fogo” (v. 3). Que são essas “línguas de fogo”? Simbolizam o poder de Deus que faz falar. Faz falar o quê? As maravilhas de Deus (cf. v. 11). Não se trata de falar línguas incompreensíveis. O dom do Espírito Santo faz com que a Igreja assuma a cultura, a língua de cada povo, para poder chegar a cada pessoa as maravilhas de Deus, isto é, o que Deus fez por nós e para nós em Jesus Cristo.
A solenidade de Pentecostes funda a universalidade da missão da Igreja. Mas há continuidade entre o pentecostes judeu e o cristão: o dom do Espírito é o dom da Lei interiorizada, quando, da Nova Aliança, surgem o espírito novo e o coração novo de que falam os profetas Jeremias e Ezequiel (Jr 30,23; Ez 36,26-27).
Carlos Alberto Contieri,sj

Vivendo a Palavra

Jesus soprou sobre eles. O vento é o sinal revelador do Espírito Santo. Lembremo-nos disso quando O estivermos anunciando. Que a nossa fala e o testemunho de vida sejam leves, fluidos, portadores alegres da boa notícia do Reino de Deus já presente em nós, ainda que não sem sua plenitude.

PENTECOSTES

Ambientação:

Sejam bem-vindos amados irmãos e irmãs!

INTRODUÇÃO DO FOLHETO DOMINICAL PULSANDINHO: A cada ano a festa de Pentecostes oferece à Igreja a ocasião para entrar, por assim dizer, em si mesma e descobrir-se animada e conduzida pelo Espírito Santo. Uma presença forte, mas discreta e silenciosa, da qual quase não nos damos conta. Nos últimos dias de sua vida, Jesus promete aos discípulos que iria deixar-lhes seu Espírito como sua herança mais verdadeira, como continuação de sua mesma presença. O Espírito Santo é, portanto, antes de tudo, a presença "espiritual" de Jesus ressuscitado na Igreja, presença que continua, de maneira diferente, sua presença histórica de uma vez; presença que é, porém, misteriosamente, também uma pessoa: a terceira Pessoa da Trindade. Ele é a alma da Igreja: "sem o Espírito Santo, Deus estaria longe, Cristo ficaria no passado, o Evangelho seria letra morta, a Igreja uma simples organização, a autoridade uma dominação, a missão uma propaganda, o culto uma evocação e o agir cristão uma moral de escravos. Mas no Espírito Santo o cosmos se levanta e geme nas dores do Reino, o Cristo ressuscitado está presente, o Evangelho é potência de vida, a Igreja é comunhão trinitária, a autoridade é serviço libertador, a missão é Pentecostes, a liturgia é memorial e antecipação, o agir humano é deificado" (Inácio de Laodiceia).

INTRODUÇÃO DO FOLHETO DOMINICAL O POVO DE DEUS: Hoje o Espírito Santo desceu sobre a Igreja, reunida no mesmo lugar. Enfim, a comunicação do amor tomou conta da Igreja nascente e se espalhou pelos confins da terra, atravessando os tempos com a força do testemunho apostólico.

INTRODUÇÃO DO WEBMASTER: A Solenidade de Pentecostes celebra um acontecimento capital para a Igreja: a sua apresentação ao mundo, o nascimento oficial com o batismo no Espírito. Complemento da Páscoa, a vinda do Espírito Santo sobre os discípulos manifesta a riqueza da vida nova do Ressuscitado no coração e na atividade dos discípulos; início da expansão da Igreja e princípio da sua fecundidade, ela se renova misteriosamente hoje para nós, como em toda assembléia eucarística e sacramental, e, de múltiplas formas, na vida das pessoas e dos grupos até o fim dos tempos. A "plenitude" do Espírito é a característica dos tempos messiânicos, preparados pela secreta atividade do Espírito de Deus que "falou por meio dos profetas" e inspira em todos os tempos os atos de bondade, justiça e religiosidade dos homens, até que encontrem em Cristo seu sentido definitivo (cf AG 4).

Sintamos em nossos corações a alegria da Ressurreição e entoemos alegres cânticos ao Senhor!



COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

FAÇA UMA DOAÇÃO AO NPDBRASIL...

1. RENASCIDOS NO ESPÍRITO
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Diácono José da Cruz - Diácono da Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP)

Quando se capricha na reforma de uma casa antiga, mudando totalmente sua fachada, costuma se dizer que ela ficou como nova, a esse respeito, lembro-me também do tempo em que a compra de um sapato novo era onerosa e a gente optava por levar o velho ao sapateiro, que colocava meia sola, passava uma tinta, dava um brilho e quando ia buscar, era como se fosse um sapato novo, e um último exemplo, um dos carros que tive foi uma Brasília, que em certa ocasião, mandei fazer uma reforma caprichada e ao sair com ela da oficina, dizia orgulhoso que ficou “novinha” em folha. Nesses três casos, a palavra NOVA é apenas força de expressão, pois a casa, o sapato e a Brasília, continuaram velhos, apenas com aparência de novos. O que o Espírito de Deus realiza em nós, não é uma reforma de fachada, não somos uma casa velha reformada, mas nele somos recriados, renascidos e renovados, passando a ser realmente novas criaturas, porque estamos em Cristo (1 Cor 5, 17-21).

Quando o homem toma conhecimento dessa verdade, fica confuso como Nicodemos, que perguntou a Jesus como é que podia um homem, sendo já velho, nascer de novo,e se era necessário entrar novamente no útero materno. Nas leituras da missa da vigília, e do domingo de Pentecostes descobrimos que esse renascimento e essa renovação não dependem do homem, mas é iniciativa de Deus. Quando celebramos Pentecostes estamos na verdade celebrando o renascimento de todo gênero humano, a renovação de toda humanidade, onde o homem, consciente e crente desta renovação, se une a seu Deus e aos irmãos em comunhão perfeita, na Igreja, que é o Povo da Nova Aliança, a Assembléia ou a reunião dos que crêm e vivem segundo o Espírito, vivenciando um amor que se traduz em serviço, impelido pelos carismas.

Igreja não é um grupo fechado e particular que têm exclusividade sobre o Espírito Santo, monopolizando seus dons e carismas, o Espírito é derramado sobre todos e não canalizado para alguns em particular como pensam algumas correntes religiosas. Todos os textos que ilustram essa Festa de Pentecostes, da missa da Vigília e da própria Festa, não deixam margem para dúvidas a esse respeito. “Derramarei o meu Espírito sobre todo ser humano” – (Joel 3, 1) “todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o espírito os inspirava. Moravam em Jerusalém, judeus devotos de todas as nações do mundo, quando ouviram o barulho, juntaram-se á multidão e cada um os ouvia falarem em sua própria língua” (Atos 2, 4-5) Através do seu Espírito que é único, Deus se comunica com todos os homens no pluralismo de valores, de culturas e religiões, em uma única linguagem!

No espírito descobrimos que somos todos iguais embora queiramos parecer diferentes. Se atendêssemos aos apelos do Espírito, derrubaríamos por terra todas as barreiras que nos separam e homens de todas as nações, culturas e religiões, iriam se dar às mãos e em uma única voz cantariam um único louvor, ao único e verdadeiro Deus, reunidos em uma única Igreja que já não seria mais este ou aquele templo, esta ou aquela denominação religiosa, mas sim as entranhas do homem. Eis aí algo esplendido que Pentecostes nos revela: nascemos de novo e nos renovamos porque Deus em seu Espírito Santo, entra em nós. “Nossos ossos estavam secos, nossa esperança havia acabado , texto que em Ezequiel 17, mostra não só a situação de um povo, que tinha perdido a sua identidade de povo de Deus, mas da própria humanidade, que sem Deus não consegue sonhar, ou esperar nada de bom, mas só tem pesadelos, e neste mesmo texto vemos a maravilhosa profecia “Porei em vós o meu Espírito para que vivais... e os anciãos voltarão a sonhar, e os jovens profetizarão” isso significa que todos, jovens e velhos poderão esperar algo novo, uma nova e feliz realidade.

Essa possibilidade se concretizou ao anoitecer daquele dia, quando Jesus soprou sobre a comunidade dos discípulos, concedendo-lhes o dom da paz e o seu próprio Espírito. Precisamente ali surgiu a nova humanidade, em uma Igreja que na força do Espírito Santo perdeu o medo, abriu suas portas que estavam fechadas e saiu em missão para anunciar a todos os homens essa verdade, que o Espírito do Senhor nos renovou, que em todos os homens, a graça é maior e mais abundante que o pecado. E quando todo homem olhar para dentro de si e tomar consciência dessa verdade, de que é uma Igreja ambulante porque o Senhor habita nele em Espírito, então passará a produzir os frutos doces e saborosos da caridade, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, lealdade e mansidão. Você já fez essa experiência? (Domingo de Pentecostes)
José da Cruz é Diácono d
Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim – SP
E-mail  cruzsm@uol.com.br

2. A solenidade de Pentecostes encerra o Tempo da Páscoa
(O comentário do Evangelho abaixo é feito por Carlos Alberto Contieri, sj - e disponibilizado no Portal Paulinas)
VIDE ACIMA
ORAÇÃO
Pai, que o teu Espírito Santo me recrie inteiramente, de modo a banir para longe de mim todo medo e toda insegurança que me impedem de dar testemunho do teu Reino.

3. RECEBEI O ESPÍRITO SANTO
(O comentário do Evangelho abaixo é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado no Portal Dom Total a cada mês).

O dom do Espírito Santo foi um elemento fundamental na experiência missionária dos primeiros cristãos. Com a ascensão do Senhor, eles se viram às voltas com uma tarefa descomunal: levar a mensagem do Evangelho a todo o mundo.

A missão exigiria deles inculturar a mensagem, fazendo o Evangelho ser entendido por pessoas das mais variadas culturas. Deveriam ser capazes de enfrentar dificuldades, perseguições e, até mesmo a morte, por causa do nome de Jesus. Muitos problemas proviriam dos judeus, pois a ruptura com eles seria inevitável, dada a intransigência da liderança judaica para com a comunidade cristã que tomaria um rumo considerado inaceitável. Sem dúvida, não faltariam problemas dentro da própria comunidade, causados por partidarismos, falsas doutrinas e atitudes incompatíveis com a opção pelo Reino.

Os discípulos eram demasiado fracos para, por si mesmos, levar a cabo uma empresa tão grande. Jesus, porém, concedeu-lhes o auxílio necessário ao comunicar-lhes o Espírito Santo. Fortalecidos pelo Espírito, eles não se intimidaram, antes, cumpriram, com denodo, o ministério da evangelização. 

O dom de Pentecostes renova-se, cada dia, na vida da Igreja. O Espírito, ontem como hoje, não permite que os cristãos cruzem os braços diante do mundo a ser evangelizado.
Oração
Senhor Jesus, que eu seja cada dia revestido pela força do Espírito Santo, que me capacita para exercer, sem descanso, minha tarefa de evangelizador.

19.05.2013

Solenidade de Pentecostes — ANO C

VERMELHO, GLÓRIA, SEQUÊNCIA [NA MISSA DO DIA], CREIO, PREFÁCIO PRÓPRIO – OFÍCIO DA SOLENIDADE
__ "O Espírito Santo anima a comunidade. A Igreja vive no Espírito de Cristo." __

EVANGELHO DOMINICAL EM DESTAQUE


APRESENTAÇÃO ESPECIAL DA LITURGIA DESTE DOMINGO

FEITA PELA NOSSA IRMÃ MARINEVES JESUS DE LIMA

VÍDEO NO YOUTUBE


APRESENTAÇÃO POWERPOINT

19 de maio: Pentecostes

A LIBERDADE DO ESPÍRITO
O Espírito é livre. Ninguém pode prendê-lo. Na Bíblia, é à força de Deus. No começo de tudo, “a terra estava informe e vazia, as trevas cobriam o abismo e o Espírito de Deus pairava sobre as águas” (Gn 1,2). Como uma galinha aquecendo seus ovos debaixo das penas, o Espírito paira sobre a fonte da vida. O Espírito gera a vida plena (cf. Jo 10,10).
No Antigo e no Novo Testamento há três símbolos básicos do Espírito: o hálito, o fogo e a água. O hálito é exalação, emanação, vento, respiração, alento. O fogo é luz, calor, ardor. A água purifica, lava, fecunda, é chuva, orvalho, brisa. O Espírito, nesse sentido, evoca o dinamismo, o bem-estar, a vida em Deus. Ele é o sopro que faz a vida brotar até de onde parece só haver morte (cf. Ez 37,1-14). É a força vital.
O mesmo Espírito que pairava na solidão da origem do mundo desce sobre Jesus por ocasião do seu batismo no Jordão, quando o “céu se abre” (Lc 3,21). E depois, movido por ele (cf. Rm 8,13), Jesus realiza no mundo o projeto do Pai, sendo fiel até o fim. No momento da cruz, quando completa seu caminho até Jerusalém, naquela hora em que tudo é vazio, quando tudo é dor, o seu grito ecoa confiança e não desespero: “Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito” (Lc 23,46).
Portanto, quem se deixa guiar pelo Espírito é livre. Jesus é livre por excelência e, como tal, é capaz de enfrentar as consequências de uma vida tecida pela liberdade. Mesmo no sofrimento, ele se volta para o Pai. Fiel ao projeto salvífico, não se deixa vencer.
Todo batizado é livre, porque guiado pelo Espírito. “Vós fostes chamados à liberdade, irmãos” (Gl 5,13), lembra-nos o apóstolo Paulo. O batizado é livre para Deus, para o outro em Cristo. Nada, porém, é mérito de quem age, e sim daquele que age em nós.
O que nos faz livres é o amor. O Espírito é o amor do Pai e do Filho. Essa comunhão é que faz a liberdade cristã e guia a comunidade na prática do amor, do direito e da justiça.
Nesta festa de Pentecostes, oEspíritoreafirma na comunidade a presença viva de Deus; o Espírito renova a face da terra. Apesar de todos os sinais de morte e de toda a dor, há um amor maior que move o mundo. A comunidade cristã é chamada a semear essa esperança. Pelo Espírito, todo cristão está próximo de Deus, e seu agir revela o divino. Que o Espírito seja nossa luz e inspiração no caminho.
Pe. Antonio Iraildo Alves de Brito, ssp

Continuadores da missão de Jesus pela ação do Espírito Santo

Homilias revisadas
   
19 maio

“Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os inspirava” (At 2,4).
O que aconteceu, na Igreja, no dia de hoje, são as primícias do início da Igreja. Esta foi revestida do poder do Alto, e não se trata de uma instituição humana nem de uma sociedade civil, mas da Igreja do Senhor, congregada, unida sobre o poder e a ação maravilhosa do Espírito Santo de Deus.
Hoje, todos nós cristãos do mundo inteiro meditamos, contemplamos e nos abrimos para essa graça que se chama o “derramamento do Espírito Santo”. Deus derrama o Seu Espírito sobre toda a face da terra e esta abre-se para essa graça do Senhor. Nós podemos pregar, anunciar, podemos fazer o Reino de Deus acontecer na força e no poder do Espírito.
Louvado seja Deus, bendito e adorado seja Ele. Glorificado seja o nome do Senhor, porque Ele nos deu Seu Espírito para que venha trazer toda a unção do Alto. Primeiro, para proclamarmos Jesus como nosso Senhor e Salvador, para levarmos Sua mensagem a todos os cantos e a todos os lares sob a ação do Paráclito.
Esse Espírito cura-nos, liberta, restaura e transforma-nos. Ele realiza uma obra nova em nós e nos dá gosto pelas coisas de Deus, pelas palavras d’Ele.
Esse Espírito nos ajuda a vencer e enfrentar as contrariedades da vida, porque, nem sempre, o vento é favorável, nem sempre ele vem em nosso favor. Quem nos dá a graça de sermos vitoriosos é o Espírito de Deus, é Ele quem nos dá o Seu penhor, a Sua verdadeira parrésia, que precisamos para ser ousados na vivência da fé.
Que eu e você sejamos revigorados por essa força do alto chamada Espírito Santo, um Pentecostes na vida de cada um de nós, um novo Pentecostes no coração da Igreja.
Deus abençoe você.
LEITURA ORANTE

"Recebam o Espírito Santo"



Solenidade de Pentecostes.
Preparo-me para a Leitura Orante, invocando o Espírito Santo:

Espírito de verdade,
a ti consagro a mente e meus pensamentos: ilumina-me.
Que eu conheça Jesus Mestre
e compreenda o seu Evangelho. 

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia? 
Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Jo 20,19-23, e observo pessoas, palavras, relações, lugares
Naquele mesmo domingo, à tarde, os discípulos de Jesus estavam reunidos de portas trancadas, com medo dos líderes judeus. Então Jesus chegou, ficou no meio deles e disse: 
- Que a paz esteja com vocês! 
Em seguida lhes mostrou as suas mãos e o seu lado. E eles ficaram muito alegres ao verem o Senhor. Então Jesus disse de novo:
- Que a paz esteja com vocês! Assim como o Pai me enviou, eu também envio vocês. 
Depois, soprou sobre eles e disse: 
- Recebam o Espírito Santo. Se vocês perdoarem os pecados de alguém, esses pecados são perdoados; mas, se não perdoarem, eles não são perdoados.
Jesus atravessa as barreiras internas e externas das pessoas. Com a vinda do Espírito Santo, o medo é vencido pela paz, a dúvida e o desânimo com a identificação e o encontro com Jesus Ressuscitado. 


2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?

Jesus oferece a paz aos discípulos. E com a paz, oferece-lhes o Espírito Santo.
“Jesus nos transmitiu as palavras de seu Pai e é o Espírito que recorda à Igreja as palavras de Cristo (cf. Jo 14,26). Desde o princípio, os discípulos haviam sido formados por Jesus no Espírito Santo (cf. At 1,2) que é, na Igreja, o Mestre interior que conduz ao conhecimento da verdade total formando discípulos e missionários. Esta é a razão pela qual os seguidores de Jesus devem se deixar guiar constantemente pelo Espírito (cf. Gl 5,25), e tornar a paixão pelo Pai e pelo Reino sua própria paixão: anunciar a Boa Nova aos pobres, curar os enfermos, consolar os tristes, libertar os cativos e anunciar a todos o ano da graça do Senhor (cf. Lc 4,18-19)." (DAp 152).

3.Oração (Vida)

O que o texto me leva a dizer a Deus? 
Rezo, com o papa Paulo VI:
Oração ao Espírito Santo
Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, 
Aberto à vossa silenciosa
E forte palavra inspiradora, 
Fechado a todas as ambições mesquinhas, 
Alheio a qualquer desprezível competição humana, 
Compenetrado do sentido da santa Igreja! 
Um coração grande, 
Desejoso de tornar-se semelhante
Ao Coração do Senhor Jesus! 
Um coração grande e forte
Para amar todos, 
Para servir a todos, 
Para sofrer por todos! 
Um coração grande e forte
Para superar todas as provações, 
Todo tédio, todo cansaço, 
Toda desilusão, toda ofensa! 
Um coração grande e forte, 
Constante até o sacrifício, 
Quando for necessário! 
Um coração cuja felicidade
É palpitar com o Coração de Cristo
E cumprir humilde, fiel e virilmente
A vontade do Pai. 
Amém.


4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra? 

Meu novo olhar, iluminado pela luz do Espírito Santo,
Leva-me a pensar e desejar com os bispos da América Latina:
“ O Espírito Santo, com o qual o Pai nos presenteia, identifica-nos com Jesus-Caminho, abrindo-nos a seu mistério de salvação para que sejamos seus filhos e irmãos uns dos outros; identifica-nos com Jesus-Verdade, ensinando-nos a renunciar a nossas mentiras e ambições pessoais, e nos identifica com Jesus-Vida, permitindo-nos abraçar seu plano de amor e nos entregar para que outros “tenham vida n’Ele”.” (DAp 137).

Bênção 

- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém. 
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém. 
-Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém. 

Informação
Semana de Oração para a Unidade dos Cristãos (SOUC)
de 12 a 19 de maio. O tema será “O que Deus exige de nós?”, inspirado em Miquéias 6,6-8.
Saiba mais:
Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil - CONIC
SCS Quadra 1, Bloco E, Edifício Ceará, Sala 713
70303-900, Brasília - DF
Telefone/Fax: (61) 3321-4034
http://semanadeoracaopelaunidade.blogspot.com.br/
http://paulinascomunica.blogspot.com.br/


Irmã Patrícia Silva, fsp

Oração Final
Vem, Espírito Santo, enche os corações dos teus fieis e acende neles o fogo do teu Amor. Envia, Pai, o teu Espírito, e tudo será criado. E assim renovarás a face da terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário