sábado, 19 de maio de 2012

São Bernardino de Sena - 20 de Maio


São Bernardino de SenaNasceu em Massa Marítima, na Toscana, Itália, no ano de 1380. Muito cedo, infelizmente, perdeu seus pais; mas, por outro lado, a Providência Santíssima agiu na sua formação através de tias cristãs fervorosas. Tanto que oraram, testemunharam, foram canais da Providência Divina para a vida de São Bernardino.
Numa vida de oração e penitência, ele discerniu seu chamado a uma vida consagrada, entrando para a família franciscana na Ordem dos Frades Menores. Ali, tornou-se sacerdote.
São Bernardino possuía muitas qualidades; muitas delas, sobrenaturais. Muitos dons, dentre eles, o carisma da pregação. Um homem zeloso, liderou o movimento da observância em prol de uma vivência radical do carisma franciscano.
Quantas pessoas, na Itália, conheceram esse santo por causa da eficácia do nome de Jesus! Grande devoto; tanto que nas leituras do ofício de hoje, encontramos um texto tirado de um de seus sermões: “O nome de Jesus é a luz dos pregadores, porque ilumina, com o seu esplendor, os que anunciam e os que ouvem a Sua Palavra. Por que razão a luz da fé se difundiu no mundo inteiro tão rápida e ardentemente, senão porque foi pregado este nome?”.
Um grande pregador, ele reconhecia que tudo era graça na sua vida. Muitos puderam conhecer, através dos lábios desse pregador, o amor de Deus. Ele se expressou, revelou-se plenamente em Cristo Jesus na força do seu Espírito. São Bernardino, como todos os santos e santas da Igreja de todos os tempos, foi conduzido pelo Espírito Santo.
Centrado no mistério da Eucaristia, devotíssimo da Santíssima Virgem, ele se consumiu ao serviço da Palavra e do povo de Deus. No ano de 1444, ele partiu para o céu e intercede por nós para que sejamos todos servos da Palavra para glória e de Jesus.

São Bernardino de Sena, rogai por nós! 



São Bernardino de Sena
1380-1444

Na Itália, Bernardino nasceu na nobre família senense dos Albizzeschi, em 8 de setembro de 380, na pequena Massa Marítima, em Carrara. Ficou órfão da mãe quando tinha três anos e do pai aos sete, sendo criado na cidade de Sena por duas tias extremamente religiosas, que o levaram a descobrir a devoção a Nossa Senhora e a Jesus Cristo. 
Depois de estudar na Universidade de Sena, formando-se aos vinte e dois anos, abandonou a vida mundana e ingressou na Ordem de São Francisco, cujas regras abraçou de forma entusiasmada e fiel. Apoiando o movimento chamado "observância", que se firmava entre os franciscanos, no rigor da prática da pobreza vivida por são Francisco de Assis, acabou sendo eleito vigário-geral de todos os conventos dos franciscanos da observância. 
Aos trinta e cinco anos de idade, começou o apostolado da pregação, exercido até a morte. E foi o mais brilhante de sua época. Viajou por toda a Itália ensinando o Evangelho, com seus discursos sendo taquigrafados por um discípulo com um método inventado por ele. O seu legado nos chegou integralmente e seu estilo rápido, bem acessível, leve e contundente, se manteve atual até os nossos dias. Os temas freqüentes sobre a caridade, humildade, concórdia e justiça, traziam palavras duríssimas para os que "renegam a Deus por uma cabeça de alho" e pelas "feras de garras compridas que roem os ossos dos pobres". 
Naquela época, a Europa vivia grandes calamidades, como a peste e as divisões das facções políticas e religiosas, que provocavam morte e destruição. Por onde passava, Bernardino restituía a paz, com sua pregação insuperável, ardente, empolgante, até mesmo usando de recursos dramáticos, como as fogueiras onde queimava livros impróprios, em praça pública. Além disso, como era grande devoto de Jesus, ele trazia as iniciais JHS - Jesus Salvador dos Homens - entalhadas num quadro de madeira, que oferecia para ser beijado pelos fiéis após discursar. 
As pregações e penitências constantes, a fraca alimentação e pouco repouso enfraqueciam cada vez mais o seu físico já envelhecido, mas ele nunca parava. Aos sessenta e quatro anos de idade, Bernardino morreu no convento de Áquila, no dia 20 de maio de 1444. Só assim ele parou de pregar. 
Tamanha foi a impressão causada por essa vida fiel a Deus que, apenas seis anos depois, em 1450, foi canonizado. São Bernardino de Sena é o patrono dos publicitários italianos e de todo o mundo.

São Bernardino de Sena 


Hoje comemoramos São Bernardino de Sena, nascido em Massa Carrara, perto de Sena no ano de 1380. Ficou órfão de mãe quando tinha apenas três anos de idade, e o seu pai aos sete anos. Era descendente de uma influente família italiana, Albizzedchi, e foi criado por suas tias que eram muito rígidas. Freqüentou universidade e ingressou na Ordem Franciscana aos 22 anos no convento de Colombaio. Era muito devoto de Nossa Senhora.
São Bernardino depois de sua ordenação como padre, percorrendo toda a Itália, pregando o Evangelho. Seus sermões era concorridíssimos e sempre surdiam efeitos maravilhosos nas pessoas, propagava a devoção ao nome de Jesus, simbolizada pelas três letras iniciais do nome de Jesus: JHS (Jesus Salvador dos Homens), que hoje são conhecidas por todos os católicos do mundo inteiro. Ele foi um dos mais famosos pregadores da Itália do século XV, assim como São Vicente Ferrer e São João de Capistrano.
São Bernardino morreu aos 64 anos de idade em Áquila, onde está sepultado, no ano de 1444.


São Bernardino de Sena, presbítero  
Comemoração Litúrgica: 20 de maio 

Também nesta data: Santo Austregésilo e São Columbano de Rieti


                                                  Nasceu em Massa, perto de Siena, em 1380. Cedo perdeu os pais e sua educação  foi confiada a uma tia, de nome Diana, mulher de grande e sólidas virtudes. 
                                                  Menino ainda, manifestou Bernardino uma predileção declarada pela oração, pela vida religiosa e pelo estudo. Grande era o amor que tinha à pureza do coração. Não dando maus exemplos aos companheiros, também não tolerava proferissem uma palavra sequer contra o pudor. Bastava-lhe a presença, para contê-los na linha. "Calados, aí vem Bernardino!", diziam interrompendo a conversa, pois sabiam que lhes importava uma repreensão. 
                                                  Um homem que se atrevera a  dizer palavras obscenas em presença de Bernardino, dele recebeu um tapa no rosto, com a intimação de não continuar e proferir obscenidades. Contra um outro despudorado recrutou um bando de meninos, que a pedradas o perseguiam até fora da cidade. 
                                                  Diana tinha uma filha muito piedosa, de nome Tobia. Bernardino de vez em quando a visitava com o fim de receber salutares  instruções. Um dia, Bernardino  confidenciou à tia que achava-se enamorado de uma donzela formosíssima e lhe faltaria paz e sossego se não a visitasse  diariamente. A piedosa Diana, ao ouvir  tal declaração, não pouco se assustou sem, porém, dar demonstração de desassossego. Para descobrir o segredo de Bernardino,  observou-o atentamente e qual não foi a alegria e consolo quando soube que a querida de Bernardino era Maria Santíssima, a Virgem Imaculada, cuja imagem belíssima encontrava-se às portas da cidade. 
                                                  Bernardino contava 20 anos, quando sua terra foi visitada pela peste, tendo com muita dedicação tratado dos doentes no hospital, serviço esse que perdurou quatro meses, quando se sentiu acometido por violenta febre. Reconvalesceu, porém, e foi morar num subúrbio de Siena, onde , com  extremo fervor, dedicou-se às obras de caridade para conhecer a  vontade de Deus, relativa à sua vocação.  Após longo exame, decidiu-se pelo hábito de São Francisco e foi admitido na ordem. Em pouco tempo admitiu tal popularidade que era chamado o "Apóstolo da Itália".  As igrejas foram ficando pequenas para comportar o povo e em muitos lugares  as práticas eram feitas ao ar livre. 
                                                  Em determinada cidade atacou com tal vigor a jogatina que não havia mais quem quisesse pegar no baralho.  Um homem queixoso, apresentou-se ao Santo homem, pois vivia do fabrico de cartas de jogo,  pois, fechadas as  espeluncas,  não vendia os dantes procurados artigos.  Bernardino, consolando-o, recomendou-lhe que fabricasse santinhos e objetos de devoção, no que foi atendido, e o homem,  em vez de continuar  queixoso, muito lhe agradeceu, pois muito maior lhe foi em seguida o lucro com a venda desses produtos. 
                                                  Três vezes foi-lhe oferecida a dignidade episcopal, uma dessas, inclusive, pelo próprio Papa. Bernardino, porém, negou-se a aceitá-la, alegando que esperava fazer maior bem no apostolado da pregação.  Inimigos surgiram-lhe nas pessoas que mais se sentiram melindradas pelas suas verberações francas e evangélicas. De parte desses , vieram  muitas calúnias e perseguições atrozes. Bernardino porém, não deixou intimidar-se, defendendo-se curta e claramente, deixando o resto à Deus. 
                                                  Quando, pela primeira vez, em companhia de um irmão leigo, passava a sacola esmolando pelas ruas da cidade, uns meninos mal educados passaram a zombar do Santo e a atirar-lhe pedras. O companheiro, indignado com tal desconsideração, quis reagir e dar-lhes a merecida paga. Bernardino, porém disse-lhe: "Deixa os meninos divertirem-se. Que mal faz?  Não nos ajudam a ganhar o céu com a prática da paciência?"
                                                  Em outra  ocasião foi convidado por uma fidalga a procurá-la no seu palacete. Bernardino, na boa fé de receber uma esmola lá esteve, porém, grande foi a sua decepção. Em vez da esmola, recebeu da mulher propostas indecorosas, com ameaça de gritar por socorro e denunciá-lo, caso não a atendesse. O Santo empalideceu. Procurou um meio de sair da terrível emboscada. Curta foi-lhe a hesitação. Tirou do bolso um azorrague e curtiu tão desapiedadamente a própria pele, que a tentadora  sequer lembrou-se da idéia infame e pediu-lhe humildemente perdão. Assim,Bernardino, salvou sua inocência. 
                                                  No ano de 1444, o Santo achava-se no caminho de Nápoles, onde ia pregar uma missão. Chegando a Aquila achou-se tão doente, que pediu os Santos Sacramentos, da Extrema Unção e do Viático. Pressentindo o desenlace, pediu que o deitassem ao chão sobre a cinza, elevou os olhos ao céu e nesta posição entregou a alma ao Criador.  Depois de apenas seis anos, em 1450, o Papa Nicolau V o canonizou. O túmulo de São Bernardino se acha na Igreja dos Franciscanos em Áquila, onde tem sido glorificado com muitos milagres. 

Reflexões:

São Bernardino era  inimigo de conversas impuras. Quem quer salvar a sua alma deve evitar a impureza também nas palavras. Do que o coração está cheio, transborda a boca e é do Apóstolo São Paulo a palavra: "Nenhum impuro entrará no reino dos céus ". Lembra-te da presença de Deus, e estarás livre do perigo de cometer pecado contra o Sexto Mandamento.

São Bernardino de Sena
NascimentoNo ano de 1380
Local nascimentoMassa, perto de Sena
OrdemFranciscano Conventual
Local vidaItália
EspiritualidadeÓrfão de mãe aos três anos e de pai aos sete, foi criado por duas tias. Freqüentou a universidade de Sena e, aos 22 anos ingressou na Ordem Franciscana. Ordenado sacerdote, São Bernardino percorreu toda a Itália, pregando o evangelho e propagando a devoção ao nome de Jesus, simbolizada pelas três letras iniciais do nome de Jesus: JHS (Jesus Salvador do Homens), hoje conhecidas pelos católicos do mundo inteiro. São Bernardino foi sem dúvida o pregador mais famoso na Itália do século XV, ao lado de São Vicente Ferrer e São João de Capistrano. O seu tempo foi marcado por calamidades que assolaram toda a Europa, causando morte e destruição. Em 1400, o próprio São Bernardino, que nessa ocasião tinha 20 anos, percorria com seus companheiros as ruas de Sena, cuidando das vítimas. Ao lado da peste, a guerra e a fome imprimiam um tom apocalíptico à situação, o que favorecia o misticismo e a meditação da paixão de Cristo. Dentro desse quadro, a contribuição de São Bernardino para uma espiritualidade cristã, centrada no amor pessoal a Cristo, foi enorme: Cristo é o centro de toda a vida cristã. Pregador popular, conseguia conversões prodigiosas de seus ouvintes. Obteve mais de 2000 vocações para a Ordem franciscana. Foi grande propagandista da devoção ao Santo Nome de Jesus e recusou três vezes a dignidade de bispo.
Local morteÁquila (Itália)
MorteNo ano de 1444, aos 64 anos de idade
Fonte informaçãoArautos do Evangelho e Webcatolica
OraçãoDeus, nosso Pai, dai-nos a exemplo de São Bernardino, um espírito de sabedoria e de revelação para que realmente possamos conhecer e amar a Jesus, nosso Salvador. Iluminai-nos para que vos confessemos com nossa vida e, em virtude do Santo Nome de Jesus, vosso Filho, exorcizemos os males que atentam contra a saúde de nosso corpo e de nosso espírito. Pelo poder do nome de Jesus, afastai de nós o egoísmo, o ódio, a vingança, a indiferença. Livrai-nos de toda mentira e de toda malícia; voltai nosso coração para acolher e servir nossos semelhantes.
DevoçãoÀ meditação da Paixão de Cristo e do Apocalipse
PadroeiroDos publicitários
Outros Santos do diaSanta Basília, Sofia, Plautila, Saturnina (virgem); Baudélio, Águila, Alexandre, Astério, Telaleu, Áurea, Timóteo, Pólio, Eutíquio (mártires); Teodoro, Anastácio, Hilário, Comão, Peregrino (bispos).
FONTE: ASJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário